sábado, agosto 08, 2009

Ah doce senhora, ao que eu saiba, não trago eu doenças contagiosas, a não ser de amor, e uma muito pior que é não te ter ainda ao meu perto, nada temas, amada, que tudo sempre se esclarece e a verdade sempre triunfa e Amor Protege e Salva

A hd o ce s en hor a, aoc ue eu sa ib bd a, n cão t rago eu doenças conta gi a o sas, a n cão ser de amo mor, e uma mui t o pi o r q ue é nau da teresa red, ter a inda a om eu per ton ad a t ema s, am ad a, q ue t u do se mp rese e ds clare ç a e ave rato dad e se mp re ti un fa e amo mor pro tege e s alva

E te relembro o que em dia recente te disse, os amantes hoje em dia neste mundo cao devem sempre tomar precauções em seu encontrar, e assim sempre faremos, se sombra sobre estes assuntos restar

E com o te re lem br oo q ue em dia rec en te te di ss e, os q am ant es h oje em dia nest em un do cao d eve em se mp r e tomar pr eca u ç o es em s eu en c on t r ar, e as si m se mp re f ar emo s, se s om br ar da es star

Ao bocado, mais ou menos à hora de almoço subi a campo de ourique fazer compras, mao te disse, ainda, mas ontem, finalmente encontrei a menina da caixa e no final lhe disse , aqui tem o cêntimo, fez de conta que não se recordava, hoje entrei na tentadora, que foi toda remodelada, muito mais bela que antes, ao sair reparei no logo por cima do beiral, um arco sobre um A da tentadora, quando tomava café ao balcão e li que se tratava de uma aliança antiga com as gentes di vinho do porto, croft e por aá , soou um enorme estrondo, um dos empregados até disse, não se assuste, ou algo assim, eu senti foi depois como uma onda de choque, ou seja, como se tivesse sido uma explosão ao longe, talvez pelo que publicara antes de casa sair, depois já chegando de novo, uma aviao inglês ao aterrar me disse que a espada da cruz estava baixada, assim me pareceu, numa das casas da capitão pala, um pedaço de tecido laranja, assim como as vestes transparentes da bela menina que dorme, a flaming june, estava assim como que entalado numas portadas brancas, fiquei a olhar para aquilo, como dizendo de uma estrela dormindo, do arco do vaso como um jarrão doirado sobre verde, ouro verde

A ob o cado, mais o um en os à hor ad e al moço s ub bia ia campo de ourique, f az e rc om mp ra s, mao te di s sea inda, mas on te m, fina lem n te en c on t ria primeira menina da caixa, e no fi n al l he di s sea qui t emo do cêntimo, fez dec conta q ue n cão se record ava, h o j ene t rei na t en t a dora, q ue f oi toda r emo del ad a, um it ts o maís be la que ant es, a os air re pa rei no logo por c ima do bei ira ra l, um arco s ob re um A da t en t ad o ra, qua anda tom ava ca fé ao bal cao e lic ue set da cruz rata ava de uma al ina aça antiga com as g ene net s di vinho do porto, c ro ft e por a ó , s o u o um en o r me est rn do, um dos e mp re gados a té di ss e en cão se as s us te, o ual goa s si m, eu s en ti f oi d ep o is como uma onda dec hoque, o vaso use seja, com o se t iv esse s id o uma e x p lo sao a do circulo do longe, t al v ep elo q ue pub li cara ant es de c asa s air, d ep o is j á chega gan do de n ovo, uma via o ingles kapa do espanhol da primeira do circulo da primeira em te rr ar me di serpente da sec ue da primeira espanhola pada da circulo da ru da uva de est ava ba ix ad a, as si maior me par e circulo do eu, numa das circulo da asa serpente da ca pita o pala, um ped aço de t e c id o laranja, as si mc omo as vaso de este da cruz ra sn parente serpente da bela menina quadrado da ue dor me, primeira fla am ming june , e stav as si mc omo quadra da ue en cruz da al ad circulo em nu ma s p o rat td as sb br na ca serpente do fic eu ia do circulo do primeiro do home da ar da ap do para primeira quadra do vaso da ilo, com o di z en do uma estrela da dor m indo, do arco do vaso com do circulo do primeiro do j arao do irado serpente do ob do rato da eve verde, o ur do ove verde


Continuação da treta de santa maria

Conti nu aç são da t rata da eta de serpente da anta da maria

Eu vi uma balança que dentro da gaveta dos pesos, me mostrou um bala de ferro como as das pistolas antigas, que tambem poderia ser imagem de um núcleo se considerar os outros pesos como electrões, ou vice versa se inverter as correspondências, mas parece mais ser, imagem dos pesos, que bombardeiam o núcleo,

