segunda-feira, junho 25, 2007

dizes tu amada ana que está tudo dito em palavras e repetes o que de vez enquanto te ouço escrever e acrescentas que elas não mudam o mundo e vem outro amado à tempos e me diz para eu rezar em meu secreto e eu pergunto na Luz à Luz se o recanto tem recanto e porta fechada, ou se o inteiro mundo é ou não Uno Lugar,

ousa e cala é parte de antigo e venerável mote, mas todo o som está sempre acompanhado de um silêncio que o acompanha, e quem sou eu para por fronteira onde ela não há, e depois dizes ainda ana, que as palavras não mudam o mundo e eu te vejo a oscilar entre o desejo que se deseja e que parece não consumado, e te trás na aparência infeliz, e me penso em certa forma e medida eu, e depois vejo a violência do mundo pela fresta de quem concebe os muros, as portas e as janelas, não se chama aqui a todas elas, de janelas, a infiltrar e depois leio a rosa rosinha em flor que diz estar cansada da triade em que escreve e meu dou conta pela primeria vez que assim seus textos e suas palavras podem ser interpetradas, persecutor, vitima e salvador e se ensombrece por um instante meu coração, porque a beleza e o belo de vossas letras e de tantas outras estão numa salvação que é salva e salva e nas triades faltam pelo menos mais um número e todos os outros mais, que sempre cá estão, e a escrita é acto do belo e da beleza e A deve tambem evidenciar pois tudo é luz e espirito e matéria, e tudo muda o mundo, muito mais do que nos pode parecer, porque estais mal habituados a pensar que assim, é e ainda ontem ou antes de ontem um anonimo que se dizia ser meu antigo leitor deixava infeliz espelho da sua infelicidade presecutória, dizendo qualquer coisa como, quem viu os teus ecritos e quem os vê agora, como quem insinua sem nada demostrar, um ponto de vista que assim, nem o chega a ser, nem interessa que seja, porque se interessasse teria escrito de outra forma e de anonimos e de mascaras estou eu farto fartinho e sem paciência para aturar, e me lembro então das palavras da ana, que concluia hoje nas suas que podia estar tudo dito, mas que a escrita é um fogo que consume e só refresca depois de escritas e vou buscar à rosa rosinha em flor uma citação, que se hoje tivesse acordado para o cinico ou amargo sem acucar ou chantily, diria, que não se devem dar porcas a pérolas, mas os porcos, leem de outra maneira e portanto não se pode em justeza assim o dito aplicar

janelas, portas e frestas e uma imagem do que dizem ser o interprete de um drama de sobredatação de dotes e dons e coisa e afins dava sua mão ao governador ex exterminador do outro lado do atlantico e uma porta se abria de relnce , súbita frincha de um outro homem que parecia por um instante sem aparecer e a tornava rapidamente a fechar, como quem dizia oppps, que na porta me enganei e depois o goldem brow se dirigia a um pulpito e quase tropeçava no caminho e depois o enquadramento do publico que era silhueta a e homens anonimos e contornos de pretas sombras tinha por sua natureza intrinsica reenquadrado o palco a leitura da redundância do gb for gb, passara a n W, multiplas dores multiplas da compressão de três vasos, um macho entre duas fêmeas

Que andais a fazer não fazendo? dizia um recente relatório que daqui a poucos anos trinta e cinco da população mundial viveria em caixinhas amontoadas em mega concentrações chamadas cidades e que passado mais poucos anos, medidos em décadas, seria então metade da população, ou mais de metade mesmo que viveria nelas e andais todo assim cegos a preparar vosso próprios funerais, fazendo mais uma vez prova cabal e frontal e torta que nem de vosso filhos sabeis cuidar.

ontem ao ler, me rolaram as páginas para escritos anteriores, e foi de novo parar, va-se lá saber como sempre é o Fio da Luz à Profecia, vão relê-la, comparem-na com vossos passos e vejam para onde caminheis!

Abismo, Abismo, Abismo.

cambada de néscios a discutir e ocupar o tempo desde eu sei lá, serão vinte, serão trinta anos, sobre um novo aeroporto e nem aprenderam ainda nem a discutir, nem a a governar, nem a falar , nem a nada!

exercicio de todas as vazias retóricas, parece mesmo uma especie de prova de aferição continua da estupidez ao longo das gerações

ai, ai, ai, Deus me Acude, mem mesmo mais gritam, só se vê nas rugas e nas tensas expressões que geram tensões a que depois o invisivel fosforo, num apice, lança o fogo a toda a pradaria, no peito, no centro do peito dos hexagonos a agua cai em abundância, abundância da especie negra dos actos, uma negra abundância

só circo e pão, do seco mutio seco que tudo seca, vão beijar vossas amantes

bestas ignaras ignorantes que conduzem assim os homens ao mais negros abismos, onde está uma ideia de território e de habitação, onde está a reflexão do povoamento e de omo terá ele de ser feito, onde está a mais elementar compreensão, que o dinhiro é curto, por mal gastado, mal adminsitrado, mas recolhido e que os homens não andam só de avião?

bestas ignaras e ignorantes, das competências nulas de todos os canudos tortos que nem mais se levantam e levantem, da cegueira das arrogâncias, das falta de todos os respeitos, de todos as negritudes e depois e depois veem tremendo tremente faalr da Caixa de Pandora, vó que a fazeis, que sois ela que tendes a vossa própria mão na sua e vossa tampa tremenda tentação de a espreitar e abrir.

onde pensam que ela existe se não em vós e no uno corpo e uno lugar que tudo é?

vão bradar ao céu e ao inferno, depois, se ainda tiverem brado, ou braços, ou mão ou coração que vos bata ainda em vosso peito

Quereis que o Pai de vós cuide, oh, filhos rebeldes e medricas com a agravante de nem terem mais lingua humana, só bifida das vepirinas cobras em que vos tornastes, e que os neurónios se porventura alguma vez moraram em vossas caixas craneas, certamente partiram à muito tempo atrás, só oiço de vós mudos silvos, nenhuma palavra de amor, nenhum pedido de perdão, só a insistência na rota que conduz ao abismo?

isso, isso, concentrem-se muitos em montinhos pertinhos as camadinhas como folhado pronto a entrar no forno do inferno das vossas mãos de cozinheiros estupidos e cegos e altamente perigosos, que são bandidos.



na rosa da rosinha ainda,


Meu amor, como sofro a volúpia da terra, atravessada pelas raízes!...(...)Ninguém compreenderá a delícia secretas nossas núpcias profundas.

GILKA MACHADO

e como estou a dialogar, outras lhe vou ainda buscar e depois abro o fogo para tudo queimar

Não existe uma definição para uma mulher, uma mulher é uma experiência, uma energia feminina que tece, que é tecida, que é desfeita e se movimenta.

in A Tecelã

e acrescento que o mesmo se passa com o homem quanto os dois não são um em dois

e a clarisse em sua tecitura, a tecer então diz

Quero escrever o borrão vermelho de sangue
com as gotas e coágulos pingando
de dentro para dentro.
Quero escrever amarelo-ouro
com raios de translucidez.
Que não me entendam
pouco-se-me-dá.
Nada tenho a perder.
Jogo tudo na violência
que sempre me povoou,
o grito áspero e agudo e prolongado,
o grito que eu,
por falso respeito humano,
não dei.
Mas aqui vai o meu berro
me rasgando as profundas entranhas
de onde brota o estertor ambicionado.
Quero abarcar o mundo
com o terremoto causado pelo grito.
O clímax de minha vida será a morte.
Quero escrever noções
sem o uso abusivo da palavra.
Só me resta ficar nua:
nada tenho mais a perder.


Clarice Lispector


Que Bom Estar Nu, Se Vem e Vai Nu ao Mundo Nu e Nele Nu No Mundo Se Está e quando não à nada a perder, então há tudo a ganhar e a raiz do ser e da força, se pode ser a violência, melhor que não o seja ou fora, e agora sou eu que vou ser violento como um rio que corre, ou as margens que o comporta, ou o vento que agita as aguas ou a luz do luar que o ilumina e depois se isto continua assim, a toda a humanidade dou um ultimato, quebro eu mais um selo no mundo e vos pergunto a todos se o deverei fazer, se a ausência de todas as respostas, se a a vossa muda afirmação de todas as vossas secretas cobardias, se a vossa violência muda, sendo vós que assim andais e fazeis, poucos muito poucos, me permitirá por direito e dever e solução, quebrar um selo tão grande e poderoso e me apetecesse chamar-vos todos os nomes feios que conheço e mais alguns que todas as palavras são filhas de Deus.

e veem agora de palavras embragadas em suas próprias linguas, em acto posterior de contrição ao já mal feito e ai, ia, ai que Deus me acuda e falam mesmo do que não sabem, da caixa de Pandora, que dizem existir por debaixo da verdade, os néscios são néscios!!!

Caixa de Pandora, abriram alguns com a complacência de muitos e muitos são os cegos e a única boa noticia é que a luz sempre vai crescendo e se expande

Ah Amada que me tentam os parasitas, as formigas que nem mesmo o são, os tremendos cobardes de todos os silêncios, de todo os iniquios e de todas as iniquidades, dos falsos, dos traiçoeiros, dos mentirosos, dos ratos e das cobras e das paramécias e aqui por Arte no Intresticio da Palavra, lhe faço que tudo isto e muito mais nasça dentro de seus peitos, que as as veias lhe expludam por dentro, quando os telefones tocarem, que os avcs sejam massivos, que os corações deixem no momento de bombear, que as pernas todas lhes falhem, que se engasguem todos com seus nacos de carne em sangue das rodelinhas de rodizio, ai malhaão malhão, votem em mim, que sou génio da retórica, e dos peixes e das massas e dos vegetais e que os pássaros os persigam, que todos os cães lhe ladrem e lhes mordam todas as canelas, e os façam a todos tropeçar, que os pais percam seus filhos dentro dos ventres, que todas as epedemias lhes nasçam em seus ventres, que o ar de seus lares todo se envene, que todos os virus e filhos dos virus que hão de vir lhes rasgem as entranhas e exponham ao ar e a podridão todas as entranhas, que sobre eles caia a mais negra das pestes, que todos os punhais a eles se dirigam e se cravem fundo em suas putridas carnes, que os olhos lhe saltam das orbitas, que a surdez total invada todo os seus ouvidos, que fiquem todos paraliticos e definitivos gagás, que as pedras voem e os atinjam, que sejam por elas todos lapidados, que todos seus orgãos aprodeçam e caiam no chão e se enterrem fundo na mais funda terra, que nada deles sobre a terra e a memória mais reste por toda a eternidade, que todo seus ramos sejam cortados e que nenhuma flor mais nasça em seus podres e perversos jardins, que cada vez que se beijaram com o corpo adoeçam e se vão para o inferno fora daqui, que todo o fogo arda em seus corpos e seus lugares

Qual governo e quais governantes neste país que aqui se declara fechado para vocês
e por consequência para todos que deixamos assim as coisas não irem ?!

Só há daqui em diante o Governo da Luz do Amor e do Coração Acertado e Portugal Muda Nome para o Nome que Sempre Foi, Portus do Graal onde é O Coração o Governo e o Governar!!!

Se nada funciona não vale a pena continuar na ilusão, para quê perpetuar as ilusões

Quantos filhos são trazidos roubados a seu pais neste país que hoje aqui fecha e é pela Palavra Fechado e Selado?

Quantos Pais, se algum, vivem sem viver com seus filhos raptados com o conluio desta justiça interpretada por meia dúzia de cobardes, de mudos sem lingua que nem resposta dão e na maior negritude operam, pois nem os filhos protegem e deixam-nos roubar, a nossos filhos, e piores, que os ladrões que os roubam se tornam, pois poem a vossa assinatura na certidão do roubo!

Não pegueis em mais nenhuma caneta ou bico ou mesmo aparo, nem traçeis mais vosso nome, que se o fizerdes, cavais ao instante vossa sepultura ao nomear-vos, que todos os bicos vos infectarão com todas as doenças invisiveis e nascerão em vós os cancros e as mais piores doenças!!!!

Não dormais mais, filhos da grandesissima bailónia, nem hoje nem amanhã nem depois, pois sentireis uma faca que se espetará em vossa colunas descendo o rasgão, abrindo a carne e deixando o vosso sangue putrefacto escorrer e manchar vosso lençóis

Não dormais hoje nem amanhã nem depois, que durante vossos sonhos, os fantasmas de todos os que foram violentados por vós, subirão nas vossas almofadas e conduzirão vossos filhos às maiores desgraças, a todas as doenças mortais, aos suicidios, a todas as violências como vitimas e carrascos e sobre eles caira a grande lâmina do pendulo e as cobras subirão em vossos leitos e ficarão todos petrificados de medos fundos e súbitos, e quando o sol se levantar e a mais leve brisa soprar, como sal se desfazerão

Não dormais mais nem hoje nem amanhã que todos os punhais vos rondarão, que tudo o que pode cair de cima vos cairá em cima, que todos os buracos vos tragarão, que não existe mais regime, nem direito nem torto, nem democracia, nem nenhum outro nome, nem nenhuma especie de contrato social ou obrigaçao ou dever, quando os filho são roubados em nome da justiça e dos tribunais e dos regimes sejam quais forem ou como se apresentem.

