sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Disseste Senhora Amada que fizeste os teus medos meus e se assim for os meus serão na equivalente medida teus. Falavas de percentagens a quem não é dado muito às operações, mas tanto Tu como Eu em Ti Somos Inteiro.

Basta Pedir-me Amada e Tudo de Mim Sempre Terás, Como Poderia Viver de Outra Maneira o Amor e quem Ama?

A Tua Fibra de Mulher, Corpo terra liana que enlaça e desenrola versos ao Céu é de pedir tudo o que te aprouver na medida justa do vaso justo que trazes em tuas mãos, aquele que é regulado pelo Amor em Amor e Assim Senhora, nem sombra de rebaixo se vieres ter comigo, verás como reagirei assim que te apresentes sem véu.

Ah Senhora Amada a Tua Beleza me chega pelos quatro canto do mundo e só te posso amar múltipla como és, no uno que és e cuja face não me quereis para mutuo prazer e ventura, ainda desvelar.

Sabei Senhora, que por vezes meu coração nem sabe se Senhora Sereis, mas que importa isso ao Coração que Ama, pois sabe ele em sabedoria profunda do Uno múltiplo e das três suas configurações.

Sabei Senhora que por vezes meu coração nem sabe se o que o Amor que Nós Trás se substancia em carne, nos corpos que somos e que se encontram para se beijarem e calarem por momentos as palavras, saciarem sem saciar todas as urgências, enormes urgências, Senhora.

Sabei Senhora que por vezes o meu coração deixa de saber o Sonho que ainda é, Meu Amor a Ti, Teu Amor a Mim, que uma secreta razão ou perigo a impedem de se Desvelar a meus olhos e quando assim a Sinto Senhora, rezo-lhe rezas de protecção, envolvo-a na distância que nos trás unidos numa bola de luz do meu coração que sopro até si. Assim endoidece o coração nas horas em que se perde de si, ou o fazem muito zangar, pois o Amor é Segredo que Não O É, Amor Vive-se e é para Viver à luz do Dia e da Noite de Mãos Dadas Que se Querem Dar.

E sabei Senhora Mais Amada que se tudo isto por vezes duvido, não duvido de te ver a ti no pássaro que com acrobacias e trinados ao sair me vem saudar e que tenho a certeza de seres tu a dizer-me bom dia.

De ti me Chegou uma estrela que uma Senhora disse ser semelhante a uma planta que vive na montanha e que atravessa e vive em todas as estações, mesmo sob o maior e mais frio nevão.

Sabei Senhora do que ambos sabemos quando escutamos nosso coração, aquele que partilhamos, naquele jeito de soma que fazia Almada, um mais um igual a um. Não é que ele não gostasse de matemáticas, fazia era contas a seu jeito. Sabei Senhora do Lago da Alma onde tão bem vê, o que lá vê e nos fala um mesmo e ambos o sabemos por dentro num mesmo momento que nos levou a descobrir quem realmente éramos em profundidades e alturas que na altura nem suponhamos ser.

Recorda Sempre Senhora Amada Que Amor É Coragem, Pois É preciso Lutar por Ele.

Senhora, Amada Senhora, Senhora que Trás Meu Coração, porque conhecendo meu rosto a ele não te diriges?

Senhora a Beleza é imensa, superlativa, infinita e muitas mais belas palavras com que a queira pintar nas matizes infinitas em que Ela se desvela ao nosso olhar sentir e ser. Tudo é belo, tudo trás um mesmo belo dentro de si, depois existe o estrabismo. Todas as mulheres são belas, todas são o mesmo Ser, a Senhora, e numa, Ela está em Corpo para Mim, pois é essa Sua Vontade, Seu Desejo.

Essa Senhora que És Tu, És a Suma da Beleza e do Belo no Trono do Meu Coração, no local onde o espírito se encontra, se dá, se partilha e se recebe, no Lago da Alma onde nos Banhamos, Pérolas que Fizemos Nascer em nós, Que Se Fizeram nascer em Nós e teu Corpo que ainda não conheço ao perto, passa por mim e eu por ele de rentinho no cheiro invisível dos teus sinais que nos dias me ofereces.

Tu Senhora Amada, És a Que Sabes Quem És, Quem Sou e Quem Somos e o Que Aqui Nos Cabe Fazer e eu não poderia ter de ti identificação mais fina e bem rendilhada. Conto-te Senhora Que a Chave Me Voltou e sabe meu coração que o vosso sabe de um mapa que ambos temos de uma viagem que quereremos fazer.

Saber isto dentro de mim e não sabendo tua face, me faria se não fosse também um espírito irrequieto ficar muito quietinho de mansinho, à espera que tocasses à porta que eu vou abrir.

