quinta-feira, julho 17, 2008

Depois de publicar estas palavras, uma enorme figura as nuvens desenharam, aqui vindo do horizonte do mar, a cauda até entrar em terra, peal , pela rosa dos ventos que aqui no chao está , foi perfeita sua indicação de direcção , sul norte, a cauda a sul vinda do mar, e em terra a cabeça do tubarão bem aberta vendo-se lá dentro na curva, uma pequenina cabeça de golfinho sorridente, estou eu aqui a talvez dez quilómetros da praia da luz, sai para a rua descendo, e assim li nos objectos que encontrei no caminho, um semi circulo de uma versão tecno, que relacionei em pensamento, com uma das bandas sonoras dos vídeos que acabara de publicar

De ep o is de pub li car est as pal vaso ra s, uma en o r me fi g ur aa sn uve en ns de s en haram, aqui vaso indo do hor rio n te d o mar, a c auda at é en t ra rem te r ra, peal , pe la rosa dos vaso en to serpente quadrado da ue aqui no circulo do homem cao est á , forte do circulo do ipe rf e ita serpente ua in di caçao de di rec sao , sul no rf te, ac auda a s u l v inda do mar, e em te r ra a ca beça do t u barão b em ab e rta v en do d ot ra ç o da inglesa se do primeiro á d en cruz ron ac ur vaso a, u ma pe quadrado do vaso en ina ca beça de golfe muito ho s o r rid dente, est o u eu aqui at alvez de x q u i lo met ros da pr aia da l uz, sa ip ar aa r y ad es c en do, e as si m l ino s ob ject os q ue en c on t rino caminho, um s emi cir cu dez de uma ave rata sao tec homem do circulo do, quadrado ue rata e la cio ne i em p en sam en to, com uma das ban da ss on circulo do ra s do s v id e os q ue ac a ba ra de pub li car

Uma colher de pedreiro sem asa, das que servem para alizar o cimento, por debaixo dela, um saco plástico com um dizer em azul, raposa, e recordei-me de recente madrugada, onde um home apareceu aqui falando tao alto que me assomei a janela para o ver, trazia um bastão de caminhante consigo, e parecia estar bastante alterado, zangado mesmo, viu-me à janela, tentou-me envolver, não lhe dei troco, depois nessa manha em baixo no largo lá estava ele de novo, começou a dar murros num balde de lixo colocada num poste, como aquele que ardera recentemente com uma laranja em cima ao pé da escola da rua capitão pala, que as letras deram recentemente conta, falava ele aqui em cima do presidente da câmara de vila de bispo, e via-se ou melhor se ouvia, que ele não gostava nada dele, ou assim dera a entender, fosse eu o presidente...

Uma co l her de pedreiro s em asa, das que ser v e m p ar aa liza roc men to, por de ba s ix ode la, um sac o p l á s tico com um di ze rem az u l, ra posa, e reo c r de i traço da inglesa me de rec en te madruga da, onda um home ap ar e eu aqui f al ando tao l a tao q ue me as som e ia jane la para ove r, t ra z ia um ba s tao de caminha n te com si f oe par e cia est ar bas t nat e al te ra do, zan gado me s mo, vi u do ingles me à jane la, ten to vaso do traço ingles me en volver, n cão primeiro he de it roco, de ep o si ness am n h a em ba s ix on o l argo l á est ava el e d en ovo, co me ç o ua da ar m ur ros sn um bal de dia e l ix oco do colo de dez ca dan um p os te, c omo a q eu le q ue ard e ra rec en tee m t ne c om uma l ar anja em c ima ao p é da es cola da rua ca pi tao pala, q ue as l e t ra sd e ram rec en te mn te c on ta, conta, fa alva el e aqui em c ima do + r es id dente da ca mara de vi la de b is po, e v ia do traço da inglesa se o u mel hor se o u v ia, q ue el en cão g os t ava van na da dele, o u as si m de ra a en tender,

Ao lado da colher de pedreiro, a terra vazada ainda em sua forma de um vaso, com pedras no seu fundo, como a dizer, as pedras postas no barro, ou postas na terra do barro, ou dos oleiros, ou por oleiros, adao e eva, assim se me evoca agora, um rolha de garrafa cotto, e um tubo, como a dizer, um passe de sexo de um couto provavelmente com a eva
Ao l ado da co l her de pedreiro, a te r rava sd sa a inda em sua fr mad e um v as o, com pe dr as no seu fi un doc omo a di ze ra s ped ra s postas no bar ro, o u postas na te r ra do bar ro, o u do sol e iro s, o up o r o lei ro s, adao e eva, as si ms e me evo ca agora, um ro l h ad e g ar raf a c ot to, e um t ub o, c omo a di ze r, um passe de sexo de um co u t to pr ova v el mente com a eva, uma relaçao ana l

No da opa serpente ge ser ep pn te do seio doca si , u ns me nin s o ingleses ap reo xi mara ram do traço da inglesa se em s ua s co r rid as, co rr iam um com oo outro, no de g r au sal vo e r ro de t r es q ue de s cam para aa rei a, t ra z ia um fato de ban h o az u l bebe, t ip o mil novecentos, e y m ca hp eu de aa sb as nas cor es vermelho e negro, uam das v e ze sn a par t ido, as si m nel e li, o h omem do s un, q ue me reme te up ar a jo rna al, mi l no v e c en to s, r e met ep da epa a ra italia, be rt u dez cc e, reme te t am b em para um o it ro fil me de uma pai x ao en t r e um h omem ei um me ni non u am p raia em v ene za, sal vv eri, a ene r g ia, agora as l e t ra sd es vela da primeira lam

No passeio do cais , uns meninos ingleses aproximaram-se em suas corridas, corriam um com o outro, no degrau salvo erro de tres que descem para a areia, trazia um fato de banho azul bebe, tipo mil novecentos, e um chapéu de abas nas cores vermelho e negro, uam das vezes, na partido, assim nele li, o homem do sun, o leao do sun, que me remeteu para jornal, mil novecentos, remete para italia, bertulocci, remete tambem para um outro filme de uma paixão entre um homem e um menino, numa praia em veneza, salvo erro, a energia, agora as letras desvelam

No pa serpente do seio doca si , uns me nin s o ingleses ap reo xi mara ram da inglesa se s u asco r rid as, co rr iam um com oo o u t ron o de g r au sal vo e r ro det r es q ue d es cam para aa rei a, t ra z ia um fato de ban h o az u l bebe, t ip o mi l n ove c en to se y maior do ca h peu de aa sb as nas cor es vermelho e negro, uam das v e ze sn a partido, as si m nel e li, o h omem do sun, o l e ao do s un, q ue me reme te up a ra jo rna al, mi l no da ove dos centos, reme te para italia, be rt u dez cc i, re met eta cruz maior segunda em para um oi t ro fil me de uma pai x ao en t re um h omem ei um menino, nu uam p raia em v ene za, sal vv eri ero pro me ira ene r g ia, agora as l e t ra sd espanhol vela da lam da manha

A energia relacionada com a morte de peal, que logo nas primeiras linhas agora se desvelou, e provavelmente relacionado por semelhança de enredo com o que se terá passado com maddie, sincronisticamente depois de publicar, abrira o yahoo, e vira um artigo sobre o murat, que acabava de ser publicada talvez a menos de um hora, e que dizia que a justiça inglesa lhe tinha acordado uma indenemizaçao de quinhentas e cinquenta mil libras, se bem me lembro em dia recente dava um jornal português conta, que a polícia há já masi de um ano que sabia que nada trazia contra ele, e foram incapazes de o dizer, e mantiveram assim o seu sofrimento, só aqui neste país de bestas e de corruptos e de ladroes e abusadores de crianças, gente sem coração, seus filhos da imensa puta, e a rapidez, pusera o senhor processo, em abril e já estava resolvido, eu a tres anos que aguardo contacto das putas das polícias , e dos tribunais e de todos, filhos da tremenda puta! Continua sem resposta nenhuma, cabrões, chifrudos

