terça-feira, janeiro 09, 2007

Homicidio involuntário ou homicído voluntário em modo continuado?

Faz já mais de um ano que me levaram o filho e está o assunto nas malhas da injustiça de Portugal, que justiça feita pelos homens mais creio não existir e quando assim é, deve-se perguntar se o País é ainda País.

É certo é que o Amor e a Bondade são sempre superiores aos conceitos de justiça profanas, mas a minha paciência chegou ao fim, por mim e por Todos.

Recebi pelo tribunal de menores de Lisboa, o desentranhamento das minhas alegações, uma mera folha escrita à mão em letra a meus olhos ilegível pela juiza que me informava do acto, alegando no que percebi, se bem o entendi, que elas não tinham fundamento nem estrutura juridica que as sustentasse e o julgamento foi entretanto adiado sem ter tido conhecimento das razões de tal facto, nem mais quero saber pois não aceitarei mais nenhuma comunicação que dai tenha origem!!!!!

À imagem e cobertura do que os advogados da parte contra tinham alegado, foi desta vez por mão própria de quem executa a justiça dos homens, recusado o direito elementar que a lei que não cumprem, garante a um cidadão, de se defender por si mesmo, não lhe pondo condições nem exigindo conhecimentos especificos ou técnicos para tal efeito.

Desentranhamento, desentranhar, retirar um orgãodo corpo, o figado, uma perna ou o coração, na exacta imagem que me fizeram com meu filho.

Em Novembro, chegou tambem aquilo que já sabia teoricamente que poderia vir a acontecer, a morte de meu filho em vida, pois toda a relação necessita de uma substância para existir e quando não a tem, estiola-se e fazem sentir aos dois como uma morte, uma morte em vida mais perversa do que uma morte em morte, pois quando um ser morre, enterra-se e continua-se o viver e isto não tem outro nome distinto do que tortura.

Afastar um filho de um pai, ou de uma mãe é um acto de tortura e as leis e a jurisprudência que se tem feito em Portugal nestas matérias leva estes assuntos, neste tratar.

É um acto de tortura para um filho, afastá-lo do pai.

É um acto de tortura para um pai, afastá-lo do filho.

É um acto de tortura para um filho incutir-lhe que o pai está louco, é mau e cumulo do cumulo, lhe poderá fazer mal, que o pode ameaçar fisicamente.

Neste roubo do filho como já dei aqui conta em profundo detalhe, estão envolvidos diversos que se crêem poderosos que se conluiaram e que compram influências várias e isto se chama corrupção, são diversos os sinais e os indicios de que esta suspeita tenha grave fundamento no real.

E diz a lei que a exposição publica de informação que levante indicios de crime deverá ser investigada por quem tem para isso dever e competência, mas muitos são os exemplos nesta area que aqui tenho dado conta e nada se passa, ninguém me respondeu, ninguém veio dizer, esteja tranquilo que vamos velar pela justiça e pergunta-se um Homem, nestas circunstâncias, o que poderá e deverá fazer.

E brincam e brincam com estes assuntos, ainda em dia recente vieram dizer, por força de nova lei ou procedimento, que a policia judiciária aceitaria queixas por email, nada contra, mas não é um blog aberto, um espaço público de comunicação e sendo-o porque não actuaram com base no que aqui tenho escrito?

E quantas familias inteiras já se mataram desde a minha ida ao palácio da justiça quando da conversa com a senhora, que pela segurança social dá apoio ao tribunal na avaliação destas matérias?

Recente, uma criança de dois anos sobre a qual o sistema já tinha detectado indicios de maus tratos, foi morta. Grandessísimos filhos da babilónia!

voluntário ou involuntário?

Não vos expliquei já em detalhe o que está mal nestas matérias e neste fazer?
e não vos apontei o caminho da correcção?

Como podereis então alegar desconhecimento?

