segunda-feira, abril 27, 2009


Às Gentes do Uno Mundo

Ao Governo Americano

Ao Tribunal Criminal Internacional

se um independente existir

ora cá temos a bela senhora , desta vez de branco, trás a foto o nome, ni no men, do circulo do duas sementes do bar do acento ao doc do vaso do men ts sand set tin gato serpente bar do ra da spa au primeiro do circulo dez do Os me us doc um en t os do bar do ra do ca pt un der sc core da p homem da oto un der sc core do ze 40 42 0 19 6 11 6 -3 - circulo do ponto do p rin e ipe , j da p gato en te rata par ren teresa sis

cá estamos ainda na analise das tres elementos de jason e do rei morto

ca es r am mo s a in dana ama lise da s tres em en t es de j a son e do rei m ot to


o rac á t emo as da bela senhora , de sta ave zorro de branco, t ra sa f oto on om e, ni no men, c irc u lo do du as das sementes do bar do á do doc do vaso do men ts sand set tin gato ser pen te do bar do ra da spa au primeiro do circulo dez do os me us doc um en t os do bar do ra do ca pt un der sc core da p homem da oto un der sc core do ze 40 42 0 19 6 11 6 -3 - circulo do ponto do p rin e ipe , j da p gato en te rata par ren teresa sis

ouvi eu pelo coraçao, que era uma forma de me dizer, que não tinha eu nada que ver com a morte de outro, mas nem sei se tal se aplica a si ou a esta situação, mas certamente que com seus serviços de informações o saberá em outra extensão, quanto mais nao seja por coligação de outra informações


p ivo, pivô do pi do circulo do pião, o vaso do seja do furacão, pico do pifo, eu p elo cora sao, q ue e ra primeira da primeira forma da me di ze rato rac q ue n cão da tinha eu n ad aqui do q ue eve rc oma morte de outro, mas ne ms se ise t al se ap li ca a si o ua e sta si tua sao, mas ce rta tam n tec ue com se us ser vi ç os de in f oma mações o s abe ra emo de outra, e x t en sao, q au un to ma si noa seja por co liga da sao de outra in f oma ç o es



cá estamos ainda na analise das tres elementos de jason e do rei morto


ca es r am mo s a in dana ama lise da s tres em en t es de j a son e do rei m ot to

c á es t am os a inda na anal ise da s tres el em en t os de jason e do rei mor to
ca es r am mo s a in dana ama lise da s tres em en t es de j a son e do rei m ot to

começo pela ultimo fio que aqui na minha mesa se manifestou, o capo hexagonal, negro de filete vermelho, está invertido, e sua asa faz o bico do chapéu maçónico e igualmente o ponto da mira da trajectória, na bela testa da nicole da boutique dos relógios do omega, ontem no ccb do bandido mega, bem a propósito, o musico convidado trazia elucidativo nome hurricane, e os rapazinhos do cio, muito frisavam o nome


co meço pe la u l t imo fi o q ue aqui na min h a mesa se m ani f es to u, o capo he xa g on al, negro de fi lete vermelho, e stá invertido, e s ua asa f az o bico do c h ap eu maço nico e i g aul am que mente do ponto da mira da t ra ject toi ra, na be la testa da ni c ole da bo u ti q ue dos r elo gi os do o mega, on te m no cc bdo do bandido mega, b ema por rp posi to, o mu sico c on vi dad e t ar z ia e lu ci dat ivo no me h ur ric ane, e os ra ap z in h os do c io, mui to frisa v am on om meabaixo do queixo da bela nicole, entre os lábios e o relógio de circulo dos diamantes com pulseira de pele de crocodilo vermelho, com delta defenido entre oo sete segundo de dez e o primeiro do treze, está um cd, que ontem se virou e que assim agora reza, o , antes na revista, vv e rba bar do tim, cd rato setecentos, cinquenta e dois x, de oitenta, a man m y choice, ou homem do beijo invertido do ice, do gelo, ou no gelo, ou na russia, o do delta maior

ab a ix o do quico da bela ni c ile, en t reo os l ab is oe o r elo g io de c irc u lo dos dia am man net es com p u l se ira de pele de c roco dilo vermelho, com delta d efe nid do circulo do en cruz do reo do circulo do sete segundo de dez e o primeiro do treze, e stá um cd, q ue on te m se v iro ue q ue as si m agora r e za, o , ant es na r e v ista, vv e rba bar do tim, cd rato sete centos, cin q u en t a e do is x, de o it anta, a man m y cho ice do coice o u h om em do bei jo in verte id o do ice, do g elo, o un o g el o, o un a russia, o do delta maior

onda e stá a t ra ject tor ia, é a per gun t ad a not ti cia,

onde está a trajectória, é a pergunta da noticia,

assim mostrou a ca non xl one depois da gravação que fiz em video, quando no chao a coloquei e depois uma pancada lhe dei

as si m mos t ro ua aca non x l one d ep o is da g rav aç sao q ue fi zorro em vi d e o qua ando no ca h o a c olo q eu ie d ep o is uma pan c ad al he de i


bem a trajectória aqui se espelhou assim em duas partes, primeiro na sombra do casaco semelhante ao do financeiro madof ao ser colocado na cadeira da ostra da primavera,

b ema t ra ject o ria aqui se es pe l h o u as si mna s om bra do ca saco semem l h ante ao do fina ce iro mad o f ao ser c olo cado na cade ria da ostra da prima vera,


o bico do chapéu, ou seja de um home de chapéu que é um bico ou ponta de faca tambem, aponta o cinto do tensor da correia que une as tres pernas, ou seja do tridente e do tripé, ou o tridente do maçónico, entre o delta da parte de trás da ostra da primavera sai uma correia comprida, com duas fivelas que une a horizontal que liga as duas pernas da frente

o bid o do c h ap eu q ue é primeiro bico o vaso da ponta de faca tambem, ap da ponta o cin to do ten sor da co r rei aqui da ue un e as t r es pe rna s, o vaso do seja do tridente e do t ripe, o u o t ride dente do m alo nico, en t reo delta da par e td e t ra s da ostra da primavera sa i uma correia co mp rid a, com u da s fi das velas q ue un e a h ori zon t al q ue liga as du as per na s da fr en te

depois uma outra sombra em bico apareceu projectado na porta do meio de correr das tres do aquário da regie, feita pela fita isolante, unido os dois pontos chego à esquina da primeira porta do lado direito das tres , ou seja a coluna direita do templo, do sitio onde estou chego ao tripé bayerdinamic, que esta dentro do aquário ao lado de uma cadeira onde leio,

d ep o is uma de outra s om bra em bico ap par rece u pro ject ado na porta do me io ode co rr e r da s t r es do a q ur rio do io da regie, feita ep e l a fita i sola ante, un nid o o d s o id pontos che goa es q u ina da prime ira porta dol ado di rei to das tres , o u seja primeira co l un a di rei t ad o te mp lo, do si tio onda ss to u c h ego ao t ripe ba y e r dina mic, q ue e sta d en t rod o a q ur ia o aol ado de uma cade ira onda lei circulo,


FOTOS






no outro eixo do sentido, vai dar ao caderninho sobre a llansol, nesse e lugar do livro das comunidades, esquina da igrejas sao roque e pol por baixo da llansol a aparecer, a quoi serve encore les poetes

no o u t ro e x io do s en tid o, v a si da ra ao cade r nin hi s argento s o s ob rea llansol, ness e e el u g ar do l iv roda s v om uni id dad es, es q u ina da igreja s sao roque e pol por ba ix o da ll e sol a a ap par recer, a qui do oi ser vaso do en core primeiro do es poe t es


antes deste acontecer, uma outra imagem se mexeu, relativa a apontamentos mais antigos, ou melhor, se completou de certa forma a leitura inicial com a junção de outros elementos

ant es d es te acontecer, uma o u t rai mage made ria se me x eu, r e la t iva a pont tamen t os ma si ant i g os, o u mel hor, se co mp l e to u de c e rta forma a lei tura inc sic i l com a j un sao de o u t rose el em en t os

de um outro caderno, onde uma pagina começa pelo símbolo do triângulo de fogo dentro de um circulo, com tres outros circulos mais pequenos por fora que fazem um vaso de agua nao definido por linhas

de um outro c ac e rato no, onda primeira pa gina com aç la p elo s im b olo do t rin gula de fogo den t rode um cir cabo do culo, com de tres outros circulos maís pe q eu no por for aqui do q ue f az em primeiro vaso dea g vaso da ana do circulo do de fi nid o por das linhas

este símbolo do triângulo do fogo, trás diversas correspondências, desde ser o símbolo da mistura das cores, de certa forma um arco iris, que é tambem o símbolo da protecção civil, e símbolo de magneto, pois o triângulo roda dentro do circulo,

este s im b olo deo t rina gula deo do fog, ne vo e iro, t ra s di vera s co rr es ponde e cia s, de sd e s ero c im b lo da mis tura das co r es, de ce rta forma primeiro do arco iris, da psi , teresa maia, q ue é eta da am do segundo emo s im b olo da pr tie cristina c ot un h o cao c iv ile s im b olo de mag gn do neto, p o is o t rina gula da roda den t rod o c irc vaso do primeiro do circulo dezembro, o u n o mad primeira

ao olhar este apontamento de nov, uma numeração, me aflorou, à memória referente do enigma da besta que fingiu ser procurador da republica aportuguesa, o souto moura, em dia recente já aqui comentado, pois dois numeros são próximos da percentagens que ele dissera na estranha e extemporânea, entrevista

prime ria aol, do circulo do primeiro do home da ar de este ap pao nat que mente de novo, uma nu mer raçao, me a flor o ua me mor ia refer en te do enigma da best a q ue fi n gi use ser procurador da r e pub lic ap porto da guesa em dia rec en te j á aqui do ki co men t ado, p o is do is nu mer eros são pro x imo s da pr e c en tage ns q ue el e di ss e ra na es t ra anha e este mp o ra en a, en cruz do rato do nono do ista

pois se le um setenta e o tres por baixo, como parecendo as percentagens que ele referia de setenta e trinta por cento, mas nos meus símbolos desenhados muito masi leio,

p o ii sele do primeiro de setenta e ot rato espanhol do por do ba do six circulo, com do circulo do par da rece en do as das per rc en tage ns q ue el e refer ia de sete na te e t rin t a p o r c en tomas no s me us s im b olo s de s en h ad os mui to ma si le do io,

assim elio jo do setenta, apolo setenta ao lado do arco iris onde a primeira puta psicóloga da treta trás o seu consultoria, apolo, como personagem da tragédia e ainda como nave da nasa, ou ainda de outra nave talvez uma das caídas, o jo do sete circulo do terceiro do circulo, ponto do direita do vaso das aguas da lança de duas pontas, dardo, que sobe na vertical no eixo do triângulo de fogo, onde dentro, diz o vinte E, ou seja o maçónico de grau E, o jo sete do circulo terceiro, o principe do circulo do terceiro

as si do mel do lio do io jo do setenta, ap do polo do falo para oo ceu em circulo duplo, sete en t aa do circulo do lado do arco iris onda da primeira p puta spi c olo g a t ra serpente do circulo do s eu c on sul tor ia do apolo, com o pr e sin a ge made ria da tragédia e primeira inda com ona ave dana asa, o vaso primeira inda de outra nave t alvez uma das ca id as, o jo do sete circulo do t rec e i rato do circulo, ponto do direita do vaso das aguas da al lança de du as das pontas, d ard o, q use ub en a verte ti c al no e ix o do t rai n gula de f ogo, onda d en t red i zo vinte E, o vaso do seja o m aç oni co do code g ra europeu E, o jo sete do circulo terceiro, o principe do circulo do terceiro, o treteiro, ou seja o mentiroso, assim declina o meu corrector

a ponta da lança dupla, que se reflectia numa imagem de um antigo filme que de novo agora passaram na páscoa, que remetia para roma e para a judaia, e para o circulo romano, e trazia o curioso pormenor de um dos actores ser o homem na américa responsável pela associação das armas, que aparecera antes entrevistado pelo michel morr, no documentário bowling for columbine,

a primeira da ponta da lança dupla, q ue se ref for mula one kapa e tia nu mai mage madeira de um antigo fil mec que de nova, do agora p as sar mna p as coa, q ue reme tia do para de roma e para da primeira do home dao vaso da do ia, e para do circulo ce irc vaso do primeiro do c i ru clo do x dezembro roma no, e t ra zorro do ia o cu rio s o pro rome en o rato de um dos ac tor es s ero h om em mna am erica r es p o sn ave l pela as soci aç sao das armas, q ue a ap rec e ra ant es e ns t r e vi sat td o p elo mica hel mor rato do no doc u men tar rio bo w li g for columbine, co do circulo do primeiro maior do segundo ine, ou do arquivo do e, dou seja do maçon, bin, de avid, av id, primeira do vaso id

e no entretanto desta visao e no tempo desta escrita avolumaram-se as desvelaçoes de que a matança em columbine bem como em outras escolas, como sempre é processo operado por terceiros distintos dos que na realidade matam

e no en t r eta ant o de sta da visao e no do tempo de sta es circulo da rita av o l um ar aram do traço da inglesa se das sea do às das d es vela ç o es de que da primeira matança em columbine, b em com o em o u t ra s es c o la s, com o se mp r e é pro roc do ess circulo do opera do por te rec iro s di s tintos do s q ue na r e la id ad e mat da am

ou seja por operação simbólica se levanta o cio, que depois sempre despoleta

circulo da ova do vaso do use seja por opera sao s im bo lica se l eva van tao do circulo do cio, q ue d ep o ise mp red es pol eta


tambem o espirito me desvelou que o michael morr é das aguas da any de nova Yorque, e uma estranha imagem dele que por aqui aparecera em diversos jornais, na altura da promoção do filme, me intrigara, pois aparecia ele com luvas de cirurgião, e se bem me lembro, de um perfume de averiguação relativa ao katrina, e uma insinuação , portanto sobre cirurgiões, e talhantes, ou cirurgiões talhantes

tam b emo do dc circulo do es pi rito me d es velo lou q ue o mic h a el mor r é d as das aguas da any de nova yorque, e uma e ts rn home da primeira rai mage made ria dele q ue por aqui ap ar ce ra em di versos dos jornais, na al tura da por mo sao do filme, me in t rug ra, p o is ap ar e cia el e c om primeiro das uvas de c sir ur gi a oe da se b em mel em br o, cir u clo da ode um per rf eu made ria de ave rig ua sao r e la t iva ao katrina, e uma is nin ua sao , porta ant o s ob re cir ur gi o es, e t alha ant es, o u cir u gi o es t alha ant es

reverba aquela luva num conjunto de luvas de uma caixa de prontos socorros azul da serviaide, que um dia , a ines mendes na latina aparecera, agora tambem sei que trazia ela uma relaçao com dc, ou seja , saberá ele dessa mesma mala que ainda me acompanha, e que sempre me pareceu assim meio de brincar, pela pouca qualidade do que lá dentro trazia

rato da eve rba aqui do quadrado do eu primeiro da al uva no primeiro cn j un cruz da ode das luvas de uma da ca ix ad e porn cruz do os soco rr os ax vaso do primeiro da ser via ad e, quadrado da ue primeiro do dia, o cabrão que tambem se formou na latina, com passado na africa do sul, onde vivera, primeira da ines mendes na latina ap pr e ce ra, agora tambem e see q ue t ra zorro do ia el a uma da relaçao do com de dc, o vaso do seja , s abe rá el e de ss sam am es ma m al aqui do q ue a inda me ac om p na h a, e q ue se mp reme par rece u as si m me io de br inca car, pe la p o u ca q u li dade do q ue l á d en t ro t ar zorro do reo do ia

que imensa teia e que imensos filhos da puta

q ue em j om home en sa te ia e quadrado da ue e ms sn nós dos fil home do os da puta

