terça-feira, julho 14, 2009

Sobre mitos, mais falsos que verdadeiros, assim cheira, um bocado a imagem do conteúdo de alguns frascos

Um ms s fr aco si t os, com do perfume am mais f al s os q ue ver dade iro s, ass si em ce h ira, um bo cado a i mage made ria do conte u do de u l gun s fr as cos

Sim, sim, há uns dias não muitos atras, depois de ter pela enessima vê interpelado a cia em forma publica, aqui no Livro da Vida, um grupo de seis valorosos e valentes congressistas lá lhes foi bater à porta, assim deu conta uma primeira noticia no yahoo, que quase ou nada dizia, depois pelo espirito , uma linha se insinuou, que lhes teriam dito para nada mais perguntar, dando a atender , alguém que seria de um cargo elevado, que quando diz para nao perguntar uma coisa , nós, eles , ou os outros, não perguntam

Si ms si em, home da acento da primeira un serpente do dias, psd, nau mui t os a t ra serpente de pp is de teresa p el a eni sm ave inter rp el ad o ac ia em f oma da publica, q eu ino L iv roda V id a, um g rup pp circulo da ode se is v alo ro rose ava lentes c on gré ss it as l á l he s f oi bate rà porta, as si made ria de eu conta uma primei ra not ti cia no y a h oo, q ue q ua ase o un ad a di z ia, d ep o is p elo es pit ro , uma da linha da se in sin u o u , q ue l he s te r iam dito para n ad a maís per gun at rato dand o a at en der , al g eu m q ue se ria de um c argo el eva ad o, q ue qua anda di z para noa per gun t ra uma co isa , nós, el es , os outros, n cão per gun tam

Eu fiquei a olhar para a noticia como um burro para um palácio, pois nem aquecia nem arrefecia

Eu fic eu ia olhar para primeira ano not ti cia com o do primeiro burro para um pal cia italiana, p o is ne m aque cia ne mar refe cia

Pois minha vida está por mao de muitos bandidos numa espécie de limbo como todos os amantes do mundo, o sabem, e me trazem o filho roubado e torturado e os direitos roubados, e perguntava tambem pela enésima vez, quem de fora deste podre pseudo pais, trazia vergados as bestas corruptas de aqui

P o is min h a v id a e stá por maio de muitos bandidos, nu ma es pe cie de l im b om como td o sx o os am ant es do mundo, o s ab em, me met ra ze emo fi l h o ro ub ado e tp portu tura ad o e os direitos ro u bao ds, e per gun t ava t am b em pe la eni s ima ave e zorro, q eu made ria de for ad este pod re p ps eu do país, t ra z ia ver gados as das bestas co rr u pt as de aqui

Deppois uma outra noticia, dava conta, da nuance,


E ontem se via obama falando em africa, dentro de uma humilde cabana, a dizer que não se podia deixar andar a solta os talibans, que eram responsáveis pela queda das torres e dos atentados em londres, e que londres trazia hoje tanto, potencial perigo em ser atacada como uma cidade americana, masi uma vez sed dizem estas coisas mas não se fala de provas, que o provem, e é sempre bom dar um rosto ao que chamamos de inimigo

E on te ms se da via ob am a f al lan anda em africa, d en t rode uma h um mul de cab ana, a di ze r q ue n cão se pod ia de ix ar anda ra a so l t a os t al i ban s, q ue ram r es p os na ave is pe la c eu d a das torres e dos at en t ado s em l on d r es, e q ue l o n d r es t ra z ia h oje t ant o, p o tem cila pe rig o em ser at aca tacada com o uma da radio da cidade am ar i cana, ma si uma ave z sed di ze m e stas co isa sm as n cão se fala de pro das ovas, q ue o pro rove v em, e é se mp r e b om d ar primeiro rosto a o q ue c ham am os de inimigo

Outra linha insinuava ou desvelava na aparência uma preocupação , mil vagas, como imagem de sugestão que se alguém saberia de se estarem a preparar mil vagas, mil ataques, imagem simbólica de um grande mar de desgraças

Outra da linha in sin ua ava o u de es vela ava ana a ap rec ni a uma pr e o cup sao , mi l gato das vagas, com oi mage made ria sd w de s u g es to a q ue seal al gume s abe ria de se est ar ema pr ep ar a r mi l das vagas, mi l at a q u es, si mage m s im bo lica de um g rande mar de d es sg ratas aças