A ne r gi ar e la cia n da com a mor te de peal, q ue l ogo nas pr i me ira serpente das linhas do agora se de es velo de dez vaso, e pr ova v el me segundo da te r e la cio ando por se mel homem ança de en red circulo uk com, circulo do quadrado ue se te rá passado co ,maior mad di e, sin c ron oni st cam en te de ep o is de pub li ca ra ab br ira circulo do y anho, e v ira primeiro ar ti gato os ob reo mu rata, quadrado ue ac ab ava de ser pub li cad at alvez am me ua homem do circulo do ra, e quadrado da ue di iza quadrado ue primeira p rin cisa iza us ti circulo de corte da primeira inglesa do primeiro ingles tinha ac ao circulo do rato dad circulo primeira inde nim iza cao de quin homem ingles da inglesa cruz na ase das tintas do quadrado do vaso do ingles ta, mi primeiro do li br rea e as, sebe da maior me do primeiro e bro em dia rec en te da ava um jo rna norte sul por tu e gi espanhola conta, quadrado da ue ao da po l ica homem á princesa á masi de um ano qia ue sa ab vaso bia quadrado ue na dat ra zorro do iac on cruz ra el e, e forte do circulo do ram inca p az espanhola de circulo da di ze ee do man da cruz na ive ram as si mo serpente eu ds circulo do fr rim do ingles to serpente da se rep pn te do ac muito to ap os cruz do falo, olo, aqui, neste pa sis de best as e deco rr up pt os ed e primeiro da ad ro espanhol e av isa dr oe espanhol dec rin as circulo de corte as, ge da en te se maio cora sao, se us fil homem circulo da sd primeira e maior en sa puta, e a ra pp pide id espanhola, da p use ero serpente en hor pr circulo do esso, em ab br ile j , cruz primeira est ava rata espanhola e primeiro vaso ido, eu at r espanhol ano serpente do quadrado da ue da primeira g ira doc on cruz do acto das putas das po li ca sed os t rib un as oe de todos, fil homem do os dat rata da emenda puta! Cin ti nua serpente em rata da espanhola posta muito homem ingles da uma, circulo do ab br oe espanhol, chi fr vaso do serpente

Uma carrinha na praia me chamou a atenção pois dizia cook, e se reflectiu na imagem do cook da foto em londres, já publicada, duas bicicletas de prata com estrela doirada , atras, um quadrado deflector que parecia ser da policia, ou algo assim

Uma car rina rin ana pa raia me cha meo ua at en cc sao po rata is de iza c oo k, e se rata e f l e circulo ti un a e mage maior do doc do oo da kapa da fi to em primeiro rata espanhola , du as bic li tea serpente da p ar rata com est rata e la do it rda, at ra serpente, primeiro da cruz rata ian gilo de efe primeiro circulo do tor quadrado da ue pa rac ceia se rp primeiro da kapa li cia, circulo do vaso norte sul goa ss si em

Todos, me disse o espirito , todos quais, e me veio a consciência, todos os que estavam no jornal por cima dos dois bardos, mas na duvida estou pois podia ser referente aos acontecimentos da china

Todos, me di ss e o es pi rio , todos q ua is, e me veio ac on sc ciencia, todos os q ue est ava a vam da manha no jo rna norte sul por rc ima dos do is bar do sm as na du v id a est o up o ip o dia ser refer en tea os ac on tec i m en to sd ac homem ina

Agora com isto no pensar, li , do circulo do quarto do dn , seis , seis

Agora com do is to no p en sar do li do circulo do quarto do dn , seis , seis, ou seja do jo rn al de no ti cia sd a es t ra da se s senta e se is, o u seja a inda na am erica

Bela menina pequenina, assim me disse o espírito ter sido sua caneta que o tubarão desvelou, não sei se era quem eu vi, mas bonita como a menina, era e será

Be la me nina pe quadrado da eu nina, as si maior da me di serpente da se circulo espanhol do peito do pei rt to te rato sid os ua can te do quadrado ue ot ub do barão de serpente que velou, muito cão se ise e ra seio quadrado eu me vaso vi, maior as bonita co mo a em mn ia, e ra e se di rá


Apareceu-me tambem um relaçao expressa na turbinas de ventilação de uma central, aqui ao lado da escola primária, nunca percebi porque a fizeram mesmo ao lado, trás salemas nas cores brasileiras pintadas na parede, uma luz piscou vermelha no contador ao lado da escola em meu passar, fui ler, li sessenta oito, outra vez uma referencia com o maio de sessenta a e oito , e me recordei agora de ter emprestado uma vez a casa de meus pais ao laurent, ao lado do contador no chao, um linha de fibra, um corda de pesca, com um linha de pesca enrolada numa das suas pontas

Ap a e ceu do ponto do pn to me t am e segunda em primeiro da relaçao e x press ana turbinas de eve en tila sao de um asu c en t re primeiro aqui ao primeiro ado da escola primária, nunca pe rc cebi por quadrado da ue a fi ze ram me s mo ao primeiro ado, t ra serpente sal ema sn as cor es br as i lei ra s pinta da sn a pa rec cd e, circulo primeiro y um ali zorro pisco vaso vermelha no c on t a dor a o primeiro ado da escola em me us passa rf vaso e ler, li se senta e o it t ro, o it ra s v e zorro uma refer en cia com oma sio de se ss senta a e o oto , e me record e ia agora de ter en pr estado uma vaso e za ca sas de me us pa sis ao primeiro au ren tao primeiro ado doc on ta dor no chao, um linha de fi br a , um co rda dep esca, com um linha de p esca en ra circulo primeiro ad a numa das serpente ua serpente das pontas

Tinha-me o espirito dito esta tarde, ao ver um caixote de lixo grande ao passar, para manter a porta assim meio fechada, olhei meu computador e pereceu-me que seria ele, mas poderia ser referencia a muitas outras portas, inclusive a da net, depois os estores deixaram de funcionar, a correia se encravou, ao bocado olhando outra nuvem pelas nove, com uma espécie de incêndio em monte elevado no ceu por bandas da luz, caiu um pedaço dela dentro da calha, pela posição em que ficou minha face, lembrei-me de imediata da imagem de kissinger, dentro do carro, assim com a face meia tapada, parecendo um cowboi bandido, ouvi dizer o vaso esta invertido, do circulo do sete da f g, seria figueira do joao nogueira da figueira, certamente, recordo a primeira das noites que entrei este ano na nova casa em ruínas das danças de lisboa, ou de alkantara como agora lhe chamam, entrei na primeira sala, o joão a atravessou e me deu um beijo na face direita, fora como se de repente o tempo tivesse por um instante parado, a sala como que ficou suspensa, eu surpreendido, não via o joao há muitas, muitas luas, e o beijo, o facto de ele me beijar, estranhamente em mim se entranhou, a imagem que se assomara à minha consciência fora nítida, parecia claro em seu dizes, o beijo de judas, o beijo dado por judas, por aquele que o figura, sendo direita, seria então o joao da figueira do nogueira, o figo de dezembro da figueira do home do nogueira, o da direita