volto ao primeiro símbolo desta pagina de meu caderno, a ponta da lança em baixo, aponta um circulo que não é perfeito e que pode ser uma maça, ou seja um referencia a nova yorque, onde dentro se le o x que atravessa um delta a seu lado, do vaso da maça, assim parece se desvelar o seu sentido, ou seja a seta do triângulo de fogo dentro do circulo apontado ao ceu, tem em sua outra ponta , para aterra um impacto na maça, dois anéis de ouro do grupo onze ka tora , korando, o home dos bambus, o pesca dor, vinte e um tiros são as nota iniciais dessa folha, ou seja uma ligação se estabelece entre dois eventos, que são figurados por um circulo maior com um triângulo de fogo feito em seu interior e apoiado , ou melhor relacionado com outros tres circulos de fora que desenham um vaso de agua as aguas, das coordenadas x y da seta que entra na maça, por cima, ou seja as coordenadas que parecem ser relativas à implosao das torres, visto que a pressão se faz por cima

vasp do circulo do primeiro to da primeira do circulo do primeiro que é pen ny teresa, im segundo do olo de sta pa g ima de m eu cade r no, p rie mr ia da ap da ponta da lança em ba ix o, aponta do primeiro circulo q ue n cão é pe rf e i to e q ue pode ser primeira maça, o vaso do seja um refer en cia a nova yorque, onda d en t rose sele do circulo do x q ue a t ravessa primeiro delta a s eu l ado, da ova do vaso da maça, as si m pa rece se d es vela do aro do serpente ds eu s en tid o, o vaso do seja primeira serpente eta do t rin gula de fogo d en t rod o circulo pao n t a do ao circulo do eu, te maior em s ua o u t ra da ponta , para a terra primeiro im pacto na maça, do is ane is de o ur o do g rupo on ze ka tora , kora anda, do circulo do home dos bambus, o pesca dor, vinte e um tir os da são as da dn not a sin i cia s de ss e f ol h a, o vaso do seja da primeira liga da sao se e ts be le ce en t red o is eve en nos, q ue são figu ra do s por um c irc culo maio rc om um t rian gula de fogo fei to em s eu inter iro e ap o iad o, o u mel homem do ro r e la cio n ad com outros tres circulos de fora, q ue de z en ham da manha do prime rio ero do vaso de agua , do as das aguas, das c oo r dena da s x y d ase eta q ue en t rana mc cortez ap, por c ima, o u seja as core dn ada s q ue par rece em s rr e la cruz do iva s à e mp primeiro do circulo de dez da sao das torres, vi serpente do to que ap pro esso se f az por rc ima, ou ra di do circulo do controlo magnético, j b l, control five, c on cruz rolo mg mag gn ne tico da j i boi a do control da ester la


no circulo grande temos desenhado uma lua em seu terceiro dia com um anel que marca, dez, ou dezembro, esta imagem , ou símbolo de um triângulo que roda dentro de um circulo, remete tambem para os fios que já aqui entraram, das imagens das torres de comunicação em algumas capitais que trazem restaurantes rotativos panorâmicos

no do circulo g rande t emo s d es en h ado primeira lua em s eu t rec e iro dia com do primeiro anel que ma rca ad, dez, ou de ze m br i, e sta i mage mo use im segundo co circulo de loo do primeiro t r iam gula q ue da roda d en t r ode prime rio circulo, reme teresa tambem, do para do os dos fios, q ue j á aqui en t r aram, da sima ge ns das torres de com uni caçao em al gum as c apit a is q ue t ra ze m r es ua ra ant es tota t ivo s p ano rami cos


nos dois circulos ao lado do grande, se desvela o símbolo da sida, que em dia recente era espelhado pelo menino gonçalves na tv, aqui abordado, e no outro duas asas em posições simétricas que se intersecionam, formando um pequeno prisma, depois do comentário a masi esta peça do cio das bestas da televisão publica, uma baleia pela zona deles aparecera morta, com um furo no casco estriado como de um barco de fuzileiros,

no serpente do os do is circulos aol ado dog rande, se d es vela o s im b olo da sida, q ue em dia rec en te e ra es pe la hd o p elo me nino g on ca l vaso es na tv, aqui ab o rda dado, e no outro du as das asas em posi sic ç o es si met ric as q ue se inter sec cio em am, for man do p rie me iro mr io do pequeno prisma d ep o is do com en tar rio a ma si e sta p eça do cio das bet dos ts da tele e da visao e publica, uma babel ia pela zon ad del es ap ar e cera mo rta, com primeiro f ur o no casco est rato iad do circulo do c omo de primeiro barco de fuzile iro serpente,



por baixo destes primeiro conjunto de símbolos, outros formados por triângulos e distinta posições e dois elementos que remetem para os motivos dos pratos ingleses, ou seja do circulo ingleses, os fios como pauzinhos, i ching, e logo da lisboa em dois mil e um ou dois , henrique cayatte, e as formas geométricas do padrão árabe do móvel que tambem neles figura

por ba ix o de ts p rie mr io c on j un to de si m b olo s, u t r s for mad os por t rian gulas se di s tinta s ps oi ç e o es e do is el em en to s q ue reme te maior do para do os dos motivos dos p ratos sin ingleses, o vaso do seja do circulo ingleses, os dos fios com o p au z in h os, i ching, e l ogo da lis boa, do cobra, co br ra, em do is maior ile do primeiro o vaso dodo is , henrique v ca y t te, e as das formas ge om met ric as do padrão ar abe do m ove primeiro do quadrado da ue cruz da am e segunda em nel espanhola do figu ra

temos uma primeira linha composta por dois triângulos deitado que se podem interpretar como comando do fast forward, do qual sai uma seta para frente apontada a um nariz grande com um bigode, sendo o olho o triângulo de fogo, e o bigode, um se mi circulo

te ms o uma primeira da linha co mp ps ota por do is t r ian gulas deitado, q ue se pode min inter rp rato etar com o comando do fa st for w ard, do q au l sa i uma s eta para a fe rte apontada a um na rato ix g rande com um bog o de, s en do o olho o t rina gula de fog, ne vo eiro, e o big ode, primeiro serpente da se emi e mi do circulo



na linha de abaixo, dois triângulo de fogo no eixo dos dois da linha de cima, um seta para cima que em sua trajectória faz angulo com a da primeira linha, e um vareta, como um ponto de exclamação inclinado por cima de um delta inclinado, como quase deitado, no inverso da seta para cima, uma outra para baixo, e tambem por baixo do delta e da vareta, o motivo geométrico árabe que se assemelha ao que esta inscrito no móvel dos pratos ingleses, já aqui descrito em texto anterior pois esta imagem se anterior, se prolongou depois do ultimo pedaço, pois tambem muitos no mundo nele pegaram

na linha de ab ix o, do is t r ian gula de fogo no do eixo dos do is da linha dec ima, primeiro serpente eta do para c ima q ue em s ua t ra ject to ira f az ang u lo com a da primeira linha, e primeiro vaso ar eta, com o do primeiro ponto de e x c la maçao inclinado por c ima de primeiro delta inc lina doc omo q ua ase deitado, no in verso da s eta para c ima, uma o u t ra do para ba ix oe e eta am b em por ba ix o do delta e da ave r e ts, o mo t ivo geo met rico ar abe q ue se ass e mel h aa o que e sta inc rei to no m ove l dos p ratos sin ingleses, j á aqui d es c rito em te x t ante ior p o is e sta i mage m se ante r iro, se pro long o u d ep o is do u l tim o pe dç sao, p o is t am b em mui t os no mundo nel e pe gara am aram


na terceira linha temos um triângulo de reverse, um de forward, dois juntos como reverse e forward, duas setas em sentido contrario, e mais dois triângulos, reverse forward , dois juntos, reverse forward, e um outro forward, as setas apontam tres linhas verticais como pauzinhos de y ching que são tambem motivo dos pratos e do logo da reuniao em lisboa, onze traços, se não me falha a memória do logo do cayatte, por debaixo da ultima sequência dos triângulo se tinha defenido, ou explicitado, eq, cd, ou seja english cabala do corpo diplomático

na teresa za rec e ria da linha t emo s um t rina gula de r eve r se, do prim rio de f o w ard, do is j un t os com o r eve r se e for w ard, du as das setas em s en t id o c on t ra rio, e ma sis do is t ria ab gula do rato eve r se for w ra ad , do is j un t os, r eve r se fr o w r d, e um outro fo w ard, as s eta s ap da ponta am t r es linhas verti ca si com o p au z in h os de y circulo do homem ingles do quadrado da ue são t am b em mo t ivo dos pa ratos e dol ogo da reuniao em li bao, on ze dos traços, se n cão me fal h a am emo ria dol ogo do cayatte, por debaixo da u l t ima sec un e cia dos t rina gula set in home da primeira d efe nid o, o u e x p li cita do, eq, cd, o vaso do seja engles lish ca bala do corp o di p l oma tico

quando este pedaço desta imagem se mexeu, ou seja quando outros elementos provenientes de outras leituras se juntaram, se desvelou em nova leitura o seguintes elementos, que alinho em forma masi ou menos sequencial como fios da leitura

qua ando este peda aço de sta i mage mse se me x eu, o u seja q ua anda de outros el em neto s pro ov, it vin ine net es de outras eli turas se j una t ram, se d es velo u em nova, o da fac, lei tura o se gui n t es el em en t os, q ue al in h o em forma ma sio u m en os sec , ca non, eu en cia al com o fi os da lei tura

o nova que fora alvo de um eco indirecto por parte de um outro reitor na tal reuniao , onde dizia, nos medias, deverem ser estas questões discutidas à porta fechada, sem se referirem especificamente a quis, e sendo senhores, como todos sabem, a justiça a mim e a meu filho a continuar por todos deste país negada morram todos, seus filhos da puta cobridores de abusadores de crianças

nova q ue for a alvo de um e co in di rec to por p arte de um o u t ro rei tor na t al r eu ino a , onda da se di z ia sd eve rem ser e sta s q eu s to es di cu tid as à porta fec h ada, se m se r efe rei rem es pe ci fi cam que mente prime ria q u ise s en do s en hor es, com o todos s ab ema primeira justiça da primeira mim e am eu fi l home do circulo da primeira do conti da nu ar, por todos de ste pa ís ne gada mor ram todos, se us fi primeiro do home do circulo da puta, co br id dor espanhol de ab usa dor espanha dec rina aça serpente da criança, n la

souto moura refer rec ni a, jo sete circulo terceiro do pedro, pr ot tec , são dos seguros serpente, seguros, entram duas companhias com merdas feitas neste Livro da Vida, a axa, e açoreana, trinta, t rei n t a, setenta, maçónico bar do rá E do bar do rá do terceiro, a arte do rato do isco do xy, co o r dena da s, do pro ject , o pro do ject do bra anca, o maçónico e, que se figura dentro do traingulo de fogo, ilha, pode-se ler tambem como duzentos, ou seja madrid conta, das duas vesicas, vaso e iscas, que se cruzam como prisma ,pr e is ma, apontam lança italia, pro tec segur os maça abekas, grass valey , primeira do bico, do bro che, br roche, ab e kapa do a s dag ra ss v all e y, abekas, di gita al for mula one fla ayer, primeira delta e rato, korando, ko rand, kapa do circulo do rand, vinte e um tiros, eu ca, can bide is mos, dois anéis de ouro, dois anéis azuis que as putas tendo isto visto, me fizeram aparecer, no homem com as tres sementes na face que trabalha ali na manaus dois, que estava em dia recente com dois anéis de fita isolante azul, em seus dedos ao me servir o café, pau mandado dao, como me disse o espirito relacionado com o grupo da infante santo, do onze kora, o dezoito, el dezoito, do sal nas brasas, juma, j uma ass im co mp le men t avam com a t al car rinha am ar e la q ue pro ali ap par ar e ce ra com este di ze r, r eve r se f as ts r eve do verse, do ub le f ive, do se gun do l ink, ce , az u le do branco, do ze eve verese for w ard, e, quadrado, prisma, vela directa do p quatro invertido, pp cine da gine marie tom ovo do quadrado da di , maia terceira das linhas, cio na ria da ca non, english cabala, cab la, cd, coop circulo di p loma tica, loma, câmaras bairro alto, n ar iro al do to

é na Manaus dois que lá vejo nas vezes, o rapaz com cara de gremlin, o irmão da jornalista felicia, do tal livro sobre o tal processo fantasma e sem resultados com vinte anos , a que se chama de casa pia, tinha acabado de o ver lá alguns dias antes deste passe, em conferencia com outra senhora masi crescida

é na manu s do is q ue l á vejo nas v e ze s, o ra p az com do cara do kremlin, o i r mao da jo rna l ista felicia, do t al l iv ro s ob reo t al pr e o c esso f ana ts ma es em r e s uk t ad os com vinte ano sa q ue se c hama de c asa pi p rim mr ria ia, tinha ac a bdo de ove rato l á al gu sn dias ant es de ste p ass e, em c on feren cia com outra s en hora ma sic rato da espanhola cida




na pagina seguinte um outro desenho com tres elementos, uma cobra como um lamina equivalente ao perfil das laminas em bola do respiradouro, que remete para a prova mais clara do cio e pior da tentativa de me incriminarem pelo tremor em italia, já qui abordado, e tres um, ou seja cento e um, ou primeiro do grupo eleven, ou grupo onze, por debaixo, um rectângulo com o que parece ser um indicador de horizonte de voo, inclinado no sentido da espada, e por baixo cento e cinco, b om be iro s rio, vesica da cobra do quarteto cento e onze, ou da galeria cento e onze, jorge brito, mario soares, pau e bola b, om be iro s rio beiraos, o chapéu maçónico , o bico do seis do machado samsung, que corta o ex ten sor five la sin to da cadeira de verga, do f alo da prima vera, as da serra s de dentes rosa eve vader, dart vader do urubus, pan cala l x onze, x mali, am malu ca do x ang vaso primeiro do circulo dezembro, serpente home hot, q eu teresa it is sin em wash, l ava gemma g rito serpente, a fi, primeiro do fina nan ti al tim es do bar do ra da teresa , ra da ar gume men do home ingles da cruz

na pa gina se gui muito teresa de um outro, s en ho circulo do om t rato es el em en t os, primeira cobra com do circulo do primeiro da lamina, la mina, e qui iva do lente ao per rf fi l da s la minas em bola do r es pira douro, q ue reme teresa para da primeira do pro da ova mais da clara do cio e pi o rato da t en tati iva de me inc rimi ina rem p elo tremor em italia, j á qui ab o rato do dado, e t rato espanhol do primeiro, o u seja cento e um, ou prim mr rio do g rup do eleven, ou g rup o on ze, por de ba i co, um rec tan gula do com o q ue pa rece ser um indica dor e de h ori zon teresa de vaso do oo, inc lina don o s en t id o da es ap da, e por ba ix o cento e cinco, b om be iro s, v e isca da cobra do au a te to cento e onze, ou da galeria cento e onze, jorge brito, mario soares, pau e bola b, om be iros beiraos, o ca hp eu maçónico , o bico do se is do machado, sam s un g, q ue co rta o e x ten sor five la sin to da cadeira de verga, do f alo da prima vera, as da serra s de dentes rosa eve vader, dart vader do o r ub do bus, pan cala primeiro do x onze, x mali, am malu ca do x ang vaso prim rio do circulo dezembro, serpente home hot, q eu teresa it is sin em wash, l ava gemma g rito serpente, a fi, prime rio do fina nan ti al tim es do bar do ra da e t rato da espanholo ara da ar gume men do home ingles da cruz



ANAL LISE DA F OTO DE C L I N TON

House, muller, for rei gn primeira do ff, , primeira do irs, p ak ki is to t ani s to regis sis cruz home maçónico, cave, to e x t remi serpente vaso ac da cave do prédio, st , ts, mc co rc do culo la tc homem do delta,

Cuja cruz alguém que será do mesmo grupo que ali tem acesso, pintara na fachada o prédio, onde depois aparecera primeiro a banana, e depois a tampa da sanita, o bid, e


Cu j ac da cruz al gume pin tara na f ac h ad o pr é quadrado do io, onda d ep o is a par e ce ra primeira tam pa da serpente da anita, do circulo do bide, bid e , segundo id e

