quinta-feira, novembro 20, 2008

minha amada, sei que nao estou bonito como sou aqui neste video, mas nem de mim nem da imagem cuidei, e estou a precisar de cortar a mim mesmo de novo o cabelo, mas nao sou eu sansao, embora algumas vezes as raparigas, algumas, se assim se pudessem chamar, o façam a seus rapazes, com manias contrarias ao amor, de controlo, mas eu sempre te amo, quando chegas?

mim do home da am ad mad primeira se e quadrado eu muito cao espanhol to vaso bonito, com circulo serpente do circulo do vaso do ki aqui do neste do video, mas ne maior de mim ne mairo da mage cu id é ee es t circulo do vaso ua pr e cisa ar de me co rta ar de muitos ovos do cab do elo de dez mas n cºao serpente do circulo do vaso do europeu sansao, em bora n al gum as vaso e ze serprnte as das ra par rig gás al gum as sea ss si mairo da se p vaso ess em cmaha do mar, circulo forte ac corte da manha ase eu seprente ra p az espanhol com das manias, homa man ani ni as contrarioas ao am circulo do rato de controlo, c en cruz do rolo maso eu se mp e rato e teresa amo, quadrado ando do che do gás da foc cir da foice, ou sej do pendulo, do pp en do dulo, o maso da historia italiana do com bi o da meat f x ia

se chegasses, eu te beijava muito, tu me beijavas muito e logo mais florescia a beleza

se da chega dos toiros do gás ass espanhol do europeu da te do bei da java, da lava quente dos vulcoes, cruz vaso da me bei java serpente mui do to das muitas cruzes do oe e primeiro gato dez do duplo circulo do falo cravado na terra maís flor espanhola cia primeira da beleza, b el e za

Video analise, ah amada, analise, fazia eu bem melhor assim com minhas maos em festas por todo o teu corpo, e então com meus lábios assim a beijar de boca molhada por todo o corpo teu, ah amada, deverias conhecer, assim te digo a ver se te convenço, senhora ausente ainda de nosso leito de amor, como sois capaz de assim viver, depois oiço na noite escura que não conseguiste dormir, que trazes um aperto no coraçao por não estares em meus braços, e eu que em ti mesmo na distancia do corpo vivo, tambem senti o mesmo, e me pergunto, ou melhor te pergunto, porque assim minha amada?

V id e o am al ise, a h a am da na lise f d a z ia eu b em mel hor as si mc om min h as mao s em f e st t as por todo ot eu corp o, e en tao com me us la bi os as sima bei j ar de cb oca mol h ad ap o r todo o corp o t eu, a h am ad a de v rias c on he ce r, as si m te di goa ave r se c on v en ç om en ina au s en te a inda de n osso lei to de am o rc omo s o is ca p az de as si m viver, d ep o is o i ç on ano i te es cura q ue n cão c on se gui s te dor mr, q ue t ra ze s um ap a e rt ton o cora sao por n cão es t ares em me us br aços, e eu q ue em ti me maior s argento s mo na di s tan cia do corp o v ivo, t am b em s en ti o me s mo, e me pere gun to, o um el hor te per gun to, por q ue as si m min h a am ad primeira foc cie

Mas enfim enquanto não chegas lá vou eu cumprindo o voto ao Pai, sabes o que esta noite ouvi, que a vitoria é de seus livros, que bom assim a confirmação do que já sabes através de meu peito, e te lembro amada, que a noite é sempre mais escura antes do amanhecer, coragem amada, já faltou mais, era tambem o segundo sentido do mesmo dizer, e achavas que ia ser fácil, respondi em meu secreto, nunca tal o pensei, nunca tal penso quando me decido a fazer alguma coisa, não penso nesses termos, se vai ser difícil ou fácil, coisa que em verdade nunca se sabe antes de fazer

Mas en fi m en a q un ton cão che ega gás l á vo u eu cu mp r indo ovo do oto ao Pai, s ab es o q ue e sta no i te o u vi, q ue a vi tori a é de se us l nono ros, q ue b om as sima c on fi r maçao do q ue j á s ab es at r eve s d em eu pei to, e te l em br o am ad a, q ue a noite é se mp r e mais es cura ant es do am em he ce r, cora ge m am ad a, j á f aç l to u masi, e ra t a m b em o se gun do s en tid o do me s mo di ze r, e a c h ava s q ue ia ser f ac i l, r es pond di em me u sec r e to, n unc at al o pe mn se i, n unc a t al p en s o q ua ando me dec id o a f az e ra l gum a co isa, n cão p en s one ss es te r mno s, se eva si ser di fi c e lou f ac i l, co isa q ue em v e rda dade n unc as se s abe ant es de f az ze rato

Sabes amada amadinha, gravei este video na mesma cassete em que tenho gravado todos os outros, pois sou assim poupadinho, as vezes se tem uma surpresa na poupança, o sentido dela?, é sempre o sentido que se afigura como em qualquer outra interacção, como quando te beijo, o colibri nas vezes mais cresce, e tudo tem uma razão para ser o que é e acordo com sua natureza

S abe sa am ad a am ad dinha, g rave e este v id e on a me s ma ca s sete em q ue t en ho g ra v do todos os o u t ros, p o is s o u as si m poupa dinho, as v e ze s se t em uma s up press ana poupa n cão s en tid o de la foice, é se mp reo s en tid o q ue se a fi g ur rac o mo em q u q lu ero u t ra in te ra cc sao, com o q u ando te bei jo, o c libri nas v e ze s masi c r es ce, e tudo te m uma ra za o para s r o q ue é e ac o r do com s ua na t ur e za

Então o video mais ou menos ao fim dos seus tres primeiros minutos, começa as turrinhas, não amada, não são aquelas turrinhas delicadas como quando brincamos aos animais fazendo amor, assim turrinhas delicadas com o corpo no corpo, estas que poderás observar por teus belos olhos, são assim tipo falta de sincronismo vertical com muitos drop out, à mistura, que se não sabes o que é , eu te explico, são aqueles quadradinhos que vao aparecendo na imagem, e que corresponde ao código binário que codifica os sinais da luz que formam a imagem

En tao o v id e oma si ou m en os ao fi m dos se us t r es p rime iro s minu to s, com eça as t ur rinhas, n cão am ad an cão são a q ue l as t ur rinha s deli ca da s c omo q u ando b rin cm os aos ani ma si fazendo am o ra ss em t ur rinhas deli c ad as com o corpo no corp o, e sta s q ue p ode rá s ob serva rp o rt e us b elo dez z olhos, são as si m t ip o f al la t de sin c roni s mo v e rt i ca l com mui to s dr o p o u ts à mi s tura, q ue se n cão s abe s o q ue é , eu te e x p lico, são a q eu l es q ua dr ad din h s o q ue vao ap ar rec en dona e mage me q ue co rr ep son de ao co di go b iná rio q ue co di fi casso sin asi da l u z maior q ue forma a e mage maior

Já deves estar então a fazer a soma dos elementos semânticos que este presente da tua proximidade em meu coração desvela assim ao mundo, dos que sabem ver e pensar pelos olhos do coraçao do amor, turrinhas, violentas, assim, falta de sincronismo vertical, frequências alteradas, quadrados de código binário, assim como frases quebradas, é imagem de tremor de terra, ou de tsunami, ou mesmo dos dois

J á d eve se star en tao a f az e ra s oma dos lee mn to se man tico s q ue este pr es en te da t ua pro xi mi dade em me u co rc sao de es vela as simao mundo, dos q ue s abe m vere p en sar p elo s ol h os do cora sao do am mr ro das t ur rinhas, viol en t as, as si m, f al t ad e sin c roni s mo v e rt i c al, fr e q u en cia s al te r ada s, q ua dr ado s de co di go b ina rio, as si m c omo fr ase s q ue br ada sé i mage m de t r e mor de t e r ra, o u de ts uma ni, o um es mo do s do is

Depois um bocado mais à frente o outro video antes gravado aparece assim como a se insinuar e desvelar um pouco o que está por detrás, ou seja no sentido oculto deste de agora, e no final, ficam uns frames dele, um especifico em que parei a codificação no pc, me cantou o seguinte

D ep o is um b oca ado mais cardinal star a fr en teo o u t ro v id e o ant es g ar av do ap ar rece as si mc omo a se in sin u ar e de s vela ar um p o u co o q ue e stá p ode det ra s, o u seja no s en tid oo culto de ste de agora, e no fi n al, f icam uns fr am es de le, um es pe i c fi co em q ue pa reia co di fi caçao no pc, me can to u o se g un i te

A frequência do tremor de terra é o mesmo cigarro que incendiou a queda das torres gémeas na cidade da maça, representada pelo g quatro , o gato terceiro nascido em sessenta e quatro, o sexto do quadrado da chaveta de prata e negro, ou seja da oto, da esquerda do angulo do terceiro favo vertical, e o quinto a contar da direita, ou seja tambem um relaçao, tres vertical, quinto a contar da esquerda, na imagem a contar a a partir da direita

A r e q eu en cia do t r emo r de terra é o me s mo cir garro q ue inc en di o ua q eu da das tor r es gémeas na cidade da dama aca, r ep r es neta ada p elo g q au t ro , o gato t rec e iro na sci do em se ss en ta e q au t ro, o sex to do q ua dr ado da c h ave eta de p rata e n e g ro, o u seja da oto, da es q u e rda do angulo do t rec e i to f avo v e rt i c al, e o quin to ac on tar da direita, o use h a t am b em um relaçao, t r es v e rt i c al, quin to a c on tar da esquerda, na e mage ma c on tar a ap pr tir da direita

A mesma imagem , ou melhor , um outro fio da mesma id, era dado pelo carlos do carmo no chamado mistério dos contentores de alcantara, que a uns dias emergiu nesta terra, chamada lisboa, o mistério dos contentores, remete por associação para xutos e pontapés, ou seja violências e agressões, tambem para o grupo e para o tim que parece estar numa qualquer berlinda, o tim da banda do rapaz a quem morrera sua irma ,a marta no aeroporto em circunstancias também estranhas, e ainda para da caixa negra, ou seja de aviões, ou vai vens, visto que no video deles se fla, fala, onde se passam alguns espectáculos patrocinados por marcas comerciais, pontapés, recebi eu aqui em alcantara, e penso que uma senhora terá sido morta numa manha, já aqui referenciado, a manha do acido colectivo, como assim o escrevi, que fora percebido por uma menina de uma das ilhas, e onde numa delas uma outra morreu, nunca soube se a mesma, e outras duas tiveram recentemente um incendio em sua casa, e as imagens recentes e outras no mesmo local, a rocha do conde de obidos, onde ontem de madrugada a terra tremeu

A m es mai mage mo u me l hor , umo u t ro fio fa me s ma id, e ra dad o p elo carlos do carmo no c hama do mi s te rio dos c on t en tor es de al can tara, quadrado da ue do t rina gula dez primeiro de fogo do apostolo da se pr en te p rime iro d do dias e mer gi u ne sta terra, c h am da l is boa, o mi s te rio dos c on tnt o r es, reme te por as sic iac sao para dos xutos e pn tapes, o u seja viol ne cia sea grés s o es, t am b em para do circulo do g rup oe do para do circulo do tim q ue pa rece e star en uma q ua l q e ur berlin da, o tim da quadrado do bando do rapaz aqui do vaso da me mor r e ra s ua irma , marta no ae rop do porto em cir c un s tan cia s t am b em e st r anha se a inda para ca ix ane negra onda se p ass sam am al g u ns es pe cta cu l os pat rocio na do s por ma rca s co mer cia sis, p on tapes, mr e cebi eu primeiro qui em al can t ra, e p en s o que uma s en h ro aqui da te rá sid o mo rta n uma manha, j + á qui r efe ren cia ado a primeira manha do acido cole ct ivo, com o as si mo es c r e vi que f o ra pe rc e bid o por uma menina de uma das ilhas, e onda n uma de l as uma o u t ra mor r eu, n unc a s o ub es sea me s ma, e o u t ra s du as t iv e ram rec en te mn te um inc en dio em s u ac asa e as i mage ns rec en te se o u t ra sn o meso l oca l, ar rocha do conde de o bid os, onda on te m de mna dr u gado da primeira da terra t rato em europeu

Circulo do para com E 1 circulo eca ca do ra do forte az do ze do rato do primeiro filme, ar rastre, ou seja do filme me llamo madrid, do circulo do sir da gula do home da multimedia, para da linha do circulo do tempo, oi u seja da te do mp circulo

Circulo do para com E 1 circulo eca ca do ra do forte az do ze do rato do primeiro filme, ar rastre, ou seja do filme me ll am kapa de madrid, do circulo do sir da gula do home da multimedia, para da linha do circulo do tempo, oe vaso do seja da te do mp circulo

Ou seja ainda, o que tambem deitou a coluna central , a espinha vertebral da k un dali ao chao, na chise longa da avo, e o que me magoou um dos pés depois desse primeiro video, o que está por detrás deste que hoje aqui te mostro, da onda que a k un dali, com uma chaveta clip tipo ratoeira de ratos do angulo do cotovelo , bic cic angulo da eta da direita, é o que se ve no primeiro filme que está por debaixo deste, na gravação e que em certo momento do tempo aparece em mix, vindo de trás, ou seja do mix, o passado, do passado, ou sej o do mix, o louco do passado, ou seja a besta constante do passado, o que me levou tambem a prisão, pois assim figura na interferência, em certo momento, estou eu atras das barras, e relacionado com alguém da equipe do lentes de contacto, pois ao ver esta imagem, assim de outra me recordei, da introdução salvo erro do primeiro episódio,

O u se j a a inda, o q ue t am b em de i t o ua co l un a c en t ra l , a es pei n h a ve r e b ra l da k un dali ao chao, na ch ise l on g a da avo, e o q ue me mago u o u m dos pé s d ep o is de s se p rime iro v id e o, o q ue e ts por det ra s de ste q ue h oje aqui te mo s t ro, da onda q ue de it o u a k un dali, com uma c h ave eta c l ip t ip o rato ira de ratos do angulo dez do c oto velo , bic cic angulo da eta da direita, é o q ue se eve no p rim ero fi l me q ue e stá por de b a ix o de ste, na g rava sao e q ue em ce r to momo n to do te mp o ap ar rece em mix, v indo det ra s, o u seja do mix, o passado, do p ass sado, o u sej o mix lo u co do passado, o u seja a b e sta co ns t ante do passado, o q ue me l evo u t am b em a p r isa sap l, p o is as si m fi u g ur ana in t r efe ren cia, em ce r to mo m en to, es to u e u at ra sd as bva r ra ase r e la cio n da com al g eu m da e q eu ipe do lente s de c on t ac to, p o isa ove r e sta i mage m, as si m de o u t ra me recorde id a in t roda sao s alvo e r ro do p rim ero oe pi s o di o,

Acabei de ir tomar café à padaria das vieirinhas, depois uma pomba me levou masi a frente na rua, , em frente ao sapataria, na volta um gato preto miava, como a pedir alguma coisa, pétalas de rosa no chao do passeio, e uma memória recente da bela mia, que ao que parece trás cas por aqui ao porto, de uma estranhas imagens dela a sair de uma casa com um ar muito chateado, ouvira eu masi ou menos nessa altura no espirito o dizer, a puta fora quebrada, não sei a quem ase aplicava, depois masi a frente a guitarra na mesma posição da que o carlos do carmo me mostrava, assim a inclinada, como a dos azulejos da cesária, a fadista qui nascida, na cas que está ardida, e ao lado a cas dos fados tim p ana serpente, donde creio que terá vindo a agressão aqui em alcantara, e depois no espirito li, a cruz do dia da marcação no ano de mil novecentos e oitenta e oito, ou seja vem já de trás o conhecimento desta gente sobre a minha pessoa, um deles se não os dois seriam ex militares, paras, assim o percebi, pela forma como o fizeram

Ac ab bei de e rato de tomar ca fé à pada ria das vieirinhas, d ep o is uma pomba me l v e o uma sia fr en te n ar ua, , em fr en te ao sapa paté da ria, na vo l t a um gato pr to mia ava, com o a pe di r a l g u am co isa, peta sç l as de rosa no chao do pa s seio, e uma me mor ia rec en te da be la mia, q ue ao que pa rc e t rá s cas por aqui ao pr to, de uma st e s r sn h as i magen dd el asa i r de um aca sc om um ar mu to cha te ado, o u v ira eu ma sio um en os ness a al tura no es pi e i to o di ze ra puta f o ra q eu br ada, n cão seia q eu m ase ap l ica ava, d ep o is ma sia fr n te a gui tarra na me s ma posi sao da q ue o carlos do carmo me mos t r v a, as sima inc l ina ad ac omo a dos azulejos da ce sá ria, a fa di tsa qui na sc cida, na cas q ue e stá ar dida, e ao l ado a cas dos f ad os tim p ana ser pen te, don dec rei o q ue te rá v indo aa g fr s sao aqui em al can t ra, e d ep o ino es pei to li, ac ru z do dia da marca sao no ano de mil n ove en ce to ze oitenta e oito, o u seja v em jad e t ra s o c on he cie mn to de sta g en te s ob re am in h a p esso a um de l es se n cão os do is se riam e x militares, paras, as simo per cebi, p e la forma com o o fi ze ram

Depois apareceu o carlos do carmo de novo, com a mao estendida, como dizendo é o quinto, do palácio das necessidades, ou que com ele trará ligação, ou o quem tó, ou seja, joaquim antonio, ou o antonio do joaquim, da sardinha, das festas de lisboa, ou seja tambem com relaçao a cml, aos bandidos da cml, provavelmente à doninha que foi o ultimo deles mencionado, sardinha das festas de lisboa, recorda o clip com a margarida aveles e a monica lapa tambem, a mao estendida como marca amarela,

D ep o is ap ar rece u o car primeiro os doc ar mo de n vo, com a mao es t en dida, com o di zen do é o quinto, do pala cio das ne c ess id ad es, ou q ue com el e t ra rá l i g ac sao, o u o q eu m tó, o u seja, jo aqui da eu em antonio, ou o antonio do jo a q um, da sar dinha, das f e sta s de l is sb ba, o u seja t am b em com da relaçao ac ml, aos bandidos da cml, pro ova ave le m net à don in h a q ue f oio u l t imo de l es men cio n ad, sardinha das f e sta s de l is boa, recorda o c l ip com a mar gar ida ave l e ze am monica l ap a t am b em, a mao es t en dida com o ma rca am ar e la,

Clip que já foi aqui detalhado

C l ip q ue j á f o ia qui d eta alha ado

Na transcrição deste video, a xl l poisada em cima da foto do guillaume com o principezinho tatuado em seu ventre a sua perna de pau, versão moderna de matel, preta com vesica de prata com letras vermelhas onde se le, aco homem ap do pen do quadrado do rectângulo vermelho sobre prata, o patroa da cristina coutinho, , e ainda p u ada i u d os, duas canadianas como uma espada de mosqueteiro caido na batalha, o da espadas de dois gumes, ou seja o c roi crocodilo, circulo do roco da ilha do crocodilo, da vesica da arvore da floresta, onde foi espetado, na prime vera, ou melhor desvela uma outra ligação, lea ase terceiro do circulo , o morcego do ba todo o terreno da dupla cruz, xx, roda da lea ase terceira do circulo do corpo diplomático da cristina coutinho, di gi cruz al vaso id circulo id da cam meo rato der pal, do pal alemão, a mini do quadrado dv, da perna do quadrado do triângulo das aguas pr teo e brancas, ou seja maçónico, do dv in e out, ou seja do filme da foda, anal ou não, que deu o raio da ficha mini philips de seis pernes, kapa do gato ca non, do cad do oliveira , do circulo do para fuzileiro, do hexágono sexto ava ada do triângulo negro de fogo do trovão do hexágono, ou melhor do trovão que caiu sobre o circulo do hexágono negro da asa vermelha da serpente do forte primeiro db cinquenta m do quadrado o circulo do trinta do vinte do ze pb de sessenta e dois do circulo do de sessenta e dois

Na t ra n sc r i são de ste v id e o, a xl l p o isa ada em c ima da f oto do gui ll au me com o p rin c ipe z in h o tatu ado em s eu v en t rea s ua pe rna de p au, uve rata são da moderna de met al, pr eta com v e sica de prat ac om le t ra s verme l h as onda se le, aco homem ap do pen do quadrado do rectângulo vermelho sobre prata, o pat ro ad a cristina coutinho, , e a inda p vaso da ada e vaso do quadrado do os, du as c ana diana sa com o uma esa sap da de mos q eu te iro ca ido na bat alha, o da es pada s de do is gum es, o u seja o c roi c roco di dez, circulo do roco da ilha do crocodilo, da ave da isca da arvore da for mula one e r sta, onda f oi es peta do, na p rime vera, ou mel h ro de s vela uma o u t ra li g ac sao, lea ase t rec e iro do circulo , o mor cego do ba todo o terreno da dupla cruz, xx, roda da lea ase te rec e ira do circulo do corp o di ip da loma, loja do tico da ac rato da is t ina co vaso do tinho, di gi cruz al vaso id circulo id da cam meo rato der pal, do pal al e mao, a mini do quadrado dv, da perna do quadrado do t r ian gula dez das aguas pr teo e br ancas, o u seja maco nico, do dv in e out, ou seja do fi l em da foda, anal ou não, que deu o raio da f u c h am mi ni ph i li ps de se is pernes, kapa do gato ca non, do cad do oe primeiro nono e ira, do circulo do para f us si lei rodo he za g on o sex to ava ada do t r ina gula negro de f ogo do t rova o do he x a g on o, o um el hor do t r ova o q ue ca i u s ob reo circulo do he za g on o negro da asa vaso em e home do ph ad primeira serpente do for rte p rime iro db cinquenta m do q au dr ado o circulo do irc uk dez do t rina t do vinte do ze pb de sessenta e dois do circulo do de se ss eta e do si