Eu vi uma do bal ana q ue d en t roda dag ave eta dos pesos, me mos t ro u um bala de ferro, comboio, com circulo do ás das pistolas ante das togas, q ue e eta tam am tambem pode da ria ser eri mage made rua de um nuc leo se c on si id e ram os de outros peso, como el le t ro es, o uv, ultra do viol da eta do ice da eve versa se in verter as co rr e ponde cia s, ma s pa race maís ser, i mage made ria dos p us os, q ue b om bar de iram do circulo do nuc leo,

Na caixa dos pesos, leio escrito a lápis, carvão, que se usa nos sistema de radio frequência, dezasseis vi rato da gula do primeiro do quadrado do circulo, ou cento e quarenta, , onze do infinito com dois números de seguida que interpreto como símbolos, o primeiro do ponto do laço elevado do seis do orelhas, dos cem invertidos , oitocentos sessenta e dois, ou oitenta e seis , segundo, com um papelinho antigo dobrado que deveria tr algum preparado, mas que só tem um pedaço de papel lá dentro, poderia ter sido com uma qualquer anfetamina, mais palavras, uma reza, ou um omen,

Na ac cia da axa dos pesos, lei circulo es c ru ti a l ap is do car vao, e provavelmente dos pum nas minas de carvão que tantos houve, se bem se recordam em diversos territórios, com particular incidência na russia e na china, aqui abordados no Livro da Vida, q europeu da se usa no serpente sis t ema de ra di o fr e q eu en cia, dez as ie es do vi rato da dag da gula do primeiro do quadrado do circulo, ou cento e quarenta, , onze do infinito com do is dos nu meo di gi t al , r serpente de se guida qu ein te rp preto com o s im b olo s, o primeiro do ponto do l aço el eva ado do se is do orelhas, dos cem invertidos , o it toc dos centos se s sena te do is, o u o it en t a e se is , se gun do, com um pap e l o n h o antigo do br ado q ue d eve ria t r al gum pr e para ado, masque s ó te m um pe ped dc cortez ode pap el l á d en t ro, pode ria teresa s id o com uma q ual q eu r na f eta am mina, mais pala vaso ra serpente, uma rea zorro, o vaso do primeiro om en,

Da hydrotricine pastilhas ti ira rat ri cima pura dis pontinhos tracejados um miligrama, pala uma pastilha licença do roger bechlon, , da as dos paris, das ap das postas, prepara dor de uma qualquer chaga, pressupõem-se pelo papel dobrado, em forma estranha com um papel lá dentro, p franc circulo lda de belen, dezoito, vinte e dois da lis boa, e um elástico , que remete para fisgas e david e golias, com uma sombra de belem, dezoito,

Da ad id ro da hidra das sete cab eça s, homem do delta do quadrado do rato da it do ric da ines do cine p as til das ilhas ti ira rat ri c ima p ur a di serpente dos pontinhos tracejados, primeiro mi li g rama da pala, uma das pastilha lic ença do roger bebe do ingles kapa l es c l one, da as do serpentes de paris, das ap das postas, pr e para dor de uma q u l q eu rc h a g a, pr ess u poe em do traço da inglesa se p elo pape ç dobra do, em for ma est ra anha com um pap el l á d en t rop da p fr en c circulo l dade b el en, dez o it o, vinte e do is da lis boa, e um el as tico , q ue reme te pat ra das fi serpente sg gás e david e gol ia s, com uma s om br ad e le be m dez o it o

Pastilhas e orelhas, são dois nomes do miguel esteves cardoso
P as da cruz das ilhas e orelhas , são do is no me serpente do dom mig vaso do el do es teve do espanhol cardozo, ou do cardo do zo, orelhas tambem se aplica ao jornalista da rtp, ou rato do triunfo dos porcos e como aparecem os dois, deverão ter então alguma espécie de alianças, e com o ap par rece mo os dos dois, quadrado eve ra circulo da teresa en tao al gum da primeira es pe cie de al ina aça

O restante elástico, que desenha um circulo que é mais uma vesica, está dentro de uma pinça, de novo a pinça, sendo que esta é mais para os pesos do que para arrancar pelos de sobrancelhas, e faz lembrar o bico d um albatroz, de bico comprido e direito , sem papo, cujo nome diz greba, que a mim ressoa em greta, a garbo, ou greta de racha, ou ainda das belas rosas

O r es t ante el as tico, q ue d es en h a um circulo q ue é maís uma ave sica, e stá d en t ro de uma pin ç a, d en ovo primeira pinça, s en do que e sta é ema maís para p us ra os pe os do q ue para ar ra n car p elo s de s ob ra n cel h as, e g f az lem br a o bic o d um al bat r oz, de bic o co mp rid oe direito , se maior pap o, cu j o no me di zorro g r e b a, q ue da primeira mim r esso a e m g r eta, a g a rb o, o u g r eta de racha, tremor de terra, o ua inda das be l ás das rosas

