sexta-feira, junho 13, 2008

Os três telecomandos que se desvelam no coração da cruz por detrás de mim neste ultimo video, e que correspondem à cabeça pensante da cruz, a que a terá elaborado, visto ser essa a posição da minha cabeça na imagem espelho que espelha, ou seja a cabeça e os actores que ergueram a cruz no mundo, cujo processo foi já descrito aqui, tres juntos ,un, um no meio , e um quatro, o outro telecomando ao lado que será então o pensante

Os t ra serpente da tele comandos q ue se d es v e lam no c ro ac sao da cruz por de t ra s de mim neste u l tim o vi de oe q ue co rr es pond ema ca beça p en san te da cruz, a q ue a te rá el ab o ra do, vi s to ser ess aa p o si sao da min h a ca beça na i mage m es pe l h o q ue es pe l h a, o u Seja a ca beça e os ac tor es q ue e r g eu ram a cruz no mundo, o pr o c ess o, te rá sid o j á d es c rito ap ue, t r es j un to sun, um no meio , e um quatro, o outro tele com en ad o ao l ad o q ue se rá en tao o pen san te

Esta imagem da pie se reflecte e está correlacionada tambem com as indicações que se desvelaram em tempo recente na televisão, que antes servia de monitor na latrina europa na altura da produção do spot das danças lisboa, que como já expliquei se relacionam, com a queda das torres, como imagem de previsão do que se iria uns anos mais tarde passar, e tambem como base de envenenada história e de vil manipulação no sentido de me responsabilizar pela sua queda, ou assim insinuar e terá sido obviamente usada por alguns para por mais uns pregos em meu corpo e de muitos outros, infelizmente

Est a i mage m da pie se r e f l e c tee est á co rr e la cio n ada t am b em com as indica ç o es q ue se d es v e lara m em te mp o r e c en te na tele e na visao, q ue nat es servia de moni tor na l a t rina eu r opa na al tura da pr o du sao do s p ot das da sn ç as lisboa, q ue c omo j á e x p l i q ue ise r e la cio n am, com a q eu da das to rr e ws, co mo i mage m de pr e visao do q ue se iria u ns na os mai s t arde passa r, e t am b em como ba s de d e eve nena da h is tó ira e de vik m ani ip da p do vaso do primeiro ac sao no s en tid o de me r es posa bil iza r p e la s ua q eu da, ou as si m in sin u ar e te rá sid o ob via m en te usa d ap or al g u ns para por ma si u ns pr ego s em me u corp o e de mui to s o u t ro s, in fe li z mente

As referencias que o monitor que hoje serve de tv hertziana aqui na secretária onde me encontro, a escrever este livro da vida, foram incluídas neste texto da Palavra da luz, contudo uma outra referencia, gravada na próprio caixa existe, para alem das que já forma aqui transcritas e declinadas, ou seja estendidos o seus sentido e são tambem tres, uma tríade, em tres línguas, ou seja um tríade composta por um alemão, um ingles e um francês, são letras gravadas na própria caixa da tampa de trás do monitor, ou seja serão porventura pelo aspecto de serem gravadas, as outras correspondem a etiquetas, algo que depois e coloca por cima, se apensa, as mais profundas ou significativas ou relacionadas em maior profundidade e ligação, com a negra desgraça, e sendo que tres línguas abrem a possibilidade de serem tres mulheres

As r efe ren cia s q ue o moni tor q ue h oje serve de tv her te z ian a aqui na secreta ria onda me en c on t ro, a es c r v e r este li v ro da vida, f o ram inc lui d as neste te x to da Pal v ra da l u z, c on tudo uma o u t ra r efe ren cia, g rava dana pr o pr io caixa e xis te, para alema d as q ue j á forma aqui t ra sn c rita se dec l ina d as, o u seja es ten dido s o se us s en tid oe são t am b em t r es, uma t riade, em t r es li b g ua s, o u seja um t riade com posta por um al e mao, um in g l es e um fr anc es, são l e t ra s g rava d as na pr o pr ia ca iza da t am pa de t ra s do mon u tor, o u Seja se ra o por v en tura pelo as pe c to de s te r em g rava d a sas outras co rr es ponde ma etiq eu t as, al f g o q ue d ep o ise c olo ca por c ima, se ap en sa, as mai s pr o fun d as o u se i gn ni f ica t iva s o u r e la cio n ad as em maio r pr o fun dida e li g ac sao, com a negra d es graça e s en do q ue t r es li n g ua sabre m a p os sibil i dad e de se r em t r es mul her e serpente

