quarta-feira, agosto 20, 2008

querido senhor, desde há uns dias já largos que ando consigo dentro de meu coraçao e meu pensar, nao deixa remetente no comentário, assim aqui lhe respondo, curioso, acabara de publicar novo texto, fui fazer-lhe um acrescento, e quando de novo o publiquei , lá estava um seu novo comentário, digo isto assim de memória, pois penso que em um pormenor, é distinto dos anterior, pois mencionava que eu eventualmente lhe teria trocado inicialmente, quando transcrevi, o extracto de seu belo livro, seu nome, em vez de Daniel de sá, por rui de sá, para lhe ser franco, como sempre sou, ainda nem o verifiquei, mas se assim foi , as minhas desculpas, o seu livro me tocou muito, e me veio parar à mao na montra de um antigo alfarrabista da rua nova da trindade, num preciso momento da história de sempre , a crucificação, logo a seguir a um dia em que no ceu sobre o rio, apareceram, duas cruzes, duas cruzes que foram em meu entender no visto, feitas por mao humana, aos comandos de aviões, e com grande trabalho para assim a terem feito, pois a proporção, distancia, e outras características, assim o desvelaram, para além de manobras perigosas e certamente não autorizadas no espaço de voo sobre a cidade, interpretei o que vi, na altura como uma acusação, uma trabalhosa acusação que alguns pretendiam fazer, sobre o que agora me diz, e que já o tinha em outro modo dito, sabe o senhor tao bem como eu, que a Palavra em verdade, seja escrita ou orada, ou em que suporte for, sempre é masi e masi se torna daquilo que é no momento de seu acontecer, pois tudo é contínuo e eterno e todas as coincidências são significativas e consequentemente significantes, se assim o diz, assim o vou tomar, contudo, o seu conteúdo, é bastante crível, à negra luz do que foi a inquisição, e do que ainda hoje continua a ser, mesmo que disfarçada em outras vestes, ou mesmo sem tanto pudor, nas vezes, contente fico de o saber contente, pelo relevo que aqui às suas letras dei, se as quiser copiar e as por em outro lugar, esteja em sua real vontade

querido serpente ingles hor, de sd e homem à do vaso ns dias j á primeiro argo serpente quadrado ue ando c on si g ode ingles t rod em eu co raçao e me vaso p ingles sar, ingles cao de ix primeira do rato e men ten te ingles do circulo do co men t á rio, as sima aqui primeiro he rato espanhol pon doc ur rio serpente o, ac ab ra de pub primeiro e car ingles ovo posto, f vaso e f az e rato do traço do primeiro ingles um ac rato espanhol cento, e quadrado vaso ando de ingles ovo o p ub primeiro e quadrado eu e , primeiro á est ava um serpente eu ingles ovo co men t á rio, di gois to as si maior de me mór ia, p o is p ingles serpente o quadrado ue em um por maior ingles or, é di serpente tinto dos em te rio serpente, p o is maior ingles cio ingles ava quadrado ue e vaso eve ingles tua le maior t ne primeiro he te ria t roca ado e ni cia primeiro mente, quadrado vaso ando t rna sc rato e vi, e e x t rac to de serpente eu b elo li v ro, serpente eu no me, em v e z de dani ile de sá, por rui de sá, para primeiro he ser franco, co mo se mp rato espanhol o vaso, a inda ingles e mo ove vaso eri fi quadrado eu ima serpente se as si maior f o ia serpente min h as de sc vaso primeiro p as, os eu primeiro iv ro me t oco vaso mui to, e me veio para ar à mao na mon t ra de um ant e goa primeiro f ar ro b ista da rua ingles ova da t rin dade, ingles um pr e c is o mo maior ingles to da hi serpente tó ria de se mp rea c ru xi fi caçao, primeiro ogo a se gui ra um dia em quadrado ue no c eu serpente ob reo rio, ap arc e ram, du as c ruze espanhol, du as c ruze serpente quadrado ue f o ram em me vaso ingles tender no vi st o, fe ita serpente por mao humana, aos comandos de avi o espanhol, e com g rande t ra b alho para as sima te rato rem fe it to, p o isa pr o porcao, di serpente t an cia, e o ur as ca rac te rato is tic as, as simo de serpente vela ram, para al é de mano bras pe rig o sas e ce rta e mn te ingles cão au tori z x ada sn o esa p ço de vv o serpente ob rea cidade, inter rp pet rei o quadrado ue vi, na al tura co mo uma ac usa sao, uma t ra bal h o sa ac usa sao quadrado ue al gu sn pr e tem d iam f az e rato, serpente ob reo quadrado ue agora me di ze quadrado ue j á o tinha em o vaso t ro modo dito, serpente abe o serpente ingles hor tao b em como eu, quadrado ue a Pal v ra em vaso e rda dede, dedo seja espanhol circulo da rita circulo do vaso do ra da, circulo da ue maior quadrado ue serpente vaso porte for, se mp rato e é masi e masi set tor na da quadrado ue dez quadrado ue é no meo nn to de serpente eu acontecer, p o is todo é com ingles t in vaso oe e t reno e todas as co inc id ingles cias são si gn e f ac t iva sec circulo co ns e quadrado eu ingles da te que mente do si gn e fi can teresa serpente, se as simo di zorro, as simo vo vaso tomar, contudo, circulo da serpente eu co muito te vaso do, é ba serpente cruz da ante vaso do ero da missi da missa vaso el, à ane gata do ra da luz do quadrado ue forte do circulo do ia em quadrado vaso is sao, e do quadrado ua a inda homem oje conti ingles ua a ser, me sm circulo do quadrado ue di serpente f ar ç ada em ova circulo do vaso t ra serpente v este serpente, o vaso me sm meo se maior t anto pu dor, nas vaso e zorro serpente , circulo delta em ten te fi co de fi car c on tente, pe elo dez rato ele evo quadrado ue aqui às serpente ua serpente primeiro e cruz ra sd de ise as quadrado vaso ise rato co do pi ar rea serpente por em outro lu g ar, est a j a em serpente ua real von t ad e