Vendo a composição do enquadramento deste video, , o segundo, quem conhece lisboa, ve no cesto do pic nic , o castelo e a zona da costa do castelo nele figurado, com bastante rigor

V en do ac com posi sao do en q ua dr am en to de ste v id e o, , o se gun doque m c on he ce l is boa, v e bo ce ts o do pi c nico do castelo telo e a z o n ad a costa do castelo ne le fi g ur ado, com ba st ante do rato do igor, o costa

O local da vesica negra da onda da mol primeira nas ligações oiro branco do is e ouro vermelho da av di do circulo do primeiro, os tres cabos mini jack sw e ep serpentes do av, castelo é tambem local da produtora costa do castelo do paulo da p au dez trancoso a quem o homem da marca amarela, esteve ligado, o francisco qualquer coisa,

O l oca l da v e sica negra da onda da mol p rime ira nas li g a ç o es o iro do branco do is e o ur ove vermelho da av di do circulo do p rime iro, os t r es ca bo s mini j ac ck sw e ep serpentes do av, castelo é t am b em l oca ç da pro du oto tora costa do castelo do p au dez trancoso a quem o home da marca aa am mr el a, es teve lia g do, o francisco q ual q eu r co isa,

Em cima da mala do pic nic do lobo mau e do capuchinho vermelho da rua do carmo, grupo urugu, grupo reuniao, uma folha de madeira com tres frutas, uma das quis uma banana, vindas s argento da ilha da jamaica e da republica dominicana, que parecem ser a imagem de duas copas de arvores e um telhado, o salão do castelo, a da direita na imagem, esquerda na realidade, trás um buraco

Em c ima dam al ala do pi c ni cd o lobo m au e do cap u chino vermelho da rua do carmo, g rup o ur u g u , g rup o reuniao, uma f o l h ad e madeira com t r es fr u t as, uma das q u is uma ban ana, v inda ss argento da ilha da j am aica e da r e publica dom in nin cana, q ue pr e cem se rai mage maior de du as c opa s de arvores e um tel h ado, o s ala o do castelo, a da direita na i mage m, esquerda na real id ad e, t rá s primeiro buraco

Castelo remete tambem para o chapito, teresa ricou, o seu filho ligado da tampa da vesica da mola das ligações audiovisuais e a lena uma rapariga que eu conheci e que depois para lá foi trabalhar

Castelo reme te t am b em pa rta o cha pito, te r sa rico u, os eu fi l ho lu gado da t am pa da v e sica da mol a das li g ac ç o es au di o vi s u a ise a lena uma ra pa riga q ue eu c on he cie q ue d ep o is para l á f o it ra bal homem da ar

Na terraço da chapito, na fonte seca da deusa catonica, no video se ouve a agua a correr, que remete tambem pata a floresta de sintra num dos vídeos que já foi publicado, um sobre um texto de fernado pessoa, onde um dia lá encontrei um bateria, ou uma vela, e depois nesse dia lá apareceu a xana, irma da coelhinho namorado do peter, e me recordo ainda de em outro dia, lá ter visto uma bela senhora, loira , vestida em forma simples, calças de ganga e camisa brancas onde se adivinhava um generoso e belo peito como ela era toda, que fiquei com ideia de ser italo brasileira e que seria pelo que a bateria aqui no video figura, a ama da manha

Na te rr aço da cha pito, na fonte sec ad a de usa cat oni ca, no v id e o se o uve primeira agua a co rr e r, q ue r e met e ta m b em pat aa for mula one flor o r e sta de sin t ra n um dos vi de os q ue j á f o ip pub li cado, um s ob re um texto de fernado pessoa, onda um dia l á en c on t rei um bate ria, ou uma ave la, e d ep o is ness e dia al á ap ar rece ua xana, irma da c oe linho namora dodo peter, e me rec o roda inda de em o u t ro dia, l á te r vi s to uma be la s en hora, loi ra q ue fi q eu i com id deia de ser it alo br a si le ira e q ue se ria p elo q ue a bat r e ria qui no vi de o fi g ur aa ama da manha

Na imagem a vela está vertical na margem do rio do mar, e liga-se as nuvens do primeiro ceu ao lado de um ilha que deve ser a madeira e portanto indica o lugar da energia que no ceu se ve expressos os raios da ligação entre a terra e o ceu que se ligam a segunda coluna do segundo video que neste está vertical em cima por detrás da espinha vertebral, ou seja , a kapa da un dali, ou, seja sendo dali, a ilha é tambem espelho das canárias, ou almorol, tambem, uma rave, a casa da praia, joao dos santos, colégio moderno, mario soares, ligação a um bandido do colégio moderno, ou seja o cavaleiro da ilha das canárias, seria eventualmente um guarda avançada do homem da moderno

Na i mage m ave la e stá v erica l na mar ge m do rio dodo mar, e l g a do traço da inglesa sea s n uve ns do prike, pr ike mei ro ceu ao l ado de p rime ria ilha q ue d eve ser a primeira madeira e porta n to indica o l ç u g ar da ene r g ia q ue no ce use eve expresso s os raio s da li g ac sao e t n t rea terra e o c eu q ue se li g am a se gun da co l un ado se gun do vi de o q ue ene ts e stá em v eri tc al em c ima por det ra s da es pe ina h v e rt e br al, o u seja , a kapa da un dali, o u, seja s en do dali, a ilha é ta m b em es pe l h o das c aná ria s, o u al moro l, t am b em, primeira rave, a c asa da pr aia, joao dos santos, cole gi o mo de r no, mario soares, l u g ac sao a um ban dido do cole gi o mode r no, o u seja o c ava lei iro da ilha das can ria s, se r ria eve n t ua l mn te um g ur ad e avança da d o h ome m da mode r no

Na realidade a bela eva green me aparecera numa sequência de fotos, e na revista do paris match, lá está ela de novo ao lado do rapaz da moda alemão com as costumeiras luvas, desta vez com rendas em luvas pretas, ou as luvas pretas das rendas, assim parece contra, que se reflectiam numa das fotos que vira da eva depois de ni peru, um artigo ter feito a ligação entre quantum solace, james bond, a bela eva, afirmando que ambos tinham estado mutuamente apaixonados, o que seria único , ou quase, na carreira do espiao de sua majestade e das suas belas espias, na verdade, eva green é muito bela, o rapaz da moda, está na revista francesa à frente de um quadro de dali, daqueles da dissolução do tempo, ou seja parecia falar então da luva preta das rendas da ilha da canárias ou do derreter do tempo em madris, ou seja o atentado no comboio, ou vi eu pelo espirito a rapariga está na cena da bondage, mas não entendi a quem se aplica em concreto, luva negra reflecte-se aqui no letria, o jornalista

Na real id ad e ab e la eva green me ap ar e cera nu ma se q eu en cia de f o ts, en a r e v ista do paris mat c h, l á e stá el ad en ovo ao lado do ra ap z da moda ale ima o com as co ns t um e iras l uva s, de sta ave zorro do com das rendas em l uva s pr eta s, o ua s l uva s pr e t as das r en da sas si m pa rece c on t ra, q ue se r efe l ct iam n uma das f oto s q ue v ira da eva d ep o is de ni peru, um ar ti g ot r e f e i to a li g ac sao en t r e q ua na t um sol v ce, j am es do bond, a ab e la eva, a fi r man do q ue am bo s tinha ham am estado muti am en te que mente a pa ix on ado s, o q ue se ria au nico , o u q ua ase na car rei ra do es pe ia ode sua majestade e das s ua s be l as e ps ia sn ave r dad e , eva green é mui to be la, o ra p az da moda, e stá na r eve ista fr anc e sa à f e rn te de q um q ua dr ode dali, da q ue l es da ds s o vaso duplo do falo sao do te mp o, o u seja par ceia f ala r en tao da l uva pr eta das rendas da ilha da can ria s ou do der r e te r d o te mp o em mad riso u seja o at en t ado no com boi o, o u vi eu p elo es pei rito a ra par riga e stá na c en ad a bon dag ge, mas n cão en t en di a q eu m se ap lica em c on creto , l uva negra r e for mula um e ct e traço da ingles se aqui no letria, o jornalista

Chapitau, tete, trará ligação ao grupo dos socialistas, tete que depois do vinte e cinco de abril morou numa casa ao lado do admastor, ou sej a representação do monstro, o que assusta

C h apit eu, t e te, t ra rá li g ac sao ao g rup o dos soci al i sta s, tt e q ue d ep o is do vinte e c inc o de ab r i l moro un primeira c asa ao lado do ad mas tor, o u sej a r ep r es neta sao do mon t ro, o q ue as s us sta

Por detrás de mim gravuras no tampo que nao se vêem na imagem, leonardo da vince, a adoração dos magos mil quatrocentos e oitenta e um hi f en do quatorze de oitenta e dois florença galleria degli uffizi, o fio da historia das gravuras de david, aqui antes abordado, n ove na ava mde do gauguin , do paul da primavera, ou seja do pântano da primara sagrada dos doces sonhos, na ava ave moe dezoito de noventa em quatro da serpente do peter burgo do museu hermitage ref circulo do terceiro de setenta e dois, ou set segundo do serpente da cala de fire ren ze circulo do barras do dezoito de oitenta e quatro setembro quim ze , estrela do segundo de noventa, a p iss iza caprichosa de dezassete do dezoito circa de serpente peter burgo, burgo, lisboa, assim está em referencia de palavra no video, tambem são do museu hermitage, circulo do terceiro set, ref segundo do duplo circulo do oitava s c al, circulo do dezanove da virgem e do menino jesus da sata ana do quim ze de novembro paris do museu de louvre, quatro circulo do primeiro ref circulo da tríade da dupla estrela as margens do marne, dezoito de oitenta e oito circa, set peter burgo home hermitage, triplo circulo do dezasseis ref forte do circulo terceiro de setenta, uma mulher e cinco filhas dezasseis do quadrado do segundo da londres national gallery, e a capa de quadrado espanhol garo ran quadrado espanhol, muse use is do dó mundo , serpente pequena ss do circulo do espanhol vermelho e banco do dia do quarto circulo do quim ze de sessenta , a estrela do segundo de noventa circulo de oitenta e quatro m, oitavo do vinte e nove do don dn

Por det ra s de mim das gravuras ni tam p o q ue nm sao se eve em na i mage m, leo n ard o da vin cea ad o ra sao dos magos mi l q ua t rc neto se o i t anta e um hi f en do quatorze de o it ana e do is flor en ç a gal le ria de g dez u f fi z i, o fio da hi s tori a das g rav ur as de david, aqui ant es ab o r dad on ove na ava mde dog au gui n , do paul da p rim ave vera, o u seja do a pn t ano da p rima ra sagrada dos doc es s on h os, na ava ave moe dez o i to de n ove en t a em q ua t ro da se pr en te do peter b ur g o do mu seu her mit a ge ref circulo do t rec i ero de sete na te do is, ou set segundo do ser pente da cala de fire ren ze cir culo do bar ra s do dez o it o de oitenta e quatro setembro quim ze , est r l ado se gun o d d e no v en ta, a p iss iza capri c h o sa de dez as e te do dez o i to cir irc rca de serpente pet r e b ur go, burgo, l is boa, as si m e stá em refer en cia de pala v ra no vi de o, t am b em são dom u seu her mit a ge, circulo do t rec e iro set, ref segundo do duplo circulo do oitava sc al, circulo do dez ano ove da virgem e do m en ino j es us da sata ana do quim ze de novembro paris do museu de louvre, q ur to circulo do primeiro ref circulo da t riade da dupla estrela as n ar ge b s do marne, dez o it ode oitenta e oito circa, set peter burgo home hermitage, triplo circulo do dez ase is ref fi rte do circulo t rec e iro de setenta, uma mulher e co cn o fi l h as dez asi e is do quadrado do segundo da l on bd r es na tio n al gal ll ler y, e a capa de quadrado espanhol garo ran quadrado es pea n hol, muse use is do dó mundo , se pr en te pequena ss do circulo do espanhol verme le h oe banco do dia do quarto circulo do q um ze de sessenta , a est real do segundo de noventa circulo de oitenta e quatro m, oitavo do vinte en ove do don dn

A pilha, a pi da ilha é da serpente em circulo nova yorque do rac to regis t ado circulo az u le do branco da al ka da line do l a pi s la zorro vaso do li, x ru z t rip lo A do angulo do rato circulo terceiro ama p rime ira da gula do vi estrela vaso do hi forte ingles da prata s ob r e b ê ti sie rato des top models, c l au dia, na om mi, c indy, com me vo us ne c es ave zorro j ana mai ser pente vaso eu, c u j a s om br a ap anha sapato ap anha o sec tor do cobre da p do dez ase is, c ap , capa da ad da p rime ria da ne do duplo vaso do primeiro da ook do n do ove em noventa e tres

A pilha é sony do rato registado circulo azul e branco al ka da line do lápis lazuli, cruz triplo A do angulo do rato circulo terceiro ama primeira da gula do vi estrela vaso do hi forte ingles da prata sobre b ê ti sie rato des top models, claudia, naomi, cindy, comme vous ne les ave zorro j am mai s vue, serpente vaso eu, cuja sombra apanha sapato apanha o sec tor do cobre da p do desaseis, capa da new look nov de noventa e tres

Pa gina do nono da sec da são em noventa nove em treze, do seth do cm da de muitos ângulos do vinte quatro, no natal e co varte primeira dupla estrela portuguesa di do circulo do cio na do rio

Pa g ima do nono da sec da são em n ove en te n ove em treze, do seth do cm da de muitos ângulos dez do vinte quatro, no nat la e co varte p rime ria dupla estrela portu g ue sa di do circulo do cio na do rio

Set p em chute libre , le secteur du cobra di av ph in w ns psy chi at r es da p de sessenta e oito, scoop de lá anne ou arnaque du siecle da foice jack l´eventreur

Set p em ch u te dos libre , le sec te ur du cobra di av ph in w ns psy chi at r es da p de se s senta e o i to do scoop de la anne ou ar na q ue du sic e c le da f o ice j a ck primeiro a ps oto dez do eve en t rato e ur

Pag dezasseis, hassan moulay secte aissaours sunitas do deserto magebrino, cobra est grand, hassam est son prophete, cobras e escopioes, la sonnette oh oh oh de cali x the de y ala

Pag dez ase is, h as san moula y sec te a iss são ur s sun ni t as do deserto mat rato do ge do segundo rino, cobra est gato rand, homem as sam est son pr o ph e te, cobras e es co pi ro es, la son net te oh o h oh de cali x the de y ala

Circulo do vaso do home lá, la, ou oh la la, canada dance, a carla bruni, com os colares de pérolas em seu pescoço, angie espantada ao ser apalpada nos seus seios por um outra mulher, tres foices, por galliano top mo ney sharon feita leopardo, o special da passion mecanique, sena Adriana craque pour lui , sublime, porche comme lui, nove do onze, fete des trinta anos charme chic et choc les nus de lee miller les nuit mauves de jeff das dunas, o rui reininho

Circulo do vaso do home lá, la, ou oh la la, canada dance, ac ar la br uni, com os co primeiro do ares espanhóis de pe rola s em seu p es coço, na gi e es pan t ad a ao ser a pal pada no s se us seis o por uma o u t ra mul her, t r es foc i e, por u ga ll iana o top mo ne y sharon fe i t a leo pardo, a ital ianana, o spe cie al da pa s sio m meca ni q eu, s en a ad riane c raque p o ur lui , serpente do ub primeiro e me, porche com da me do lui, em muitos ove do on ze, da fete des t rin t a ano serpenet sc do cha rato mec hi ce tc homem do circulo do primeiro espanhol ns do us de ll e do miller das primeiras espanholas da nui ts maior au uve espanhol do je ff das dunas

Je veu mourir gémit la diva en apprenant que sa version de sieglinde allait etre livrée à un ampli dépourvu de circuit ultra linéaire pioneer do set tin sa

J eve eu mo ur vaso do rato ge mit primeira diva en ap p rena ant q ue sa ave r sion de sie g l inde a ll a it e t r el primeiro do nono rato é e acento à un am mp li d ep circulo do ur vasp vaso dec cir do c oz id o do ultra line da aire pi one e rato do set tin as do pi one erro vaso da cruz ra homem hi rato e angulo forte au cruz ch circulo issi rato vaso ot rato e ca mp do home ingles da art sg segundo forte do entretimento, en te rata em homem ingles da cruz, pi one ne rato do back ground da imagem da ligação no chapito costa do castelo , da pe primeiro j homem da primeira pi da ilha e da bate ria, do delta invertido do ano no serpente eni al ak de la,


Pourtant tout le monde devrait le savoir, um signal sonore, c´ est comme une voiz, si vou la maltraitez, elle s´altere. Or , que fait un ampli ordinaire ? pour obtenir un signal linéaira , il recourt au traditionnel feedback négatif, acciuchement brutal renforçant l ínstabilité et les bruits parasites. Em revanche, de même que la diva bichonne as voix et la nourrit de meil, le circuit uktra limeaire pioneer respecte la source en obtebnat sa linearité par connection inversé de deux tran-sistors identiques appariés. Cette méthode sans contrainte donne une réponse lineaire pure, pusissance et precise, ce respect absolu de la source musicale est la philosophie defendue pied à pied par pioneer dan ses chaines midi ou mini, ses platines laser et tunes, pioneer ou trahor, il faut choisir votre champ, assim reza o texto da anuncio

P o ur t ant to u cruz primeiro e monde de v rai t p rime e oe s avo e rum sig gn al son o r e, c apostolo serpente rolo do est com me une vo i z, si vo u la m al t rai te zorro da elle s ap ro s t dez da serpente de al te reo circulo maior do rato , q ue fa it un am p li o r din do aire da foice p o ur ob t en ni r un si gn al liné a ira , il rec o i urt au t ra di tio n ne l fee db a ck né g a tif, ac ciu che men t br u t ak r en f o rça n t l í ns t ab bil i té et l es br u i ts para sit es. Em r eva van che, de m ê me q ue la diva bic homem do on ne as vo nono e t la no u r rit de mei ll le primeiro do circuito uk t ra lime aire pi one e r r es pe ct e la s o ur ce en ob te b nat sa line a rito do par c on ne ct tio nin verse dede ux t ra de muito forte do hi ingles das sis tor s id en ti q u es a p par i és. Ce t te mé t h ode s an s c on t rai n te do n ne une ré ponse line aire p ur e, p u sis san ce et pr e c ise, ce r es pe ct ab sol u de la s o ur ce mu sic ale est la ph i lo sophie de f en du ue pi ed à pi ed par pio ne e r dan s es ch a ines do midi o um mini, s es platines laser e t tune s, pio ne ero u t ra h o r, i l f au t ch o i sir v ot r e c ham mp, as si m r e za o texto da anu in un cio

Ora aqui temos uma explicação de como se obtém um sinal linear ou invertendo o racicionio, o seu contrário, através do feedbakc negativo, que é comparado a um parto brutal que reforça a instabilidade dos ruídos parasitas, ou em contrario a diva bicho que pode alimentar a sua voz com doce mel, o pio ne e rato para obter a linearidade, usa, dois transitors , dois interruptores, idênticos ligados em forma invertida, emparelhados, o sis tor serpente, o que isto vos faz lembrar?