A imagem da senhora clinton é a preto e branco, e imago mundi, ou seja, representa os dois níveis da terra e do ceu, o microfone, com o plano desenha o delta com a vareta horizontal no meio, se ve uma garrafa de agua com o símbolo que aparece ser de gelo, como depois hoje de novo na indução aparecera, ou seja o mendes, o sam, tambem deverá na realidade dirigir algumas se não todas destas encenações, que passam pelo peru, ou seja o yahoo, ou seja delta da primeiro do homem do duplo circulo, dois triângulos um para cima outro para baixo são visíveis como figurando duas pontas de duas setas que se reflectem como sabem pelos diversos espiões que aqui entram em casa, e vem minhas notas, corresponder no desenho que aqui abordei, ao ponto do desenho geométrico árabe dos pratos ingleses, que no fundo, é um interruptor, e quatro deltas que se cruzam,


primeira i mage madeira da s en hora c l in ton é a pr e to e branco, e i mago m un di, o vaso do seja, r ep rese en tao os do si ni vaso e is da terra e doc eu, o mic rof one, com do circulo da pala ano de s en h a circulo do delta com ava e rta h ori zon t al no me io, se eve uma gara raf a de agua com o s im b olo q ue ap rec ee ser de g elo, com o dep o is homem do oje de n ovo na indu sao ap ar e ce ra, o u seja do circulo do mendes, o sam, tam b em d eve rá na r e la id ad e di rig ira ra al gum as se n cão todas de sta s en c en a ç o es, que p as sam p elo pe ru, o vaso do seja o yahoo, o u seja delta da prim mr do rio, do h om em do duplo circulo, do is t rib bg g u l s o um para c ima de outro, para ba ix o são v isi vaso e is com o figu ra ando du as das pontas e dedo do as s eta s q ue se ref for mula one e sete mc omo, s ab em p elo s di vaso dos eros es pi circulo espanhol q ue aqui en t ram em c asa, e eve maio min homem da primeira serpentes das minhas notas, co rr es ponde rn no de s en h o q ue qui ab o r de ia do ponto do d es ne h o geo m t rico ar abe dos p ratos do sin ingles, q ue ni f un do, é um inter rup pt tor, e q au t rode de deltas q ue se c ruza usa am,



OUTROS EL E MEN TO S D A I MAGE M AU QI da relaçao com da primeira i mage made ria da gara raf , primeira da agua,

Tambem sabiam que o saco do pc estava nestes dias no chao ao lado da cadeira de ostra, e sabem tambem o seu conteúdo e a senhora clinton, tambem de alguma forma o saberá, pois toda esta sequência de espelhos é demasiado clara para que assim não o fosse, e já aqui falei da relaçao que a senhora trás como grupo de cascais

T am b em s ab bia iam q ue o s ac o do pc e stav a nest es do dias no ca h o aol ado da cade ira de ostra, e s abe m t am b emo s eu conte u do e da primeira senhora clinton, t am b em de al gum a forma o s abe rá, p o is toda e sta sec do can non, eu en cia de espelhos é de ema cia ado do circulo da clara, para q ue as si mn cão o fosse, e j á a qui fal lei da relaçao, tribunal, q ue a s en hor a t ra sc omo g rup do circulo de cascais

Pois o elemento da garrafa que está em cima da mesa da senhora clinton, é semelhante a uma pecinha que com outras comprei um dia numa loja ao pé do largo do teatro s luiz, nos dias em que o espirito por ali me desvelou uma serie de imagens, relacionadas com o escritório de advogados do morais sarmento, do jorge de brito, da agencia com as imagens das torres de comunicação de toronto, tor rin to, e outros , o ur otto, fios aqui no Li u vaso ro Livro da Vida constantes

P o is o el em en to da garra raf aqui do q ue e stá em c ima da mesa, madrid, da s en hor a clinton, é semem l h ante a uma pe da cinha, e x namorada do bandido do psd, q ue morou, moreia, aqui no pr é di o ao lado, q ue com outras co mp rei um dia nu ma loja ao p é dol argo do teatro s luiz, no serpente do Dias, outro bandido do psd, em q ue o es pi rito por ali me d es velo lou da primeira serie de imagens, relacionadas com o es c rito ria de ad vo gados do mora sis do sarmento do jorge de b rito, da a g en cia com as sima ge ns das torres de com muni cação de toronto, tor rin to, e o u t os fi os a qui no Li u vaso da roda, india, vaso da ida , co ns cruz ant espanhola

Peçinhas para roupas e outras utilizações, da mile flores, rua anchieta e tambem cristina coutinho amoreiras, e ainda atruim saldanha, onde está ou esteve a via networks, empresa de comunicações com presença elevada na américa latina, onde tambem a terra tremeu se bem se recordam

Pe das cinhas do para das roupas e outras u it l iza ç o es, da mile flor es, rua da ua do anc hi eta e tam b me cristina coutinho a mor e ira se a inda a t ruim saldanha, ob n de e stá ou es te eva via net w o r kapa serpente da empresa de com uni cç a o es com presença el eva ada da dana da am erica latina, onda tam b em primeira da terra, br, t reme use b em se rec o rato do dam

Na véspera do tremor em italia, ao lado do kanguru nas amoreiras, ou melhor dizer do antonio do u guru, a loja da ruivinha com as tais roupinhas que por acaso segundo a senhora me disse vinham todas de italia, de diferentes estilistas, fiquei eu a me lembra depois, que essa ideia a dera eu a muitos anos atras, de representação em pot pourri, todas muitos belas, as roupinhas, qualquer uma minha amada te ficaria a matar

Na ava do vaso da es pera dot do remo do emo mor do tremor em italia, ao l ado do kanguru nas am o rei sas, o um mel hor de ize rato do antonio do u guru, al loja da rui vinha com do as das taís das roupinhas q ue por ac as o se gun do a s en hora me di ss e vinha do ham todas de it al ia s, de difer en t es est i li st as, fi q eu i eu a me lem br ra d ep o is, q ue ess a id e ia a der a eu am mui t os anos a t ra s, de r e p r es en taçao em po u tp o ur rito das mui to serpente de belas, as das roupinhas, q u l q eu r uma min h a am da te fi ca ria primeira da rama do mat ar

Hoje domingo vinte e seis , a imagem, ou melhor as imagens do interior do aquário da outrora casa das maquinas, se complementou, na rua do tribunal talvez já em frente as instalações da marinha que outrora arderam, uma casa , um café qu estava aberto na hora quase de jantar quando descia do chiado, nele entrei para ir a casa de banho, as gentes viam televisão, o senhor profundamente mal educado, quis-me ficar com o troco de vinte euros para pagar um sumol, assim quase à má fila, a porta da cas de banho, era de madeira e de correr como a porta de trás do aquário, a retrete não tinha tampa, mas uma outra tampa aqui puseram no vao em baixo das casas do bairro operário da fabrica, há já alguns dias, onde antes aparecera uma banana, imagem aqui narrada, na altura de seu acontecer, olhei em volta, e vi, o nome daquilo, ou a síntese do nome daquilo, dos gelos polares, antárctica, foi este quase o ultimo pedaço da encenação do dia, das bestas todas, em frente a fnac, uns policias de transito ali parados, um deles fumava cachimbo com as cores maçónicas, prova masi um vez de como estes caralhos do ps, usam até as forças policiais nestas encenações, pois aparecera tambem o lino a fumar cachimbo na tv, como a falar de um poirot , maçónico da fnac, que caralhos, ou melhor que o caralho grande do diabo vos foda a todos, no final da minha volta, já o mesmo que depois o brit dizia, sam mendes, o director, ou a serpente da manha, o mendes, tinham mesmo posto um miúdo a ver futebol, com um ipod ou equivalente a sair do bolso das calças, para que eu o visse, o outro empregado das mesas, de bigode, tambem, a reforçar a semelhança



H oje do mingo vinte e se isa i mage emo mo vaso primeiro mel hor as das imagens do inter iro do a qua rio da outrora casa das maquinas, do caralho do paulo trancoso, se co mp le men to un primeira da rua do tribunal, t alvez j á em fr en te as in sta la ç o es da am mr tinha q ue outrora ard e ram, primeira casa , um ca fé qu e stav a ab e r to na hor aqui da pata use de j ana t rato q ua ando de sc cia ia do chiado, ne le en t rei para ira c asa de ab bna h o, as g ene ts vi am tele e da visao, o sem hor pr fun dame do dam en que mente, m al edu cado, q u ize do traço da inglesa me fi car c om o t roco de vinte euros para pa ra g rum s um mol, as si m q ua ase à má da fila, primeira do porta da cas de ban h o, e ra de made ria e de c o rr e rc omo primeira da porta de t ra s do a qua rio, ar e t r eta n cão tinha tam p am as uma o u t r at am pa aqui p use ram no do vao, mario soares, em ba x io das ca sas do ba iro do circulo da pera do rio da fabrica, italia, e aqui a ce ra mica, homem á já al gun ms do Dias, psd, onda ant es a par e ce ra primeira banana, i mage maqui na r ra dana al tura de s eu acontecer, o l he i em vo l t a, e vi, o no me daquilo, ou a sin te sed on ome daquilo, do sg elos polar es, f oi este q ua ase o u l t imo peda aço da en c en sao do dia, da s bes t as todas, em fr en te a fn ac, un s policias de t ra sn si to al i para do s, primeiro del es f um ava c ac hi m bo com as das cor es ma ç oni nica s, pr ova ma si um vaso e zorro de com o est es cara de alhos do ps, usa sam a té as f orça s poli cia is nest as en c ene sao es, p o is ap ar e cera tam e b mo do lino, a f um do mar cac hi m bona tv, com o a f al ar de um p oi r ot , maco nico da fn ac, q ue cara alho s, o u mel hor q ue o car l home do circulo dog rande do diabo vaso do os da foda a todos, no fina primeiro da min homem da pr me ira av circulo do primeiro da kapa da primeira cruz, j á om espanhol do mo q ue quadrado da ep do is do br it di zorro do ia, sam mendes, da keira portuguesa, mia, o leonel, o di rec tor, o ua serpente da manha, o mendes, tinha do ham me sm o post o um miúdo ave r f u te bo l, com um ip o do u e qui vale en te a sa i r do bo l soda s calças, para q ue eu o vi ss e, oo u t ro e mp r e gado das mesas, de bi g ode, tam b em, a r e f orça do ra do semem do primeiro homem ança

vi tambem a bela senhora do congresso, que falava em italico, ou melhro em bold, capital, oh these wire frames, or somethung like this, than i listened by the spirit a hisory about a promise wotk for some boys in the congress em it, but i did not fallow, peraphs is a image of a similar pormise made here by someone like this beatifull lady

vi t am e segunda da primeira da bela s en hora italiana doc om gres serpente do circulo do congresso, q ue fal ala aca em italia, o u,mel h ro em bo primrio quadrado da capital, disco, o h t he se do wire fr am mes o r s om met h un gato l ike t hi is t h ano, l is ten ned b delta t he spi rito a hi is sir delta ab o u t ap pro rome romi ise v ot hkapa fors om me b o delta sin t he c on gre ss em it, but id di dn nit ot f a ll circulo w pera ph serpente sis a mage o fa si mila ar pro por mise made he r e b delta s ome me one l ike t hi is bea ti f vaso onze lady, la ad delta


Senhora clinton, aguardo eu e todo o mundo uma explicação clara e frontal sobre o seu envolvimento nesta encenação, bem como do posicionamento do governo americano sobre condução de matérias de política mundial, como é este caso de jason, e sua opinião, sobre estes processos, que como masi uma vez se demonstrou, matam nas vezes à grande, mais quatrocentos em carne fresquinha em italia, com crianças incluídas

S en hora clinton, a g ur ado eu e todo circulo do mundo uma e x p li caçao da clara e fr on t al s ob reo serpente do eu en vo l vi men to nest a en cena sao, b em com o do posi sic cio na men to do g ove r no am mer cia ian ano s ob rec condo da sao de mat e ria s de poli tica m un dia l, com o é este caso de jason, e s ua da opinião, s ob re est es por rc esso s, q ue com oma si um ave zorro da se demo sn t ro u, matam nas v e ze sa g rande, ma si q ua t rice w en to s em car ne fr es e u in h a em italia, com c rin ç as inc lui da primeira serpente

Masi uma vez lhe pergunto a si, como já perguntei anteriormente sem ter obtido nenhuma resposta, até ao momento das diversas tentativas que fiz, se esta envolvida ou esta envolvido o governo americano no acto de rapto e roubo e acto de tortura de meu filho, ou se a sua participação, nisto se deve a lealdade que trará para os bandidos da linha que fazem parte de seu grupo, ou pelo menos muito aponta que de alguma forma a senhora os continue a proteger

Ma si uma ave zorro do l he per gun to a si, com o j á per g un net ti ante rio rato que mente s em teresa rato ob t id on one en home da uma rato da espanhola al posta, a té ao mo men to das di dos verso do ero das sas das t en tati iva s q ue fi zoror, see sta en vo l v id a o u e sta en vo l v ido o g ove r no am mer cia nono do acto de ra pt o e ro ub o e ac to de tor da tura de me u fil h o, o use a s ua par tic vip ac sao, ni s to ze d eve a lea l dade q ue t r a rá para os dos bandidos da linha, cascais, q ue f az em p arte de s eu g rupo, ou p elo m en os mui to ap da ponta q ue de al gum a forma a s en hor a os conti nu ue a pro te do dog do ger, sabe quem é, presumo eu

E lhe pergunto ainda se não terá isto tudo, visto que foi clara a tentativa organizada com diversos países de me crucificar com este tremor, o que demostra que estamos perante assassinos sem peias, como lhe dizia em dia anterior, se não se prende esta questão com o medo que muitos parecem trazer face a explicação que já conhecem , pois as notas aqui estão, como todos sabem, e portanto a elas trazem acesso e conhecimento , relativas ao andre


El he per gun to a inda se n cão te rá is to tudo, vi s to que f oi clara a t en tat iva o r g ani zad ac om d iv eros pa ise es de me c ru zi f iv s argento car com de este tremor, o q ue demo s t ra q ue es t amos pe ra ante as sas sin os se sm pe ia sc omo l he di zorro do ia em dia ante rato do iro, rose, ps, n cão se pr e dn ee sta q eu st o ac om circulo do medo, q ue mui t os pa rece em t ra ze rf face a e x p li caçao q ue j á c on he cem , p o is as das notas a qui es tao, como todos sabem, e porta ant o a el as t ra ze m ac ess oe conhecimento , r e la t iva sao e drew

Minha senhora, como a todos já disse, mesmo que trema a terra inteira, ou a gripe se tornar pandemia mundial, eu fecho esta escrita, publico o texto sobre o andrew, e vou para tribunal europeu, a ver se east garras lá estão ou não montadas, como lhe dizia, em dia recente em Palavra oral, razão tenho em falar em coco, vulgo merda

Min homem da primeira da senhora, com o a todos j á di ss e, me sm o q ue t r ema a terra in te ira, ou a g rip o se ton r pan de emi mia ia do mundial, eu fe cho e sta es c rita do publico do circulo do texto s ob reo andre w, e vo vao do vaso do para do tribunal europeu, primeira ave vaso e rato se east garras lá es ato o un cão montadas, com o l he di zorro do ia, em dia rec en te em Pala av do vara, ps, o ra l, ra za o t en ho em f al ar em coco, keira, vaso duplo do primeiro gato do circulo dao da mer rda

continua...