gato do quadrado do dó, do y e , ye, homem

dxgsvdrl

quadrado x gato serprnte vaso quadrado dr primeiro

m b e gato zorro
Acabara eu de mencionar na Palavra, sobre o quadro de psique de cupido a imagem , em forma indirecta, a do sonho das torres, que aqui foi em tempo abordada em detalhe, e acaba ela de novo se corporificar aqui em portugal

Ac do ab ar primeira do eu de e mn sic cio n ar na Pal vaso do ra, s o br reo q ua dr ode ps i q ue dec up ido a i mage me m forma in di r e cta, ado son h o da s torres, q ue aqui foi em te mp o ab o rda dada em de eta l he, e ac ab a el ad en ovo se corp ori fi car aqui em portugal

ou seja, uma relaçao com as quedas das torres

circulo do vaso do seja da primeira relaçao com, às das quedas das torres

Adormecera antes do jantar, e quando abrira o telejornal, lá estava ele, que meu coraçao, quase que pulou, ao eco que desvelava, a relação

Ad circulo do rato mec e ra ant espanhola do jet ra, e quadrado do vaso ando ab rato da ira circulo da te primeiro do jo rn norte sul, primeiro à est ava el e, quadrado da ue me do vaso da co raçao, quadrado do vaso da ase do quadrado da uu da p vaso do lou, ao e co quadrado ue de serpente da vela ava, primeira da relação

Uma evacuação de um pilar que era como um cruz sobre o mar, as ondas grandes do grande mar em sua volta se levantavam, e a seu lado um farol, creio que tudo isto se terá passado em aveiro, pois não apanhei a noticia em sua inteireza

Uma eva do circulo do vaso do aç de corte à sao de primeiro pi do primeiro da ar, circulo do pilar do pi do lar, ou seja da di da visao da f ani primeiro ia, quadrado da ue e rac omo primeiro cruz sobre o mar, a son da sg rand espanhol do g rande mar em serpente da ua vo primeiro da primeira cruz na sele da se e ban cruz ava no vam da am, e as eu primeiro ado primeiro farol, circulo do rei circulo quadrado da ue tudo is to set e rá ap as sado, que se passara em aveiro, p o is sn muito cão da ap da ane homem ingles, kapa espanhol do ia no ti cia em serpente ua in te ire za

Ao que parece um helicóptero, retirou os homens que no pilar estavam trabalhando e que foram surpreendidos pela força do mar, contava um senhor do resgate, que um deles teria atravessado o pontão e assim teria conseguido chegar a terra, se bem que em seu dizer, tenha corrido riscos desnecessários,

Ao quadrado da ue par rec ce primeiro homem da lei circulo uk petro, rei iro vaso os homem do ome ns quadrado da ue no pilar est ava am cruz ra segundo alha ando e quadrado da ue forte do circulo do ram serpente do up ren quadrado ido serpente do pe primeiro af orça do mar c em cruz ava primeiro sen hor do rato espanhol gate, quadrado da ue primeiro de primeiro espanhol da te ria iat cruz rave espanhol do ado circulo do p em tao e as si maior da te ria co ns e guido che gata da ra rata a rta em te rato ra, se segunda em quadrado da ue em serpente eu di ze rt ingles home ac circulo uk rato do rid circulo do rato do isco sd espanhol serpente da ne ce serpentes sári os,



