quarta-feira, maio 27, 2009




video trinta e nove, ou seja terceiro Imagem do vídeo trinta e nove, pequena sinopse,

Uma vaso mage made ria do v id e o trinta e en don do ove, pe q u en a sin o pse,

São visíveis, um ramo com um pequeno delta a direita, e um outro maior que sobre para a esquerda, dentro de uma vaso rosa carmim, escuro como uma roda de pneu de formula one, curiosamente uma sombra, de uma linha , de uma vareta, liga esse ramo a posição da menina que na imagem dança, como que entrando pela lua adentro, por baixo a pistola figurada, cif, é a chave da id

São v isi vaso nono e is um ram no com do primeiro do pequeno delta a di reo t a, e um io de outro maior, q ue s ob re para a esu e rda, cu rio sm anete net primeira s om br a, de primeira linha , de uma ava vaso da ar eta, liga ess e ramo a posi sic sao da menina q ue na i mage made ria da dança, com o q ue en t ra ando pe la l ua ad en t ro da rop por ba ix o primeira pistola figo ra ad a, cif, é primeira do ac homem ave da id

um outro delta se desvela neste video, tambem atraves da minha vareta que é equivalente em termos de imagem com a sonbra que marca uma vareta que desce do delta do ramo maior sobre a menina em sua dança, exactamente quando falo da enron, e dos seus negocio no medio e extremo oriente, a minha mao com a vareta desenha em relaçao às linhas do vaso e da bailarina um vaso maior cujo vertice se dá na altura de meus joelhos que estao cruzados, ou seja diz a imagem, a cruz do joe primeiro homem do os, c urz , estepes, zorro ad do os

um outro do delta da se da sed vela nest vaso id é circulo tam b em at rav espanhola da min dohomem da primeira da vareta, vaso ar eta, q ue é ki iva do lente em teresa mo sd e mage madeira com a primeira son br ra, q ue marca da primeira vaos ar eta q ue de sc do delta, do ramo maior, s ob rea primeira menina em seprnte ua dança, e x ax, c it ro en, r ae em n te qua anda do falo da enron, e do ss us negocios ciso, no de di e circuklo do oe do e x t remo do oriente, expo, primeira min homem da primeira ham da am com da primeira vaso ar eta de s en h a da senha e, relaçao, tribunal, às das linhas da ova do vaso e da bailarina, do primeiro vaso maior cu do jo do ove rice seda ana an al tura de me us do joe primrio homem os q ue est circulo da primeira c urz ad os , ciruclo do vaso seja di iza mage madeira primeira cruz do joe p rim mr do io do os, c ur c y k lo ur zorro este te p es do sorro da ad do os

cruzados,

por detras do vaso vermelho que parece um pneu de formula one, um superficie branca, como uma vekla latina ouy arabe, junto com a forma do vaso, como se fosse um chapeu, é um chapeu de cardeal vermelho italiano

por det ra serpente da ova do vaso vermelho, ue par rece primeiro pen en eu do for mula la ane ne , primeiro super fi da cie br ana aca br anca, com circulo primeira ave kapa la latina circulo do vaso do delta arabe, j un cruz circulo com da primeira forma, da ova do vaso , com circulo da se fosse , primeiro chapeu, é primeiro cha cruz ap eu car circulo ar del , dea al, sin os la vermelho italiano

uma foto que tirei à muitos anos no alentejo, que se encontra em alto constraste, preto e branco onde se ve num espelho de trasnito concaco convexo, uma senhora que passa com um lenço que esta pintado em vermelho e negro, no meio de uma rua de pedras da calçada, em forma de vela e de faca com predios de ambos os lados, uma foto que me recordo de a cristina coutinho ter com ela feito um qualquer cio, como pretendendo que um refelexo de luz, desvelasse um fantasma, ou algo assim

uma da ph oto q ue tir rei acento primeira mu it t os ano serpente do no do alentejo, q ue se en c on cruz ra em al to do constraste, naçonico, onda se eve nu primeiro espelho, dt cruz ra sn ni ito to c con caco c co on vaso e xo , primeira s en hora q ue p ass primeira do com do primeiro l en co , q ue est primeira pin t ad circullo onze em vernelho e negro, no me do io de primeira rua de pedras da calçada, em forma de eve vele e de faca do com dos predios, pr e di os de am b os os lados, uma da f oto q ue me record do circulo dea c ru s t ina da coutinho, teresa com el la feito, primerio q ual q ue rato do rc do cio , com circulo do pr e ten den doque rato efe el lex xo da luz, primeiro uz, d es vela la ass e primeiro fan t da asma , circulo do vaso al goa ass si