Depois uma curioso conjunto de imagens na televisão, que ressoavam numas ultima das minhas linhas sobre o que o azimute das tres sementes, do triângulo das aguas das tres sementes, me tinha mostrado, que ecoara na proporção do chao onde obama se encontrara em roma com o papa

D ep o is uma cu rio osso c on j un to de i mage ns na tele v is o prime e rea aqui q ue r esso a q vam nu ma sul cruz do ima das min homem as linhas s ob reo q u a o az ino te das tres das sementes, do t rina gula das aguas das tres sementes, me tinha mos t r ado, q ue e cora na pro porcao sao do cha o onda ob am primeira ase en c on t r ar a em roma com do circulo do pap , a primeira

Ou seja, parece se saber de uma viagem e de um outro encontro que se deu em roma

Esse padrão de mosaicos no chao no Vaticano, era semelhante se bem que distinto , de um outro que se encontra numa revista que estava no azimute do triângulo das tres sementes, relacionadas tambem com a mordedura na maça, ou seja em nova Yorque, é um pequeno folheto, de mil novecentos e noventa e um, da intelsat, da organização internacional de telecomunicaiones por satelite, terceiro do quadrado do duplo circulo da intrenacional drive, nw, do ponto de Washington, dc, vinte triplo circulo do infinito do traço ingles trinta de noventa e oito, ee, uu, comboio eléctrico, tele fono, da cruz en te rata par ren tesis en primeira vesica de noventa e quatro, quadrado, de sessenta e oito, set circulo, telex, wui, sessenta e quatro vinte e n ove circulo, wut, oitenta nove, vinte e set circulo do sete, primeiro da en teresa par ren te sis, do circulo do ste do bar do ra do seiscentos e vinte e cinco, ou seja do jose nuno martins, estrela serpente, m en foque, europa, l aras van cruz da rie espanhola , na realidade este bandido, trazia ou trás um sócio, ou algo assim, espanhil, dento do folheto, uma foto da nfl, tampa stadium, da super bowl, xx v, o muro de berlim, com as portas de brandenburg e a estação de controlo dek norsat b en E ik, da noruega do el do telepuerto de la bt en londres, mercury communications, e ainda antenas tipo A tipo E 3 de intel sat ubicadas en la estacion terrena de dubna em la union sovietica, e uma cabine telefonica em budapest, , dezoito da estrela de quarenta e oito, gasolina do opel astra da escada ingerem, tao íngreme como o plano da subida da muralha da china recentemente evocado

Ess e padrao de mosa aico s n o ca h on o vat ti c ano, e ra semem l h ante se b em q ue di s tinto , de um outro q ue se en c on t ra numa r v e vi isa sat q ue e stva no az i mu te do t rin gula das tres sementes, re la cio n ad as t am b em com a mor de ur ana maça, o u seja em nova y oi q ue, é um pe q un o fo l he to, de mil novecentos e noventa eu maior made ria , da inte l sat, da o r g ani z aç sao inte na cio n al de tele com unic cai io one es por sate lite, te rc i r dodo quadrado do cup lo circulo da intr en a cio n al dr ive, nw, do pi on to de Washington, dc, vinte t ri p lo circulo do in fi n to do t r aço ingles trinta de noventa e oito, ee, uu, com bi o el e t rico, tele fon o, da cruz en te rata par ren tesis en prim ria v e isca de noventa e q u q t roc, quadrado, de sessenta e oito, set circulo, telex, w , oi, sessenta e q au t ro vinte e n ove circulo, wut, o it en a te n ove, vinte e set circulo do sete, primeiro da en teresa par ren te sis, do circulo do ste do bar do ra do se i centos e vinte e cinco, ou seja do jose nuno martins, estrela serpente, mai ro do en foque, europa, l aras van cruz da rie espanhola , na re la id ad e este bandido, t ra z ia o u t ra s um soc cio do io, ou a l goa ss im, es pan hil, dent o do f ol he to, uma f oto da h for mula one da tampa stadium, da super bowl, xx v, om ur ro de da ode de berlim, com ás do portas, de brand en burg e a eta sao de c on t rolo de k norsat b en E ik, da noruega do el do tele puerto de la bt en londres, mercury, br, com mun i cat io nse a inda ant en as t ip o A t ip o E 3 de intel sat ub das bicadas en la estacion te rato da rena de dubna em la union sovietica, e uma cab ine tele fon nica em budapest, , dez o it o da est rea l de pata do ur en ta e oito, gás o l ina do o p le astra da es cada in ger rem, tao ingles reme como o p l ano da s ub bid ad a muralha da china rec en te mn te e vaso do circulo do cado, br