O ra aqui t emo s uma e x p li caçao de com o se ob te m um sin al line ra o u in v e r t en do o rac i cio ni o, o s eu c on t rá rio, at rav es do fee db a ck n ega t ivo, q ue é com para do a um parto br u t al q ue r en f orca a i ns stab do ab bil id ad e dos rui do s para sit as, ou em c on t ra rio ad da diva do iva do bicho, aquela musica daquela terra, q ue p ode al i m en t ra a s ua v oz com do ce melo pio da ne e do rato p oara ob te ra line ari dad e, usa, do is t ra n si tor s , do is in te r rup tor es, id en tico s le gado em f oma in v e r t id a, em par e l h ado s, o sis tor serpente, o q ue is to v os f az l em br ar

A diva bicho, está na foto com uma coroa de neptuno, a asa da onda do canapé sobre o castelo, das asas de duas chavetas dentre entre dores amaral dois seios, ou sej dois vasos encaixados um sobre o outro, que dao origem à coroa do neptuno, assim com garras pontiagudas que podem ferir

A diva bic ho, e stá na f oto com uma co ro ad e ne pt un o, a asa da onda do cam pe c ana pe s ob reo do castelo, das asas de du as c h ave eta s d en t re en t red o r es amaral do is seio s, o u sej do is v as os en caixa ado s um s ob reo outro, q ue dao o ur gema coroa do ne pt un o, as si mc om garras ponti g au d as q ue p ode mao maior mf fer e rato

A coluna que está no frame final que se ve no primeiro video, é um rolo com gravuras do museu da marinha que um dia apareceram deitadas no lixo na rua capitão palas, e que eu escolhi algumas que trouxe para casa ,no primeiro video, se vêem elas como um rolo , e outros papeis que a seu lado estão, fazem assim como uma onda do mar qu enrola num grande túnel, tipo aqueles que se atravessam em pranchas de surf, que remete para ericeira, outra vez, ou melhor, para uma imagem de um carro todo estampado que apareceu ali ao pé do convento de marvila depois de uma reuniao dos grupo dos empresários, projecto não sei que portugal, que agora não me lembro, com o tal rapaz que fora responsável pela estranha campanha de cavaco silva, com armazens de grandes dimensões alugados ali para as bandas de cascais, em fundo verde com uma grossa corrente de elos de metal a seu lado, e ainda para um surfista que foi morto numa praia de uma ilha, no meio desta história, ambos os factos creio que no livro incluídos

A c o l un a q ue e stá no fr am e fi n al q ue se eve no pt em me iro vi de o, é primeiro rolo com g rav ur as do m use s u da marinha q ue um dia ap ar e ce ram dita da sn o primeiro nono on a rua cat tp pitao das palas, e q ue eu es cok primeiro hi al gum a s u q e t rio u xe para c asa ,no p rime iro vi de o, se v ê em e la sc omo o um rolo , e o u t ro s pap e is pato a s eu l ado es tao, f az em as si m com o uma onda do mar q u e en rola num g rande t un el, t ip o a q eu l es q ue se at rave s sam em p ren cha s de s u rf, q ue r e met e para e i rie c ira, o u t r ave z o u me l hor m, para uma i mage m de um carro todo es tam pado q ue ap ar e c eu al ia o p é do c on vento de mar vila d ep o is de primeira reuniao dos g rup o dos em pr es a riso, por ject on cão se i q ue portu gal, q e agora n cão me l em br o, com ota l ra p az q ue f o ra as s esso r da ca mana de cavaco silva em f un do verde com uma g ro ass a co rr en te de e leo s de metal a s eu l ado, e a inda para um s ur fi sta q ue f o i mor ton uma p ria de uma ilha, no mei ode sta hi s tór ia, am bo s os f ac to sc rei o quadrado da ue no primeiro nono inc lui ido serpente

Agora depois de gravar o segundo video, a minha flauta ficou entalada, na asa da chaise longue e a pilha aaa, da serpente de nova yorque ficou deitada encostada ao blind e as gravuras descritas em cima do castelo com a capa do dn em cima, a capa vermelha da colecção das ditas gravuras

Agora d ep o is de g r av ra o se gun do vi de o, a min h a for mula um au t a fi co u en tala ada, na asa da ch a ise l on g ue e a pi ilha aaa, da ser pente de nova y o q ue fi co u de u t ad a en co ns t ada ao b l inde as g rav ur as de sc rita se mc ima do castelo com a cp ado dn em c ima, a capa verme l h ad a cole cc sao das ditas g rav ur as

Ou seja a coluna da grande onda enrolada, espelha a primeira experiência no Algarve, há uns anos atras, e é e tambem espelho do tsunami, pois se vires esta chaise longue de seu alçado, ou seja de frente, verás que sua asas de encontro traseiro, desenha uma onda sobre o horizonte que será a cidade, atendendo que na imagem temos o castelo em cima, e que esta coluna de tres naus, que fez o tsunami, é depois a que vertical se encontra por detrás de mim no segundo video, como prolongamento da medula, ou seja a k un dali

O u seja a co luna da g rande onda en rola ada, es pe l h a ap rime ira e x per rie en cia no al ra g v e, h á un s ano s at ra se é eta m b em es pe l ho do t us na ami, p o is se vi r es e sta ch ise l on g ue de s eu alçado, o u seja de fr en te, ve rá s q ue s ua a sas de en conto t ra ze iro, de sn e h a uma onda s ob reo horizonte q ue se rá a primeira da cidade, a t en den do q ue na i mage m t emo s o castelo em c ima, e q ue e sta co una de t r es na us, q ue fez o t us na mi, é d ep o isa q ue v e rt i ca l se en c on t ra por det ra s de mim no se gun do vi de o, com o pro l on game en to da me du la, o u seja primeira kapa da un dali

A coluna são tres gravuras enroladas , o galeão das especiarias da india, o chá, a nau de s rafael, e nau de sessenta e quatro peças xvlll zorro da onda, a asa da onda do canapé sobre o castelo de sua majestade duas chavetas, dentro uma da outra, dente entre dores amaral seio

A co luna são t r es g rav ur as en rola ada s , o gal e cao das es ep cia r is da india, o chá, ana u de s rafa el, e a w au de sessenta e quatro peças x v lll zorro da onda, a asa da onda do c ana pe sobre o castelo de sua ma j es t a dd e duas cha ave eta s, d en t ro uma da outra, den t re en t re dor es am ar al seios

E depois o mais estranho nesta imagem de noventa e tres da new look, uma assinatura vertical ao lado da coroa da diva de neptuno que diz o diamante verde, ou sej a pedra e uma especifica pedra vinda do mar, e do ceu, a pedra que se encontra na lenda na fronte de lucifer, e que na batalha cai a terra, aqui nest versão será masi a compra e venda da diva de neptuno feita com um diamante verde, uma esmeralda, certamente, do mar da vieira da line do rectângulo do aire pio do pi one ne e rato do circulo do mega, da set ton as, midi sexto vaso midi, serpente espanhola de platina serpente do laser, braços de vela, clubes de vela, e cruz dupla un e rato serpente pio one, quatorze quelle q eu elle da vox, duas setas cravadas como lança na terra, circulo ho homem do forte inglês das rosas brancas, a Sílvia, que poderá ser a de serralves

E dp o is o mais e ts r anho ne sta i mage m de n ove en ta e t r es da ne w l ook, uma as sin at ur rta v e rt i c al ao l ado da co ro a da diva de ne pt un o, o rapaz com quem eu conheci a Sílvia, o relações da pt no tempo do miguel hi rta e costa, maior quadrado da ue di zorro do zo dia man teresa verde, circulo do vaso do sej primeira pedra e uma espanhola pe cif i ca pedra vaso da inda do mar, e doc eu, a pe dr aqui da ue se en circulo em cruz rana ana lenda na fr em te de luci fer e quadrado da ue na bat alha ca ia terra, aqui nest vaso e rata são da se rá ma sia com mora eve en dad primeira diva de ne pt un circulo do forte e i ta com um diamante verde, uma espanhola em mer alda, ce rta m nete, do mar da vieira da primeiro do ine do rec tan da gula dez do aire pio do pi one ne e rato do circulo do mega, da set ton as, midi sex it ova do as do midi, ser pente es pan hola de p la t ina ser pente do primeiro ase r e b br aco serpente de vela, circulo do primeiro ub espanhol da vela, e circulo do r ux dupla un e rato ser ep pn te pio one, qua tor ze quadrado do vaso da elle quadrado do eu elle da v ox, du as serpentes eta sc rato do vaso da ad p rime rio sc omo lança na terra, circulo ho home do vaso do forte em gata kapa primeiro espanhol das ro sas do ro as br ancas, a si primeiro do vaso ia,

Traga rápido turistas a dois mil metros de altitude, ilhas malvinas, vitoria liber dade, quinhentos e quinze, freitas, de lima, ou lima de freitas, losangos coraçao, do paulo da ester da luciana patrícia, ou seja romana, mestre e art o rn do ang u ç p das tres bolas de newton do sr doutor juiz, a casa debaixo do vulcão, as c bao, son ad e liberdade segundo triângulo de fogo, terceiro triângulo deo fogo, quarto b, a serie da corda dos cabelos das algas

T ra g ra pido turistas a dois mil metros de altitude, ilhas malvinas, vitoria liber dade, quinhentos e quinze, freitas, de lima, ou lima de freitas, losangos coraçao, do paulo da ester da luciana patrícia, ou seja romana, ou seja do rito romano, paul e patrícia, mestre e art o rn do e gato do vaso do circulo de corte da cp das cruzes rato espanhol segundo das b ol as de ne w ton do serpente dor rato do vaso da ot j u e iza za circulo da asa de ba nono o do vaso duplo do primeiro cao, as circulo do bao, son ad e liber dad e se gato vaso do dn ot ria ab gil circulo de forte do f ala o cravado na terra, ogo, cruz rec e iro cruz rian gula dez deo foret do falo na terra, ogo, quarto segundo, a se ria da serpenet da up la co rda dos cab elo dez sedas da al gás

Como alguém agora confirmava pelo espirito tudo isto já se sabia e fora anunciado nesta altura, mais precisamente, a certeza se terá formado em noventa e quatro, e uma guerra quase de genero civil na cia por causa disso estalara, já sabemos quem venceu, pois as torres acabaram mesmo por cair, helas, de não acreditarem na verdade da visao de horus!

Com o al gato do eu mago do agora circulo em fi maior da ava p elo e ps psi e rito tudo is to j á se serpente do ab bia e forte do circulo do ra na un cia ad dao ne sta al tura, maís pr e cisa que mente, ac e rt e za sete rá for mad circulo em no do ove en cruz primeira e quatro, e uma gata da eu rata do ra q vaso da ase de g ene ero circulo do nono e primeiro na cia por ca usa di s so e sta lara, j á serpente abe emo serpente do quadrado da eu maior vaso do en circulo do eu, p circulo das isas das tor r espanholas do ac ab aram me serpente mo por ca e rato do he do primeiro as, de n muito cão ac red it a rem na ave rato dad e da vi são da serpente eta cravada na terra

Nas redondezas desta imagem do video, fora do enquadramento, por cima do fausto recentemente evocado a propósito do ensaísta eduardo lourenço, ou o eduardo do lourenço, o fausto do relógio de agua e da clepsidra, ou seja remete para a imagem das portas de sol em madrid, duzentos e setenta, a estrela mercedes preta e prata da brito e cunha, o ponto de sangue vermelho no coraçao de oiro, cravada, assim agora vejo aquele estranho anel, que tanto me prendeu a atenção na pequena montra, e que agora se desvela, como a garra que me foi cravada no coraçao e que tem a ver com a minha primeira prisão real no sentido de estar atras das grades, pois um outro caderno , neste momento apareceu , estava em cima do fausto

Nas red don de za s de s ts i mage m do vi de o, f o ra do en q ua dr a sd men to, por c ima do f au to rec en te mn te evo c ado a pro posi to do en as isi t a edu r ado lou r en ç o, o u o eduardo do lourenço, o f au s to do r el o gi ode da agua e da c le ps psi id ra, chave da psi da hidra, ou sej rem te para a i mage da s portas de si l em mad rid, du z en ts oe sete n t a, a ts t r e la mer cede s pr eta e p rata e b rito e cunha, o ponto de s en g ue eve vermelho n oco raçao de oiro, c rav ada, as si m agora vejo a q eu le es t r anho ane l, q ue t anto me p ren de ua at en sao na pe q u en am on t ra, e q ue agora se de s vela, como a garra q ue me foi c rav ada no cora sao e q ue t ema v e rc om a min h a p rime ira pr isa o real no s en tid o de es st ra at ra s das g ra s es, p o is um outro cade r no , neste moe mn to ap ar e c eu , o q ue est ava em cia am do fausto

A capa do livro reproduz um padrão da interferência que apareceram no video, os pixeis coloridos, aqui se encontram em amarelo, azul esmeralda e vermelho, caderno escolar âmbar cento e tres homem da emergia do forte ingles do vaso da energia forte ingles duzentos e sessenta do traço inglês az

A c ap ado livro r ep rod u zorro primeiro da padrão da in t refer en cia q ue ap ar e ce ram no vi de o, os pi xe is c olo rid os, aqui e delta ise en c on t ram em am ar elo dez, az u l es mer alda e ve rm e l h o, cade r no es c ola r am bar c en to e t r es h ome m da e mer g ia do forte ingles do v as o da ene rato gata do ia forte in gato primeiro espanhol du z en to e se ss eta dot rato do aço em gato primeiro e zorro az

Na primeira página um desenho, assim fala

Quatro copas, losango, ou vesica ou prisma branco, um trevo negro que é um aviao, ambos com dois x por cima, ou seja tanto a vesica como o coraçao foram marcadas, para criar a delta deitado do coraçao branco, e um cogumelo, ou seja com um acido, no eclipse do sol no dia do arco iris, , quatro chaves saíram do ovo do pavilhão da expo da cabeça da menina da bandeira de um peixe deitado em sua testa com seis nervuras curvas, como uma antena, de um jogo de ténis, ou seja em wimblton, a imagem da feira em londres no video, a menina trás o olho direito tapado por uma leitura nas nuvem que assim diz, quando na imagem o ceu falou, rio, do rio que tolo corre, sempre entre as margens, mas às vezes o rio não é tolo , supera as margens e molha-me os pés, o outro olho, perfeito isis mat chora duas lagrimas que caiam num peça de terra feita como um puzzle de ondas tridimensionais feitas e wire frame, ou seja a peça do puzzle que se quebrou na terra, ou sej do tsunami, doo sorriso, ao lado da menina a sua direita, uma outra figura, love, sexto home do aviao do golfinho, o terceiro invertido, , o seio lateral, da arvore que nasce na cabeça do home com duas estrelas em cada lado de suas faces e duas orelhas de burro como um chapéu de mimo, da aba direita sai um tapete que se está tecendo, e um gola de doze pinos, sendo que do quarto negro, do quinto meia de leite, e do sexto negro , suportam um coroação contra o qual um punha, se cravou, do qual escorreu uma poça de sangue

Q u t ro cop as, lo san gula dez, o uve sica ou pr is ma branco, um t r evo negro q ue é primeiro aviao, am bo sc om do is x por c ima, o u seja t anto primeira ave sica com oo co raçao do foram mar rca da s, para c ria ra delta de it ado do cora sao bv r anco, e um gog vaso do melo, ou seja da morte do melo, o u seja com uma cid o, no e c l ip ps sed do circulo do sol no do dia do arco iris, a livraria, , q ua t ro ch ave s sa iram do ovo do p avi l h ao do circulo da cena da cabala cab e la da menina da bandeira de primeiro peixe deitado em s ua te sta com se is v e r v ur as c ur v as, cm o uma na t en ad e um j ogo de te ni s, o u seja em w im b l e ton, a i mage m da fe ira em londres no vi de o, a me nina t ra s o olho di rei to tapa ado por uma lei tura nas n uve sm q ue as si m di z, q ua ando na i mage mo c eu f alo u, rio, do rio q ue t olo co rr e, se mp r e en t rea s mar ge ns, maças vaso e ze s o rio n cão é t olo , s up per rea as mar gn es e mol h a do traço da inglesa me os pé s, oo u t ro olho, pe rf e i to isis mat c h ora du as la grimas q ue caim n um p eça de t rr a fe i ta com o um p u z ze le de ondas t ride mn sio na si f e i t as e w ire fr am me, o u seja ap eça do p u zz le q ue seque br o un a terra, o u sej do t us sn mai, do o sorriso, ao l ado da me ina a sua di rei ta, uma o u t ra fi g ur a, l ove, sex to h ome do aviao do golf in h o, o te rc e u iro invertido, , o seio la te r al, da at vo re q ue na sc en a cab eça do h ome com du as e ts r eça se mc ada lado de s ua s f ac es e do is co rn bo s com o um mimo, e um g ol a de do ze pi ino s, s en do q ue do q ua rr ton e g ro, do quin to meia de leite, e do sexto negro , s u p orta tam um co rc corte cao ac on t ra o q ual um p unha, se c rav o u, do q u la es co r eru primeira posa de san g eu

Primeiro gol do ze dos pepinos, curvettes, gorgettes, georgete, georgia on my mind kapa do ponto do terceiro azul e negro, oto, do lápis feito em carvão, cuja kapa e espelho aqui é a puta do ministro da cultura, o cu uk tura

P vaso do rime iro gol do ze dos pepe ino s, das curvettes das corvetas, gorgettes, georgete, georgia on my mind kapa do ponto do t rec e iro azul e ne gg ro, oto, do l ap is f e i to em car do vao, clube marocas, cuja kapa e espelho aqui é a puta do ministro do circulo da uk tura, o cu da uk tura

Dez notas do tapete da tapeçaria do jim morrison, This is the end my friend, oito vezes repetido, o verso do jim morrison, ou morrisey, duas maos separadas em baixo, ou seja duas pessoas, uma de unhas negras, a outro, a da direita o quarto dedo, é o da indica dor , aponta uma menina de cabelo curto, com nariz de trevo cogumelo, e tres seis na cabeça

Dez n ota s do tap pete da tape a ç ria do jim do morrison, T hi sis the en d m y fr rie en d, oi to v e ze s r ep e i to, o verso do jim morrison, andré , o louro, ou mor r ise y, du as mao ss epa rada s em ba nono circulo, o u seja du as pessoas, uma de un h as negras, a outro, a da di rei ta o q u art o dedo, é o da indica dor , ap da ponta uma me ni a de ca belo dez do pedro curto, com nariz de t r evo co gun ne dez, e t r es se is na cabe eça

O dedo indicador, ou o dedo da indica dor da mao direita, da mulher da direita, nariz de espada, ou seja com coca, e tres seios na cabeça, reflectiu-se na imagem do video gravado antes destas explorações, na parte dos sistemas financeiros, e de sua harmonia,

O dedo indicador, ou o dedo da indica dor da mao direita, da mulher da direita, nariz de espanhola pada, o u seja com coca, sapo, ad sl, serpente primeira, e t rato espanhol e is na cab eça, rato efe le c tio dot raro do alo da inglesa sena e mage maior do vi de o gato da rav do ado ant espanhola de sta s e x p dez p rime rio do circulo das rações, na p arte dos sis t ema s fi na n ce iro rose de s ua homem da ar moni primeira,

Historias , ou melhor pedaços de historias contados com dedos neste video, existem essencialmente duas, a primeira no primeira parte do video antes da turra, que trás a correspondência com a imagem deste caderno da prisão, na parte das entidades oficiais deste pais de corruptos, e tambem na parte de seu fim sobre a harmonia dos sistemas financeiro mundial, vindo cos carros, ou seja de um carro, que não é de quatro rodas , de alguém ligado ao sistema financeiro e à produção de automóveis, ou de outros meios de transporte

Hi s tori as , o um e l hor peda aços de hi s tori as c on t ado sc om dedos neste vi de o, e x u te m es s en cia primeiro que mente du as, a p rime ira no p rime ira p arte do vi de o ant es da turra, q ue t rá s a co rr es ponde en cia com a i mage m de s te cade r no da pr isa o, na p arte das en tid ad es o fi cais deste pa is de co rr up pt os, e ta m b em na p arte de s eu fi maior s ob rea homem da ar da mina dos sis t ema d fina n ce iro mundial, vaso indo cos carros, o u seja de um car ro, q ue n cão é de q ua t ro rod as , de al gume li gado ao sis t ema fi n ce iro e à pro du sao de au tom ove is, o u de o u t ros mei os de t ra sn porte

Ouvindo e lendo no video emergem e se destacam na narrativa os seguintes elementos ss semânticos aos tres trinta e cinco, ou seja o medico da estrela, dá-se a turra do sincronismo vertical, ou seja, do tremor de terra,

O u v indo e l en do no vi de o e mer ge me se de sta cm ana na r rat iva os se gui n t es el em en to s ss s ema man tico s aos t r es t rin t a e c inc o, o u seja o medico da estrela, d á do traço da inglesa sea da primeira turra inglesa do sin c ron is mo v e r tic al, o u seja, dot r emo rato de te do rato ra, ou seja um palerma do ps

Unha do outro local do mundo, a faca na pao da mao, gume italiana parra, nula paz sincera en nessuma casa, caso apostas com bode, belas , a barata do quadrado do circulo, ou do quadratura do circulo, do acidente, a da al, a asa de sangue que corre na cas da câmara onde a paula trabalha, a egeac, a outra mao aponta o rolo das tres naus, ou seja uma relaçao entre o que simboliza e tambem o tsunami

Un home da primeira do ado outro l ocal do mundo, ap aca na pao da mao, gume ital i ana parra, nu ll a p az sin ce ra en ness uma c asa, caso ap das postas com do bode, belas , a ba rata do quadrado do circulo, ou do q ua dr rac da tura do circulo, do ac in det e, a da al, a asa de san g ue q ue co rr en a cas da ca mara onda a p u ala t r ab alha, a e ge do ac, a outra mao ap on tao rolo da s t r e us sn au serpente o u seja primeira da relaçao en t reo q ue si m bo l iza e ta m b emo t us na ami

Sopa tampa, pincéis e pinturas a sopa , nela, que é diminutivo de antonia, ou seja pinturas de antonia ou antonio, pepinos e cenouras nodosas , com bate uk,

S opa tam p ap pi n ce ise pin tura sm primeira sopa , ne la, q ue é di minu t nono ode antonia, o u seja pi n turas de antonia ou antonio, pepe pi imo se cenouras no do sas , com do ba te uk,

Balão, imagem do balão, elo de ligação ao da quadratura do circulo, o baltasar, o cao balthus, o francês, balão é tambem imagem de vai vem, e tambem trás relaçao com o lápis de carvão, ou seja um foguetão quando explode, como foi o caso do atlantis, como se ve na imagem, figurou uma imagem de lápis de ponta de carvão e cinza a arder, a a faca de sangue de uma das colunas das tres naus , roi em ru em , ou roi e mr rato eu maior, o dedo é o da fogueira dos pauzinhos, ou seja das torres, e dos tsunami, com relação a obidos pois de novo no seguimento da palavra, um pequeno tremor ali se dera la xis mo, traço do nove de onze, ou seja da queda das torres, circulo bife, ou seja circulo anglo saxonicos, do pif, pif, pig, cronos, a vesica do roubo do filho, há tres anos, guiness

