sábado, abril 22, 2017

22 04 2017


second part of my accusation and analyze concerning the crimes oon vodafone, google and blogger

primeira parte

sobre o culpado criminoso silencio dos constantes crimes informáticos e de comunicação na rede


À canalha terrorista e a quem a protege! (sobre o documento com o titulo Setembro



1.D.1. Do que ainda provam estas adulterações e crimes.


O texto acima mencionado “crime online” refere como verificável, alterações subtis por mim detetadas, relativas a outros textos publicados há oito dias atrás, ou seja, este sub padrão, a rapidez criminosa das adulterações, acontece quando existem crimes de monta e evidências fortes que podem fazer perigar os terroristas, ou seja, a rapidez dos crimes aqui detetados reforça a suspeição de que por exemplo esta inovação criminosa, nos vídeos, serve e esconde outros crimes que visam o roubo adulteração e apagamento de outras evidencias relativas a analises e provas de actos de terrorismo internacional.

1. E. Das evidências e provas destes crimes publicados dia 06 10 2016,quinta feira.


Como explicado em detalhe em vídeo publicado no ouro sobre azul, no seguimento do aparecimento da mensagem criminosa, que impossibilitou o visionamento dos vídeos referidos no ponto, A1, deste documento, o clicar no player embebido na minha pagina para a pagina do youtube onde os vídeos estão carregados, me apareceu debaixo do player uma mensagem escrita e gerada pela aplicação youtube, onde numa linha dizia que um determinado nome, na qualidade de utilizador tinha colocado esse vídeo em modo restritivo e que para retirar o modo restritivo, era preciso entrar na aplicação através de uma conta, cujo email se encontrava hiperligado neste dizer.

1.E.1 Das duas provas do acima explicado publicadas no meu blogue principal, ouro sobre azul.

Como visível no referido post, publiquei igualmente duas fotos gravadas do browser, um relativo à página do youtube onde apareceu a mensagem, o nome e o email de um utilizador, Nelas Cavaco, salvo erro Carlos, com o email, cnelascavaco455@gmail.com, e desse link, a entrada para o registo do Google, ou seja, no que se presume ser a conta dele no Google, que a ser verdadeira a informação da pagina do youtube, terá utilizado para colocar os meus vídeos em modo restritivo, que se encontravam dentro da minha conta, o que parece uma impossibilidade e antes, um crime.

1.E.2 De uma adulteração posterior neste post semelhante na intenção

Este post publicado dia 06 10 2016, com o titulo “crime of impeachment or worst, terrorist and eventually thief” foi de seguida adulterado no texto, como detetei no ultimo dia até à data de hoje em que vi o blogue, ou seja, no segundo paragrafo do referido texto,  que aparece agora, depois de mais este constante crime de adulteração,é,  

I can I sign with this password
Seems more the contrary if this criminal have this possibilty

Como entendível, e este é um bom mau exemplo destes crimes, mudaram o prenome inicial da primeira frase, de , how, para, I, e esta pequena alteração , torna a frase que é a essência do crime, incompreensível, pois a questão em português, para que todos entendam, é, como é que eu posso entrar na conta com a password dele, do tal Carlos Nelas Cavaco, pois só se a tivesse, e a decorrente questão deste crime, é, pelos vistos este criminoso, com um email distinto do que está associado à minha conta e com uma password, entra nas minhas contas e altera os conteúdos e se calhar os rouba e se calhar é um terrorista!

1.F. Da aparente reposição das hiperligações dos meu blogues filhos


1.F. Como sabeis, dita sete de outubro de 2016 de novo publiquei um singelo dizer, “ I demand all my blogs links put again on line” e da vez seguinte que acedi n Prior do Crato, loja com a ligação Vodafone, aparentemente os links ( bloco lateral do lado direito do layout da pagina inicial) já se encontravam de novo lá e também aparentemente a funcionar.

1.F.1. Da constante não resposta do blogger e da Google


Como isto foi resolvido não o sei dizer, pois como é parte integrante do constante comportamento criminoso do blogger, e por extensão assim tenho que o caracterizar, do Google, não obtive resposta ao que lhes enviara previamente, isto é, alguma resposta à queixa que lhes enviara previamente, isto é e ainda, à queixa relativa ao desaparecimento das funções de acesso aos conteúdos dos meus blogues e consequentemente não sei averiguar se foram eles que os puseram de novo a funcionar ou parte terceira desconhecida, se calhar um anjo protetor com asas.

1.F.2. Das eventuais responsabilidades criminosas decorrentes


A ver se nos entendamos de uma vez por todas sobre estas matérias que como consequências entre outras poderão levar à cadeia alguns, pois;

1.F.2.A.


Muitos destes frequentes crimes online através da aplicação dos blogues e do portal da Google, se relacionam com tragédias, actos de terror e mortes, donde as questões de entendimento das responsabilidades não se podem escamotear.

1.F.2.B.


Admitamos, pelo menos no plano teórico, que foram os técnicos destas aplicações, que se presume trabalharem pata o Google que nestes crimes descritos neste documento(refiro-me especificamente e em correlação com esta alínea, ao desaparecimento dos links; aos crimes de impedimento de acesso ao blogue Seamatters.blogspot.pt e às adulterações contínuas nos conteúdos, textos escritos, mas não só) que resolveram tecnicamente , pelo menos em parte, algumas destas questões criminosas e refiro-me especificamente , ao recolocar os links de novo a funcionar, porque razão então, a solução técnica não foi acompanhada por uma resposta escrita com menção do nome por parte do blogger e da Google?

(pata do Google, um pi do PP, um galo da P leo, bo, rac espanhola)

1.F.2.C


Ou seja este procedimento é criminoso na sua essência, pois pretende e visa sempre a diluição das responsabilidades que no contexto de crimes maiores com os referidos no paragrafo primeiro desta pagina (1F2A) mais peso sempre dá à suspeita de envolvimento direto, e, ou, indireto, e, ou, cobertura de crimes de morte e de terror com consequência de sangue e de morte para muitos, e refiro-me especificamente, que neste ponto, estas suspeitas recaem sobre o Blogger a a Google que é proprietária da primeira.

( krim, ou kin, ou K rim, noso, mao rte marte, guerreiro)

1.F.2.D.  


E friso que estes procedimentos, ou a ausência deles, de acordo com o que seria expectável de empresas e indivíduos no bem agir e no respeito integral das leis e dos direitos e deveres que regulam a prestação de serviços, não é só passível de procedimento criminal por suspeita de participação em actos de terror, como estes aqui referidos neste documento, como sempre tem um outro efeito, que extravasa a problemática especifica de um crime, isto é, um determinado crime ou conjunto de crimes, caracterizados, que se deram num determinado momento da linha dos dias, como em seu todo, isto é, pela constância, frequência e repetição, favorecem a continuidade destes crimes e dos crimes que são conexos ou destes derivados, o que por sua vez e assim sendo, sempre reforça a perceção geral da suspeita ao longo dos anos, nos crimes conexos e derivados, daqueles que são “visíveis” isto é, entendidos e detetados, nomeadamente no plano técnico.

(acordo cm, au s en cia, indi, r es ppie,pr eta tacao, s maís, por bel ma tica co neos s us pite ou pieta, n tend didos dd,  der riva iva)

1.F.2.E.