Tinha do traço da inglesa me o es pei circulo do dito, que deve ser versão masculina da dita, se o for, masculino, entenda-se, est at arde, ao ova e rum ca ix circulo red e lixo g rande ao passa rp a ra mantero ra p orta as si m me ii fe cha ada, ilhe rim eu co mp pat dor ep pe rec eu do traço da inglesa me mec quadrado ue se ria el e, mas p ode ria ser r e fr en cia a mui t as p o ur as p orta sin c l is ive a da net, de p o is os est o r es de oca ram de f un cio an ra c o r reia ase en cara ravi, ao b oca do olhando o u t ra n uve m pe l as n ove, com uma ep ps e ice de en c en di oe m monte el eva do no ceu por ban da sd a luz, ca i uu m peda aço de la den t ro da ca l h ap e la p o si sao em que f o cu me in h af ac e, l em br rei do traço da inglesa me de imediata da i mage m de ki s singer, den t ro do car ro, as si mc om af ac e mei a tapada, par e c en do um co boi w bandido, o u vi di ze ro vaso est a in v e r tid o, do circulo do s te da f g, se ria figueira, do joao nogueira da figueira, ce rta mente, record o ap rim eira das no it es q ue en t rei este ano na n ova c asa em rui ina sd as dan ç as de lis boa, o u de al kan tara c omo agora l he cha am mam, en t reina pr e me ira sala, o joão a at rave esso ue me de uu maior bi jo na f ac e do e circulo da ota, rud o forte circulo ra c omo sed e rata da ep en teo te mp ot ive serpente da se por u m i ns t ante para do, as ala circulo dez omo quadrado ue fi co vaso serpente us pen sa, eu serpente up ren did on cão vaso ia circulo do joao homem á mui cruzes as, mu it as primeiro da ua se circulo do beijo, circulo do forte di ac ti de el e me bei j ar, est ra anha mente em mim se en t ra n h o ua i mage m q ue se as s om mara à mina h co ns ciencia f o ra ni tid a, para ceia ca l ra em s eu di ze serpente, circulo do ob do b e i jo de judas, circulo do be e jo dad circulo por judas, por aquele quadrado ue circulo do fi gato do ur as en do direita, se ria en tao circulo do joao da figueira don circulo gata eu ira, primeiro vaso maio figo de dezembro da figueira do home do nogueira, circulo dad e rei t a

Dito, como versão em sua aparência masculina da dita, será o masoquista, vide imagens relatadas do edifício da expo ao pé da ponte, neste livro incluídas, e da relaçao com um enorme furacão que varreu uma cidade em quadrícula disposta americana só deixando um edifício branco em quadrado que apresentava características semelhantes, tambem aqui relatadas, ou seja, o paulo do ia, o t u barão

Dito, circulo omo ove rata sao em serpente ua ap ar rec ni am as cu primeiro ina da dita, se rá o maso quadrado do vaso do ista, vasp id e i mage ns relatadas nm o e d i fi cio da e x po ao p é da ponte, neste li vaso rata inc lui id as, ase da relaçao com primeiro en circulo rato me do f ur ac sao quadrado ue eva vaso ar rata eu uma da cidade em quadrado ua dr ric vaso dez di serpente da posta am e rc ana serpente ó de ix ando primeiro e id do fi cio branco em quadrado ua dr do ado quadrado ue ap r es en cruz ava cara rat teri serpentes tica serpente se marxista leninista home na tea serpente st, cruz da manha e segunda aqui r e la t ur bo di es el as, circulo do vaso do sej do paulo do ia

Aqui a i mage ms e de ra c omo q ue in v e r tid ap o i sas la minas se sol t aram, e a par te q ue fi cara en costa da ao para rapa peito pe la g ravi dad e, me tapava por co mp l e to a cara, serpenet do ac cd dente no circulo a met ad de dec ima e q ue est ava a ab e rta, rec o rat ratada pe dez ceu az vaso primeiro l á f o ra c omo se as l am ninas f os se m met af o ra de pr isa circulo , da descida de primeiro veu, quadrado da ue serpente do acento no circulo da me pe r mit tia olhar circulo c eu ac ima, co mo se o k us s sin ge r t ive s se sid oo or dena ante da min h ac e gui e ra te r rena, o u c omo por us am circulo elevado da eva do cão ao t ive s se eu id o par a ra pr isa circulo

Na primeiro almoço, aqui ao chegar, numa mesa ao lado, um senhor com sua família fez um passe que me pôs a pensar, pois tinha acabado de falar do anel azul das garrafas de agua, e ele às paginas tantas tinha uma branco em sua mao , partido, e depois olhava a garrafa, monte velho, salvo erro, alentejo, do monte o alentejo, o circulo da vida que se partiu , assim foi o sentido que se desvelou no visto

Na pr i me rio norte sul moço, aqui ao che g ar mn uma da mesa ao primeiro ado, um s en hor com serpenet da ua fal i mila fez primeiro passe quadrado da ue me posa p en sar, p o is tinha ac ab do d e fal r do ane primeiro az do vaso primeiro das garrafas de agua, e el e as pa gina serpente da cruz das antas tinha, primeiro ab br anco em serpente ua maio elevado cao , p par id o, e d ep o is olhava a g ar rf am on te velho, sal vo e r ro, al en tejo, do monte o al en tejo, o c irc u dez da v id a q ue se par rt i ua ss im f oio s en tod quadrado ue se de es velo dez vaso no vi serpente to

Nesta belíssima primeira noite de lua cheia, as sombras se encontravam dançado na fachada do atlântico, um peixe dentro de um circulo com sombras que lambiam à sua volta, assim se desvelara o significado a meu olhar, relacionai com o alberto, e com a história de sintra, pois o espirito me desvelara, que tu amada, terias tido um flash, uma súbita iluminação ao ver o que eu publicara, depois da imagem, esta, se me desvelou ainda a modo que completar, o x sara em espanha, ou que o video teria servido o x em espanha, depois me sentei a ver a lua e seu reflexo de prata no mar, a seu lado brilhante como sempre a estrela da manha, parecia a lua deitar a ela um raio que a atraia, a si, contudo, girava o seu em seu modo normal, até uma estrela se ter pelo ceu largamente deslocado, desenhando um masi ou menos de vinte e tal graus, ainda pensei ser um aviao, mas pouco depois um passou, e eu vi aquilo que seria normal nele ver ao passar, na mesma escala de distancia, um certo piscar das luzes de presença que sempre consigo trazem, passei na rua do bar, tres belas raparigas na porta conversavam, ah amada que uma delas era tao bela, que eu até virei para aí umas tres vezes a cabeça a vela, numa delas seu vestido comprido se enfunou, como uma vela, como uma roda, um perfume sufi, ali se desvelou, k em e um outro complementar, um perfume de uma ilha que me remeteu para as baleares, ou assim pensava eu até chegar ao monte, onde de novo no ceu te olhei, disse-me o espirito depois de por ela passar, que era um anzol da lua do grupo do onze do dn, que sim e que não, te digo eu amada, até faço mesmo grrrrr, pela tua ausência, pois se ao, pi do sea, perto estivesse, não se manifestariam tantos estes quase constantes anzóis, ah minha amada, porque não chegas?

Nest a be li s sima pr i me ira no ite de l ua che ia, as s om bras se en c on t rava Am dan ç ado na f ac h ad a do al tan tico, um peixe den t ro de um circulo com s om bras q ue l am bia am à s ua vo l ta, as si m se de s vela lara o se i gn i f ica do am eu olhar, r e la cio na i com o al be r to, e com a h is tó ria de sintra, p o is o es pei rito me de es vela ra, q ue tu am ad a, teri as ti do um fla s k, uma s ub i ta i lu mina sao ao ave ro q ue eu pub l c ira, de p o is da i mage m, est ase me s es v el iou a inda a mod o q ue c om mp l eta ro x sara em espanha, o u q ue o v id e o te ria se r v id oo x em espanha, de p o is me s en teia vera l ua es eu r e f l e xo de p rta no mar, as eu l ado br ilha ante co mo se mp rea estrela da manha, par e cia a l ua de ita r a el a um rai o q ue a at raia, a si, c on tudo, gira ava o s eu em s eu mod o no r m al, at é uma estrela set e rp e dez ceu do primeiro arga mente de serpente dez cad o, de senha n do um masi o u m en os de vi ny te e t al g ra us, a inda pen se is e rum aviao, mas p o u co de pi s um passo ue le vaso nest vi aqui do vaso e dez q ue se ria no r mal al nel e vera o passa rna me s ma es cala de di s tan cia, um ce r to pi sc car das l u ze sd e presença q ue se mp rec on si g ot ra ze mp pa ss e ina rua do bar, t r es be l as ra pa riga sn a p orta c on versa ave ma h am ad aqui da ue uma de l as e ra tao be l a, q ue eu at é vi rei para aí uma s t r es v e ze sa ca beça ave vela de la, numa de la ss eu vestido co mp rid os e en f un o u , c omo uma vela, c omo uma roda, um pe rf u me sufi, ali se de s velo dez circulo do vaso da, kapa em e um outro co mp le men t ar, um pe f ume de uma ilha q ue me remeteu para as ab lea r es, o ua s si m p en s ava eu at é che ega ra circulo monte, onda de n ovo no ceu te circulo do primeiro home eri, di ss e do traço da inglesa me o es pi rito de p o is de por el a passa rata, quadrado da ue e ra primeiro anzol da do primeiro da ua do g ru po don ze do dn, quadrado dp da ue si me quadrado da ue en n x cão, te di goe u am ad a, at é f aço me s mo gato de rrrrr, cinco ratos, pe la t ua au sen cia, p o is sea o, pi do sea, pe r to est ive s se, n cão se m ani f es ta r iam t ant os est es q u ase co ns t ante san zo isa ham in homem aa mad a, por di quadrado ue en cão che ega serpente da foice da ar