Bal cao, i mage m do b aç sao, elo dez de li g aç sao ao da quadratura do circulo, o bal t asa aro do ro do cao bal t h us, o fr n ce s, bal cao é tam en mi mage maior de vai vem, que tem tambem eco em metro, e ta m b em t ra serpente da relaçao com do circulo do l ap pi s de car do vao, o u seja um fo g eu tao q u ando e x p l ode, com o f oio caso do atlantis, com o se eve en a i mage m, figu ro u uma i mage m de lao s de pon st de car vao e c in za a ard e ra a faca de san g ue de uma das co l un as das t r es na us , roi em ru em , ou roi e mr rato eu mai ro, o dedo é o d af o g ue ira dos p au z in h os, o u seja das tor r es, e dos ts un am is, com r el sao a o bid os p o is de n ovo no se gui men to da pala vaso do ra, um pe q e un o t r emo r a li se de ra la x is mo, t r aço do n ove de onze, o use jad a queda das torres, circulo bife, ou seja circulo anglo saxo nico, do pif, pif, pig, c ron s o, c ron os, a ve sica do ro ub o do fi l h o, h á t re s ano sg, gui ine ness


O ladrão do filho é o ka do bal,

O l ad ra o do fi l h o é o ka do ba l,

Industria farmacêutica, a faca, os farmacos, da comichão, ou seja das pílulas do sexo, viagra e coisas que tal, a ângulo da universidade, dose, casa, raio , lisboa, capital, grupo das discotecas, industria, tambem, pat mar do socrates, esfera armilar, e comunicações, e cultura, efeitos de estufa e combustão, ou seja das queima das rosas

Indu s t ria f arma ceuta ca, a faca, os f ar arma maco s, da com e chao, o u seja das pi lula s do sexo, via g ra e co ias q ue t al, a on gula dez da universidade, do ze, ca sas rai s , l is boa, ca pita l, g rup o das di sc o t e eca s, pat mar do s o c rat es, es fera ar mila ar, e com uni c ç o es, e c uk tura, e efe i t os de es t u fa e com b us tao, o u seja das q u ima da s ro sas

Assado cozido e frito, equação da calor da sopa, superfície , expansão, similaridade, um dos vinte gatos financeiros, do norte de Portugal, viseu, visabeira ou de vila real de trás os montes, inclino-me masi para ser de vila de trás os montes, a pistola da direita, quatro en caixa, balões , injecções, agua, espaço sideral, vai vem, comichão do bolso na anca direita, o ilha o carvão da ilha, hic, bebedeira, garrafa, o dividido, a ilha dos piratas das sementes la fora, a faca na mao do burgo do pa is , senhores de clubes médicos, multinacionais, parafusos de automóveis, ou seja de acidentes nas estradas

Ass sado co z id oe fr rito, eu q au aç sao da c l aro da s up o, supe rif cie , e x pan sao, si mila rie dad e, um dos vinte gatos fi nan ce iro s , do norte de pot u gal, v ise u, v isa da beira ou de vila real det ra s o sm on te sin c l ino do traço da inglesa me masi para ser de v u la de t ra s os montes,, a pi s t ola da di rei t a, quatro en caixa, bal o es , in jec ç o es, agua, es paço side ra l, v a nono em, com mic h ao do bo l son a ana aca di rei ta, o ilha o c rava po da ilha, hic, bebe de ira, garra fa, o di vi dido, a ilha dos pit rta s da s semem en te s la fora, a faca na mao do burgo do pa is , s en hor es de c l ub es me di cos, mul tina cio na si, para fusos de au tom ove is, o u seja dd e a c inde t es nas e ts rada s

Obidos, entre rios, areias, assessores, o gustavo do delta do un gato, a oração do sincronismo vertical, o circulo da raçao dos tremores, e do comboio, roem as casas, a relaçao com o aparecimento do rato esmagado aqui na rua, referencia no novo texto maior, ainda se escrevendo, la x ista, a violência ao amor, é o cronos a se formar, farmácia , o toiro do zorro

Ob id os, entre rios, ar e ia s, as s esso r es, o gustavo do delta do un gato, a o raçao do sin c ron is mo v e rt i c al, o circulo da raçao dos t r emo r es, e do com boi o , r oe ema as ca sas, da primeira da relaçao com o par rec ie mn to do rato es maga ado aqui na rua, r e fr en cia no n ovo texto maio rai inda se es c r eve en dó, la x ista, a viol en cia ao am or, é o c ron o sa ase for mar, f am ac cia , o roi to do zorro

E continua assim este caderno da prisão, as nuvens entrançadas em losangos da estrela inclinada da taag do pequeno aviao com tres filas de bancos de passageiros, com leme de cauda como a lua deitado no falo, à imagem da imagem que recentemente aqui se manifestou com a cebola, o azeite e a torradeira electrica, já descrita em capitulo anterior, , a cruz anka circulo da hi forte ingles da se partir chegar, estes meses de prisão tem sido para mim, tempo de profunda reflexão, donde tenho vindo a extrair algumas importantes ilações, tabuleiro de cinco triângulos de fogo, equivalentes a tapeçaria do jim do monaco, originando um estado de certa rápido, masi rápidos que o vento, tensão entre os turistas a dois mil metros de altitude, o ponto de interrogação das tres setas que saem do seu centro como uma delta dos cometas, e o próprio mar, e a própria terra e a própria lua, transportes aéreos angolanos, musica maestro, por favor dos aéreos angolanos, procurem na sala as razoes porque não estou lá, chaveta do angolanos aéreos, transportes aéreos angolanos, transpostas aéreos angulamos, nas suas orbitas infinitas, o ponto do circulo da pedra das aguas da foice, ponte de interrogação que rodando em cima criou as tres setas do delta dos cometas dos turistas a dois mil, dois, mil, é tambem referencia ao caderno da tese, eu como com garfos, lançou sobre a sua ira, aumento de preços do açúcar, café, ilhas malvinas, nevão na serra da estrela, surpreendeu alguns carros e camionistas que transitavam

E conti nua ss em este cade r no da pr isa o, as n uve s en t ra n ç ada s em lo san gulas da st r e la inc l ina ada da taag do pequeno aviao com t r es f ila s de ban cos de p ass sage irs o, com leme de c auda como a l ua de it ado no falo, à oma ge m da i mage m q ue rec en te mn te aqui se m ani f es to u c om a cebola, o az e i te e a tor ra de ira el e c rit ca, j á de s c rita em ca pitu lo na te iro, , ac r u z an aka circulo da hi forte ingles da se par tir che g ra, e st es me s es de pr isa o te m sid o para mim, te mp o de pr o fun da r e for mula one e xa o, don de t en ho v indo a e x t rai r a l gum as im porta n te s ila ç o es, t ab u lei ro de c inc o t rian gulas de f ogo, e qui iva lentes a tape ç aria do j em do monaco, o rig ina ando um e ts sado de c e rta rá pido, masi ra pido s q ue ove en to, t en sao en t reo s turistas a do is mi l met ros de al titu de, o ponto de in te r roga sao das t r es set ts q ue sa em do s eu c en t roco mo uma delta dos com eta se o pro p rio mar, e a pro p ria terra e a pro p ria lua, t ra sn post es ae reo san gola ano s, m us ca maestro, por f avo r dos ae reo s a n gola ano s, pro cure m na s ala as ra zo es por q ue n cão es to u l á, c h ave eta do angolanos ae reo s, t ra sn portes ae r es o e gol a anos, t ra sn post es ae ros angula mos, nas s ua s or bit as in fi ni t as, o ponto do circulo da pedra das aguas da foice, ponte de in te rr o g aç sao q ue rodando em c ima c rio ua s t r es s eta s do delta dos com eta s dos t ur ista sa do is mi l, do is, mi l, é t a m b em r e f ren cia ao cade r no da tese, eu com o com g a rf os, lan co u s ob rea s ua ira, au men to de pr e ços do ac u car, ca f + e, ilha s m al v ina s, n eva o na serra da estrela, s up ren de i al g u ns car rose cam io ni sta s quadrado da ue t ra n sita ava vam

Outras notas relativas as questões angolanas, no texto maior, aconselho o de sempre a todos sobre este assunto e outros, aguentai as faquinhas, se mesmo precisais de cortas unhas

O u t ra sn ota s real t iva sas q u es to es e gol anas, no texto maio r, ac on se l h o ode se mp rea todos s ob re este as sun to e o u t rosa h eu n t aia s fa quin h as se me s mo pr e cisa is de co rta s un homem as

Na pagina seguinte, neste caderno que poucas trás escritas ou desenhadas, pois creio ser o caderno que corresponde à véspera da saída da prisão, concedido, co gaivota angulo serpente ce dida id urubu do anglo que eleva a serra se me fa vitoria, liberdade, liber dade, piano, na vertical , um chapéu de doutoramento da são , serpenet al circulo de dois rectângulos como sinal igaul, primeiro quadrado do rectângulo do quarto do home do circulo do ra serpente do rectângulo inferior com triângulo de fogo da direita sao quatorze horas, quatorze horas, quatorze horas, quatorze horas,

Na pa gina se gui n te, neste cade r no q ue p o u cas t rá s es c rita s o u de senha ada s, p o is c rei o se ero cade r no q ue co rr ep ponde à ave da espanhola pera da s aida sida da pr isa o, c on ce dido, co gai nono vaso do ra do angulo serpente ce di dd a id o ru bu do e gi cp doque ue el eva primeira serra se me fa vitoria, l ib e rda de, liber dade, p u ano, na ave e r ti c al , um ch ap eu de do u tora mn en to da são , serpenet al circulo de dois rec tan gulas como sin al i g au l, p rime iro q au dr ado do rece tan gula do quarto do home do circulo do ra serpente do e rc tan gula in f e rio rc om t ruan gula de fogo da direita tam am s º cao q ua tor ze hor as, q ua t rose hor as, q au t r oz e hor as, q au t ro ze hor as,

Por baixo uma linha com seis estrelas cinco pontas, com tres circulos cada uma , nas tres horas de cada uma, um , n, ou uma onda de frequência, nas cinco, , um numero em crescendo correspondente a cada uma delas, ou seja de um a seis, e no angulo entre as sete as nove horas, em cada circulo uma letra, de ,a, a, f, sendo passível de se ler ainda triângulo de fogo primeiro da frequência, do segundo diade da maria do terceiro do donatello, ou uma outra tartaruga ninja da cora de tres pontas, da lua em quarto decrescente do circulo do quadrado da frequência do bico do pato de peixe de estrela do sexto do racha do ovo, do forte do sexto do anzol do crocodilo que sai do ovo

Por ba ino nono o uma linha com se is estrelas c inc o pontas, com t r es circulos c ada uma , nas t r es hor as de cada uma, um , n, ou uma onda de fr e q u en cia, nas c inc o, , um n um ero em c r es c en do co rr ep en teac ada uma de l as, o u seja de um ase ise no angulo en t rea s sete as n ove hora s, em cd a circulo uma le t ra, dea, a, f, s en do p ass nono, el da se do ler a inda t rin g au dez de f ogo p rime iro da fr e q eu en cia, do se gun do dia iade da maria do t rec e iro do dona tel onze primeiro do circulo, o u uma outra t art a ruga da nin jad a cora de t r es pontas, da lua em q u art o dec r es cente do circulo do quadrado da fer q u en cia do bico do pato de pe nono e de est r l ado sex to do rac h ado do ovo, do forte do sex to do e zo l do c rico di dez q ue sa id circulo do ovo

Diz-me a intuição ser esta a chave do ataque ao pentágono, ou parte dela, ou pista para ela

Di zorro do hi forte ingles dame a in t u e são corte ser e sta ac homem ave do ataque ao pen ta g on o ou par e t de la, o u pi sta para e la


Depois uam linha de correspondência numérica de um a vinte um, ou primeiro do vinte e um, ou seja do primeiro dos olivais, com o alfabeto ou seja, de, a , a , z , e sendo que numérica, é tambem nome de uma empresa de financeiros ligada ao pc que teve em tempos sede na av de paris, e tambem de um grupo de video artistas, salvo erro

D ep o is uam linha de co rr es ponde e w en cia nu mer ia de primeiro avi n te um, o u p rime rio do vinte e u m, o u seja do p rimei ro dos o l iva sic om o alfa bt teo o u seja, de, a , a , z e s en do q ue nu mer i ca, é ta m b em no me de uma em presa de fina ce iro s li gado ao pc q ue teve em te mp os sede na av de paris, e ta m b em de um g rup ode vi de o art ista s, s alvo e rato ro rr

Dois nomes nas linhas abaixo, paulo miguel garcia f forte e ester luciana patrício mestre sendo que a ester italiana, da fina, ou seja a cabalista do patrício romano do mestre, tem correspondência com dois numero num outro desenho a seu lado esqeurdao,o quinhentos e quinze, ou seja o deus da ester da luciana ,o mestre romano, deverá então ser o humberto eco, e depois de uma linha, em branco na mesma coluna, outra vez ester luciana patrício mestre, ou seja , deveria estar meu nome outra vez, assim sendo, quer dizer que foi quem nessa altura fora responsável pela apagamento da minha pessoa, face a ester, pela prisão, esse é o sentido da repetição e da ausência, do que antes estava irmanado

Do is no mes na s das linhas ab aixo, p au dez do lib bg garo do eu primeiro garcia do ff orte, ou seja espanhol, e est r e l u cia ana pat rc cio do mestre sed no q ue a ester italiana do pat rc cio roman o, da fina, o u seja a cc do bal, a ca bal ista do patrício romano do mestre, do mestre, te m co rr ep ps sn den cia com do is nu m ero nu mo u t ro de s en ho as eu lado es q eu r dao, o q eu in h en to e quin ze, o u seja o de us da e ts see da luc iana ,o mestre romano, d eve rá en tao s ero humberto e co, e d ep o is de uma linha, em br anc o na me s ma co l un a, circulo do vaso da cruz do ra áve e zorro da ester luciana do pat rico mestre, circulo do vaso do seja , quadrado da eve ria e st ra me un om meo vaso da cruz ra ave za ss em serpente do en dó, quadrado da eu rata di ze rato do q ue forte do circulo e quadrado da ue maior ne serpente da sa da al ruta forte do circulo do ra ar espanhol do pe do circulo em serpenet da ave primeira do pe la ap do primeiro game en to da min homem da ap esso primeira, face da primeira ester, pe la pr isa o, ess e é os en to da rato da ep pet e sao e da au serpente da en cia, do q ue na cruz espanhola da est ava irma do home de muitos ado

O desenho onde se estabelece esta leitura é outra vez um naipe, que está inscrito num rectângulo meio losango que adquire assim dois precisos significados, lamina de barbear, e retrovisor, ou seja , o que se ve no passado, e pela posição em relaçao aos nomes , é a id da lamina que corta, vinda da ester luciana do romano mestre, uma outra figura, mas vamos passo a passo, nesta interpretação

O de sn e ho onda se e stab sta ab el e ce é sta da lei tura é o u t ra ave z um na ip pr, q ue e stá in s c rito n um rec tam h gula dez mei dez falo san da gula q ue ad q u ire as si em do is pr e c is os si gn i f ica da s, la mina de bar r e b do bear, e r e t rove sor, o u seja , o q ue se eve no do passado, e p e la p os siç sao em r e la º sao aos no mes , é a id da la mina q ue co rta, vaso inda da est r e luci on ado romano mestre, o um a o u t ra figura, mas v am os passo do primeiro passo, besta in r ep r eta sao

É o segundo naipe que se encontra neste caderno, e trás ele uma inversão na sequência dos símbolos, ou seja no primeiro temos, o vesica branca do primeiro x, do trevo negro do segundo x do coraçao que é masi uma pera que foi a vesica tombada pelo cogumelo, ou acido, das chaves do ovo do pavilhão atlântico, da menina com franja dos piratas da nuvens do rio, e do dó do rio do menino da lua em quarto decrescente com dez estrelas na sua face, a menina chorou em wire frame, sobre o sorriso, e um faca se espetou num outro menino com duas estrelas, ou duas estrelas do menino sangraram

É o se gun do na ipe q ue se en c on t ra neste cade r no, e t rá s el e uma in v e r sao na se q u en cia dos si m b dez s, o u seja no p rime iro t emo serpente do ove da sica br anca do p rime iro x, dot rato evo negro do se homem da gun do x do cora sao q ue é masi p rime rio do pera q eu f o ia ave e ca tom b ada p elo dez do co gum do mello elo, o u acido, ac id o das c h ave s do ovo do p avi l h ao at lan tico, da menina com fr anja dos pi ratas da n uve en s do rio, e do dó do rio do me ino da l ua em quarto dec r es c en te com dez est r e la s na s ua face, a menina choro ue m w i re fr am me, s ob reo sorriso, e primeira faca se es pet o un um outro menino com du as es t r e la s, o u du as est r e la s do me nino sangra primeira ram da estrela inclinada caída no pequeno aviao taag, assim parece ser o sentido complementar da primeira figura do primeiro naipe

O segundo naipe, começa com uma espada negra, um vesica branca, um trevi negro e um coraçao branco que foi recortada pela ou na própria lamina, composta por estas tres ou quatro figuras, e portanto imagem de pessoas, da ester luciana do romano mestre das tres bolas de newton, da carambola de tres bolas de newton que desenham duas setas num semi arco, que funcionou com pedra no charco nas aguas do mar

O s e gun do na ipe, com e cça com uma es sap da negra, um v e sica br anca, do p rime rio de trevi ne g r p do negri e um cora sao br anco q ue f o i reco rta ada pe la o un a pro pr ia lama, com ps ota por eta s t r es o u q ua t ro fi g ur q as, e pro t ant o i mage m de p esso as, da est r e li cana do rom ano mestre das t r es b ola s de ne w ton, da caram bola det r es bolas de ne w ton q ue de senha do ham du as s eta sn um s emi arco, q ue fun cio no u com pedra no c h arco nas aguas do mar

Por cima desta figura do segundo naipe na lamina dois numeros que estabelecem correspondência entre os naipes e letras e os outros numeros acima das letras da correspondência do abecedário,

Por c ima de sta f uguru , a rapariga r iva , ruiva, do se gun do na ip rna la mina do is n um ero s q ue e stab e le ç em co rr es pn den cia en t reo s na ip es e letras e os o u t ros nu m eros ac ima das le t ra sd ac aco aca o rr ep en di cia do abc e dário, ou seja a, finalmente se desvela o complemento da imagem do bico da maquina de fazer café

Ou seja temos assim a segunda leitura, a estrela vesica branca de trevi , da fonte romana, é a quinta dos vinte e um e o coraçao branco recortado é o quinze do p do laço do sexto do quinze da ester luciana patrício mestre das tres bolas de newton, que ilustram um principio já qui no livro analisado

O use seja t emo as sima se gun da lei t ra, a ester la v e isca br anca de t r e vi , da fonte da roma ana, é a quinta dos vinte e um e o cora sao branco reco rta ado é o quin ze do p do l aço do sex to do quin ze da ester luci on a par tic cio mestre das tres bolas de ne w ton, quadrado da ue e primeiro us cruz do ram do primeiro da p do rin cip io j á quino ino do primeiro nono do ro da ana anal primeiro ia zorro do ado

Posso ainda fazer corresponder esta primeira linha da id com as id das seis estrelas do pentagrama, ou seja a estrela que é a quinta do vesica de trevi, ou romana, é a primeira do circulo das cinco horas do primeiro traingulo de foto de n infinitos, do ovo do morcego, e o quinze, á a quatorze do mei circulo do terceiro circulo da donna da tele, quatro circulo, ou quarto canal, ou moura guedes, da terceira estrela do pentagrama, ou seja do grupo da cabalista, a ester, ou seja, da madonna

P do osso primeira inda f az e r co rr es pn de r e sta p rime ira da linha da id com as id da s se is ester la do penta g rama, o u seja a est r e la q ue é a quinta do dove ove da za zorro ia de trevi, ou romana, é a p rime ira doc irc vaso de dez das cinco hora s do p rimei ro t rai rain gula de dez de f oto de n in fn ni to s, do ovo do mor c ego, e o q u ize, e ap ps oto dez da se pr en te a q au em tor ze do mei circulo do t rec ur o cir cu primeiro da donna da tele, q ua t ro circulo, o u q u art o c ana anal, o u mo ur p rie em mr rio do guedes, da t rec e ira es t r e la do penta g rama, o u seja do g rup o da cab bal do p rim ero do ista, a es t reo u se jad am dam da ad da donna

Sendo que daqui se deduz, o guedes da donna da tele, da quadratura do circulo, penta grama , declina tambem em futebol, o penta que se faz na relva, ou a estrela do home que anda de rolls royce, por aqui estar também a imagem do passe recente no jardim das necessidades da caram dache, que era parecida com dois homens, um deles não anda de rolls mas sim de bentley, e esta com um processo às costas, do vale do azevedo, e masi uma vez, linha, zona da costa de Lisboa à Sintra, a região de muitos bandidos, do grupo reuniao, estoril, do uguru, da são e do antonio, e de uma cantora ruiva que fez um musica com um rapaz assim meio indio, dos acores, imigrado na América, que quando apareceu, trazia um clip rodado em circulo, como a roda que eu tinha na latina que o zbig me inspirara a fazer, o polaco, da truncagem da quarta dimensao, um frame, ou seja um imagem, é composta pela soma de um varrimento numa linha horizontal , e assim se movimento houver na imagem, o temos em forma torcida, masi um vez, as ondas e frequência, aplicadas , ou melhor visualizadas na imagem, mecanismo que um engenheiro desenvolvera para o zbig segundo ele na altura explicou, a rapariga é filha do maestro do ultimo episódio dos bandidos da spa