Introduzi a palavra, visíveis, no paragrafo e sub alínea acima, por uma especifica questão que sempre emerge destes padrões criminosos, que é como diversas vezes explicado e provado à saciedade, o que é visível para um utilizador sobre crimes desta natureza, impedimento, adulteração, esconde nas vezes, isto é acontecem também para esconder outro tipo de crimes como roubos e como, a utilização parcial de conteúdos que depois são refletidos parcialmente em tragédias, o que reforça e levanta a suspeita de os usarem, esses conteúdos, como integrante parte dos processos de desgraças em si mesmos.

(paraguai, fp)

1.F.2.F.


Para que de novo fique claro, crimes detetáveis escondem  geralmente , pois esse é o padrão criminal, outros, com consequências bem mais gravosas para terceiros individuais ou em grupo, que incluem nas vezes mortes.

1.G. Da perversão criminosa destes processos, do Google ou através deles


A perversidade criminosa, de novo neste documento vertida e explicada em forma sintética, se traduz ainda num outro mecanismo criminoso, que é nuclear, na manutenção do crime maior do roubo de meu filho, e de roubo de propriedade intelectual, que creio ascender desde 2003 e até hoje a um trilião de dólares, e se traduz na seguinte realidade, como mais uma vez, os referidos aqui neste documento o provam.

1.G.1 Dos crimes de impedimento de acesso e simetrias com tragédias


Como verificável estes crimes na aplicação do blogger referidos neste documento, aconteceram, pelo menos alguns deles, isto é, por exemplo, o crime de impedimento de acesso ao SeaMatters, é recorrente e já foi detetado anteriormente, ao mesmo tempo de uma tragédia grande, o tremor de terra em Amatrice em Itália, que segundo as noticias terá morto cerca de trezentas pessoas.

1.G.2 Do crime de impedimento de acesso aos meu blogue SeaMatters


Convêm primeiro relembrar que este crime de impedimento de acesso direto, isto é, quando num browser se digitaliza o endereço do blogue seamatters.blogspot.pt, aparece como apareceu durante estes últimos meses, uma mensagem, aparentemente da aplicação Blogger do Google dizendo que o blogue ao contrario dos “ settings” por mim definidos, era, ou estava em modo restrito, isto é, só acessível por convites, ou seja, para além do crime de impedimento de acesso aos conteúdos desse blogue, tal indicia igualmente, um acesso privilegiado à informação, um crime contra o direito fundamental da liberdade de expressão como consagrado na constituição da republica portuguesa e dá corpo, à suspeita do uso dessa informação para fins criminosos. Esta queixa crime foi publicada no mês de Setembro no meu blogue principal, ourosobreazul.blogspot.pt e enviada ao Google.

1.G.2.A. Da estratégia e objetivos criminosos mais gerais


Convêm igualmente recordar que este crime, sobretudo há cerca de um mês e meio, se inscreve num conjunto de crimes de impedimento de toda e qualquer produção minha, não só online como offline, num nível, que como caraterizei em textos e comentos em vídeo publicados no mês de Setembro no ourosobreazul.blogspot.pt, raramente visto, o que como padrão criminoso recorrente mais reforça a suspeição de que os crimes de impedimento online e offline visaram o uso criminoso da informação, produzida essencialmente até ao principio do mês de Agosto, e é minha convicção pelo que de seguida explicarei, que essa informação foi usada por terceiros desconhecidos, na tragédia de Amatrice em Itália.

1.G.2.B. Dos conteúdos que se encontravam publicados antes deste ataque


Que me parece aqui importante relembrar, os crimes em torno da cassete DV e de Durão Barroso/FMI, e do contexto europeu, nomeadamente da comissão europeia e das intervenções do presidente Juncker, antes e de seguida a Amatrice, que se encontram abordadas no meu blogue principal durante o mês de Setembro e ampliados e revistos, e igualmente adulterados numa publicação posterior, com o titulo,“Setembro”,em PDF, carregado para o Blogger e publicado igualmente no meu blogue principal, ourosobreazul.

1.G.2.C. Da publicação do extrato do meu manuscrito atual no SeaMatters.


Encontrava-se publicado até à pagina 1880, sequencial, e ao tempo de Amatrice, alguns dias depois, publiquei um extrato curto, de paginas ainda não publicadas, isto é devido a esta matança e às suas relações, como expliquei no titulo dessa publicação no seamatters, um pequeno conjunto talvez de 10 páginas, pela razão da matança em si mesma o que nela li, e das relações evidentes com outras anteriores,nomeadamente relativas, ou derivadas de factos integrados na análise das bombas em Londres.

1.G.2.D. Das digitalizações das fotos da rodagem do Al Berto / Sines / princípio de 90


Consequência deste tremendo esforço criminoso de impedimento, que visa também como objetivo de estratégia global, e em termos de português prosaico, fazer-me “perder o fio à meada”, e somando as condições constantes, nomeadamente, o impedimento de “trazer para casa” o que produzo, isto é, neste plano especifico, não só, cópias do que vou escrevendo e publicando, como por exemplo, poder manter um índice atualizado de tudo o que publico, não sei ao certo, e o verifiquei na semana que hoje acaba, sábado dia 15 10 2016, que a ultima publicação no seamatters, que se encontra visível na pagina do blogue, corresponde aos 16 frames que isolei do vídeo a que chamo de mini DV, sobre e também o Durão Barroso ou seja, não posso como é óbvio de entender estar seguro se outras fotos, e, ou, documentos de suporte, foram ou não publicados por mim no seamatters, depois da publicação referida neste paragrafo, nomeadamente as da rodagem sobre o poeta Al Berto em Sines, mas seguro estou, que as digitalizei,ou seja, roubados online, ou acedidos em minha casa depois de os digitalizar ou mesmo durante as digitalizações, estou certo que esses documentos que se encontram referenciados já existiam, através de desenhos reproduzidos nos extratos já ao tempo publicados, especificamente, o desenho das fotos, com os números, 2, e, 3, da pagina 1716.

1.G.2.E. Dos detalhes de uma dessas fotos de rodagem


Refiro-me à foto e desenhos da foto, na praia de Sines, com a rapariga que me fez de atriz, eu, a câmara, o tripé e onde ao fundo é visível, na falésia, uma espécie de totem, e uma casa abandonada por cima, e este detalhe, o da casa e da fiada de janelas, é o detalhe que estabelece a relação com Amatrice, e também com Roma, por um detalhe de natureza semelhante, isto é, a fiada das janelas no forte redondo, equivalentes aos detalhes dos 2 quadros de Lima de Freitas com o mesmo tema“ O Infante das Sete Partidas”.

Ou seja, é-me evidente, que terceiros desconhecidos, relacionados com este tremendo ataque de impedimento que vêm desde agosto de 2016, terão usado, estes elementos analíticos na preparação da tragédia de Amatrice em Itália, e isto, independentemente de outras relações de conteúdo, pessoas, e, ou, crimes, presentes ou passados, que sejam a essência ou parte de essência do motor desta tragédia, que mais uma vez parece ser, ou um ajuste de sangue ou uma vingança de um grupo, ou uma guerra entre grupos, ou assassinatos cirúrgicos disfarçados sobre a capa do que se pode entender, ou “vender”, como resultante de uma desgraça natural, sem intervenção direta da mão ou mãos humanas.