Se ler invertido os pesos e os numeros, obtenho ainda dez circulo da sombra em meio circulo , ou arco, ou madrid, do circulo da seta cravada no chao, do onze grego, circulo do yin yang, terceiro do sexto, príncipe sexto do delta e do circulo da cadeira, que ecoa na imagem dos dois senhores, na coreia do norte sentados em cima de cadeira que estão por cima de duas rosas que são alimentadas, por canais geométricos, e que assim figuram rodas de moinhos de aguas, ou seja, rodas da vida, e que tendo os dois senhores em cima não devem estar rodando muito bem, se mesmo rodam,

Se ler in v eri id o os pesos e os dos numeros, ob t en ho a inda dez circulo da s om br a em me io circulo , o u arco, ou mad r is, do c irc culo da s eta c rav ad ano cha circulo, do onze grego, c irc u lo do y in h y ang, te rc e iro do sex to, p rin ciep sex t o do delta e do circulo da cade ira, q ue e coa na i mage made ria do s do is s en hor es, na co rei isa do norte sena td os em c ima de cade ira iraque es tao por c ima de du às das rosas q ue são al i mena td as, por canis ge om met ricos, e q ue as si m figu ram roda s demo in h as de aguas, o vaso use seja das rodas da vida, e q ue t en do os do is sn hor es em c ima n cão d eve sm est ra ro dando mu it o b em se me sm o ro dam da manha, e como se declina aqui neste parágrafo, rodas da vida na américa, parece tambem min indicar uma fonte dos furacões, e com o se dec l ina a ki nest e para acento gato rafo circulo das rodas david, na am erica , pa rece tambem da min indica car uma do fonte, ramon, dos fur das rações dos furacões

Ainda leio em forma invertida, mais, eni cir tor quadrado delta do homem das a f e cc do quadrado do bico que espeta espanha, buco faringeas, do traço ingles estomatites das anginas, sendo que buco faringeas, me remete de alguma forma para metros,

A inda le lei io em forma in vertida, maís, eni cir tor quadrado delta do home do om da me das a f e cc, cristina coutinho e quantidades dentro de agulhas, do quadrado do bico que es peta es pan anha, buc o f ar in ge as, do traço ingles est oma tit es das ang gina s ina ss en doque buc o f a rin ge as, me rem te de al gum a forma para metros,

Ao lado uma saqueta de plástico transparente, com um grafo de prata tendo lá dentro um pin que trás um puzzle de quatro peças, tipo kadinsky, amarelo, azul, vermelho e verde, em cores primarias, como o spot do bes de alges que acabei de invocar no vídeo, que diz ainda Dx, dia do x, ou quadrado do dia do x, em santa maria, delta do príncipe seis da gula do vi do primeiro anzol, da vareta percentil que atravessa o circulo trinat e da gula do vinte, tripé maçónico delta, assim leio

Aol ado uma s q u eta de p la s tico t ra sn parente, com um g rafo de p rata t en do l á d en t ro um pin q ue t ra s um p uz z le de quatro peças, t ip o ka din do sky, am mat ar elo, az u l, verme l h oe eve verde, em co r es prim das arias, com oo spot do bes de al g es q ue aca bei de in v o car no v id é circulo, q ue di zoror a inda Dx, dia do x, o u quadrado do dia do x, em serpente pn da anta maior aria do delta do p rin c x i ep si es dag u la do vi do primeiro anzol, da ava r eta per c en til q ue at ravessa o c irc u o t rina te da g u l ad o vinte, t r ipe maco nico delta, as si m l lei io

No centro dos triângulos de fogo que sustentam os pratos da balança, leio cabre do ra saba da prenda da radio da livraria do souza e do almeida, isi d ro a cabro ra e ernesto da saba, rainha do sabá

No c en t ro dos t rian gula dez s de fogo q ue s us t en tam os p rato s d a bala ança, lei circulo do cabre do ra saba da p rin inda da ra di o da l iv ra da ria do s o uza e do al me id a, isi d ro a cabro ra e ernesto da s ab á primeira rainha do sabá

A sua capa me diz ainda, na esquerda baixo visto de frente, um turbilhão, o rato vermelho do quadrado branco, templário, do orelhas que escuta pela antena a onda de frequência di transmissor da cruz vermelha sobre quadrado branco maior do homem que parece gritar , a prenda rá di circulo , do praça, ou da praça, talvez aqui em campo de ourique recentemente evocada a propósito da queda de pedaços de varandas e de uma acidente entre dois carros, sendo um deles um renault fidig, se bem me recordo, com um fiat vermelho matricula ov com uma cadeirinha de bebe, que felizmente não o levava, mais ou menos no sitio de um passe com um porche descapotável a trabalhar e umas cuecas pois figdi, apareceu recentemente de novo e assim me recordei, mas os pormenores estão no Livro da Vida