Pois se nada foi feito no entretanto para mudar toda esta situação na extensão do que é necessário mudar, não vos tornais assim voluntários na cobertura deste mal fazer, pois uma coisa é errar por não saber o que é bom de fazer ou o bem feito, outra coisa é errar sabendo que o que se faz na forma em que se o faz é erro e dá asneira de trágicas consequências.

filhos de uma grandessísima babilónia!
e andais todos entretidos, uns contra, outros a favor da questão da interrupção da gravidez, mas fazeis orelhas moucas ao mal cuidado dos que já cá estão inteiros em corpo, nem na aparência vos preocupais com estes assuntos e com quem vive.

hipocritas a tentar tapar a grande sombra da vossa maldade, com parte da questão, a tentarem assim garantir e alcançar a tranquilidade das vossas consciências. dormis bem? conseguem mesmo dormir?

Alguns de vós saberão o que é ter e levar um filho morto em vida. Para quem não sabe, vos digo eu, que existe um dia no afastamento, em que ao vê-lo sentis que se tornaram completos estranhos um ao outro e o corpo gela, de repente vem um frio de cima que desçe por todo o corpo e o gela e tudo dentro de nós como se petrifica.

E chegam os amigos e nos dizem então, deixa lá que um dia quando ele crescer e perceber o que se passou e a mãe que tem, dá-lhe um pontapé e virá viver contigo e eu lhes respondo, que não sou pai assim, nem concebo sê-lo, nem é assim que devem ir os pais e seus filhos e que essa história do pontapé, como alguns me disseram é em si motivo de preocupação acrescida, pois pode ser tão grande que o ponha e lhe crie riscos, ao acontecer.

Este roubo do filho, está inscrito numa estratégia de combate em que me trazem e que visou como já narrei, a tentativa de me matar por indução ao suicidio e que tal se corporizou em actos de tortura.

Recordo a manhã e o momento em que cortei com a lamina o dedo para a experimentar antes de o fazer nos pulsos. Deus me fez nesse momento olhar um papel em casa dos médicos do mundo com uma mãe africana com um filho de colo ao colo e dizia, dê-nos doze meses. Já passaram e eu dei-vos, dei-vos mais um ano, de todos oos anos que já vos dei pelo meu existir e pelo meu obrar.

Nesses actos de tortura que passou por envenenamento que me provocou um pequeno avc, outros houve, de natureza psicologica que é só uma das outras faces do mesmo, da tortura.

Um deles foi feito através da injecção de um voz no sinal da tv cabo, especificamente na sic noticias durante o magazine das artes. no dia em que foi apresentado uma reportagem sem som sobre o Mário Cesariny, que colecionava e colava pequenos retratos de meninos num album, como se fosse uma especie de olheiro, que observa os novos e escolhe e seleciona alguns deles, como potenciais, potenciais estrelas em potência para ser suave neste momento no julgar da sua motivação. É portanto fácil identificar o dia e quem o fez e foi na altura falar com o meu ex aluno miguel que nesse dia presentou o magazine cartaz e lhe perguntei do assunto e deparei com o seu desconhecimento, assim ele alegou e assim na altura me passou.

Vós brincais, no outro dia Ana Gomes quis saber dos voos da Cia em Portugal e mais uma vez se percebeu Portugal no seu sempre pior. Uns sabem que o avião tinha duas rodas, outro que era amarela e outro ainda que as malas eram redondas e sempre assim assim nesta forma de fazer que entre outros objectivos pretende e garante assim que nunca nada se possa em verdade e profundidade averiguar. Pensam e se calhar seriam capazes de ter razão pois não parece mesmo existir mais Homens neste país, ainda em dia recente falei das imagens truncadas e ninguém respondeu, ninguém disse, vamos lá averiguar, vamos lá dar continuidade ao assunto e sito é particularmente acutilante em questões de natureza de segurança em tempos onde o terror anda à solta com tendência a se manter e a crescer. Veremos a responsabilidade e o que vos acontecerá quando a violência aqui chegar às nossas ruas, pois nada no caminho, nem nos passos, nem na sua direcção, augura que tal não venha a acontecer.