Em baixo da menina outra menina, que sai das aguas tropicais com uma ilha de palmeiras ao lado, imagem que remete para o sudoeste asiático e igualmente para apocalipse, ou seja o apocalipse do sudoeste asiático, a revista será abordada ainda no contexto

Em ba six o da menina de outra em nina, q ue sa id às das aguas t rop pi c is com de uma ilha de palmeiras, br, ao l ado, i mage made ria q ue reme teresa do para do circulo do onze do sudoeste as iat tico e i g ual le lem n teresa para apocalipse, o use seja do circulo do apocalipse do s u dor este as iat i co, primeira revista se rá ab o r dada a inda no c on te x ti

Quem são os senhores, centenas, alguns milhares com os burocratas incluídas, como ousam passar por cima dos parlamentos, como ousam passar por cima dos cidadãos, não os consultar sobre questões capitais, ainda não viram o resultado disto, aqui caiu na imagem os óculos, no eixo , na vertical figuradas nas meninas, tanto na zoom como na bailarina

Q eu em são os s en hor es das centenas, al gun ns serpente do milhar es com os b ur o c rata s in c l k u id as, com o o usa sam am p ass ar por tc ima dos p ar lam en t os, com o o usa sam am p as sar por c ima dos cida dao sn cão os c on sul t ra s ob rec eu s to es capitais, primeira inda n cão vaso iram do circulo do r es sul t ad o di s to, a qui ca i un a i mage mos o cu l o s, no e ix on primeira ave verte ti c al figu r ad as na s meninas, t anta na z om mc omo na bailarina

Bailarina remete para a menina que sai das aguas em semelhante cenário num anuncio da tmn, trazendo o ovo negro das aguas, aqui abordado em detalhe no Livro da Vida

Ba ila rina reme teresa para da primeira menina q ue sa id as aguas em s emel homem ante cena rio nu primeiro anu un cio da tmn, t ra z en do ovo negro das aguas, aqui da ue i ab o r dado em d eta alhe no L iv roda Vida

E e palavra continua dizendo , e agora vem com blas blas de não sei o quê apelar a participação dos cidadãos, que portugal não sei quê, que se houver ma votação ou votação baixa perde a sua credibilidade face à europa, fundos comunitários, o local do senhor, noventa e cinco per rc en til, ti primeiro, estrela do per centil, a da estrela, do per re cente til da it, cara , revista, ligação,


E e p al av ra conti nu a di z en do , e agora ave em mc om b la s b l as de n cão se do io q u ê ap el ar a p art tic cp aç sao dos cida dao s, q ue portu gal n cão se i q u batman e, q ue se h o uve r ma v ota sao o u v ota sao da baixa per de as ua c red e bil id ad e da face à europa, fun do s com unita, italia, rio serpente do circulo do primeiro ocal do serpente da en hor, no vaso ova en ta e circulo da inc do circulo do per rc en til, ti prime iro da estrela do per centil, a da estrela, do per re cente til da it, cara , revista, liga ac da sao, nono, ou triade do nono, e do en ove

La ap do pus, us, Lap ap s us, l ingles gui, tico do is st tc co do circulo, ou seja do supremo tribunal e do tribunal constitucional

lapsus linguistico, ou os senhores bandidos que dizem que a lei defende os direitos dos cidadãos, mas na realidade se põem acima dela, por outras leis, mais reservadas a clubes de fascistas bandidos que assim sonegam na pratica os direitos dos cidadãos à Europa