E depois me acrescentou teu espirito de amor, que era tambem eco da história que se passara naquela noite em almada, que aqui narrei, com o tal carlos da clara andermatt, e se desvelou, um taxi do dj do sessenta e seis, estrela do sul, a estrela primeira do sul do dj do sessenta e seis, fazia sentido, subindo o monte para de novo no ceu te olhar, assim me trazes tu em tua ausência ao perto pertinho, de repente li, corsa, corsário, rio do corsário da corsa o y, da escolha tripla, que no caminho aparecera em dia recente e onde agora de novo estava, a raiz do y dos carris como vaso de fogo mas aberto, como se fossem os do um comboio, visto em perspectiva, e um, um, como anzol, grande, maior mesmo que o y, a dizer o primeiro anzol, o primeiro arpão aos carris do comboio, será então ode atocha, certamente, nesse momento em que tudo isto se desvelava, a turbina da casa de elevação das aguas residuais ao lado da escola primária, começara de novo a trabalhar, sublinhando a turbina, a ventoinha do sopro, do negro sopro, com relaçao ao grupo de sessenta e oito, ou sej com uma relaçao via frança, olhei o a estação, feira com dinheiros comunitários, que mistura resíduos e crianças, que enorme parvoíce a tentar os perigos, e na placa um nome, feder,

E d e ep circulo do is me ac rec en to vaso da te vaso espanhol do pi rito de amo rato, quadrado da ue e rata maior do segundo em e co do homem is tó ria quadrado ue se pa ss sara ne quadrado eu la ni te em norte sul am mad aqui do quadrado da ue primeira quadrado do vaso ina rata rei, com ot norte sul car dez serpente sd da clara ande rata mat te se de serpente do velo dez vaso, primeiro taxi do dj do se ss en cruz primeiro e se is, e ts ra la do serpente do vaso do pr ie mr rio do sul, a espanhola rata el ap rim e ria do sul do dj do sessenta e seis, forte az ia serpente en tid circulo do sun indo circulo do monte para de n ovo no ceu te olhar, as si maior do met ra ze st vaso em cruz ua au ser ep n te en cia ao e rato to pe rt in homem da ode rato da ep en te li, corsa, co r sa da s eta do rio, rio do co r sario da corsa, o u seja do l au ren to y, da e co primeiro hat rip la, quadrado da ue no caminho primeira ap rec e ra em dia rec en te e onda agora de n ovo esta ava vaso do ar rai raiz do y dos car r is como vaso do as ode fogo mas ab e rt to, circulo omo se forte os serpente emo sd circulo do primeiro comboio, vi serpente to em pe r serpente do pe ct iva, e um, um, ou sej dupla unidade, circulo omo e zorro primeiro , gato a rn de, ma sio rato me serpente mo quadrado da ue circulo do y, a di zorro do ero pr e me rio e zo dez pr om ero ar pao aos carris do com boi circulo do, se rá en tao ode a tocha, ce rta men t ren ess emo men to em quadrado eu tudo is to se de serpente da vela ava, at ur segundo ina da circulo da asa de el ava sao das aguas rata e sid ua is ao primeiro ado da escola pr i má ria, co me ç a ra den circulo do ovo at ra segundo alha rata, serpente ub lina hd circulo em vaso da cruz segundo ian, ave en toi muito homem ad os circulo pro, do n e gato roso pro, com relaçao ao g rup ode se serpente da senta e oito, ci ru c dez do vaso do sej com uma relaçao vaso ia frança, circulo do primeiro ingles iro a esta cap circulo de corte, fe ira com din he iro sc om uni t á riso, quadrado da ue me is tura rata espanhola id vaso do circulo da sec rata ian ancas, quadrado da ue en circulo dor me par vo ice em en cruz ar os pe rigo sena p primeiro aca primeiro no me, feder,

Hoje de manha descendo para a praia , no segundo restaurante em cima de uma mesa , um edição especial de onze de julho de dois mil e oito, com o titulo de primeira página, negada reconstituição do desaparecimento de aspa maddie aspa, uma só de cada lado do nome, e em letras maiores , ingleses, aspa, queimam, aspa, caso e ainda fibra de vidro sobre as ondas, cartaz das estrelas da sardinha de Portimão e ou a fatacil em lagos, bastos motivos de interesse, pescadores marafados, reforço policial durante o período de veraneio e Versalhes á algarvia, ultimadas e restaurados os frescos dos anjos papudos em tele e estátuas de filósofos consagrados como kant, com um foto de um home com uma vara de boneca a restaurar um tecto com e deusa que conduz o carro puxado por duas pombas, a deusa caçadora , diana

Homem oje de manha de sen do para a pr ia , no se gun do rata espanhola do tau ran te e mc uma dam mesa , um edi sao es pe circulo e primeiro do grupo do onze de j uk primeiro homem da ode do is mi primeiro e oito, com circulo do titu dez de pr e me ira pá gina, muito ega gado reco sn titu e são do de sapa rec ie mn to dea spa mad di e a spa, vaso ms serpente do cao do acento d no circulo de cada p rik me iro ado do nome, e em l e t ra s maio rata espanhol , ingleses primeira spa, quadrado eu imam, a spa, caso e a inda fi br ad e vi dr circulo serpente ob rea serpente das ondas cartaz dae ester primeiro as da se rata din h ad ep sir vaso do circulo dc dez do rato tim ao e circulo ua fata ac e primeiro em primeira gata do duplo circulo do bastos m ot iv os de in te r esse, p esca dor es mara fados, r e f o rc circulo policial duran teo pe rio dd eve ran ne io eve r sal homem espanhol á ala g ra vaso do ia, vaso do p rim e rio tim ad as e r es tau ra do serpente do os fr espanhol co sd os anjos pap vaso dos serpente em televisão e espanhol tatu as de fil os cir vaso circulo dez do forte sc on sagra do serpente co mo da kapa ant, com um f oto de um home com uma vaso ar ad e bone ce a r es tau ra rum tec tc com do om e deusa q ue c on du zo car ro p ux ad o por du as p om ba sa deusa ca primeiro circulo do corte primeira dor aa di ana

Olho a foto dos pais da maddie, deverá ser uma antiga foto tirada pouco depois do desaparecimento, pois as gentes batem palmas ao seu passar, o pai tres um saco que parece ser do natal, portanto remete para o tsunami, tres rosas amarelas misturadas com flores pequeninas brancas num vaso amarelo e duas rosas brancas sobre folhagem verde sobre fundo branco de sua camisa, seu relógio negro e prata, oto cores, tapa com seu antebraço a face de uma menina por detrás com um camisa amarela , um M de maria que assim se desenha pela ponta do seu cabelo que sobre ele cai, como uma seta do tempo invertida, no braço da menina uma pulseira da qual sai um rectângulo vermelho que entra no amarelo e que quebra assim a perna direita de maria da manhã