E digam-me sendo as coisas assim por vós não tratadas, o que cabe a um cidadão deste país fazer?

Digam-me lá se este não cuidar, se este não garantir da justiça, não é convite descarado para que cada um faça justiça pelas suas próprias mãos?

Digam-me lá se não me autorizam assim, a actuar eu príoprio como torturador para saber a verdade que me é sonegada, de por uma faca ao pescoço da mãe para saber quem é que está por detrás disto, ou fazê-lo a alguem do tribunal, ou do governo ou da assembleia da república.

A responsabilidade de todas estas mortes que vem a ocorrer, é de quase todos e quase todos levam o sangue em suas mãos. excluidos estão todos aqueles que avisam do mal feito e dizem do que devia ser o bem feito e alguns trazem maior responsabilidade neste assunto que outros, nomeadamente os que governam, os que fazem as leis e os que velam pela sua execução.

Calha muitas tardes, vir no carro e ouvir a missa das sete e quando chega aquela parte em que o oficiante fala ao Pai e Lhe diz, levai para o céu as almas que mais precisarem, todo eu fico muito quietinho, não mexo nem um musculo e tento mesmo não respirar, para não me tentar a Pedir-Lhe não par as levar para o ceu, mas para o inferno.

Exigo de Vós, especificamente aos mencionados uma resposta sobre esta inquirição e vos dou mais dois dias para um de vós me responder e relembro que prazos já vos dei e nada me responderam.

Se não o fizerem, aviso-vos que o resolverei por minhas próprias mãos o assunto e rezerei ao Pai que está em mim e eu Nele para que vos abra uma cova e que os mais responsáveis desçam no momento ao Inferno e que ele se Abra e Se Faça para Vós!!!!!

Peço uma reposta por parte do Presidente da Republica, do Primeiro Ministro, da Assembleia da Republica, dos deputados da Nação e do Presidente do Tribunal Constitucional.

Peço igualmente a abertura de um inquérito à juiza que não conduz este processo, por suspeitas de favorecimento à parte que pôs a acção contra e que por sua vez esconde, outros malandros, sobre os quais deverão igualmente proceder as averiguações, claro está se ainda existir em algum de vós algum pingo de justiça e de coração e se ainda existirem Homens, vontade de justiça e justiça.

Quero o meu filho de volta já, ou irei buscar outros, lei de tabelião quando não existe mais lei nem Homens para velar por ela, lei das armas, Lei da Fé, Lei do Amor.

E digam-me uma coisa mais, pois meu coração se inquietou com o que aconteceu nos Olivais em recente atropelamento, se quem morreu não tem relação directa ou chegada com a juiza ou com quem está por detrás na sombras de todo este mal fazer que fazem a meu filho e a mim, nomeadamente na relação dos proprietários da empresa dos carros envolvidos na corrida.

E vos dou eu neste momento mais uma informação, em dia recente, pediram a Portugal seiscentas almas por acerto de algumas questões que ocorreram no mundo e através de uma comunicação para espiritos que a reconhecem, foi feita uma ameaça, face ao negado, que levariam a condutora e uma manga de um volante me apareceu na rua, de manhã cedo um avião que voava a cerca de 30 graus em direcção ao oriente, que pela altura teria que ter levantado de outro aeroporto que não o de lisboa, levava na mesma rota, um outro mais pequeno atrás em proximidade anormal, como se estivesse a tentar esconder do radar. passado um dia, morreu uma jovem num acidente de viação, dava conta a jornalista que o relatava que ela era como uma condutora. Façam uma peritagem aos elementos da direcção a ver se o acidente foi mesmo acidente.

A atender à investigação sobre os outros voos, estou mesmo a ver que alguns de vós irão dizer que tudo isto não é mais que um sinal que comprova a insanidade que tentam dizer que eu possuo.

vão-se calar todos novamente e assobiar para ao lado como se o que eu vos escrevo e que voces leem, fosse invisivel? Não se atrevam mais, é conselho que vos deixo.

Deus vos dirá, é minha Certeza.