Em vila nova de gaia um incêndio se dera, na escarpa da serra do pilar, costa do moro, ou mouro, ao momento ao ver as imagens de um paredão curvo, me recordei, do paredão em salema, a bola, que o menino com a camisa brasileira lançava rolando contra ele, e que tinha um símbolo parecido com o pilar, se bem que a coluna, ou o que o figuraria, fosse mais baixa, na representação da bola

Am vila nova sed g aia um inc en di os e d e ra, na esca rp ad da primeira serra do pi l ar da costa do mor ro, circulo lol do vaso do mo ur circulo, ao mo m en to a ove ra s si mage ns de um par e dao c ur vo, me recorde id o par e dao em sal ema, ab o la, q ue o me nino com a cam isa br as i lei ira ra l ança ava rolando c on t ra el e, e q ue tinha primeiro s im segundo falo, olo, par e c ido com oo pilar, se b em q ue primeira coluna, o u o q ue o figu ra ria, f os se maís segundo aixa, na r ep pr es en taçao qia dr quadrado do ado da primeira ab o la


Outro eco se deu, tambem em forma indirecta na relaçao com os impostos, ou melhor, a nova forma de os aplicar em seu sitio certo, e de forma mais correcta, foi o falecimento do senhor que era presidente da Zâmbia, pelo cobre, acontece isto no aniversário da morte de Mello e de outros dezassete funcionários da onu, se não me falha a memória no numero

O u t ro e co sed eu, t am b em e m forma in di r e cta na relaçao com os im mp ps s ot do ts, o u mel hor, ano ova forma de os ap l i car em seu si tio ce rt oe de f oma masi co rr e cta, f oio f al e cie mn to do s en hor q ue e ra pr es si dente da z am bia, pe do elo de dez c ob r e, acontece is to no ani v e r sário da mor te de Me ll oe de o u t ro s dez a sete f un cio na a ps oto dez rios da onu, se n cão me fala homem aa me mór ia ni n vaso do maior e primeiro ero

Duplo sete de sessenta e seis é silva da teresa da portela

D up lo sete de se serpente da senta e se is é silva da teresa da p orte l a

Na china dois traços negros no ceu, oto, canon enquadrando os jogos, fantasma, ou os jogos dos fantasmas na china, relacionados certamente com o ultimo grande tremor onde se foram sessenta mil almas

Na c h ina do is t ra ç os n e g ros ni ceu, oto, c ana on en q ua dr ando os jo g os, fantas mao u os jo g os dos fantas ma sn ac h uma,, r e la cio n ado sc ce rta mente com do omo do vaso do primeiro tim do circulo do gato rande det rato do emo ron da onda da se f o ram se da serpente da senta do mi primeiro da alma serpente

Ontem à noite num enquadramento no ecrã do meu pc, assim se desvelou

On te má no ite n um en q ua dr am en to no e c ra do me u pc, as si ms e de s velo lou

Mo q u dr rao segur e rato e cic segundo do circulo sn do doc primeiro do duplo vaso do vi da se maior vareta seis em fevereiro, gata de ouro az om europeu co mp puta dor mod circulo de segur anka em cia ar do mic ro serpente do circulo ft, circulo do vaso da cruz do centésimo , primeiro oo k, mo st ra do aro am segundo en ted e det v ra segundo alvo alô do w do vaso indo ns me dia p la ayer rato da ep do pr circulo do dn zorro, fic home ingles eiros, ou en gui a serpente, da mul ti da mé dia di gi cruz norte sul inc lui indo mú sica m vi de os cds e dv quadrado serpente , quadrado do vaso da vareta do ck do time p la ayer, ouro sobre azul, home tt da p dos dois circulos de duplo bar do rá ourosobre azul , segundo do décimo gato serpente port com do bar dp o rá da pasta dezanove e muitas ovas de pasta am, italianas, do dezoito, rato espanhol sul cruz ado sd quadrado pr circulo do cura circulo ur circulo serpente do ob rea az vaso do primeiro

Mo do quadrado do vaso do dr rao segur e rato e cic segundo do circulo sn do doc primeiro do duplo vaso do vi da se maior vareta seis em fevereiro, gata de ouro az om europeu co mp puta dor mod circulo de segur anka em cia ar do mic ro serpente do circulo ft, circulo do vaso da cruz do c en te si mo , pr i me rio oo kapa do, mo st ra do aro am segundo en ted e det vaso do ra segundo alvo alô do w do vaso indo ns me dia p la ayer rato da ep do pr cir cu primeiro do dn zorro, fic home ingles eiros, ou en gui a serpente, da mul ti da mé dia di gi cruz norte sul inc lui indo mú sica m vi de os cds e dv quadrado serpente , quadrado do vaso da ave rata da eta do ck do time p la ayer, o ur o s ob rea zorro do vaso do primeiro, home tt da p dos dois circulos de duplo bar do rá ourosobre az z u l , segundo do décimo gato serpente port com do bar dp o rá da pasta dezanove e muitas ovas de pasta am, it al ian o as do dezoito, rato espanhol sul cruz ado sd quadrado pr circulo do cura circulo ur circulo serpente do ob rea az vaso do primeiro