A s ua c ap am me di zorro a inda, na esquerda ba ix o vi s to de fr en te, um t ur bil h a o , o rato do ove vermelho do quadrado branco, templário, do orelhas q ue es cu ta ep la antena da primeira onda de fr e q e un cia da di transmissor da cruz vermelha, s ob re quadrado do branco maior do homem q ue par ce g rita ra pr en da rá di circulo , do praça, o u da praça, t alvez a qui em cam pode o ur tic ue rec en te mn te e v o c ada a por rp posi to da queda de ped aços de eva das varandas e de uma c id dente en t re d o is car ros, s en do um del es um rem na u l t fi dig, se b em me record o, com um f ota vermelho mat ricula ov com uma cade i rinha de bb, mais o um en os no si t io de um p ass e com um porche d es capa ota ave l a t ra bal h ar e uma s cu eca s q ue fe liz mente n cão o l eva ava, p o is fi g di, ap ar e c eu rec en te mn te de n ovo e qa ss em me recorde imas os por m en o r es es tao no do angulo do iv da roda vaso id da primeira do david

No outro lado da balança, na vertical do triângulo de fogo que sustenta o prata da direita visto de frente, ou seja da esquerda, que portanto ao baixar, eleva a espada, destra, o primeiro , pois assim indica a numeração do fiel, o docteur segundo do spock, que declina em guerra das estrelas, em mr spock, em orelhas, em cast, maldições e quejandos e ainda em sp circulo calvin klein, ou capa do circulo do alvim e kapa le alema, comment soigner et eduquer votre enfant

No do outro rol lado da bala da lança, lam anca ana na ave r t i cal do t rian gula de o fogo q u e s us t en tao do circulo do prat da direita vi s to de fr en te, o vaso use seja da es q ur da, q ue po ra n to ao baixar, el eva a es ap da, d es t ra, o prime iro da rop da p o is as s i m in indica a nu mer raçao do fi el, o doc te ur se gun dodo spock, q ue dec l ina em guerra das estrelas, em mr spock, em orelhas, em cast, mal di ç o es e q u j ando se a inda em sp circulo calvin klein, o u capa do circulo do alvim e kapa le alema, com men t s do oi do gn e rato e teresa duque, rato da ova do vaso da ot re en fan croix, circulo do roi do x, o nono

Parece portanto tratar-se de um medico, que ou será conhecido tambem por mr spock, ou trará aliança com os dois orelhas acima mencionados, e que será um pediatra, mas tudo indicando que será um estranho pediatra, o que eleva a espada, ou falo, ou o que fode a mulher e por tabela a família , o do roubo do filho

P ar rece porta anto t rata ar do traço da inglesa se de do primeiro medico , q ue o use se rá c on he c id o tam am tambem por mr sp o ck, o u t rata primeira da rá al ian ança com os do is do orelhas ac ima men cio do io n ado sec ue se rá um ped iat ra, mas tudo indica cc can do q ue se rá um est ren h o pe di at ra o q ue el eva a es pada, o u f alo, o u o q ue f ode a mul her e por t ab e la a f am i lia e do ro ub o do fil h o douro urubu, o da fil do home do cic cc culo, cc , declina tambem em cilindrada, ou mota, dec l ina tam am tambem em si l in d r ad a o vaso umo ota dec primeira ina tam am tambem

Não estão sozinhos na estante, os livros cujas letras isto me contam, muitos outros ao lado, na zona onde está a balança que observo e que me observa, como se passa com as letras dos livros, nos as lemos, elas a nós

N cão es ato s oz in h os na est ante, os livros cu j as letras is tome c on tam am m u it s o outros ao lado, na zon a onda e stá a bala ança q ue ob servo e q ue me ob serva, com o se p ass ac om as das letras dos livros, nos as l emo s, el as primeira dos nós

Minha doce amada mais amada e sempre amada, o meu dia vai longe, poucas as horas de sono que agora trago, vou fazer uma sestinha, que pena não a fazer em teus braços, te cobrindo de beijinhos, se no entretanto chegares, bate muito, muito, para me acordares

Min h ad o ce am ad a mais a m ad a e se mp re a m ad a, o m eu dia va i l ong e, po u cas as hor as de s on o q ue agora t rago, v o u f az e rum a s es tinha, q ue p en a nao a f az e rem te us br aços, te co br indo de bei jin h os, se no en t rta ant o che g ares, bat e mui to, m u it o, para me aco rato quadrado da pata ares

Continua....
Serei eu a polícia judiciaria deste pais e eventualmente de outro lados

Se rei eu a pol i ca ju dica iria d este país, tvi ise e v n tua al le lem met e de outro rol lados

Serei eu mesmo, serei mesmo, mesmo serei

Se rei eu me sm o, se rei m es mo, me sm o se rei

Como posso ser , se não te tenho aqui a meu lado, amada e não vejo teus olhos a sorrir amor a todas as horas

Com o p osso ser , se n cão te t en ho a qui am eu lado, am ad a e n cão do vejo te us olhos a sor r i r am a ora todas ás hor as