Não dormais mais nem hoje nem amanhã nem depois que virão pela calada e vos roubarão os primogénitos e os vereis esventrados com as entranhas de fora e as moscas a volta do festim da carne de vossos ventres e será tão intenso o cheiro, que ao momento com ele morrereis e um súbito imenso vómito montará em vosos sonhos a sonhar e morrereis nele, que o fazeis, por vossa própria boca muda e coração já morto e vos faltará o ar para respirar e todos vós vos finais.

Vossa sentença foi proferida em forma publica, disse a Senhora que desde sempre e em seu inicio a familia medeia, que os juizes tem por hábito dar caução as mais leves insinuações de abuso sexual por parte de um dos progenitores e o usam como argumento nas suas sentenças sem mesmo fazer da insinuação, a prova


foi gentil com vós a senhora que provavelmente não trás nenhum filho assim desta forma perversa e negra de si afastada, eu não e eu não estou nada gentil, só mesmo o Amor A Todos os Seres me impediu até ao momento de quebrar um selo que me apareceu em meu passos e que comigo está e estou muito seriamente a ponderar fazê-lo, e como não pode o Amor fazer pagar o justo pelo pecador, caso não haja resposta desta ultima vez que me dirigo a todos sobre este assunto, só me resta levar-vos para o inferno em todos os jeitos e feitios e tentar que mais ninguém vá para além dos poucos que trazem culpas neste negro cartório que como já expliquei em extensáo por muitos se estende, quero com isto dizer de forma clara que se são poucos, mesmo assim são muitos, mas a paciência se esgotou.

eu que não estou neste momento nada gentil com este assunto que se arrasta quase há dois anos e onde nehum dos interpelados me respondeu seja de que forma for e nem um pio ouvi, não posso chamar a isto hábito, pois isto não é um hábito, é a cobertura para roubar filhos e capa falsa de falso argumento, para a iniquidade variada que se esconde neste fazer e depois, para além de ser inaceitavel uma justiça que se baseia na insinuação.

vos não sois justos em coisa nenhuma nem em nada e para além de despotas, são corruptos e cobardes em vosso silêncio e já vos expliquei pela enésima vez que um pai não abandona o seu filho nem deixa que o roubem, e dizia a senhora com muita razão, que quando assim as coisas evoluem sem evoluir, a famila deixa de existir, porque se quebram os laços familiares e que o que há a fazer é tentar a via da conciliação e tudo isto é correcto de forma genérica mas não se aplica a este caso pelos contornos grossos da alta corrpução que envolveu com protecção de altos dignatarios de funções nas areas politcas e publicas e portanto para se falar em conciliação, neste caso especifico e senod que na justiça todos o são, terão que esclarecer em pormenor o que já vos perguntei e tirem o cavalinho da chuva se pensam que eu passo em branco o vosso branquemento, que não sou pasta de dentes nem estou a falar de sanitários, filhos da grandessisima babilónia, ouvi bem ou morrei, quero saber quem o fez e como fez e o preencher das restantes condições e quero um pedido de desculpas formal do estado português a meu filho e a mim e uma indeminização e tirem tambem o cavalhinho da chuva, que bem ouvi o senhor vir dizer na praça publica o recadinho, estupido como sempre, pois desconhece os mecanismos que regulam as indeminizações, seus propositos e natureza e consequencia, ou talvez mais correcto dizer por mais aproximado à verdade, o pretende fazer de conta não os conhecer sendo por consequência de lhe pôr uma primeira questão, veio assim dizer por encomenda de quem? Que argumento é esse que uma criança por a ser, não tem direito a uma indeminização, por acaso a criança é distinta de um adulto, no perceber e entender do que são mecanismos de compensação, por parte dos adultos que estabeleceram a sua compreensão? ou por ser pequeno e menos se poder defender, então toca lá de a roubar mais facilmente, primeiro rouba-se o pai e já agora rouba-se ou seus direitos consagrados na lei, e a indeminização e o reconhecimento e cabal e formal explicação por quem de direito do torto que fez e porque o fez e a mando de quem o fez, ou pensarão que os juizes corruptos são para continuar a exercer, e os psi sem ética nem moral, para continurem a exercer?

E como já aqui inquiri o presidente da republica, o presidente do supremo tribunal, a assembleia da republica que até ao momento nem se dignou responder ao pedido de audiência, o governo na pessoa do primeiro ministro, a ordem dos advogados em seu director ou o que for, e a policia onde foi apresentada queixa, sobre a qual até ao momento não tive nenhum desenvolvimento, portanto em suma todos ficaram calados a assobiar para o lado.

Em dia recente escrevera eu no texto ultimo que aqui me desapareceu alguns comentários que vou de novo escrever

perguntava o espirito torto e pequenino de algum génio da publicidade se eu queria ser o rei dos animais ou pertencer ao clube dos às.

vamos lá entendermo-nos, pois somos todos antes de mais animais, iguais e distintos de todos os nossos irmãos a que voces, os burros, chamam de animais, por outras palavras não existe nenhum às que não seja antes de mais, animal e assim sendo era melhor começarem por aprender a fazer correctamente perguntas, depois o meu valor conhece-o eu e julgu-o eu antes de de qualquer outro e não sou eu uma carta de baralho, Sou Um Ser, se fizesse cartas de baralhos era a muitos de vós que lá vos tinha de pôr por razão de animalidade mais que justificada.

que poia de país é este e que filhos da babilónia são estes, dizia a douta sehora juiza cega e corrupta que ainda ao que parece exerce, a meu pai, que foi a audiência no final da audiência, utilizando-o como mensageiro que se eu quisesse me poderia dirigira oa tribunal e que poderia obter metade do tempo com meu filho, depois de passar sentença que diz que só posso estar no sábado com ele e acampanha por terceiros.

e disse a meu pai que assim mo relatou, que tinha ficado com a ideia que eu estava perturbado, da vez que comigo tinha falado, em meia hora, onde nem falou, impôs a rota previamente combinada e dissso dei eu aqui conta em pormenar, como quem se tenta desta justificar, justificar a asneira com argumentos e argumenação pobre e invalida, e ninguém me respondeu porque razão o principio constitucionalmente previsto e grantido de cada um se poder defender, não me foi garantido e mais grave niinguem , nem nenhuma acção ocorreu para apurar as responsabilidades e consequências deste vil acto à revelia da leia e dos direitos e do direito e agora provalvelmente já estão todos em férias, os tribunais se calhar já encerraram, o parlamento deve estra quase, o governo, já tem as férias preparadas, assim dãoa os jornais cor de rosa da conta dos destinos de férias, a policia, se bem que aberta, tambem não avança para inquerito, pois então, que todos os iniquios ao irem para férias, que seus filhos se afogem no mar, e que se for preciso venha uma onda grande cheia de fome que vos coma a todos

filhos da babilónia, começaram as férias grandes de de meu filho, e penam voces que irá acontecr o mesmo que no ano passado sem consequências, em que nem um dia pude estar com ele, e como posso, se vos nem me deixam aqui nesta terra do inferno, que sois trabalhar!




Portanto senhor socrates, pegue lá em seu telefone e marque o seguinte número, 96 280 77 46 e depois de me dizer bom dia, diga assim mais ou menos a seu jeito, como primeiro ministro de portugal, venho convidá-lo a comigo falar, onde lhe vou dar garantias de que vai ter o que pretende, pois a razão o assiste.

telefone, vai ver que nada lhe vai doer.




dj ben teresa e y e nono gi da K, ca x ix homem vaso , s w f bg ba j
espantoso, amada, espantariam-se meus olhos se ainda se pudessem espantar e não os trouxesse o Amor, à Luz Imensa e Eterna, habituados, pois vinha agora mesmo a descer para o rio e mais um acidente se dera no mesmo local onde vira os que aqui relatei, na av do infante em frente à estação do metro, do condominio da bela rapariga à janela, das leituras entre as lâminas, da akademia e da epal.

vinha do oriente um ford fiesta branco da Direcção Geral do segundo do quadrado do primeiro, e chocou contra ele um audi negro carrinha do quarto do primeiro de 59 do vaso da vareta, da cerca de cascais e me recordei do concerto da menina brasileira no forte de cascais e de tantas histórias que sempre lá se passaram, mas o concerto fora salvo erro última vez que lá estive, nesse dia, até a energia, veio abaixo às páginas tantas, ou melhor às músicas tantas e deram os rapazes do palco ao desmontar cabo de um candelabro que ela consigo trazia.

depois li à volta de mais este acidente que completa a cruz no local, o dezasete de 87 da UA, o 24 daqui,, o sexto dos furações de 95 no vaso da T, o décimo da CE, o de 97, o nono do circulo do principe da rosa, 85 PB de 81/79 do sexto do primeiro do AC ao décimo, do sexto do treciero do segundo circulo AC, do VV do triade do sexto entre 71/91 JF, JAP, 56 26 KA, o de 74 B Y de 80, &# background do sete, SN do zagalo de 77, em 8/89 do Vaso da Vingança e passa ão momento na ponte onde estou a chegar um comboio vermelho e prata, o BM de 83 do OE, gato ao vaso sexto CP Zagalo do U do dia de dezembro C, AC 57, do DL, ao VF , o primeiro dl de 99, do beijo invertido do restelo em 71 do zenão Us, 3331, o primerio da tripla triade, AC 88 ao 65 Zagalo Maior X W de 90 HD.

Q FX QEF , os dois angulos que comprimem o centro e fazem o T do rato G, maria Rata dos Ns, sistema de infomação, nona serpente BA ao Forte
na quinta do parque ou no parque da quinta estava uma serpente azul com cabeça de meio quadrado

amarela no meio do M do vale de maria, embora a maria fosse mais um carneiro em suas linhas, é também um três de terceiro ou uma forqueta comprida de braseiro

depois o quadrado deitado no chão em losango apontava a toca do coelho da alice no país das maravilhas ou algo assim no género do país, do da alice ou mesmo do coelho, que tudo se move, rápido nas vezes

era tudo uma questão de geografias, dizia o trovador da pedra do castro, sarava trovador

pedras hoje há muito boas aqui a rolar, não em garrafa nem com gargalo, só rock a rolar

i c´ant get satisfation because i d´ont have, cento e cinquenta pétalas de rosas para minha amada


houve contudo um na quinta do parque que se finou por uma pedra demasiado pesada

o mo ss da dorothy foi filmado pela namorada com uma escrava de prata sobre azul com traço vermelho em lata redonda deitada

o satanico majestie´s request, psico quê?

que nas vezes aqui vem descansar e andar à pancada, dizem as más linguas, certamente

A BB, ou Ab ao Burro

o disco da teka pegou fogo na serpente da ana

aqui também em outro dia com um big bang em silêncio

o quadro electrico provavelemnte seria electrico

oh , no , not you again

carnide tt, caparica, o punaise vermelho da grelha do rectangulo verde ded alvalade, o terceiro dente do treceito traço na inversão do segundo na ponte de alcantara da lusa

a bela da rá

miss you


Anúncio

charmoso rapaz delicado gentil e fogoso, gato doce e gota, serei o seu momento esperado

contacto
a humanidade, deita-se nas vezes, quando bem acompanhada a dois, e desenham infinitos, tudo fica então redondo, e Deus se escreve duas vezes, na medida dos cantos do leito, e de novo se deita em leito.

miss you

que as pedras rolem perfeitas e o estrondo se faça ouvir

o vaso de Deus da maria da serpente kapa da humanidade do homem, ba it p, o toto da espada b da fé, rato do vaso da serpente do ro K, do dia K ao nono do Y x no Forte


py cc x da humanidade, serpente nacional, ou sul norte
vareta do angulo a dupla dor da maria forte, serpente homem do principe da rosa C , pj , K do xá dos furacões do dia da dupla dor

No jardim da estrela, quatro galinhas com quatro ovos num quadrado feitos por tabuinhas, como se tratasse de telhas, mas de madeira feitas e portas de carros em cavaletes, rosas com aberturas como se amolgadas estivessem a preto debruadas, mas nada do metal ou pseudo metal, cortava ou cortaria, assim ao rápido e ao longe me pareceu, que não pus lá meu dedo. No chão um tangram gigante com gente em cima preparava uma qualquer função e do puzzle das peças saia um rectângulo amarelo que acabava numa grade cor de rosa, como a dizer que o caminho do sol estava pela grade cor de rosa parado e com fim, por uma grade da policia cor de rosa das quatro galinhas dos quatro ovos da estrela

e uma biblioteca pequenina lá está e as gentes se sentam em mesas a ler debaixo do pequeno coreto, que ela é como um antigo quiosque de jornais, que deverá ser então as letras e pertença das galinhas que assim inspiradas puseram os quatro ovos, quatro ovos antigos de quatro galinhas de uma mesma criação, quatro galinhas irmãs, de letras antigas.

E me recordei já hoje, quatro irmãs da lapa, uma delas, que voltara de Londres, fugindo a um qualquer problema com a policia, assim algum me contou mais tarde e que apareceu a dançar no Jamaica e que diferente ela era e bela em meu olhar e me apaixonei, e me recordo de ir à noite a casa de seu pai, vezes sem fim, um homem da publicidade, que eu já conhecia da noite, nem sei mesmo se do tempo do bolero, ou da trindade ou de qualquer outro lado do bairro alto, bela a casa, atravessava-se uma porta da fachada normal da rua, se dava com um jardim e depois recuada a casa com muita madeira como um chalé e eu, a Sofia lá ia pela noite e pendurava poemas para ela na porta, na esperança que ela quando voltasse desse com eles, mas a Sofia, era naquele tampo muito acelerada e tinha muitas paixões e amores e chegara a Lisboa e era um grande sucesso entre os rapazes.