L ap do pus is l in g ui s tc o, o u os s en hor es bandidos quadrado da ue da di do ze, deverá ser então o terrorista barroso, maior do q ue da primeira da lei d efe en de os dos direitos dos cida dao s, mas na r e la id ad e se poe em ac ima del la, por o u t ra s le is, maís r e serva ad as a c l ub es de fascistas bandidos q ue ass sm sin ine g am na pr t aica os dos direitos dos cida dao sa do acento Eu rp pp primeira

vaso id é circul da cruz rei cruz primeira en ove circulo do vaso use seja do terceiro nono , circulo do vaso da t riade, do nono e dó do ingles ovo, italia vaso maçonico E


La ap do pus, us, Lap ap s us, l ingles gui, tico do is st tc co do circulo, ou seja do supremo tribunal e do tribunal constitucional

lapsus linguistico, ou os senhores bandidos que dizem que a lei defende os direitos dos cidadãos, mas na realidade se põem acima dela, por outras leis, mais reservadas a clubes de fascistas bandidos que assim sonegam na pratica os direitos dos cidadãos à Europa



L ap do pus is l in g ui s tc o, o u os s en hor es bandidos quadrado da ue da di do ze, deverá ser então o terrorista barroso, maior do q ue da primeira da lei d efe en de os dos direitos dos cida dao s, mas na r e la id ad e se poe em ac ima del la, por o u t ra s le is, maís r e serva ad as a c l ub es de fascistas bandidos q ue ass sm sin ine g am na pr t aica os dos direitos dos cida dao sa do acento Eu rp pp primeira



exigo esses senhores demitidos, sem prejuizo de acusaçao no tribunal penal, por estes vis actos que cobrem e ordenam em diversas intancias nacionais e internacionais o acto de roubo, e tortura de uma criança, meu filho


e x gi co esses do ess espanhol, s en hor espanhola d emi tid id os s em pre juizo, de ac isa sao, acusaçao americana, no do tribunal penal, por de este ts serpente vi is dos actos q ue cobre ob br rem e circulo rato do ro dena am em di ver sa sin tan cia serpentes na ac cio em ai ise inter no cio do circulo do acto de to ub circulo do roubo de meu filho e tor ru cruz do ra de uma criança, me vaso da fil do homem do circulo


exigo uma clara posiçao e resposta do conselho da europa e do parlamento europeu sobre esta inadimissivel situaçao de completa negaçao dos direitos basicos de um cidadao e de seu filho nesta merda a que chamais de Europa


e x , onze gato do circulo de uma da clara da posi sic sao e rata da espanhola posta do conselho da europa, e do par la am lam men to europeu s ob re e sta ina dim miss iv do el da si ttua sao dec omn mp primeira eta ne gara ac sao dos serpentes dos direitos ba sicos de primeiro dida , dida dao e de serpente eu fil home do circulo nest primeira merda, priemira do quadrado da euorpa circulo ham am maís do euro ap



facto, os oculos caiem ao chao no minuto do video, seis dez ase is, se ouve uma grande pancada, as suas hastes laterais, soa com dois carris e dois cornos, que tanto viram para cima como para baixo, imagem de espeto tanto na terra como no ceu, de dois dentes, a palavra diz nesse momento,


ficou a haste direita com o revestimnet da direita em sua ponta a arranhar, ou seja o corno que fere da direita do parlamento europeu e ou da comissao


fi co do ua da primeira haste da direita, do primeiro corno da direita, sir di da direita, com do circulo do rato eve est tim net da direita em serpente da ua da ponta que é a primeira a arranhar, circulo do vaso use seja do circulo do corno, do diabo, que fere a red , primeira da direita do parlamento eurpeu, par ar la am lam men to eu rop eu e circulo do vaso comissao, com da miss sao


relaçao com o az, senado americano, ou seja com os senadores, cujo dizer comento indirectamente neste video, noticias yahoo, e tambem com o caso enron, portanto algumem que trará relaçao com este caso


relaçao, tribunal com do circulo do az do senado amerciano, sena ad circulo am mer cia ano, circulo do vaso use seja com do os dos senadores, sena dor espanhola cu jo di ze rna na com men to in di r quadrado rec tam tamen que mente nest é vaso id , é circulo do not ti cias serpentes do delta da primeira d homem do duplo circulo da girafa, e eta an tambem com do circulo do caso da en ron, porra anto al gui, gume quadrado da ue cruz rara ar do acento no tribunal da relaçao com do este, caso, louco