Será mesmo que existo

Se rá me sm o q ue e xis t o


a treta de santa maria continuaprimeira da cruz do rato da eta de santa maria do conti nu da uaprimeiro , há já uns dias que se sabia, que a substancia injectada, nao era avastim, mas depois de toda a pretensa falsa transparência com que o caso parecia ser abordada nas tvs, logo se escondeu o que seria, o que nao tem pés nem cabeça, pois saber que nao é avastim, é saber o que é, assim é uma análise, o que determina o que compõem uma substancia
.
prime iro, homem do acento da primeira do principe do acento da primeira da un das ser pene nete do dt do ts do p aura do dias, quadra da ue se sabia, sa ab bi ia bia, q ue primeira s ub ran cia ingles ject ad da primeira, cao era ear ava serpente do tim, mas d ep o is de toda a pr e ten sa fla sat da cruz ra ns par ren cia com q ue do circulo do louco, par e cia ser ab circulo do rato do quadra da ad nas tv serpentes, logo se es conde vaso do circulo q ue se ria , o q ue n cao te mp és , do acento espanhol ne maior do cabe da eça, p o is o saber, q u en cao é ava serpente tim, é s ab b e ero da roc do irc do cabo , vaso do primeiro do circulo do grupo onze, do q ue é, ass si me uma na al liz, o q ue der rem mina ina do circulo do que on poe mu ma s ub stan cia
.
e fazendo analise a uma substancia, se sabe a identificação do que a compõem, e consequentemente o que é, a nao ser que tivessem por exemplo nessa substancia , que no entretanto, merece tipo tratamento com honras de segredo de estado, estivesse por exemplo um novo elemento da tabela periódica, o que nos levaria para a questão nuclear
.
é f az ze dn c irc uk lo , luis, ana na la ise a um s ub sat n cia , se sabe, se ab e, primeira id en ti f aco sao, doque primeira com poe me e c on nse sec ue en te mn teo que é, primeira n cao ser q ue t iv esse em por e x em p lo ness da primeira s ub stan cia, q ue da merce, t ip circulo cruz rata tam am w en cruz os, com home em ra serpente de segredo de estado, do grupo do segredo, eua, est iv esse por e x mp lo , um de n ovo el lem n roda da tabela periódica, roda da vida tambem roda da t ab à bela, tipo snoker, circulo q ue nós le eva ria para da primeira q ue s es t o da primeira nuc lea da ar
.
os carniceiros do hospital, ontem diziam, no esconde esconde, empurra, empurra, a responsabilidade para um outro e que nunca volte mais ao mesmo, que a actividade estava certificada, estranhíssima formulação
.
os car ni c cie ir erro serpente home do os s pita da cobra cuspideira do primeiro , on te made ria di zorro ima no do es conde , duplo , e mp ur do ra duplo , da primeira responsabilidade, e ato es ponsa, barcelona, sa do ab bil iade para primeiro do outro, e q ue n unc primeira vaso circulo da pi r me ira te, maís mao da primeira do circulo do mesmo, q ue da pi r me ira da rac do ac t iv id ad e est ava ce rt te fi c ad da primeira, est ran hi is sima for mula sao
.
ora os médicos geralmente sao certificados, com diploma nas universidades onde se presume terem aprendido a função
.
o ra os ne di cos, capitão cosmos, ge ra le lem mui ot da teresa sao dos certificados, ser rt ti fca cado s b r, com di ip da p primeiro em primeira nas univer sida ad es onda se pr ess um me r rt e rem
.
depois há processos certificados, ou seja , presume-se que entidades terceiras, verificam se os processos estão conformes as normas e se sim , os certificam, dizer como o senhor que aparentemente é medico, que a coisa está certificada , sem mesmo a precisar, e sem acrescentar, nomeadamente, e então por quem e quando foi, e qual é o período de validade da certificação, externa feita por una terceira entidade como as certificação para serem validas geralmente são , feitas em forma regular, com temporalidade de certificados, como por exemplo, se devem verificar as cargas dos extintores, e se foi cumprida e coisa e tal, é falar, nada dizendo, o que nao abona nem a favor da consciência tranquila nem da transparência que geralmente veste a verdade despida como sempre ela vai, mesmo quando vestida
.
di se rato com do cu do circulo duplo do senhor, s en hor, q ue ap par ren en b te que mente é medico, q eu primeira do ac do isa e sta sata acento, ser rt ti fic c ad da primeira, sem maior do mesmo , da pie em mr ria ap pr e c isa e se maior do ac rato espanholo da cruz inglesa , cruz da pi rm we ira ano me dd primeira do prike da ad em mn te e en tao por q ue me qua anda f do io, e a ual +e primeira per rio , o da eva al li dade da certificação, ser ti fi do caçao, est rema, reg gular ar , de qua ana t ra em q ua un to te mp circulo, com o por e x em mp lo sed e be maior vaso e rifi car às das cargas dos extintores, e x tino tor es, se f o d oi cum pr rid da primeira e co isa e eta al, é f al ar n ad da primeira di zen do , i que n cao ab bona, ne ema f avo rato soares, da co ns sci ie en cia r ra n q vaso do as da ilha e lan ane made ria da dat, ra sn ap pr e cna e q ue ge ra lem n te vaso este primeira ave verde dade d es pida com circulo el a se mp re el ava e me s mo qua anda vaso est tid , id da primeira
.
pouco tranquila estava tambem a consciência de um medico mais novo nas primeiras conferencias de imprensa, logo de seguida ao conhecimento do caso
.
p doc irc u lo do pó da ova do vaso , circulo rac nu ila es t ava tam ama tambem, primeira ac co ns sic en cia de primeiro medico mais n ovo nas prime iras c on feren cia ser pene net st de imprensa, do logo da se da guida , primeira do circulo s can tor em home ingles do cimento do caso, do louco da impressa, g rip o e id dt tori al