Desde essa altura ou quase que o monitor tv aqui se encontra virado com o ecrã para cima do tampo da mesa, assim ficou e assim o deixei estar para que se desvelasse em mim o seu significado profundo, pois assim visto, muito ele se assemelha a uma imagem de um antigo templo de MU, que ligou primeiro com frança e que liga tambem com o corto maltese, nos exactos desenhos iniciais do historia de MU, desenhada pelo Hugo pratt e por tabela para Itália, que agora emergiu relacionada com a faca que se expressou primeiro na china e depois no japão

Desde ess a al tura ou q u ase q ue o mon tor t tv aqui se en c on t ra vi ra doc om o e c ra para c ima do t am p o da mesa, as si m fi co ue as si mo de ix e i est ar pp ar a q ue se d es v e l asse em mim o s eu si g ni f ica do pr o fun do, p o is as si m vi s to, mui to el e se as se me l h aa uma i mage m de um ant i g o te mp olo de MU, q ue li g o u pr e i me i ro com fr ança e q ue li g a t am b em com o corto maior primeiro da te se, nos e x ac to s de s en h os inc cia is do h is to ria de vaso maior, de s en h ad a p elo hugo da p ra tt e por t abe la para italia, q ue Agora e mer gi ur e la cio n da com a f ac a q ue se e x press o u p rim e rio na china e d ep o is no japão

Pratt, declina em português em prates e não deixa de existir uma semelhança, com o prates, o ricardo prates, que em texto recente emergia na esquadra da elevação da cruz, e sendo que complemento a imagem aqui já escrita, que no alçado o desenho do jogador dentro da baliza, era como um cursor, de controlo de velocidade de um player, ou de som, o que remete tambem para dj, um controlo de velocidade dos pratos e das misturas, e tambem para o template do canal zero, que tinha um controlo gráfico de som, equivalente que agora de novo desenhara no meu caderno ao fazer a interpretação das esquadra táctica que o paulo teixeira em seu artigo recente desvelava e proponha com interpretação

P ra tt, dec l ina em pp o r tu g u es em pr at es en cão de ix a de e x is tir uma se me l h ança, com o pr at es, o ricardo prates, q ue em te x to r e c en te e mer g ia na es q eu dr a da e l eva sao da cruz, e s en do q ue co mp le m en to a i mage m aqui j á es c rita, que no alçado o de s en h o do jo gado dor d en t ro da bal iza, e ra como um c ur zo r, de c on t rolo de v e l o cidade de um plater, primeiro plotter, o u de som, o q ue r e met e t am b em para dj, um c on t rolo de v e l o cidade dos p ratos e das miss turas, e t am b em para o te mp la te do c ana l z ero, q ue tinha um c on t rolo g raf i co de som, e q u iva valente q ue Agora de n ovo de sec n h ara no me u ca de r no ao f az e ra in te rp r eta sao das es q ua dr ad t ac tic a que o p au l o teixeira em s eu ar ti g o r e c en te d eve la v a e pr o p on h a c om in te r p r eta são

Ou seja emerge aqui no mais presente próximo, uma eventual relaçao com a distribuição do conceito do canal zero, ou seja do roubo escamoteado, que depois se reflectiu no aparecimento de outras aplicações de semelhante natureza operados pelo ricardo, que passou pela latina europa no principio dos anos noventa e sempre com a empresa foi colaborando e que estabeleceu fortes relações de amizade com outros colaboradores da empresa, mais constantes, com o zé pinheiro entre muitos outros, que creio mesmo ter sido o que na primeira vez me levou lá o ricardo