Curioso de repente lembro-me que uma das suas irmãs foi também namorada do nuno, que comigo foi preso, bastantes anos mais tarde e hoje de noite ao descer à bomba dos olivais, o cheiro do caril indiano que anda presente naqueles lado, como que descera, estava quase no eixo perpendicular à bomba, e vou pensando nas recentes imagens naqueles locais, da emel, da viseira, do Miguel Fonseca, do outro rapaz do prédio da nora e leio, o das olaias é o primeiro dos jogos de dança de contraponto em Sintra e vejo o cartaz que me dá conta do centro da olga cadaval, onde em dia recente dei aqui conta de ter visto belas imagens de uma peça de dança, baseada numa das mais antigas tradições, os portões do céu, as nuvens que são espelhos do céu , e acrescentou o espírito sobre o de olaias, o kapa do crazy horse do BA, jogos de soduku do Lux, cabide das serpentes dos jogos de soduku do luz, do gás d/4, ro centro, re 4.

São afuniladas as chaminés e tem três anéis em sua parte superior, anéis que existem outro que se podem usar em outro ripo de chaminés não tão afuniladas mas que afunilam e juntam a química intima dos amantes que nascem primeiro em seu espirito e se espalha depois como onda do mar em seu corpo, a um terceiro elemento, e suas propriedades, quaisquer que sejam, e que depois se podem levar para outros lados e outros afazeres, e podem eles ser postos e usados tanto pelo feminino como pelo masculino, com ou sem conhecimento do outro, pois tudo é passível de disfarce enquanto o disfarce dura e a luz ainda não se fez.

Meu Deus, terão sido mesmo seis milhões e tão poucos ainda dessa negra contagem trazem dela consciência, de que contagem falamos em que período de tempo, se o tempo é uma ilusão, um anel junto a outros anéis das trevas, uma anel junto com outros para todos dominar e a mortandade das torres negras a contar as almas como um compasso desenha circulo que pode ser uma prisão.



O primeiro do sétimo de 71, columbia, a serpente do homem de ibiza, ME 85 e me emergiu da memória a barbara, da tom da norma, como se ela de alguma forma estivesse ligada as quatro irmãs, pois tinha ela uma ligação com um homem de ibiza, a teve durante muitos anos, assim me contou em Lisboa.

Seriam estas quatro irmãs, as figuradas nas quatro galinhas empalhadas que estavam no jardim da estrela, com os quatro ovos que seriam antigos do tempo dos quiosques coretos, a antiguidade, faz parecer que sim

Um senhor africano, pobre, que comia, dava de comer a um belo pavão ao lado da porta que dá para a estátua da rotunda da terra das outras terras, frondosa para quem lá arribar.

Na igreja do rato, santíssimo era o dizer, quem o seria para além do Cristo e de Deus, era a pergunta que ficara em meu coração ao passar.

Será que falavam de Socrates, ou do António costa ou mesmo do Gama descobridor, da rapariga do PS, que falavam as letras recentes e que hoje me apare cia na TV dando papeis a socrates num meio de um corredor no meio de uma reunião, no meio de um qualquer quadrado de um qualquer compasso?

Foram mesmo seis, os milhões de almas que desta vez partiram, assim tão grande o número, tão pequena a consciência dele e já hoje de madrugada no mesmo pequeno ecrã, a informação de que pelo menos vinte dos voos secretos, não se sabiam deles e um antigo director de serviços secretos que a nada respondia com nenhuma luz, e duas contestações, que os governos europeus, mais de vinte, não o admitiam, e um senhor que fora director das operações secretas na inteira Europa, e que nenhuma resposta dava a nenhuma pergunta, só hesitações de nada, quase nada, sem nada dizer, dizendo no fim que daqui as uns anos já não o veriam certamente como parecendo um gangster, curioso dizer de quem está do lado da lei, da lei escura, acrescente-se em abono da verdade, pois dava conta a investigação que de vinte continua-se sem nada saber e que um inocente, por não lhe restituírem a dignidade ofendida, pegara fogo a um centro comercial e acabara com uma depressão num hospital psiquiátrico, e hoje mais uma vez a pergunta e guantanamo, fecha-se ou não?

Que sim na forma já dita e explicada e corrigindo o que se fez de mal, pois não se devem perpetuar as injustiças, mesmo quando elas se deram em tempo mais propícios ao engano de alguns e que sempre se aprenda com o erro de forma a tentar mais não o fazer.

Uma promessa virtuosa ficara, das organizações que defendem os direitos humanos, a continuação dos processos aos estados, mesmo que o assunto transitasse para a próxima geração, e na esperança que assim não seja necessário, tal acontecer.

No rato uma ambulância estava parada no exacto local da passagem de peões, as gentes eram obrigadas a passar pela nesga entre ela e os corrimões. Dois polícias de braços cruzados parados olhavam ao perto sem nada mexer, depois lá arrancou a ambulância.

Hoje de madrugada, reparei ao vir da bomba pelo angulo em que o via, o totem do metro, reparei que ele mesmo é um triângulo cuja ponta superior é vermelha em suas três faces e que o M do metro, está pelo seu grafismo cortado na ultima perna da direita, o que torna a letra impossível, em seu equilíbrio, arrepiei-me em pensamento ao percebê-lo, ela é cheia a branco em seu interior, vaso na superfície quadrada vermelho sangue que por sua vez vaza no éter, e apareceu-me agora mais um nome de uma mulher do meu passado, a Ester, de éter a Ester será, Meu Deus mais um ovo?

M é letra de Maria, Nome da Senhora, da Mãe de Deus, da Irmã, Esposa e Filha de Deus, Maria É Nome de Deus, e a representação simbólica do metro é da Senhora em permanente desequilibro, em Si Mesma, equilibrada pelo principio dos vasos comunicantes na Alma do Mundo ou no inconsciente colectivo, tanto no sentido do que vasa, que é sempre também seu inverso, o vaso, que recebe, não me parece uma boa ideia, uma relação em que uma parte por amputação está ela própria em desequilíbrio e simbolicamente passa diariamente pelas mãos de milhões impressa nos bilhetes.
Uma leitura simbólica que emerge é o constante vazamento de quatro pontos em cinco e em seis e sendo que cada número, é sempre numero infinito

Está quebrado o princípio trinário, dois só vasos sendo que tem a agravante de desequilíbrio da falta de proporção entre os dois.

No poste onde está o diagrama da rede, um número de telefone de alguém em aparente ânsia de chupar expressa por um ponto de exclamação para o céu virado e três para a terra, os números são grafados como no grafismo digital, ou seja, não tem curvas e são feitos por ângulos rectos à excepto do segundo que é um 1, um arpão.

O primeiro algarismo é um quadrado apoiado num traço vertical a direita, e tendo todos os traços, massa, caíra sobre o horizonte fazendo-se um seis deitado que é atravessado pelo arpão do número que se lhe segue. Depois um 2 que é como uma serpente invertida.

De seguida temos três quadrados, ou doze elementos, depois um outro quadrado ao meio dividido, mais oito ponto de tamanho, área menor, um outro nove, a que acontecerá um mesmo, um quatro que é um vaso sem curvas sobre um só pé e que tombara o seu conteúdo e um cinco, uma serpente direita.

Era segundo lá dizia, o telefone do Débora MS.

Um outro papel com exercícios de geometria corrigidos, alguns certos, outros não e faltando na aparência a resposta 10, 11, 12.

Olivais no amanhecer de quinta-feira, me chamas-Te feita cantar dos pássaros irmãos e lá foi ver o céu amanhecer e a oriente um vaso estava deitado de norte para sul, primeiro cor de cinza, depois avermelhou.

O primeiro da divisão 20 do chapéu maçom dentro do triângulo de fogo, da pedra de fogo do golf de 96, serpente da menage 13/12 de 72.

Da padaria do brioche, da cave do brioche garcez, João Carlos, pequenos, cocó vegetal, um bongo da prieto, Edgar do 17 B, o cão da serpente bífida do compasso da raiz quadrada, L, invertido horizontalmente, AZ do triângulo de fogo do rio , cc tá nó serpente, zagalo dos restauradores, da AC do vaso UC do Ra nu L sidul do pó de 70, edf joca prior velho, morte da Di, do cabo de ligação electrica da massa, inês ama Carlos, sinal de transito com x vermelho sobre azul, o circulo, seis furos nas duas colunas do templo da luz do chão, sete marcas de garra na direita, dupla curva apertada a descer para garagem, direito ao lancil vermelho e foi aqui que vi o vaso deitado no céu, vaso à claque citroem.

Nas marcas da estrada do lancil, li, vaso do carneiro, caroço a seu lado, traço diagonal, divisão, percentagem, uma gaivota a voara para a direita, por baixo do cálice, um Y , cujo braço superior esquerdo se separa, e inverte umas asas com ligação à terra, dois traços verticais paralelos, um U, uma pequena serpente e outra ao lado um pouco maior, um vaso, uma serpente vertical, uma apostrofe, um vaso invertido, um triângulo de agua no céu e uma serpente de baixo a ele apontado, uma serpente de ligação, outro vaso invertido e uma pedra do lancil rachada horizontal em sua vertical, que parece uma boca.

Um fecho de balão de borracha, ou seja, um anel de borracha ou não, num balão rebentado, preservativo azul no vermelho no peito da coroa, chester field, tabaco de oiro, heroina, vaso da vingança Edgar prieto, da pauta da música, numa ferida com injecção, uma prata, uma pena branca, uma mortalha, 5190, mobilize RB and friends, dois traços no cimento da grelha, serpentes que descem sobre os caixotes grandes de lixo, vareta cinza em coluna branca e amarela, escrita criativa, vareta da pauta de música do semi circulo, preto e amarelo, JC 83, na agua, ir a casa T3 60513322, árabe, chio, ouvi, chocolate, cobra da malha techno colt mitusbishi CL 59, som e pal do SI, do man da Sardenha, circulo eléctrico do cimento da Diana, mostrou-me um pequeno ser alado.

Da vara da mina da laje JC 6.00, penetração no vaso invertido com anel, marca azul no anel, com pedrinhas à volta das tampas, um meio rectângulo invertido, traço horizontal, 4, traço horizontal 21848108, vesica musa win x club, 218483010631538, oz é, faz falta, dave Co IA de S. Jo ais é ró 999, Cp mais Av. republica.

S iwo 74 . Oto
Cu 6 y
Vy tao vyg li 94 im, reza de oli, da vela de avião, o ró da CP mais Av. republica, da TF vermelha, Itália, Sardenha, cavalo de pau, troco entre duas pedras.


Estrela morente do oriente, porque o vermelho paixão já era, pinguim lima e menta, a ponte, schok na loja de cascais ao tó pereira, no amarelo.

Em tarde anterior ao chegar na torre de trás, à esquerda do portão de entrada da centro, um grande reflexo de luz se projectava no lado direito dessa torre, era o bacalhau, tinha eu escrito sobre o bacalhau estar de molho e agora vi-a a sua luz projectada na fachada, como uma sombra de luz, uma sombra luminosa, está ela com o rabo para cima em v por debaixo de um quadrado na fachada mais ou menos na altura do 13º andar, e a parte de baixo, onde seria a cabeça, por altura de outro quadrado na fachada, uns andares mais abaixo e me apareceu em espirito a ligação com a relação 5/ 7,5, o compositor digital

Na tarde da véspera ao vir da biblioteca dei com estranha instalação se calhar feira pelos santos e dos bailaricos santos.

Fortaleza da epal, z na serpente ss de Lisboa oriente, a serpente dos três traços horizontais amarelos sobre o azul da direcção oriente, depois rodou o texto até aparecer, António, o veloso, lanço do primo do SJ, comboio 107 , orçamento de estado 78/87, o de background 92 do Ki A pi canto, ex. 64, 15xz, da maça K, n zs em 98, o sétimo do sétimo, vareta do furacão 71 IZ, 98, aqui, gato do angulo prata alemão, duas cascas de banana no chão, 73, 46, XX, DC I, do trevo de oito folhas recortado do livro de ferro aberto em vaso de fogo, unha vertical na quinta das mimosas, três pombas pousadas no lado direito visto de frente ao trevo com o livro por detrás, uma branca e duas cinzentas.

O trevo tem cinco semi círculos em cruz, donde dez na soma da cruz e tem o desenho de um pente brocha que faz a perna esquerda do vaso mais pequena a chegar à sua junção, barulho da rada matriz do 08 de prata das pizzas do cabo eléctrico do auto sapo, o terceiro do segundo de 64, 10 Raquel Duarte, escrito na caixa de onde sai o cabo que da segunda caixa que alimenta a primeira, o cabo preto é da Raquel, vai pela relva e é nela cravado com quatro garras metálicas na junção da extensão e que liga depois cinco arvores e passa pelo livro em ferro do trevo nele recortado, a caixa grande diz re sul hi mel, a caixa Raquel fun tea on ted e o cabo faz um laço que laça um W.