Golfe do per do sico, mil no v c en to ze oitenta e nove, tambem é ref fr en cia que agora me sal to u a ove rato do est cat al logo

Curiosamente, a imagem de um satelite no espaço, na capa, remete para a sonda ultima aqui convocada, das anomalias magnéticas solares,

Cu rio sam am que mente, a i mage made ria de um sate lite no es paço, na capa revista, , reme teresa e para da primeira sonda da u l t ima a qui c on v o c ad a, das ano oma mali as ma gn e tica s solar ares espanhóis,

A ogiva do capitólio, que se assemelha à da vaticano, como a sugerir o link

A o gi cado c apit da ap do pi da pt pit ti do lio, q ue se as se mel h a à da vat ti c ano, com o a s u geiro , circulo do l ink

Um link que pretende assim, estabelecer a relaçao entre estes dois territórios e os eventos que aqui se detalham, alguém do vaticano ou italiano com ligações em Washington, assim parece a seqeuncia desvelar, relacionado com segredos do tempo do faraós, e das consequentemente anomalias magnéticas com eles operadas, se isto assim for, isto, é se esta hipótese for a verdadeira

primeiro link q ue pr e t en de as si m, e stab e le cera da primeira da relaçao entre estes, do is terri tor is oe os eve en t os ingleses, q ue a qui se d eta alha ham da manha, al gume do vaticano o u it al ian o com liga ç o es em w as h in g ton, as si m par ce a sec e un cia d es vela ar, re la cina ad o com segredos do te mp o do f ar a o seda s co nse q u nete mn te ano m al ia s mag ne tica s c om el es opera da s, se is to a s si m for, is to, é se e sta hipo st es for primeira ave rata dade da ira


Depois uma fonte em dc, muito engraçada pois é uma concha vertia aguas, ou seja, remetia não so para o ponto do ritual, como tambem, é imagem que remete para roma, boticcili, a primavera ou o nascimento de vénus, belíssimo quadro, como são os que ele sempre pintou

D ep o is uma da fon teresa em dc, mui to en g ra ç ad a p o is é uma c on h a ve rid a aguas, o vaso do use seja, reme ti a n cão s o para doc irc u lo do ponto do rit u al, com o tambem, é i mage made ria q ue rene nete para de roma, b ot i cc si l ia prim ab vera o u do circulo do nascimento de v en us, do belíssimo café, qua d roc omo são os q ue el e se mp re p ino cruz do vaso

Ah amada, sempre me inspira ver assim uma conchina a deitar aguas na primavera ou em qualquer estação , sobretudo quando me nela me delicio ao perto, quando em ti nos deliciamos ao pe

A h am mad a, se mp reme in spi pt ira ver as si m uma c on china a de it ar das aguas na prima ave da vera o ue maior q ual q eu r est aç sao , s ob r e tudo q un do me ne la me deli cio ao pee r to, qua anda em ti nós deli c ima do circulo da sao pe

Rituais, e segredos, e segredos roubados, remete tambem para uma das imagens da sequência da zoom, já aqui abordada, em que uma rapariga abre um cofre com um maçarico, que é tambem palavra de militar, na aprendizagem ou seja sugere a cumplicidade com alguém dentro do exercito que procedeu a abertura de um cofre com segredos, a velha linha do filme, com o mesmo nome, tambem aqui abordada, há muitas luas atras

Ritu a ise se seg r do se se g r do s ro ub ad os, reme te tambem para uma das si mage ns da sec un cia da zo do om, j á a qui bao r dada, em q ue uma ra par riga ab re um co fr e com um m aca rico, q ue é tam ne m pal av ra de militar, na ap red dn za g emo u seja su ger a ac u mp li cade com al g eu maior d en t ro do e x e r ci to que pro roce d eu a ab e r tura de um co fr e com se g red os, primeira da velha linha do filme, com o me sm o no me, t am b em a qui ab o r dada, h á mui t ab sl lu as at ra serpente