1.J.2.F. Do que a aparente reposição de alguns “settings” diz


Ou seja ainda, se me dei ao trabalho de explicar nestes detalhes estes factos integrantes deste recorrente crime de impedimento e não só, é para que fique claro, que se encontram detetados pontos de relação entre aspectos das minha analises recentes, dos crimes de roubo e de adulteração e impedimento, e mais esta tragédia em Itália, ou seja, estes factos e evidencias obrigam ou obrigariam, caso a lei fosse respeitada e as autoridades não se encontrassem vergadas, ao prosseguimento de investigação neste domínio, e reforço ainda, quão inaceitável, o repor em parte e aparentemente os settings, isto é, resolvendo os impedimentos técnicos detetados, especificamente a reposição dos links do ourosobreazul.blogspot.pt para o seamatters, pois mais uma vez e por si só, traduz a continuidade do crime de cobertura, e, ou, participação ativa em actos de terror ao nível mundial.

1.G.2.G. Das adulterações do doc. PDF c/ o titulo Setembro 2016, publicado dia 06 10.2016


Este documento foi alterado em tempo real durante a escrita pelos criminosos que tem acesso por remoto ao meu computador mesmo sem qualquer tipo de ligação cabo ou “ wireless”, e a descrição deste contínuo crime encontra-se em vídeo comento publicado a seguir ao documento.

Tendo como entendível no comento, este esforço de adulteração foi constante ao longo dos 3 dias que levei para o elaborar, o que reforça sem margem para dúvida, que quem tem acesso ao computador e pratica estes crimes, está ligado também aos crimes que as minhas analises abordam, e com a cobertura das autoridades na medida em que estes crimes são contínuos ao longo dos anos , e as minhas queixas publicas também.

Como sabeis existem razões de natureza criminosa nestes constantes crimes de adulteração, roubo e impedimento na produção das minha acusações, e a mais suspeita, da parte que apagaram é relativa ao tremor de terra em Amatrice, que se encontrava desenvolvida em maior detalhe no doc, PDF com o titulo Setembro de 2016.

1.G.2.G.A. Da relação PP


Ou a relação do Partido Popular de Paulo Portas, ou do PP como acrónimo de algumas identidades coligidas e citadas no livro da vida ao longo dos anos.



1.G.2.G.B. O traço dos , 3 x, no céu.

Na sequência de diversas expressões desta natureza, e que foi apagado em parte, de forma a que não se entenda facilmente a sequência e os valores, e que, pelo, x, ou marca, relaciona igualmente uma senhora do PP português, a ex ministra Assunção Cristas, numa imagem já com diversos meses, englobada no documento maior que estou a escrever há mais de um ano, refiro-me à imagem das ministras do anterior governo de Passos Coelho no Torreão do terreiro do paço em Lisboa.

Nota a 18 04 2017

(como sabeis estes factos foram recentemente repescados por terceiros, como é usual neste crime de conspiração internacional, alteram, roubam e passado algum tempo de forma a ilibar, “limpado” as minhas acusações naquilo que os pode fazer perigar, constroem uma nova versão pública dos factos, refiro-me à comentada campanha com a Assunção Cristas, PP, e até do desenvolvimento da linha espanhola através da recente foto do Rajoy capa de jornal espanhol, temas estes que se encontram comentados no meu livro da vida em vídeos recentes, pois esta segunda intervenção do PP espanhol, abriu aparentemente os sentidos da tal ou tais elevações não autorizadas em detalhes que as relacionaram ainda com aspectos na América,911 e Magix.

Sobre a Assunção Cristas a referência recente, é relativa a campanha, Política Positiva e à leitura comulativa com a campanha sobre a sempre mesma recorrente linha dos abusos das mulheres, Mupi no final da Av. de Ceuta no recente dia de compras informáticas no CC Colombo. Esta linha que teve também contributos narrativos na melhor das hipóteses introduzidos pelo meu pai, em mais um bilhetinho, associava a noção do estranho lema, política positiva, ou Aids, a uma espécie de rodapé, ou seja e ainda, refletindo ou tentando através dele, assim me parece, nestes sempre enigmáticos bilhetinhos que encontro ao chegar a casa, misturar ainda outros detalhes que constam do meu documento manuscrito do estrato publicado, nomeadamente os valores de rodapé, ou circulo de um ou de uma Ape do PE, como se fosse um encontro de amor certamente, ou seja e ainda, a sub linha da ângulo das aguas no Japão (imagem e valores do MNA) e da aranha morta ou enforcada bem como reflete ainda aspectos da sub linha recente da pedra do rei ( passe encenação no talho de Alcântara, contabilidade e memorias, Kingstone, e dos solicitadores, e do roubo de documentos em casa, sob o pretexto do retorna ás questões dos crimes de perseguição do e através do fisco, mas como explicado relativos a 2007, ou seja o que aponta ser uma capa das bombas de Londres. Friso ainda que de acordo com a minha linha analítica actual, estes desenvolvimentos com grandes meios publicitários ao serviço de “declarações” feitas por políticos, como é usual nestas coberturas, entroncam ainda em aspectos recentes, como a analise do álbum de fotos da Inês Gonçalves, ou seja especificamente do publicado, “IG, Child Abuses and Towers 911). Alguns dos aspectos desta sub linha se encontram também misturados pelos criminosos do DN na edição de agosto sobre o Japão e tiveram ainda desenvolvimento online, sobre o Funchal. Fim da nota a 18 04 2017

Recordando os factos que sustem a relação PP, na tragédia de Itália.

A relação PP, surgiu-me durante a compilação dos conteúdos do mês de Setembro, é como verificável no dia em que o publiquei, quinta feira dia 06 de Outubro, lhe chamei, ao PDF, PP, e este aparente lapso (power point) me fez recordar um facto que recordei neste documento e que foi apagado pelos terroristas durante a escrita; este facto, tem em sua essência e valor, por um lado a relação possível de ser entendida, como fazer tremer a terra ou as lajes, e uma relação detetada e explicada ao tempo dessa noticia, salvo erro publicada no DN, (uma foto protagonizada por Paulo Portas com outros e uma moca figurada nos azulejos), com o ataque à minha pessoa e saúde, a que chamei de fístula anal, pois foi o que desse ataque resultou como visível, e que é um dos factos que integrei na analise de Amatrice, pois relaciona ao tempo, o gabinete de Francisco Speroni na comissão, isto é, no parlamento europeu, e recordando que a fístula provocada se inscreveu no crime maior de roubo de meu filho e da constante devassa e crimes de roubo,e na cobertura deles através e no âmbito das instituições europeias.

Nota a 18 04 2017, este crime, se encontra descrito ao tempo também com um vídeo por mim publicado onde mostrei a fístula anal, sendo que um desse frames foi por mim incluído num email para Durão Barroso ao tempo presidente da comissão, bem como se encontram publicadas as gravações dos contactos telefónicos com o gabinete de Francisco Speroni, e dos meta sentidos extraídos e explicados, que confirmam o conhecimento desses crimes pelo menos nesse gabinete e da ausência do meu futuro político, obviamente depois de me terem roubado o acordo de Lisboa entre outros escritos, como recomendações e analises, ou seja, apontando estes factos o conhecimento e participação ativa de forças políticas no parlamento europeu neste crime, de roubo e de escravatura e dos crimes de devassa para esconder o fruto do que roubaram e para describilizar futuras reclamações.

Esta noticia ao tempo, se bem me recordo saiu num jornal em véspera da fístula anal, e a foto consistia, em Paulo Portas de frente para um semi-circulo de mancebos encorpados, vestidos à paisana, sugerindo pelo movimento dele na foto, um salto, em cima das lajes do que parecia ser um terraço de um palácio, onde se via na parede em azulejos o desenho de uma moca, ou seja, uma clara sugestão de um mentor de um semicírculo, que ia bater com uma moca nas pedras dos chão, e o “curioso” se assim posso chamar, é que essa forma, equivalente, foi por mim obrada no ataque contra e minha integridade física, provocando a fístula anal.