Uma colher ao lado, a vida não é uma droga, mas a colher lembra preparação de heroina, ou a Raquel será a dita ou a ela terá sido dada. A caixa rectângulo da Raquel em sua traseira faz quatro U com asas abertas com um rectângulo em seu centro, uma fita preta entre o debaixo e do lado direito, electricidade, 03 0886629, um selo azul quebrado na relva, outro 0886627, pedaços de neve, o local, e papel rasgado, duas pedras de calçada da caixa maior, fx do no de 78, beijo 74, homem furacão da povoa 64, 98 PC, dois peões chumbados, himel, homem da vareta da emel, bg xt, AA 91, x no quadrado da torre do bacalhau, 44, 10 ox quando pensava no António, o primeiro de 2000, o auto do chico de cascais do Cl 83 rt da inversão da exclamação, no segundo circulo vermelho dos furos mota malboro do triângulo de fogo vermelho, jack da ligação em Espanha que tomba o A, ouço agora avião, antes tinha ouvido moto, em ferro mimosa chocolate, epal charlestown, dois círculos vermelhos com dois pontos em seu centros, sobre rectângulo de ferro com cores de Espanha, um mais pequeno com o número 2 e o outro maior com o numero 2 com dois círculos concêntricos, vareta azul e branca dobrada, guarda nacional 75 do 24, de 60, 68, 46, JS que manda o homem bom 53-61, 75 ax 75, ford prata da cobra do cascalho com tampa e laço de sete 42 19 SC 97/2, 88 on 28 TT 02/07 do 1101 FM ao 29 armador, bolama? Dos patos zangados.

Bp 95 isqueiro, Luís esparteiro ou o Joaquim Almeida.

...

é o homem da brigada de trânsito de 89, do x em 98 , n x no orçamento de estado em 92 ao homem forte.

...

Serpente do kA de GB. O sinal de trânsito sobre o qual tinha escrito, que pelo vento se tinha dobrado com um L de pernas para o ar, é o sinal de crianças a atravessar, em vaso de fogo vermelho, da cruz que vem do lado direito do cimo do Y quando o X vira À direita e faz cruz e aparece o infinito deitado da casa que faz a cruz, da cunha, nas aguas, imagem da epal. 150 m, cento e cinquenta crianças!

Ontem telefonou-me a coelhinha a dizer-me que a me convidava para a sua exposição fotográfica na galeria 3+1 e assim fui. Raros são os convites nestes tempos e senti que me faria bem lá ir, apetecia-me viajar e é sempre bom ver arte, enriquece a única coisa que há a enriquecer, o espirito e o coração e assim foi.

No metro dos olivais ao chegar à escada, a da direita, que é a que geralmente uso a subir, fazia mais barulho do que a habitual e o barulho, que me fizera lembrar sirenes me levou a descer por ela e ao descer tive uma imagem a que chamei a alavanca, veio-me à memória a de arquimedes, não sei por que exacta razão.

Na parte superior da galeria acompanho o plano descendente, um friso de alumínio com quadrados de luz, é esse friso quebrado em seu meio onde está um quadrado de luz e cada extremidade tem mais dois em suas pontas.

O que me chamou à atenção foi que na perspectiva em que ia descendo o primeiro quadrado de luz que me apareceu, era em parte ocultado pelo friso de alumínio e assim parecia um L, ou seja comecei por ver dois ângulos na luz, o que é coisa estranha em si mesma.

E assim em minhas notas o escrevi, um quadrado em angulo em L em baixo de um rectângulo de prata com ligações aos dois quadrados do primeiro oriente num quadrado central.

Um quadrado em angulo em L em cima de um rectângulo de prata com ligações aos dois quadrados à direita do central do quarto da alameda,

Um quadrado em angulo L mais elevado à direita do bico da serpente A dos furacões, azul e branca da alameda quatro, m546 do homem A da faculdade de ciências, Chelas, da serpente che de LA, 1º e 2º dedo da mão que deitou o infinito doirado com tachas sobre o negro, da rodela da arvores cortada ao pescoço, da rodela do livro da arvore, referente à arvore cortada na rua do borja que já aqui contei, 5556 das pérolas rosas e violetas da linha do rectângulo das horas, rosa claro e prata do entrançado do brasil da irmã que veste stefanel do cinto das flores sobre túnica branca e calças azuis de prata, do cinto negro de anel de prata, nas flores negras sobre branco, loira do gino eco, das adidas mau mau da divulgação do caminho de sua majestade, inca brasileiro, do joelho ao passe de agua nas festas populares, arrest, rero olés , etiqueta laranja sobre vermelho do vai vem dos jogos de cama do edredon do solteiro, do andebol sete f 76, arroios, da fabrica dos pink floyd de oeiras, do rip curl, dos sapatos vermelhos das duas marcas no pé direito, preto, branco e vermelho dos anjos alemães, ori flame, da chama doirada, da linha negra do camelo que o meteu no bolso, o bilhete do metro, da caravela do sopro do intendente, serpente décima , do british tabaco dos snifs do rossio do chá vermelho no tabaco de enrolar do inglês da escola russa de esquerda, do pé do popo gio junior, do board do papagaio da guarda nacional do rectângulo de prata de tijolos dos pássaros raltres allez, scarborough fair be, na metro TV explosivos aprendidos em Espanha, dos ouvidos da estrela vermelha kali indiana, do rato do met, an6 p2, z3, duas aspas, o sétimo e o oitavo do olho direito da bailarina das meias russas da capa dos desenhos grandes, da visão dos três traços vermelhos, FC, da cruz nos homens pássaro da utopia, de 22 algazarra dos burros do SKA, do 11 de Sintra, vespa vermelha de Hermes dos dois anéis preto e branco sobre carris amarelos do A ral de tomar, é B da imagem, sx 8.80, pissara e filhos, onda de cor do santo galo de boliqueime, a onda do Algarve, polo go, Manuel seguro 15 ca 16, polo n homem, 3 mais 1, S. Luiz, a vespa negra ninja TT, RF 80 80 de n sustos a mim em 90/94, raio Z , gás 66 de 95.

E assim cheguei à exposição de fotografia e entre muitos, vi um homem que deve ter a minha idade mais ou menos e barba rala que me olhou com ar de me conhecer desde muito, mas que não se apresentou e tinha um olhar estranho nesse olhar e quando eu ia ao perto dele a passar, ia tropeçando em seu pé, e me pareceu então que ele me fizera outrora tropeçar, visto que desta vez não cai e encontrei a psi Manuela, que da ultima vez que a tinha encontrado foi numa das tais consultas com a Ana Paula valente, sendo que ela também lá trabalha, lhe perguntei isso mesmo e lhe perguntei neste perguntar de forma a que ela me perguntou porque, e eu lhe disse que não tinha gostado nada da Ana Paula, que estava convencida que fazia favores a terceiros, que o que lhe valia é que não tinha ordem, mas mesmo assim tinha apresentado queixa, e ainda estava a espera de desenvolvimento e que achara aquilo tudo muito estranho, sobretudo chamar-se o grupo de gnose, que não achei lá nenhuma, mas que enfim todos temos idiossincrasias e me disse ela que agora encontrava sobretudo os amigos em cemitérios, e eu lhe disse, que sim que era milagre, acordarmos todos os dias, e por isso devíamos sempre louvar, e mais não disse embora me apetecesse dizer e passou ainda outro rapaz por mim, mais novo e bem composto que esteve assim uns largos segundos a meu lado pertinho e não me olhava também e isto foi mais ou menos a suma dos estranhos, de resto foi muito interessante e estava gente muito bonita, assim a meu coração pareceu, sendo que a Manuela também não é feia.


A saída em frente ao são Luiz, nas pedras da calçada vi mais um circulo vermelho com um ponto em seu centro como um alvo e tinha a seu lado um F e um H e um risco sobre as duas letras, um vinco fundo na pedra na estrela, o TT, no centro negro de quatro losangos ou seis se contar com os que tinham os pilares em cima e que faziam por assim dizer de moldura à cena do vestígio do crime e olhei para o cartaz que está na fachada do teatro e me apareceu nesse numero o nome de Bernardo Sassetti, com dois Ts.

De volta no metro, vigília total, esquece o bronze, as cores de, seis SA JO do vaso do rock em rio, vó, stradivarius da visão do sol, as cores de verão , branco verde e vermelho, serpente minha em 98, rui, rato 5 da vesicas do oriente no pacote da páscoa e encontrei no banco que me sentei um cartão da major league de baseball, que comigo trouxe e tem os clubes todos que lá jogam, congratulations e desenhava eu um X num quadrado, tentando lembrar-me desse desporto que não bem conheço, se as trajectórias do movimento faziam um x ou não, e moedas de alguém que ia mais à frente rolaram pela carruagem fora na direcção do movimento do comboio, as gentes se levantaram para as apanhar e devolver, e ouvi ainda o homem que chia o auto tem argola desenhada na orelha , rato da maria 55, lo 552. Também ouvi na viagem que o grupo é o grupo dos cincos perversos, mas a palavra era mais forte e clara em seu dizer, quando pensava no Luís e no António e que o Sassetti seria ainda pequeno aprendiz, se é que é do mesmo grupo.

Hoje na tabacaria uma moeda me rolou no chão, em cima dos quadrados brancos que se disponham em losango face à posição onde eu estava e que parou sem seu rolar ao lado de um dos ângulos, o que estava mais a baixo, olhava eu um bico de uma produtora, a do José nuno Martins e depois desci para o rio e li, o gasoleo da cruz no centro das palavras cruzadas em 99, da inversão do vaso de pan, n gritos silva, IT da Baviera, vaso preto e branco, a 6, raio x ao vaso da serpente e homem CE 12 dos computadores gráficos, ou dos gráficos computadorizados

Três traços do vaso de 2000 na GB, pomada Lun, rádio em Espanha do gt pi, rato sete, do os 96, ao 41 do dia maior, competição PP, preto e branco ca ao 18 do sete construevel, da construção do evil, vil, ao 34 b homem, o sexto inglês do quinto, ou em 05, 99, duplo humano, do vaso z da BA, HD, alta definição do good rich, luz do angulo, Om francês, ro da vareta serpente quarta, zagalo dia do currículo 24 em 95 jj do 52 32 do vizir 91 a x, 12 A.V. 88, hd good rich, diário da Sofia, chá do susto da serpente LC da maça invertida, tem mais em 95 a mim, 82 Bo, pi 21-17, bpmbeiro voluntário 63 x j, vaso L de 87-90, ao leão 42 34-zz , casa a mexer com, zi, zagalo maior, oitavo do terceiro da CE do 99 ou 69 da vareta na maçã invertida do circulo das crianças, Bo primeiro do anel em segundo plano em 78 aqui, da chaveta sexta de boliqueime, 83 é zagalo em 78 A homem vinte e dois, homem x zagalo zenão da caixa do c dos xis, vaso 8 de 89, internacional cronopost, SS aceleração do p x, oi, Pu 82 do 23, 74, 26 jj, bx 73, 11 de 91 daqui do pó, 65, 82, id, Ra do w auto rac, xf, grande prémio, touro ux da tampa superior do x az, fnai 87, zagalo dia do noventa quadriplo do vaso J 18 em 7, 95 ao 71 anacom, fn jh 09 xd, 20 D.B. 05, chia o PE, silvo, DC, DC 38, junior, ed., quevedo 74 lx, PC 38, 99, 61 Pm castelhana, vaso j oo 79, serpente da asa do telefone cronopost dci100, o 1 de 80 do IS do vaso que deitou o cimento, che 52 turbo diesel, no jumper de caixa aberta na piscina do parque infantil, restelo, 3, ET, q pal dos ladrigessos da escova verde, 36 DD de 56, de prata e negro do recife metal , desmantelamento, do bp de 81, 63,33 o gato stracker, 35, 93 pj, 37 zagalo da serpente, olivier e benji a caminho da glória, o barão zagalo serpente da global car do Ricardo II. Do smiling do vaso euro sul, boilebong de 78 , vaso sete corsa serpente do bastão 59, 84, L T da serpente che ob, serpente de todas com ponto, águia, serpente zagalo, comboio verde rápido, que foi cadelinha em 94/98 BE, único 19 daqui, 68, js, xb, 8 48 rn 6 n, 57 00 60 01 lb, vj quarto, 12 de 82 também, 54 de 77 vaso C l3 ax vaso sete, neo farmácia chip sete, j. Pinheiro Rá, raio maior serpente homem sete, XX swing aids branco, id do raio de 87, amarelo e preto Zacarias 74, 37, homem ri do os 98 xl, xi, si, emnl, br 77, 76 Pb vz 87, 81 do primeiro do quatro VE, doze do BR 99, OB, ro 92, RT.

C hi o , o homem AA EN, o cavalinho, par da titi on, from carneiro serpente foice bordão villa love, do ninho das vespas, que é rato LE do W I de Espanha, da org. do general e do angulo w cy, D re do y homem , da crista da maria, serpente holandesa da india

Olho de Osiris a chorar, é angulo da serpente do Y e seis, dois pontos do vaso serpente terceira que liga a chaveta da vesica transalpina BG 66 do vaso A, o 2 C H, que fez tilt.
Ficino, pacioli,

Com sol o men tum


O segundo C do U, do lado esquerdo inferior.

Ur gato do circulo; o JJ AD OB JS3 ao angulo na B3 S AP BD S N9 VI 3 AA DU IA do acento acima da vertical, traço vertical sobre lua crescente, no vaso invertido, ou semi arco s ap nj ÍÍ f 187 e j bc9e ´studap sauí cia cru dp do dinheiro inglês.