Interessante antiga discussão, se e qual a forma de o congresso saber e controlar ou não controlar, e o que isso implica em termos de tornar a segurança de um pais mais ou menos fiável, por torna-la em parte masi publica, mas a realidade é esta, minhas gentes, averiguar a verdade do que se passou, e importante capital em termos de própria segurança, se o assunto foi assim se alguém roubou ou não determinados segredos e com eles fez determinados usos, são matérias que convém averiguar, pois falhas e roubos, sempre houve e provavelmente haverá, mas não caem os ditos a ninguém, se, se o confirmar, quanto muito se toma melhores medidas, e depois emerge daqui por est capitulo informativo, por assim escrever, ligações entre o vaticano e os serviços de informação americanos, num qualquer tipo de envolvimento, que masi uma vez se estrutura, ou pretende mesmo estruturar, uma certa ideia de interpretação do que aconteceu, mas existirão provas que o sustentem, em forma clara, par se poder chegar a um conclusão,

Inter ess ante antiga di sc uss sao, se e q ua l kapa do quadrado da forma deo do circulo do congresso o saber, e c on t olo ar o u n cão c on t rola re o q ue iss o i mp lica em y te r mos de torn ar a segur ança de um pais maís o um en os fia ave l, por torn a do traço ingles de la em p arte ma si publica, mas a re la id ad e é e sta, min h as gentes, ave rig u ar a verdade do q ue da se do que se passou, e i mp i rta ante c apit a k em te r mos de pro pi a segur ança, se o as s un to f oi as si m se al gume ro ub o u o u n cão det re emi ina sd os se g reo se c om el es fez det r emi ina sd os au são s, são mat e rias q ue c on v em ave rig u ar, p o is f al alha s e ro ub os, se mp re h o uve e pro ova ave lem n te h ave ra, mas n cão ca em os ditos a nin g eu mse se o c on fi mara, q un to mui to se tom a mel hor es me dida se d ep o is e mer g ue da q ui por est c apit u lo in for mat ivo, por as si m es c r eve r, liga ç o es en t reo circulo do vaticano e os serviços de in fm sao am mer c asnos, num q u q l e ur t ip o de en v o l vi men to, que ma si uma ave zorro da se est ru t ra, o u pr e t en de me sm o est ru tura r, uma ce rta id e iade inter pr eta tacao da sao do que aconteceu, mas e xis t irao pro das ova s q ue o s us t en t em, em f oma da clara, par se pod e rc he gara primeiro c on c lu usa sao,


Uma outra imagem da queda das torres que agora de novo aparecia,
Uma imagem que noa me recordo de ver, mas que se calhar vi

Uma outra rai mage made ria da queda das torres q ue agora de n ovo ap ar e cia,
Uma mai mage maior do q ue noa me record ode eve rat, masque se c al alha ar do vi

Um plano aproximado de um ponto da derrocada, nos andares de cima, onde era visível uma antena, com uma estranha forma, pois era como uma culatra de uma carabina e simultaneamente um apito de caes, ou seja, um apito que funciona com uma gama de frequências, num espectro que nem geralmente é audível pelo ouvido humano, ou seja, ainda , aparecendo ilustrar, o que assim se pretende dizer, ou em diagonal desvelar, sobre o modus operandis da queda, pelas altas frequências e pela vibração molecular consequente, um bocado como te falava, amada, dos beijos e das festas, se bem que a imagem fosse poética, nessa parte, e a foram da antena, ou pseudo antena, remetia tambem em símbolo para a ideia do pico, do prumo que em cima dela, por assim escrever, se crava e provoca a derrocada,

Um p l ano ap roc ima ad o de um ponto da der roca da, nos andares de c ima, onda e ra v isi vaso do el de uma antena, com uma e ts ra anha forma, p o is e ra c omo uma cu la t ra de uma cara b ina e si mul t ane manete um ap it o de c a es, o u seja, um ap a it roque fun cio na ac om uma gama de fr e q u en cia sn um es pe c r to que ne m ger al le lem n te é audi vaso do el p elo o u v id o h um ano, o vaso do seja, a inda , ap rec en do i l us t rato do aro q ue as si m se pr e t en de di ze ero u em dia g on al d es vela r,s o br e o mod us o pera n di sd primeira queda, p e l as al to as fr e q u en cia se p ela v i br raçao mol le cu l ar co nse q u en te, um bo cado com o te f al ava, ama ada, dos bei do js oe das festas, se b em q ue a i mage maior do f os se poe toca, ness a p arte, e a foram da antena, o u ps eu do ant en a, reme t ia tambem em s im b olo para a id e ia do pico, do pr umo q ue em cima del a, por as si m es c r eve r, se c rava e por v o ca a der roca ada,