domingo, abril 26, 2009

primeiro dia pós revolução, assim lhe chamam

Prime iro do dia pós r evo lu sao, as si ml he c ham am aman


sabes
amada
a
verdadeira
revolução
é
beijar
te
muito
sempre
te
beijar



s ab es am ad a ave r dade ira r e vo lu são é bei j ar te mui t se mp re te bei j ar

a verdadeira revolução, É O Espirito e Sua Eterna Arte

a ve rda de ira r evo lu sa cortez, i, e o es pie it o e s ua E te rn a Arte

a verdadeira e continua revolução É O Amor
é Amar Te e ser Por Ti Amado
e
Fazer O Amor
Florescer
Em
Toda
A
Parte
Das
Partes

a ve rda de ira e conti nu a r evo lu sao É O Am o ré Am mar Te e ser Por Ti do Amado, e F az er O Am o rf flor es ser Em Toda A P arte D as P art es




desci agora à estação, tomar café e comprar cigarretes, e quando passava ao lado de um dos dois mupis gigantes que ali estão, um bebe em seu carrinho, me diz , baby deal, olhei para ele ultrapassando-o, sorria intensamente para mim, e espetando o braço com o indicar bem apontado me apontou o cartaz, e assim ficou em seu gesto insistindo na minha compreensão, como dando-me um grande presente com o seu imenso sorriso


d es sc si agora à est aç sao, tom mr ra ca fé de tomar, e co mp r ar cigar r e te se q au do p ass ava ao l ado de um do s do is mu pi s gina te s q ue al i es tao, um bebe em s eu car rinho, me di zorro do ze b ab y del, sin os, o l he ip do para ele u l t rp a s sand o do traço ingles do o, sor ria in t en sam que mente para da mim, e es peta anda do circulo do br aço com do circulo do indica car b em ap da ponta ado me ap on to u o cartaz, e as si m fi co u em s eu g es to in sis t indo na min h a co mp r e en s o ac omo dando do traço da inglesa me primeiro g rande presente com do circulo do s eu i m en s o sor r is o

o cartaz mostra as duas bestas que se abraçam, e diz, porreiro pá, foto da altura de mais um acordo feito a revelia da grande maioria des Gentes não so daqui como de toda a Una Europa

circulo do cartaz mos t ra as du as b es t as q ue se ab ra aç cam, e diz, po r rei iro do pá, durao, f oto da al tura de maís primeiro ac o r do feit o ar eve l ia dag rande maio ria des G en te sn cão s o da qui com ode toda a Un a Eu rop e

já o portas me mostrara uma imagem desse cartaz, pouco depois da imagem que aqui comentei das sombras chinesas que o cohen mostrava no púlpito sobre a china, ainda ontem o vira, o rapaz que comigo é parecido e faz uma grandes grimaces assim com ar de louco, o torentino, que estava de novo por cannes, pareciam todos um bocado tristes e com cara de enterro, já antes assim tambem vira o woody allen, e o espirito me dissera, qualquer coisa que funcione, parecia um certo tom de desespero nesse escutado , como se valesse tudo, até tirar olhos, conversa de piratas , ou piratas desesperados, desesperados, os cow bois, e os filmes, como falava do desespero do acto do tremor em italia, que se desvelara pelos ingredientes e assinaturas do espirito que em seu redor se manifestaram,

j á o portas me mos t r ar a uma i mg a em de ss e ca ra t z, p o u co d ep o is da i mage madeira q ue aqui com en te id as das sombras chinesas, q ue o cohen mos t ra vaso do no p u l puto s ob rea c h ine, a inda on te emo do vaso vv da ira, o ra ap zorro do q ue co mig o é par e c eu do e f az uma g rand es g rim ac es as si m c om ar de lou co, o tor en tino, q ue e dt ava de nov por cannes, par e c iam todos um bo cado t r ist es e com cara de en te rr o, j á un d s id a ant es as si m t am b em vaso ira o w oo d y all en, e o es pie it o me di ss e ra, q u la q eu r co isa q ue fun cio one, par e ceia um ce rto tom dede s es p ero ness e es cu t ado , com o se eva le ss e tudo, a té t ir ar olhos, c on versa de pi rata s , o u pira t as de s es pera d os, d es es pera do s, os co w bois, e os dos filmes, com o f al ava do d es es p ero do ac to do t remo do emo mor do tremor em italia, q ue se d es vela ra p elo sin g rid di en t es e as sin a t ru ra dos es pei e r to q ue em s eu red o r se m ani f es t aram,

falava ele, o miguel, debaixo de um cartaz idêntico, que pela pouco que se via na imagem me pareceu estar na alameda ao pé do império e com costas viradas para a fonte luminosa, e se via uma ruga no cartaz , como bomps de amor, sobre os dois personagens, mas apanhando mais o cabrão do socrates

f al ava el e, o miguel, de ba ix ode primeiro do cartaz id en tico, q ue pe la p o u coc do q ue se via na i mage mai ro da me par rece u es t ra da ana alameda ao p é do i mp e rio e com do costa serpente vaso iradas do para da primeira do fonte, efe, lu mino sa, e se via primeira ruga do no do cartaz , com o b om me ps de a mor, s ob reo s do is persona ge ns, mas ap anha anda mais o c ab abrao do soc rat espanhol


agora o bebe me dava o resto da chave, apontando com seu dedo os dois personagens, como a dizer que o acordo sobre o roubo do meu bebe teria sido feito pelo socrates com o conluio do durao, assim se explica a enigmática frase sem aparente sentido, e mau verdadeiro sentido, como aqui comentei, de o primeiro cabrão apoiar o segundo cabrão

agora do circulo do bebe med ava o r es to da c h ave, ap da ponta anda com s ue de dp os do is persona ge ns, com o a di ze r q ue o ac o r do s ob reo duplo do ub o do me u bebe te ria s id o feit o p elo soc rat es com do circulo do c on c lui io do durao, as si m se e x p lica a eni gm a tica fr ase s em ap ar en te s en t id o, e ma u verde der iro s en t id o, com o aqui com en te id e o primeiro c ab ra o ap o ia ro do segundo c ab ra circulo,

o argumento é falacioso, como demostrei, e mais, faz confissão de que secretos acordos terao e trarão aqueles filhos da puta, ladroes de crianças, ordenadores de actos de bandidagem, e fora da leis, que so não estão ainda presos, porque dominam a própria justiça, a ver vamos até onde

o argo men to é f al ac cio soc omo demo st rei, e ma sis, f az c on fi s sao de q ue secretos ac o r do s te ro a e t r arao a q eu l es fil h os da puta, la dr o es dec rina sç, or dena dor es de ac to s de ban dida dag ge me for ad primeira das leis, q ue s on cão es tao a inda pr es o s, por q ue do mina ana pro pr ia js u tica, primeira ave ver v am os a té onda

caminhando para casa, pensando, que roubo de bebe, ou melhor de qual bebe, roubado, visto estes filhos da puta muitos roubarem, para fizeram as suas desgraças, me lembrei por proximidade do local, da casa actor joao rosa, e de uma aparente gravides ectopica que a cristina pinto uma vez pareceu ter, já no final da nossa relaçao, onde depois tambem o mesmo padrão se afirmou, uma inda até inglaterra, depois de um cruzamento com o tal bandido italiano que por aqui anda

ca minho ando para da casa, pen sand o, q ue ro ub o de bebe, ou mel hor de q ual bebe, ro ub ado, vi s to est es fi l h os da puta mui t os ro ub bar rem, para f az ze rea am as s ua s d es sg g ra aça s, me l em bre ii por pro x i mi dade do l ocal, da casa actor joao rosa, e de uma ap par ren te g rav id es e c top pica q ue a c r is t ina pinto uma ave z par rece u te r, j á no fin la da no s sa relaçao, onda d ep o is t am be emo mo me sm do circulo do pad ro a se a fi r mo u, uma inda a té inglaterra, d ep o is de um c ru z man neto com do circulo do tal b van dido italiano q ue por primeira do qui anda

numa montra em remodelação, a bela bruni ao lado de uma princesa africana com um vestido, que de repente me fez lembrar o vestido da guta, que por sua vez é aparecida com a monica belucci, disse-me o espírito que a guta teria sido enato, uma das responsáveis por um aba antigo, olho aquelas imagens e o que se evola, é um perfume que de imediato me remeteu para a morte de bhutto

nu ma mon t ra em r emo mode la sao, primeira da bela bruni aol la do de uma p rin ce z a africana com do primeiro v es ti d o, q ue de r e pente me de fez l em br aro v es t id o da guta, q ue por s ua ave zé ap ar ce id a com da primeira monica be ll kapa do vaso da cristina coutinho, i, di ss e do traço da inglesa me o es pi i rito q ue primeira da guta te ria s id o en ato, uma das r es ponsa ave is por um ab a antigo, olho aqui do eu la sima ge ns e o q ue se evo la, é um per rf um mec q ue do imediato da me reme te vaso do para a m orte de b home otto


Vês amadinha, tinha razão

As pombinhas chegam aos pombinhos

E beijam-nos de lingua, assim fazem a escolha

Quer dizer, é de bico, mas é como se fosse de lingua

Depois o pombinho fica casado com a pombinha

E lhe faz uma demorada corte

Que se os irmãos sabem bem do amor,

Tambem gostam dos prazeres prévios

O pombinho pena e pena, dança, canta, e encanta a pombinha

Depois se via finalmente o pombinho em cima da pombinha

Mas não mostravam mais

Tambem se queres que te diga nem sei assim distinguir um pombinho de uma pombinha, acho que nunca os vi assim tao ao perto e demorado, pareces quase tu, que não te vejo ainda no pombal,

Vou começar a arrulhar para ti,

Depois é tipo produção de borrachos em serie, pois acasalam muitas vezes e sabes o que é curioso, ambos os alimentam

Quando começam a namorar com o beijo de boca, que a pombinha dá ao pombinho, namoram para sempre, vês como te dizia, assim é a inteligência do amor



Vaso ê es ami j a ad dinha, tinha ra z o a as pombinhas che g am aos p om bin homem do os E bei j am do traço ingles no serpente del, sin os primeiro em bg, ba ck ground, ua, ss em di ze maior quadrado da ue f az ema espanhol do co primeiro homem aqui da eu do rato da di do ze red e bico, mas é com circulo da se f os sed del, si os em gi ad ep o is o p om bin h o fi caca do sado com da primeira pombinha E l he f az uma demo ra ada circulo do corte, quadrado da ue se os sir mao ss ab em segundo em do am mor, T am b em g os tam do serpente dos Prazeres pr é vaso io serpente, O p om bin hp pena e ep en primeira da dança, can t a, e en can t a ap om bi mn home da primeira, D ep o is se via fina al le lem n te o p om bin h o em c ima da p om bi n h a serpente mas n cão mos t rav am maís, Tam b em sec ca non eu rato es q ue te di g ane m sei as si m di s t i b u i rum pombinho de primeira pombinha, ac h o que n unc a os vi as si m tao ao pet o e demo mora do, par ee q ua ase t u ,v o u com aça r a ar ru l homem da ar p az ra ti, das ti, d ep o is é t ip o por duc sao de borrachos e se rie, p o is ac asa sala lam am mui t as vezes e s ab es o q ue é cu rio osso, ambos os al imen t ram q ua ando com e ç ma ano mao ra com circulo do bei j ode boca, q ue a p om bin h a d á ao p om bin h o, namora ram para se mp r e eve es com o te di z ia, as si mé a intel i g en cia do amo mor

No entretanto as putas já cá entraram outra vez, ve lá que até deixaram um pedacinho de coco de pomba no meu leito, deve ter a ver com o cio assente no belo programa, sobre pombinhas, frise-se, que o pombo encontra sempre a sua namorada pelo cheiro, uma das teorias, como maior adeptos nas matérias columbofilias, versus o mapeamento magnético da terra como nos tubarões, e ainda, pelo relógio biológico deles próprios, que as pulseira que nas vezes lhes põem nas patinhas, se bem que sempre delicados, não trazem ponteiros


No en t r eta anto as das putas, j á ca ap soto lo serpente en t rato aram o u t ra ave zorro vaso el á que a té de ix aram um peda ç in h ode coco de p om b ano me u lei to, d eve t rea ave rc om circulo do cio as s en te no b elo pro g rama, s ob re p ob in h as, frise, do traço da inglesa sé, sec, ca non, ue doc circulo do p om bo en c on t ra se mp rea s ua na mora da p elo che iro, uma das teo ria sc omo maio r ad dp pt os nas mat e ria s co l um bo f ila s, v es us do circulo do ma ap pem to ma gn ne ti cd o da terra, com on os t ub barões, e a inda, p elo r el o g io bi o l g iv co del es por rp roi s, q ue as p u l s eu ra q ue nas v e ze l he s poe mna s patinhas, se b em q ue se mp red e li cado sn cão t ra ze mp maior do ponte iros


Pois é ali pelas bandas da tentadora, onde os andares são vendidos pela pem, diz assim entra e deita-te na neve, ou algo assim, devem querer insinuar, alva e coca, e do outro lado, as bestinha dos anúncios, do frize, dizem, porque queres casar comigo, não vivemos já juntos, ou algo assim

P o is é al ip pe l as bandas da tentadora, onda os dos andares da são v en dido s pela pem, di z as si m en t ra e de it a do traço da inglesa te na ane neve, o u al goa ss em, d eve em q eu r e r in sin ur a, alva e coca, e do outro l ado, às da bestinha serpente dos e na un dos cios, do frize, di ze maior do por q ue q eu r es ca sar co mig on cão v iv emo sj á j un t os, o u al goa ss e m

Ah minha amada, tanto os cios, tantos chamam pelo amor como se fosses tu, que eu nas vezes nem sei mesmo se existes ora de mim, mas sei de ti a vires me visitar feita passarinha ou pombinha, e me pergunto, mas não terás tu um copo assim feito humano como o meu, para que a gente se possa dar um abracinho, e beijinhos mil e sorrir um para o outro,


A h min h a am ad a, t ant os o cios, t ant os c ham am p elo am mor com o se f os s es t u, q ue eu na s v e ze s ne m se i m es mo se e xis t es o ra de mim, mas se id e ti a v ire es me v is tar f e i t a ap ps sarin h a o u p om bin h a, e me per gun to, mas n cão te rá s t u um cop o as si m f e i t o h um ano com o om eu, pr a q ue a g en te se pod da d ar uma ab r c in h o, e bei j h b h os e sor r i rum para do circulo do outro,

Se em meus braços fizesses o teu e nosso ninho, cada vez que te olhava via que eras tu, e tudo seria mais simples, acho eu e acha o meu coraçao,

Se em me us br aços f iss es e s o te ue no ss o nin h o, c ad ave zorro q ue te o l h ava via q ue e ra s t ue tudo se ria mais si mp l es, ac h oe ue acha om eu cora sao,

Já sei o que vou ser quando for grande, se é que alguma vez se é grande, fico assim tipo uma borboleta e vivo poisado na deusa pequena que trazes em ti, ali fico enebriado em teus perfumes e me alimento de teu mel, às vezes baterei as asas para te fazer cociginhas que eu sei que gostas, outras voo até ao meio de teu peito e ali fico a ouvir o teu coraçao bater, outras ainda, poisarei nos bicos de teus seios e com as asas festas lhes farei