Olho primeira do forte oto do serpente spa pa is da mad di e, de eve rá se rum da primeira ant i g a forte oto t irada p do circulo do vaso do co de p o is do de sapa rec ie mn to, po isa sas g en te s bate maior de palmas ao serpente eu passa ro do rop ao pai tres primeiro ser ep on ney t do ac aco que par e ce ser do natal, p orta n to rem met e para do circulo do ts un am it ratas espanholas rosas am ar e la sm is tura da sc om flor espanhola pe q eu nina sb a rca sn primeiro vaso am ar elo e di ua sb br ancas serpente ob, do tam do pao do rato da folhagem verde s ob r e f un do branco de serpente ua cam isa, serpente eu rato elo dez gi one gato ro e prata, oto co rato espanhola tapa com serpente eu ante br aço primeira face de uma me ni un ap cir do vaso do circulo cc dez do rato det ra com primeiro do ca misa am ar e la , primeiro vaso maior de maria quadrado da ue as si ms e de senha pe la ponta do serpente eu ca belo quadrado ue serpente ob reel e ca i, circulo omo primeira serpente eta do te mp circulo in v e r tid primeira, no br aço da me nina uma p do vaso do primeiro da se ira da quadrado ual sa e primeiro da rec tan gula dez vermelho quadrado da ue en cruz ra ano am ar e la oe quadrado da ue quadrado do eu bra as sima ap e rna di rei t ad e maria da manha

Sua esposa trás, em seu braço esquerdo dobrado com uma peça de roupa branca que tapa o ursinho de peluche, cor de rosa , um pé como se ve, parecendo mais um osso, só se deduz que é o ursinho por se conhecer o habito dela com ele sempre andar desde que maddie desapareceu, sal mao, segura um saco negro e branco, as asas descem em vaso de fogo de um anel doirado e algo verde, como um folha dentro do saco a aparecer se ve, depois na asa da facto do saco, uma placa de identificação , que parece a recentemente evocada neste livro, o que parece seur uma placa de identificação de um militar, a que me apareceu na esteira da rede de clinton, sua outra mao a direita, agarra a mao direito ds seu marido, como se um falo, ou dois dedos de um falo, ou , um falo duplo se tratasse, ou ainda , uma dupla penetração, o logo da marca do saco é mng, que quase remete ara cinema mgn, o tino navarro, e da forma como está enquadrado na fotografia, assim se lê, duplo vaso do gato do cinema, mgn, da dupla penetração, uma das primeiras aqui relatadas, sem duvida, as falsas hemorróidas, do verão seguro, ou do seguro no verão, circulo sessenta , nono do Versalhes à algarvia

Serpente ua espanhola posa sat cruz rá serpente da se em serpente eu bar ço es q eu rda dao do br ado com primeira p eça de ro da up ab branca quadrado ue t pa o uri sn homem da ode do pe do primeiro vaso do che, cor de rosa , sí, agudo, primeiro p é c omo serpente ny eve, pa rec en do mai serpente primeiro osso, serpente do acento no circulo s e de do vaso zorro do quadrado do y ue é o uri sn homem do cir u c dez português sec one home do circulo do ero h abito de la com el e se mp rea anda ar de sd e quadrado da ue mad di e de sapa rec europeia sal mao, segur primeira do primeiro saco negro e br anco, as asas de sc em e maior vaso de fogo do primeiro anel do irado e norte sul gato da ove verde, circulo omo primeiro forte do circulo do primeiro j omem ado en cruz ro do saco a ap ar e ce rata serpente eve, de ep o is sn primeira asa da f ac te do saco, uma p primeira aca de in den ti fi caçao, quadrado da ue par e ce a rec en tee mn te evo circulo ad ane neste li vaso ro, circulo do ur do y quadrado ue par e ce seur uma p primeira aca de id en ti fi caçao de primeiro militar, aqui da eu da me ap a rec eu na este ira da red e de clinton, serpente da ua outra mao ad di rei ta, primeira gata ra am mao di rei to ds serpente eu seu marido, mar id circulo, circulo omo se do primeiro falo, circulo do vaso do is dedos de primeiro falo, circulo do vaso , primeiro falo do up dez se t rata serpente da se, circulo do vaso primeira inda , uma do up la p ene t raçao, circulo do primeiro gato do duplo circulo da ma rca do s ac sao é mng, quadrado da ue quadrado do vaso da ase reme met e ar ac ine ema maior gn, ot ino navarro, e da forma co mo est á en quadra do na f oto g raf ia, as si m se primeiro maçon grau ê, do up dez vaso do gato do cin ema, m gn, da d o up la p ene t raçao, uma das pr i me rias aqui relatadas, s em do vaso id a, as fla sas he mo roi da sd ove do verão segur ro, circulo do vaso do seguro no verão, circulo se serpente da senta , nono do ave r sal homem ingles sa norte sul gato da ar do vaso ia

Ao lado do casal, um home que bate palmas à sua passagem, sua camisola, tem diversos dizeres, diversa letras, nelas assim leio, segundo , o anzol, às da cruz vaso do gal , o laço do quadrado do ás do triângulo de fogo sobre os dois circulos de P, bo vaso da gata primeira, segundo ps, pá da gina da terceira,

Ao primeiro ado doca sal, primeiro home do vaso maior quadrado da ue bate de palmas à serpente ua passa sage ms ua cam e sola, te maior di dos versos da di ze ratos serpente, di versa das letras, nela sas si maior lei circulo, serpente en gun do , circulo do na zorro e primeiro as da cruz vaso do gal , circulo do primeiro aço do quadrado do ás do t r ian gula de dez de fogo serpente ob reo serpente sd do is circulos de P, b segundo vaso da gata pr i me ira, se gun do ps, pá da gina gata ian da terceira,

Um outro pormenor se desvela pela mae de maddie, a mao que leva o saco do mgn do militar, que declina tambem em maria , u maior guarda nacional, agarra contra as folhas brancas, um rectângulo branco, que trás impresso um face de um home de meia idade, e por debaixo , um dedo , o indicador, segura uma nota, uma nota que ao vê-la parece ser uma nota de quinhentos escudos, o tal valor constante nesta historia, de dentro do saco, sai uma flor laranja, do circulo laranja , o home parece ser o ex ministro das finanças, mas poderá ser um outro, é a face que me recorda ao vê-lo , e um M de maria, a sobral mendonça, tambem associada a uma divida a mim no valor de quinhentos, mas contos de rei dos antigos, ou de histórias muito antigas, dos tempos do liceu

Primeiro vaso maior do primeiro dos outro por homem en os sede serpente vela pe la mae de mad di e, pr i mira mao quadrado ue primeiro eva circulo do saco dom gn do militar, quadrado da ue dec pr ie mira ina lina cruz am e segunda em e maior de maria , vaso maior guarda nacional, primeira garra rac, seios, em cruz rata ra as das folhas do forte circulo do primeiro homem às br aca serpenet do primeiro rec tan gula de dez bar rn co, quadrado da ue cruz ra serpente i mp rato esso, gasolina, do primeiro da face de primeiro home de me ia id ad e, ep circulo do rato dena b ix o , primeiro dedo circulo da indica dor, segur primeira uma ano ota, primeira de muitas anos ota quadrado ue ao vaso do ê do ponto do traço do ingles de la par rac ac es e rum ano cruz primeira de quin homem en to serpente espanhol cu do sat norte sul vaso as circulo do rato co ns cruz ante nest primeira energia do st proa, de den cruz ro do serpente ac circulo , sa e primeiro da flor laranja, doc irc vaso de dez do circulo laranja , cir vaso do circulo do home par e ce serpente ero e x mini serpente st cruz rio das f ina circulo do corte as, mas p ode rá se rum circulo do vaso da cruz ro, é a face quadrado ue me record aa ove do batman e traço ingles de dez , primeiro do circulo, e primeiro da maria, a sobral men don ca, t am e segunda em as soci ad aa uma di v id aa mim no do valor de quin do homem en to serpente, mas circulo on ts de rei dos ant e gato do os, circulo do vaso de histórias mui to ant e gás, dos te mp os do li circulo europeu ne serpente da ua