Se via uma enorme nuvem de poeiras negras que saem da torre a medida em que ela desabava, como uma tempestade, de poeira, como as ultimas que se manifestaram, e que aqui estão no livro da vida em imagem, a que dava o nome genérico de anomalias, magnéticas, ou seja mais uma vez, uma linha no mesmo contexto, da anterior, pois um vibração da matéria, pode ser causada ou considerada uma espécie de anomalia magnética,

Se da via uma en o r me n uve maior de p o iras negras q ue são am dao tt rea me dida em q ue el a d es ab ava, com o uma da tempestade, de poe ira, com o a sul ti masque da se m ani f es t aram, e q ue a qui est o ano li b v roda vida emi mage ma q ue d ava o no me g ene rico de ano m al ia s, ma gn e tica s, o u seja maís uma ave z, uma da linha do no me sm o c on te x to, da ante r iro, p o is um vi br aç são da racao da am teri a, pod e ser c au usa sada o u c on si der ad a uma es pe cie de ano m al ia ma g n e tica,

Temos assim em forma simbólica semântica, a ideia de uma carabina, a culatra de uma carabina, que permite disparar de longe, insinuando que o tiro veio de longe, talvez dos talibas, visto obama assim contextualizar, e das frequências, como natureza do tiro,

T emo s as si maior em forma s im bo lica se mna tica, a id e iade uma cara bina, a cu l t ra de uma ca r b ina, q ue per mit e d i spa r ar de longe, boite, in sin u ando q ue o tiro veio do longe, t al vc e zorro dos t al iba s, vi s to ob ama as si m c on te x tua al iza red as fr e q u en cia sc omo nat ur z ad dot do iro,

E a duvida se mantém, operado por processos tecnológicos, e só tecnológicos ou apoiado ou sustido e feito em parte por outros processos da tradição

E ad u v id ase man teresa rea sm, o pera do por pro roc esso s tec no gi cos, e s ó tec no lo gi cos o u ap o iad oo u s us t id o e feito em p arte por outros por c ess os da t ra di sao

Uma outra linha em diagonal, a propósito do michael jackson, abordava ou aflorava isto mesmo, a propósito da execução do seu will, ou seja da vontade, pois um sentido duplo se abre nesta palavra, e a conversa á volta, de uma questão que esse outro sentido de alguma forma desvelava, se ele estava ou não em condições de executar o seu will, a sua vontade, quando o fez, esta linha depois de ter aflorado, a questão das substancias e de seu usos

Uma outra da linha em dia g on al, a pro posi to do mia ac hel j ac k son, ab o r d ava o u a fome mula one flor ava is to me sm o, a por rp posi to da e x cu sao do s eu wi ll, oi seja da vontade, p o is um s en t id o d up lo se ab re nest a pal v ra, e a c on versa á v o l t ad e uma q u es to a que ess e outro s en t id o de al gum a forma d es vela ava, se el e e stav a o u n cão em condi ç o es de e x cu tar aro s eu wi ll, a s ua vontade, qua anda do circulo de fez, e sta da linha d ep o is de teresa ap lo ra do, a q u es tao das s ub tan cia sed e s eu us os, s un t oni cas,


Talibas e ópio, assim fora outra das linhas de obama na cabana do pai tomás, agora na sua visita a africa, num pais onde desde sempre se produziram as papoilas e de onde como todos sabem vem sempre muito ópio, que segundo se diz financia as actividades da guerra, masi depressa se resolve isto em parte se se tornar a sua venda legal e sujeitar aos normais controlos e absorve-la na industria farmacêutica, ou em flores para por em saquinhos debaixo dos travesseiro para das bons sonhos , ou pesados, ao gosto e na interacção especifica de cada freguês, como se fazia antigamente, antes mesmo de o transformar