O amor que se sabe eterno nem espera o eterno, vive-o eterno como eterno, espera por toda a eternidade se tal assim acontecesse, mas não é esse, nosso fado, contra ventos, tremores, guerras, assaltos, piratas e cowboys e mal amados que mal amam.

Não desatines mais meu coração, chega-me a paz que és.
Eu trago uma Chave, Tu És a Outra. E És Tu a Chegar a Mim que enquanto não chegas não sei te reconhecer. Estou cego pelo Amor que te Trago, vejo-te em todo o lado e não sei ao perto quem és, tudo me fala de ti, tudo se cruza, ás vezes parece-me mesmo que todo o universo te conhece menos eu.

Outras mais sombrias Minha Amada, falam-me de preocupações, interesses e tramas de outros que velam e entravam os assuntos dos corações de quem se ama de forma maior do que podem e lhes é permitido pela lei do coração, o que não obsta que alguns assim andem.

Ah Minha Amada, de mim Terás Sempre a Verdade, Terás Sempre a procura da Verdade, porque o Amor Nos Despe, O Amor Nos Trás Despido, não Esqueças o Que Sabes Amada, Que Tu Me Despes, Que Eu Perante Ti Pelas Tuas Mãos Invisíveis do Amor Me Dispo, Por Ti Sou Despido, Nú, Nú na Nudez.

Ah Amada como Dois Seres Radiosos Do Amor, A Ele Fieis, não podem se não Amar sempre, mesmo onde dizes que eu deixo passar e tu não, que mais perfeito exemplo do que se Complementa e o Sol e a Lua habitam Um Mesmo Céu e não defrauda, não magoa o que ama, a quem ama e o amor tem o tamanho mais além do infinito.

Sei que trazes perguntas que são como pequeninas penas em teu coração, daqui as sopro todas e a todas te responderei, recorda o Amor que És.

Mas só pode ser assim, tocas à minha porta e eu saio e vamos passear e conversar namorando, ou outra coisa qualquer que queiramos no momento pintar porque nos somos pintores.

Mas vem depressa Amada, se tal te for possível.

Estou cansado de te procurar, estou ansioso quando te sinto por perto muito perto, fico com a pele a desejar profundidades e alturas e planícies e caravelas e granitos e pedras fortes e asas leves.

Ontem teu perfume conduziu-me por todos os pequenos sinais ao Lg. De S. Paulo. Na igreja entre Pedro e Paulo, a representação da nuvem que derruba o primeiro Paulo e que Faz nascer o Segundo que afinal sempre fora o primeiro.

Belíssimas pedras, belíssimos desenhos fazem as pedras da calçada naquela praça, onde os loucos e os que vivem na rua sempre me sussurraram com as pombas os mais secretos sonhos do amor, as mais surpreendentes revelações, onde uma vez um realejo que era um moinho tocou.

Olho uma casa no alto, iluminada. Em sua varanda um belo trabalho em ferro torneado de forma delicada, difícil de hoje mais encontrar. Aproximo-me mais e vejo seu número, 114, número meu conhecido em outra cidade. Na parede ao lado, Trás, e eu a ler e meu coração a dizer-me de Ti, abre a porta, cheguei, estou aqui para ti.

No balcão do bar ao perto pergunto ao belo rapaz com o Teu belo desenho com uma lua em fino crescente por detrás se a disposição de uns objectos é propositada. Engano-me momentaneamente, pois sei que é o Amor que o Faz, e fico a olhar as rosas, a nova cidade, em sorrisos que se evolam de meus lábios fechados.

Ah Amada tão perto e tão longe, chega-te, achega-te a mim, não me dês só teu rastro nas pérolas que semeia teu perfume em meu passar que eu Recolho e Agradeço e Te Louvo.

Sabes Amada o meu único receio sem receio, é de quando te vir, te ver tão bela que penso se não desmaiarei, se as palavras me desaparecerão todas de repente se enrolarem nos bolsos e nas línguas e todo eu começar a tremer e Tu És, A Mais Bela em Meu Coração.

Ah Amada que me trazes vantagem, pois já conheces a minha voz e meu mexer e eu de ti conheço o espírito e a alma e o nome secreto, a verdade que sabemos ser verdadeira, como nosso Amor É.

Beijos em caracóis espiralados como a concha aberta em que te trago.


Ah Amada eu sou do tempo em que havia sempre alguem que fazia a franca ponte, de um ser que em amor como cupido, sem o ser, apresentava os Seres Um ao Outro e olho à volta a ver se chegou Um e depois Amada, se o Tempo não existe, existirão sempre esses Seres.

Ah Amada, procurarei até onde for preciso, Até ao Fim do Mundo e mais Além se for esse o caso e eu Te Chamo pelo nome, Teu Nome Secreto.