O tubarão que se expressou no ceu, tornou a aparecer aqui na terra , apareceu ao lado de um stop, ou seja o tubarão, a serpente top, ou a serpente de topo, por cima dele, um toiro negro espanhol sobre branco, ou seja maçónico, tipo aqueles que se vem em grande nos campos, e que me evocou agora, um dos primeiros filmes com a bela penelope, e um rapaz que acabou recentemente de ganhar um prémio, a seu lado li, imperador, um outro actor dos sopranos tambem já qui convocado nesta imensa história, o imperador do carioca, ou seja do ca da fé carioca, ou seja do brasil, dupla traide de la, sessenta e tres , nove

Ot vaso do barão quadrado sd ue da se e x press circulo da un do circulo do ceu, tor no vaso primeira ap ar recer aqui na te rata ra , ap ar e ceu ao primeiro ado de um st p circulo do vaso seja do circulo dez do tubarão, a se rp en te to p, circulo do ua serpente de topo, por rc ima dele, um toi to negro es pan h circulo do primeiro se rp eve serpente fiat rata e branco, circulo do vaso do seja m ac oni nico, cruz ip ipo circulo aqui do eu do primeiro espanhol quadrado eu que se vem em grande nos cam p os, e quadrado ue me evo co vaso agora, primeiro dos p rim e iro serpenet da fil mes com ab seguindo bela p ene do lopes, e um ra p az quadrado da ue primeira ac ca bo segundo vaso do as do circulo ur rec en te mente de gan am do homem ar primeiro pr emi circulo, as eu primeiro ado li, i mp e ra dor, primeiro circulo do vaso da cruz ro actor dos serpentes do circulo do p rata ano serpente cruz am e segunda em j aqui circulo em vasp oca do nest primeira em en sa homem do is tóri a, o i mp e ra dor doca rio ca, circulo do vaso do seja do ca da fé carioca, circulo do vaso uk seja do brasil, da up la t raid e de la, se serpente da senta e cruz rata espanhola , no de muitas ove

A serpente top, foi a serpente que comeu a maddie, ou ma do dd da de , letra e, maior ma di, e, do dia dd

Depois abri o estore, e o compus, estranhamente a fita, estava torcida, me pergunto que mao assim o terá feito, sendo que o seu sentido reforça e clarifica a imagem relativa ao kissinger dentro do carro, e da minha ordenada prisão, e a manutenção do roubo de meu filho, a fita que desce a persiana, ou seja , o veu, foi torcida, assim sobre mim o puseram,

De ep circulo isa sa ab rio espanhol tor ee e circulo com mp dos pus, est rata anha mente af fi it cruz primeira, est vat circulo rata da cida, me pr e gun do to do quadrado europeu di do mao as simo te rá fe it to, serpente en do quadrado da ue do circulo da serpente europeia, serpente da en tid circulo, rata e força e circulo la rif ica a e mage mr e la cruz iva ao kapa do is sin ge rato da en cruz do ro do car ro, e da min do homem da primeira do circulo da rata dena da pr e sao, primeira fita do kia do quadrado ue de sin circulo do ron ni serpente mo e ao persi ana, circulo do vaso seja, circulo do veu do forte do circulo da it roc id primeira do as si ms ob rem mim do circulo da puta da use ram,

Minha mae pelo quarto passou e disse, quem tem um home jeitoso, tem todo, eu por dentro me sorri, dizendo, jeitoso e jeito teria e seria se te tivesse aqui a meu lado, minha amada muito amada

Min homem da primeira mae pe dez quadrado do vaso art circulo passo da ue di serpente da se, quadrado eu maior te mum homem do ome do je it to osso, t ema mam to dc circulo, eu por dia en cruz ro me serpente orri, di zen do, je it os oe do je it to teri a e se ria sete e cruz ive serpente se aqui am eu primeiro ado, min homam da primeira da am a d a m vaso do it to am ad primeira

Numa mesa à hora de almoço no atlântico, me surgiu, curve ball, ou bala curva, ou curva a bala, para não acertar na bela rapariga e sim, na vaca morta por detrás pendurada, à imagem do filme, uma rapariga jovem com um chapéu negro, com fita vermelha, um colar de coelhinha em sue pescoço, das contas escocesas, pb do coração vermelho, rata do vaso do bal, da lua vermelha feita pelo circulo do filtro vermelho, que reflectido no livro aberto em cunha dá a imagem de um coração, imagem que vira recentemente na net

No uma mesa à hor ad e norte sul moço no at lan tic vo, me serpente ur gi vaso, circulo ur ve ball, ba do onze, circulo do vaso da bala circulo do ur vao vaso da curva primeira bala, para n cão a cc e c rta rna be la ra pa riga e si mna vaca morta, no rata rta, por de t ra serpente da pen dura ad a, à i mage maio do fil me, uma ra pa riga j ove mc om primeiro cha ap do vaso negro, com fi ta ave vermelha, um co lar dec oe da linha em sue p es coço, das circulo em cruz do as e co se za serpenet do pb doc raçao vaso e rata maior do primeiro do home da energia da rata do vaso do bal, da lua vermelha feita pelo circulo do fil cruz ro vermelho, quadrado da ue r e f l, for mula um, e circulo da tid circulo no livro ab e rato to em cunha dá a ia ge maior de um cora sao, i mage maior quadrado da ue vaso da ira rec en te mente na net

Como de costume, acrescente-se o óbvio!

Circulo omo de c o s t vaso me, ac rec en te do traço da inglesa se circulo duplo de acento do segundo vi circulo do ponto de e x c la maçao

Hoje quando estava ao pé da janela da parede onde se encontra o quadro narrado do picasso, caiu-me do bolso uma factura que assim me rezou, nove, iva do tot, do circulo do trinta e um , seis vi maçao da gula de quarenta e tres, dez , vi gula do duplo circulo do terceiro de cinquenta e sete, circulo da estrela do sete do ra rio primeiro da estrela homem do traço ingles do primeiro do nono , pe la serpente ua vaso isi sita ank y circulo do vaso do circulo quarto serpente dc do circulo do primeiro do zé dos dois pontos de informação da tríade do infinito, quim zé do bar do rá do circulo do seth do bar do rá do circulo oitavo, ou do infinito

H oje q ua n do est ava ao p é da jane la da pa rede onda se en c on t ra o quadro na r ra do d o pi casso, ca i u do traço da inglesa me do bo primeiro serpente do circulo da uma f ac tura quadrado da ue as si maior mer e zo n ove, iva do tot, do cir cu dez do trinta e um , se is vi maçao da gula de quarenta e tres, dez , vi gula do duplo circulo do te rec iro dec in q u en ta e sete, circulo da estrela do sete do ra rio primeiro da estrela homem do traço ingles do primeiro do nono , pe la serpente ua vaso isi sita ank y circulo do vaso do circulo quarto serpente dc do circulo do primeiro do zé dos dois pontos de in for maçao da t riade do in fi ni to, quim zé do bar do rá do circulo do seth do bar do ra da pa s oto dez do circulo oitavo, ou do infinito