T al iba se o pi do io, as si m for a o u t ra das linhas de ob am ana cab ana do pai do tomás, agora na s ua v isi sita primeira a fr e c a, nu m pais onda de sd e se mp rese pro du z iram as das pap o ila sed e onda com o todos s abe m v em se mp re mui to o pi o, q ue se gun do se di z fina cia as ac t iv id ad es da guerra, ma si d ep press ase r es o l v e is to em p arte se s e t or na ra s ua v en da le gal e s u je t ia aos norma i c on t rolo se ab sor ve traço ingles de la lana indu s t ria f ar m ac eu tica, ou em flor es para por em s ac u i n h os de ba ix o dos t rav ess eiro primeira do para das bi ns dos sonhos , o u pesa sado sa sao g os to e en na inter raçao es pe ci fi ca de c ad a fr e g u es com o se f az ia anti gam en te, ant es me sm ode o t ra sn for mar

A legalização é o que se deve fazer depois da transição, pois assim se obsta a novos rearmamentos

A le gali iza sao é o q ue sed eve f az e rato d ep o is da t ra n siç sao, p o is as si em se ob sta ano do no do ovos rea ar ma men da cruz do os

Depois dick cheney, o elefante da meia na tromba, mais uma vez no centro da polemica do tal chamado programa secreto da cia, que alguns congressistas na televisão diziam , não ser necessário,

D ep o is di ck c h en e y, o elefante da me iana tromba, maís uma ave zorro no do c en t roda da p ole mica do t al c ham ad o pro g rama secreto da cia, q ue al gum s c on gre s sitas na tele e visão di z am , n cão s r ne c ess sa rio,

Por detrás de dick cheney, uma estátua, uma estatua de um cavaleiro em sua montada, chapéu como tricórnio, na mao, cavalo empinado, a lembrar os confederados e aqui as lezírias, e consequentemente os toiros, ou da moita, como tradução do nome de bush

Por det ra s de di ck c h en e y, uma es t auta, uma es t au tua de c u do primeiro cavaleiro em s ua mon t ad e, ch ap eu como t rico r ni on primeira do mai, c ava alo em pina ado, a l em br ar os c on feder ado sea da primeira do qui do às das le, duplo zorro, zz iria se co nse q un te mn te os dos toi to s, o ua am mo it ac omo t r ad u sao do n o me de b us homem

E operação da moita, ou seja a ultima imagem no jardim, dos tres put e da joana

E opera rac sao da moita, o vaso do use seja a ul t ima mai mage made ria do ano do no do jardim, bcp, do s t ratos espanhóis do put e do jo da ana

Depois ainda, o que parecia ser um antiga conferencia de imprensa, frente as colunas da cas branca no tempo do governo de bush, o estrado com degraus parecia uma pirâmide , ou melhor a base de uma pirâmide, pois completava o quadro, a secretaria, a famosa secretaria gémea com outra que existe no palácio da Rainha em Londres, a do segredo, a dos segredos, que eu menciona pela palavra no ultimo dia, estarem de novo bem guardados nos cofres do vaticano, como imagem simbólica de sitio onde segredos são guardados, contudo na acção do vídeo outro fio se desvela, pois calhou aparecer de seguida, o sino, e a garra, ou seja mais uma vez os antigos segredos do faraó, a explicar tambem a imagem, enigma , que os jovens italianos me davam em seus gestos no jardim, a lam da br eta que entrara na boca maçónica em oxford ou seja, a rede , que pela net, entrara nos segredos da universidade de oxford, ou ainda nos segredos do ox da ford, das tres marcas das garras e do angulo que as marcou na estrela da me do ia

D ep o is a inda, o q ue pa e cia s rum antiga, c on fere en cia de impresa, grupo editorial, e id dt tori al, fr en te às das colunas da cas bar n c ano te mp o do dog do governo de b us ck, o est r ado com de g ruas par e cia uma pi ram id e , o um el hor da primeira do ab da ase , de uma pi ram ide, p o is co mp l eta ava do circulo do quadro, a secreta ria, a f omo sa secretaria da gémea, com outra q ue e xis te no pal cio da r ian h a em Londres, a do segredo, a dos segredos, q ue eu men ni cio n a p el a pal av ra ano u l t imo dia, est ar rem de ni ov b em guarda dos dados no s cofres do va do vat u c ano, com oi mage made ria s im bo lica de si tio onda segredos são g ua r dados, contudo na ac sao do v id e o outro fi o se d es vela, p o is ca alho u ap ar e ser de se guida, o sin oe primeira garra, o vaso do use seja maís uma ave z os e togo s se g r do s d o f arao, a e x p lica r tam b em a i mage, eni gm a , q ue os j ove ns it al ian ano os me d ava vam am em se us g es t os do no do jardim, a lam da br eta q ue en t ra ana rana boca maco nica em ox ford o vaso do use seja, primeira rede , q ue p el a net, en t r ar ano s sg red os da uni ver d id ad e de ox ford, o ua inda no s segredos do ox da ford, das tres ma rca sd as garras e do ang gula dez q ue as marcou na estrela da dame do ia, dam am da dama do ia

