sábado, janeiro 21, 2006

o mundo em cima do barril de polvora.

axioma :

eu não acho particularmente interessante ou desaprovo mesmo a politca de um presidente de um determinado país, mas mesmo sendo assim, eu que sou de outro país qual é o limite que tenho. não ir lá derrubá-lo e portanto respeitá-lo.

O Irão, a fazer crer nas noticias coloca-se numa posição extremada, rejeitando a solução Russa e avançando para a produção de urânio enriquecido e pondo todo o mundo assustado com a possibilidade de o vir a utilizar em armas nucleares e ao que parece fez testes com misseis que poderão servir para as transportar.

Disse noutro dia o Presidente do Irão que só se curvaria perante a vontade de Deus e sobre essa matéria terá que ser ele a com Ele falar e lá se curvará ou não.

eu aqui, tenho sempre o meu coração na mão de Deus, pois cada dia que acordo, lhe agradeço o acordar.

Ao Senhor Presidente Iraniano Mahmud Ahmadinejad relembro que o corpo da Terra é uno e que se sair dela por um bocadinho e me colocar de cima a vê-la, observo que a zona do globo onde se fazem muitos furos e se chupa com regulariedade seus liquidos, alterando-lhe desta forma seus espaços e pressões interiores, se vêm tornando muito instavel e muitos tremores acontecem e que se o homem continuar a tirar assim, será provavel que mais se torne porque não gera o interior da terra, massa que substitua as partes retiradas e assim como a casca de um ovo vazio no seu interior, oferece menos resistência às pressões e será previsivel, que quanto mais se tire, mais instavel a casca se torne, por outro escrever mais se agite a terra.

se o caminho é este, será necessário quanto antes encontrar outra formas de energia que não afectem tanto o seu corpo que é o nosso pois nele estamos.

quando o Irão diz agora ir reduzir a sua produção o resto do mundo treme, pois necessita desse oleo e que se não o tiver, toda a vida de muitos será afectada, o que é verdade, verdadinha verdadeira e o Senhor sabe disto tão bem como eu.

temos aqui um problema de tempo, ou melhor um problema de falta de tempo, pois não poderemos inverter as nossas necessidades energéticas em pouco tempo, pois nem tal está ainda por todos acordados, nem existem claros objectivos e dedução do tempo necessário para o fazer.

e por outro lado seu poder negocial, baseia-se muito nesta dependência e nós os dependentes desta substância em forma sofrega.

é melhor convidar o Irão para a Mesa das Nações como nação amiga e não para a censurar.

E sabe Senhor Presidente, por mim Portugal que necessita de mais três a cinco milhões de habitantes, bem pode acolher os que quiserem para cá vir, seja de que lado for que vierem, da mesma forma que Portugal não obriga ninguem a nele viver.
.
ainda no outro dia o escrevi, mas não sou governo de Portugal, nem tais funções me foram atribuidas e portanto só lhe posso isto dizer no tamanho da minha pena.

Se quiser cá vir ter comigo terei todo o gosto em o receber, poderemos falar a ver se conseguimos fazer um acordo e tenho desde há uns dias um livro para lhe oferecer.

Mas concordará que não se tornará o Islão mais forte nem outras nações que se juntam sobre outros credos, se a consequência desta crise for as bombas nucleares a rebentar. De certeza como disse um dos seus pais aqui no ocidente, se houver uma terceira guerra mundial atomica, a quarta se ainda restarem homens de qualquer credo, será de paus na mão, todo um cenário diferente da força que todos pretendem.

O irão deve sentar-se na mesa das nações, os paises e seus chefes devem actuar no sentido de isto assim acontecer, mas na mesa dos adultos, como adultos entre adultos, a pensar como se pode fazer a ponte e como é que o Irão e os outros produtores vão viver à medida que se muda as energias, pois ninguém quererá criar problemas de insustentabilidade a ninguém outro, que a casa é una, a mesma e só há esta que tem de dar para todos os que cá habitam.

Se assim não acontecer duas coisas se poderão passar. Ou o ocidente, muda radicalmente de um dia para o outro seu modo de viver e já tivemos no inicio deste ano problemas de falta de combustivel para fazer face ao inverno que nalguns lados do planeta se encontra muito frio e a consumir muita energia e assim de um dia para o outro teremos que parar os transportes para permitir o aquecer e como as estruturas de produção e distribuição nelas se baseiam, rapidamente se entrará em carência com todos os problemas e tensões que isso poderá originar.

Ou então ficaremos lado a lado cada um com seu botão a ver quem dispara primeiro e nesse momento disparar tambem e tudo arrebentar, pois as guerras espalham-se cada vez mais sobretudo as atómicas.

ninguem quererá esse cenário e se não se conseguir o acordo em respeito pelas partes, o que irá acontecer com forte previsibilidade será alguem do ocidente estoirar uma bomba nuclear em cima do seu país e depois com grande e igual possibilidade outras rebentarão.

creio que concordará que é um caminho absurdo que conduz a todos ao abismo.

só como irmãos, assim nos vendo e tratando é que poderemos isto resolver.
Meus olhos espantam-se. Segundo informação próxima da Igreja de Roma a vida se desenrola na perspectiva darwiniana e os seres evoluem através da selecção natural sendo que os seres mais capacitados passam as suas caracteristicas à geração seguinte por cruzamento com as dos seu parceiro sexual.

não consigo entender o que se quer dizer por mais capacitados, mais aptos, na medida em que tudo o que vive está apto a viver e vivendo o prova.