O u Seja e mer ge aqui no mai s pr es en te pr ox i mo, uma eve en t ual relaçao com a di s t rib u i sao do c on ce i to do c ana l z ero, o u Seja do ro ub o esca mo ot te tea ad o, q ue d ep o is se r efe l c ti un o ap ar e ce i men t ode i u t ra s ap li caçoes de se m l h ante nat ur e za opera d os p elo ricardo, q ue passo u p el a l at ina eu r opa no pr inc cip io dos anos no v en t a e se mp r e com eal, a em presa f o i co la bor na d oe q ue ee st abe l e ç o u f orte s r e la ç o es de ami za da com o u t ros c ola bora dores da em presa, ma si co ns t ant es, cm oo zé pi n he i ro en t r oe mui to s o u t ros, q ue c rei o me sm o te r sid oo q ue na pr ome e ria v e z me l evo u l á o ricard o

O ricardo tinha acabado o seu curso de cinema em inglaterra, tinha estagiado salvo erro nos estúdios em pin wood, e chegara a portugal de novo e procurava uma oportunidade e trabalho e eu me recordo, de numa reuniao, depois de teoricamente ter avaliado o que ele saberia, de lhe propor trabalho, que ele fizesse um desenho de uma iluminação tipo para os cromas , salvo erro do ícaro, pois o programa recorria quase exclusivamente a esta técnica, e me recorrido depois de ter baixada ao estúdio para ver o resultado do seu trabalho e ter ficada assim meio decepcionada, pois ele não sabia ao contrário do que tinha dito, faze-la, o que em certa forma era até compreensível, pois a técnica era recente e não existia muita gente que a dominasse, lá lhe expliquei que o ciclorama tinha que ser iluminado uniformemente, para ele tirar as sombras que deixara nos cantos, e que tinha que haver uma luz de contra campo para fazer o recorte e dar bidimensionalidade as figuras, ou seja, aos actores, ele lá concluiu o dito, fez uma planta que permitisse a qualquer um servir de guide line da iluminação base chave da técnica do programa , lhe paguei e a colaboração foi continuando ao longo dos anos em forma esparsa, trabalhando ele mais com alguns dos realizadores da cas em projectos que justificassem pelo seus orçamentos a direcção de fotografia, como video clips e por ai fora, pois na casa todos eram formados em tudo, ou seja, um realizador sabia iluminar, ou assim deveria saber, como deveria saber de montagem de imagem e de som, e mesmo de grafismo electrónico

O ricard o ti unha ac ab ad oo s eu curs o de c in ema em in g la te r ra, tinha est a gi ad o sal vo e r ro nos est u di s o em p in wood, e che g ar aa por tu gal den vo e pr o cura ava uma o p r ot uni dad ee t ra b alho e eu me record o, den uma reuniao, d ep o is de teo r ica mente t r e ava lia do o q ue el e sa be ria, de l he pr o por t ra bal h o, q ue el e fi ze s se um de s en ho de uma i lu min caçao t ip o para os c rim as , sal vo e r ro do ica ro, p o is o pr o g rama rec o r ria q u ase e x c lu siva mente a est a téc nica, e me r eco rid o d ep o is de ter ba ix ad aa o e t u di o para ver o r es uk l t ado do se u t ra b alho e te r f i ca da as si m mei o dec ep cio n ad a, pp o ise le n cão sa bia ao c on t rá rio do q ue tinha dito, f az e do traço do y de la, o q ue em ce rta forma e ra at é co mp ren s ive l, p o isa tec nica e ra r e c en te en cão e x is tia mui ta g en te q ue a do mini asse, l á l he e x p li q eu i q ue o cic l o rama tinha q ue ser i lu mina d o uni for m ane te, para el e tir ar as s om bras q ue de ix a ra no s can t os, e q ue tinha q ue h ave r uma l u z de c on t ra cam p o para f az ero r e corte e d ar bid e mn sio na li dad e as fi g ur as, o u Seja, a os ac tor es, el e l á c on c lui u o dito, fez uma p l anta q ue pe r mit is sea q ua l q eu r um se r vi r de guide l ine da i l uni maçao b ase c h ave da tec nica do pr o g rama , l he pa g eu ie a c ola bora sao foi conti n ua n do ao l on g o dos ano s em forma e s p a r sa, t ra bal h and o el e ma si com al g u ns dos r e la za dores da cas em pr o ject os q ue j us ti f i ca ss em p elo se us orça e mn to sa di rec sao de f oto g raf aia, co mo vi de o c li ps e por ai f o ra, p o is na c asa todos e ram forma d os em tudo, o u Seja, um r e liza dor s a bia i lu mina ro u as si m d eve ria s ab e r, c omo d eve ria sab w e r de mo n tage m de i mage me de s om, e me sm o de g raf is mo el e c t r oni sao