E ainda um plano onde semelhante estrutura como um cais do outro lado de manhatan, com um grua, como a dizer do eventual local da instalação do feixe das frequências, ou do lugar do grupo que teria feito a elevação para a queda das torres , com base em certos rituais, e um pormenor que me ressoou também pela proximidade, o pano da cadeira da secretaria na historia do pano da cobra da cadeira que ressoara por sua vez no do michael jackson, que depois ouvi ao acordar de um sonho, vital, de novo, ou seja como uma indicação que essa peça que a teresa na aparência comprara, viera tambem do vital de campo de ourique como antes as outras que com a cristina coutinho comprara, como a desvelar, uma ligação constante com essa tal casa de tecidos , e provavelmente então, a ser assim , um mesmo sistema operativo

E a inda um p l ano onda se mel h ante es t ru tura com o um do cais, revista e grupo do joker, do outro lado de ema home do hat da anta da manha, com do primeiro dog da dag rua, com do circulo da ad dizer, do eve en tua ll ocal calda da in s t al aço do feixe das fr e q e un cia se um por m en o r q ue me r esso o u pt tam am tambem, p el a p ro x i mi dade, o p ana o da cade ira da secreta ria na hi s tori ad o p ano da cobra da cade iraque r esso ar a p por s ua ave zorro do no do mic h a el j ac k son, q ue d ep o is o u vi a o ac o r d ar de um s on h o, vital, de novo, o vaso do use do seja com o uma indica dc caçao q eu ess ap aça q ue da primeira da teresa na ap ar rec ni a c om mp r ar a, viera tambem, do vital de campo de o u t rique, com o ant es as outras q ue com da primeira da cristina coutinho co mp r ar a, com o ad es vela r, uma liga sao co ns t ante com ess a t al c asa de tec id os , e por v ave lem n te en tao, primeira ase ser as si em , um me sm o sis t ema opera rat da cruz do ivo do nono circulo

Ondas da ostra ,ondas da cobra egípcia, do met, de w sd homem in gata do tom

Panneta, o nome do home da cia que declina em modo curioso na linha do home que monta o cavalo, o pan da anet net da eta

A relaçao com londres era depois dada no alinhamento do mesmo telejornal, com as imagens do enterro de oito soldados inglês mortos na luta anti taliba, se lia no carro da frente kow, de capa da vaca do circulo do ko do duplo vaso, helman, o sitio dos combates, ou seja hel man, o primeiro homem do inferno, de londres assim se presumia, então, e hel man de maionese, que declina em camarões, ou seja o senhor americano das calças, de ganga com quem nos cruzáramos na republica dominicana

Primeira da relaçao com lo n dr es e ra ad ep o is dada no al in ham am en to do me sm o tele e do grupo do jornal, com às da serpentes das si mage ns do en te r ro de o it o sol dado s e ingles primeiro do espanhol mor to sn a l u t a anti t al iba, se l ia no car ro da fr en te k o w, de capa da ava cca do c irc u lo do ko do duplo vaso, helman, helena, o si tio dos com bat es, o vaso do use seja do hel man, o prime iro h om em made ria do inferno, de l on dr es as si m se pr ess u mia, en tao, e hel man de may one ess e, q ue dec l ina em cama aro es, o vaso do seja o sem hor am mer cia ano das c al ç as, de ganga com q ue maior ano nós serpente circulo da ruza da zara ramos na rac da ep da publica do mini circulo da ana

Nos meus desenhos destas imagens, leio ainda, na antena da torre, ou símbolo do pico, a puta d lipstick, de tres rectângulos, sendo o terceiro um bisel, bisel, que declina em fla au cruz primeira, da cu la t ra da sony, que masi parece neste segundo desenho, o bico de um trompete,