Considero, que o apagamento desta memoria destes factos do documento, Setembro de 2016, é razão suficiente para ordenar um inquérito no sentido de apurar quem o fez, e que reforça a suspeita da existência de uma linha de factos e de guerras que virão desse tempo, e que passo pela “ enunciação” referida de Paulo Portas ao tempo, dirigente do PP-CDS e membro do governo português.

Recordo-vos mais uma vez que estes “ saltos”, e linha de factos quem vem desde largos anos atrás, que foi mediatizadas nas televisões, e que se “manifestaram” tremores síncronos, com estes actos, protagonizados por diversos como comentado no livro da vida, se bem se recordam, aparentemente uma espécie de nova forma de protesto salvo erro também pelo menos uma vez visto na TV  num corredor ou similar das instituições europeias.

2. Das diversas marcas de, X, s, que se manifestaram no céu


Que aqui de novo e em virtude do crime de adulteração ter também visado em particular esta sequencias de imagens, refiro-me às adulterações no doc, Setembro, e que provavelmente também os terão tirado dos vídeos onde as mostrei e comentei, mais do que um, de forma a que as pessoas não possam ficar com uma ideia clara dos seus valores, e ainda, porque elas, as marcas, são importantes, relativas aos contextos mais alargados de Amatrice e das relações detetadas com o 911, com Londres e com o tsunami do Japão também.

Recapitulando em forma sintética, frisando que deverá ser feita uma peritagem aos vídeos (carregados para o youtube e publicados no meu blogue ourosobreazul)onde foram mostradas as marcas visíveis no céu e abordadas, isto é, comentadas ao momento do seus aparecimentos:

2.1- Do X de Obama no 911, capa do DN ou do Publico


O Primeiro, X, que se manifestou no céu, foi como narrado em detalhe num dos meus vídeos, dia 10 do 11, depois de ver uma foto de Obama na capa de um jornal portugueses relativa ao 911 deste ano, onde se via ele no meio de 2 paus de bandeiras, olhando o solo. Os valores deste, X, como explicado, incluíram ainda, as telhas ou vagas do mar, e uma “ escada” deitada, e nesse sentido, isto é, também por esse detalhe da escada deitada, relaciona não só Amatrice como ainda o acidente de comboio em Espanha e pelo conteúdo especifico de Obama, o 911; bem como os aspectos e valores decorrentes dos quadros do Infante das Sete Partidas, que provavelmente como explicado, terão sido usados nessas artes, isto é, nos espelhos que manifestaram ou fizeram aparecer os, Xs, no céu aqui em Lisboa.

2.1.1 Este, X, e esta leitura relaciona ainda aspectos das bombas no metro em Londres e do tsunami do Japão em 2011, como melhor entendível no próximo extrato do doc maior a publicar. (entretanto já publicado, nota a 20 04 2017)

2.2 - A asa do anjo no céu, dia 14 de Setembro


Como igualmente mostrado em vídeo publicado no ouro sobre azul, esta imagem integra-se em meu ver, na sub linha, Broken Wings / Totem /NASA, 911 Trono, que por sua vez se integra na analise do 911, e se deu , esta manifestação no céu, de seguida imediata, a ter publicado as digitalizações dos quadros do mestre Lima de Freitas, sobre o infante das sete partidas, onde os elementos dos anjos e das asas de anjo estão igualmente presentes. Como também expliquei, detetei eu passes de programação numa dessas imagens, equivalentes aos dos crimes via, e , ou , através do kaspersky, especificamente na imagem a que chamei, o cavaleiro do unicórnio no manto vermelho da rainha.

Broken Wings como conceito inicial, decorre em primeiro, do tema de Tom Waits na banda sonora do filme One from the Heart, de Coppola, e mais recentemente nestes anos desta analise relativamente ao titulo e conteúdos analisados em bastante detalhes do livro de Kahil Gibram, e esta asa no céu, terá acontecido em proximidade de uma morte que depois detetei, a de Shimon Peres.

2.3 Da sequência de 3, X, s, numa só linha

Esta imagem que se tornou visível no céu, de seguida, se encontra integrada, ou se encontrava integrada no vídeo 1132 M 30 09 2016, republicado pela ultima vez no dia 03 10 2016, pois este vídeo, foi como explicado alvo elegido de diversos crimes de adulteração, e onde nomeadamente uma das sequencias que detetei que fora adulterada na primeira publicação, é referente à resposta ao senador Ted Cruz do congresso americano, onde se aborda entre outros aspectos, a questão da ISIS, ou seja, um tema igualmente presente no sub tema Asas Quebradas e do cavaleiro do unicórnio, bem como na sub linha da Luva e da mulher policia ou equivalente, nas mortes do rally em Dallas. (a estranha imagem e dizer de Obama na TV americana comentadas por mim, ao tempo dessas mortes)

Friso que três X, s, numa só linha expressa no céu, é fenómeno que nunca vira.

Tendo-me dado a todo este trabalho para que fique claro, o que foi adulterado e roubado, relativo às minhas publicações no ouro sobre azul e no Seamatters, e sendo que outros temas, também desapareceram ou foram cortados, para concluir este ponto retorno ao ponto alínea, G, da pagina 6 (na versão original e manuscrita), deste documento para rematar a ilustração mais uma vez prova da perversidade criminosa destes inquiridores que servem interesses de terrorismo internacional e trazem interesse criminoso no crime do roubo de meu filho e contra mim.  

3. Do roubo do meu doc. “Setembro”, das fotos e chave de Amatrice


Todos estes crimes durante o mês de Agosto e Setembro, servem também como cortina de fumo para que eu não me aperceba do que entretanto roubaram nas minhas produções publicadas e a duvida expressa neste documento, se terão ou não roubado as digitalizações das fotos de rodagem de Sines sobre o vídeo do Al Berto, afigura-se-me importante e desvelador dos processos criminosos, pois como de novo expliquei, pelos factos que vi na Internet sobre Amatrice, alguns dos quais publicados no meu blogue e igualmente roubados com uma chave mais completa no meu documento com o titulo, Setembro 2016, estabelecem relações com aspectos que se encontravam na minha mesa de analise, os quadros de Lima de Freitas e igualmente, com detalhes dessas fotos, que no meu ultimo extrato publicado integram a analise das bombas em Londres.

Ou seja, se as relações são inquestionáveis, já questionável, e por um lado, o aparecimento de uma foto, alias, duas, no Google ao tempo dessas tragédias (Amatrice e Espanha) que estabeleceram essas mesmas relações, e sendo que mais suspeito isto se tornou, pois como disse em vídeo recente, uma delas, o edifício real circular que vira nas primeiras fotos sobre Amatrice, não o consegui depois de novo encontrar, ou seja, levanta esta soma a questão, se a a foto que se encontrava online nos dias a seguir ao tremor de Amatrice, não terá sido posta propositadamente para que eu estabelecesse essas relações pois pelos crimes constantes de espionagem, roubo e acesso ilegal, sabiam dos outros dois elementos pré preexistentes, que me permitiram fazer essas conexões, (isto é, refiro-me às fotos de Sines e aos quadros de Lima de Freitas).