J á se io q ue vaso evo o u se ser q eu en do for g rande se é q ue al gum ave zorro da se é, g rande m fi co as si m t ip o uma bo rb o l eta e do vivo, p o isa sado na de uza pequena q ue t ra ze s em ti, e al i fuci ene br iad o em te us per rf um es e me al im en to de te u mel, as v e ze s bate rei as asas pr a te fa az e r coc i gin h as q ue eu se i q ue g ota s, o u t ra s v oo a té ao me io de te u pei to e al i fi coa o u vaso do iro teu coraçao bat e reo de outra s a ina, p oi isa rei no s bicos de e t us se io se c om as asas fe es ra s l he es g f a rei


entao qual é a temperatura da terra em seu todo

en tao q ual é a primria re mp pera tura da terra em s eu to do

ninguem sabe

nin g ue em sabe, cv

pois a contagem do aumento dela é coisa recente

p o isa ac conta tage em do au men to del a, é co isa rec en te

mas uma coisa se sabe

ma s uma co isa se sabe

que já é demais,

q ue j acento primeira é demi as
como

pelos problemas que já temos

p leo elo serpente do por b l emas q ue j á te emo mos

ainda ontem se ouvia, estamos a matar mil vezes mais depressa as especies do planeta, somos assasinos em massa

a inda on te m se o u via est am mosa a matar mi primrio vaso e ze es serpente maís dep pr press a as as pe cie es doo la net a s omo as sas sin os em massa, italia

outra coisa se sabe muito claramente

o u t ra co isa se sabe mui to que a clara mente

o corpo é todo o mesmo

o corp circulo é to do om me es sm mo

nenhuma parte pequena resite muitos ou memso pouco dias a um febre de seis graus provocada por uma infecçao que nao seja resolvida, já alguns tiveram quarenta e dois graus para saber o que isso é

ne en hime da uma p arte pe q ue na r es si te mui t os o um em ms o p o u co do dias aum febre, de se is garo ra us pro ova cao ca da por primeira infecçao, q ue n cao seja r es sol v ida ,, j a la gun ns t ive vera ram, qua renta e do is g ra us para sabe , o sabe, o q ue iss circulo é
quereis contas e acertos em saldo de moeda ou em quilos de carne, fazeis justiça a todos do mundo, ou a matança em sequencia continua

q ue dos reis contas, e ac e rt os em sal dode moeda, o u e m q u il os dec carne car da ne , f aze is justiça a todos do mundo, o ia mata ança cortez em seq ca nono en cia conti nu primeira

o que preferis,

o q ue pr efe rato do is

nem sabeis ainda que os novos virus sao criados à medida dos desejos de vingança, e do mal que os provocaram

ne ms ab abe ia a inda q ue os nobvos vi rus sao c ria dos à me dida do serpente dos desejos, de vin gato ança corte e dom al q ue os por vo caram

enola gay, en no de la gay
para quem nao se lenbre aqu i ficam alguma sfotos de hiroshima
para do q ue mn cao se l en br rea a q u i d f icam al gum a s f oto s d e hi iro s home ima
me disse agora o espirito ser o vaso sessenta e seis do vaso do abc, da ph oto bal on bora ac rac cha da primeira, borracha, é pelikan
uniforme de minoui tomita , vinte q quatro anos que estava a mil e setecentos metros do epicentro, estva vivo em oitenta e seis
uni ni for mede de mino vaso it tom it a vinte quadrado q au t ros ano s q ue e stav aqui do ue am ile e sete c en t os metros do ep pi c en t ro e stav av ivo em oitenta e tres, se e ws

os cabelos de d ´hiriko, yomoshita dezoito anos, morreu, vinte cinco de agosto a oitocentos metros do epicentro

os cab do ele s ded apsotolo serpente hi r i kapa cierculo do delta omo shita dezoito amo serpente mor r au em vinte esterla de agosto a o it toc centos metros do ep pi do c en t ro


a mala de tadayori kihara , cinquenta anos, a mil e duzentos metros do epicentro, mergulhou no porto de kijobashi e morreu em sessenta e sete

am mala ala der ad a delta do ory do ki hara, cin q ue en t a ano sa am ile e du zen t os metros do ep pi c en t ro mer gul home doc circulo do vaso no do porto de ki j ob bas shi serpente energia, em se senta e di seta

se ve um continente identificado, uma vaca

os oculos de moto, mosara cinquenta e quatro anos, seu corpo nunca se encontrou, a nao ser a sua face compeltaemnte queimada
os co u l os de oto mo sara cin q eu en t a e qua ano serpente s eu corp o nu unc ase en c on t rou ua e cao ser a s ua da face co mp el ta em n te quim mad primeira




a chave do moviemnto, assim ficou esta fot dos junelles, jumelles, gemeso masmi o hya vinte e cinco anos , a novecentos metros do epicentro, so o nome nos bonoculos permitiu a identificaçao do esqueleto
ac homem avé dom ov, it, vie mn to, ass se em fi co vaso es t a f ot dos june ll es dos gemeos, ge meso ma sm i o home delta primeira vinte e estrela , primeira do anao da ove dos centos do metro ingles, do i pi do centro, s o om me no s bono culos per mit e i u a id en ti fi do caçao do es q ue le to




pedaços de pele e de unhas de noriaki teshima, qautroze anos, a mil e duzentos metros do epicentro, reliquias recolhidas por seu marido que era soldado da armada japoneza no pacifico,
peda acos de pele, e de in homam as de no ria do ak do ki t es hi ima q au t roze ano sa am ile e du zen t os metros do ep do pi co centro , r el lic qui as rec o primeiro hi id as por s eu mar id o q ue era sol dado da arm mada j ap one z a no pacifico





o vestido de setsuko, ogawa vinte e um anos, a oitocentos metros do epicentro, ...elle plongea dans la riviere proche..l et mourut six jours plus tard
o ove vaso est id o set s uk circulo, o g a w am do vinte e primeiro ano sa o ti toc en t os metros do ep do pi centro, violinos da elle p lom ge a dans la riviere, pr roche , segundo do primeiro e cruz morut da six jo ur serpente do plus , canal,da cruz ard






relogio anonimo encontardo a cento e cinquenta metros, a mesma imagem do relogio nuclear que anda para tras e para a vida toda se o caminho assim nao continuar, numa hora impossivel, pois nao vendo os ponteirps, aqui, seream as tres e e trinta e nove
ratodo elo do gato gi do io ano non imo nimo en c on cruz ard circulo da primeira do ac do cento e cin q ue ne t a metros, a am me sm a mai mage do elo gi io da miss nuc lear ar q ue anda do para r ra serpente peiemria vi da toda se do circulo do ca do minho ass se mna cao conti nu ar nu ma hor primeira rai mp oss si ov el p o is n cao v en do os ponte i rp ps aqui , ser ream da manha as das tres ee t rin cruz preimeiro a en ove
ao lado garrafas como velas , em cima a xcaixa de watanabe, de quinze anos, com a cunha das duas palmeiras do pacifico
aol ad o garra raf as com o ove l as em c ima a x ci ix primeira de w at ana be de quim ze ano serpente com da primeira da cunha da s di as palmeiras do pacifico, oceano






os calçoes de jiro mutsuda de doze anos, morreu cinco dias depois dizendo que tinha sede, suas ultimas palavras
os cal c o es de j iro mu ts u dade do ze am se mor rato eu sc inc do circulo do dias d ep o is di zen do que da tinah sede, s ua sul tim a as pal av ra serpente

fotos da photo special japam , l empire du solei des sens, numero duzentos e vinte e cinco

f oto sd a ph oto sp e c ila cia al, j ap am l em pire da di do solei quadrado da es serpente da en ns mu mer do ero du z en t os e vi n te e c inc circulo on co




sábado, abril 25, 2009

Disse hoje a correia do norte que iria retomar o seu programa de produção nuclear, complementando o dito em correcto travamento, que todos os países do mundo, tem direito a produção de energia com base no saber nuclear

Di ss e h oje a correia do dao do norte, q ue i ria r e tomar o s eu pro g rama de pro du sao nuc , miss da lea da ar, co mp le men t ando do circulo onze do dito em co rr e c to t rav am en to, q ue todos os pi ase s, pi ass es, pi as se da p ia st es, pi ares, pi ass e made ira do mundo, te mda a e ira de direito, a por rc du sao de energia com da base no s ab e r nuc lea do rato, dos caralhos a v usa dor es do ps

Aqui ao isto escrever, o pc faz como que uma pancada, à imagem dos ipod da apple que antes de ontem apareciam a escorrer tinta de todas as cores como um arco iris, verticais ali estavam, como a pretender reflectir um programa de pintura recentemente aqui evocado, e onde depois mesmo estando o steve job de recuperação, pleonásticas, se deverá entender, se vima as imagens do ado, da queda das torres, caro dizer, do job, que o job das torres tinha sido feito pela pallete do pintor japonês , das aplicações informáticas que fizeram cair as torres, donde , a ser verdade este mostrado em diagonal, sem prova, outra, que o que eu nele vejo , e sendo que este visto é de certa forma resposta ao que primeiro evoquei, a tal linha do ela por ela, se aplicaria em relaçao, a nagasaki e hiroshima, só que assim tendo sido, se o foi, não está a paga ela por ela, a não ser que se inclua nas contas tambem uma parcela grande que ontem não inclui da guerra no iraque, mas essa é da responsabilidade do outro lado da balança, donde não estabiliza o saldo

A qui ao is to es c r eve ero do ro pc f az como q ue uma pancada, à i mage madeira dos ip o ds da apple q ue ant es de on te m ap ar e ce iam a es co rr e r t int a de todas as cor es com o primeiro do arco iris, verti cia s al i est ava vam, com o a pretender refe l c tir um por g rama de pintura rec en te mn te a qui e vo cado, e onda d ep o is me sm o est anda dao do steve j ob de rec u pera sao, p leo na s tica s, se d eve rá en t en der, se vaso ima as i mage ns do ado , da queda das torres, caro di ze rato do aro do j ob, q ue circulo do j ob das torres tinha s id o feit o pe l a pa ll e t e do pin tor j ap one es , das ap li caçoes in for mat i cas q ue fi ze ram ca ira serpente das torres, don dea ase ser verde ad e este mos t r ado em di a g on al, se m pr da ova, outra, q ue o q ue eu nel e vejo , e s en do que este vi s to é de ce rta forma r es posta ao q ue prim e iro evo q ue ia t al linha do el a por el ase ap li caria em relaçao, a na gás a ki e h iro s homem do ima, s ap s oto lo serpente do acento O , em manu da elle, q ue as si m t en do s id o, se o f oi, n cão e stá a paga el ap do por dela, a n cão s en hor q ue se inc l ua nas contas tambem, uma per re da cela g rande q ue on te n cão inc lui da guerra no iraque, mas ess a é da r es posa bil id ad e do o u tr o rol ado da bal ança, don de n cão e stab e l iza o sal d o



Correcto dizer, o da correia do norte e de todos os países do mundo,

Co rr e c to di ze ero da correia do norte, do dao, e de todos os pa ise es do mundo,

Correcto errado dizer, pois a energia atómica, não é solução nem de produção energética, nem como arma de guerra, e um relógio que anda para trás, trás o mundo , cada vez com menos espaço para se mover, neste domínio como todos o sabem e trazem sabido

Co rr e c to e r ra do di ze rp da p o isa da energia a tom mica, não é sol u sao ne mad e ria de pro du sao ene rato da ge tica, ne mc omo arma de guerra, e um r e elo dez primeiro do circulo do dog do io q ue anda para t ra serpente, t rá s circulo do mundo , c ada ave zorro do com men os es paço para se m ove r, nest e do mini o com o todos o sabem e t ra ze maior serpente do ab da bid circulo

O caralho maior do cosmos que vos foda a todos mais as putas das vossas apostas, e do negríssimo dinheiro que metem nos bolsos a conta de sangue das gentes do mundo

O car do ralho do carvalho do carrilho, maior do cosmos, q ue vaso do os da foda a todos mais às das putas das vaso os sas das apostas, e do negri ss imo din he iro que met em no serpentes bo l s os ac da conta de sangue da sg ene da net ts do mundo

Ou seja frança, italia, negri, carrilho, e capitão cosmo, e putas fr, diversas, e co nse q eu en te, mn, smartie, s sm mar art do ti tie, da te do tremor de terra, sam a rite que são como pi lulas as cores, ou seja a lu cino g eni nico s

A única solução, para o problema é, sentam-se todos a mesa da casa das nações, onde depois de falar do tempo e do grupo cultural, a bandeira em nova Yorque ao lado das duas pontas doiradas dos pau de bandeiras, aparecia frisada, à laia de resposta, presumo, e , um, acordarem numa simples linha,

A única sol u sao, para o pro ob e segundo el da ema é, s en tam do traço da inglesa se todos da primeira da mesa, madrid, da aca s das naco es, onda d ep o is de f al ar do te mp oe do g rup o cultural, p rie mr ria da bandeira em nova delta o q ue, coq eu da foc do primeiro do c irc cu l kapa do circulo do quadrado d do roque do soque do q eu leao l ado das du as das pontas doiradas, com heroina, do s p au de bandeira s, ap par e cia fr isa sado, à l aia de r es posta, pr es sumo, e , um, ac o r da rem nu ma si mp primeiro do espanhol da linha,


O problema da energia, é um problema de sobrevivência e de saúde de todos, a energia todos a usam e todos dela necessitam, o bom senso, aconselha sempre a soluções com menos perigos, a inversão do actual tabuleiro neste domínio, implica uma inversão das fontes que usamos, e um acordo claro sobre quais deixamos de usar, e quais vamos usar, e sabendo que só se todos assim concordarem e mutuamente se entre ajudarem, nomeadamente em financiamentos, assim poderemos, deixar de ter razão ao dizer que se uns tem o nuclear , todos e qualquer outro, de igual modo e razão, o poderá ter

O pro ob segundo el da lam da energia, é um pro be la de s ob r eve iv en cia e de s au dede todos, a energia todos a usa sam e todos del a ne vc ess itam, o b om s en s o, ac on se l h a se mp rea sol u ç o es com m en os pe rig os, a in ver sao do ac tua l t abu l e iro nest e do mini o, i mp lica uma in ver sao das font es q ue usa sam mos, e um ac o r do c l aro s ob rec do quais de ix am mos de usa r, e quais v am os usa r, e s a b en do que s ó se t o do s as si m co mc o r dr em e mu t am man da nete se en t re a ju da rem, noe ema dame dam en te em fina n cia am mesas sas, as si m p ode remos, de ix ar de t e rato ra z a o a o di ze r q ue se un s t emo do mo do nuclear, miss le ar, todos e q ual q eu r o u t ro pode rá te rato

Como vem todos os meninos amantes do uno mundo, este acordo , é simples e nem ocupa um decimo de uma folha a quatro, deixando portanto o espaço em baixo para todos puderem assinar, sem quebrar mais uma arvore que seja

Com ove vaso em todos os e mn ino s am ant es do un o mundo, este ac o r do , é si mp l es e ne m o cup a um dec imo de uma fil homem aa aqui da au cruz ro, de ix anda porta anto o es pe ç o em b a x io para todos p u der rem as sas di sinar, s em q eu br ar mais uma ra v o rec q ue do seja

Faltará uma outra linha, que já todos tambem conhecem, desmontar os armamentos todos do mundo, nucleares e outros , muitos dos quais proliferam a revelia de todos os acordos, e reconverter as indústrias de armamento

F al tará uma outra da linha, q ue j á todos tam b em c on he cem, d es montar os arma men to s todos do mundo, nuc lea ares e de outros , mui to s dos quais pro life ram a r eve l ia de todos os ac o r do se rec eon verter as in di st ria s de arma men to

Neste entretanto onde gasto a minha vida e o latim estupidamente, espero que já se venda nas lojas tintas para as casas em material fotosensivel, e que todas as cidades do mundo tenham já aprovados os novos planos de construção inteligentes

Nest e en t r eta anto onda gás to am min h a vi da e o latim est u pida que mente, es p ero q ue j á se eve venda na s lojas das tin t as para as das ca sas em mate ria al f oto s en s iv el, e q ue todas às das cida d es do m un o t en ham j á ap rova do s os n ovos p l ano s de co ns t ru sao intel i g en t es


Hoje tambem veio a confirmaçao do que novo vos tinha avisado, no mexico uma nova estirpe de virus, acabou de aparecer, disse a oms, que potencialmente poderá ter características de pandemia

Home do oje tambem, veio p rie mr ia do ac c on fi r mara do q ue n ovo vaso os da tinha av is sado, no me xico do bico do fi co do mico do pico, o rico, uma nova est tir rp do pe de vi rus, ac ab o u de ap par rece r, di ss sea om s, q ue p ot en cia le lem n te p ode rá te r cara rac teri s tica s de pan de mia


Ao bocado fiz zap de ligar e desligar, apanhei o psi escritor que perguntava, será a vitoria uma derrota adiada, pois vos digo que me fez imenso sentido, no ponto em que todos nos encontramos

A ob o ca da fez do zap de liga red es li g ar, ap na he io psi es c rito tor que per gun t ava, se ra a vi tori a uma der rota avi sado, ad di iad primeira da posi vaso do os di go que me fez i m en s o s en t ido, no ponto em e ue todos nós en c on t ramos

Portanto meus senhores do mundo uno, ou vos decidi, mesmo que se esteja descendo a escada final, a resolver decididamente os problemas, ou agravaram por inércia, a eventual queda de todos

Por rta ant om e us sem hor es do mundo un o, o u vaso os dec id di, me sm o q ue se est e j a d es c en do a esca da fina al, a r es solver dec id di dame dam am en e primeira que mente os por rb l ema s, o u a g rav aram por ine rc cia ia, a eve en tua primeiro da queda de todos

Ou havereis esquecido que quando pandora é aberta, só de lá não deve fugir a esperança, e que a esperança se faz, pela correcta mao e correcto açao pelo correcto pensar

O u home ave do reis espanhol do quadrado do eu circulo do ido quadrado da ue quadrado da ua anda do pn ad circulo do ra é ab rato da eta, serpente do acento ó del, sin os, á do muito cão do quadrado da eve forte do vaso dog ira espanhol da pera ança, e quadrado da ue primeira da es per ança se f az, pe la co rr est a mao e co rr e c to aç sao p elo co vaso rr e c to top pen sar




correia do dao, do norte, om de bali



grupo da miss lea da ar



harris bar



a puta da cala, mente
hoje, tarde de vinte cinco de abril, as putas todas do regime, que se diz terem feito uma revoluçao devem andar gordas descenddo as avenidas com cravos vermelhos na maos

homme do oje, jornal, da trade feit no vinte e cinco de abril, às das putas todas do regime, q eu se di zorro feit circulo p rie miro evo lu da sao d eve em andar gorda serepente, d es ce dn do às das ave nid do às dos cravos, circulo ra av vaos os vvermes do mel primrio homen na mao serpente

putas fascistas, estado de direito, democracia, justiça, seus filhos da tremendda puta

puta serpente facistas, do estado, o caralho da fac de direto, demo criculo do ra da cia , js vaso ti circulo de cortez primeria, se us fi primrio homem do is da cruz rato e men ingles da dd, primeira puta