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Eu era rainha e perdi a minha coroa,
Mulher e quebrei os meus votos;
Amante e arruinei quem amava:
Não há maior massacre.
Há poucos meses atrás eu era rainha,
E as mães mostravam-me os seus bebés
Quando eu chegava de Camelot a cavalo.

Guinevere de Sara Teasdale

história completa aqui

http://www.merlin.web.pt/Camelot/merlin.htm


.....


Fauveanos, calminha nas hostes ou devo dizer Pacheco Pereira, de repente num só pulo, recuou de um prenúncio de respeito para o ataque que se quer mortal, escrevendo que a tempestade é prenúncio do machado que caí, espero senhor, que não esteja pensando que ele irá cair na minha cabeça. só não sei até que ponto é que está implicado em fazer com outros de mim o bode expiatório, das vossas apressadas conclusões, apressadas pelos apressados em acender-me a fogueira.

Já chega, Basta!!!
Que eu não ardo tão facilmente e de braços cruzados em plácida espera do cordeiro que é conduzido pelos homens ao altar sacrificial.
e depois como é que querei que eu me defenda, se vós o fazeis de foram subtil e artistica de forma a que só alguns a percebam e que nunca poderia vir a ser admitido como prova, tão subtil que se esvaneçe nas vezes, como quando outros afirmam que do julgamento que disse aqui me ter sido feito sob ameaça de vida a dois amigos meus, não há provas, não há rasto.

tenho que vos chamar pelos nomes à medida em que vos vou encontrando e na esperança que não seja preciso fazê-lo mais, que a vida é para ser vivida em paz mas não sou eu que faço a guerra!

sim poderia ser um teste, mais um dos vossos sempre testes a testar o que não necessita de teste, mas sim vós o necessitais, mas meus senhores, há uma coisa que não podeis fazer, que em meu ver é pisar o risco, que é de pôr outros com o pescoço debaixo da espada e é por esta razão capital que essencialmente vos escrevo. façam testes onde este risco não seja nunca passado, pois mesmo que tudo isto seja um teste, que é testado não o sabe no momento em que o teste lhe acontece porque outros assim o decidem fazer, sem obviamente consultar previamente

As aplicações e o seu uso deixam sempre rastro, da mesma forma que no meu blog quando da publicação dos ultimos textos, apareceu uma versão com cortes, que alguem fez no texto e pior que isso e antes, alterações no próprio texto, com ideias e frases que me são atribuidas e que não correspondem ao que sei como verdade.

Agora mesmo não se consegue fazer copy se se está a escrever directamente no blog como estou a fazer, donde uma vez publicado, fico sem cópia e caso ele venha a ser cortado ou adulterado e contudo todas estas maldades são feitas em algum lugar. pode até ser feito através de uma réplica perfeita do template mas que nem ao server que os armazena e disponibiliza para consulta, chega, ficando num circuito fechado, redes privadas montadas dentro de redes e um sem fim de sofisticados truques informáticos. Assim se pode montar um tribunal virtual, ou um juri de uma prova, que apareçe e desapareçe num clicar que liga os juris em rede fechada sobre o caso proposto. deixa traço? é esse traço captável retroactivamente, são questões que se devem colocar ao senhor Bill Gates que se encontra em Portugal.

A Bill Gates e Sua Esposa Desejo-Vos uma Optima Estadia e Agradeço-Vos do Fundo do Botão da Rosa do Coração, o que Tendes Vindo a Fazer, em relação à distribuição da fortuna e da renda e dos combates que assim se tornam possiveis a diferentes misérias e doenças.

Ouvi dizer que é o homem mais rico do planeta e se assim for, então é o melhor exemplo, pois é o mais rico que dá o exemplo de partilhar metade do seu ganho e que esta luz inspire os menos ricos, mas ricos o bastante para poderem dar, porque tem folga, tem a mais.

a Bill Gates a quem vi numa foto de uma capa de revista, o menino e o menino génio, com todas as cargas acrescidas que tais naturezas transportam, porque os outros , os que se dizem estar contidos num padrão, não conseguem nas vezes bem lidar e assim vi sempre muitos a desperdiçar seus talentos, que tão uteis se acarinhados e bem tratados são para todos.

e tambem me vi como utilizador de informática e do windows e da apple. E contente fiquei quando soube que vai abrir o código mãe, cuja politica de proteção muitos se queixaram e com algumas razões verdadeiras. Que este novo caminho abra novos horizontes a todos os que operam com estes sistemas que hoje pela web se tornou mais uma malha electromagnética que cobre a terra toda e nalguns locais se encontra com grandes níveis de concentração e consequentemente de densidade e de campo cumulativo.