Ou seja ainda, para alem das outras relações construidas anteriormente por diversos, onde se inclui os passes com a cassete mini DV com o Durão Barroso, aspectos e detalhes desse fresco (com o desenho do castelo circular de Amatrice), que pode on ter correspondência real com uma estrutura existente na região de Amatrice, que é salvo erro o mesmo vale de Abruzzo, parece esta soma pelos factos em si mesmo, indicar uma atempada e pré planificada em detalhe operação, que pode ter tido como consequência o próprio tremor de Amatrice, e que essa construção poderá ainda pelo explicado e pelas correlações estabelecidas ter tido propósitos incriminatorios.


sexta-feira, abril 14, 2017

the origin of an illusion, the robber of a son, and the robber of a trillion among others crimes like torture and attemps of murder?




proof of this facets of this crimes, this will have further comment within the PR 84 issue


crime of impeachement on linking others blogs still going on my blogger template

http://tothefrenchbelovedone.blogspot.pt/?view=magazine

this aim to facilitate after more easy adulterations and robbers

I wont these criminal on front of a court

A primeira baixa na realidade comunitária nazi da europa? presumo que o primeiro extracto deste texto publicado tenha no entretanto sido roubado





A primeira baixa na realidade comunitária nazi da europa?

Dia 20 03 2017 durante as minhas navegações tentado fazer o carregamento de um conjunto vasto de importantes documentos e como sempre com os constantes crimes de impedimento, e de roubo reeltime, alguém por programação, construiu a seguinte leitura que aqui com todos partilho, creio em termos técnicos, através de uma hiperligação que apensaram no número de fax do tribunal que consta dessa mesma minha missiva.
Quando da publicação de mais uma acusação sobre os constantes roubos de documentos e os constantes crimes de programação, neste caso, mais uma acusação contra a Vodafone e Samsung, crimes na Bios, me fizeram aparecer no meu blog ouro sobre azul, uma antiga carta, um dos primeiros faxes enviados por mim ao tribunal criminal europeu no Luxemburgo, onde dou conta do roubo do primeiro fax a eles endereçado, o primeiro crime no contexto dos meus contactos com esse tribunal que como sabeis, foi alvo de uma queixa-crime apresentada por mim em mão alguns anos mais tarde no Parquet, policia de Luxemburgo, quando finalmente consegui ir ao tribunal para entregar a minha queixa crime sobre o roubo de meu filho.
Como sabeis, continuo passado todos estes anos sem qualquer resposta tanto do tribunal como da polícia do Grande Ducal do Luxemburgo sobre esta queixa que como disse configura pelos indícios a existência de uma associação de malfeitores infiltrados no tribunal.
A leitura por programação, reforçada por uma outra mensagem online, como é vezeiro neste tipo de construções, apontava o terceiro, ou seja, o que é passível de ser entendido como uma referência ao conteúdo dessa mesma carta, ou ainda o terceiro do tribunal criminal europeu, e a pergunta que aqui vos faço e faço ao tribunal, é se um terceiro do tribunal que não faço ideia de quem seja, é responsável por todos estes crimes de impedimento da defesa de meu filho.
Por outro lado ainda, esta indução de leitura pode inda enquadrar-se no outro documento também ontem publicado, na carta introdutória ao power point sobre a linha de encenação protagonizada recentemente pela chanceler Ângela Merkel, pelo presidente Hollande e pelo senhor da Commonwealth, ou seja, nesta transposição, o terceiro corresponde então a esse senhor, que apareceu na linha do tempo se bem vos recordais associado a crimes de devassa, e espelhos nos médias portugueses, sobre os eventos em torno da demissão de Cameron, ao tempo primeiro ministro da Grã Bretanha, a sublinha das almofadas, da rapariga dos filmes dos black and blondes, e da bicicleta de Boris, Mayor de Londres uma linha que advêm das minha analises sobre os atentado de londres e da viagem em 2000.
Curiosamente ou não ao mesmo tempo, isto é também ontem, online uma estranha notícia e foto de um outro mencionado no meu documento ontem publicado com o título, “Nova queixa-crime contra a Samsung, Vodafone portuguesa, e eventuais terceiros desconhecidos, com um pedido ao príncipe Harris”, o senhor Juncker e a senhora PM da Grã-Bretanha, May, cujo nome como sabeis estranhamente está impresso no transformador de tecto que mais uma vez ontem mostrei em vídeo publicado, pelos constantes passes nas luzes do meu escritório o que considero crimes de tortura psicológica. (vide referência ao meu manuscrito onde esta matéria e ids se encontram detalhadas)
Já que por força destes factos retornei aos crime do, ou através do Tribunal Criminal europeu, que antes de mais expressa e confirma que este crime do roubo de meu filho e da minha escravatura que também como provado tem servido diversos interesse políticos e económicos europeus, ou seja, prova que existe não só uma motivação criminosa como ganho ilícitos, crimes que se inscrevem e decorrem no âmbito de um crime maior, a que venho a caracterizar, da mesma forma que Obama uma vez o disse face à lei americana, de conspiração internacional, convêm ainda reduzir a escrito alguns dos pontos chaves decorrentes deste tribunal, e das imagens recentes de Juncker e May e outras comentadas em vídeos também recentes nomeadamente, o publicado dia 01 04 2017.

1. Os sempre constantes crimes ao longo de mais de uma década desde o roubo de meu filho, do desvio da primeira correspondência enviada ao tribunal, e as leituras que me apontaram a existência de uma rede de malfeitores infiltrada dentro do próprio tribunal, sendo, que mesmo que tendo por diversas e repetidas vezes apresentado estes factos não só ao tribunal como à Policia do Luxemburgo, bem como no domínio publico, até hoje não tive como usual neste crime alguma resposta.

1.1 Cabe por agora somente repetir o que diversas vezes tenho questionado, como é possível que dando conta um cidadão europeu da provável existência de uma associação de bandidos infiltrada nas duas torres gémeas do próprio tribunal europeu, não tenha não só obtido nenhuma resposta ao longo destes anos num crime em que uma das vertentes nucleares, e o roubo de um filho,  e o que a ausência de resposta indicia como causa provável desse silencio, se o conhecimento, a proteção desses mesmos interesses por parte do próprio tribunal a as relações de promiscuidade criminal com diversos interesses económico e políticos.

2. O aparente enigma como sempre táticas da manutenção deste crime que preparam a meus olhos quando estive na secretaria do tribunal a entregar o meu pedido de apoio judicial e de ação expedita, onde na secretaria que me facultaram para o preenchimento do pedido judicial na secretaria que aparentemente me disseram ser do motorista, (Greffe) do próprio tribunal dentro das duas torres, previamente tinham colocado um papel impresso com letras garrafais onde se lia, o Rei. Ou seja, e ainda, a suma neste ponto, fala de o “falo do motorista de um rei”, o que pelas posteriores correspondências trocadas com o secretario do tribunal, E. Coulon, o pode apontar como id simbólica ou literal do sentido de “motorista”

2.1 Ou seja em forma sintética, pois todos estes factos se encontram por mim analisados e explicados em detalhe, temos até este ponto, as seguintes noções cumulativas, duas torres gémeas de natureza judicial, como as duas torres gémeas caídas em NY no 911; Os sentidos aduzidos de Greffe como rituais de casamento com as forças primas da natureza através de vegetais, nomeadamente de natureza de ato sexual, ou de perfil de sexualidade, bem como de enxertos e cruzamentos, ou seja e ainda questões de genética, de sangue, de melhoria de genes, ou seja questões do plano e realidade nazi de sempre; e uma enigmática id relativa a um Rei, ou seja em suma, duas torres “gémeas”  que correspondem na realidade a duas europeias e a duas americanas, que se são ou foram pilares de um trono e de um rei, e questões de linhagem de sangue, ou seja na correspondência com os factos reais deste crime, filhos e filhos roubados, e no plano mais geral, guerras de tronos, ou seja, de poder, político,  económico, ou de direitos e liberdades; um “ator”, o melhor uma id relativa a um motorista, id genericamente falando que se encontra por exemplo reflectido no assassinato da princesa Diana do antigo Império da Grã Bretanha; e o valor de um crucificado no meio das duas torres, ou seja da minha crucificação, e o valor mais amplo da provável existência de um outro que terá sido crucificado entre ou , e , pelas duas torres restando neste ponto saber, quais? Se as europeias se as americanas e sendo passível de ser deduzido em complemento uma relação entre essa morte e a guerra e motivos parcelares da queda das torres em NY 911.