O desenho que em meu caderno acabara de desenhar sobra a imagem do pilar da somague e do farol ao lado, é assim, o pilar tem a base , inclinada como se fosse a cair, e diz-me minha intuição, que existe aqui um relaçao com a queda de entre rios, á luz dos últimos pedaços que apareceram sobre a queda, os explosivos a navegar e depois uma explosão , e sendo que somague aparecera bem antes neste Livro da Vida, relacionados com explosivos, angola, e outras ramificações, depois a parte de cima , a plataforma, e como um vaso deitado, em cunha ou faca virado para esquerda, ao lado direito, o farol que eu desenhei com quatro rectângulos na área que corresponde à sua luz, sendo que o segundo a contar de cima, esta atravessado por diversos riscos que separam a nota anterior no caderno que é a seguinte aqui e sendo quem na coluna do farol, está desenhada uma cruz, com um embolo, ou seja os quatro rectângulos que comprimem , ou comprimiram o embolo, sendo que o segundo a contar de cima, fora riscado, ou seja um ab de resposta, a um primeiro acontece, que afectou alguém do rectângulo, abaixo do topo, em hierarquias, entenda-se, depois vem vila nova de gaia, que deverá ser então o lugar de um deles, escarpa do pilar, costa do morro, ou do moro, e sendo que mouro, agora aqui grafou-se como moro, e aldo , que muitos tem aparecido nas linhas, levou-me em dia recente a lembrar da morte de aldo moro

Ode sn e ho q ue em meu cad e ron o ac a bara de d e sn ne h ar s ob r a a i mage m do pilar da s oma g ue e do f ar o l ao l ado, é co mo, o pilar te maior base , inc l ina ada co mo se f os sea ca ire di z do traço da inglesa me min h a in t u i sao, q ue e xis te aqui do primeiro da relaçao com a queda de entre rios, á l us do sul tim os ped dç os q ue ap arc e ram s ob rea da queda, os e x p l os v is o ana v e g u ar e d ep o is uma e x p l o sao , es en do q ue s oma g ue ap ar e ce ra b em ant es neste Li v ro da V ida, real cio n ado s com e x p l os ivo san gila, e o u t ra as ra mi fi caçoes, dep o isa p arte dec ima , a pal t a forma, e como um v as o deitado, em cunha o u g aca vi t r ado para esquerda, ao l ado di rei to, o f aro l q ue eu de sen he i com quatro rec t na gulas dez na ar rea q ue dor r es p ode à s ua luz, s en do q ue o se gun do ac on t ar dec ima, es ra a t r eva e es ado por de ive r s os r isco s q ue se epa ram ano no ota ant e r iro r no ca de r no q ue é a se gui em te a y um es en do q ue mna co l un ado f ar o l, est á de s en n h ada uma cruz, com um em b olo, o us e j a os quatro rec tan g u dez s q ue co mp rim em , ou co mp rim iram o em b ola, s en do q ue o se gun do ac on t ar dec ima, f o ra r isca do, o u seja um ab de r es posta, a um pr i me rio acontece, q ue af e c to u al g eu maior do rec t na gula dez, ab aixo do t o p o, em hi r e q r q ui as, en tam do traço da inglesa se, dep o is v em vi l ano ova de g aia, q ue de eve rá ser en tao o l u g ar de um de l es, esca rp ado pilar, co s to do mor ro, o u do moro, e sed o q ue mo ur o, agora aqui g raf o u do traço da inglesa se co mo moro, e al do , q ue nui to s te m ap ar e c ido nas linhas, l evo u do traço da inglesa me em dia rec en tea l em br ar da mor te de al do moro

Felicitações ao império do meio pelo acordo do código na rede, depois o desenho do pilar da somague ao lado do farol, assim seguiam minhas notas, para por assim a coisa, no tocante, à palavra acordo, no inicio, ou pouco antes do jogos começarem

F eli cita ç oe es ao i mp é rio do meio pe do elo de dez ac o r dodo co di gina red e, d ep o is o de s en ho do pilar da s oma g ue ao l ado do f ar circulo do primeiro, as si maior da se gui ima min h a sn ota serpente para por as sima co isa, no to can te, à pala vaso do ra ac o r quadrado do circulo no in i cio, o u p o u co ant es do jo g os com eça rem

muito j p a do w do delta do tp

y e js vaso

ue af o, vareta e a forte circulo