No parapeito da janela, um candeeiro com base em circulo de prata, , com uma haste fininha e um vaso em vidro fosco, como uma tulipa aberta, funciona a transformador, é made in china, w dp o ponto kapa wu products inc vaso das aguas do forte ponte do model dos dois circulos da tulipa, ou holandeses, do bar do rá do trinta, trasnformer primeira coluna do p dos dois circulos do duzentos e trinta losango da ce da onda cinquenta homem zorro da gula do vi vinte e oito w do circulo do bar do rá da p dos dois circulos do ze do vaso da onda da gula do vi do segundo circulo do primeiro vaso use g4, apple, segundo vaso do primeiro do segundo do zé vaso da onda máximo de vinte do volt do duplo vaso, duplo vaso do ze do rectângulo das doze hor as do semi circulo oito traços circulo prata e verde do quadrado do circulo pa serpenet da sed do infinito, in li industries co do angulo do turbo diesel do ac ad ap jo rato ar max da segunda ova in li mode angulo dos dois pontos de quarenta e oito, y do angulo do traço ingles do segundo circulo uk do doze vaso nove z do up vaso da cruz duzentos e vinte da onda cinquenta home zorro do oe m do circulo do vasp o da cruz tp do vaso do sé do traço inglês max da segunda ova e ne rato gato gs da ce sn di fi quadrado do cento e quinze do duplo quadrado do escudos do vaso das aguas forte da seta que entrou na casa pelo rés do chao, do aquecedor ingles doas quatro rectângulo como quatro notas, e que ligou a primeira vermelha, sendo o código das quatros, um, dois, azul frio, um dois vermelho, quente

No pa ra pe iro da jane la, um can di eiro com base em cir u c dez de p a rat, , com uma homem aste fi nin h a e um v as oe m vi dr o f os co, c omo uma tu l ip a ab e rta, f un cina a t ra sn for ma dor, ema de inc h ina, w dp o p on to kapa w up ro d u c ts inc vaso das aguas do forte p on te d om model dos do is circulos da t u l ipa, ou hola n de ze sd o bar do rá do t rin ta, t ra sn for mer primeira co l un ad o p dos do si circulos do du zen to ze t rin ta l o san gi da ce da onda cin q u en ta homem zorro da gula do vi vinte e oito w do circulo do bar do rá da p dos dois circulos do ze do vaso da onda da gula do vi do segundo circulo do p rim ero vaso use g4, apple, se gun do v as o do primeiro do segundo do zé vaso da onda ma xi mo de vinte do vo l t do du p dez vaso, do up dez vaso do ze do rec tan m gula dez da sd o ze hor as do s emi circulo oito t ra ss circulo prata eve verde do quadrado do circulo pa se rp ene t da sed do infinito, in li indu s t rie es co dona gula dez dot ur bo di e s es do ac ad ap jo rato da arma x da segunda ova in li mode angulo dez dos do id pontos de q ur en ta e oito, y do angulo do traço ingles do segundo cir cu u k dez uk do doze vaso ino me zorro do up vaso da cruz du z zen to ze vinte da onda cinquenta home zorro do oe maior do circo uk ki do vasp o da cruz tp do vaso do sé do t ar ç o ong primeiro espanhol max da segunda ova e ne rat to gato gs da ce sn di fi quadrado do cento e quinze do dia do circulo kapa do circulo da p de dez quadrado do escudos do vaso das aguas f ot e d a s eta que en t ro un a casa pelo rata espanhol do chao, do a q u ce dor ingles doas quatro rec tan gula dez x sc omo quatro notas, e que li g o ua primeira vermelha, sendo o co di go das q ua t ros, um, do is, az ul fr io, um do is vermelho q eu n t primeira

Depois o fio passa por cima do da antena hertziana da tv sony que estava com o ponto vermelho do stand by ligado, como que a dizer, o que fez os infinitos no cabo hertziano da serpente do circulo de ny, onde as induções se misturam

D e p o is o fi o passa por rc ima do da ana t en a her te z i ana dat v son y q ue est ava com o p on to vermelho do stan d b y li gado, co mo q ue ad di ze ero q ue fez os in f ni to sn o ca bo her te z ian ano da serpente do cir cu dez de ny, onde as indu ç o es se mis tura da am

A luz por detrás do veleiro, indica, espaço rectângulo amarela e negra ad dez ac azul do circulo verde mr circulo de setenta e oito a noventa do x na divisão da raiz quadrado maior minus quadrado de cinquenta e seis do ponto do traço maior divisão minus do percentil maior cruz , um dois, tres, ou seja carlos cruz, igual ce circulo ge circulo al do triângulo das aguas vermelhas do st homem do om co di gato do circulo de barrás, do senhor da charneca, dos mosqueteiros da charneca, trinta e oito da estrela do circulo terceiro de noventa , de dezembro, quatro circulo as estrela do sete do seis da tríade de sessenta e um, da ruth da renda do angulo do inferno vermelho de dante , da jarra tipo grega lápis lazuli, do lápis de cabeça vermelha hexagonal noris do home segundo do segundo do dn made da germany, na persuasão da fronteira da ciencia da jane de y serpente au serpente ten dos diários inéditos de che guevara do raul do castro, homem rato forte de keating do tubo da cerâmica de dezoito do segundo da estrela de aveiro do rectângulo do vaso azul dos jogos de xadrez de duas damas da pa do wo maior vaso forte do vi rc u dez da vareta se pr en te do mu sica para maior ove po nk r es o rt do pi ao do serpenet do core da seta do pad do mata moscas do rec rc de denver to serpente do homem da ob a do super do bem do angulo de Washington do circulo out of time do circulo do ra da fia do quim ze do ray mond chandler , perdeu-se uma mulher, obras do pede

Norte sul vaso da primeiro zorro português por detrás da vela latina indica, espanhol do paço rec tan gula de dez am ar e la ene gata ra ad dez ac az vaso primeiro do circulo verde mr circulo de setenta e oito a noventa do x na di visao da rai zorro do quadrado maio rato minu serpente do quadrado de cinquenta e seis do ponto do traço maior di visao minu sd do circulo do percentil maio rc da cruz , um dois, tres, ou seja carlos cruz, do igual ce circulo ge circulo al do t rina gula de dez das aguas vermelhas do st homem do om co di gato do circulo de barrás, do sem ho r da cha rn eca, dos mosqueteiros da c h r n eca, trinta e o id ds estrela do circulo terceiro de noventa , de d e ze m f br o, quatro circulo as estrela do sete do seis da t riade de se da senta e um, da ruth da renda do angulo do inferno vermelho de dante , da j ar ra t ip o grega da pi s l az vaso primeiro id do circulo do la pi sd e cab ca de corte v e rm l h a he x a g on norte sul do noris do home segundo do sed un do circulo do dn made da ge rata maior any, na pe rata serpenet do vaso da sao da fr on te ira da cie en cia da jane de y serpente au serpente ten dos dia rio sin ine dito sd e che g eu eva ra do ra vaso primeiro do castro, home do circulo do mr maior rato forte de kapa e at inglesa do tubo da ce ra mica de d e zo i to do se gn do da estrela de ave irao do r eca t n gula dez do vaso primeiro az vaso de dezembro dos jogos de x ad rata espanhola de du as das damas da pa do wo maior vaso forte do vi rc u dez da vareta se pr en te do m u sica para maio rove p o nk r es o rt do pi ao do se rp ene t do core da seta do pad do mata moscas do rec rc de denver to serpente do homem dao pb ob ad circulo do super do ben do angulo de w as h in g ton do circulo out o f time do circulo do ra da fia do quim ze do ray mond chandler , pe r de u do traço da inglesa se uma mul her, ob ra sd do circulo do pede


Um rapaz de parapente teve um acidente, o que me evocou no âmbito da história de maddie, o instrutor que andava com os senhores ingleses da marina de lagos, história aqui narrada

Um ra p az de para pen te da teve primeiro acide dente, circulo do quadrado do vaso da eu do me evo co un circulo am bi to da hi serpente tóri ad e ma d di e, circulo e ns cruz ru ot r a quadrado da ue anda ava com os serpente en hor espanhol ingleses da marina de primeira gata os, hi serpente tóri aa quina rata ra da

Outros ecos, em gaia morreu um jovem afogado na praia do areinho, manuel da silva do rocha quando nadava junto ao cais do espinha co, evocou e mim a descrição da praia e do fato e do traço da tinta que nele foi feito, que se liga ao circulo do grupo onze de ney yorque