2.1.1. 1. Ou seja como diversas repetido e perguntado, também estes factos que se passaram na secretaria do tribunal, indiciam com forte grau de probabilidade o conhecimento e a existência de uma construção narrativo por funcionários do próprio tribunal e consequentemente um conhecimento do não declarado em seu todo, isto é, do que mais sabem ou pretenderam assim insinuar, sendo como sabeis estes processos criminosos contínuos ao longo deste crime de conspiração internacional, o que reforça também a suspeita de participação ativa no crime de roubo de meu filho e da minha escravatura.

3. Da substituição no processo do tribunal do meu nome na qualidade de requerente pelo acrónimo de GA em carta assinadas em sua aparência pelo Juiz presidente do tribunal criminal europeu, Mr. Jagger e todos os valores decorrentes do próprio valor de GA, que se podem resumir a dois, GA como Grande Arquiteto, ou seja, temas e assuntos de ordens e identidades maçónicas, bem como a “cabeça”, ou quem arquitectou um plano, ou recordando as palavras de o ex-presidente Bush a seguir ao 911, o master mind, sendo que a suma aqui neste ponto por estes valores, é passível de ser entendido como relativa ao 911, bem como os aduzidos de Charles Dickens, que corresponde a um nome pessoal de um sucessor a um Reinado, o da Grã Bretanha, e os valores onomatopaicos do livro, ou seja referentes a bebes, ou seja e de novo, a questão de filhos, de sangue e de linhagens, do roubo do meu e até de omens e rituais, bem como de roubos de livros de edições originais ou raras pelos seu valores e de leilões e especificamente e leilões ingleses, ou melhor de uma firma de leiloes inglesas, ou seja, e ainda, a sublinha da eventual existência de livros ritualísticos que teriam sido roubados, eventualmente poderosos até para fazerem cair torres gémeas em NY no 911 em forma implodida, isto é, com a disposição previa de cargas explosivas, ou seja, uma sublinha que independentemente da eventual validade parcelar, neste contexto não deixa de ser uma mistificação.

3.1 Ou seja e ainda em suma neste subponto, temos maçónicos, GA, ou mesmo uma correspondência leiga de profissão, um arquiteto, um master mind e um plano de destruição de duas torres que de alguma forma se relacionou com o 911 ou até mesmo com o ex-presidente Bush, um Charles, ou um escritor eventualmente inglês, o último aparecido é o Harold Pinter, um plano de roubo de um filho, e de conceitos ou propriedade intelectual, (valor de livros raros), um roubo como por exemplo em 91, ou seja na correspondência numérica com o 911, o primeiro no ano de 91, e na correspondência real com as motivações e antecedentes no crime contra mim e meu filho, a MTV, uma mistificação e um provável acusação de envolvimento no 911 e uma espécie de leilão, como os antigos leiloes de escravos.