S en do q ue da q u ise de d u z, o g eu d es da donna da tele, da quadratura do circulo, ou seja da compreensão da bola, ou sej da imagem do menino com o mundo no lago, um outro coxo, penta grama , dec l ina t am b em e m f u te bo dez x penta q ue se f az na relva, ou a es t r e la do home q ue anda de ro ll s roy ce, por aqui e ts rta tam b ema a iam ge m do p ass e rec en te no jardim das ne c ess id ad es da caram d ac he, q ue e ra par e cida com do is h ome ns, um de l es n cão anda de ro ll s mas si m de b en t ley, e e sta ap ps soto oto dez da serpente com um pro c esso às co a sta s, do vale do az eve dó, ema si uma ave zorro da linha, zon ad primeira do costa da câmara, l is o a ase in t ra, a regi cao de mui to s bandidos, dog rup o reuniao do estoril, do uguru, da são e do antonio, e de uma te r s la rui iva q ue fez um mu sica com um ra ap z as si m mei o indio, dos acores, i mig r ado na mar i ca, q ue q ua ando ap ar e cu, t ra z ia um c l ip roda ado em circulo, com o da primeira roda q ue eu t ina homem na latina q ue o zorro do big me in spi pt pira r ar aa f az ero pol ac, da t r un c ge m da q a ur rta da dimensao, loja, primeiro frame, o u seja um i mage m, é com da posta pe la s oma de um v arri m en to n uma da linha hiro zon t al , e as si m se mo vi men to h o uve rna i mage mo t emo s em forma tor cida, masi um ave za s onda e fr e q u en cia, ap l i ca da s , o u mel h ro v is ua li dada sn a i mage m, meca ni s mo q ue um en g en he iro de s en volve ra para do circulo do z big se gun do el en a al tura e x p lico ua ra pr riga é fi l h ado maestro do u l tim imo e pi do sódio dos bandidos da spa, ou seja do choro dos bandidos da spa

Para concluir esta página temos, uma outra figurinha, que me remete por amor para a bela ruivinha de meu coraçao, que neste filme onde este símbolo de alguma forma aparece, faz um papel de má, na caça do espirito animal das criancinhas livres do mundo, para pena minha, atribuíam a ela em dia recente, no jornal, um inteligente dizer, que ela pedia desculpa ao publico de participar em filmes que ao que parece não tinham grande sucesso de bilheteira, o que é sempre relativo à sua beleza e capacidade de interpretação, mas que era assim o gosto dela, pedia portanto ela desculpa por seu próprio gosto, frase inteligente a atestar o seu bom gosto

Para c on c lui r e sta pá gina te mo s, uma o u t ra fi g ur tinha, q ue me r e met ep por am o rp a ra ab e la rui vinha de me u cora sao, q ue neste fi l me onda es te s im b falo de al g uam forma ap ar rece, f az primeiro pap el de má, na c aça do es pei rito ani m al das c iran cinhas primeiro nono rato espanhol do mundo, para p en a min h a, at rib u iam a e la em dia rec en te, n o jornal, um intel i g en te di ze r, q ue e la pe dia de sc u l pa ao publico de par tic par em filmes q ue ao que pa rec n cão tinha ham g rande s u c esso de bil he the ria, o q ue é se mp r e r e la t iv o a asterix isco s ua be le za e capa da cidade de in t re ep r eta sao, masque ra as si mo g o st o de la, pe dia porta n to e la de sc up la por seu pr o rp pi o g o s tp, fr ase intel i g en te a at es star o s eu b om mg os to

Que é uma bússola de quatro baraços, cujo centro se encontra no cento de tres circulos das aguas, lendo os quatro ponteiros na direcção das horas, e sendo que trás tambem outras linhas por debaixo, leio na roleta das letras, e g ponto do primeiro circulo das ondas concêntricas, masi chegado ao núcleo, ou fusão, do homem, i, ou vareta do fósforo que bate no principe da cimitarra, ou o pioneiro do cimarron, angulo lm, marxista lenista, angulo maior, circulo da p invertida das duas fitas da mao das sele de tres garras de tigre com um pau do rato invertido do angulo da cruz invertida do vaso invertido na montanha, da semente no vaso deitado do x do zorro tombada cd e ou cde, ou cd da de, ao isto rodar, ou seja acontecer as tres bolas de newton deram a caram bola do pêndulo de foucault, contado pelo humberto eco, tambem


Q ue é uma b us s ola de q ua t ro bar aços, c u jo c en t rose e cn on t ra ano cento de t r es circulos das g ua s, l en dó os q ua t ro ponte iro sn a di ira raçao das hor ase s en dó q ue t rá s t am b em o u t ra s das linhas por de ba nono o , lei on a role eta das letras, e g p on to do p rime iro circulo das ondas c on ce t ric as, masi che gado ao nuc leo, o u f us º cao, do h om eni, circulo da uva ar eta do f os foro q ue bate no p ron cp e da ci mit ar ra, vaso do duplo circulo do pi one iro doc ima marron, na gula dez lm, mar x ista l en ista, angulo maior, circulo da p in v e rt da das duas fi t na s da mao das se hel det r es garras de ti b r e com um p au do rato in v e rt tid o do angulo da cruz in v e rt ida do vaso in v e rt diona, diana montanha, da se men to no vaso deitado do x do xo r ro tom b ada cd e ou cde, ou cd da de, ao isto to da ar rato, o u sea j acontecer as t r es bo l as de ne w ton de ram a caram b ola do p en du dez de fou ca u l t, cona td o p elo dez hum b ero e co, t am b em

Lendo a bússola do compasso dos tres circulo das aguas, para o passado, obtenho a seguinte leitura complementar,

L en dó primeira b us sola do com do mp passo, o maluco, dos tres do circulo das aguas, para do circulo do passado, ob t en m ho a se gun i te, da radiação, ou sej tambem da morte do agente russo, lei tura co mp le m en t ra,

L en dó primeira b us sola do com do mp passo, o maluco, dos tres do circulo das aguas, para do circulo do passado, ob t en m ho a se gun i te, da ra dia são, o use sej se do j do t am no bam da m o rte do agente russo, lei tura co mp le m en t ra,

E, letra grau maçónico, dois fios entre ,e, e, d, ou sej ado ed, dos dois fios do cb do zorro deitado como um n com um outro traço paralelo a primeira perna vertical, do x da semente na vesica deitada do vaso invertido como magneto, do angulo que desce da direita alta e curva para dentro da serpenet do rato invertido, primeiro do dezoito grau, do pêndulo da garra do tigre dos dois fios do dó do quadrado do primeiro do circulo da direita da lua cheia do angulo capital do fósforo do principe da cimitarra do homem gato do forte maçónico, e duas bolas ao chocarem deram uma carambola numa terceira, a reacção abc, que remete tambem apara o comboio em madrid, pois abc é jornal espanhol

E, l e t ra g r au maco nico, do is fios en t r e ,e, e, d, o u sej ado ed, dos do is fios do cb do z r ro deitado com o um n com um outro traço par e la a p rime ira pe rna v erica l, do x da semente na vesica deitada do vaso im v e rt tod como mag neto, do angulo que de sc e da dor eta al t a e c u r v ap para den t ro da ser pene net do rato invertido, p rime iro do dez o i to g ar u, do p en du dez da garra do tigre dos dois fios do dó do quadrado do p rime rio doc irc u dez da direita da lua cheia do angulo capital do f os fora do p rin c ipe da c em itarra do h om em gato do f orte maco nico, e du as b dez x a sao choca rem de ram uma ca am bola numa t rec ira, a rea cc sao abc, q ue rem te t am b em ap a ra o com boi em mad rid, p o is abc é jo rna al espanhol pan da hola

As tres bolas de newton, ou seja inglesas, são tres luas em quarto decrescente, ou tres situações ocorrida nesta fase da lua, e parece ser a primeira asiática, a segundo, um pinheiro, e a terceira meia rede do mundo, ou seja internet, lado esquerdo do globo visto de frente o meridiano de greenwich

As t r es b ol as de ne w ton, o u seja inglesas lea s, são t r es luas em q u art o dec r es cente, o u t r es si tua ç o es oco r rid a ne sta f ase da lua, e par ee se ra p rime ira a sai toca, a se gun do, um pin he iro, e at rec e ira mei a red e dó mundo, o u seja in te r net, l ado esquerdo do globo, brasil, vi s to de fr en teo mer id diana iana da green wich

Ontem a bela ruivinha do outro lado do mundo, nos meus antípodas, ah se eu fizesse um furinho assim aqui nesta terra chegava a si, aparecia num estranho alinhamento que ainda não vi em pormenor no peru, o spitzer, outra vez com o caso da menina dupree, e a nicole a falar em defesa ou acusação seria, mas não vi em pormenor, sendo que trago ainda outras notas obre o congresso na altura da chamada crise financeira, que ontem ao ver o púlpito azul me relembrei e qua inda não estão transcritas, mas se prendida com uma estranha imagem nos primeiros dias da discussão do congresso, dois senados lr e lc salvo erro a falar num púlpito sobre o acordo que se desenhava, e uma microfone por detrás a um deles apontado como uma derringer, ou seja um pistola de senhora que a um deles estaria apontado, ou mesmo aos dois

On cruz ce ema ab e la rui vinha do circulo do vaso da cruz rol ado do mundo, no serpente da mue san cruz do ip pod as, a homem da se eu fi ze serpente da se p rime rio f ur rinho as si maqui ne sta te rata ra che gata ava a si, ap ar e cia e p rie mr rio e ts rata do anho al em ham en toque à primeira inda muito cão vi em por m en circulo do rn no peru, o spi da cruz do ze ero vaso da cruz ra ave da rave do zorro zacarias circulo do om do circulo do caso, o louco, da me nina qia quadrado da up rato eléctrico, e primeiro ni do cole a fao forte da ala rem quadrado da efe fesse do circulo do vaso do ac usa sao se ria, mas sn cão vi em por do home ingles do or, serpente en do q ue da cruz do rago a primeira inda dao do vaso da cruz ra sn da ota serpente do ob reo circulo em grés son em al tura da circulo do hama da circulo da rise fina n ce ira, quadrado da ue on te ao ove do ero da p vaso do primeiro puto az u l mer , guillaume, el e p rim ero em segundo se gim br rei e pata inda muito cão espanhol do tao cruz ra sn circulo do irt as, masse pre dn dia com uma e ts rata da anha e mage mna os da p rime iro serpente do dias da di sc uss ao doc em grés serpenet do circulo, dé is sena do serpente primeiro rato e l circulo da serpente sd alvo e rato do ro primeira do foret al rn um pul pito serpente do ob reo ac aco co do circulo raro do q ue se de espanhola na homam vaso da primeiro, e uma mic ro gato forte do one por det ra asa sa um de primeiro espanhol da ap em cruz ado com do circulo da uma der ringe, alema, anel do com bate, ro vaso do seja p rime iro pistola de sem hor aqui da ue a um de p rime rio espanhol e st rata aia ap on cruz ado, circulo do um espanhol do mo ao ser p ene serpente do is

Depois na pagina seguinte do caderno temos sr doutor juiz, da casa referida em desenhos que entraram em textos anterior, de uma casa que é um face com uma lua deitada na porta de baixo e por cima duas janelas com um telhado e uma chaminé de onde saiu o fumo que terá a lua deitado, e que terá um veleiro san ad maçónico, grau e, liber dade, cujo casco não é bem um veleiro mas masi um pote, ou seja da olaria e da casa do alquimista, sendo que na segunda parte do copa , entre tres triângulos ou mil cento e um , estão escrito a seguinte id, segunda da primeira do circulo do terceira da primeira do quarto do segundo, ou seja um juiz ligado a marinhas, a marinheiros , a mares ,a neptuno, no verso, a coroa de neptuno da qual sai um sexto do sapato de aladino, a andar a roda, e depois na outra paginam uma anotação que alguém aqui fez, provavelmente e ester, que diz pilha, rolo maquina de escrever, dgv sexto vaso aspas carta do cheque da maria de macau dos correios, spa s do traço da maquina de filmar e rebobinadora, do ponto do tripé do ponto do pap é is do bam comida, toalhas sabonete e champo tampões sapatos vermelhos xadrez e palavras e lençóis, do rubi vesica deitada negra e branca das comunicações em rede

D ep o is na pa g ima se gui n te do cade r no t emo ss r doutor juiz, da casa refer id a em de s en ho s q ue en t r aram em textos ante iro sd de uma cas q ue é um f az se com uma lua deitada na porta de ba ix oe por x ima du as jane l as com um tel h ado e uma cha mine de onda sa i u o f umo q ue te rá a lua deitado, e q ue te rá um vele iro san ad maço nico, g r au e, l uber dade, c u jo do casco n cão é b em primeiro veleiro mas masi primeiro pote, o u seja da ola ria e da c asa do al quin ista, s en dó q ue na se gun da p arte do copa , en t r e t r es t rina gulas dez o u mi l c en to e um , es tao es c rito a se gui n te id, se gun dada p rime ira do circulo do te rc e ira da p rime ria do quarto do se gun do, o use j a um juiz li gado a mar rinhas, am a rin he i rosa mar es a ne pt un on o v ero sa coroa de ne pt un o da q u la sa i um sex to do sa pata de ala dino, a na da ra roda, e d ep o is na o u t ra pa g ima uma ano t aç º sao q eu m al g eu maqui fez, pr ova vele mn te e ester, q ue di z p ilha, rolo ma quina de es c r eve r, dgv sex to vaso a spa serpente da carta do che q ue da maria de ma ac au dos co r ee iro s, spa s do t ar ç o dama q u ina de fil mar e r e b ob i mna dora, do ponto do t rip e do ponto do pap é is do bam comida, to alha s sab o nete e cha em po tam n po es poe s spa patos vermelhos xadrez e palavras e lençóis, do rubi nono e sica deitada n ger a e br anca das com un cid ç o es em red

Que cambada de bandidos, bem razão trazia eu sem ainda saber em sua extensão motivo para a todos vos ter demitidos!

Q ue cam b ada de bandidos, b em ra za o t ra z ia eu se m a inda s abe r, o saber, em s ua e x t en sao m ot ivo para a todos v os te r de emi tid os ser pen te segunda eta na terra cravada

Na pagina a seguir se encontra em perpendicular a esta lista de coisas e de afazeres, tres colunas de somas e uma outra que diz paulo e fernado com uma outra soma , que se podem ler na transparência da anterior ou seja da lista e da tal jóia com que a teresa foi comprada, paulo fernando, declina desde logo em paulo fernandes, ou seja o filho do belmiro

Na pa g ima ase gui rato da se en c on t ra, ou seja no para ingles, em per rp p en di cu primeira ar a e sta primeiro do ista de coias e de af az e r e, t r espanholas colunas de serpentes oma se e uma outra q ue di zorro do p au dez primeiro do circulo do c ir u ck dez e fe rna ado com da primeira outra serpente oma , quadrado da ue se p ode maior da ler na t ra sn par en cia da ante rio ro vaso do seja da do primeiro do ista e dat da cruz da al joia com do quadrado da ue da primeira teresa do forte do circulo e com do prada, paulo fer nn ado, dec l ina de sd e primeiro falo do gato do circulo duplo cravado em paulo fer na quadrado espanhola, o u seja o fi do primeiro ho do belmiro, segundo el miro, segundo o pintor espanhol do circulo do ub ista

Ainda ontem, dia em que comecei a escrever este texto, mais uma situação estranha no pingo doce se passou, daquele senhor engenheiro das tretas da culturas empresariais e espete de pau em casa de ferreiro, pois estava na padaria uma menina doente com gripe, a servir pao às gentes, a mim calhou-me tossir levar a mao e fechar o saco do pao, eu lhe respondi e ia com muito pouca paciência com agora nado, e lhe disse está doente, constipado, que sim, e não ve o que fez, se ficar doente amanha venho cá falar consigo, o que é incrível, e como não trazem normas no supermercado que nao permita que uma pessoa que esteja doente, corte fiambre, embale pao e por aí fora, e isto é de só parte do restante que já aqui neste Livro da Vida disse do senhor engenheiro e das suas manhas e de seus roubos inclusive, ou por outras palavras como tambem enriqueceu à minha conta

primeira inda em teresa maio rata do dia em quadrado da ue com e ceia espanhola al espanhola circulo rata cc eve rata de este te x to, maís primeira si tua sao espanhola cruz rata da anha do no pingo doce se da p ass circulo do vaso, da quadrado da eu le serpente da inglesa hora do en g en he iro da st ratos da eta serpente do cu do primeiro das turas e mp rato espanhol da sara rata ise espanhola do pete de p au em circulo da asa de f e rr e iro, p circulo da ise stav ava na pada rio da primeira me nina dó inglesa tec om gato do rip ipe pee, ase rato do vi rp do pao às gene ts, primeira mim circulo do alho do vaso do serpente argento da inglesa me to serpente sir primeiro da eva ra mao efe circulo do forte do home da ar aro serpente sc do aco do pao, europeu do primeiro he rato espanhol de pond di e ia com mui to po vaso do ca p ac cie en cia com do agora nado, e primeiro he di serpente da se e stá do en te, cis sn cruz do ip pad ,ado quadrado da ue si me en cão ove do circulo do quadrado da europeu de fez, se fi car do en te da am manha vaso do en ho cá do forte norte sul do rc em see gato do circulo do oo dique é inc rato do nono primeiro le circulo do omo muito cão cruz ra ze maior da norma serpente, a que se infiltrou em casa, do no do supermercado quadrado da ue en da ap do circulo do per mit aqui da ue primeira pessoa quadrado da ue est primeira jad oe en teresa, co rte fia fiambre, em bal e pao e por aí forte do circulo do ra, e is to é de serpenet do acento no circulo uk primeiro circulo dez, ó, da p arte dor espanhola da cruz ante quadrado da ue j á aqui neste do angulo maior do nono do ro dao vaso maior ida primeira di serpente da se do serpente da inglesa hora do ro en gato en e he iro e das serpenet ua serpente das manhas e de se us ro ub os inc primeiro do us nono e , circulo da up por circulo do vaso da cruz do ra serpente do pal vaso do ra sc omo cruz da am e segunda em enrique dc circulo do onze do europeu à min homem do ac em cruz primeira

e me lembrei agora de uma estranha história em dia recente, uma tentativa de susto ao belmiro, através de um pseudo bomba que teria sido deixada à porta de sua casa, e de repente parece ganhar consistência, que estes senhores, s e tal se lhes pudesse chamar, estão envolvidos no rapto de meu filho

e me primeiro em br rei do agora de uma uam e cruz da rata da anha hi st pr ia em dia rec en te, mu ma cruz inglesa tat iva serpente de serpenet do vaso do to ao be primeiro do miro, at rav espanholas de primeiro ps europeu do segundo om do ba q ue teresa rata da ua sid ode nono ad p ria mr ia à porta de serpente da ua circulo da asa, e de rato da ep net pa rece gan homem da ar co nsi cruz inglesa cia, quadrado da ue espanhol cruz do espanhol serpente da inglesa hor es, set al se primeiro homem ingles da se pr ren teresa do vaso de serpente da sec hama ra, es tao en vo primeiro vi do sn no circulo do ra do ado dos triunfo dos porcos ode da me europeu vaso do fi do primeiro ho


maís sas t r eta s das li g ac ç o es a uma se rie de ep piso di os r e l at iv os ao br asi primeiro do quadrado da ue agora maís primeiro de serpente inglesa do vo primeiro do vi que mente da teve com da p rim mira ira da presença da par tim pim e com do circulo doc em lui circulo do quadrado da ue se di zorro da se do rato do ministro da cultura

está aqui muito fumo, sendo que as caixas dos hipermercados estão cheias de cobras brasileiras, com estranhos passes, e muita gente já disso se deu conta, e tambem eu dei, de uma outra conta, a ultima constipação de meu pai, foi exactamente pegada da mesma forma

es t á aqui mui to f umo, serpente inglesa doque as ca nonos as dos ipe ratos do mer rc circulos do ado serpente espanholas dp tao ch e ia serpentes de cobras br asi le iras, com e ts rn ho spa ass e es, em j e tage da inglesa lea te j á di serpente do serpente do circulo da sed europeia conta, e ta tam da manha e segunda em europeu de id e up circulo p do vaso da cruz do ra conta, au primeira tc cruz ima co ns cruz ip p ria mira sao de me vaso do pai, forte do circulo ee do x do ac do tam muito teresa dp pe gado da me serpente dama for ram

o senhor engenheiro, para alem de tudo é cobarde pois ainda não respondeu a nenhuma da interpelações que aqui fiz, como é vai responder, ou o levarei a tribunal, assim que reunir provas?

os en hor engenheiro, para al em det tudo é co bar de p o isa inda n cão r es p ode ua n en homem da uma da e em cruz s argento do rato ti da ep e la circulo de corte do circulo do espanhol do quadrado da ue do duplo quadrado do ki do vaso e da vareta de fi zorro circulo zacarias doc circulo omo é vaso eva asi rato espanhol de pond ero ro do vaso do circulo dol eva rei em cruz da rib un al, a sis maior quadrado da ue rato europeu do ni rp pr ova serpente da foice

muito se queixa o senhor de que o governo , todos , assim sempre o ouvi ao longo de décadas, que nenhum fala consigo e com a sonae, mesmo quando o acompanham nas quedas simbólicas em troia, de treta ou nao treta, mas de sincronismo com a morte de mais um senhor árabe do pin clif, mas parece ser o senhor um homem de dois pesos e duas medidas, pois tambem não me respondeu ainda a mim, a qualquer das muitas perguntas que aqui o fiz, e se porta em suas empresa, como aqui fiz prova cabal numa delas como um bandido, portanto a té napo se pode muito queixar dos governo e do estado porque até ao momento, ninguém o multou ou prendeu, vamos lá ver se será por actos de terrorismo e roubo de um menor, ou cumplicidade e cobertura nesse roubo

mui it to se q u delta do nono a o s en hor deque circulo do governo , todos , as si em se mp reo o u vi ao l on g ode dec a sas, q ue n en h um fala c on sig oe com primeira da sonae, me s mo q u ando o ac om pan do ham nas q eu da s s im bo l i cas em t roi ad e t rata eta circulo da un ai cruz rata eta, mas de sin circulo do rin is mo com da primeira moret, a isabel moreira, de maís vaso primeiro roda rp ms inglesa homem da ro ar árabe do ra be do pi nn vaso do primeiro do circulo do forte, mas par rc es ero serpenet do ingles kapa do primeiro espanhol do homem do ro primeiro home de do is pesos e do as me dida s, p o is cruz da am e segunda em muito cão mer espanhol de ponde ua inda primeira mim, aqui da ual vaso do we rato das mui cruz ze zorro do as per gun cruz dp as qia q au dr ado da ue aqui do circulo do fi ze se porta em serpente da ua serpente em presa, com circulo aqui do fi zorro da pr ova de cabal nu ma de primeiro as com do circulo do primeiro bandido, porta tan to a primeira té na pose da p ode mui to q ue nono da ar dos gatos do ove rn ser pe ny teresa oe do estado por quadrado da ue em, é ao mo men to, nin gato europeu emo mul to vaso duplo co do circulo do pr en quadrado eu, vaso do as mo ser pe ny te do primeiro roi á ve rato da se serpente e rá por ac to s de cruz te rr circulo do sis moe urubu de primeiro ingles do circulo do ro vaso do cu mp lic dade e co be raro tura ness e ro ub circulo

e agora, porque este ataque na cas fernando pessoa com o tal que se diz ministro e com cobertura e cumplicidade dos medias?

e agora, por q ue este ataque na cas f e rn do p esso ac om ota al q ue se di z mini t ro e com co be r tura e cu mp li cidade dos me dia serpente da foc cie

Estará casamento em vista com perfilhamento do filho roubado?