na verdade na manhâ em que lá estive, a que em dia recente aqui recordei, o cio estava montado com uma das meninas muito em moda na altura, que andou aqui por perto a filmar, ao que parece, para o pap, a que fazia de call girl, e me recordo que o cio estava mesmo montado fora do hospital, com gentes das ambulâncias, estava ela numa das capas de um quiosque automático na sala de espera

na ave r dade na manha da mna em que lá estive, a q ue em dia rec en te a qui recorde io do cio e stav tva montado com uma das meninas mu it o em moda na al tura, q ue ando vaso da a qui por per to a fil mar, ao q ue par rece, para do circulo do pap, a q ue f az ia de c a ll girl, e me record o q ue o cio es tva me sm o montado for ad o h o ps it al, com g ene net do ts das am bul lan cia s, es tva el a nu mad às das capas de um ki os q ue au tom a tico na sala, rr, de espanhola pera

eu vi, uma balança com um fiel torto, para o seu lado direito de frente, esquerda no real, o primeiro, por cima dele no eixo um serviço de cha de miniatura da vista do alegre, e uam gaveta onde um dos pesos era como uma bala de pistola de duelo antigo, e onde uma papelinho dobrado trazia uma invisível substancia tipo letras invisíveis, num outro pedaço do mesmo papel, e outras letras por detrás, me falaram de radio, que é substancia e processos distintos, de nuclear, e de gente ligada a crianças com muitos braços de bricolage, com diversas ferramentas, que assim rezaram
.
eu vi , primeira balança, com de um do f da ile do torto, para circulo s eu lado direito de fr en te , es q ue rata ad rea al por cima dele, no e ix o primeiro serviço, dec cha de mini da primeira tura do vaso do ista do alegre, e uam gata ave eta onda de um dos pesos, era com circulo primeira bala de p is t olo, dedo ue elo antigo, e onda de uma do papa, el do l vaso on h o dos lençóis, len co ie es, loi espanhol, do papa el, e outras das letras por , por det ra serpente, me fa al rm de radio , q ue é s ub stan cia e por roc esso os di serpente dos vinhos , de nuc lea ar do lear, e de gente lia gada primeira das crianças, com mu it os dos br aços, de bri co da lage, com di veras ferra am em n t as q ue ass si rezaram, o ped do aço dom es mo pape el
.
nuclear é tambem imagem da divisão do núcleo por bombardeamento de muitos electronzinhos, é ressoa tambem em famílias partidas e roubos de crianças e ainda uma imagem antiga que eu li no metro e no bairro de telheiras que contava uma estranha historia feito num hospital, e que cuja narração na altura me pareceu de alguma forma ligada ao josé abreu ,que depois foi morto, talvez o preço que pagou por a ter contado

nuc lear da ar é eta tam am tambem e i mage made ria da di da visão do nuc do leo por b om bar de ema do neto da mu da it os dos electrozinhos, é r esso a t am tambem em f am ila s pa art id as e ro ub os de c rin ç as e a inda uma i mage de um home antigo, q ue eu li no do metro e no ba i rr o de tel he ira serpente q ue c on tva uma te ra anha hi s tori a feito, nu primeiro do hospital, e q ue cu j a na ar da raçao na al tura me par rece u de al gum da primeira da forma liga do gado da dp ao josé abreu ,q ue d ep o is f oi morto, t alvez o pr e ç o q ue pa g o up por primeira teresa do contado, que tambem quer dizer me português, dinheiro

electronzinhos, é tambem a base da electricidade que muitas coias permite como sabemos, e fazem funcionar os circuitos, a imagem das aguas nos canos e tambem servem para transportar as ondas de rádio frequência e de televisão, usando o magnetismo do ceu,

el le t ron z in h os, é eta tam am tambem, primeira base da e le t re cidade q ue mu it às co ia s per mit e com o s ab emo se f az em fun cio n aro os serpente c irc uk t os, a i mage made ria das aguas no s canos e eta tam am tambem s eve em para t ra sn ps o t ra ás das ondas de r di do io da fr e q un cia e de tel e vi sao, usa sand o o mag gn net is mo d o c eu, o el