e pode a galinha deixar de viver se por exemplo eu a comer, mas não consigo eu comê-las a todas e muitas especies de animais desapareceram às mãos dos homens, não por serem menos aptas, mas por o homem assim em relação a elas fazer.

quem é o primeiro, o ovo ou a galinha?

não pode existir galinha sem um ovo, nem os ovos existem sem elas, pois são elas que os poem, donde parece que ambas são um mesmo, visto que separados não poderiam existir, neste caso das galinhas que nascem dos ovos e dos ovos que poem galinhas.

são duas coisas distintas ou duas faces, dois tempos do mesmo ser em formas diferentes e como podem ser diferentes e distintas se uma e a outra se encontram na mesma?

e dizemo-las distintas pois temos dois nomes distintos para nomear a galinha inteira que sempre a galinha é, mas se assim é a diferença fazemo-la nós baseada na percepção da diferença de forma e estado.

se forma e estado são diferenciados, então sim a teoria de Darwin está correcta, se forem vistos e entendidos como uma mesma não haveria evolução dentro do ciclo de vida da própria galinha, teria uma vida circular do ovo à galinha ou da galinha ao ovo, porque ambos axiomas da equação são válidas e existem no mesmo corpo no mesmo tempo. quando é ovo não se vê a galinha, quando se a galinha nem sempre se vê o ovo, mesmo quando ele dentro dela se encontra.

se o processo for circular, pois o circulo liga o principio ao aparente fim que não é fim porque de novo se transforma, se entretanto o lobo não a comer, antes de ela, o novo ovo pôr.

se a vida não começa no ovo nem na galinha no sentido de serem duas fases distintas, algo externo a terá criado, terá criado o ovogalinhagalinhaovo.

talvez Deus?

a mim parece-me bem ao contrário que a perspectiva de darwin, contradita a existência do Divino, a existência de um principio inteligente superior.

e depois se o ovo é a galinha e a galinha é o ovo, a galinha é um ser continuo, como se diz Deus Ser.

diz-se mais que o Divino é imutável, que não muda.

sim não muda nos seus principios da sua natureza, mas ao criar os seres e tudo que existe deu-lhes Deus, livre arbitrio, pois pode uma galinha pôr ou não pôr ovo e se não pôem, diz então darwin que poderá não passará ao estádio seguinte da sua evolução.

Implicaria um Deus que não visse a sua criação como semelhante, com a igual capacidade e apetrechamento para viver, um deus que gostasse mais de uns e menos de outros, o que não me parece ser a natureza do Divino, pois sempre cria em aberto no circulo fechado, porque dota os seres de livre arbitrio.

qual evolução falamos quando falamos da evolução da galinha? será que uma galinha não é sempre a mesma, e mesmo que uma não pocrie, o fará outra e assim a galinha continua a ser galinha.

eu uma galinha versus tu, outra galinha, ou nós dois pedaços da mesma galinha?

tem a galinha vontade própria, certamente que sim como nós seres humanos e vamos evoluindo no circulo imutavel que vai do ovo à galinha e da galinha ao ovo, de forma e jeito inseparaveis.

nós tambem temos vontade própria e por ela pautamos nossos actos e nos mudamos e mudamos os outros ao nosso lado. como se expande então o eterno circulo, por crescimento do raio, a circunferência, se assim vista para simplificar, aumenta sem alterar o eterno retorno, mas expandindo o tempo da circunvalação.

não é isso que é visivel no modo de viver do homem que vem aumentando o seu tempo médio do circulo?

o principio da criação, um mesmo semelhante, o Amor Imutavel, sempre o mesmo principio gerador, mas que vai aumentando através de seus corpos no mesmo único corpo de Deus, ou dirá Roma que Deus então não existe, ou que priveligiara uns em detrimento de outros?

é preciso uma teoria que concilie a vivência do Divino com a o conhecimento da ciência, mas serão assim tão diferentes se se crer que Deus existe e que a ciencia faz parte integrante dele porque os seres são dotados dos sentidos que lhes permite elaborar a ciência.

a mim parece-me que a Igreja está a fugir a ideia de Deus e seus atributos, omnipresença, omnisciencia e omnipotência.

se assim continuar a caminhar confirma o que eu escrevia aqui, que chegou ao fim, pois nega sua própria doutrina.

e se o ovo é galinha e a galinha ovo, não se separando as partes, onde fica então o tempo?
pois se o tempo é continuo, nós é que parece que o andamos a fragmentar, um primeiro, outro depois, distinguindo diversos que são um mesmo, e nada disto desdita a existência dos relógios e da marcação do tempo humano.

o infinito expande-se , cresce, como nós em nossas vidas. Como poderia ser diferente se as ideias que temos de Deus nascem da nossa percepção Dele, o que não afirma que Ele não Seja mesmo Quando não o vemos e sendo que ver e saber Dele, Dele ter uma ideia.

uma galinha é uma galinha, uma delas é comida a outra não e assim a galinha continua e como a galinha cresce em seu viver, a que vive cresce o ser chamado galinha, que é um mesmo onde todos as galinhas se embora diferentes, são a galinha que será em cada volta que dá diferente da galinha anterior mas baseada na mesma matriz, num mesmo barro.

diz a noticia do dn http://dn.sapo.pt/2006/01/21/sociedade/vaticano_em_defesa_darwin.html

ainda que Deus é a vertente espiritual do ser e que não pode ser vista como mero produto da evolução e ao dizê.lo separa o que é inseparavel pois matéria ancora o espirito, espirito cria matéria, matéria e espirito é um mesmo em estados diferentes.


ora esta, diria o gentil e bem humurado e saudoso Fernando Peça