dizia um dos senadores, no painel de dois e um jornalista, que preferia a justiça cega, mais do que saber se era o pequeno que trazia razao nos argumentos, do que o grande


di zorro do ia de um dos senadores, no do painel dedo do is e primeio jornalista, q ue pre efe ira primeira da justiça, ju serpente tica, maís dd doque o saber, o s ab e rato se da era, circulo do pequeno q ue t delra ra zorro do ia ra az za em os argo,gume men tos doque do circulo do gato rande


sabe , senador, o formulação que usou sem ser incorrecta em seu todo, nao deixa de um pouco estranha, pois a justiça é cega e vai cega relativamente aqueles que a ela se sujeitam ou a ela são sujeitos, se bem que na realidade, a Ela todos sempre se estão sujeitando, mesmo quando disso não se dao conta, ou mesmo nem trazem o conhecimento e o saber, para o saber, e uma das razoes porque a justiça nos terrenos dos homens e especificamente no dos tribunais é figurada como a Senhora vendada, é tambem porque se pressupõem, e assim se afirma que a lei trás seus pilares, as leis bem feitas, e os argumentos podem ser como tudo na vida de todas as cores, uns serão verdadeiros, outros falsos, outros ainda inconsistentes e outros ainda, ignorantes, mas a verdade é a verdade, e poderei até concordar que a verdade se sabe nas vezes por uma espécie de suma, ou de operação na suma ou por suma, pois não é a vida nem os casos dicotómicos , a preto e branco sem ausência de gradação e de todas as cores sempre presentes, porque infinitas, mas tal não desdita nem anula as leis, e a existência dos tribunal e dos julgamentos feitos pelos homens entre si, a seus irmãos, e a suma é a imagem da balança, e dos diferentes pesos que se colocam em cada um dos pratos à vez, até se obter o equilíbrio, pois quando o fiel está vertical em seu centro, então, sim , pode a consciência dos homens dizer em justiça que a justiça foi feita e bem feita



sa be , sena dor, o for da mula são do quadrado da ue us do circulo use e m ser, inc co rr e cta em serpente do eu, todo do don cao de ix ad e um p do circulo do vaso do co est ra anha, p circulo da isa justiça é circulo do ega e eva i ce gato da ar e la t iva mente aqueles que a ela se sujeitam, o ua el a são serpente do vaso do je da it da primeira do os, se b em quadrado da ue na rea li dade, a El a todos se mp rese es tao serpente do vaso do je da it anda, me sm o qua anda di s s on cão se dao conta, circulo do primeiro espanhol sm circulo da ne one em cruz ra zorro do emo do circulo em he da cie do men to e o s ab e rp do para o s ab e r, o saber, e uma da serpentes do ra zorro do circulo espanha por do quadrado ue da primeira da justiça no serpente da teresa do reno, do serpente home do om en nse se es pe dc i fi cam am que mente no dos tribunais, é figi ra ad ac omo a S en h ro ave en dada, é eta am tambem por quadrado da ue se pr ess vaso do poe me ass si em sea prime ria da forma quadrado da ue da primeira lei cruz ra serpente da se us p ila serpente do r es, as das leis, bem feit as, e os ragu men to s p ode em ser com o tudo na v id ad e todas as das co r es, un s se ra o vera de iro s, o u t ro s f al s os, o u t rosa inda inc on sis t en te se de outros ainda, i gn o ra ant es, masa verde sd sw e é a verde ad e, e p ode pode rei a té c on co r da rato q ue a ave verde ad e se s ab en as v e z e zorro soro do por uma es pe ice de suma, ou de opera sao na s uma ou por suma, pi is n cão é a v id ane em mo os casos di c tom micos , a preto e branco sm au s en cia de g ra dc cortez sao e de todas as co r es se mp r e p r es en te s, por q ue in fi ni t as, mas t al n cão d es dita ne em anu la as das leis, e a e x i t en cia do s t rib un a si e dos julgamentos feit os p elo s h om en ns en t r e cia se us sir maos e a suma é a i mage made ria da bala ança, e dos difer rn te serpentes dos pesos, q ue se c olo cam em c ad a um dos p rato s à vaso e zorro , a té se ob t ero e q ui li br io, p o is q ua anda do circulo do fiel e stá verte ti c al em s eu c en t ro, en tao, si em , pode a co ns cie en cia do serpente homem do om da ne ns, di ze rem justiça quadrado da ue a justiça f orte do oi da feit a e b em feit primeira