Não deixa de ser parecido o ricardo, ou era, que não o vejo há muitas luas, parecido com o corto maltese, o mesmo tipo de face, fina e afunilada, salvo erro um tempo, até um semelhante corte de patilhas ele usava

N cão de ix a de se r p ar e cid oo ricard o, o u e ra, q y en cão o vejo h á mui t as lu as, par e cid o com o corto ma l te se, o me sm o t ip o de face, f ina e af uni l ad a, sal vo e r ro primeiro te mp o, at é o um se me l h ane corte de pat ilha s el e usa ava

MU na capa do pratt, é um M com um traço horizontal por cima do U, ou seja o traço, a tampa que tapa o vaso da Maria, ou seja provavelmente a queda e morte de monica lapa

MU na c ap a do p ra tt, é um M com um t ra ç o h ori x on t al por c ima do U, o u Seja o t ra ç o, a t am pa q ue t ap a o v as o da Maria, o u sej pr ova v el m net a q eu da e mor te de m oni ca l ap a

Outra relaçao surgiu em dia recente, uma outra simetria com este monitor, na posição em que ele se encontra, pois na parte superior que agora se encontra na vertical, é visível um circulo gravado dentro de um quadrado, uma quadratura de um circulo que é o a rede do único altifalante que esta tv possui, subia eu a rua e dei conta da piaggo, que sempre ali está estacionada presa com um cadeado no primeiro poste de iluminação da rua do borja, o primeiro a contra da igreja do bom sucesso e do triunfo, dos doze que simbolizam a via sacra como um dia aqui dei conta de ter tido a certa epifania, é de uma rapariga italiana, assim o creio, que mora ali na rua, deve ser uam estudante do erasmus, e a matricula da piaggo, é um quadrado amarelo com filete preto e diz ed do quinze, kitty, com uns corações vermelhos na carnagem e no conta velocímetro, ou seja mais uma relaçao se estabelecia com a igreja católica romana, com a crucificação, com a primeira estação da crucificação, ou seja que a crucificação, ou o levantamento da cruz fora feito inicialmente em italia, provavelmente em roma

O u t ra relaçao s ur gi ue m dia r e c en te, uma o u t ra si met ria com este moni tor, na p o si sao em q ue el e se en c on t ra, p o is na par te super i ro q ue Agora se en c on t ra na v e r tic al, é v isi v el um circulo g r ab v ad o d en t ro de um q ua dr d o, uma q ua dr at u ra de um cir cu l o q ue é o a red e do único al ti f a lan te q ue est a tv p os s u is u bia eu a rua e dei c on t ad a piaggo, q ue se mp rea li est á est ac cio n ad a pr es a com um ca dea don o pr i mei ro p os te de i lu mina sao da rua do bor j a, o pr i mei ro a c on t ra da igreja do bo ms u c esse e do t riu n f o, d os do ze q ue s im boli z am a via s ac ra c omo primeiro do dia aqui dei c on ta de te r t id o a ce rta e pi f ani a, é de uma ra pa riga ita li ana, as si m o c rei o, q ue mo ra al i na rua, d eve se rua mes t u dante do e ra s muse a mat riu c l a da pi a g gi o, é um q ua dr ad o am ar e l o com Filete pr e to e di zorro ed do quin ze, k u tt y, com u ns cora ç o es vermelhos na car en a g e me no conta v e l o c i metro, o us e j a mai s p rim e ria da relaçao se est abe l i ca com a i g r e l ka cat o li ca roma ana, com a c ru xo i fi ca ç º sao, com a pr i me ira est ac sao da c ru xi fi caçao, o u Seja q ue a c ru xi fi caçao, o u o l eva n tamen to da c ru z f o ra fe i to inc cie la m en te em italia, pr ova v el mente em roma