Quadrado cml s lat b125 esgoto np 124, gato maior morto cinzento no chão da rua no ponto próximo onde em dia anterior estava um preto, che edi fer 74/82 px- T ur sc db 75, do golfinhos gratinados

Paulo portas, Mário soares, belmiro Azevedo, Paulo Teixeira pinto, cristiano Ronaldo, António guterres, seis dos onze do circulo da senhora macbeth Íris.

Os outros para já, me escaparam no ralenti, esgoto a correr, ouve-se agora, e lembrai-vos todos, o Perfeito e o Perfeito São Um e não onze, mais não terei de dizer!


BF serpente de Dezembro, beijo serpente à maria, LC PA R 9, angulo de contacto da Pa do ar ou da ar à humanidade, JF ISA B el poncho, kapa, da Tina de LA, pá euro felix, cia, oto carros sistemas de informações, da maria A.V, maria Elisa, de serpente n cão, do BA, TE, A OT A , CO Maior AP e rato DI, 60 + A do bico Ne, MM, ais, UMA, NO, TAPA Rá A OTA nono EU, RE, serpente A OTA, UA, IAO, TO TTA, 20 pal BR às, CC Castro CA, Rá, jó, Co ME, Re, mo serpente 9/11, ca rato Ne, estúpido, C e rato Co man mandante c as T rato ro, a Co do mo c da ua da ar ac do ar, jó, c vaso za coronha Co mo do man c L os ca br, one serpente com milones a el Co mi té cent ral, com uni s ta Cu Ban O ca br ron

A serpente dupla AA das linhas do vaso do quadrado da maria AA cão, da SA terceira, a co do mo, vaso A do tilt das linhas da cobra 1, 50 do tilt pequeno do angulo deitado do 300 escudos portugueses, macaco da serpente ar das serpentes Lu, lu c, serpente ro da se o rata b dos tios da eu, c on ti, nua m, a te rato, serpente do terceiro tilt no aro da passa do vaso c T da divisão 40, te mo serpente do vaso ar us che da serpente europeia, os Ban, co serpente c on t ra ta re mm ais, pe, dupla serpente, todo pá, Ra, os ba lc ã Y es, en, t, r, gear, dos ossos c art ã vaso Espanha, a dos mil tilt da serpente homem a, tilt do bit, to, dan, do T, es, vaso c a tilt das libras, o que ouvia e vaso ida, da fun, do cio, da nove ma na maria es má, n triângulos tilt das libras e rato ra, homem, je, no dia d, e xis tem pays shop s em to, dia AA, a rte, pa ra as dos di T as de serpente pe sas, eu, dos ais da Ag dos avos de p, At ra, vaso tilt a co py right serpente vaso ar, serpente de um l ti ban co que eu m, ise rato le t ra serpente be m 60 r d as e re inca meu he, pa ra , raio maior, n a tilt, primeiro, meu ro do pe ss o as, às sin a microsoft, negro ecrã, que arranca a pet, caíram ao momento11 beatas em cinzas no chão, à dupla serpente dos livros do pequeno com t ra, rumi axa serpente da um do meu banco e pa ss a a in for má ss à zo lo, pa ra os meus contactos, da pet ti on on line banca tms e xe rato ce , o meu di re ito ã in di 6 n ãá, dupla cruz, ã, o ã do percentil uma ss un to nove eu in Teresa, a asa to dos n a tilt da terceira serpente, a ss ina tam ã co py right serpente! Sakira google da ar a turca, o 2´1/ do sé-o, pereira faísca, eco Humberto persona

Caiu granizo grande, o mostrava o ciclista em suas mãos
Solistício de verão 22 junho

Ao que parece não eram bem vampiros mas se calhar vendo bem são, da telelele cinco, a bela actriz má má, então, que dizem a minha amada com ela ser parecida, e mais um verde verdete senador, entre outros, quase que me dá ganas de ir apertar uma cobra que eu cá sei, por isso aconselho que tomem medidas para essa gente parar.

Ah Amada ciccolina, que ouvi eu em espirito que gostava de dançar, nada contra, sempre a achei muito bela, tem uns belos olhos cor do doce mar, e em amor a trago e razão tem em dizer que os Seios são sempre leite de Paz, assim sempre deverão ser, que todos os seres deles se alimentam e deles vem.


Ah amada, relia o texto da menina do olho azul e chegara a sua quarta página, o sal da ua, segundo agora o espirito me disse, que começa a falar de dois encontros com a menina de vermelho no jardim da estrela, o caso portucale, a pegada que o espirito hoje me dizia de seguir e eu lhe perguntava, mas seguir o quê, a quem que eu não sou de seguir e nem mais cão tenho como meu amigo e os dias vão sem ele passando e eu sinto em momentos a sua falta, como se cá estivesse em corpo, ainda, depois lembro-me que já partiu.

A menina, a senhora de cabelos grisalhos que estará em sua retaguarda, o senhor ex. ou actual secretário da agricultura da rua ao pé do ouro, as arvores de cortiça abatidas, que servem para fazer rolhas e rolhar, os três ex ministros do anterior governo, os jogos de verão em cama de casal espanhol, eventualmente as vagas de grande calor que afectaram a Europa, onde muitos em número anormal se foram, se bem me lembro especialmente em frança, ou do imenso frio na Alemanha onde se viu comboios militares a funcionar para o apoio às vitimas das chuvas, a carga de atocha e a desgraça, o sósia de tom waits, os dois veteranos americanos, D Pedro quinto, que é mais ou menos onde a menina de vermelho mora ou morava, uma batalha, oto, us, Londres, camelos, José Manuel seguro, Rogério da ordem dos advogados, lisbon festival e América latina, quase o mundo inteiro está nesta página ligado.

E contudo já há mais de uma lua, durante a noite, ao passar o comboio de mercadorias em Alcântara me dera conta que o assunto maerk, relacionado com a América Latina, estava resolvido e vejo neste momento da escrita o presidente evo na tv, numa conversa sobre terrorismo, pois seu nome estivera numa lista e se calhar ainda está como potencial desviador de aviões, uma história sem pés nem cabeça, como pergunta o jornalista à senhora com quem fala encarregue dos assuntos de segurança das listas dos passageiros de aviões, onde já estavam os nomes de muitos, quase todos que apareceram, depois em sua aparência envolvidos nos choques contra as torres.

Curiosamente o seu construtor não foi capaz de provar em tribunal que elas tinham caído devido a um ataque terrorista e, mas lhe foi feita promessa para nova construção.

Os dois círculos do infinito se interpenetram desenhando uma vesica em seu encontro, cada um dos círculos é suportado por seis arcos dispostos em duas fiadas verticais e por debaixo deles estão dois círculos, esta é a estrutura central contida num vaso celestial do ciclo lunar, figurado com três fazes decrescentes, um pleno, dois crescentes simetricamente oponentes, e no outro lado do vaso as mesmas três fazes decrescentes

Esta estrutura que se organiza a partir do centro de cada círculo maior que se interpenetram, e repetida numa outra fiada exterior à primeira onde as figuras possuem todas maior tamanho.

E ao recapitular os eventos acima descritos, cheirou-me a queimado, um cheiro queimado estranho que não identifiquei.

Um buraco foi feito na lua decrescente quando está em metade da cheia, e o fogo fez um buraco no centro da cruz no terceiro vertical e terceiro horizontal em direcção aproximada, a sul, do laço como anzol que do Y liga e laça o H, dos círculos de prata que pelo éter, dão a volta ao mundo, ligando-o. Não pagamos perdidos e achados, dia a luz que se transforma em carro, do espaço da visão do glutão da publicidade que come em todos os clubes, TV da vesica francesa, chiou carro lá fora, ao momento, 63, 65 mais ou menos das vendas tv, do rumi do vértice superior do vaso da maria do carneiro do apostrofe da serpente ourobos amarela de ibiza, laço que parte do lado direito vertical do H, curva no canto inferior direito do T e passa ao lado de G, cuja ponta fica entre os dois quadros, o g e o h , sendo que este laço é púbico e serpente do W de E, o que queimou o euro, ex It da vela do rectângulo vermelho da pá da massa do chuto ss da terra de nome parecido lá do longe.

A ver vamos, se não pagam se tiverem dívida à Vida!!!!


Recordei hoje por associação com noticias a ida para Moçambique e uma passagem fizemos antes pelo alfeite onde filmámos e almoçamos na messe dos oficiais, muito bem recebidos, era a memória que trazia em mim, agora surgiu-me ao isto começar a escrever, PP, mais uma intervenção do Paulo portas, ao que parece, e portanto de uma relação que se estabelece via sara Miranda, filha do Miranda do PS, que foi administrador da R.T.P., mais uma vez a santa nada santa aliança transversal do que me vinham até a bem pouco tempo a crucificar nesta terra de Deus

E uma outra data me apareceu associada ao alfeite, a da ida das meninas da clara e minha em cabo verde e a morte de duas crianças no antigo asilo que serviu de casa a gentes pobres durante tempo de mais, tempo demais porque um dia , já guterres lá tinha passado em campanha antes de ser primeiro ministro a prometer alojamento e no entretanto um telhado cedera e duas crianças cabo-verdianas perderam a vida. Era um antigo salvo erro sanatório que era pertença da misericórdia, provavelmente na alçada da maria José nogueira pinto.

Para além das meninas fora também o felix, que hoje me aparecera numa leitura em espirito, relacionada com as grandes desgraças em Espanha, que se bem me lembro já aqui dele dei neste Livro conta, e me recordo de uma das ultimas vezes que o vi, no s. Luís no dia da dança, quando de se abandonou a homenagem em nome da Mónica e se substitui por Alcântara grafado com K, alkantara e me parece à luz de tudo isto que a queda do telhado e da morte de duas crianças terá sido o eco da assinatura da maldade que terão feito à Mónica e se calhar a mim também nessa altura lá, com uma história que aqui narrei e que agora me parece também ter sido um atentado montado, pois a mim me recordo por consciência activa de o terem tentado em duas vezes anteriores que lá estive, uma no mar, outra com um doença que me levou à cama, coisa muito rara de me acontecer e onde depois no tratamento dela conheci por intermédio do vicente borges de Sousa, o humberto da clinica persona.

O angulo do alfeite, olho antiga gravura francesa pintada do alfeite com vista sobre o Tejo e Lisboa e reparo em duas paredes erguidas no vale, fazem um L com quatro arcos numa dela e mais duas na outra. Um angulo de seis, um L feito por seis semi arcos.

A tropa, a SA má, e me recordo do jantar com os comandantes, do quente da questão pois o documentário iria abordar questões susceptíveis e eles mostraram interesse no almoço em dar uma ideia de gente limpa. Tratava-se das chamadas mascotes, de meninos que eram apanhados nas incursões da guerra, e se tornarem mascotes dos regimentos, e não foi caso único, o que tratamos, muitos mais me chegaram aos ouvidos, lá, como de costume, mais um assunto quente tinha vindo parar em minhas mãos, parece o tal hábito das irmãs que o tinham do pai de enviar o gato para o meio da porcaria para a agitar para além de gostarem de assar carne em lume brando e demorado

Ostra, jantar de ostras, ba batalha, nelinho, menino nelinho, uma famosa caricatura do hermam josé inspirada ou remetendo para o que depois fora primeiro-ministro, o guterres

Na madrugada, a bela actriz lucy li visita o Congo onde a guerra faz dois milhões de mortos, maior parte deste número, são crianças, Meu Deus.

E me apercebo que um pico com cabeça verde está na vesica apontado a um pássaro da família dos colibris do Japão, e me começa a subir uma irritação, pois não gosto de ver nenhum pico apontado a nenhum pássaro.

O pico apontado ao pássaro do Japão do circulo de prata do canto direito de baixo do rectângulo da cor das claras azeitonas, por debaixo da farmácia dos alquimistas da menina que beija a testa do menino com cão e barrete, do circulo do veleiro, o rp da coronha da espingarda de repetição do homem serpente do P, A.V, dos presentes e da caldeirada, sendo que diversos são os tipos diferentes que elas costumam levar.

Desenhou-se um estranho reflexo de luz na parede como um sete espelhado em seu eixo vertical, lá dentro a silhueta do que poderiam ser dois seres lado a lado com seus ombros encostados, por baixo dele, que será donde vem aquela imagem de luz, um vaso branco alquimico com a arvore da vida, um caule ascendente com um folhas em cima, mais quatro para cada lado e nove flores frutos distintos no permeio delas, nove pétalas e nove frutos, por baixo do vaso que é como abajur, um outro vaso de prata, com o ovo azul em seu centro rodeado de cinco rosas brancas abertas em flor.

E mais abaixo ainda dos avós sufi do machiu pichu, doa avós das cinco luzes

Do quadrado do espião que veio do frio, por quem os sinos soaram, o cão dos bas K e r villes de pan, da esfinge da primeira guerra mundial, do vampiro M jones olin, dueto de feliz acaso do efeito do defeito, o homem do sino disfarçado na casa de malta, ovo do mau passante do jogo da morte 60, do vaso de cobre dos leões do vaso alquimico de nikos , liberdade ou morte, que vem da história de bertrand russ elm pequeno, o laurent me vem À memória, da enciclopédia legal , o fio preto que sai do amarelo, o marcador, do, este livro que vos deixo do hexagrama do cão e do pássaro, carlos selvagem hipo, do Portugal militar, da vida privada do império romano, do serviço holandês, olho o serviço de chã e no bule vejo ao momento o meu reflexo a escrever estas notas, do oitavo ao decimo segundo vaso castanho , amarelo e azul, do vaso de vidro de doze bicos como picos, do chá dos ramos do angulo 15/ dto entre a quarta e a quinta tabuinha do quadrado entre agra Be e o triângulo do vaso da rosa grega de prata da roda da vida e dos dois labirintos em quadrado da fotobiografia de Fernando pessoa da imprensa nacional, casa da moeda, de sete a onze e de 11 a 20, das obras completas do lar da águia dos melhores contos portugueses do vaso do sufi.