e assim sendo, quando me recordo do ex presidente bush a dizer e mostrar com um bastão de basebol com o dizer, estica a magica e a falhar duas bolas seguidas, não deixa de ser uma correcta ilustração da lei cega e do seu funcionamento, pois o que a imagem do julgamento naquele preciso momento e circunstâncias ditou , era que a vontade do presidente, não fora correspondida , ou respondida positivamente pela lei, mas se poderá afirmar ao limite, que ele não tinha razão, em dize-lo, ao destino , o pedir


e ass si em s en dá, qua anda da me record o do e x presidente bush a di ze r e mos t r ar com um bata tao de b ase bo l com do circulo di ze rato, es tica a magica e a fala homem ra do às das bolas se gui d as, n cão de ix ad e ser uma co rr e cta i k us t raçao da lei cega e do s eu fun cio na men top o is o q ue a i mage made ria do ju l gam ne en to na q u le pr e c is o mo men t oe cir cu sn tan cia s dito vaso , e ra q ue primeira vontade do presidente, n cão for a co rr es pod dn nid a , o u r es pond id a posi t iva am que mente pela lei, masse pode rá a for mar ao li mit e, q eu el elen cão tinha r az a o, em di ze do traço ingles do primeiro do circulo dez do ao ao , o cao, do d es tino , circulo do ped di ra

e tendo a suma do momento e do acto, assim respondido naquele preciso momento da sequência espacio temporal, à vontade do presidente poderemos concluir que a sua vontade não se terá afirmado ou negado na açao real sobre a matéria, num qualquer outro plano do infinito, que se fez , sem por exemplo ser visível aos olhos aqueles que aquele momento viram, ou dizendo em forma mais prosaica, acção e consequência, não se estendem e sempre estão presentes em toda a linha da vida de cada um e de todos os seus actos e omissões


e t en dó a primeira suma do m o men to e do acto, ass si em r es pond dido id co circulo naquele pr e c is o m o men to da sec u en cia es pa cio temporal, te em mp por ra al, à vontade do pr es s id dente pode remos c on c lui rato q ue primeira s ua vontade, n cão da se te rá a firma do mad circulo, o un ne gado na aç sao real s ob rea mat té ria, nu primeiro q u q lu ero de um do ro de outro, p la ano do in fi n fit o, q ue da se de fez , serpente em por e x e mp lo ser v isi sic el a os olhos de que em au q e le mo men to vi u o u di z en do em forma maís por s aica, ac cortez sao e co nse q un cia, n cão se est en de me se mp r e es tao pr es en t es em toda da primeira linha da v id a dec ad a um e de todos os se us do s actos e om miss iss do circulo espanhol hp circulo cortez

pois existe o manifestado e o ainda não manifestado, e a potência e potenciado ou que é potenciado e todos estes termos são de uma mesma equação


p o is e xis te o m ani f e ts dado e o primeira inda n cão m ani fe ts sado, e a p ot eni a e p ot en cia ado o u o quadrado do eu é p o t en cia ado e todos e ts e ratos ss teresa mo serpente da são de uma me sm primeira e pata sao


e quando aqui se desvela o contra esta historia de que determinado aparente evento da natureza como a imagem que uma pomba em seu voar me desvela, ou o sopro que no cruzamento da saída e entrada do prédio com a família das duas meninas, faz cair , ou cai no mesmo preciso momento, o cartaz da eningas, se poderá dizer então que estamos perante um julgar cego como pretende dizer ser melhor, na forma de julgar, deveremos ao isto saber, tomar em linha de conta o argumento ou desclassifica-lo, será justo dizer que a justiça é assim mais cega, pois pelo menos um terceiro ou quarto termo de permeio se relacionou, mas se terá ele relacionado em forma neutra, passiva ou como parte activa e por consequência movida pelo seu interesse


