terça-feira, abril 27, 2004

Sim amigo meu pequenino de infância, chega-te de novo a mim, quebremos nossos corpos por um instante dos instantes infinitos de ternura de então, encostados como prumos à parede, repousaremos os corpos cansados de adulto e nossos dedos acariciarão mais uma vez, como outrora, o pescoço do outro, doces Enleios, enquanto nos damos à leitura. O tempo foi-se, tudo se tornara doce, ficou residindo no ar uma onda de ternura, sem nenhuma ideia de sexo e contudo tão sexuada aos olhos de outrem, expressa na perturbação do adulto que no quarto entrara

Dois corpos meninos plenos e prenhes de sabedoria, aquela do viver, em quem os mistérios habitam e por eles são habitados como irmãos, abertos e bailantes em suas próprias mãos

Oh imensa sabedoria dos mistérios do tempo, imanência do tempo doce, suave e alegre com a sua única direcção do momento do seu acontecer

Oh imensa sabedoria do mistério do Amor, Concha do Ser e Onda do Mar, O Amor Além do Sexo mas que com ele habita a mesma casa, o corpo, o Amor para além do sexo, que é ele próprio, o sexo, um único sexo em múltiplas expressões. O sexo é uma parte do Amor, é a invenção suporte da ternura, do contacto dos corpos, das doces ou agitadas carícias, vaso recipiente do Amor, girândola raio de Luz, dínamo, Dínamo de Luz e da Vida

Oh Luz, que assim criaste o Universo, que Criaste os Corpos como Trono e Altar de Ti própria, o Amor, por eles Te Participo, e em mim Tu me Participas e eu te Agradeço

Oh Luz que me deste o corpo para melhor Sentir e Viver o Amor

Oh Luz, que o que não tem começo, não tem fim

Oh que o Amor flúi por todo o lado, apresenta-se de todas as cores, Está em Todo o Lado, Vai a Todo o Lado, Está em Todos os Tempos, rígido, só mesmo, a instituição.

Oh que o Amor Perpassa Tudo, não há felizmente como Contê-lo, ele é um Cavalo Selvagem, uma Asa Alada, um nascer do dia Contigo a ver.

Oh Luz, Eu te Agradeço o que me deste a ver em pequenino, que o Amor não depende do sexo, que o Amor é infinito, chega a todos.

Oh meu Doce Amigo Amado da Minha Infância