Es tará cas men to em vaso do is st a ista com per rf fi primeiro ham en to do fi primeiro do ho ro ub ado da foice

Seu filho, o vi de raspão sem masi uma vez o ler, numa entrevista de um qualquer jornal, lá estava ele como de costume com cara de aflito e entalado, pergunto-me porquê?

Serpente da se do europeu do fi primeiro ho, circulo do vi de ra spa pao se maior masi primeiro ave zo do ler, rn primeira en cruz rato e vaso ista de primeiro quadrado do vaso do primeiro quadrado ds do vaso e rato do jo rn al, primeiro do acento á est ava el e com ode do cos cruz do vaso da me do com da cara dea for mula one e to e en tala ado, per gun tome do traço da inglesa me por quadrado da ue ê da foc cie

Já passou o tempo necessário para que o roubo se sedimente, assim o pensais, pois e assim for, morrereis vós e o lingrinhas de vosso filho!

J á p ass ou o te mp one c ess a rio para q ue o ro ub os e se die mn teresa, as si mo da p en sa is, p circulo da ise as si maior maria freitas for, mor rato e reis vó se circulo do primeiro ingles em gato das rinhas do devo da vasp do osso do fi primeiro ho da serpente da eta circulo do ac da rava ad ano chao

Já aqui o nome de sonae neste livro da prisão, rasa o nome da sonae, em vez de sonae esta sonap ou son cao, e, e do traço no meio do casco do veleiro do pote da liberdade ao lado da casa do sr doutor juiz com lua deitada na boca

J á aqui on ome de sonae neste primeiro ino nono do ro da pr isa o, r ass a on ome da sonae, em vaso espanhol de sonae esta son ap o us on cao, ee do t ar dez no mei o doca sc o dove li ro do p ot e d a liber dade ao lado da c asa do sr do u tor ju i z c om l ua de ita ada dana boca, será por isso que caiu, com do circulo do as sin do pari da me do rime da ira da primeira tita

As colunas das contas corresponde a primeira no texto da pagina anterior, ao circulo da maquina de escrever, que me lembra o jornalista do vinte quatro horas que parece sempre ao lado de uma e a uma outra que eu tenho que ra do meu tio avó, ao circulo da dgv, en te rato par ren tesis da ca rta da pr ren te sis, do circulo do cheque , ou dinheiro da maria da en te rato par ren teresa sis dos correios en te rata par da teresa asis

As o c l un as das contas co rr es ponde a p rime ira no texto da pa g ima ante iro, ao cir cu dez dama q u ina de es c r eve r, q ue me l em br a o jo rna l ista do vin t ge q ua t ro hor as q ue par ce se mp rea o lado de uma e au mao u t ra que eu t en ho q ue ra do m eu tio avó, ao cir cu dez da dg vaso en te rato par ren te sis da ca rta da pr ren te sis, do circulo do cheque , o vaso do dodi ine ne do homem ro, da am mr ia da en te rato par ren teresa sis dos co r rei os en te rata p art teresa asis



As parcelas dizem segundo vartea do tríade do segundo do quatrocentos, ou quadrado do infinito tombado, do segundo de cinquenta dois do vinte um, olivais circulo do quadrado da estrela do doze circulo, e soma do ze do quadrado de duas pernas do nono

As par das cela s di ze m se g u do v art tea do t r iad de do se gun dodo q ua t roc en to s, o u q ua dr ado do in fi ni to tom b ado, do se gun do de cine q un te e o id do vinte um circulo do quadrado da estrela do doze circulo, e soma do ze do quadrado de duas p en as don on circulo

Na segunda coluna que se encontra vertical e portanto simétrica à disposição do texto, temos paulo do traço do hi forte ingles do ze do ponto da estrela, cruz segunda do doze do ponto da estrela, da cruz tombada para a direita do segundo do ponto da estrela

Na se gun da co l un aqui da ue se en c on t r ra v e r tic al e porta n to si met rica à di s posi sao do texto, t emo spa au dez do t rato do aço do hi forte ingles do ze do ponto da estrela, cruz se gun dad o do ze do ponto da estrela, da cruz tom b ad ap dp para da primeira do quadrado da ire da tita do segundo do ponto da e ts rato e la

Depois o fernando do ponto da rebobinadora, do ze do ponto da estrela, do ste set ponto da estrela em setenta e cinco, do vinte nove do ponto do circulo da segunda estrela do trinta e um do circulo da estrela , do segundo da estrela, o trinta e um da estrela, corresponde ao meio da prisma que simboliza a pedra caída do diabo, , a base do losango, heroina, negro e o vinte da estrela, ou seja o maçon da estrela, e seu topo de outro ou do mesmo maçon da estrela

D ep o is o f e rna ado do ponto da r e b do bb do bobi na dora, do ze do ponto da estrela, do ste set p on ro da estrela em set en t a e c on co, do vinte n ove do ponto do cir u c dez da e mp press o ra e dos f ax e zorro da segunda ester de la do trinta e eu primeiro do circulo da estrela , do segundo da estrela, o trinta eu maior da e ts rato e la, co rr es ponde ao mei o da prisma q ue si m bo l iza a pedra ca id ado do diabo, , a be se do lo sam gato do one gato do ro e o vin te da estrela, o u seja o maçon da estrela, es eu top oo de o u t ro o u do me s mo maçon da estrela

A terceira coluna, outra vez deitada , filmes pap e is do spa papeis do bam comida, ou seja do bandido do antonio pedro vasconcelos e dos bandidos da spa, o medico da dupla tríade do sexto, primeiro quim ze de cinquenta e dois, estrela do quadrado do quatorze circulo do mercedes duzentos e setenta do vinte e quatro horas cujo total, é circulo onze de noventa e dois

A t r e rc e ira co l un a o u t ra ave z de it ada dos filmes do pap e is do spa pap e is do bam com id a, o u seja do ban dido do antonio pedro vasconcelos e dos ban dido sd a spa, o me di co da dupla t riade do sex to, p rime iro quim ze de cin q u en t a e do is, estrela do quadrado do q au t ro ze circulo do mercedes duzentos e setenta do vinte e quatro horas circulo do vaso do jo tot da al, é circulo onze de noventa e dois

A terceira coluna deitada, corresponde a sapatos vermelhos, xadrez e palavras de lençóis, ou seja de amor em leitos, de palavras cruzadas em amor de leito e os seus valores dizem terceiro de sessenta e oito, o primeiro do circulo de vinte quatro de dezembro , o treze do infinito em pe do cento e quarenta da diade do vinte e cinco do angulo da direita baixa do quadrado de oitenta, e cuja soma é quatorze de setenta e cinco

Em p rime ria da cruz em rc e ira co l ua e de it ada, co rr es ponde a spa dos patos vermelhos, xa dr es e pal vaso do ra sd e l en c ç o is, o u seja de am o rem lei to s, de p al vaso do ra s c rui iza da se maior dama do amo de lei do to ds e os se us valores di ze do ponto da gula do vi ,am maior do terceiro de se see n ta e oito, o p rime iro do circulo de vinte quatro de dez em br o , ot r e ze do infinito em pe do cento e quarenta da diade do vinte e c inc o do angulo da di rata eta da baixa do quadrado de oitenta, e cu j a serpente oma é q ua tor ze de set da anta e circulo inc da espanhola al circulo da rita

Apanham estas contas uma outra pagina e pelos traços que definem a soma, e que correspondem a linhas que marginam esta correspondência, obtenho a seguinte correspondência na primara coluna deitada de cima, a estrela do tony sopranos de nova yorque do hi forte ingles do forte da ala serpente da hi inglesa mo serpenet os da serpente ob art oe da f oto gara raf ia, do circulo da estrela do du rta da hi forte do forte da garagem, do chaveta di ponta da seta dupla do carlitos so sunbeam rapier, da s eta da onde es tao doc um en to s do ponto da foice da estrela da farinha triumph, do pó do leite, e ce rta mn te da coca, ou outro pr o du to q ue o al te re

Ap pan ham anha da manha e sta se rp pn teresa das contas uma circulo do vaso da cruz do ra da pa gina e ep do elo dez da serpente dos traços quadrado da ue de fi inem nema primeira serpente oma, e quadrado da ue co rr ep pnd quadrado ema serpente linhas quadrado da ue mar gina am e sta co rr espanhol da pond en cia, ob bt da cruz en ho ase gui em teresa do co rr espanhol pond en cia na pr ima ra co primeiro da ua em de it ada dec ima, à primeira estrela do tony de nova yorque e do hi forte ingles do forte da ala serpente da hi inglesa kapa espanhol da am do mo ser da p en net os da serpente ob art oe da f oto gara raf ia, do circulo da e ts r e la do quadrado do ur rta da hi f dó forte da gara g en, doc homem ave eta di ponta da seta dupla do carlitos so serpente da un bea am ra pi e r, da serpente da eta da onde espanhol tao doc vaso men to serpente do ponto da foice da estrela da farinha cruz rio vaso do mp hp mem, do pó do leite e ce rta mn te da coca, ou o vaso dot ro pro du to quadrado ue circulo da al te do reme espanhol to ua primeiro em br ar do inc id dente na china

O terceiro traço da terceira coluna da soma, apanha a estrela do manuel do traço do ho do forte da carrinha co l kapa do ka gaze maior da seta da chave da garagem da lena, até aqui tudo riscos por uma hélice dupla tipo adn, do manuel maria da guerra do silva neto da primeira da pt do circulo do terceiro de tavira do taveira em oitenta e oito duplo circulo deitado da estrela do zé luis do traço da renault quatro da estrela do mugu es l horta e costa da estrela da té víbora

Ot te e rc eiro t r alo dat rec ira co l un ad a s oma, ap anha a est real do manuel do traço do ho do f orte da ca rr inha co l kapa do ka gaze ze maior da s eta da c h ave da gara ge maior da lena, a té aqui tudo r sic s op o r um a he l ice d up la t ip o a dn, do ma eu l maria da guerra do silva neto da p rime ira da pt do circulo do t rec iro de tavira em oi t anta e oito duplo circulo deitado da est real do zé luis do traço da renault q au t roda estrela do mugu es p rie em mr rio horta e costa da estrela da té vi de bora


A terceira coluna deitada da estrela da cas da lena do traço da informações do en te rata par ren te sis do paul da en te rata par te sis serpente ob rato rei sol am home ingles to, primeira cobra do manuel de Portugal do rato de Portugal vinte e tres do traço do terceiro da direita carlitos e fernado

A te rc e ria co l un ad e it primeira dada estrela da cas da lena do t rato do aço da in for mações do en te rata par ren te sis do paul da en te rata par te sis serpente ob rato rei sol am home ingles to, p rime ria cobra do manuel de portu g ak do rato de portu g ak vinte e tres do traço do t rec e iro da direita carlitos e ferro do nando

Na pagina seguinte a nuvem em cima a ligar a outra onde estão escritas as palavra quase brechetianas do rio, que molha os pés, de todos, acrescente-se pois é disso que falam estas despeza, tres mil escudos de gasolina trezentos escudos de óleo , o segundo de sessenta do rato ro do falo, que deve ser a conta de madris, dos duzentos ra do falo de madris, dos seiscentos al moço total quatro mil trezentos e sessenta escudos

Na pa g ima se gui n te a nu uve maior em c ima a li g ra ao u t ra onda es tao es c rita s as pal vaso do ra s q use br e cc he tia ana s do rio, q eu emo mol h as os pé s, de todos, ac r es c en te serpente do hi ingles, e, p o is é di s so q ue fala am e sta s de s pe za, t r es mi l es cu do sd e gás o l ina t r e z en to s es c u do s de o leo , o se gun do de se s senta do rato ro do f alo, q ue d eve se ra conta de mad r is, dos d u z n to s ra do f alo de mad r is, do s seis c en t os al moço t ota l q au t ro mi l t r es en to ze s ess en t a es c u do ser p em te



A bela menina ruivinha kidman, é que hoje aparecia no jornal assim vestida de prata tipo can can, ano s do vin da te, dupla unidade dos sapatos vermelhos e guarda chuva a chuva em nova yorque imaginária, o que reflecte na memória a bela scarlett e um outro pedaço de imagem com obama, mas que está no texto maior, se entretanto este nao se juntar com ele, a bem dizer, juntava eu assim meus lábios nos seus, não fosse a menina casada com o kid do cantores urbanos, depois sonhei consigo, ouvia-a dizer a meu lado, assim bem chegadinha, darling, do you love cows, eu lhe respondia, prefiro sempre a si

A m me eni ina ni en rui vinha, é q ue h oje ap ar e cia no jo r n al as si m v es tid a de p art a t ip o can can, coca cola dupla, d up la in id ad e dos spa pato s verme l h o se do guarda da ch uva ac homem da uva em nova yorque ima gin á ria, o que efe ct e um o u t ro peda aço de i mage m com ob am, mas q ue e stá no texto maio r, se en t r eta n to es t en ase j un at rc om e lea b em di ze r, j un at a eu as si m me us l ab is on os se us, n cão f os sea em nina ca sad a com o k id, do can tor es ur r e b ban os, d ep o is son he i com sig o, o u vi a do traço da in gel sa p rime iria di ze ra m eu l ado, as si m b em che ga din ho, d ar da ling, do y o i luke co ws, e u l he r es pond ia, pr e f iro se mp rea ti


Ainda no caderno que trás muitas folhas em branco, um desenho de um ser assim com cabeças de algas, dois seios e duas caudas ed sereias, a cauda da direita trás ondinhas do mar, desde a cintura até a barbatana e a da esquerda menos ondinhas, assim como um calçaozinho de menina a imitar meninos, embora os dos meninos não tragam geralmente rendinhas, por detrás desta personagem do mar, a sereia dos cabelos de algas e duas caudas, e dois seios, uma outra pagina rasgada, desvela uma outra face na pagina seguinte, de uns lábios assim como bigodes, de mosqueteiro

A inda no cade r no q ue t ra s mui t as f o l h as em branco, um de s ee h ode um ser as si mc om cab eça s de al gás, do is s eu sie du as c auda s ed se reia s, a c auda da di rei ta t ra s in de in h as do mar, de sd sea ad dea c in tura at é a ba rb a t ana e a da esu e rda me ni s on dinhas, a sis sm com o um c al cao zinho de me nina a e mitra me nino ovo serpente, em bora os dos me nin son cão t ra g am ge r al m net ren dinhas, por det ra s de sta pee son a ge m do mar, a se reia dos cab elo dez s de al gás e du as c auda se do is seios, uma o u t ra pa g ima ra sg ad a, d eve la uma o u t r af ac e na pa g ima se gui n te, de uns l ab i os as si m c omo bi g ode s, de mos q eu te iro

Depois um outro texto que alguém aqui para mim escreveu,

D e p o is um o u t ro texto q ue al g ue maqui para mim es c r eve eu,

Trás o olho de horus desenhado, e assim diz, olhar, ver e sentir que estamos aqui e agora reunidos, juntos e podemos decidir, porque não há barreiras ( opacas , de ferro) podes olhar e pensar para alem de estar. Eu quero ir ao mundo, quero olhar , ver sentir, quero conhecer, viver e estar , bem.... ! cést , tout. Je crois bien à mao, à toi, a nous, pour conquir le monde entiei

T rá s o olho de hor use as si m di z, o l h ar, vere s en tir q ue es t am os aqui e agora r eu ni do s, j un to ze p ode demos dec id i rp prique n cão h + á bar rei ira ss spa opa cas , de ferro do spa s p ode sol homem da ar e pen sar para al bat m am muet em de es t ra. Eu q u ero irao mundo, quadrado da europeu do ero olhar , vaso e rato see ep net do en tir, quadrado da eu ro c e he ce rato, viver ee st ra, segundo se gui em ponti, violinos, ! c ést , to ut., quase tot, je circulo do roi serpente sb bi en à mao, à to ia no us, p circulo do ur circulo eon quadrado do vaso do i art rato le monde en tie i

Pena minha amada, que nao está assinado, e como dizes, deves ter então partido à muitas luas atrás e ainda não voltaste, e eu fico aqui a penar sem os teus lábios para muito beijar e te fazer coceginhas na alma e ver-te sorrir pelos poros todos de teu corpo

Pena min h a am ada, q ue na i e stá s sin ado, e com o di ze s, d eve s te r en tao par tid o am u i t as l ua s at rá se a inda n cão vo l t as te, e eu fi co aqui a p en ar se mo s te us la bi so para mui to bei j ar e te f az e r coe gin h as na alma e eve rata do traço da inglesa te sor rio rp elo dez se pr n te dos poros todos det eu corp circulo

Ouvi-te eu dizer em noite recente que fora a melhor noite de sexo que jamais tiveras, se te referes ao amor espelhado no ceu, deixa-me dizer-te que nunca ele é só sexo, independentemente da posição ou da distancia em que estamos, eu amo-te inteira mesmo distante, depois tambem ouvi uma outra assim mais estranha, que achavas que eu escrevia assim linhas de amor a belas raparigas, como quem sugasse o amor, como se tivesse necessidade de encher o meu deposito, assim como quase sugerindo que o amor se rouba e que eu era dele ladrão, mas amada, amadinha minha, não é assim o amor, quanto masi se ama, mais ele cresce para todos, gostava eu era de me encher deleitando-me em tua companhia, e depois ainda veio uma outra tua face que assim disse, nós nos amamos, e agora estamos cada um em cada lado do mundo, pois isto é um claro desperdício, e assim não devia ser, ou me envias a tua direcção, e eu vou ter contigo, ou será que na tua terra não, há assim um aviao, um comboio, um eléctrico, um burro que seja, para alem deste que te escreve mas que ainda não te conseguiu trazer a meus braços

O u vi do traço da inglesa te eu di ze rem no it e rec en te q ue f o ra am e l hor no ite de sexo q ue j am is t ive ra s, set e refer es ao am o r es pe la hd o no c eu, de ix a do traço da inglesa me di ze rato da inglesa te q ue n unc a el e é s ó sexo, independente mn te da p o sic sao o u da is tan cia em q ue es t am os, eu am ot do traço da inglesa te ine t ria me s mo di s t ante, d ep o is t am b em o u vi uma o u t ra as si m am si es t r anha, q ue acha v as q ue eu es c r v e ia ss em linhas de am mora be l as ra par i gás, com o q eu m s u gás se o mao rc omo se t iv ess e ne ce s sida dede en cher om eu d ep o si to, as si mc omo q use s u ger indo q ue o am o r se ro ub a e q ue e u e ra de le l ad ra oma s am ada, am ad in ham em homem anão é as si mo am o r, q ua anto masi sea am a, maís el e c r es ce para todos, g os cruz ava eu e ra de me en cher de lei tan do traço da inglesa me em tua com p e hi a, e d ep o is a inda veio uma o u t ra t ua face q ue as si m di ss en nós n os am omo se agora es t am os c ada um em c ada l ado do mundo, p o isis to é um c l aro de sp e rato da di cio, e as si em muito cão de vaso do ia serpente do ero do vaso da me en vi as em ua di reç sao, e eu vo it r e c on ti g o, o use rá q ue na t ua te r ra n cão, h á a sis m um avia o, primeiro com boi circulo, um el e ct rico, primeiro segundo ur roque seja, para al em de ste quadrado da ue e te es circulo do rato eve masque da primeira inda muito cão te c em se gi vaso da cruz ra ze ra emus br aço serpente