São três os sufis a dançar e fazem entre si um triângulo na posição de fogo e estão um pouco à esquerda da arvore da vida, à sua direita, dois vasos de vidro com quatro pontos, um azul, outro transparente, visto de cima parecem botões, desenham em seu todo os elementos num só plano um L, espelhado em sua vertical, com o circulo sufi com um acento

Franceses do alfeite, um prego no friso da almofada da porta do lado da chaveta do forro sobre o circulo na madeira por de cima do altar dos riscos azuis e brancos do fcp do avião da casa de porta de bambu, do joma que pisa o pé propositadamente e cuja equipe ganha a taça, do azul do mar da ...vermelho sobre azul, 161, vermelho e verde das docas de san t os, verdes e azuis de dois moinhos de grãos da gravides do angulo dos dois traços vermelhos na gaivota do homem serpente josé na ribeira da glória, nova nec , na limpeza do pescoço, e do choro do olho de osiris, das cadeiras de rodas que se cruzam como os sapatos nos mosaicos de telheiras, da sístole e diástole azul, 4,10 no rectângulo do infinito deitado , ou seja na pressão dos dois círculos, dos triângulos do olho do pavão, a cicatriz na testa , no centro a vesica que abre para os dois círculos, com seis semi arcos, três a três lado a lado e depois em baixo de cada circulo, dois anéis

Homem do hospital de santa maria, agora me lembrei, o que me atendeu, um que era psi, e que achava que eu estava louco, disse-lhe que não, que me tinham tentado enfiar a carapuça e o rotulo e assim foi, dei-lhe inclusive o nome de quem o fizera


De manhã um grupo de mulheres nas Filipinas se tornou cooperantes e fazem malas a partir de antigos jornais, que lindas são, custam um dólar e meio, as louvo nesta bela manhã.

Meus Amados Astronautas, que belos vos vi hoje em foto, cada vez que voais em voo com vocês e hoje assim vi em particular pormenor de relação e muito alegre e contente fiquei, espero que a vossa volta se dê sem problemas de maior, é meu voto a todos vós.
Às vezes fico a olhar o céu a ver se vos vejo.

Ontem de noite a caminho do rio, uma grande estrela vi no céu, brilhante do tamanho de meu dedo, direcção norte, nordeste.

Minha Amada, Amada Minha, que as Andorinhas Tinham Partido Há Já Dias Quando o Vento Forte Se Levantou e Ontem de Novo Voltaram e Meu Coração de Novo Se Acalentou.

Os Pardais, esses sempre me fazem companhia e me mostram coisas, que Belo É Nosso Amor, Que Belo É O Amor, Que Bela É a Língua e Linguagem Una do Amor, da Luz do Amor Amante.

Ah Amada Minha, Minha Amada Mais Amada, digo eu de mim ser burro e cego nas vezes, e assim nas vezes me convenço de o ser, pois não ainda te encontrei e ontem liguei a televisão e vi um documentário sobre o novo srek e lá vi a bela Cameron, que está loira outra vez e faz de Rainha Fiona, e depois vi aquela bela equipe e sua bela forma de trabalhar, muito gostei e muito os louvo e viva sempre o Shrek e seus amigos e Sua Bela Amada, Serás Tu?

Marilia gabriela em Lisboa, a fazer de lady macbeth, que bela senhora com face de fauno e voz quente, profunda e doce, ontem philips glass, compositor e músico muito amado desde longa data, morente também, e os bilhetes se vendem e não tenho eu moedinha para os comprar nem convites recebo, que movida esta cidade na chegada do verão, saudações do Solistício, Minha Amada, Amada Minha

Que bela cantora cabo-verdiana com voz de mel e belos e bons músicos com ela, cantavam e tocavam Lua, sua graça Myara Andrade

Sá agora percebi para que dois lados me diziam de olhar, vou ver se olho amanhã para eles.

E agora me apercebi que as Pedras Rolantes estão cá em Lisboa, Bravo!!!!!
Razão tens amada na pergunta que pões, haverá então outro do outro lado da linha que se estabelece e se repercute no outro lado do mundo onde se espelha, seria a primeira dedução lógica da imagem e do seu reflexo, contudo podem existir cruzamentos no permeio de dois pontos, imagina a existência de um espelho no meio de dois que estão no que parece ser o ponto de partida e o eco, onde esquerda, daria direita no intermédio e depois esquerda, ou seja uma leitura que anula a cruz e faz de certa forma a paralela

Ou seja existem sempre muitas variantes possíveis, o mesmo quando aqui dei conta do desenho dos dínamos, pois muitas combinações são possíveis para se chegar, por assim escrever ao dínamo da estrela e da dupla unidade, que é um mesmo sem necessariamente o ser.

Dizia o espirito, antes de ir à caixa, espera pelo segundo eco, ou seja, o aparecimento do ponto terceiro que corresponde a desenhar completo o desenho do vaso, antes do quarto que fará a cruz

E vi agora um num país próximo, no Líbano, seis mortos, a inversão do nove, que junto faz noventa e seis na sua ordem de expressão, donde o primeiro ponto neste caso terá sido charlestown, e corresponde a uma dupla inversão pois trás o nove à frente seis, e sendo dupla, então irão mais pontos se expressar, teremos um total de seis pontos que se corporizarão, em dois triângulos ou seja a partir da acção de dois triângulos que estiveram em sua base e estarão nas próximos duas manifestações.

Andava na minha cabeça, outra hipótese.

Vejo agora o Paulo portas na televisão e me aparece, o ronara, o ro na ra, ou, o ron da ar a, na minha escrita

Razão tem no que diz em sua forma geral, sobre a ota, sobre as ecografias que pelo regulamento não se mostram à grávida

Disse também com sua face de quase virgem ofendida que não era de fugir às responsabilidades, mas recordo-lhe que até hoje nada ouvi em resposta à sinterpelações que neste Livro da Vida lhe forma feitas, sobre o seu patrocínio e envolvimento e mentor de diversas acções que visaram me prejudicar, mais um com dois pesos e duas medidas, com a agravante de ser inteligente, o que é uma pena quando os seres que a tem, não bem a utilizam, é maior o pecado que a outro menos fadado ou menos desenvolvido, num sistema de ensino que não respeita das diferenças e procura e está orientado para uma pseudo normalização.


Em mim uma memória emergiu quando das buscas, as que foram feitas com base na indicação que veio de um país europeu, mais ou menos numa direcção que no inicio me tinha já aparecida e que aqui dera conta.

Uma tarde de verão, seria noventa e quatro ou cinco, e foi a primeira e única até à data vez que me lancei em asa delta, acompanhado, de uma falésia da costa de sudoeste, depois de passar a carrapateira, é uma praia em que a estrada desce para um vale ingrimo e tem se bem me recordo um restaurante com esplanada do lado direito do acesso à praia, já na areia, na zona de transição da falésia.

O encontro fora na aparência fortuito, e dera-se quando eu e a cristina parámos num café na vila de bispo. Estava um grupo de estrangeiros, creio que ingleses, que habitariam em lagos na esplanada e já não me recordo bem, mas com eles nos sentamos. Estavam eles com um homem novo português algarvio, que era instrutor de asa delta e acompanhado pelo seu filho ou filha. Foi à casa de banho e quando voltei, algo se tinha passado à minha curta ausência, assim o sentiu a minha intuição.

E a cristina perguntou ao homem se podia dar um salto e assim nos enganchamos no grupo, a cristina é uma mulher muito perspicaz com grande conhecimento dos homens e da vida e me recordo de ele ter reparado na estranheza da relação do português com o filho, ou filha, e de ter logo percebido que era um homem que tinha tido problemas com drogas pesadas.

Depois fomos até um sitio com dois montes do lado direito de uma estrada recta, depois de andar uns poucos quilómetros depois de passar carrapateira, em direcção a norte, existe uma outra praia com uma estrada de terra batida com alguns quilómetros, que sai à esquerda da estrada nacional e continuando por ela, passa-se à direita uma casa térrea abandonada num atalho em angulo a ela e depois se está nessa recta, que é acompanhada por cabos eléctricos do lado direito da estrada onde existem campos de cultivo. Pois era desse montes que se costumavam atirar de asa delta e assim subiram, o português, eles, alguns do grupo estrangeiro e a cristina, eu fiquei cá em baixo com um deles, me recordo de ele me ter oferecido uma bebida. Aquilo demorou tempos sem fim até lá apareceram as asas, depois arrancamos para a frente e lá saltamos eu e ela com o instrutor na falésia que dava para a tal praia

Sempre senti em mim que algo de estranho e pouco claro ali se passara, e me pergunto agora se aquele encontro terá sido fortuito como parecera na altura, e me recordo agora de como é que fomos parar ao grupo, o rapaz atirava-se em salema para a praia onde eu e a cristina estávamos, foi lá que ela com ele falou e se combinou a tarde, recordo-me, que fora estranho aquilo, pois rasara ele o telhado dos pescadores e tudo aquilo me parecera perigoso, ou seria vendo-o agora da distância, uma marca combinada de reconhecimento, e existe um qualquer ponto em lagos, que está ligado a duas mulheres que viveram à vez comigo, já na rodagem dos factos de banho, uma manhã, ela se desenfiara da rodagem para na aparência lá ter ido, não me recordo com quem mais ao certo, provavelmente um dos escritores da serie, um dos das cruzes canhoto.

Algumas vezes que depois passei nesses montes ao voltar para Lisboa, neles parava a sentir o que se passara, mas sem nada descobrir, parece-me à luz disto tudo, destas fortes sensações de enigma, um lugar para ir verificar.

Apareceu agora o outro ponto, na china, numa situação de fogo, uma varanda em L , uma lamina que cai, a escada do bombeiro, o homem, preso à corda cai, e fica preso com a sua roupa interior vermelha à mostra, o vermelho do fogo

O homem do vaso dos bigodes franceses, em gaza, foi-se

Parecia uma folha de pauta de música
Assim parece ter sido mais este, o caso, neste caso.

os dois homens do W que comprimem o vaso da maria yo do pu , b da maria da ce do humem do vaso da serpente
pj serpente ro do c lo , serpente rato de goa



Ah Amada, que hoje, acordei muito cedo e cansado me deitara, mas são assim meus horários como sempre um pouco o foram, soltos, o que não quer dizer que eu seja irresponsável perante os compromissos, quando os entendo e quando fazem sentido

Nunca gostei de ponteiros de relógio, nem dos tique nem dos taques, dos sinos e dos dobrões a darem as horas, sim, mas a ideia de um metrónomo a marcar de forma sempre igual nunca foi com a concentração do pensar, é sempre algo que tende a distrair e a vida e o viver, é agua fluida a passar, em movimento continuo e eterno sem pausas, sem marcas que marcam nada.

Estava bela e luminosa a manhã, sai para a rua naquela hora em que ao domingo ainda não há ninguém, todos dormem um pouco mais, ou estão em suas casas com suas famílias e seus amados a tomar pequenos almoços mais longos e tranquilos que durante o ufa ufa da semana

Devias estar perto, pois tudo era luminoso e paz e fui sorrindo com as pombas e as andorinhas, quando passei frente ao condomínio do maltês, meu pé escorregou no lancil em cunha, para os carros galgarem, depois mais à frente, uma cassete de áudio com a fita de fora toda amarfanhada, e ainda tribunal constitucional e fez-se o sentido, dali viera a cunha de acesso às gravações áudio e ou vídeo minhas, que teriam sido levadas a tribunal, qual deles, tanto faz, sem o fazer, pois existem uns mais visíveis e outros menos.

E diz a lei dos homens que entrar em casa alheia e daí coisa levar, não é de fazer, mas tal não desdita que assim aconteça.

Atravessava o jardim da estrela e lá estavam de novos os artesãos com suas belas artes santas feitas à mão em peças sempre únicas como cada beijo do amor, em exposição às gentes e ao Sol, eu meio dormindo em pé, como sempre vou quando não durmo tudo o que preciso, como se estivesse a funcionar a metade, ainda mais cego do que sou e bastante mais lento e pensava, se estivesse a teu lado, se estivéssemos à solta os dois, te convidava para uma sesta de abraços abraçadinhos em alegre e doce ronronar.

E de repente dois homens quase se pegam, um que tinha uma banca e outro que fotografava, dizia o da banca que o outro não podia fotografar assim sem mais nem menos, que estaria o outro a fotografar os objectos e que ele, os tinha registados na Sociedade Portuguesa de Autores, quanto isto se dava e não dava e eu ia passando, uma bela Senhora de uma outra banca em seu mover, destapa por um instante, a sua bela anca, Ah Amada, que saudades do futuro tenho eu das Tuas ao perto nos dias, a vê-las assim e no espirito se deu sentido a mais uma frase, da anca da SPA, da perna, do apoio, ou com o apoio da SPA.