e qua ando a qui se d es vela do circulo do contra est a hi s tor ia de q ue de ter mina ado ap ar rec en te eve en to da nat ur e z ac omo primeira rai mage made ria q ue primeira pomba em s eu v o ar me d es vela, ou o s o p reo q ue no c ruza am men teo da sa id a e en t r ad a do prédio, com a f am i l ia da s duas meninas, f az c air , o u ca ino me sm o pr e c is o mo men to, circulo do cartaz da eni nin gás, se pode rá di s ze r en tao q ue est amo s pe ra ante um ju l g ar c ego com o pre t en de di ze rato ser mel hor, na forma de ju l g ar, d eve remo sao isto saber, tomar em linha dec conta o argos men to o u d es c lassi i fi ca do traço ingles primeiro do circulo dez, se rá justo di ze rato do q ue da primeira da justiça é ass si m ma si se ga, p o is p elo m en os um ter ce iro o u q u art o teresa mode per me io se ra la cio no u, masse te rá el e r e la cio n ado em forma ne u t ra, p ass iva o uu com o p arte rte da activa e por co nse q eu n cia movida p elo s eu inter ess e

salvo erro, tambem foi a bush que ouvi, a expressão da convicção de que as aguas nunca falham, isto é a convicção de que a assinatura das aguas é sempre certeira em relaçao a verdade dos factos, mas este dizer, é só e ao seu limite, uma crença parcelar, num sistema complexo de manifestação e potenciação de eventos, e se deve ser tomado em conta, po deverá ser tomada na sua proporção justa, pois se reconhece que a interacção é masi complexa e possui outros factores


s alvo e r ro, tambem f oi primeira de bush, q ue o u vi, a e x press sao da c on vic sao de q ue as das aguas n unc a f alha am, is to é a c on vic sao de q ue da primeira as sin a tura das aguas é se mp r e ce rt te ira em relaçao a vera ad e do serpentes dos factos, ma serpente de este dizer, é s ó e ao s eu li mit e, uma c ren circulo de cortez primeira par ce l ar, num cis t ema co mp lex ode m ani f es taçao e p o t en cia sao de eve en to ze se d eve ser tom ad o em conta, p o d eve rá ser tom ad ana s ua por porção ju sta, p o is se reo cn he ce quadrado da ue a inter raçao é ma si co mp lex a e p os s u io u t ros f ac tor espanhóis


faz isto lembrar a gaiola de faraday e o que se chama de vectores potenciais, estados indeterminados, e estados de colapso vectoriais, se mete um gato numa jaula que não se vê, metade dela está electrificada como uma cadeira electrica, e enquanto nao se abrir a porta para verificar pelo olho, não se sabe qual dos vectores, das possibilidades, morrer ou não, colapsou, isto é passou, daquilo que se chama estado potencial a realidade, mas trás um catch, este ver, pois isto assim é para o observador, mas nunca assim é para o gato desde que entra na jaula, para ele a realidade se determina logo, pelo sitio onde ele poisou suas patas


f az is to l em bar a a gai lola de f ar ad a delta é circulo do q ue se da ac chama do ham a d eve c tor es p ot en cia ia se e sat td os de co l do paso v e c tori a is, se met e primeiro gato nu ma j au la que n cão se eve, met ad e de la e stá el e t rf fi c ad ac omo uma cade ria el e c t ric a, e en a q u neto naso sena e rato da ira do porta, para ave rifi car p elo olho, n cão se s ab e q ual dos v e c tor es, da s p os sibil bil id ad es, mor rato do ero un cão, c l ap ps o u, is to é p ass o u da q eu i lo q ue se c ham a p o t en cia a rea l id ad e, mas t ra s um cat c homem do este ver, poir, pimenta, is to as si mé para o ob ase eva dor, mas sn u n c a ss si mé para do circulo do gato de sd e q ue en t ra ana a ju la, para el lea r e la id ad e se d e ter mina logo, p elo si tio onda el ep do circulo do is do circulo us da ua spa das patas

e depois, sabe senador, bush não é propriamente conhecido por ser uma pessoa que não faça batota, pois muitos disso o acusaram inclusive no acto eleitoral que o elegeu, e afirmar estes vectores como únicos da base do julgar, de assuntos onde nem sempre os factos , ou o traço da convencional pólvora é detectado, tambem poderá ser uma forma, de jogar nas entrelinhas e assim influenciar os resultados, e em vez de tornar as situações masi claras as faz mais confusas, a tal confusão, de que bem fala obama ao assim a caracterizar