e estranhas substancias que na aparência não se sabe o que são, tambem eu e minha casa foram alvos de muitas, como fui relatando, para alem das tais que se disse ser polónio, usadas nomeadamente na morte de livechenko, sendo que uma senhora que está aparentemente sem visão, ou dela a recuperar, muito se parece com a cesaria evora, curiosa semelhança depois de eu começar a falar de cabo verde

e est ra anhas das substancias, quadrado da ue na ap rec ni an cão se sabe o que são, tam am tambem eu e min h ac asa do foram pt alvos de muitas, com o fui re la t ando, para al lem da s tais, q ue se di ss e ser p olo oni o, usa sada s no me ad dame do dam am que mente na morte de livechenko, live cn heel s en do q ue uma senhora q ue e s t á ap ar e c en te mn te s em v isa o, o u del a ar e cup pera ar, mu it o se pa rece com primeira cesaria de evora, cu rio s a semem l h ança d ep o is de eu com el ar a f al ar dec ab circulo do ove verde

livechenko, declinou ao ser escrito em live, liver, fígado, cruzes , marcas que se dao nos fígados, e que podem ser propositadamente transmitidas por injecção, a me lembrar, a tal picada feita por uma agulha que deixaram no banco do mercedes quando o comprei ao stand oitenta e oito ao pé da avenida de berna, embora não esteja certo se foi com o mercedes, mas assim de memória o creio, sei que foi ao entrar à porta da latina europa, pois alguém entrou ao lado, creio que o jose pinheiro, pois me lembro de o ter comentado, mas pode ter sido ainda do tempo da honda

live c h en k o, dec lino ua o ser es c rito em live, liver, fi do gado das cruzes ru z es, marcas q ue se dao nos fi gados, e q ue pode maior ser pr e posi t ad dama do dam da manha que mente, t ra sn mit ida s por in je cc são espanhola da cristina coutinho, a me lem br ar, a t al pi c ada feita por uma agulha, q ue de ix aram no do banco do mercedes, qua ando o co mp rei ao s do tande de oitenta e oito, a o p é da avenida de berna, em bora n cão est j ac e rto se f oi com do circulo do mercedes, masa ss em de me mor ia o c rei o, se e q ue f oi a o en t r ar à porta da la t ina eu rop a, p o is al gume en t ro ua o l do, c rei o q ue do circulo do jose pinheiro, p o is me lem br ode do circulo teresa co men t ad o, mas pod e teresa s id o a inda do te mp o da honda

com este fio da semelhança da senhora com a cesaria , que quando a conheci, num ensaio a que cheguei para filmar, logo me disse, vo na quer casar comigo, e assim logo ficamos amigos e brincamos muito, remete ainda a soma disto para uma mesma semelhante acção feita em cabo verde, ou ainda no hospital tropical , ou no retorno de cabo verde , ou ainda na ida a Moçambique na altura da vacinação preventiva, como apareceu bora, agora tambem, remete isto para maozinha do grupo da cristina coutinho e tambem uma outra possibilidade, de ter sido feita na república dominicana

com de este d 9 kapa o fi do io da da semem l h ança da s en hor ac om a cesar ia , q ue qua anda a cn he ci, nu primeiro men sa do io da primeira do qui aqui, q ue che g u ei para fil mar, logo me di ss e, von primeira quadra da eu rca sar co mig o, e as si maior do logo do fic, feira das industrias da cultura, circulo do amo sam mig os e br inc amos mu it o, rem te a inda primeira s oma di s to para uma me sm a semem l h na te ac sao feita em cabo verde, o ua inda no h o s ip pt al t rip pi c al , ou nor e torno de cabo verde , o ua inda na id a am o ç am bic ue na al tura da v ac cina aç sao pr eve en t iva, com o ap ar e c eu bora, a goa tam am tambem reme te is top para da maozinha do grupo da cristina coutinho eta do tam am tambem de uma outra p os sibil id ad e, de ter s id o feita na r e pub l cia do mini cana

abre-se tambem a possibilidade da monica assim ter sido tambem infectada

ab re do traço da inglesa se e eta tam am tambem a p os sibil id ad e da monica as si m t re s id o t am b em in fe cta ad da primeira

como já se tinha desvelado em texto recente sobre esta mesma temática, um louco do hospital, ou seja deve ser portanto um medico o operativo destas merdas todas, o que eventualmente fornece as substancias que assim em outros injectam, e me recordo ed em dia recente ter ficado a pensar se o filho da puta do tal medico que me espetou o braço depois da tal queda em casa, não terá injectado alguma coisa, outra, na medida em que me apercebi ao relembrar, o episódio que ele fora provocado, para me fazer cair, e ainda recordo as marcas que ma apareceram no braço uma vez aqui a dormir, como na altura de seu acontecer relatei