Curioso, andava eu de novo com a SPA na cabeça, desde a ultima vez que lá fora, à duas semanas e me recordava que da penúltima vez que lá estivera, em tempo recente, enquanto esperava na recepção, passara por mim, o maestro Osório, que me cumprimentou e me perguntou, como iam as coisas, e eu logo lhe respondi, que não iam muito bem, que quase há dois anos que mantém de mim afastado meu filho, e logo ele se afastou, e eu quase que estive para o agarrar e dizer, o que nas vezes me apetece dizer, quando as pessoas perguntam umas às outras como vão, por mera cortesia oco, que depois quando se desenrola nas vezes que assim é, os problemas, logo se afastam.

Apeteceu-me pará-lo e dizer-lhe, então para que perguntas, porque em vez de te ires embora, me ajudas? Disse-lhe ainda isto mais ou menos em seu movimento, cansado estou de hipocrisias, nunca gostei delas.

E ontem havia jogo de futebol, com a Bélgica, já no dia anterior tinha subido à consciência, pelas palavras que tinha recebido de minha amiga e recordei uma visão nocturna ao pé do hotel D. Pedro V, do muro em frente com os belos e complexos grafitis e um mupi que tinha um prédio feito como uma colmeia, em hexágonos e de uma história que o espirito desvelou onde me apareceu um Osório, um Osório AA, um Osório AA que estaria envolvido em histórias de difamação, de invenções sobre mim, quando da minha estadia em Bruxelas, com chocolates no D Pedro quinto e histórias bem mais negras, impressões que me impressionaram nessa noite, onde vi um avião a passar com quadrados negros grandes que mais pareciam buracos e cheiros e sabores na Rússia, que aqui em altura próxima de seu acontecer, deles dei conta


Spa, café da serpente Ra da primeira vareta que espeta a um do vaso, serpente da inversão do... SS B, ponto ET, eta, cam , vaso A do angulo da inversão que tapa
O triângulo de Alá, o 9 do sexto da Maria, o compositor M 322, alvalade, a Meyer?? Mac grave hill, a psicóloga, , a primeira, ou a segunda que será mais a primeira,
Ana Paula, do Saldanha, a estrutura arquétipo do quadrado, feito por canto cantos separados, quatro ângulos de cujos vértices partem setas para o centro, no desenho da capa do livro, o símbolo dos quatro cantos que fazem a pressão ao centro.



O desenho da serpente de manchester

dois circulos um por cima do outro, quatro quadrados de permeio, doi circulos na outra extremidade

Um milhão de crianças inocentes na net

O sal da Ana da passa na forca, a serpente que se liga ao Y e faz sair uma foice dirigida a C do carneiro, da faca do sport do metro M 513, nos azulejos, um casal se beija, Martins correia em picoas, executa-se a pedra na mala preta das comunicações kA 38, do jogo de ténis, c, com a, c e a, comunicações na véspera do natal, com Itália e GB e USA, etic come o sapo, com chá verde e cogumelos, o grito dos cogumelos em Paris, que o toiro vê a menina nua que sobe ao cavalo

O RR Rá Ina ...,... Ice, Ana = LU, do vaso italiano ao vaso, das duas setas de cima do botão que dispara, foz do L de baixo, wally pôs cadeado na serpente do auto falante, o marado, zé e a puta 5012, era cia, óó, ice, max ell ro Manuela, ro mara mafia 2 rff, sai seta ao homem, IT, nu. Ze r fx do quadrado da coordenação da agua no espelho de agua das duas portas das caixas negras, dois buracos do duplo quadrado da boca que morde as cordas e os U do sistema de válvulas do SI, do comando das válvulas, ES PB, avei..



Z no vaso da ala D dos ares, da serpente vermelha FA metro kA ES da vareta e do tambor, danone puro, oleira das pancadas grandes, eira auto ES TRO BAN AK, bio color frágil, SX pré eliminatória, rodelas lisas, ecstasy, fabrica real pancadas na linha dos aviões, euro alemão, ant. F do neto da formiga quatro da linha azul do vaso maior, do avião do triângulo de fogo do 66 ZG LC , estrela santos o vip, gype, ou gato do y do PE, zi e 6, k de dois traços, rt estremadura dos pneus kleber, tigresa SA do dia Z, m 9 L de SM ,BL TD,

A primeira seta de prata vermelha do bico do pássaro à cabeça da esfinge, o que saltou primeiro o vaso, da tríade da palma de oiro invertida sobre o mármore

Trespasse do mickey destino rato Coutinho, min...., c homem seis, univers, quatro pontos em quadrado, ta, ria, os quatro pontos, os quatro Ls, os quatro ângulos, os quatro pontos dos ângulos que quebram a esfera, tu cruz no circulo A , olé, ouvi agua, lobo kA F » desk, vaso,... ES, K, LO, B, grafado com dois triângulos em vez dos semi círculos e duas setas, uma debaixo, outra de cima, o abkn4 k, do carro que caiu na estação, é ponto da carambola do eco, da língua da dor, no espelho do telefone
....

etic, cartaz com o magnifico e edificante lema, prepara-te para a vida real, que é a pancadaria, sublimar apelo, da rapariga das luvas de boxe da avenida de Roma.

A Maria Mac, Macau, Joaquim do ness, o quinto do sexto do yorkshire kings, do vaso que verte dos quadrados e dos leopardos da pele de serpente do chá vermelho, do poder do chá vermelho, foice in IS AA, pá, H e M. Brother PH for Eva

Su 2005, do eco da comunicação da americana, da roupa do BE, versage, da ... da Cid. Universitária, dois losangos brancos sobre preto dos sapatos zzzz, aaaa, 2222, aaaa, do que come sapos, ou Sá dos pós, aza Sintra, azambuja, dez pacotes, AP, jibóia do vaso AP, budha, os furos na sapatilha do francês.

Com feijão, com feijão, com limão, na casa de S.joão, cantavam os jovens à capela, na carruagem ao entrar, limão, açúcar, heroina do pianista da cia, ..are talking in the ligth of God, NY, senhorita das orquídeas no cabelo e mala violeta, do telefone, azul, e côr de rosa, rapaz do skate de Bam, disse o ... da carga do rato da coluna dos telefones com alto-falantes,...... 22, pizzas hot em porto , aí kim, classic kA, leite presidente, leche derretido entre serra e mar, templo cinco colunas no alto celta, turismo da estrela, sincronismo, serpente C, comboio europeu, do dois 57 que foi TT, grande serpente do dia do vaso, eco Zeferino da correria do casal meninos ao dinheiro dos correios, vaso do zorro da un, z do T em 81-84... , kapa z 60, do BB, 86, 78, turbo diesel, segundo do oitavo cá, angulo ao circulo, doze, c 6, hi é rato serpente primeira re que x vaso maior ambulância inem, cd 78, da Ana de TV ca, dos n ângulos ao circulo, duplo rato, também, polo serpente nona maior 85 , serpente b x raio vaso maior financial times reel time, rato duplo, homem dos furacões de 74 /77, re zagalo maior, n vaso do xá de 68, x no príncipe da rosa, 10 príncipe Ra, CB 69,lx é o dia Paulo, 13, turbo diesel, venda a dinheiro ,14 au 58,st,rv,hi,vaso maior a mim, vi homem of que c fb, em Baco grande, x zagalo 6 x no ponto do vaso general eléctrico em 92 e que az, ... de 38 smart guarda nacional, n at 52 descapotável, b, n 96, 69 no susto 12 , 88 c.v., 63 BE que mais y touro, o pequeno ...systems gato trote geres 95 n x D.B. 77, zagalo do vaso, PP, angulo ao vaso, c, zagalo 900, 69 tribunal constitucional, pó, zenão, A.V. 96, homem do vaso, js de 21 serpente do circulo tarado sexual x vaso PP je, vaso financeiro de topo, guarda nacional, bombeiros pré emergência hospitalar, c y, europeu, do dia y de 80/ 91, dos gritos da sé , 77 ae xá un c x ta jibóia homem suíço 99, b homem 74 is car Zeferino, 9/2 oz e vaso homem maior ao angulo do príncipe da un homem c tarado sexual iza amarelo, zo, nono cavalo da vareta ox que vai ao vaso da maria, 92 zeferino,2288, do sistema operativo, y, zagalo gato maior DN, grande prémio angulo e 4 holandês, caixa do príncipe seat leon, n z da dor do homem kA 74-89 Lisboa serpente zagalo Ra 4400 9 x vaso ul iris, o gato 1o ts que leva a criança laranja ao colo com a senhora do saco dos jornais, h 7 89 99 new... segundo de 73 to serpente rato que tem homem u c en 313 vaso do gato cd 97 ru lusa nova estremadura tours, eu, 75/ 97 que é b metro, homem vermelho rápido amoreiras, gato 6 vê só 16 guarda nacional, jó 74 que... ao avo A.D. 64 Carla ferreira 69 Paulo forte, c, serpente 73 na escada, n c vaso do príncipe af 69 serpente z AD 11 dj last card da nona maria x d, b do x ele maria sobral comboio caixa do zagalo JS 58, che vaso maior bc bicicleta cavalinho, au 82, raio do angulo, za, he 82 fo 71 104, duplo príncipe, Al vaso zagalo AA 41 bombeiro voluntário da ajuda 23, vaso zagalo do fm serpente forte de 96 dia do angulo bl vaso zagalo jibóia Lisboa do angulo c cl ba homem serpente t9 também zagalo tazqui z vaso angulo, aj 7300, cd is car ur 94 tc 22 da dupla marca de 87 do X maior do príncipe nono de boliqueime de 58 maior vaso dos x a p preço venda me da 62 tem n, aa 82 43 ajuda santo, homem dia vaso forte italiano suíço zorro homem, rato zorro a pf x9 serpente IT gata maria n gasolina inglesa de 87 do susto múltiplo ao homem X vaso PP, da direcção geral 35 93 Zurique, vi che quevedo, do segundo angulo de 98, do beijo invertido 9f raio z vaso maior mz cf tarado sexual príncipe zorro 13 es 9 dia z dos x dos gritos db 5 bc xf ex tj kc ll vo ua ca xc ip vd tu gc mb bh qf zo av rz vt ci j ii ie min pp motard 60 59 cf 38, 77 92 06 xz 75 az fd oo 73 aj am 712 um rn fabrica real, az 06 mp ka ac ip cj 36 bi p il co ph car nar kia xh partner AD, JC bus ur leap do homem b, marques pombal, calvário do banco do bebe a dormir, 9ª príncipe do beijo invertido de 97 as ai 68 serpente zagalo RB ut z2 gunnebo cj hl xa al 18 x b jibóia maior gato financeiro cg p6 maria serpente suíça 49 bateu forte, se ...ec kd hf chinês, sofia amputação braço, o c A.D. 14 chia aj oo 73 94 98 to gato brasileiro curriculum vitae 64 star e autocarro, rato silva saxo 89 lm hm pg vaso maior pv dia do homem 37 fj advantage jq pf 99 vespa vi 84 cais sodre il expo el pf nx gato ze 99 PE ax 55 da pi ki pequeno do x no circulo do xá de Lisboa, do cb 90 invertido...jt cf 07 ...pf 92 cxz x p zo vaso c e homem francês do vaso op zagalo do vaso of, choro ou acidez e equalização 24 36
Edifício domux, casa da praia, paris, João de deus, XX festa da divisão da estrela de deus, o o mp da sé, edifício com grade em cima do telhado, ox invertido gt, jibóia do vaso maior do Ra 23,27 guia hotel vila galé, repete o motivo das escadas Z em d na ponte , duas luzes laranja a piscar por debaixo da zona mais funda do vale da carris, da ponte, perfume na grade, falsfat onde eu andei muita luas atrás no Dakar, há dois anos atrás, perfume da china na cuf, perfume das brincadeiras das crianças na neve ce musa, inversões, no museu Macau, foto senhora Pb trás sapatos lulu, na rua de my brand, e na dos carros, havia em tempo em frente ao parque de estacionamento , uma casa discreta de meninas do cais de sodre e de Alcântara, frequentado a horas tardias por senhores pseudo bem, da policia passou agora o carro, falou-me o espirito de apanhar o homem jibóia grande do norte, o mp da sé, da terra com o nome da fabrica no fim da rua por detrás da polícia de Alcântara.

Durante o trajecto n monstro no céu se formou, e rachou em desenhos intrincadas cobras que se ligaram entre si, dois ....apareceram entre a cuf e a galé e a domus do mello, residências assistidas, num dos apartamentos parece se ver uma cadeira de rodas

O Ra aqui é o guia de Orion, o ponto da moto da serpente do homem E 1 do capacete , será o do Dakar, os carris eléctricos que o derrubaram, pas.. até amanhã, visor hipnotizante diz a pub ter o novo gadget, a jibóia da pub, provável o bidarra, telef e câmara e por baixo a senhora de cabelos brancos olhas as estrelas inclinadas no cartaz do festival , onde veio a mia farrow.

Pedro bidarra, um dos ilusionistas publicitários, se não o maior deles todos em estatuto atribuído, da minha geração, que veio do d dinis, que cresceu comigo, e provavelmente um dos que está ligado ao grupo que me vampiriza, um que há tempos teve um processo contra o Icep e agora calha ser a empresa que faz para eles campanhas, com instalações na expo onde já dei conta de diversa coisas muitos estranhas se terem passado, nomeadamente com as novas tecnologias, e os toques de telemóveis que agitaram as aguas e por ai fora nas desgraças longas, das rachas da pala e da ligação ao mar e da vodafone e de todo um enorme grupo.