Depois ainda trás o caderno mais duas folhas com desenhos ,um na ultima pagina e outro na capa, o primeiro destes dois, é muito estranho, não sei de quem é o traço, e parece ser a mais de duas maos, um rapaz de perfil cuja linha do nariz entra no cabelo que é um novelos de fios, um puzzle, com cinco traços no pescoço, lábios grossos, e uma orelha de lua com boca de peixe de profundidade daqueles que trazem dentes compridos e tudo, com uma lingua pontiaguda que sai em triângulo de fogo deitado olha em frente um home assim tipo neerdental, de barbas e cabelos grandes dentro de um saco assim tipo um istmo com um laço meia borboleta, e pelos no tronco que parecem desenhar tres cobras até ao umbigo, e uma pila com uma bolinha que parece anormalmente descaída, onde se le é vaso cinquenta e seis de dois semi circulos que se juntam de cotas, e que portanto deverão ter feito uma vesicas se muito se chagaram, po debaixo do perfil do rapaz, o que parece ser um outro pedaço de uma menina assim com veu e um olho muito pestanudo, em cima de um cofre de tesouro, com losangos azuis e brancos, mas que estranhamente não fazem em todos conjuntos perfeitos, ou seja nele se le, meio losango, um losagulo inteiro entre a tampa e o corpo do cofre e depois a confusão, tres triângulo de fogo em sima que encaixam num de agua no hexágono assim meio desproporcionado, e ao lado entre o segundo e o terceiro de cima, uma outro em baixo com o bico assim meio facetado, por baixo o que parece ser uma poça de agia , um estranho anel, o curioso é que esta pedaço reflectia-se no chao da piscina do guillaume que brinca com seu filho, ainda mais abaixo algo escrito que foi riscada, que se junta ao que parece ser um livro em angulo aberto de noventa e graus, com folhas em permeio que se ligam ao que parece ser uma ventoinha ou turbina com uma vesica de pernas para o ar, e ao lado esquerdo , um estranho objecto que parece um sapato de senhora, tipo o do telhado do fragil mas com contornos redondos, como um sete sem travessão deitado, e mais acima encostado ao saco do homem de neerdental, uma banana assim meio torcida em forma impossível, parecendo uma lamina de um dois tres, com um cabeça em seu meio, com um cérebro aberto onde se ve assim o que parece serem tres linhas de ondas eléctricas, e um dizer no corpo da banana, meio fora e meio dentro por metade, que diz qualquer coisa assim, a cabeça, os olhos a arder, o l h é me rda do que me havia de acontecer, não faço ideia de quem é esta letra

D ep o isa inda t rá s o cade r no maís du as f o l h as com de s en h os ,um na u l t ima pa gina e o u t ro na capa, o p rime iro de st es do is, é mui to es t r anho, n cão se id e q eu mé o t ra ç om, e par e ce se ra mais de du as mao es, um rp az de pe rf fil c u j a linha do na r i z en t ra ano cab elo q ue é um n ove lo s de fi os, um p u zz le, com c inc o t r aço sn o p es coço, l ab i s g rosso se uma orelha de lua com b oca de peixe de pro f un di dade da q eu l es q ue t ra ze m dentes com pr ido s e t u do, com uma l in g ua ponti g au la q ue sa i em t rian gula dez de fogo de it ado olha em fr en te um home as si m t ip one e dental, de b r ab as e cab elo s g rand es de bt ro de um s aco as si m t ip o um is tom o com um l aço mei a bo r b o l eta, e p elo s no t ronco q ue pa recem de s en h ar t r es cobras at é ao um bi goe uma p ila com uma bo l ina h q ue pa rece ano r mal mente de sc aida, om de se le é vaso c in q e un te e se is de do is s emi circulos q ue se j un tam de c ota se q ue porta anto d eve ra ot r e f e i to uma v e sica s se mui to ze chaga ram, po de ba ix o do pe rf i l do ra p az, o q ue pa rc es e rum o u t ro ped aço de uma menina as si mc om v eu e um olho mui to p es t e u do, em c ima de um co fr e de te souro, com l os na gulas dez azuis e brancos, mas q ue es t rana h m ante n cão f az em e maior de todos do circulo em j un to serpente do pe rf e i to serpente, circulo da use j ane le se le, mei o dez san gula dez, primeiro dez sa gato do vaso dez ine iro en cruz rea tampa e o cop ro do co fr e ed ep o isa c on fusão, t r es t r ian gulas de fogo em sic ma q ue en caixa am n um de agua no he xa g on ao as si m mei o de sp rop orci cio n ad, e ao l ado en t reo se gun do e ot rec eiro dec ima, uma o u t ro em ba ix o com o bi co as si m mei o f ac eta ado, por ba ix oo q ue pa rece ser uma poça de a gi a , um es t ar n ho ane l, o cu riso é q ue e sta peda aço r e f l e ct ia do traço da inglesa seno chao da pi s cina do gui ll au me q ue br inca com s eu fi l ho, a inda maís ab a ix o al g o es c rito q ue f o i r isca da, q ue se j un ta ao q ue pa rece ser um l iv ro em ab gula dez ab ero de no v en ta e g ra us, com fi l h as em per me rio q ue se li g am ao q ue pa rece ser uma v en toi n h a ou t ur bina com uma ave z ia de pe rna s para o ar, e ao l ado es q eu r do , um e ts r anho on ject o q ue pa rece um spa tod de s en hora, t ip o tel h a o do g fr a g u l mas c om c on tornos reco em do sc omo primeiro sete serpente em cruz das raves espanholas da sao de it ado, ema si ac ima en circulo em cruz ado ao s aco do homem do om em de ne e rata dental, primeira bana tor cida com do primeiro cab e la em serpente do eu mei circulo , com primeiro do cere br circulo do ab ero onda se eve as simo quadrado da ue pa rece se rem cruz rato espanholas linhas de ondas el e ct rica se do primeiro da di ze rn no corp do circulo dada bana aqui da ue di zorro do quadrado da ual quadrado do eu rc do co si primeira ss ima cab e la, os olhos a ard ero do rol homem é me rda do q ue me homem da avia do acontece da rn do cão do falo id deia de q eu mé e sta primeiro e cruz ra

A imagem do sapato, alguém que hoje aqui entrou, deduzindo que eu estaria a chegar a analise deste caderno, assim terá preparado as coias na fonte dos quatro caminhos das necessidades, e masi uma vez um cio estava montado e pela noite, mais um julgamento, sendo que nest altura do campeonato, meus senhores, o meus estapores, tudo está dito no video do inicio deste post,
A i mage m do spa tao, al g eu m q ue h oje aqui en t ro u, ded u d z indo q ue eu e ts aria ac he g ra a anna lise de ste cade r no, as si m te rá pre epa r ado as co ia sn a fonte do s q ua t ro ca minho s das ne ce s sida de se ema si uma ave zorro do primeiro cio e stav am montado ep la no i te, maís p rime rio j u l game en to, s en do q ue nest al tura do cam pe ina to, me us s en hor e, o me us e sta ap o r es, tudo e stá dito no vi de o do in i cn ni o de ste post,

O gato preto de rabo alçada, estava muito amigável, esta noite quando ao jardim cheguei, me disse alguém em remoto com ópio, depois de tomar café na estação , ver o inicio do jogo com os dois primeiros golos, de ter chegado masi uma figurante de num carro nas cores alpina da renault azul eléctrico, com uma camisa com uma clave de sol de prat sobre negro, id clara e precisa relativa a oto francesa, e de nela ter lido, um torcer de cabeça, como quem dizia, não , ou pior nestas sugestões de ilusões de tretas, pois poderia ser como um pescoço que torcido em forma rápida se quebrara, sabem-na toda, estas gentes das ilusões,


O gato preto der ra ab do circulo da calçada, al circulo de corte ad primeira e stav mui to ami g ave l, es te no it r e q u ando ao jardim che ge u id ep o is de tom n ar ca fé na est aç sao , v ero inc cino do j ogo do falo cravado na terra, com os do is p rei me iro s g olo falo serpente, de te r c e homem do gado ma sio uma f u i g ur ante de um ac carro nas co r es a pi primeiro da ne da rata da ema mau primeiro cruz az vaso do p rie miri el e cruz rico, com primeira cam misa com uma circulo da primeira ave de sol de prat serpenet do ob rene negro, id clara e pr e cisa rato e la cruz iva a oto fr anc e sa, e de ene la te rato do lido, primeiro da cruz rocer de cabe eça, com o quadrado da eu maior di z ian cão , circulo da up pi circulo da rata ne sta ss vaso dog espanhol to espanhol de e primeiro us o espanhol det rata eta serpente da, p do circulo do is p ode ria se rc omo primeiro p espanhol do coço quadrado da ue tor cid oe em forma ra pida seque br ar a, s ab em do traço da inglesa nato da, e sta sg en te serpente da si p rie me iro us circulo espanhol hi,

O gatinho em remoto de opiáceo, me mostrava com seu rabinho alçado com um gancho, o cu da marcas na banco, das tabuinhas de madeiras que figuram uma onda, depois começaram a queda de muita folhas, o gabinete das necessidades do candeeiro complicada, acesas, como a dizer vem de lá , um espelho, ou quem sabe mesmo o comando, ou ainda da gnr ali mesmo ao lado, o gato as paginas tantas, quase que queria apanhar uma com sua pata, lhe sorri, a fonte continua a verter aguas, já no primeiro dia em que tal acontecera fui à recepção e disse ao senhor, diga a besta que pretensamente gere o palácio que a fonte verte e agua é bem precioso, que importa, perante estas encenações, lá continua o desperdício há talvez uma semana, a única vantagem é as aguas estarem limpas

O gat in ho em r em oto de o pi ac cio, me mos t ava com s eu ra bi n ho al ç ado com do primeiro gancho, capitão dos piratas, o cu da ma rca sn ab ban co do banco das t ab in h as de madeira s q ue figo ram primeira onda, d ep o is com eça aram a q eu da de mui t a f o l h as, o gabi n te das ne c ess id es do can de iro com p l i ca da, ac es sas, com o a di ze r v em de l á , um es pe l ho, o u q eu m s abe me ms o circulo do comando, o u a inda da gn r al i me s mo ao l ado, o gato as pa g ima s t anta s, q au use q ue q u er a ap anha r um ac om sua pata, l he sor ria fonte conti n ua ave rato da te ragu as, j + ano p rime rio dia em q ue eta cruz al c on tec ra f u ia rc ep sao e di s sea o s en h ro, di g aa b e sta q ue pr e t en sam que mente ger reo pal cia o q ue a fonte ave r te e agua é b em pr e cio s o, q ue e mp porta, pe ra n te e sta s en cena ç õ es, l á conti un a o de s per di cio h á t alve zorro uma se mana, a un nin c van tage mé as aguas est ar em l e mp as

Depois a manha montada, vertia hoje à noite a fonte em dois ou tres sítios do seu circulo, e estando ela limpa, não haveria razão para ter as folhas e os puas que lá se encontravam, e que se tinham acumulado, a meu suspeitar, propositadamente posto na fonte oeste, ou seja as folhas que caiaram no este, ou seja ainda imagem e julgamento sobre o tsunami, e ali estava um tronco com a forma aproximada ao sapato agora descrito, uma vareta cortada em bisel, bosel, como uma ac unha da cunha em forma de lapis de car vao, e depois um x e folhas que simbolizam tambem almas, ou gentes, para sermos mais específicos

D ep o isa manha mon t ada, ave rt ia home do oje à no e it da te primeira fonte em do is circulo do vaso da cruz rato espanhol do is tio dd os eu circulo, e es cruz ando ela li mp e cão homem ave ria ra za circulo do para te ra serpente do forte do circulo do primeiro homem as e os p ua serpente do q ue primeiro á se e cn em cruz rata da av mec ue se tinha ham ac uu lado, am eu serpente do us pei tar, al gume pr ep posi sita damen te p os to na fonte oe ste, o vaso do seja as forte do circulo do primeiro homem as quadrado da ue ca ia ram no este, o use j aa inda e mage me j vaso do primeiro game en to serpente do ob reo cruz us n ami, e ali e ts vaso da norte sul cruz do ron co com da primeira forma ap roxi mad a ao sapa pato agora de sc rito, ed ep o is primeiro x e forte do circulo do primeiro homem as quadrado da ue ser pe ny e si em bil iza maior cruz da am e segunda em almas, circulo do vaso do gene ts ,para se rato do mos maís espanhol do pe cif fi do cos, p rie me ira da puta do capitão cos

E mais uma brincadeira, de luzes ali por debaixo da manta inútil de ferro, acto de corrupção, que ainda não foi investigado, passado todos estes anos, quem pagou a pala a quem , a pala inútil, que nunca serviu seu fim, nem o poderia fazer, só mesmo bestas corruptos iam construir assim debaixo da ponte e pensarem que isolavam, isolaram foi umas valentes notas, policia, ainda existe?

E ema maís uma br i cade ira, de l u ze sa l ip por de ba ix o da manta in u til de ferro, nome, ac to de co rr up sao, q ue a inda n cão f o i in v es ti gado, p ass ado todos e ste s ano s, q eu m pa g o ua pala a quem , ap ala in u til, q ue n unc a ser vaso do ee do vaso do fi maior do en maior do circulo dao p ode ria f az e rato, serpente do acento ó me serpente do mo be sta serpente co rr up pt os iam co ns cruz rui ra ss em de ba ix circulo da ponte e pen serpente do rem quadrado da ue is ola ava am, is sola ram forte do cir cu primeiro dó e uma serpente do vale en te sn ota serpente da pol i cia, primeira inda e xis te da foice

Senhores militares, onde está vossa honra, vossa coragem , vossa lealdade, participeis assim em encenações para tramar eventualmente a terceiros, ou ireis dizer que nada disto sabeis, tendo acampamento ali ao lado, e depois protestais, muito

S en hor es mili tar es, onda e stá v os sa h on t av os sa cora ge m , v os sa lea l dade, par tic ip e is as si me m en cena ç o es para t rama ra eve en tua le mn te a t rec e ur os, o u i reis di ze r q ue n ada di s to s ab e is, t en do ac am p am en to al ia o l ado, e d ep o is pro t es tais, mui to

Que vergonha!
Quanto vos pagaram desta vez, e quem de vós recebeu!

Eu vos digo da factura do que na imagem vi, na casa mae da inteligência, uma forca está pronta, uma mulher lá meterá o pescoço, dormei bem com vossa consciência, se a tivésseis

Eu vaso do os di go da f ac cruz da ira do q ue na e mage maior do vi, na cas mae da intel i g en cia, uma f o rca e stá pr on t a, uma mul her l á met e rá o p es coço, dor me ib em com v os sa co ns cie en cia, sea ti nono vaso do espanhol da se is

Voltando ao caderno, na contra capa, produtora de televisão que fez a costa dos mosquitos onde entrava a monica calle tambem, rodado em Moçambique ou Angola se não me falha a memória, um outro complexo desenho

Vo do vaso maior do circulo do primeiro do vaso da cruz anda ao cade r no, naco c em t ra capa, por du ota de tele e da visao q ue fez primeira dao s argento do costa, da cml dos mosquitos onda en t rav a am moni caca ll e t am b em, roda ado em mo can bi q ue o ua n gato da onda se n cão me do falha primeira em mór ia, um o u t ro co mp primeiro e xo de serpente do en ho, xo para quem não se recorda , é beijo invertido

Hora temos no canto superior esquerdo um triângulo com rasto, como refractando as cores da luz funcionando como prisma, por debaixo dele, uma vesica que nasce num estranho fruto com um tres, que é um dos frutos da republica dominicana que se encontra na fruteira que figura o castelo, e a costa do castelo e costa dos mosquitos, chapito incluídos

Hor primeira cruz emo sn circulo do can to super rio rato espanhol ll do q eu rato do dó primeira cruz dat ria ab gula dez com do rasto, tambem feira da ladra em madris, com o rato e fr ac cruz ando asco rato espanhol da primeiro do vaso do zorro da fun cina az ando com do circulo do pr is ma, por de ba nono do circulo dele, primeira ave sica quadrado da ue na sc en primeiro e ts rata do anho fr vaso do to com do primeiro dos tres, quadrado da ue é primeiro dos fr vaso do to sd ar e da publica do dom em ican ana quadrado da ue se en circulo em cruz rana ana fr vaso da te iraque fi gato do ur p rime ria do circulo do cas tel o, e primeira do costa do cas do telo e do antonio costa dos mos quadrado da eu i to serpenet do cha pito inc lui ido serpente

Por debaixo deste prisma montado no tres do estranho fruto, que quase parece em seu conjunto a flor e símbolo do lys, temos um circulo, onde dois semi circulos se juntam abrindo para cada lado e um infinito deitado em seu centro, ou seja dois semicírculo s que deitaram um ser, ou seja que o mataram

Por de ba nono circulo det do ts do prisma montado no tres do es cruz rato do anho fr vaso do to, quadrado da ue quadrado do vaso da ase pa rece em serpente eu circulo em j un to primeira flor for mula one es em segundo falo do lys, cruz emo serpente do primeiro circulo, onda do iss emi circulos se j un em maio ab rato indo para c ada primeiro ado e primeiro em fi ni to de it ado em serpente do eu circulo do en cruz do ro, circulo do vaso do seja do is serpente da emi e circulo do ru dez serpente do quadrado da ue de it ram primeiro ser, circulo do vaso do seja quadrado da ue circulo da mata ram


Por altura deste circulo que conta este pedaço da história, um ponta da lança do lys, que assenta numa espécie de capa que com a ponta desenha um vesica invertida, um bastão atravessado por uma frequência que liga o chao a ponta da lança, e ainda um outro apoio como uma vareta comprida e ligeiramente em curva

Por al tura de ste circulo q ue conta e ste peda aço da hi s tór ia, um ponta da lança do lys, q ue assenta nu ma es pe dc cie de capa q ue com da primeira ponta de senha primeiro v e sica in v e rt ida, um bas tao at raves sado por uma fr e q u en cia q eu da liga dp chao ap da ponta da lança, e a inda um o u t ro ap oio com o um av rata eta com mp rid a e lige ira mn te em c ur vaso da primeira

Ao lado está um mulher com cabelos um pouco abaixo do pescoço com seios a mostra que será a figura que figura o seio e o leite de onde o bastão da morte partiu, invertendo no chao o caderno, ou sej como se lendo no ceu, le-se , t hi is, this is the end , vaso da primeira cauda it serpente do apostolo not, do nó do apostolo da seprnet do jim de morrisom da foda da sé, o rui morrisom, o jim do monaco, que faz lembrar o rapaz da martini, em figura, a foda da sé, será portanto a foda onde a teresa foi comprada com a tal pedra preciosa

Ao l ado e stá um mul her com cabe elos dez primeiro p o u co ab nono o do p es cç o com dos seios da primeira mo st ra q ue se rá primeira figura q ue fi g ur a o seio e o leite de onda do circulo do bas tao dam orte p art ti vaso, in verte ten do no chao o cade r no, o u sej com o se l en do no c eu, l e do traço da inglesa set hi is, cruz do homem do ho do isis do the om me do fim, apocalito, vaso da primeira c auda it serpente do ap ps oto dez not, do nó do a ps soto dez da se pr net do doje do je maior do morrisom , o rui morrisom, o jim do monaco, q ue f az l em br aro ra p az da mat in ni, em figo ra a foda da sé, se rá porta n to a foda onda da primeira teresa f oi com mp rada com da primeira cruz al ped ra do pré do cio do sá, ou talvez , do cio feito ao sá

E ainda uma simples correspondência, , um , seta a , dois seta b, tres seta c, quatro seta cinco do cruz do hi serpente do is do apocalíptico

E a inda uma simples co rr es pond en cia, , um , s eta a , do is set do ts segundo da cruz rato espanhol da ce do ts circulo do quarto da s eta doc inc circulo da cruz do hi serpente do is do ap oca li pt ti co

Depois um casal, o rapaz de botas de cowboi, calças a boca de sino, cabelo com gel levantado, onde como fantasma se vem assim como folhas de palmeiras, seu fato é quadriculado, como um fato de xadrez, preto e branco que remete para o chapéu ingles do boavista do filho do pai, major, e tambem para um casaco que um rapaz aqui do prédio uma noite entrou para um taxi, com um idêntico vestido, um rapaz estranho que aparece nas vezes alterado e com laivos de provocação e violência, ligado a moda ou por aí da fivela de prat do seu cinto saiam dois fios que fazem a ligação a uma mulher vestida de calças, com a vulva a mostra onde ligam os fios, e os seios desnudados, está esta mulher de corpo inteiro por cima da mulher meia escondida que é aquela da qual só se vêem os seios, ou seja esta mulher , é pela primeira manobrada, a mulher que trás um peixe na boca, ou seja que parece ter comido um, a mulher da cruz da um serpente da gula do vi da espada primeiro vareta sexto apostolo da serpente n cabe elo dez serpente