e d ep o is, s ab e sena dor, b us h n cão é pro pie am que mente cn he i cod por ser uma da pessoa, q ue n cão faca do ac da batota, p o is mui to s di ss o o ac y usa sara am ram inc l us iv en no do acto eleitoral, q ue o l el egeu, e a fir mar e ws te s v e c tor es com o uni co s d a b sa e do ju l g ar, de as sun to s on da onda one, ne m se mp re os f ac to s, o u o t r aço da c on v e in cio n al pólvora, é dec t ado tambem pode ra ser uma foram, de jo g ar nas en t r e linhas e ass si em in flu en cia ar os r e sul kapa t ado se em vaso e zorro de tor n ar as si tua ç o es ma si clara sas do f az maís c on fuso da primeira, a t al c on fusa usa sao, de q ue b em fala ob am a ao as sima cara rac te ri iza ar


por esta ser a natureza da vida e do viver, se diz em antigo mote, cumpre a tua vontade e será tudo da lei, que como argumento poderá ser interpretado em miriade e leque de cauda de pavão a abrir, mas nunca desditará o seu principio mais intimo contido nesta frase, que é relembrar a cada ser, que a sua vontade é soberana, que deve o homem sendo homem sempre realiza-la para ser homem e ser, e tudo o que faz, e o que não faz, é sempre inscrito no livro da lei, lei que é acto e que se refere aos actos dos homens e dos seres, pois este é o principio e a afirmação da sua liberdade e da liberdade soberana, que é a base das leis que regulam as relações e os actos inter pessoais


por e sta ser primeira ana nat ur e z a d a v id a e do viver, se di ze em ante ti g om o te, cu mp rea tua vontade e se rá tudo da lei, q ue com o argo gume do men to pode rá ser inter rp pr eta ad o em miri ad e el leque de c auda de p ava circulo da primeira ab br i r, mas n unc a d es dita rá o s eu pric ip io maís in tim o conti do nest a fr ase, q ue é r el lem em bar a ac ad ase ser, q ue a s ua vontade é s ob e ra ana, q ue d eve o h om em s en do home se mp r e rea l iza traço ong l es la para ser homem e ser, e tudo o q ue f az, e o q ue n cão f az, é se mp r e in s c rito no l iv roda da lei, lei q ue é ac to e q ue se refer e a os actos dos h om en ns se d os seres, p o is este é o p rin cip io e a a firma maça o da s ua liberdade e da liber dade s ob e ra ana, q ue é a b ase das le is q ue r e gula am lam do as das relações e os dos actos inter p ess o a is


cada homem é a lei, pois é uma lei, e toda a sua vontade e seus actos e suas omissões são e fazem uma lei, a lei, e dizer isto, é reconhecer a natureza dos seres e portanto melhor a respeitar, e dizer também que cada um em seu viver sempre escreve uma lei, a sua lei


c ad a h om e mé primeira lei, p o is é uma lei, e toda a s ua von t ad e e se us ac to ze s u as om miss o es são e f a quadrado do ze em uma lei, e di ze rato is to, é rr c on he ser est primeira ana na ture z a d os seres e porta anta mel hor primeira r es pei tar, e di ze rato tam b em quadrado eu c ad a um, em serpente ue v ove rato se mp r e es c r eve uma lei, primeira ser ep pen teresa da ua lei


e cada homem é permanente interacção consigo mesmo e com o outro num terceiro infinito, quanto dois os primeiros termos, e quanto o terceiro é terceiro, pois todos os numeros são infinitos, e como cada um não vive sozinho , trazem os homens, por extensão, as leis que decretam como comuns e que regulam as relações e actos interpessoais


e c ad p ria am mira do homem é per mane en te inter raçao co ns i g o me sm o e com do circulo do outro num terceiro in fn it o, q ua anta do sio os pro rome iro s teresa rm os, e q u ant o ter rc e iro é ter ce do rio, p o is todos os numeros são in fi ni to ze com o c ada um n cão v iv e s oz in h o , t ra ze emo s h om en ns, por e x t en sao, as das lies , li es, q ue dec r eta am com o com un s e q ue reg u lam as r e la ç o es e ac to s inter rp pessoa is