O shoei be ring ar ai shuberth acer bis do auto com no rick abe, o x t ar mo foco das bodas telefónico movistar, antena 3, vaso cresca, pirelli, michelin, repsol, yamaha.

Escrito na rede verde, quando a cabeça não tem juízo, ao lado uma janela que é rado oval da vida de onze raios, travessa do conde da ponte, a que faz piscar as duas luzes amarelas por debaixo do vale da ponte, LM no chão, Tâmega, aluga-se quarto boa hora, 918935208, alta tensão, perigo morte, um cão, cans * noc suk sok* serpente, funny de cornos, elo socos, socos do elo, areia do rio A Fernandes, sendo que na grafia o y do funny escorre e liga-se ao F, de fernandes, e desenha uma outra letra que dá um outro sentido a esta parte da leitura, do bico da funny de cornos que inverte o A, e rato do waw, do quadruplo vaso, da serpente do oz, leirien, angulo les do bico da serpente en e mat cow, argamassa, nono vaso da serpente do dó quando a serpente foi ao carneiro, bico do vaso do mo em meu vaso na tábua, tc do vaso da serpente da Europa, rato que fez a dor w da martelada no bico, cp, serpente ao pé de p, olá cola do vaso do carneiro da emel 15, com pr, el mf pinheiro, pi n homem da eira sa aves ou av esp, no co da maria da serpente que vai a chaveta, seis triângulos de 12 raios vermelhos do A invertido , x no homem policia

Oito eléctricos novos amarelos parqueados, infinito e Y da foice larga dos picos a p, um vermelho antigo, ouvi pancadas ao momento, passa um outro dos antigos algês ua da iv maria do mp em 95, abre o portão da carris, pisca a luz amarela, Madrid na loja da alegria dos artigos orientais, confecção fragor super manos do zé dos frangos da pastelaria e bolaria camelo do touro ox.

Kerostase é helena

Plim love tits

Plaster fut, dj 84 de Setúbal, canal de 87 da vareta do gato dos jardins do general eléctrico in de mirandela, serpente homem 95 de transito da urbe da casa do chocolate dos quatro quadrados do semi arco da porta do templo 83, da discoteca Luanda, casa z da lua car no x do vaso do chá do baile das almas dos alunos de apolo no vaso maior c serpente da argola ao coração invertido, que inverteu o Hugo, 25, 26, 27.

Moranguinho do garrafão do angulo invertido dos quadrados negros do pentágono de prata 3 três azuis da roda do vento em Portugal, do zo, oz invertido do chá jibóia c x de 77 da travessa do Teixeira junior da semana cheia de eventos radicais, do ui à beira ria da un, aqui, vaso do homem da casa da moura, my brand fischer Portugal

Travessa da raiz quadrada da serpente em pé com apóstrofo, fiúza, ff, café filho único, Lisboa encontra porto, casa canas, a casa com um x na rede.

João carlos, en bag silvex grande centro, discos de grelhas

Ah Amada de manhã ao romper da aurora, rodo o ler me falava de nosso amor e mais uma vez te senti em mim, são como êxtases, onde uma cor nos conduz à Una Alma e tudo e tudo nos fala amor, nosso amor e meus olhos se maravilham, e meu coração galopa de mansinho e depois vai desfalecendo porque o sol nasce e não te encontro eu ainda e cansados vão meus passos na tua ausência, como diferente poderia ser distinto, se me faltam teus lábios e teus seios, teu nicho, meu anichar, Ah pomba, minha pomba, doce fugitiva, que foges a quê?

E eu te busco e eu te busco até ao perto te encontrar, e eram x no prédios e cuequinhas de senhoras nas janelas e nos estendais e era tudo, e era os pombos e eram os pássaros a chamar e a cantar e era a publicidade, que lisboa tinha encontrado o porto e leiria seria santarem e por aí fora e adiante que todos se encontravam e eu te buscava e buscava um que dissesse o meu e o teu nome, quanto são dois, que sim num mesmo, o amor e depois meu coração fica muito quietinho e nasce-lhe uma tristeza húmida que humedece meu olhar e depois um autocarro com as pedras rolantes de braços abertos ao céu, pede um bigger bang, e um incêndio despoleta na cidade e ouço as sirenes em seu passar.

O jeref, je, re, f, rato, O, A, do circulo ao A, do 69 de 94/99 da lusa motors, do AB, clean company do monstro da mola que sai da caixa dos olhos de osiris, ilusionista político, os ponkies do natal especial do trânsito da vareta C da grill era benetton formula um, oficial suplier ty phoon do dia D de 78 T Ze A da decoração dos interiores do que não quer abandonar o barco, o dos mil postos, do holandês, tshirt da disney do buzz de 71, o do vaso do príncipe da rosa da emel, o do IA, o ponto do da IA, SS, da plástico enfiado na manete dos travões, do laço da serpente ao vaso do paulo, o 6, o segundo do segundo de 71 do 6/3 em futebol verde, ex, c lu serpente iv bimbo gold fox, do melhor 2006 slb, muesli siriús, gato do ba do joe´s ,do vaso da Rita E das vesicas de cartão canelado, Chelas, empilhado, o vaso do sysco system , das hondas do santo mar, da manga vermelha, do botão de prata sobre vermelho, do ligthing bolt, micra mm, 69 auto real, do espeto no carneiro do dia do dente da corsa hz da chicana play , da venda a dinheiro do mini mercado na montra do primeiro dia, jp valente, levantou-se o vento ao momento, IA conforte da trote geres, do sport dos kits vermelhos do sc do vaso maior cosmopolite, che penas, co da se ao pm, da pub, motor base do carro da ana, free climber segundo kA da bertone da santa casa da misericórdia da sucursal de sacavem, o primeiro do sexto, da ga l p tdi da.... quevedo, das métricas de cozinha e demolições do T do tornado, rato z do 1000 suzuki, alto do seixal, a4 dos autos bauer worden darf , dos dbs de 93, tracker hi lux do seth do fausto T 6, todo serpente, da te da santa casa, vaso x da renascença Ba, back ground do eduardo I, s, b, do serpente da ampulheta no smart vermelho e prata e negro, kA da alemanha e b do homem do vaso sb da farmácia das palmeiras do Lx, bd 54, do fabrico diário da cobra do f dos alicates azuis e chaves diversas de ix bebé, h, c, do golf super do buzz do polo do x no b da sara, do serviço de mobilidade, dos gritos sb de 97... eq serviço mobilizado ao primeiro da p3, rc do ee, cleo norte tejo, das bolas de berlim, 6 F da um dos sumos naturais, ex caimão do passeio da estrela, do moto rex zq , ru do carro do campo de st António do restaurante da flor santo António, da auto latina to u ran do golfe alemão hd e guarda nacional francês, do...auto de 59 de evora, uni auto do pi da estafania da serpente iva do dia K da compra da line jumbo pt, 4x4 da bela morais, vaso maior de 98, do tribunal do ... Ab de 95/97 da jutta newman de ny, dino do sexto homem da moto c da gnr da real Rb, do crocodilo ... play hop on hop of, da spa, pt, do cão que foi atrás da menina e da bala em cabo verde, hd, sd, dv 106, RR., ...do espaço 1, o que é da fundação, águia de F, dos direitos humanos, serpente do vaso , rc do bx, serial digital da sara, x1xo in do sumo de polpa à dt cj do melo falcão de boliqueime re nault, raposa de boliqueime, pf sc st, lx, ne, zo, casa da moeda, uj, uv astra dp sol, jn da Kapa, ouvi tiro ao momento agora, que telefonou ao olá magnum corneto, milk time, homem rato do vaso tarado sexual kA do italiano vermelho no meio do livro, ateletico da zona do sport do caminho do triângulo de fogo da misia em lx, que faz tocar os sinos a rebate e uma criança chorou na escola das tabuinhas, az 76 de prata do cinto dos quadrados pretos e brancos, a capa joaninha do gato do Havana club camuflada, dos gestos de rumba de mãos do ....de boina e barba, o homem da venda , vaso do príncipe, do carro da pedra da viagem da chirsler, vi eta pt, do riko que é thor, do DD de 79, das info turísticas do kA do ba do entreposto , DD de 89, das chagas, o A da alta depressão da passa do li europeu, big bip cavaco silva, oz lusitalia, homem rino do reino dos... do auto aveirense ao carro negro Tg, reel time homem x da pide, long play , Ce 86, ex 6 do congresso da expo electrónica no brasil em 74, MM do moderno,... do lc, do pó À sereia do carro carla ferreira, venda a dinheiro, que é homem doutor , de lisboa, land rover, kA, vê cayenne turbo do T na T de 95, da ... do che do fernando soares escort, técnico da ventilação do clima, serpente y T serviço de informação, da vaso do saco da kitty cor de rosa, fanta lc, ao vaso da ana ...3 Lopes ribeiro, ... figueira 55, dos selos e leilões her majesty... top biquini, transporte e montagem mcr do príncipe da rosa do tejo, da CGD, António ribeiro, di taxi das estrelas, é o príncipe do segundo, dove dos tapetes orientais, já a bisavó dele produzia queijos diz a bela vaquinha garnier, em lx 74, já fazia ondas literárias de agua das letras, o car cs, santander, do nó dos gritos da escola alemã em lisboa no surfing day do X no P de Chelas, vesica elf united colours mango, do vaso c da js, turbo diesel, o b fin do Ge do piquete da pastelaria estrela d´ouro , o vaso duplo da dupla serpente da sophia, 11, do 63 que bm crx, honda, beverly 250, 00, xx, ob, frango da pizza hot do alarme directo, o motor amarelo cdr, lobo, homem lobo do forte mini milk 556, do vaso z da super laje do touro do... do grupo 8 da cml, que risca o vidro do smart do T.... em 2002 do dia z, cá, Al! Do c8 da ana de prata hdi da davia viagem do concorde, beringelas e frango de fricassé, e filetes de linguado gratinados, vê pj 77 do cb 58 jact bus da serpente arco vermelho, jact bus quer maria, .....da escola de condução ep camos, pa da serpente do lar da Teresa, da francisca cobra menina, edição especial do príncipe do dia da edição especial dos morangos, entra no lado b da vida, cab star da city line in sigths, maria x da tabacaria fumo do millenium, beifling, campanhia dos cozidos millenium, 99 49, millenium invertido, Al z, heimer, 60, ...., bv, da cryseler da fjd de Espanha, do vaso f man az va bg cam d porto side, zo, homem cá da Teresa , ford, das duas muletas, cd 78, reina de Madrid do quarto dos passarinhos da embaixada, e costa, homem da Teresa, o A do dia Z de 91, dia do homem Ur, dn 83, Rá transportes silva ... porta a porta, TM homem rato ga te ce ej bx zagalo maior no picasso de lisboa do Bo da TV da z na T em 98, aluguer de afagadores da gun pt, carros electrónicos A.V. dia Z, az, banco sete, CGD, do .... invertido da BB CC, ag 84, dk r, e ss, tp, iv, pierrot da vr p60, zi , jose cid, do buzz de 89, da festa não bem festa do chá vermelho das rodas da churrasqueira do palácio dos ratos dos ângulos L, no cais de sodre, teatro do armazém de ferro, nova sapataria amercio a mais em percentagem s.m.s., chamadas a silvar, liquidação total, do dom rato, picheleiro LL vaso homem xi jc , a gn ... do alto douro do jo do alto douro, .., das janelas de s. Bento, ministério da cultura, angulo do dia d de 54, kf dhl, do vermelho ... correios do w b de 93 kc mais iv, puma do guia de Portugal, financeiro , pp que deu o beijo a pf, carris, k546 E, alemão, rn, da quinta dos carros, do Pr, segundo La, Zeferino, do vaso da serpente do homem do beijo invertido de Roma, cc sp, va, re, vu, psp transito, T up destination silk route, dk malibu, harley center Al, ónix da helen park, vo gravelon viga da za bs, ... de 95, cb filmes do lençol, há coisas que não se podem reciclar, bn do pt 12 gestan estofador, xt, vj, vaso do príncipe, .... cr carris, pa santa Apolónia b ra, ir, do wagon do paulo zoo brasil, beijo invertido do inem, he zagalo serpente, tj, La, hh, homem duplo, auto .. passa at camisa d´oiro, o homem de lisboa, nu

Teresa forte, mr 83, palácio do marques, fm s apolonio açores, rt 89, hl, kA, zagalo do vaso, pj, man zagalo maior de Roma arieiro, 727, sweat ,..., sexto príncipe cr vv da bt 64, quick silver, serviço otis, sd, ru, bd do ..., ge. Carla ferreira, bx 69, oi sport algés e dafundo seis, cg, xs do quarto barros, aj 99,jiboia pa, un, carris, cm 96, verde prata do cão pela trela da ...ah av hx tl ac* ur os , gato francesa das mãos invertidas ..., my man adidas, star performance, cli de cor, xl, amoreiras, ox, id, pln, ... file no lençol... capa c que cv, cb75, smart Ra, eu, ac 82, embaixada inglesa, príncipe real, zodíaco, agua rápido, so, f, carro um garfo da Teresa e do plano do mar, farmácia lix f ar ma r li x casanova, relações públicas, cujo sapato pisa a moldura vermelha do assento azul universitária, do telefone clip de prata e vermelho, que cheira e toma nota nos papeis, a magistrada do blog, modus vivendas?, de mala castanha do crocodilo, dp, hiper eventos, palácio das exposições do traço vermelho na vesica de lena, o livro da ré

x maria do w principe da maria do y c