4. A demissão simétrica ao tempo da apresentação da minha queixa ao tribunal, de Juncker como PM do Luxemburgo por atos e crimes de abuso de poder através de serviços secretos, e um outro enigma que aparentemente se pode inscrever nas sublinhas, dos segredos, correlações aduzidas pelo código Da Vinci, Paris, e de “confrarias”, como no Pacto dos Lobos,  ou seja, em suma e de novo, o que se enquadra ou pode enquadrar, em roubos de livros preciosos, ou de outras naturezas como conceitos de propriedade intelectual, de atos de espiões e de espionagem, da montagem de confrarias para derrubar um rei, e uma extensão de territórios, isto é, Luxemburgo, França e Itália, ou seja de redes europeias.  
4.1 ou seja como entendível no ponto acima, o 4, as possíveis transposições decorrentes dos conteúdos dos factos nos seus diversos planos de entendimento ou de correspondência com o real e com crimes reais, se dividem neste ponto analítico, isto é, por um lado, como entendível neste documento, assim o espero, nos pontos anteriores, se bem que a natureza do crime seja sempre a mesma, o de uma conspiração internacional, os assuntos ou crimes abrangem distintos continentes e tragedias de grande dimensão e planos de novas ordem mundiais, como por exemplo o que se refletiu na problemática ou na equação do 911, e por um outro lado, o sintetizado no ponto acima é igualmente fácil de transpor para a minha pessoa, isto é, para o crime que decorre contra a minha pessoa, para o roubo de meu filho e decorrentes crimes, como a minha escravatura, pois também, escravaturas e escravidões são questões axiomáticas nesta nova ordem de natureza ou de raiz tecnológica, considerando também provado, que muitos do produtos do crime de escravatura tem desaguado nestes sectores.
4.1.1Ou seja, e aprofundando um pouco mais esta bifurcação, por um lado existe como explicado um conjunto de factos que corporizam o mesmo entendimento no contexto dos antecedentes das guerras políticas ou de poder e económicas presentes nos planos de maior expressão desta nova ordem, como por exemplo, os três territórios acima mencionados, que por factos descritos se estendem, incluem e recuam até a morte de JF Kennedy, alguns dos quais presentes igualmente durante a minha estada no Luxemburgo, que pelo conteúdo deles se estendem a outros episódios da sempre mesma guerra, como a quedas da NASA e podem ou não ainda entroncar em alguns outros factos, como o assassinato de Diana, por outro lado, ou melhor, no outro lado da bifurcação, os valores do ponto 4, complementam e dão corpo às seguintes passiveis transposições para o crime contra a minha pessoa, a saber:
O ponto quatro é facilmente entendível numa transposição mais pessoal, isto é, de acordo com o crime que decorre contra minha pessoa e meu filho, como a demissão de uma cabeça de uma rede europeia do meu sector de atividade, ou seja dos sectores ou desenvolvi as minha atividades profissionais enquanto as pude ter, a cultura, e a comunicação audiovisual, como por exemplo as redes ou proto-redes já existentes desde os anos 80 que depois desembocaram nomeadamente numa estrutura europeia, o plano Media ou a comissão X, uma das sub comissões do projeto europeu, de eventuais crimes de abuso de poder por pessoas que os teriam ao tempo endossados, isto é, pessoas com cargos políticos que terão usado serviços de informação de estado ou de estados como serviços secretos para não só espiar como roubar valores de natureza intelectual e posteriormente incriminar, sendo simétrico neste tempo, como o maior deles, o conceito de um canal de televisão exclusivamente musical que depois foi corporizado na MTV, ou seja, um sempre constante processo aplicado ao longo de décadas, como de novo aconteceu depois do 911, quando me roubaram o Canal Zero depois YouTube, e motivo das incriminações com vista ao roubo do meu filho e consequente escravatura, ou seja e ainda, traduzem estes factos que estes crimes de espionagem, devassa, e incriminação servem em sua essência, os roubos, e que são práticas transversais a períodos de décadas, e por consequência quem abusou do poder público ao tempo, 91 ou à volta desse ano, de novo terá abusado em 2001, ao tempo de outro grande roubo, o do Canal Zero, ou  ainda, diferentes, isto é, outros com o mesmo poder criminoso de abusarem em forma indevida e criminosa através do uso indevido dos serviços secretos, sendo a natureza e processos de abuso, semelhantes.
Sabendo todos que os serviços secretos estão na alçada do estados, que o perfil de abusadores são políticos, e, ou, militares ou terceiros que os trazem corrompidos, e que durante a década de noventa, essa associação de malfeitores, se estendeu em termos mundiais, no sentido em que o Canal Zero, desaguou na América, ou seja, se o universo é o mesmo, o império anglo saxónico, outras alianças criminosas foram no entretanto estabelecidas, o que é simétrico a uma das tendências e realidades contemporâneas, a globalização dos chamados mercados, das industrias e dos serviços.
Ainda do sumarizado no ponto 4 deste documento, outras correlações e sentido complementares são igualmente passíveis de serem transpostos para o crime de roubo de meu filho, pois do código Da Vinci, extraí eu ao tempo da analise os seguintes valores nucleares, jardim da Estrela, ou seja, um nome passível de ter correspondência com o universo francês, Jardim de L´Etoile, ou do grupo de uma estrela francesa, provavelmente do universo da computação gráfica,  e da imagem nuclear do filme e do segredo, o que obtemos é, códigos que circulam, ou seja alguém relacionado com os sectores da computação e especificamente das redes, e da destruição desses mesmos códigos, ou seja e ainda, de alguém que destrói em regularidade o que se substância nos ou em códigos binários, ou seja, conteúdos e comunicações bem como quem os espia ou espiou ou os interceptou, e destruiu, ou seja, o que define ainda um especifico perfil provável, como alguém relacionado com uma das Telecom, provavelmente relacionado com sistemas de correio eletrónico, ou seja e ainda como já haverei entendido, uma correspondência com alguns dos factos do caso Snowden, bem como uma outra possível correspondência com outra da facetas por detrás do crime de roubo de meu filho, o roubo de meu património e arquivo audiovisuais, e, ou, ainda, os grandes roubos de conceitos tecnológicos, como o E-cultura e o Canal Zero, e que depois destes últimos grandes roubos se encontrará por detrás de todas as constantes incriminações como estratégia criminosa de manter a impunidade desses mesmo crimes, uma confraria como um pacto, como na metáfora derivado do filme, “contracto dos lobos”, para derrubar um rei e pela faceta real deste crime na vertente do roubo de meu filho, não só o rei, como a linhagem, visando a posterior escravatura do rei assim obtida, e uma rede de criminosos que se estendeu e englobara em termos europeus, não só a Grã Bretanha, onde, Pacto, ou PACT, corresponde também ao nome da associação de produtores independentes, como pelo menos  ao Luxemburgo, a França e à Itália. Alguém, isto é, a cabeça, que deverá vir do tempo das bienais mediterrâneas, Bari e Barcelona, ou seja, que me conhecera e se terá apercebido do meu valor nesse tempo que é também o tempo das reuniões europeias que desembocaram na criação do Plano Media e na formação da comissão X, da comissão europeia.
Como sabeis existe um facto de novo recentemente relembrado, protagonizado por Juncker, a foto dele em Itália em frente ao palácio, e uma sombra como a torre de Pisa projetada numa instituição estatal italiana, o ministério da cultura ou equivalente, ao tempo das minhas primeiras análises sobre o roubo da MTV, ou seja, diz também este ato dele, o conhecimento desde esse tempo de quem praticou esses crimes, ou seja e ainda, uma espia, ou similar, alta e inclinada, que terá participado em alguma incriminação, o que aponta no universo italiano ao tempo, a Rita Andalo Vimercati ou algo no âmbito do nosso namoro e da mesma forma aponta no meu universo profissional ao tempo a produtora do irmão, o Elio, a Softvideo.
Como sabeis também, de novo em vídeo recente publicado dia 01 04 2017 no meu blogue ouro sobre azul, de novo relembrei os factos que sustentam a minha acusação sobre o roubo do conceito de um canal de televisão exclusivamente dedicado à musica, que foi uma das minhas área de atividade inicial no domínio do audiovisual, e que passou ao tempo por uma mentira  de cobertura, encenada através de uma revista do grupo da RTP, radio televisão publica portuguesa, a TV Guia, para cobrir esse mesmo roubo e a autoria dele, na medida em que me entrevistaram sobre a égide da mentira, que a MTV fazia ao tempo dez anos de existência, e como de novo vos expliquei, existia uma MTV, produtora de filmes, anglo saxónica, isto é americana ou inglesa mas que não era uma produtora de clips nem proprietária de um canal musical exclusivo de televisão. Ou seja, o canal de televisão onde eu apresentei a ideia e que a recusou, a RTP, foi também quem cobriu depois desta forma elementar, jogando na ilusão da similitude do nome com o nome do canal de musica MTV, o roubo, e tal aponta em suma a suspeita que a própria RTP, foi quem roubou este conceito que como sabeis mudou o mundo e a industria ao tempo, e mesmo antes, isto é, a produção audiovisual da musica começou a ser frequente nas televisões nos anos oitenta quando os vídeos clips apareceram, inicialmente usados como intercalares de programação e incluídos alguns em programas de informação e magazines que também nesse tempo começaram a surgir no modelo televisivo.