No cento da tv, estava um antena de prata com dois braços telescópicos, que quando assim a pus, ficou aberta em vaso largo e sugeriu a imagem da antena , ou da vareta de prata que liga o subsolo, ao ceu a parir do ponto central da torre central do castelo de MU ou da MU e sendo que nas suas mexidelas, a antena por algumas vezes neste tempo a parte para cima, tocou a senhora que está representada no quadro do sir william blake richmond , que aqui foi descrito e interpretado como, um processo de cravagem de parafusos, nas gentes, ou seja um ritual de prisão e de vampiragem da energia e ,alma, segundo tsunami, aprisionamento da alma , ritual operado no leito por uma senhora ruiva, que deixa no ceu espelhado uma especifica assinatura, um pequeno arco iris, ou seja espelha-se no ceu quando operado, um chuva e um arco iris, um pequeno arco-íris, que de duas vezes em semelhante proporção apareceu, um em campo de ourique com monica, a calle, lado do rio, relacionadas com uma imagem de uma bela menina cantora do brasil que canta que comigo um dia se casará, no dia em que o damaso aqui aparecera em sua ultima visita zangada, e cujos pormenores ainda não se encontram publicados, e que contou com outros desenvolvimentos antes do tremor na china

No c en to da tv, est av um ant en a de p rta com do is bt rça s tele s co picos, q ue q ua n do as sima p us, f ica o u ae b rta em v as o l argo e s u ge riu a i mage m da ant en a , o u da v aret ad e p rata q ue liga o s ub sol o, ao c eu a par i r do p on to c en t ra l da to r rec en t ra l do castelo de MU ou da MU e s en do q ue n as s u as me xi de l asa ant en a por al gum a s v e ze s neste te mp o a p arte para c iam, toc ua s en hor a q ue est á r ep r es en t ad o no q ua dr ad o do sir w i ll ian b l ak eric homem do mond , q ue aqui f oi d es c rito e in t r ep r eta do c omo, um pr o c esso de vc rava g em de para f us os, na s ge sn te s, o u Seja um ru t al de pr isa oe de vam pira g em da en r gi a e ,l ama, se gun do ts un ami, ap r i sio n am en to da alma , riu t al opera dono e li to por uma s en hor a rui iva, q ue de ix ano ceu es pe l h ad o uma es pe c i fi ica as sin at u ra, um pe q e un o arco iris, o u Seja es pe l h a do traço da inglesa se no ceu q ua n do o pera do, um c h uva e um arco iris, um pe q u en o ar co iris, q ue de du as v e ze s em se m l h ante pr o pr o sao ap ar e ceu, um em cam p ode o u rique com m oni ca, a ca ll e, l ad o do rio, r e la cio n d as com uma i mage m de uma be l a me nina can tora do br as il q ue can t a q ue co mig o um dia se c asa rá, no dia em q ue o dama s o aq1u i ap ar e ce ra em s ua u l tim a vi ss t a z ang ad a, e c u j os por m en o r es a inda n cão se en c on t ram pub li ca d os, e q ue c on to u com outros de s en vo li vi m en to san te s do t r emo rna china

Ou seja , o ritual fora mais de que uma vez em mim por terceiros executado, sendo todos eles associados a cruzes, ou seja são formas de crucificação

O u Seja , o riu t al f o ra m a si de q ue uma v e ze m mim por t r e ce i ros e x curado s, s en dot o d os eles as soc iad os a c ru ze s, o u Seja são formas de c ru z xi fi caçao

Observo agora a antena que está ao lado do monitor e que desenha uma angulo de cerca de cento e dez graus, ou seja do circulo do grupo onze, a volta do monitor, ou seja do castelo de UM, e assenta no angulo, num papel que trouxe da ultima vez que lá estive, um papel da procuradoria geral da republica , departamento central de investigação e acção penal, e gabinete de documentação e direito comparado, assim está no lado para cima onde a antena, as duas varetas dispostas em angulo assentaram em seu encontro, ou seja no encontro das maldosas vontades que assim se organizaram para o negro fazer, que se pressupõem, ser mais de que uma das vezes,