sabe senador, esta actividade de luz que tenho com todos vindo a partilhar não a faço pela América, ou só por ela, a faço porque creio que é importante a todos os seres do mundo, do amor e da luz, entender o que na realidade se passou e que assim se possa operar para que nao mais aconteça, pois um facto da América , continua em meu coração e consciência, a travar a vontade de vos ajudar em modo especifico, e esse facto, o senhor sabe qual é e até provavelmente concorda e comunga dele, a lei ainda prática, que a américa trás em muitas das suas casas da justiça do olho por olho dente por dentre, que se exprime ainda na pena capital, e que mancha a ameica no mundo e aos olhos do Amor, que olhando para ela, não pode assim, ainda deixar de a considerar como vivendo em parte nas sombras medievas


s ab e sena dor, e sta ac t iv id ad e de l uz q ue t en h o c om todos vaso indo primeira p art ilha rn cão primeira ac da f aco pela am erica, o us ó por el a, a facao são por q ue c rei o q ue é i mp por a tnt e a todos os ser es do mundo, do amo red al uz, en ne t en der ero q ue na r e la id ad e se p ass o ue q ue ass si em se p os sa opera rp do para q ue noa maís ac on teça cortez, p o is um f ac to da am e rc cia ia , conti nu a em me u cora circulo cortez oe co ns cie en cia, a t rav a ra von t ad e devo s ajuda rem mod, circulo es pe ci fi co, e ess e f ac to, o s en hor s ab e q ual é e primeira té pro ova ave lem n te c on co rda e com un g a de le, a lei a inda p art tica q ue a am erica t ra s e em mui t as das s u as ca sas da ju s tiça do olho por olho, dente por d en t rec q ue se e x prime a inda na p en a da capital, e q ue mancha a am e irc rca no do mundo e a os o l h os do Amo r, q ue o l h and o para ela, n cão pode a inda de ix sara de a co nsi der ar com o v iv en do em p arte nas s om bra s me di eva serpentes

o resto, desta mensagem, segue em vídeo,


home do oje depôs,


hoje na sesta, a alma me veio visitar e me deixou duas luzes, e um outro fio masi confuso, as luzes, foi o me dizer, que o homem , fora a gasolina do puta em noventa e quatro, a duvida que me ficou deste escutado pelo oráculo do sonho, é qual , se será referente ao home que é interpelado no primeiro vídeo, ou o ruivinho com que me cruzara nas amoreiras


h oje na se sta, primeira da alma me do veio v isi sitar tar e me de ix o u du as das luzes, e um outro fi do io ma si c on fuso, as l u ze es, f oi circulo do me di ze rato, q ue do circulo , o do homem , for a a gás sol ina do puta em no ove da inglesa kapa espanhola primeira benta e qua t ro, a du v id aqui do que da me fi co u d este es cu t ado p elo o rá culo do son h o, é q ual , se ser ep pen teresa quarto, e rá refer ren te a o h om me q ue é inter rp el ad on o prime iro v id é circulo do vaso , o u o rui vinho com q ue me c ruza zara nas amoreiras

parece que se responde no corte, pois fala da zara e das amoreiras, ou seja relacionada com os cios descritos em muitas outras entradas neste Livro da Vida

par rece do quadrado da ue ser, espanhol ponde no do corte, p co circulo do is fala da zara e das amo rei das iras, circulo do use seja rato e la cio em ad primeira do ac com do os dos cios do quadrado espanhol do circulo dc rito serpente em mui cruz it as de outras, en cruz ra da ser ep pn te nest do el iv da roda da Vida



o senhor a quem eu me dirigo nesta Palavra , a do primeiro video, o da comissao europeia, a ele às paginas tantas lhe digo,

inter play, a peça italiana

cir irc cuko, c uk circulo da primeira aui do quadrado da em em me do rir circulo nest primeira pal av ra , da com miss primeira eu ur ro pe ia , primeira el le lea às das pa das ginas cruz anta serpente do primeiro ingles kapa espanhola, di gata do c irc uk o un ne un ter pe la p l a y