sábado, março 13, 2004

Não, não acredites que não podes fazer nada. Pensa um bocadinho mais na questão.
Mas eu sou só uma gota no meio de tantas outras
Sim, mas as gotas estão juntinhas no mesmo único mar
Todas elas se tocam e tocam e movem o próprio mar
O tamanho não importa, o Ser é que sim
Vem a onda a enrolar e eu gota sou levantado num instante ao céu
E todo o mesmo mar por baixo se contrai a ocupar o espaço que eu deixei
Quando por fim, volto a descer, todo ele se expande para me acolher
E certo será, que mesmo que não veja o outro lado do mar a expandir-se
Ele continua a mexer-se, fruto do Meu e do Teu Ser
Sabes, a realidade é como uma padaria
Mas o mundo de hoje parece ser mais uma linha de fábrica
Onde eu faço um parafuso e tu apertas a porca seguinte
Nem eu nem tu vemos os dois juntos e acabados
O padeiro não
Faz a massa com as mesmas mãos que tiram os prontos pães do mesmo forno
E depois se é bom ser a mesma farinha
Nas vezes que tal acontece
E onde tudo pela agua se liga
A mesma que faz o sangue

Não fiques à espera
De outra gota
Quando Tu próprio a És
Corre Gota de Amor
No Único mesmo Mar