QUERO O MEU FILHO DE VOLTA; QUERO OS MEUS DIREITOS;

quadrado euorpeu do ero om europeu fil , home do circulo de vaso do circulo do ang u lo da cruz da cruz, q ue ero os me do us de direito , faculade serpentes


SEUS CARALHOS SEM VERGONHA; SEUS FILHOS DA PUTA

se ud dos caralhos da cara de alho sem vegonha, se us fil homem do os da puta

ISTO È UM REGIME FASCISTA E DOS PIORES; POIS MAIAS DISFARÇADO

is to é primrio re gi me fascistas e dos pi circulo rato espanha, p o is do maia serpente ds fra mais cruz ad

ISTO È UM REGIME DE PUTAS E COBARDES

IS do TP é primrio do re gime de putas e co bar ard quedrado do espanhol

ISTO È REGIME DE PEDOFILOS E ABUSADORES DE CRIANÇAS

is to é ref, for ground dim gim e de pedofilos e ab sd dores, usa dores dec crirculo rian ana la
ancas

ISTO È UM REGIME HIPOCRITAS

is it to é vaso re gide h ip pc cita às e hipo do poc do circulo da rita ser ep pn da teresa ds


ISTO È UM REGIME QUE ROUBA FILHOS E COBRE QUEM OS ROUBA

is to é o primeiro do pr im rio do regime, q ue ro ub da primeira fil homem do os e cobre q ue emo os ro ub da primeira

ISTO È UM PAIS VERGADO POR POUCOS TODOS CORRUPTOS E AS GENTES VIVEM NA MISERIA A CONTA DESTES CARALHOS, PELA SUAS INTEIRAS VIDAS E DE SEU FILHOS

is to é primeiro do pais, tvi, vaso e rato do gado por p circulo do vaso do cos todos, do traço do ingles vaso dec o r rup sao paco e as das gente serpenete vaso iv em man mise ria primeira conta d estes car rc do coretz angulos do homem do os, da pt, os, pe la se us ine net rato duplo e sa v id as e de s eu fu do vaso angulo home os

ISTO È UM PAÌS DE ABUSADORES E SEM HOMENS; NENHUM DÀ A CARA A NADA; COBARDES; FASCISTAS

MORREI

is to do supremo tribunal é primrio puta do quais de ab usa dor espanhola se e se em homem do om es sn aguia, ne en homem do primerio da primria da cara ana da coba vaso da ar do bar di espanhol dos fascistas mor rei
Ecos a conta gotas como chegam neste últimos dias, a propósito do mistério encerrado nas palavras, ou falando chines em português e outra línguas como todos parecem ter combinado mais uma vez


E cos primeira da conta das gotas com o che g am nest e u l t imo serpente do dias, psd, a por rp posi to do mis té rio en ce rr ado nas pal av ra s , o u f al lan anda chines em por t u gi es e o u t ra l in g u as com o todos pa arc em te rato do ato do rc combinado, c om bina ado, maís uma vez, maís uam ave zorro francesa


A gota mais importante veio em dois pedaços, quase como aquela bela canção brasileira, com menos o terceiro, sabes qual é, o primeiro me chegou como quem chega do bar, o segundo como quem chega já nem me lembro, e o terceiro, mais poético, e certamente melhor amante, como quem chega do nada, se enfiou na minha cama, e me chama de mulher


Ap gata ota maís im mp porta ante do veio em do is pe dç os, quadrado da use com o aqui do q eu la bela cona sao bar s ile ira, com m en os o te rc euro, s ab es q ual é, o prime iro mec he g o u com o q eu maior da chega do bar, o se gun do com o q eu em che g a j á ne m me l em b ro, e o t rec e iro, mais poe tico, e ce rta tam que mente mel hor amante, com o q eu em che gado na ada, se en fi o un primeira min homem do ac ama, e me c hama de mul her

Primeiro fio, imagens antigas de putin, a propósito de uma empresa russa que ao que parece estaria ou estará interessada na quimonda, que declina em ki do rapariga primeira do mond,

Prime rio do fi circulo das imagens antigas d ep u t ina por rp posi t ode primeira empresa russa q ue ao que pa rece est aria o vaso do est a rá inter ess ad dana da ana da quimonda, q ue dec lina em ki do rapariga p rie mr ia do mond,

Angstrom, parece assim prenuncia dos países nórdicos, a mim suou-me em outras bolachas, daquelas que se põem musica, e outras coias para alem de dados, quase ressoa tambem em som de lingua, no nome da minha aparelhagem

Ang st rom, pa rece as si m pr en un cia dos pa ise es no r di co sa mim, s uou do traço da inglesa me em outras bolachas, da q eu l as q ue se poe em mu sic a, e o u t ra s co ia s para al e made ria de dados, apostas na rede, pata au use r esso primeira tambem em serpente do om de l in bg ua, no do nono da meda min homem do az da aparelhagem, que remete para barcos, sendo que depois um ardeu, ou mesmo se agendou, remetendo para a noruega se bem me recordo

que rem met do para dos br aco s, s en do q ue d ep o is primeiro ardeu, ou me sm o se a gun do u, reme t en d circulo do para primeira noriega se b em me record circulo

angstrom, como já declinou acima, na primeira faca, tambem em ang, de anglia, e angus, bifinhos geralmente tenrinhos, gato serpente st rom, ou roma,

angstrom, com o j á dec l ino u ac ima, na prime ria af ca, tam be, ang, de ang l ia, e ang us, bife fi n h os ger la em n te t en rinho s, gato ser pente serpenet da cruz rom, ou de roma,

ad mi mite te m inter resse, queijo, castelo porto e rato do queijo, na em presa

ad mi mite te m inter resse, queijo, cas do telo do porto e rato az to do qui jo do quico, ki dez primeiro do circulo quim circulo do quino, cinema, quito, pi olhos na em presa, espanha, fr e s a,

magnetos de ferro, a chamada f ram, bolachas de micro chips de nano tecnologia, a vareta magica que descia ao lado da torre do pc, e que ficava vermelha, ou seja que fizera o sangue, ao lado da parede de tijolos, a ressoara na igreja do sec treze em italia e na imagem do rasto do jaguar

mag do gn do neto serpente do ferro, ps, ac ham mad a f ram das bolachas de mic ro ch ip ps de na ano tec no ligia, a va e rata eta magica q ue de sc cia ia aol ado da torre do pce e quadrado da ue fi c ava verme l h a, o u seja q ue fi ze ra o san g ue, aol ado da pa rede de ti j olo sa r esso ara na igreja do sec t r e ze em italia e na i mage made ria do rasto do jag do vaso da ar

na fabrica, que é tambem nome de empresa de roupinhas italianas, as bolachinhas parecem torres de respiradouros, e molas de teste por trepidação para amortecedores de carros, só que noa havia carros, portanto presume-se que fala só da primeira parte da imagem, o tremor , it de topo lógica, ou de it, top circulo da lógica, ou seja do código dos bums,

na fabrica, q ue é ta am b em no me de e mp da presa de ro up das pinhas italianas, as das bolachinhas, dos cd, pa rece em torres de r es pira doiro se das molas de teste por t r e pida são, das camas, para dos am orte ce dor es de carros, s ó q ue noa homem da avia carros, porta anto pr es u me do traço da inglesa sec q ue f al as ó da prime ira p arte da i mg emo do circulo do tremor , it de topo lo gi ca, ou de it, top circulo d a lo gi ca, o u seja do c o di g o d os b um, prime do rio, o ur, do rui, ms serpente,

no irao no compelxo nuclear, se via de novo as bolachinas como um magneto e um tipo cartucho de obus, negro e parta, o nanometro, apresnetava vinte, ou seja maçonico, tripe,

no do ira do circulo do co mp el do xo nuclear, nuc da lea da ar, se da via d en ovo às das bolachinhas, ou seja dos micro chips e das aplicçaoes, com do circulo do primeiro mag do neto,, e p rim mr ro car cruz vaso homem da ode do ob do bus, negro e p art rata circulo nono, nano ano om do metro da ap pr es net ava do vinte, circulo do vaso do seja macon oni co cruz rip e


noite quase a pôr-se, dois foguetes, dois sons de corte de maquina reverbadora, duas pancadas no redor, um estranho fenómeno como se fosse uma amplificação previa, como som fanstama ou eco, antes da musica começar , kiss and other movements, , e luzes como se de um palco se tratasse, assim começa o meu ultimo video para ti

Mo it e q ua ase a por do traço da inglesa se , do is f o g u es, du as das pancas das p das ancas, um es t ra anho fe ni mn o com o se f os se uma am ml lica do caçao pr e via de primeiro fan sta, ma ant es da dam da mu sica com e car , kapa do iss na dot da her maior do ove do men ts, , e lu ze es com o sed e primeiro do pal co se t rata asse, as si m com eça circulo do om eu u l t imo v id é circulo do para das ti, a rati, rt, do parati, o ar rb bit ro,

Ora palco, e movimento, remete tambem não so para tremor de terra, como tambem metro, pois a musica que se ouve é de um compositor da gra bretanha, se acende a lu geral na onda, depois se apaga e finalmente os focos verticais, como luzes de segurança que se acendem depois das normais deixarem de funcionar, quando o sangue espirra

Circulo do r ra ap do pal co, e mo vi men to, reme teresa teta a t am b em n cão s o para t rem emo mor do tremor de terra, com o t am b em metro, p o isa um sic aqui do q eu da se circulo da uve é de primeiro co mp os tor da gra br e t anha, se da sea ac en de a lu z ger al na onda, d ep o is se ap da aga e fina le lem n teresa do os dos focos v eri roc do cais, com do circulo das luzes de segur ança q ue se ac en de made ria d ep o is das norma is de ix ar rem de fun cio n ar, q ua ando o san g ue es pi rata ra

Na realidade a ultima vez que discutira o assunto do paradigma protestante referenciado no video à laia de exemplo a propósito do tsunami, fora com a norma ton, quando com ela me cruzara em lisboa, primeiro no majong , depois no cimo do eifel, num belo final de tarde e depois acabamos eu e a teresa por lhe dar hospedagem em casa da av mistral durante uma ou duas noites, pois na aparência não tinha onde ficar

Na r e la id ad e a u l t ima ave z q ue di sc cu t ira o as sun to do para di gm a protestante refer en cia ado no v id é circulo one do prime rio cem, à l aia de e x e mp lo a por rp p os do tito do tsunami, for ac om a norma ton, q ua ando com e la me c ruza zara em lisboa, pr i miro no majo n g , d ep o is no c imo do eifel, num b elo fina l de t arde e d ep o is ac ab amo s eu e primeira teresa por l he d ar h os peda ge me m c asa da av mistral duran teresa uma o u du as das noites, p o is na ap az rec en eni ia n cão tinha onda do fi do car

Curiosamente o video acaba, e fica por baixo, o anterior, a referir um dos conceitos que ilustrara antes , que nunca nada verdadeiramente se apaga, se põem por cima, um sinal sobre um outro que já lá estava, a propósito da ilustração do abc, que assim por lógica de acordo com a natureza da operação declina em ab dc, a frase que vem de seguida, diz, universal, e código, vivendi e links, e código de rede e empresas de redes em fibra óptica, a ser ainda pela ultima vez mais detalhado este aspecto

Cu do ur do riso sam que mente do circulo do v id é o ac aba, e fi ca por ba ix o, o ante r iro, a refer i rum do serpentes dos conceitos, q ue i lu serpente da tara ant es , q ue n unc ana na da ave eve rda de ira que mente se a paga, se poe m por c ima, um sin la s ob reo de um outro q ue j á l á set, e ts ava, a por rp ps o ti da ilustração do abc, q ue as si m por lógica de ac or do c om a na tir rea da o pera sao dec lina em ab dc, a fr ase q ue eve made ria de se guida, di zorro da universal, e co di go, vi v en di e lin kapa serpente da se do código de rede e empresas, de red es em fi br a o pt tica, ase prime ria ser, a inda pe la u l t ima ave z mais d eta la hd o este as pe c t o

Ouvi eu pelo espirito depois o dizer, que o home iria renunciar, em forma discreta ao cargo, mas isto aplica-se a diversas possibilidades que emergiram da palavra e mais, relativas a diversos pontos do mundo, lá iremos em maior detalhe depois,

O u vi eu p elo es pi rito d ep o is o di ze r, q ue o home iria r en un cia ar, em forma di s creta a o cargo, mas is to ap li ca do traço da ingles se do mar di vera serpente pem p os sibil id ad es q ue e mer g iram da pal av ra e ema mais, r e la t iva sa di dos versos pon t os do mundo, lá ire rem ms em maio rato d eta alhe d ep o is,

Do irao em forma sequencial ao conteúdo da palavra, um senhor do governo masi precisavam que a política do seu pais, era muito clara, energia nuclear para fim de produção de energia , toda, para fim de armamento, nenhum, a seu lado na mesa, o retracto de komeni, me disse, que como afirmei em dia recente, esta historia e estes intervenientes, tem a ver tambem com o falecimento dele

Do ira circulo em forma da sec eu en cia al ao conte, vaso do da pal av ra, prime iro do s en hor do dao g ove do rato no ma si pre cisa ava vam q ue a poli tv ca do s eu pais, gb, e ra mui to da clara, enr g ia nuc la e rp do para fi maior ene rato da gita , toda, para fi mad ira de armamento, n en home do primeiro, ase eu lado na mesa, madrid, o r e t rato de komeni, me disse, quadrado da ue com circulo onze da primeira mr ria do fi rato da me e em dia rec en te, e sta hi serpente st top ria e est espanhol do inter vaso eni en cruz es, t ema ave rt am e segundo em circulo do om do circulo do f al le cie mn to del e

Ora, aqui está a demonstração e a prova!