Não deixa de ser significante, uma curiosa relação entre soft vídeo num dos lados dos termos desta equação e no outro a comissão, X, ou seja apontando a realidade factual, uma outra comissão, que terá sido responsável por uma marca, um X, e um X que se parece relacionar ainda com o cumulativamente se pode entender de soft vídeo versus hardcore, ou seja, aponta isto que uma comissão que deve ser do conhecimento de Juncker, se não mesmo ele o presidente dessa mesma “comissão”, terá feito um crime para cobrir um roubo provavelmente infectando alguém, ou mesmo eu, talvez uma hepatite ou equivalente,  ou seja, apontam estas deduções a serem verdade, que Juncker sabe desde sempre o que se passou, e que pode estar directamente relacionado com esse crime de roubo.
Friso ainda que este assunto das marcas e dos X , s,  é como sabeis vasto em seus valores e relações e estabeleceu pela analise, relações com diversas tragedias no mundo, sendo as duas ultimas linhas sobre estas matérias, um enigmático X no final do nome de um administrador ao tempo da RTP num contrato de produção com a RTP, provavelmente a quem foi encomendado esse marca para mascarar o roubo, e as linhas derivadas da Sharon Stone e da atração fatal, de uma recente construção que entroncou pelo que os medias portugueses encenaram com a família Soares, e especificamente a Isabel Soares, directora do colégio Moderno implicada no roubo de meu filho, e se estende ao tempo do começo do roubo dele, ou seja ao tempo do Tsunami 2005 com a imagem da cama da Sharon Stone no filme atração fatal, 2, ou seja o que aponta uma provável reedição dos mesmos processos criminosos, como é justo afirmar, que o roubo do Canal Zero, é uma reedição do roubo do conceito da MTV, e de igual modo, a imagem da cama entre ela e o psiquiatra no filme, refletiu na minha consciência ao tempo, o tsunami 2005, e como recentemente vos relembrei de novo ainda com relações estabelecidas, nomeadamente, aspetos da analise das bombas em Londres, a sublinha da mulher Octante, a sub linha do MNA, de Gunter Rambow e das fotos de Inês Gonçalves que pelos valores internos se entendeu e se relaciona em meu ver como  igualmente explicado a NY 911 e a um outro tsunami, o do japão em 2011, ou seja, existe aqui um nó que relaciona distintas tragedias e que aponta processos similares e repetidos operados por um mesmo grupo.
Vos relembro também de novo neste ponto, que a presença de Juncker nesta ultima década em que dura este crime do roubo de meu filho, por conteúdos protagonizados por ele nos medias e analisados a cada tempo dessas indiretas declarações, reforçou ainda a suspeita do envolvimento dele no roubo do filho e de eventuais motivos pretensamente justificativos de uma marca, como a sub linha dos relógios, pressente nas narrativas construídas pela CC nos álbuns de 91/92, num enigmático presente à minha mulher antes do início do roubo de meu filho que se estenderam pelos valores aduzidos até NY 911, passando pela Birmânia, ou seja e de novo a região do tsunami, (ref Lady Suum) e incluindo até o assassinato de Sá Carneiro.
Alguns destes aspetos plasmados na revista de fotografia aquando da reportagem sobre a atração fatal, recentemente a todos mostrada num dos meu recentes vídeos, podem ser entendidos como espelhos de aspetos da minha relação com e até da imagem da CC e falam igualmente de filmes XS, e de uma enigmática estrela de cinema bem conhecida que terá ao tempo participado num, associado a figuras animais como cavalos e elefantes e de uma vampirela barbarela francesa com um nome, Dalila, que é também, o nome da antiga directora do MNA, também ela de alguma forma entendível como uma mulher hoctante, ou seja, um sempre comum processo, que consiste em depois de um roubo de monta, uma encenação de cobertura através de mentira e da criação de incriminações feitas por profissionais, e doenças infligidas como forma de debilitar a vitima roubada, ou de a desacreditar aos olhos da sociedade diminuído desta forma o valor de uma eventual reclamação, ou até de a castrar, como são as consequências de casos e crimes de infeções de natureza sexual e sanguínea expressamente provocados, ou simplesmente escândalos de natureza sexual como o relembrado também em vídeo recente, no âmbito de comentos sobre o 911, o caso Bill Clinton, Monica Levinsk.
5. Não cabendo neste documento que parte também da recente imagem do divórcio representada por May e Juncker, e de uma relação sugerida com o Tribunal Criminal Europeu e a responsabilidade de um terceiro,  uma analise mais detalhada sobre todos estes crimes, pois todos os factos aqui sumarizados, ou quase foram analisados em documentos anteriores das minhas acusações, friso e reduzo a escrito ainda os valores comentados em vídeo sobre essa imagem, que se inscreveu na linha do tempo recente e ao que parece num novo atentado em Londres, na ponte de Westminster, sendo que o ultimo facto que se relacionou com esse lugar de Londres em forma indireta se refere a Lady Teatcher, à representação da cabeça decapitada dela no frigorífico, bem como na representação do assassinato de Sá Carneiro, incluída na linha recente protagonizada por António Gutierres no Kremlin, antes Gutierres e Dylan e Microsoft e crimes informáticos, ao tempo e no decorrer das “hurry works in the kitchen and wc with lost Nicole Kidman phone number” e a queda de mais um avião com jogadores de futebol, como os quatro a seguir ao mundial do Brasil.
O que me parece importante de sublinhar como o fiz no comento, são os valores e relações aduzidas do detalhe dos dois Galos, cabelos em Crista, um nome igualmente português, dos dois guarda costas que caminhavam por detrás deles nesse foto, que como relembrado de novo, associam factos ao tempo da minha estada no Luxemburgo, que se encontram escritos em suas minucias e enviados ao Tribunal,  através nomeadamente dos valores da exposição da artista alemã, Iris, que são em seus valores, transversais a um conjunto de crimes em diversos territórios em tempo distintos, sendo que algumas das facetas do que se pode entender como derivadas destes espelhos, apareceram também em analises recentes, nomeadamente nas correspondências e valores com a BD de Comes, Iris, o deus serpente, os rituais, o sacrifício de natureza sexual, e o sacrifico de grupos de galos, dos sangues eventualmente infetados, de um valor de perseguição étnica como no caso dos judeus, incluindo até o Barnes Google, ou uma id similar relacionada com o Google, no contexto da analise de tsunamis e outras matérias, como explicado no documento publicado, “Zo do om do infinito do mar”.   
Por fim cabe de novo afirmar que os factos do Tribunal Crimina Europeu relativos à minha queixa crime, nomeadamente a resposta com a menção do acrónimo GA, por um lado indicia um conhecimento do próprio tribunal desde pelo menos o ano da apresentação da minha queixa, sobre algumas das responsabilidades, eventualmente assacadas por terceiros à minha pessoa, o que a ser verdadeiro os torna igualmente co responsáveis, e tiveram como desenvolvimentos recentes como dei conta, relação com a sublinha da dilatação da junta da ponte de lisboa, ou seja introduzindo um outro tempo, 96, e da figura do macaco e de uma elevação, e das relações destes valores com o tsunami do japão e 911 NY,  e o espelhar recente de uma outra figura animal que com o macaco terá pelo pilar subido, um camelo ou dromedário, que me aprece como explicado ser um representação de uma identidade feminina e a intuição, de uma id, derivada de dromedário, um medico de Roma, de um Dario, um nome associado aos crimes de perseguição através do estado português e das finanças e do registo da conservatória, incluídos na proteção dos roubos de monta, que incluem tsunamis, o segundo no sudoeste asiático bem como uma quase derrocada no norte de Portugal.
Neste retorno aos assuntos do Tribunal Criminal Europeu, não posso igualmente deixar de frisar o que me parece ter uma relação, entre este recente atentado contra a minha pessoa, a cegueira que me provocaram, que como sabeis está espelhada na visita a Londres em 2001, e entronca em outros linhas como os factos relativos ao Arco do Cego, que se estendem até ao assassinato de J F Kennedy, e a memoria do caso dos sies cegos no hospital de Stª Maria em Lisboa, que levou ao tempo à vinda de um dos juízes portugueses da Curia, ou seja e ainda, cegueiras literais ou expressamente provocadas como forma de obliterar a consciência de alguém ou de grupos, nomeadamente para esconder consciências de factos prévio relativos a crimes, parece ser um assunto também do conhecimento do tribunal europeu no mínimo do entendimento possível, no sentido em que os factos do referido hospital entroncam na matança da escola russa, e em crimes de cobertura através de corrupção posteriores feitos pelo governo do PM Sócrates, como a adjudicação ilegal da licença da farmácia do hospital como eu sustenho.
Como sabeis no meu ultimo vídeo comento publicado em seis partes no dia 01 04 2017, esta nova aparente ou não bomba em Londres se encontra analisada, sendo que se enquadra, num conjunto de factos sequenciais como explicado que vão até e de novo à morte da Princesa Diana, pela queixa do príncipe Harris sobre as minas antipessoais em Angola e passando por uma foto chave da Rainha, que originou uma sublinha de analise, a que chamei de “Yasmine, The Queen and Joe” que se estendeu de novo até à América e a aspetos do 911
Paulo forte
02 04 2017