Ob servo Agora a ant en a que est á ao l ado do moni tor e q ue de s en h a uma na gula de ce rca de c en toe dez g ra us, o u Seja do cir cu l o do g rup o onze, a vo l t ado moni or, ou Seja do castelo de U Me as s en ta no ang u l o, n um pa epal q ue t ru xe da u l tim ave z q ue l á est vi e, au m pa ep la da pr o cura do ria ge ra l da r e publica , d epa r tamen to c en t ra l de in v est i g ac sao e ac sao pena l, e gabi neta de doc i men taçao e di rei to co mp ar ad o, as si m est á no l ad o para c ima onda dea a ant en a, as du as v ar e ts di s postas em a gula as s en t aram em s eu en c on t ro, o u Seja no en c on t ro das mal do sas von t ad es q ue as s om se o r g ani za ra m para o ne g ro f az e r, q ue se pr ess u poe m,, se do rato do maís de quadrado ue uma d as vasos e ze serpente

O altifalante, o circulo dentro do quadrado, está do lado direito de frente para o templo de MU na tv figurado, ou seja de alguém da direita que provavelmente se senta no program da tv com o mesmo nome, provavelmente o lobo xavier barreto, ou o pacheco pereira, ou seja um deles terá a ver com a musica e falsa cantiga antiga que tem servido de base a diversos pregos com que me tem tentado manter preso à cruz

O al t af a lente, o cir c u l den t ro do quadrado, est á do l ado di rei to de fr ente para o te mp olo de U mna tv fi g ur ad o, o u Seja de al g eu mda di rei ta q ue pr ova v el mente se s en ta no pr o g ram da tv com o me sm o no me, pr o p vale mente, circulo do lobo do xavier barreto, ar e ts das letras o u o p ac he co do pereira, o u Seja um deles te rá ave rc om a mu sica e fal sa can t i g a ant i g a q ue te m se r vi do de b ase a di v e r s os pr ego s com q ue me t em t en t ad o man te r pr es o à cruz

os signos gravados na tv da um, assim desvelam

A os si gn os g rava d os na tv da um, as si m d es vaso e primeiro da manha da mna

Ac do home da cruz un seis gato do primeiro angulo e ine w, em un fi ne en

Ele kapa da c r xu, rato is sc che en sc h la gato zorro vaso v e r mei den, verme id den en, d, dia do quadrado do ar k, ar kapa, di e rue ck wand, da mao da rua do ck circulo, eve en tua le mn te de uma di morta, ni h da cruz do ab g en om men w er den eu be ra l ss en si e w ar seis garo um seis un dia do quadrado ua, rato da epa ra cruz ur dia em forte ac h ma nn

A tt en tio dos muitos traços af em de pr eve ni rato un choc el e c t riq eu ne p as en lever le co uve rc le do ponto do primeiro angulo da ne set ro uve a angulo do apostolo int teri eu angulo au c une pie ce p o u van t e t r e r epa ra do ab le par l´ usa ge rato do ponto da cobra serpente do apostolo da ad r ess e ra un r epa ra te ur com pet en te

Ca da au tio dos muitos traços do to pr eve en n t el e c t ric s hock do not r emo ove cover do ove do ponto do no da use rato do traço do se rato vi iv e, vice do ab le , able, par ts em sid e do po rn to da refer se rato do vi d irc u l o ingles da cruz do circulo do to quadrado ual li fi ed se rato do vice personnel, que ressoa agora na memória no treinador pessoal do pires do lima, ou do pires de lima, ou sej num outro tremor que lá se deu

Ca da au tio dos muitos traços do to pr eve en n t el e c t ric s hock do not r emo ove cover do ove do ponto do no da use rato do traço do se rato vi iv e, vice do ab le , able, par ts em sid e do po rn to da refer se rato do vi d irc u l o ingles da cruz do circulo do to quadrado ual li fi ed se rato do vice pe r son nel, q ue r ess o aa goa ra na me ó ria no t rei na dor pe ss o al do pi r es do lima, o u do pires de lima, o u sej n um o u t ro t re mo r q ue l á se d eu

bumdpbrp

bu m dp br rp, ou bum da dp br rp