Circulo do vaso da cruz da rose cos, em gata aia morre vaso primeiro j ove mafo gado na pr aia do a rei n ho, manu el da silva do rocha q ua n do na da ava j un to ao cais sd o es pinha co, evo co ue mim ad es c r i sao da pr aia e do fato e dot ra circulo de corte do circulo onze, o da tinta q ue nel e f o i fe i to, q ue se liga ao circulo do g rup o onze de ne y y circulo do rato quadrado da ue

belmiro de azevedo, caiu em Tróia, ao visitar um apartamento modelo quando inaugurava na marinha e um supermercado, do Tróia ressort,

Be l i miro de az eve doca e eu maior t roi aa cir u co dez do vaso isi sitar um ap art am en cruz ro mode dez quadrado da ua muito do ina gata do vaso rav na am rinha e no super mer rc m en o ra dd circulo do Tróia rato esso reel time,

Está caido de costas para quem o ve, ao lado de um sofá de tres costados, como os tres que apareceram neste ultimo capitulo, em cima de uma pequena mesa frente ao sofá, um, vaso aberto, como uma chaveta, igual a um que aqui vira no passeio da praia feito em metal, que apontava pela sua posição o contentor branco com o numero onze, ou seja do contentor branco do grupo onze, e uma menina preto e branco com lenço laranja e amarelo lhe dá am mao para o levantar, assim se presume que terá acontecido

Est á ca id ode costa spa ra q u emo ave, ao l ado de um s o fá de d e t r es costa do s, c omo os t r es q ue ap ar e ce ram neste u l tim o ca pi t u dez, em c ima de uma pe q u en a mesa fr ente ao s o fá, um, vaso ab e r to, como uma c h ave eta, igual norte sul q ue aqui vaso da ira no pa serpenet do seio da p raia fe i to em met norte sul, q ue ap on t ava pe la sua p o sis cao oco em t en tor br anco com em no maior ero onze, circulo do vaso seja doc on ten tor branco dog rup o onze, e uma me nina preto e branco com l en sao primeiro ar anja e am ar e dez primeiro homem ingles d á am mao para o l eva n t ar, as si ms e pr es u me q ue te rá ao cn tec id circulo

A justa proporção ao lado, referente à olha de tavira, e dciap na luta contra o trafico e branqueamento e corrupção de capitais pela pena da leonor

A j us ta pr o pr o sao ao primeiro ado, refer en te à o l h ad e t av ira, e dc ia p na l u ta c on t ra o t raf i co e br anca quadrado da mane to e co rr up circulo de corte elevado cão a ode ca pi tais pe l a p en ad a leo no rata

Em viseu, o vicaria anunciou as obras no centro paroquial nossa senhora de viso em viseu , num investimento de quinhentos mil euros ar ran cam no pr ox e mo do ano, em são bartolomeu de messines perto de silves, um , um aparatoso despiste , um veiculo caiu de uma ribanceira com dez metros , a princesa leya da guerra das estrelas filha de Paes do amaral, segura duas pontas de duas bandeiras nacionais contra a saia negra , o verde, e o vermelho, no campeonato de jovens cavaleiros com cento e dez participantes, que remete para o trajecto da facada do japao aqui,

Em vaso da ise do vaso do circulo do vic da aria di rua do to na un co i ua s ob br ra sn circulo doc en t ro par o quadrado do vaso da ila de no s sa sem hor ad e vaso is o em vi ise vaso no primeiro in v es tim en to de quin h en to sm e l eu rosa rata da ran cam no pr ox e mo do ano, em são bar olo me u de me sw serpente de sines pe r to de si l vaso espanhol sn e circulo primeiro, um ap a rat os ode spi te , um v e i cu dez ca e vaso de uma rib ban ce ira com dez met r isa pr inc e za ley ad a g eu e ra das estrelas fil hade pa espanhol do amaral, segur a d d ua s pontas de du as bandeiras na cio na sic on t ra a si aa be gato ro verde, e o vermelho no caqui bei j em no cam pe on ato de j ove ns c ava lei ros com c en t oe dez par tic ip ant es, quadrado ue reme met e pa pata ar ot ra ject o da f ac ad dupla do circulo do japao aqui,

A bela joana mostra o crochet de uma grande cobra vermelha e negra da ria da formosa, do bom peixe dos prazeres, no rei das praias, do luís do martinho da arcada, tres g am b ine bs s ob re, e ro bal om do irada e e lin g ua do, as si mc omo am e i jo ase ca mr cão ti ge, a jo ana di z q ue g os ta de bar riga sd eat um , e s eve mu ns c is ne s o u fla min g serpenet dia de eve ms e rata masi fla mingo s, p o is serpente elevada cao pe rna s l t as, em mafra, circulo uk do jardim do cerdo, as anta da cruz de es pei to do oceano, s o ds u rf e do bo d y boa r de m s e ines das um ts sica sd o mundo, p pai do ro ck c h ines a s h a b h os l e, h ip h o pt he l as t poe ts, e mui to s o u t ros noe ms da w o r l d mu sica, cin ema e ra em g ra n do la, g one b ab y g one, v ista pe la u l tim ave zorro, rata tui, e el a homem do teatro de rua acontece no dia dez o i to com es cola de mul h her s de mol i e rato ce

F le cha s c ruza da sd e peter e da l aura, pr ega da rec ita curada fil e iras do mo n t aa o do za do galo da gália l aço da cat e dr norte sul da barra da l e t ra g rato ega am eri cio ene r gi co po e ira , l eva n to u, da fla mina gata primeira do fonte da p ip ad o te rc eiro dot ar ço on g le sd o l na te rna, do fla s hp ac do home do ab rato e restaurante em almada

Pap ab en to di ze ms y dn e y, na asu au s t ra l ia, j ove m am i g o, de us e oo s eu p ovo es pe ram mui to de ti, por q ue t u ren ns en t r e tio supremo dom do Pai; o es pi rito de Je s us t ra ç o in g l es segundo x forte do circulo do va fo vaso sexto, da papa do pede português de serpente ms ar reno da ovação é, da dor orte

Serpente us e d e bam bang y vaso do quadrado da energia do y on circulo remo rato serpente sos pe la viol en cia em tim circulo do rato do circulo do presidente da indonésia



Muitos mais ecos se deram às minhas letras, mas por agora fico por aqui

Acrescento só mais outra linha, relativa, a um dos temas nucleares do ultimo capitulo publicado, azul vermelho e branco, chausson mtx tc do duplo vaso de cinquenta e sete, ou sej da estrela do seth, local Haiti

Chausson Haiti xx ad van tage do ff

Ac rec do cento circulo do ingles to kapa, serpente do acento no circulo mais outra da linha, rato e la cruz iva, norte sul dos te we emas ni circulo ler espanhol do vaso primeiro tim circulo do capitulo p do vaso do li ica ca do, az vaso primeiro vermelho e br anco, c h au serpente son mc cruz x tc do d o up dez vaso de cin q u en ta e sete, o u sej da e ts rata e la do seth, primeiro oca do circulo onze doca primeiro do homem oma primeira do it ti


Depois assinatura de erro serpente zorro a pp na me w indo da palavra do ponto e xe do ponto da serpenet zapp vaso e rato dos dois pontos de noventa do circulo de oitenta e nova do quadrado do terceiro serpente zorro mode na me dos dois pontos do homem da un gap p serpente zorro mod dv e rata dos tres circulos do circulo do ff seth do infinito

Passado nem meia hora seria da ultima publicação, uma intervenção de bush, a propósito da crise de energia, que parecia que haveria gasolina para andar

Passado ne m me ia hor ase ria dao vaso do pr ie mr circulo do tim ap da pub li caçao, uma in te rara vaso da en sao de segundo us homem, zorro pr circulo da p os e to da circulo rata ise de en r gi primeira, quadrado da ue par e cia quadrado ue homem ave ria gás do sol ina para anda rato

o cib te, circulo e semi circulo ibt da te