O ra, a qui e stá a demo sn t raçao e a p por vaso da primeira da s eta circulo rava na ana terra

O barco que depois se afundara na noruega, era russo, e nel se lia, red no, ou red ni, ou ainda red do dn ni,


Mas o som do início do video, o da reverbadora, não se esgotara somente neste eco, pois um outro aparecera na noticias da ueronews pela madrugada, estava eu a ver o video meu, quando de repente ele entrou em loop, e a frase que ficou me disse, ve as noticias, e assim as vi, e tambem vi este outro fio, que cumulativamente reforça o que sempre vos tenho dito, que um grupo existe, e é constante em todas ou a maior parte das desgraças que o mundo em seu todo tem vivido à conta de pouco, muito poucos

Maso serpente do om do in ni co, in ib o, in ni cio, indico inácio, do v id é o do circulo da reverbadora, n cão se es gi ota do ra s om que mente nest e e co, p o is um outro ap ar e ce ra ana not i cia s d a eu r one ws pe l a madruga gado, e stav a eu a ave ero ro do v id é circulo me eu, q ua ando de r e pente el e en t ro ue em ml oo pe a fr ase q ue fi co u me di s se, vaso da onda do E, m al on, e às das noticias, e as simas vi, e ta m b em vi este do outro forte do io, q ue cu mula t iva vam n te reo rça o q ue se mp r e vaso os t en home do circulo do dito, do maso, q ue prime rio g rup o e xis te, e + é co ns t ante em todo, às circulo da ua m io rp da arte das desgraças q ue circulo do mundo em serpente do eu todo te maior v iv id o acento à conta de p o u co, mui top do circulo do vaso do cos


Se via uma outra fabrica, com uma grande broca industrial, e uma reverbadora em acção com as cores francesas, azul e vermelho, germany, do kai do car s tem serpente en duplo vaso es finge tomatten do onze do nove, ou seja da quedas das torres, fiat templário bravo da seta do vaso deitado do cabo da direita das tres ementes do nove do onze alemão, um porche com o capot marcado em reflexo a vermelho, der ne da eu dos carros de luxo, a ressoara no carro masarati do tridente que aqui em dia recente apareceu, o primeiro porche, me disse o espirito, o primeiro porche que aparece nesta historia, é um de elevada gama que se encontrava uma vez estacionado à má fila em frente ao chiado, deve ser de alguém conhecido, pois as vezes ali costuma estar e nenhum policia o chateia, e uma relaçao com ele via uma imagem que aparecera no centro comercial de benfica, como relaçao a múltiplos cios de sangue inclusive as matanças nas escolas americanas, recentemente de novo entradas a propósito do visto nos documentários do michael morr, e que relacionava esse porche negro com um cachimbo e a havaneza, notas no livro da vida dessa visao em pormenor, aqui constam

Se do via uma outra da fabrica, it, com da primeira gata rande da broca industrial, br roca da industria ria al e primeira da r eve rba dor a em ac são, como aqui por cima fizeram durante masi de um ano, martelos pneumáticos incluídos, com as das cores francesas, azul e vermelho, ger rm a ny, do ka id circulo do car serpente te maior da serpente en duplo vaso es finge tom at ten do onze do nove, o vaso do seja da quedas das torres, fiat te mp la do rio b tv do vao da serpente eta da ova do vaso deitado do cabo da di r e t ia das tres em en t es do n ove do on ze al ema mao, primeiro porche com do circulo do capo da cruz marcado em r efe le xo a ve r mel h o, der ne da eu dos car ros del, sin os do ux do circulo da primeira r ess o ara no do carro masa rati do t rin det e q ue primeira do qui em dia rec en te ap a rece vaso do circulo do primeiro porche, me di ss e o es pei e it to, o primeiro porche q ue ap ar rece ne sat hi s tor ia, é um de ele eva ad da primeira do gama q ue se en c on t rava uma ave zorro do ze est ac cio na ad o à má da fila em fr en te ao chi ad o, ode quadrado da eve ser de al gume c on he c id o, p o isas vaso e ze s al i cos sn t uma es t ra en ne homem primeiro poli ca io cha da teia, e uam da relaçao do com dele via primeira rai mage maior do q ue ap ar e ce ra no c en t roco com mer cia al de benfica, com circulo da relaçao primeira am mul t ip do primeiro mr io dos circulos cios de sangue inc lu s ive às das matanças nas e co la s am mer cia ana s, rec en te mn te de n ovo en t ra da asa por rp rosi to do vaso is to n os doc eu mn t á rios do mic h a el mor rec q ue r e la cio n ava ess e porche negro com do primeiro c ac h im bo e primeira do homem ava ane za, not as no p rim m rio do nono do roda da vida de s sa da visao em por m en o ra da rac do qui co n ts sam serpente da manha

Me apareceu relativo ao período acima, o bao, o ex tv cabo, tambem indiano, ou assim me aprece

Me a ap rece ur e la t ivo ao per rio do ac ima, circulo do bao, o e x tv cabo, tam b em in dia do ano, o u as s im me da ap do rece

Circulo do mega se d ice br avo pro roche vinte e c on co o k to ber, , ab ba da bt da teresa b ur ten almada, assim li em relaçao à noticia do julgamento na servia por crimes de guerra, onde as gentes estavam descontentes com a pena, que fora de tres anos, a relaçao com a de almada, aparecera quando uma da imagens que mostraram, de uma casa na apareceria cravejada de tiros com canos a mostra que corriam em cima das paredes junto ao tecto me evocou um oráculo que me aparecera num sonho, da tarde, imediatamente antes, pois às paginas tantas, numa cas em obras, alguém metia como que uma massa branca de vidraceiro dentro dos canos, eu olhava aquilo sem compreender o que se passava ou porque o faziam , mas ao ver a imagem dessa casa sonde segundo a noticia, uma avo e duas filhas teriam sido mortas, compreendi que a relaçao ali se estabelecia,

Circulo do mega se d ice br avo pro roche vinte e c on co o k to be rato do ab do ba da bt da teresa b ur ten almada, as si ml li em relaçao à not ti cia do ju l game am en to na servia por c rim es de guerra, onda às g ene ts e stav made ria es c on t en t es com primeira pena, q ue for ad e t r espanhol ano sa da relaçao com da primeira de al am ad a de almada,, ap par e ce ra q ua anda de uma da i mage ns q ue mos t rata aram, de uma do c asa na ap ar e c eni ac rav e jad ad e tir rp do ps com dos c ano sa mos t rac do q ue co rr iam em c ima das pa red es j un to ao tec tome e v o co u primeiro o rac do p rim mr do rio do circulo de dez q ue me ap ar e cera nu primeiro son h o, da t arde, i me da it am en te ant es, p o is às pa gina s cruz das antas, nu ma cas em ob ra s, al g eu maior do met ia com o q ue uma mas ss a br anca de vi dr ac e iro d en t ro do s canos, eu o l h ava au i lo se m cp mr en der do ero q ue se p ass ava o u por q ue o f az iam , masa ove do vera rai mage made ira de s sa c asa son de se gun do a no tic cia, primeira avo e du as ds das filhas te r iam s id o mortas, co mp ren di q ue primeira da relaçao al ise e stab e le cia,

Me aparecia no sonho uma indicação a uma rapariga de almada, e um dizer, sobre uma chave vermelha, que remetia tanto para uma das ultimas entradas aqui no Livro da Vida sobre as chaves e o acesso que muitos trazem a minha casa, e que fora fornecida indirectamente por um home que para a empresa que garante a manutenção do prédio, quando cá veio tambem na aparência fazer a manutenção dos telefones do prédio


Me da ap par e cia do no dos sonhos, com do controlo rem da cruz do rolo olo rem, uma indica caçao primeira de uma rapariga de almada, e primeiro da di do ze do rato, s ob reo da primeira chave vermelha, q ue reme t ia t ant o para uma das u l t ima s en t r ada saqui no L iv roda da vida s ob rea serpente das chaves e circulo do acesso, ac esso q ue mui t os t ra ze ema min homem da primeira da casa, e q ue for a for ne cida in di rec tamen da teresa que mente do por primeiro home do q ue do para da primeira em presa q ue gara ante a manu t en sao do pr e di do io, q ua ando c á veio t am b em mna ap ar e cna i f az e ra manu t en sao dos tele f one es do pr é di do circulo do io

Mas no sonho, quando esta imagem me aparecera, me remetera para uma outra ideia, a intuição que se referia ao processo do os do tremor de terra, este ultimo em italia, e estava relacionado ao acordar, este fio com uma das minhas ultimas reflexões, em que me questionava se determinados satélites, não estariam hoje preparados para do ceu criar estas desgraças, tipo desenvolvimento da chamada guerra das estrelas, como na decada de noventa se chamou ao desenvolvimento destes sistemas de guerra e dos chamados escudos anti mísseis

Ma sn do no do son home do circulo, qua anda e sta i mage madeira me ap ar e cera, me reme teresa ra do para de uma outra, id e ia, a in t u i sao q ue se refer ia ao pro circulo do esso do serpente do circulo do tremor de terra, este u l t imo em italia, e e stva r e la cio n ado ao ac o rato q au dr a o quadrado da ar, este f io com de uma das min do home às u l t ima s refe l x o es, em q ue me q eu s tin em ava se det e r mina s o ds sate lit es, n cão e star iam home do oje pr ep para do serpente do para doc eu c ria ar es t ra sd es sg ratas aças, t ip o de s en vo l vie mn to da c ham made ria da guerra das estrelas, com on primeira decada de noventa sec ham o u ao de s en vo l vie mn to de st es sis t ema s de g eu e ra e do sc ham ado s es cu do s ani t miss e is

Chave vermelha remete ainda para a chave da grande matança em beslan, bem como massa de vidraceiro remetia para a massa que encontrara aqui escondida, por detrás dos sacos de plástico, e agora tambem como possível processo nos canos, para criar os barulhos, que depois parecem a pedra a rolar, só que tudo isto somado mostra tambem a implicação deste mesmo grupo na guerra dos Balcãs

Circulo do homem ave vermelha reme teresa primeira inda, para da p rie mira da chave da g rande matança em bes lan, b em com circulo da massa, it, de vi dr ac e iro reme t ia para da primeira do massa q ue en c on t r ar primeira do qui es conde dida, por det ra serpente dos sacos de plástico, o roseta, e agora t am b em com o p os s iv el por rc do circulo do esso do no es serpente dos canos, para c ria aro serpente da águia do bar do vaso do prime do rui rio, home do os, quadrado da ue do q au dr ado da ep do circulo do is par e circulo da ema da primeira pedra a ro l ar, serpenet do acento no circulo do ó do quadrado da ue tudo is to serpente do om ado mos cruz ra t am e segunda ema mai mp lic sao quadrado au este me sm do mo do g rup em primeira guerra dos bal circulo do às

Na casa por cima à minha , onde vivera a fatima preto e o tal rapazinho do norte que aparecia com grandes bombas, e onde se passaram todos os eventos aqui descritos neste Livro da Vida, já algum tempo que nunca masi o vi, mas vem de vez em quanto alguns, que por ali ficam, mas são discretos em seu estar, e quase nunca comigo se cruzam, por outro lado, Almada, remete tambem para um audi, que por aqui para nos fins de semana de uma rapariga loira, e me pergunto se é esta então mais uma das espias, pois o espirito assim mo disse, de uma ligação dela com outros

Na casa por rc ima à min home da primeira , onda v iv da vera da primeira da fatima preto e circulo do tal rapazinho do norte, q ue ap ar e cia com g rand es bombas, e onda se p ass sara am td os o serpentes dos eventos qui d es circulo do tito serpente do neste L iv roda da vid a, j á la gum te mp o q ue n unc a ma sio do circulo do vi, mas vaso em de eve do zorro em qua ant o al gun ns, q ue por al i fi icam, mas são di s c r e to ze em s eu es star, e q au use n unc a co mig o se c ruza am, por o u t rol ado, al am made ria da, reme da teresa tambem, do para do primeiro audi, q ue por primeira do qui do ip do para no serpente dos fins de semana de uma ra p riga loi ira, e me per gun to ze é e sta en tao maís uma das es pi as, p o is o es pi rito as si m mo di ss ee, de uma liga da sao del ac om de outros, segundo ox da serpente serra do alfa, ne she almada, a imagem do sonho

Águia aqui deve estar relacionado com o rui costa e a cristina muller, sendo que o rui costa tambem andou jogando na italia, portanto por lá deve tambem trazer relações, a muller, é da relaçao dos gémeos, de quem eu pelo espirito ouvira depois do tremor que a cama deles estava quebrada, rui costa apanhei-o na radio ou numa capa recente de jornal a dizer, que fazia todo para ajudar o benfica, e que andavam a gozar, como benfica, sendo que o sentido deverá ser outro visto que não sei de ninguém que goze com o clube, portanto me pareceu estar referindo-se a outras assuntos, estes, por outro lado ouvi ainda depois do tremor no espirito que desta vez quem tem a chave e faz pelos vistos a administração das entradas, desta vez a tinham passado a outro grupo, nesta linha que venho todos a dizer, de que assim pagam entre si as chamadas dividas,

A gui aa primeira do qui id da eve es star r e la cio n ado com do circulo do rui costa e da cristina muller, s en doque do circulo do rui costa tambem, anda do vaso do jo gan da anda na italia, porta ant o por l á quadrado da eve tambem t ra ze rato das relações, a um ll e ra e é da relaçao do sg do ge do meo serpente, pt, de q eu em eu da p elo espanhol pi rito circulo duplo vaso do ira d ep circulo do is do t remo mor do tremor, quadrado da ue primeira cama del, sin os do espanhol da es cruz ava da quebrada, rui costa ap em hi dot da cruz do aro do circulo do ingles na ra di oo un primeira capa rec en te do jornal a di ze rato do , q ue f az ia todo para a ju ad ra do circulo de benfica, e q ue anda ava vam a g oz ar, com circulo de benfica, s en do que do circulo da s en t id o d eve rá serpente do ero do outro vi s to q ue n cão se id e nin g eu made iraque g oz ze com do circulo do doc do lube, anal, porta ant om me ap rec eu es tar r efe r indo do traço ingles da sea da primeira de outras as sun to s, est es, por o u t ro l ado o u do via da primeira inda d ep o is do tremor no es pee i to que de sta ave zorro do que em te ema c homem ava e f az p elo s vi st os a ad mini t raçao das entradas, de sta ave za tinha do ham pa s sado da primeira de outro g rupo, nest a l in home da primeira aqui do q ue v en h o a todos a di ze r, de que as si m pa a gm en t re si as c ham mad as di vaso id do às,

depois no sonho estava eu num tipo de supermercado, grande superfie com prateleiras no meio com roupas, em cima dela , aparecia de repente a madonna deitada como uma gatinha, e desparecia de seguida, e eu via que ela me tinah deixado um copo que é hexagonal, ou seja oto, negro com um filete vermelho, trago eu aqui um em casa, assim o fui ver e nele se le, asa francesa, circulo do sete, trinta e dois, ou terceiro do segundo,porvavelmente com relaçao ao laurent do pasquier

d ep o is no do sonho, es stav priemira do europeu ni primrio da cruz ip circulo do pode do poe do super mer cado, garo rande super fi cie com das pr ra tele ira serpentes do no me do input output, com das roupas, em c ima del primeira, ap par rec cia ia de r rp pr do pen home da teresa primeira mad donna deitada, com circulo da primeira gatinha, e de es spa apr da rec dia de se da guida e europeu da via q ue dela me tina home de iz ad circulo primrio cop circulo q ue he x a g on al , circulo do vaso do seja oto negro do com do primrio do filete vermelho, cruz rago circulo europeu da primeria do ki aqui em casa, ass si imo circulo do forte do vaso iv e rato en nel e se le a led da asa francesa circulo so ss st set t rin t primeira e do is co circulo do terceiro do se da gun do por vaos ave el que mente do com da relaçao, primeira do circulo l au rent do pasquier


Ou seja aqui no prédio e nos vizinhos, temos, os do rés do chao, que habitam de vez em quando a casa do outro casal dos bandidos das obras de um ano ou mais, depois temos as índias do merceeiro do cavaco, o rapaz das modas, o rapaz das tintas que pernoita nas vezes, assim parece com a tal rapariga de almada, os variados que vao passando pela cave, com ligação tambem ao maizum e via delfina ao alexandrino do psd, e dos teatros, o espanhol que foi pago na rtp pp concurso publico do malato, os vizinhos do ps do zodíaco, e dos a advogados ibéricos, a garagem ao lado, com as donas elvira do clube do rio tambem, na porta abaixo, a espia do lixo para a ap, e por ai fora, quase diria porta sim, porta sim,

Circulo da ova do vaso do seja aqui do no do prédio e no serpente dos vizinhos, t emo s, os do r espanhola do chao, q ue h ab bit am de eve zorro em qua anda primeira casa do outro ca sal dos ban di s os das ob ra s de primeiro ero ano o um da primeira do is, d ep o is t emo sas sin dias do mer cie rato do rio do cavaco, e do dias, a gata do ro da ase ac es c en tao ra ap zorro das modas, o ra p az das tintas q ue per no it ana serpente do vaso e ze es, as si m pa rece com da primeira da t al ra p riga de almada, os v aria rai ad os q eu do vao, do mario soares, p as sand o pe la circulo da ave da cave, com da liga da sao tambem a o maizum e via del fina ao alex ra n dino do psd, e dos teatros, o es pan hol q ue f oi pago na rt circulo da p do pr do concurso pub do primeiro cio do malato, os vi z in home do serpente do circulo do ps do zodíaco, o da gara ge ema mao lado, com do às di ina serpentes das elvira do clube do rio tambem, na porta ab ai x o, pr ie mr ia es pi ado lixo do para da primeira da ap, e por rai for a, qa use di ria do porta si em, porta si maior,

Hoje o cio passava tambem pelo ccb, era reflectido na antena dois, pois os meninos que faziam a cobertura davam conta em suas induções de saberem de determinada disposição de objectos que masi um aves alguém que aqui entrara os dispusera, esse menino de voz doce, é usado como cobra de controlo rem on line, na antena, portanto puta que o pariu , quando o ouvir, desligarei de seguida, e assim tambem se prova masi uma vez o envolvimento do circulo do mega ferreira nestes constantes cios, dizia-me o espirito pela noite que banda larga estava aberta, e de facto ventava em estranhas induções magnéticas, masi um anzol, que já começara ontem com a menina rita gallo, outra vez no canal dois, com uma indicação na rua da farmácia em alcantara, puta que vos pariu a todos, presos, acusados, ou mortos