outras malhas feitas por mão humana existem à semelhança da mãe natureza, como os rios , os lagos e os mares que se deitam na terra e a unem e ligam pela àgua que corre ao léu ou subterranea, como as canalizações de agua, os esgotos, as electricas e tudo o que é feito pela mão do homem através das diferentes matérias em que se agrupam.

o espirito cria a matéria, a roda apareceu e o movimento humano cresceu e hoje diversas funções e capacidades percorrem distâncias em tempos que antes era impossivel obter e não esquecendo que espaço e tempo é uma mesma realidade e que os computadores e as redes não fogem a esta regra.

a vontade humana mais alcança quanto mais se expande e seu expandir é feito com tudo o que o homem possui para o fazer. A vontade é de certa forma a concentração de energia, a aplicação de um determinado potencial de energia focado numa vontade, numa intenção.

são as analogias, as semelhanças que existem entre o espirito e a matéria, que permitem reconhecer uma semelhança e o que nos é semelhante torna-se a partir do momento em que o reconhecemos, um extensão de nós, uma parte de nós que vemos num outro lado, num outra coisa, num qualquer suporte que tenhamos inventado para aumentar nosso tamanho e nosso agir.

grupos de materiais podem sem dispostos de acordo com o conceito básico trinário do modo de pensar, esférico sem ponto fixo de preferência para obter melhores resultados. grupos de materiais cujas caracteristicas estão sempre interligadas com as funções que podem desempenhar. Estas cadeias cruzadas de materiais podem ser magnetizadas por diversas formas com diversas energias ou por correlação energética entre elas da mesma forma que o pensamento, ou energia psiquica com eles interagiu.





isto num pais onde o conhecimento informático


Meus senhores, atentai bem, eu escrevo à medido do que leio, as interpretações de ontem não são necessariamente as de hoje, nem provavelmente serão amanhã e é na mistura dessas versões todas que chego aquilo que considero ser a minha verdade, que outros validarão ou não. mistura das partes implica como o deveriam saber ter a habiliadade e o dom de se puder por em todas as posições, na posição de cada uma das partes. E como se faz isto? de alguma forma vivendo-as em seu peso, sua face e sua natureza e depois se distancia o ser do Ser, de forma a elaborar o que descobriu sobre o Ser.

Dificil trajecto e aventura e para o qual é preciso Coragem e sabendo que nas vezes se saí lavado em lágrimas e fora do mundo, a precisar de por o pé nele de novo devagarinho. É quando se observa a Verdade de muito perto, como que se fica cego no imediato e depois demoram os olhos seu tempo para de novo se habituar à normal visão.

Ah senhores, ainda agora recentemente vos ouvi em publico com o José Manuel Fernandes, no teatro nacional em acto de contrição oral por terem pertencido em jovens às hostes maoistas, aquelas que estavam em coração, pensamento e acção com o grande Mao. Quantas dezenas de milhões morreram, 30 ou 40?

perguntai-vos primeiro se pelo facto de teres estado ao longe em cima das catedras, ou das mesas das salas dos comicios, nas reuniões e na tão leve e propensa mão para a violência e o bater, como eram os de vosso grupo em tempos juvenis. Tão grande a diferença, na imposição das ditaduras, que se afirmam na intransigência, nos sacrificiados bodes expiatórios inocentes das vossas próprias culpas.

não sabeis que toda a agressão provoca e transporta a nova agressão, todo o apoio apoia, toda a perfilhação, perfilha e no mesmo vaso, está tudo lá dentro.

cuidado antes mesmo de pretenderem mesmo acender achas para a fogueira onde me pretendeis queimar e não são só os do vossos grupo, são de outros e ainda outros que nem como grupo se apresentam.

encontrai primeiro a formula da divisão do sangue calculado pela perfilhação do pensar e do agir, da acção fisica, do espirito e da energia que alimenta cada uma das coisas nas suas formas de acontecer. verificai então quanto sangue humano tereis em vossas mãos.

E não duvidais que o têem, temos todos desde que aqui vimos ao mundo, no mundo desregulado pela mão humana em que nascemos e onde o sangue corre fora das veias.

Vamos muito, mas muito devagarinho, que as matérias que venho a escrever elevaram muito a parada e consequentemente os ataques sobem de tom e de propósito e muitos são os que pensam, está na hora de lhe dar a catanada final, alguns até a pensando como literal.

A dimensão mágica da vontade no mundo de hoje, onde este conhecimento se encontra ao alcançe de muitos e onde as novas formas de percepção e de aprendizagens padrão colocam esse enorme potencial nas mãos de muitos e assim se instala nas vezes o caos.

vontade é a força que move a vida e o mundo e apresenta-se sempre à medida de todas as coisas e todos os seres tem uma vontade própria, se pensarmos que mesmos aquilo que designamos por uma coisa, foi pela Vontade criada.