com o j á se da ste da tinha desvelado em texto recente sobre est mesma t ema tica, um louco do os pit al, o vaso use seja d eve ser porta n to um medico do circulo do opera t ivo de sta s merdas todas, o q ue eve en tua al lem n te for ne ce as s ub as t n cia s q ue as si m emo u t ro in je c tam, e me record o ed em dia rc en te ter fi cado a pen sar se o fil h o da puta do t al medico, q ue me es pet o u o br aço d ep o is da t al q eu da em c asa, n cão te rá in je cta ad o al gum ac aco isa, outra, na me dida em q ue me ap per cebi ao r el em br aro do e ps id ido q ue el e for a por v o cado, para me f az e r c air, e a inda record o às das marcas q ue ema a par ce ram no br aço uma ave zorro a qui a dor mir, com on a al tura de s eu ac on tec e r re la te e

continua...
Muito curioso , ontem, quando cheguei aos olivais, s i t i o l dos psd, olhando uma grua para as bandas da expo, flash, o posto de comando de novo design, era exactamente o capacete que acabara de te descrever no desenho que te mostrei, o tal capacete integral, capa do ste int. gral ra al, com um personagem lá dentro e um x, depois a grua se moveu e apontou o que me parece ser um novo edifico na zona da expo, assim em tons castanho, um torre e um cubo deitado, parecendo ao longe madeira, apontava a torre, no eixo, o triângulo dos cabos de sustentação da ponta vasco da gama, do caminho para a india, da ad da primeira india, e um efeito de circulos concêntricos nos canos de sustentação, com uma pedra atirada a agua dos pilares,

mu it circulo do toc do curioso , qua anda che g eu ia os ol iva si, o l h ando uma g ra ua para ás das bandas da expo, f al sh, o falso, o posto de comando da agencia da puta do novo design, e ra e x cta e mn te o capa sete q ue aca br ad e te d es c r eve rato no do desenho q ue te mos t rei, o t al capa sete in te g ra l, capa do ste in te gral ra al, com um pe o sn g ae m l ám d en t ro e um x, d ep o isa g rui ad da primeira guria se mo ove ue e ap on t o u o q ue me pa rece ser um n ovo e di fi cona zo e joana da expo, as si m em to ns cat do anho, um tao o re e um cubo de it ad o, az ponta ava a toot r do toto, , no e ix o, o t rian gilo dos vc abo s de s us t en sao da ponta vasco da gama, do caminho para a india, da ad da pi r me ira india, e um efe it ode circulos c on c en ticos nos c ano s de s us ten sao, com da primeira pedra atirada à agua dos pi da pilha galinhas da ilha la do ares,

Hoje de madrugada na euronews, ressoava, em sindicatos m diverso de diversos lobbies e das torres entre o conselho e comissão, na belgica, a ecoar no incendio, masi um em lares de idosos, em melies, que obedeciam a diversos critérios, tais como cada vez que um uma mandava construir não podia ser mais alta do que a do outro, incrível medição de falos dos meninos, pagos pelo erário publico de uma europa cada vez mais desempregada,

H oe j de madruga gada na e ur one es, r ess o ava, em sin di cato sm di do verso de di vaso ero serpente dos lobbies e das to o r es en t reo do conselho e com miss sao, na belgica, a e co ar no do incendio, ma si um em l ares de id ossos, em melies, lua espetada no olho, q ue ob e dec iam a di vaso dos eros c rite rio s, tais, br, com o c ad ave zorro q ue um uma na ava mana do quadrado da av c on s t rui rn cão pod ia ser maís alta, do q ue a primeira do outro, inc r iv el me di sao de falos dos me nino s, pagos p elo e ra rio do publico, de uma da europa c ad ave zorro maís de se mp pregada,

Novo design, cristina coutinho, capacete que agora aparece a ver-se no móvel num dos recentes vídeos, no eixo descendo do castelo, figura na mala do pic nic em cima da bancada, portanto, uma virago da zona das portas de santo antao ou por aí, talvez do hard rock café

N ovo d o de sig gn da cristina coutinho om, cap a ct e q eu do agora ap r 3 e cea ave rato do traço da inglesa seno m ove l num dos rec en t es v id é os, no e ix o d es c en dodo castelo, figu ra na am al ad do circulo do pic nic em c ima da ban c ad a, porta anto, uma virago da zon a da serpentes dos portas de s anto antao o u por raí, acento cruz al vaso e zorro da hard ro ck ca fe

no desenho a cobra tem por detras a indicaçao do hotel da lapa, um simbolo de um casamento que lá terá decorrido, e se encontra no video no corpo dos porquinhos

no do desenho da primeira cobra te mp circulo do rato das putas ps, der ra asa primeira indica do caçao , do hotel da lapa , primeiro s im segundo falo para o ceu em cif circulo duplo de pirmeiro ca sam am men t o q ue lá teresa rá deco rato da rid c irc uk oe se en circulo em cruz ra ano vaso id é circulo no corp do circulo dos porquinhos