D ep o is um ca s al, o ra p az de b ota s de co w boi, cas l ç as ab oca de sin do circulo da cas do sino do cab elo dez com do gel l eva van t ado, onda com circulo do fantasma fan sta s ma ase do vaso em as si mc omo das folhas de palmeiras, serpente eu do fato é q ua dr ricu primeiro la ado, com o do primeiro fato de xa dr espanhol do preto e segundo do branco, maçónicos, q ue reme teresa do para do circulo do chapéu ingles, o maçónico, do boa do vaso do ista do fi l ho do pai, major, e tam ne maior mp para do p rimi ero ca do saco quadrado da ue primeiro ra p az aqui do pr é di do circulo da primeira no it te en cruz ro up do para do primeiro dos taxi, com primeiro inde en tico vestido, um ra p az e ts r anho q ue ap ar e cena s v e ze al te r ado e com la iv os de pro ovo do caçao e vo ine cia, lo gado da primeira da moda o up do circulo do acento na rai da fi da vela do prat do serpente do eu cin to sa e em do is fi os q ue f az ema a primeira li gás ac são, norte sul do primeiro da mul her v es tid ad e c al ç as, com da primeira vulva am ot ra onda li gás sm os fios, e os sie os de sn vaso dos dados, o poker, e stá es t am mule da ler de corp o in te iro por rc c ima da mul her da meia es condi dida da q eu la s ó se eve do vaso do emo serpente dos seios, o use seja e sta mul her , é pe primeiro da primeira mano bt ad a am mule do home ingles quadrado da ue cruz do ra serpente do primeiro peixe na ab da segunda oca, o vaso do seja quadrado da ue pa rece te rc om ido primeiro, a mul he rda da cruz da norte sul primeiro serpente da gula do vi da espanhola pada p rime iro vaso ar da eta do sex to a ps oto dez p rime rio do circulo da serpente t en cabe elo dez serpente

Entre o homem e a mulher por cima dos dois fios dos dois eléctricos, uma cruz invertida, ou seja que simboliza alguém dos caídos, da qual para baixo ainda trás dois elementos, o primeiro e maior com uma chapa rectangular que fora torcida em seu centro, como a pá de um helicóptero, e uma asa de um leme ao lado, a cruz trás quatro numero que estão tambem desenhados em forma invertida, o quarto dos fios da mao esquerda do homem cowboi do xadrez, da tríade invertida, o segundo invertido do primeiro anzol da perna a mulher da vulva a mostra e maos escondidas atras das costas, ou seja dois fios, dupla penetração, em sessão masoquista, ou com adereços masoquistas visto que sai da fivela de prata do cinto do homem maçónico, ou do boavista com ligação inglesa, ou ingles, provavelmente o tarado italiano, o caso, que quer dizer o louco em italiano, um macro

En t reo homem ome me am mul her por c ima dos do is fi os do s do is el e ct rico s, uma c ru z in vertida, o u seja q ue s im bo l iza al g eu m dos ca is sd os, da q ua l para ba nono circulo a inda t ra s do is el em en t os, , o p rime iro ema mai ro com da primeira ch hp pa rec tan da gular q ue f o ra tir cida em s eu c en t ro, com o a pá de um he li cop pt te ra, e primeira asa de primeiro do onze ema ao lado, ac ru z t ra s quatro n um ero q ue es tao t am b em de senha ado se maior forma em verte dia, o quadrado do vaso da art do circulo dos fi os da mao espanhol quadrado da eu rda do homem do om em circulo do oe do boi do xa dr espanhol, dat riade em verte ida, circulo da se gun do in vaso rato da eti id circulo dodo p rime iro e zo primeiro da pe rna primeira mul her da vulva am mos cruz do ra e mao serpente do espanhol do condi id as sat em ra serpente das do sta serpente do circulo do vaso do seja do is fi os, quadrado da au dr ado da el eva são, up, la da ap do ene da cruz da raçao da tracção, em se serpente sao maso quadrado do vaso do ista, circulo do vaso do com ad e reç os maso quadrado do vaso do ista serpente do vi serpente do to q ue a serpente aida do fi nono vela de p rta doc in cruz dodo home do ome maior do maco nico, circulo do vaso do ba nono da isa sat com li gato do ac sao ong primeiro espanhol da primeira ao vaso do ingles, pr iva primeiro vaso e kapa que mente quadrado da ue serpente rá ce rta em teo tar ado it al ian o, circulo do caso primeiro macro, ou seja a forma da morte do teo, sendo que o processo, a mais mortes terá conduzido, pois aqui mesmo neste capitulo outras se desvelaram

Na quadrícula do seu fato ,este homem de cabelo de gel ou de chamas, diz ser do circulo do sessenta e seis, o nono invertido do estrada do hell

Na qua dr ricu la primeiro roi ado serpente do eu fato ,e ste homem do oe maior de cab elo dez de gel do gelo do vaso das chamas, di zorro ser do circulo do sessenta e seis, o nono invertido do estrada do he ingles do grupo ll

Este homem será o que me mandou prender, pois o padrão de seu fato é semelhante a capa do livro que se repetiu como padrão nas turas do video, em cores muitos semelhantes, portanto com grande probabilidade será tambem responsável pelo tremor de terra em dezembro e do tsunami e ao que parece de um conjunto vastíssimo de mortes

Este homem do om em se rá circulo do qua delta da ad rata do ado da europeu da me man do up ren de rp circulo do is do circulo padrão de serpente europeu do fato é semem da p rime rio homem ante da primeira capa do primeiro nono vaso do roque se r ep pet ti vaso do com do circulo da padrão nas cruzes do ur as do vide oe mc circulo do rato espanhol do mui to serpente do semem do primeiro home da ant espanhola do porta muito toco om mg gato rande pro segundo do ab ao bil, id ad e ser cruz p rime ria da cruz da am e segunda em rato espanhol da ponsa ave do p rime rio da p do elo dez cruz rato emo rato de terra em dez x ze maior do br oe do ts un am ie ao quadrado da europeu da ep da p arc e de primeiro circulo em j un to vaso as da cruz do issimo da morte espanhola,

No video se fala dos fogos na california, ou seja aponta reforça, o local , visto a estrada lá conduzir, posso ainda ler noventa e seis, sexto do nono invertido, quase parece um numero de porta americana com muitos algarismos

No vi de o se fala dos f ogo sn a cali for ni a, o u seja ap da ponta rato e forte da orça, circulo do primeiro ocal , vi serpente to primeira e ts rada da p rime rio á condu ze rp osso primeira inda da ler em noventa e seis, e se do x to do nono invertido, quadrado da ua ase par rc europeu vaso do mn primeiro me o rato da porta am ari cana com mui to serpente da norte sul gato ari sado masoquista os

O texto da noticia do spitzer, que durante este tempo todo desta escrita esteve aberto, assim reza

New york , a ne do duplo vaso do tridente do traço ingles do prostituto no centro do circulo do forte da sala da serpente da ala do cio do us serpente candal da cruz do hat do br ro do circulo do vaso do gato homem da cruz do w muito da for mer da ne do duplo vaso de york gato ovo do governo do ponta E do lio ot spi do pi da cruz ze rand gata ene ra ted na tio n al he ad primeiro ine sis sg gato do circulo ingles to di serpente do homem em her da life asa pr ice delta escort do ponto abc sa delta serpente das ash ley da Alexandra do campo de milho pr e sat dodo duplo vaso , e di duplo vaso da it homem da diane saw delta e ron do homem do programa a spa serpente maçónico do bar do ra do vin da teresa , cruz rip ipe via ge ms spa serpente
Dupre rata eve al serpente do homem do circulo do duplo vaso e da spa supper do mi id dd le do traço ingles form mula on circulo do primeiro ass da girl gira da ne x t door, gi rato angulo dae x cruz dos doors, ou seja da marta, gata ot em tot homem pro forte do es pa hola pan gato da hola do sios muitos e do homem do ps psy delta do cho, beijo invertido chines, dez primeiro do circulo gi circulo da al jo ur ney she circulo em cruz em ue serpente do oto e x per rie en ce do ponto da serpente spa


Serpente do pit do ze rr espanhol alemão sig, si gn ne dm dna arch de ze, primeiro do segundo a ft te rit w as di sc lo sed he h ad use sed em p ero r s c l ub vaso do ip vip do d up do milho, ou seja das crianças na russia, duplo vaso circulo do rato da kapa ed for homem do espanhol co reel time do tome e ser vaso do ice.


em cruz home do ur serpente do day, fed e rato al pro sec vaso do tor serpente sa id da dt homem ingles do delta t rip dez vaso do primeiro dn ap ps soto oto dez primeiro do circulo da serpente br ring doc do circulo do rim ina primeiro ch, circulo do homem da ar ge espanhola sa da gain serpente da cruz do spi it ze rato do mar do king do home do fim do circulo do ft homem da saga, ou do forte da cruz do home da partimpim.


Forte do circulo do ur do pe o p le da p lea ad e dg vaso do e primeiro da cruz do delta tor da un ni n gato do homem prostituto, pro serpente do titu tio no da opera do tio em pontas , o homem ingles serpente do homem do quadruplo vaso, w we ll air fr id ida do delta em dez dop do p.m.
Se isto assim é como se le nas entrelinhas do peru, daqui se deduzem acusações muito masi graves com consequências superiores, em tribunal europeu criminal, mesmo que este homem tenha actuado do lado da lei, sabemos que os métodos de um dos lados e do outro, nas vezes se assemelham, mas aqui falamos de morticínio e de duzentas crianças mais uma serie de mortos

Se is to as si mé c omo sele da se do primeiro ê, na serpente inglesa da cruz e rato das linhas do peru, ou seja, do natal aqui ki, quadrado aqui do ki da vaso da ise d ed do vaso do ze maior ac usa circulo de corte do circulo do espanhol mui to masi sig rav espanholas com co nse quadrado dao vaso da en cia serpente do super rio rato espanhol, em cruz da rib un al e ur peu circulo de rimi em al, me da serpente da moca do quadrado da ue este homem do ome da cruz inglesa homem da primeira do ac tua ado do l ado da lei, serpente abe mo serpente mosque quadrado da ue os met o do serpente de um dos lado sed os do outro, na serpente do vaso e ze serpente da seda sea ass semem do primeiro ham, massa ki do forte do ala mos de mo mor ot roda tempo cruz ti d o cin ni oe de d vaso do zorro en cruz do as circulo dor ian circulo do corte da ase ma si primeira da se rie demo da roda do time os

Ainda no caderno que começa com o breve apontamento relatado que pelo seu conteúdo me parece ter sido escrito quando aguardava-mos a decisão do juiz, a que conduziria de novo à prisão ou a liberdade, uma outra anotação de escruta alheia que assim reza

A inda no cade r no q ue com eça com o br v e ap on tamen to r e la t ado q ue p elo s eu c on t eu dó da me pa rece t r e sid o es c rito q u ando a guarda ava do traço do ingles mosa dec isa o do j u i zorro da za q ue c on du z iria de n ovo à pr isa o ou a liber dade, uma o u t ra ano taçao de es circulo da ruta al he ia q ue as si m rex za

Sarau semanal, do traço do dezassete do infinito deitado, praticantes em todas as modalidades, natação , estrema afluência de todos os escalões etários , luta com os problemas de espaço mesmo depois das ampliações do circulo do terceiro do percentil do ponto dos tres ginásios, não preenche a afluência, eixo entre o ginásio e o sporting do certo dos trezentos do ze os quinhentos, a nora , da estrela do maria do manuel da carrinha, ou do rolls bentley, do terceiro do triplo circulo das cartas do ferrero da rocha, o coelho da rocha , pneu, da estrela do nono de oitenta e cinco, o dos quinhentos paus do vai vem da casa da lena do vai vem do duarte do vai vem do negocio, do quadrado do infinito, da vesica do rebuçado da guitarra rasgada, renda da regua do ze da estrela , quadrado

Sara au se mana l, do traço do dez sat e do infinito deitado, par ti can t es em todas as moda li dad es, nat ac sao ,m es t r ema a f l u en cia de todos os esca dez es etários , l u ta com os pro ob l ema s de es ap aço me s mo d ep o is das am p lia ç o es do circulo do t rec e iro do pe c fp e rc en til do pp on to do s t r es gina sio sn cão pr e en che a afluência da for mula um do vaso a inglesa cia, e xico en t reo gina sio e o sp o ring do ce r to dos t r e z en to s do ze os quin he m to sa nora , da es t r e la do mar ua do man ue primeiro da kapa da carrinha, o u do ro ll s b en t ley, do t rec ur o do t rip dez circulo das ca rta s do ferredo , pn eu, da e t r e la do nono de o it en at e c inc o, o dos quinhentos p au s do vai vem da casa da lena do vai vem do du rate do vai vem do ne g o cio, do quadrado do infinito, da ave z ll ia do r e b u ç ada da guitarra, ra sg gás do ado ren dada regua do ze da estrela , quadrado da ua dr ado


Quinta feira vinte de novembro dez e vinte e nove, acabo de descer a alcantara, na rua onde em manha recente encontrei as pétalas de rosa desfolhadas, na rua da cas do s fados ardidos e tambem da outra, um recado me foi dado, não matei o homem era um mensageiro, foi claro seu dizer, não te estiques que eu ando a comer o cu da tua irma, acompanhado de outras palavrinhas delicadas e doces, há por ali um para, que foram os que me agredira, este para está ligado ao boavista, um dos tais do eixo norte sul, caíra o casaco preto da senhora do café, um anel com vesica preta ecoava em sua mao numa outro de um foto que vem anunciada hoje de algo que sairá no sabado, tem isto a ver com o sincronismo do treinador de futebol, o pacheco, cheguei a casa, e uma barata na rua me disse, o outro no entretanto já fora aberto, claro que sim, que a puta da barata já aqui de novo entrara, pois o recado fora claro nisso mesmo, ouvi tambem que algumas da informações seriam perigosas para a tal sociedade anomina, a questão que coloco, e vos coloco, é que sociedade anomina e com que fim, se já repararam, passaram tres anos e a minha vida e da meu filho continua na mesma, melhor será todas as anónimas passaram a declaradas, assim eventualmente, friso eventualmente quem quer ajudar, melhor se protegeria, mas cada um é livre de fazer como entende, até cair de vez na cova!

Quina t f e ira von teresa de n ove m br o dez e vinte en ove, ac ab o dede sc e ra al can t ra, na rua onda em manha rec en te en c on t rei as pet as l as de rosa das desfolhadas, na rua da cas do s fados ar di ds oe t am b em da outra, um rec ado me f o id dad on cão mat e i o h oe e ra um men sage iro, f o i c l aro s eu di ze rn cão te es ti q u es quadrado da ue e vaso ando ac co mer ero cu dat ua irma, ac om pan homem do ado de o vaso da cruz ra s pal vaso das rinhas deli circulo do ada sed circulo da ce serpente, homem acento á por al e primeiro para, quadrado do delta e foram os quadrado da ue me bar e rea am e sta para e stá li gado ao boavista, um dos tais do e x ion orte s u l, ca ira o ca do saco preto da ser p em teresa da en hora do ca fé, p rime rio da ane da ep do rime rio com vaso e isca pr eta eco ava em seu am mao n uma circulo do vaso da cruz dot ro de primeiro do f oto quadrado da ue eve vaso em e na un cia ada homem oje de al gato do circulo do quadrado da ue sa ira no serpente do ab ad a, te maior do is tao ave rc om o sin circulo do rin is maior do t reina dao rato de fu te bil, opa p ac he co, che gato do eu ia ac da asa, e primeira barata na rua me di serpente da se, oo vaso da cruz dot ro no en cruz rato da eta n to j á forte circulo do ra do ab e r to, circulo da al roque si maior, quadrado da ue da primeira puta da barata já au id en ovo en cruz rato ar ap circulo do is do r eca ado foret doc circulo do ra c primeiro aro ni ss ome serpente mo, circulo do vaso da cruz do vi t am e segunda em quadrado da ue al gum as da in for mações se riam pe rigo sas para a t al soci e dade ano mina, aqui da eu serpente do tao quadrado da ue circulo lol olo , falo do co, e vaso do o sc olo falo do co, é quadrado da ue soci e ad a de ano mina e com quadrado da ue fi ms e j á rata da epa rato aram, p assa saram te rato espanhol ano sea min homem da primeira avi ida e da me vaso do fi primeiro homem co circulo do conti muito ua na me sam, mel hor ser ua todas as ano nima s p ass aram a dec lara ada sas ass em eve en tua l mente, fr is o eve en tua le mn te q eu m q u er ajuda r, me l hor se pr te ger ia, mas c ada um é primeiro nono r e de f az e com o en t en de, at té ca i r de eve zorro na circulo da ova da s eta cravada no chao


Pergunta , e a quem se destina, no outro lado do mar, então o dinheiro da rodas para pagar que resgate!?

Per gun a te a quem se det ina mo outro l ado do mar en tao o din ne iro da roda s par ap a g ar do arque quadrado da ue rato espanhol gate da seta circulo da rta ava ada ano no chao , circulo do tridente da foice

Um petroleiro, chamado siriús foi arrestado aparentemente por piratas, a recompensa pedida é cruz alta

Um pet rol lei lee eiro, c h am d dao sir i us f o i ar rato do estado ap ar en te quadrado da eu que mente do por da pi rata sa rec om mp en sa pe dida é cruz al cruz dos triunfo dos porcos pp ria mira

Tambem ouvi, pelo espírito dizer, que ontem o homem torcionario com ela se deitaria, seria um deitar assim pro forçado, e que depois como de costume quando assim ela com elas se deita, elas não voam mais, ficam com as asas quebradas, sito na se faz neste jeito, e depois veja as vossas caras depois da estupidezes que fazem com pepinos e coisas assim , primeiro riem-se muito, depois choram, suas bestas irresponsáveis e cúmplices de torcionario, se fazem mal a alguém inocente eu vos pego quando o descobrir!

T am b emo vaso do vi, pelo es pei to di ze r , q ue on t emo h ome m tor cio na rio com ela se de ita ria, se ria um de it ra as si m pro forcado, e q ue d ep o is com ode cos t u me q u ando as si m e la com el as sed e it a, el as n cão vo am maís, fi icam com as asas q eu br ada s, si to na se f az neste je i to, e d ep o is veja as vo s sas caras d ep o is da es t u pide ze s q ue f az ze mc om pepe on os e co sisa as si m , p rime rio rie em do traço da inglesa se d ep o is choram, se f az em m al a al g eu m ino cente eu v os pego q u ando o de sc ob br i rato da s eta cravada na terra

Vamos lá ver quem se estica então, agora que as mesas de todos os casinos começaram a ser viradas!

Vaso da am os p rime rio da acentuação á ave rato do quadrado da eu maior se est ti ca en tao, agora q ue as mesa serpente de todos os ca sino sin serpente do com eça corte ram ase rato do vi da ira da serpente da serpente da eta cravada na terra

Parece finalmente que um financeiro tinha entrado na judite para declarações

Pa rc e fina al que mente q ue primeiro fia anc e iro tinha en t r ado na judite para dec lara ç oe espanhol


Continua...

enquanto este up load se está fazendo , fui tirando a roupa que estava a lavar no lavatorio e tinah um peito de frango dentro de sua caixa a descongelar, br d es c on ge a l r, que agora ao passar caiu na cuvette de aço, comprado no pingo doce, na ausencia dos teus para muito os beijar, reza este assim, pr circul do to fr es co do traço do forte da energia inglesa do traço c on versa ser en t rato e primeiro d circulo elevado e quarto elevado circulo, do lot do infinito deitado do quadrado da estrela de quarenta, q ue rn ta , e um cat gato circ uk lo da ria A do cirullo, sir vaso onze circulo, do t rip dez nono do ze em vinte esies de junho dia terceiro trevo, peso li ki id circulo do quinehtos e dezanove kapa do gato terceiro do dez eco de corte do segundo de setenta e seis, de vinte e quatro de cinquenta e nove, ou estrela do nono, do cuplo circulo do trinta, t r ina te, e delta, trinta e um do primeiro do circulo do set

sabes amada, vou desfiar o peitinho, depois o grelho na serta, com um fio de azeite e talvez um refogado com cebola e um pouco de tomate e depois o como com massa, queres que te guarde um pedaço?

s ab abe es am mad a vaso co circulo q es fia ar circulo do pei tinho, d ep os is circulo da grelha na serta com do primerio fi circulo de az e i te e crua alve zorro primeiro refogado com do cebola e p rome ur o da p o co do tom mate e d ep o is com do massa, italiano, q ue r espanhol da te gata da guarde do primeiro peda aço da foice

a gota do gato da ota, agora, ac a bei de eve ero vi de on a pa gina r e f r en te ao spi da pite te za do rato, aqui ki do x do nono da kapa es t real do home nono x gn nl forte cem sorro do duplo vaso nono cruz segunda em noventa e dois sexto, angulo do infinito circulo do bar do rá do sig do igual do ze do f ppr ur do segundo gato da arte dupla de dois riscos do homem tt p do percentil treciro triangulo de fogo do cosmo, bc st do ponto do delta primeira home infinito deitado, com do bar do ra do vaso da prostituiçao do spi da pite te ze rato, depois o zombie atras da senhor ada rosa br anca no ca saco br rn co com circulos negros, bat da au s t ra l ia, mini rato drive da influence, das prescriçoes das drogas, as tais vesicas vaso e iscas da rich roche em setembro drive, do segundo do duplo circulo deitado do set x to, do rato dom u circulo do he do delta do mouse, do barco ava por , o rato mickey a cond u z ir a barca antigo das pas co mo no missi ss s ip do pi das pas do segundo fura cao, doninha, homem oma da opa ap pp delta bi rt home do d a y do mic he y mo use, ne w o r lea ns , imagem que cola com o chapeu de chuva prteo e prata da nicole com sapatos vermelhos , tacoes da chuva, assim parece dizer,

assim se responde ao principe que o perguntava, o rancho ao que parece foi vendido por vinte e tal milhoes ou algo assim, e me recordo de uam e ts r anha da historia em decadas passadas de um cabelo que pegara fogo num estudio


stsue, ou seja serpente da cruz do ts do st da serpente da ue

sin ine sun ess ss se