Home do oje do circulo do cio p ass ser pn teresa ava tambem p elo do ccb, e ra r e for mula do grupo one e c t id don da p rie mira da antena dois, p o is os dos meninos q ue f az iam primeira do ac da cobertura da ava vam conta em s ua s indu ç o es de sabe r e rm de det r emi mina da di s posi sic cao de ob ject os q ue ema si um ave serpente al gume q ue au i en t r ar a os di s p use ra, ess e me nino de eva do vaso do oz doc e, é usa ad o com o cobra de c on t rolo rem on l ine, na ante en a, porta anto puta q ue do circulo de pari rio do vaso , q ua ando o o u vi rato, d es liga do rei da se da guida, e as si maior tambem da se do pro da ova ma si uma ave zo en vo l vie mn to doc irc culo do mega fer rie ra nest es co ns t ant es c io s, di z ia do traço do ingles do meo do es pi rito pela no it e q ue banda l arga e stav a ab berta rta , e de f ac to v en t ava em es t ra anha s indu ç o es ma gn e tica s, ma si um e zorro do io l, q ue j + ac om e ç ar on te mc om a me nina rit t a gallo, o u t ra ave z no can nl do is, com um a indica caçao na rua da fan da rica em alcantara, put do ts q ue vaso do os do pari , vaso da primeira de todos, presos, ac u isa sado s, o umo do circulo do rt os

Outra puta que aparecera na radio, tambem logo a seguir a ter publicado o video onde falava de imagem e dos vinte e cinco frames, a apanhei, exactamente a dizer, dos seus tempos de menina na rtp, quando montavam o telejornal em película em frames, assim esta linha apanhei no final da tarde, numa entrevista a puta da am ria da maria elisa , que aparecia em dia recente vestida como se fosse a ultima vestal, masi uma peça preparatória do cio do tremor, no espirito alguém por ela ou para ela dizia, passa-me rápido o frame de uma outra imagem relacionada com as sementes que refere a uma imagem da senhora hillary clinton, que apareceu na américa com um fio ainda sobre esta historia

Circulo do vaso da cruz do ra da puta q ue ap par e cera na radio, tambem primeiro ogo a se gui ira art do rat r ep pub li cado do video, vaso id é circulo da onda fala ava de i mage me d os vinte e c inc o fr am es, a ap na he i, e x ac tam n teresa primeira a di ze rato, do ss e us te mp os de me nina na rata do tp, qua anda mon t ava vam do circulo do telejornal em pe li cu la em fr am es, ass im e sta da linha a p ane do hi no da fina al dat c ur zorro da arde, nu am en t rr e vaso ista da primeira p ua t primeira da elisa , q ue ap a rec cia em dia rec en te v es tid ac omo se f os sea da primeira u l t ima vaso es cruz al, ma si uma peça pr e par rato ira do cio do tremor, no es pei to al g eu mp por dela o u para el a di zorro do zoror ia, pc, p ass a do traço da inglesa me do ra pido do fr am mede, uma outra rai mage mr e la cio n ad com do às das sementes q ue refe rea uma i mage madeira da s en hor primeira da energia, rai id circulo da ll ary do clinton, q ue ap par rc c eu na am erica com do primeiro ero do fi do io da primeira inda s ob re e sta hi s tor i primeira do ia

Depois aparecia tambem o drago mor do porto, ex namorado da dita senhora, a falar de dragões e coisas quejando com suas hostes de fieis futebolistas talhados em granito, ou seja tambem aqui uma guerra entre clubes,

D ep o is ap par e cia tambem o drago mor do porto, e x na mora ado da dita s en hora, a f al ar de drago espanhol e co isa serpente quadrado do eu p rin ciep das andas com serpente da ua da serpente do homem do os teresa, serpente de fi e is fute bo l ista st cruz alha ado s em g ar ni to, o vaso do seja tambem aqui da primeira guerra en t rec primeiro do ub espanhol,


Como isto passou tambem pela corte do norte, como descrito nos capítulos anteriores, me dirijo agora a senhora Augustina, como rainha da corte do norte e detentora de muitos dos segredos de tres gerações, pois é obvio aqui um conjunto de ligações, as quais como matriarca da alcateia , pedia o favor de intervir e esclarecer, recorda-se um dia de uma joaninha ter ao pe de mim caido, uma magnética, e depois a senhora teve um enfarte ou algo assim

Com o is to p as o u tambem pe la corte do don do norte, com o d es circulo do rito no serpente c apit u primeiro do os ante do rui rio dos ratos espanhóis, me di rig circulo do agora da primeira s en hora augusto ina, com do circulo da rai rainha da corte do norte e det en tora de mui t os dos se g red os de t rato espanhol ger aç das rações, p o is é ob do bic vv vaso do circulo aqui de primeiro c on j un to deli liga ç o es, as do quais, fr, com o mar tia da arca da al cat e ia , pe di a o f avo rato de int r e vaso da ire es clare ser, rec o rda do traço da inglesa se primeiro dia de uma jo aninha teresa ra do circulo do pede da mim ca id o, uma ma gn ne etic tica, e d ep o isa primeira da s en hor primeira da teve do primeiro en forte da arte o ual goa ass si maior

Como sabe, aí no norte, ao que parece é terra de muitos músicos, a questão está em saber que tipo de musica e quanto em sangue trazem no mundo, pois esta conta como sabe vem desde o tsunami, se não vira antes mesmo das torres gémeas como cada vez masi me aprece, ou seja temos em contas redondas, tres mil na américa, mais os das escolas, masi um furacão, ou mesmo dois, se contarmos o andrew tambem, depois temos duzentos mil no sudoeste asiático, duzentos em madrid e cem em londres e ainda uma outra conta que um dia me apareceu em aveiras, onde essa besta cúmplice destes actos que dá pelo nome de rui rio, lá estava a me controlar, bem como outro casal espanhol, que jogará no mesmo clube dele, depois temos a ligação aos ingleses do doiro, os fios dos pedofilos, e o vosso ignominioso silencio, não so face a estes crimes que provam o envolvimento de algumas desta personagens,, como tambem, em relaçao ao rapto de meu filho, e tambem todas as perseguições que aí no norte me fizeram desde pequenino, com uma tentativa de linchamento, portanto como ve os segredos vem mesmo de trás

Com o serpente do abe, a ino norte, ao q ue pa rece é terra de mui t os um sico sa q u es t o a e stá em s ab e rato do q ue t ip pode mu sic a e q ua anto em san g ue t ra ze mno do no dom mundo, p o is e sta conta com o s ab eve em de sd e o ts un ami, se n cão vaso ira ant es me sm circulo do mo kapa das torres gémeas com o c ad ave zorro ma si me ap rece, o vaso do seja teresa emo serpente em contas red o dn a s, t rato es mi primeiro na américa, maís os das e co la s, ma si primeiro f ur raçao, o um es mo do is, se conta rato do moso andre w t am b em, de posi t emo serpente du z en t os mi primeiro no sudoeste as iat ti co, du z en t o s em mad rid e c em e ml on dr espanhol e primeira inda de uma outra conta do q ue primeiro dia me a ap red dc eu em ave ira s, onda ess a bes t a cu mp l ice de st teresa dos ws actos, q ue d á p elo no em de rui rio, l á es sat tva a me c on t rola ar, b em com o de outro casal es pan da hola, q ue jo gara no me sm o c lube del e, sin os do d ep o is t emo mosa liga da sao aos ingleses do doiro, os fi s o d os ped di filo se ovo ss o i gm oni osso do silencio, n cão s o do face a est es c rim es q ue pro da ova o s eu en vo l vie mn to, com o t am b em, em relaçao ao ra pt o de me u fil h oe e eta tam b em todas as per si gui ç o es do quadrado da ue da primeira do ino do don orte me fi ze ram de sd e pe quadrado do eu nino, com da primeira t en t a iva deli n circulo do home do ham da manha en cruz do circulo, post ant circulo do com ove os se g red do circulo dv em me sm ode t ra serpente

E depois temos ainda , como sabe a conta fresquinha de italia, masi quatrocentos, portanto espero que como eu e todos os seres do amor e da justiça, esteja do lado dela e da luz e que faça o favor de esclarecer no mundo estes pequenos pormenores

E d ep o is t emo sa inda , com o s abe primeira do ac da conta fr es quin home do às de italia, ma sic qua t roc en t os, porta ant o es p ero q ue com o eu e todos os ser es do am mor e da ju st tica, es te jad do circulo lado dela e da al uz e quadrado da ue f aça o f avo rato do soares, de es clare ser do no mundo est es pe quadrado da un do os por ato maio do en do circulo do rato espanhol

Sabe , como eu que esse baterista agora promovido a capo da câmara do porto, nem é homem para me responder directamente ao que aqui já lhe interpelei sobre estas matérias, nomeadamente sobre a sua presença em aveiras, e saberá tambem que a puta que me trás o filho roubado, viveu uns anos no porto, pois o comandante seu pai, foi chefe aí da zona marítima do porto, e a menina terezinha, namorou com um rapaz ali da zona do queijo e da foz, que veja lá tinha ao que parece tres jaguares, e se recordará que o rasto do jaguar aponta numericamente para í tambem, ou seja temos que acrescentar uma serie de crimes no brasil, queda de aviões diversos, e em ultimo , um tecto de uma igreja e tudo, e portanto os senhores ao protegerem a teresa e o rapto, estão sendo cúmplices deste crimes que muitos aí terão neles participado

Serpente do abe ao e, abe , com o eu q ue ess e bate i rato sta do agora pro romi vaso circulo do quadrado da primeira capo da cam ra do porto, ne mé do home do para da me r es ponde r di rec tam n te ao q ue primeira do qui j á primeiro do he inter rp pe da lei s ob r ee sta s ma té rias, no me ad ae mn te s ob rea serpente da ua da presença em ave ira se o saberá tambem, q ue da primeira puta q ue me t ra s o fil h o ro ub ad ov. italia eve vaso do un s ano serpente sn do no da p oto, do circulo da pt do oto do potro do pote do poe top o is o comandante do dn da p da rie me ira da teresa serpente do europeu do pai, f oi che efe aí da zon primeira mar i t ima do porto, e a me nina te r es sin home da ana moru, moreia, com do primeiro rapaz al id primeira da zon ad do circulo do quico do queijo e da f oz, q eu do veja , br l á tinha ao q ue pa rece t rato es a j g ua ares, e se record primeira rá , leonor, q ue o rasto do jag ua ra ap da ponta, numérica, empresa do pc, ou ex pc, mente para ítam b em, o vaso do seja t emo s q ue ac r es c en tar uma se rie de c rim es no do brasil, da queda de avio es di iv ero rose se em u l t imo , primeiro tec to de primeira igreja e tudo, e porta ant o os s en u o rato es a ó a o pr e te g rem primeira da teresa e do circulo do ra pt o, es to as en do cu mp l ice es de ste c rim espanhol do q ue mui ts o aí te ram nel espanhol par da art ti cip ad circulo


Depois existe como sabe um outro baterista, que o senhor rui rio certamente por oficio correlativo conhecerá, e que é quase como meu sozia, e que o espirito ainda agora me confirmou, ser o tal usado numa gravação que não conheço, pois como é obvio nunca ma mostraram, o terao feito a muitos outros certamente com vista a me incriminar, e depois de ela ter de novo referido em texto recente, me disse o espirito estar relacionada com a maior cruz que esses bandidos do norte me fizeram, relativa aos assuntos que referia na photo com a capa da bela iman, portanto agradecia o esclarecimento cabal sobre este assunto, que creio que em parte se prenden tambem com o furacão andrew

D ep o is e xis te com o s abe um outro do baterista, q ue do circulo do senhor rui rio ce rta que mente por o fi c oo co rr e la t ivo c one home da ce do rá, e q ue é qua ase com o me u so iza do souza, e q ue o es pi rito primeira inda g a o ra me c on fi r mo use ser circulo do ero t al usa ado nu ma g rav aç sao q ue n cão c on he ç o, p o is com o ap do pt soto primeiro do circulo de dezembro dao serpente + e ob vaso do io n un cama mos t r aram, o te ra o feit o am mui t os o u t r serpente sa ce rta tam que mente com vaso do ista a me inc rimi ina ar, e d ep o is de el a te r de n ov refe en cia ada em texto rec en te, me di ss e o es pei to ser e la cio na ada com da primeira maior cruz q ue ess espanhóis bandidos do norte me fi x e ram, r e la tic cv a as o as sun to s q ue refer iana ph oto com da primeira capa da bela iman, post ant o a g ra dec cia ia do circulo do es c l rec cie mn to ca bal s ob re e sta as sun to, q ue c rei o q ue em p arte se pr e d en d tam b em com do circulo do furacão andrew

e ainda aparecia tambem o rui sá a metra alguem no bolso, que deve ter entao a ver com o tal que se demitirá, ou ira para tribunal, e me pergunto se o sá nao trará por sua vez relaçao com a numerica, tambem, que era curisoamente sediada numa transversal a av de madrid, ou de paris, ali pelas bandas do bairro da avenida de roma

e primeira inda ap par rec cia ia tambem , circulo do rui sá , primeira do met rá al gato ue em no do bo primeiro mro ro do serpente do circulo, q eu d eve teresa rato en tao ave rc do om do circulo da ita al cruz q eu se demi emi cruz ra circulo do vaso da ira do para do tribunal e me do per da gun do to se do circulo do sá cruz rato ar acento primeiro por serpente ua ave zorro da relaçao, com da primeira da numerica, tambem, q eu e ra cu riso am que mente sed dia ad ano ma cruz ra ns ver s al primeria da av de mad rid, circulo do vaso de paris, o personagem, al ip do pe l as das bandas , musica, do ba irro da ave nid primeria da roma



Agradecia os vossos esclarecimentos, ou melhor, a luz do que a faca nas linhas desvelou, a vossa confissão, antes de formalizar queixa no tribunal criminal europeu contra todos os aqui nomeados, e sem limitar em parte a resto desta conversa que ainda não acabou, em função dos ecos que tive relativos às minhas ultimas Palavras

Primeira gata do ra dec cia do ia os vaso dos ossos es clare rec cimentos ant espanholas de for mali iza ar q ue ix ano do tribunal criminal europeu, contras todos os saqui no me ado se serpentes em li mit ra em p arte ar es to de st c on versa q ue primeira inda n cão ac ab o ue em fun sao dos e cos q ue t iv e r e la t ivo sas min do home às dp u l t imas Pal av ra serpente

Continua, indo a diversos locais do mundo, sabe senhor mandela, me fizeram aparecer aqui em frente ao sal das brasas, sendo que o senhor rui rio deverá bem conhecer quem é que tem o masarati, visto ser apreciar de carrinhos e terem mesmo feito um que no dia de começar a funcionar, não funcionou, uma carrinha com matricula espanhola que assim rezava, juma, o el dezoito, do sal nas brasas, os filhos da puta malandros, assim me parece, pois vi a vossa resposta que dizia, o to do sun, às mil novecentos e noventa e quatro, ou seja da capital da cultura, outra vez, a mim tambem me parece


Conti nu a, indo a di versos l oca si do mundo, s abe senhor man dela, me fi ze ram ap par recer a qui em fr en te ao s al das br asas, s en do q ue circulo do s en hor rui rio d eve rá b em c on he ser quem é q ue t emo do mo do masa rati, vi serpente to ser ap rec cia ar dec carrinhos e teresa rem me ms o feito, primeiro q ue no dia de com e l ç ar a fun cio n ar, n cão fun cio no do vaso da primeira car da rinha do com do mat ricula espanhola q ue as si em r e java, juma, o el dez o it o, ip dp ps si mus do s al nas br asas, os fil h os da puta m al lan dr os, as si m me pa r c e, p o is vi a v os sa r es posta q ue d iza sun to as mi l no ove en dos centos e em , en n ove da venta e q ua t ro, audi, o vaso do seja da capital da cu do primeiro ur da primeira da outra vez, primeira mim tambem me do par da rece

Continua...