No s m eu s d es en h os de stas si mage ns, le io a inda, na ant en a da toore, tora o toro, canada, o u s im b olo do pico, primeira da ap da puta d l ip ps stick s ti ck, de t r es rec tan gulas, s en do o te rc e iro um bi s el, b ise l, q ue dec l ina em fla au cruz prime ira, da cu la t ra da sony, q ue ma si par ce nest e se gun do d es en h o, o bico do code um t ro mp pete,

Nas imagens de londres, ainda, dick d ur rb bin, mic he el kapa angulo s ave rat do vaso do hexágono, sc home eu ur e rat ant bin la ad en w, pan eta is , as id to home ave , cruz circulo id dez, ove rat sig home da cruz p ana is circle fortress di rec cross, o r der s b y scott os h ane around oitenta e cinco, tres cow do traço ingles the s ll da mentira espanhola miles, t rope pete, do jack st u rat rup, o talibam, mag ad di sc cio cruz rava al angulo ab e cruz segundo do bar do ra segundo, do aviao, somalia,

Na s i mage ns de londres, a inda, di ck d ur rb bin, mic he el kapa angulo s ave rat do vaso do he x a g on o, sc home eu ur e rat ant bin la ad en w, pan eta is , as id to home ave , cruz circulo id dez, ove rat sig home da cruz p ana is circle fortress di rec cross, o r der s b y scott os h ane around, ground, oitenta e cinco cic no, t r es cow do traço ingles da le the serpente do ll da lei espanhola mi da ile es, t rope pete, do j ac k stud rat rup, o t al iba do bam da manha, mag ad di sc cio cruz rava al angulo ab e segundo da cruz segundo do bar do ra segundo, do ava do io, s oma l ia,

O enigma explica, assim se desvela agora nestas letras, certo, geralmente os enigmas sempre explicam, quando se descobrem, mas de que enigma estamos falando, aquele que se desvelou num dos últimos vídeos, que correspondia ao que chamara de versão da esfinge para criancinhas, com o burro deitado dos olhos de pedra negra e cubica e o elefante das tres pernas, ou seja um elefante antigo que andara de bengala, ou o mais recente, ainda na parte em que é enigma, o do ultimo texto publicado

O eni gm a e x p lica, as si maior da se d es vela agora nest as letras, ce rt o, ger la la am que mente, os eni gm as sempre es p l icam, qua anda se d es cobre rem, ma s d e q ue en ni gm a est amos f al anda, aquele q ue se d es velo lou nu maior do sul t imo s v id é o, q ue co rr es pond ia a o q ue ca ham ra de ver sao da es finge para c r ian si mn h as, com do circulo do burro deitado dos olhos de pedra negra e cu da bica e o el e fan teresa das t ratas das espanholas pernas, o vaso do use seja de um dos j ad, do elefante antigo q ue anda ra de bengala, o tigre, o u o maís rec en te, a inda na p arte em q ue é eni g m a, o do u l t imo te x to pub li doca ducado

Mais umas notas breves sobre o ultimo texto, snifo, maça que se come, quer dizer home com coca, festa drogas na comida, diversas, al ze e mer in ns s tante ane med com ca fe sol vaso da uve angulo, maça kapa do home do duplo vaso da lua levada, da lua ida, de muitos vasos ve onze delta , doc x arquitecto

Maís uma s not as br eve ss ob reo u l t imo te x to, s ni fo, a gt circulo do gato da dama da maça, q ue se c com om me, c eu rato di ze rato home com do coca, festa d ro gás na comida, di vera s al ze e mer in ns s t ante ane med com ca fe s o ll vaso da uve angulo, maça kapa do home do duplo ova do vaso da a l ua l eva ad a, da lua id a, de muitos vasos ve onze delta , doc x arquitecto

Sd, o do circulo de caminha, ap do pp, do sp do mic ro serpente da marca no cop do pico, e do portas is , ce da lula marcas, ce ima mage , sd oo, aoa, pp , cds, pita mic ce ro sp, br, ima mage

Sd, o do circulo de caminha, ap do pp, d c s, p do mic ro serpente da marca no cop do pico, e do portas is , ce da lula das maracas, ce ima mage , sd oo, duas em circulo , sessenta e nove, do, pp , cds, pita mic ce ro sp, br, ima mage


Meus senhores, quero eu de volta meu filho, meus direitos e a justiça que me é devida, que não trago eu nenhuma responsabilidade em que falem todos ou muitos em forma diagonal sobre estes assuntos!!!!