quinta-feira, setembro 24, 2009

noventa e sete un der sc core traço ingles t rup l o rif rip rato io ip, circulo do primeiro

primeira parte




vaso id é circulo noventa e se is

96

se gun d a p arte


96


se gun d a p arte

Muito boas as declarações da china e de obama na cimeira, sobretudo da china pelo anuncio de uma meta que ninguém esperaria, é muito bom ver um pais que toma assim a iniciativa e o anuncio com o certo orgulho a todos, bem hajam por isso

Mui it ob do segundo om das boas, cobras, às dec la ra rações da china, e de ob am na cimeira, s ob r e tudo da ac h ina p elo anu un cio de uma met a q ue nin g u em es pera ra ria, é mui to b om ver um do pais, tvi, q ue tom a as sima in i c it iva e o anu vaso do cio com do circulo do doc ce rt do circulo do orgulho , p rie emi da mira de todos, b em h a j am por iss circulo

Em forma sintética, que depois falarei em maior pormenor, algo de estranho aqui se passou na rtp na transmissão dessas imagens, que por acaso apanhei no noticiário do canla um e que depois tambem para as verificar, vide de nov no canal dois de seguida, via hertziana

Em forma sin te tica, q ue d ep o is fala ar do rei, em maio, luis, rp e rato men o r, al g ode e ts ra anho a qui se passou na rata do tp, na t ra sn miss sao de ss sas ima mage en ns, q ue por ac as o ap anhe ino not ti ca rio do can la um e q ue d ep o is tam am tambem para as v e rif fi caro de vide de nov, do no c an l do is de se guida, via hert zorro da ian ana

Muito giro o processo de interferência que aqui na faca acabou de se desvelar

Mui it do c irc uk o do giro o pro roc esso de inter rf feren cia q ue a qui na f aca ac a ab bo u de se d es vela ar art circulo do rato, ou seja ps,

Quando ele dizia, na transmissão do canal um, que o mundo não podia esperar que a américa sozinha resolvesse todos os problemas do mundo, o que é uma verdade, nem ninguém em seu juízo o pretenderia assim pedir a américa

Qua ando el e di zorro ia, na t ra ns miss do circulo dodo doc anal um, q ue circulo do mundo, n cão pod ia es pera ar q ue a am erica s oz in h a r es solvesse todos os po rb l ema sd o mundo, o q ue é uma ver dade, nem ni g ue m em s eu j u e zo o pr e t en der ia as si made ria ped di da ira da am américa

Vinha ele em suas palavras de dizer que a américa, estava contra a tortura, e os actos de tortura, a quando a frase diz, act alone, aqui o sincronismo vertical, ao instante e no instante se perdeu em forma estranha, pois pareceu acompanhado ou resultante de um glich, ou seja explicando para leigos, uma colagem , ou seja uma edição, no vídeo, que por não ficar bem feita, pode fazer perder a leitura do código que mantém o sincronismo da própria imagem

Vinha el le em s u as pal av ra sd e di ze rato q ue da primeira da américa, es tva c on t ra a tor ru t ra, e os actos de tor vaso do toro da cruz do ra, a qua a b n do a fr ase di zorro do ac da cruz al one, a qui o sin c rin is mo ver tic al, ao in s tan ante te, e no in s tante se ped eu em forma est ra anha, p o is par rec eu ac om mp anha ad o o u r es sul t ante deo do pr ie emi miro dog do gao das lich, das uvas chinesas, li circulo do homem, o use seja e xp li can do para lei g os, uma c ola da lage, acores, ge m , o use seja uma edi sao, no v id é cio circulo, q ue por n cão fi car b em feita, pode f az e rato rp per der a lei tura do c o di g o c ue manto do emo da teresa, sin cor in sm da pro da rop da pira ima mage, made ria

Logo meus olhos se abriram pois acabara de contar a imagem dos sinais e das black box, nas amoreiras no contexto da quedas das torres,

Logo me us olhos se ab r iram p o is aca br ad e c on tar a ima ge made ria dos sin as ie das b la c k b ox, nas am ar e ira s n o c on texto da quedas das tor ratos espanhóis

E sendo que vendo eu este efeito do chamado glich, não é ele resultante da operação que acima descrevi, pois este defeito, no corte de um plano e na colagem de um outro junto ao primeiro, assim acontecia nos sistemas analógicos , e nas edições analógicas, que certamente não forma usadas na produção técnica destas peças emitidas na televisão publica canal um, a não ser que o o tenham feito propositadamente, até simulando digitalmente, por uma intervenção em paint box, ou seja tenham alterado time code nos respectivos frames, cuja imagem era continua, ou seja, não necessitava de nenhuma edição ali

E s en doque v en do eu este efe it o, do c ham am ad o g lich, n cão é el e r es sul t ante da opera raçao q ue ac ima d es c r e vi, p o is este d efe it o, no co rte de um p lan ano e na c ola lage ge made ria de um outro, j un t o a o prime iro, as si m ac on tec ia nós si t ema s ana lo gi cos , e nas edi ç o es ana lo gi cas, q ue ce rta em nete n cão forma usa sada s na por du sao tec nica de sta s p eça s emi t ida s na tele visão pub lica c ana l um, a n cão ser q ue o o t en ham am feito, por rp posi t ad ae mn te, a té si mula ando. o di gita l en n te, por uma inter v en sao em pa int b ox, o use seja t en ham am al te r ad o time code nos r es pe ct ivo s fr am es, cu j a ima ge mer a conti n ua, o use seja, n cão ne c ess it ava de n en h uma edi sao al da primeira do li

Ora para alem desta manha, temos então, um sinc vertical, ou seja queda das torres, e um glich, que parece declinar em gato das li , do lic do homem da china,

O ra para a el made ria de sta manha, t emo s en tao, um sin c v e rt cia l, o use seja queda das torres, e um g lic h, q ue pa rece dec l ina rem gato da serpente do li , do lic , dos lábios, so s l ab bios, bois dos biso bis bicos dos bits, memória, me mor ia, do homem do quadrado do ac do home do ina,

Olhando a grafia das notas que ia apanhando do noticiário neste preciso ponto, lei ainda

O l h ando a g raf ia das not as q ue ia ap anha ando do not ti ca rio nest e pr e ciso, quadrado en den te, p on to, lei ian anda

O A, é praticamente um triângulo de fogo com um acento na vertical sobre o topo da lado da faceta esquerda na imagem , ou seja na direita na realidade,

O A, é pr rta aica cam am que mente, um t rin gula ad circulo do primeiro do quadrado do fogo, com um ac en t o ba ver tic al s ob reo top, do circulo da lado da f ac eta esquerda na ima mage mo use seja na direita na rea li dade,

O C e o T, é como um sinal de certo que entra na T, que desenha nele uma cruz, no primeiro invertido,

O ceo da cruz , ep com o sin al dec e rt cruz do circulo, q eu en t ra ana cruz, q eu d es s en homa da prim ei e , primeira, ne le ac ru zorro , no prime iro invertido

O, T, tem duas linhas verticais, e é atravessado em diagonal por um traço, ou seja, parece uma estrela inclinada com uma perna maior , a da direita que curva sobre si mesma, como quase sendo a cauda de um cometa

O, T, te made ria du às das linhas ver tica si, e é at r v es sado em dia g on al por um t ra aço, o use seja, pa rece uma e ts r el a inc l ina ad ac om uma pe rna maio ra, a da direita, q ue c ur v a s ob re si me sm a, c omo q u ase s en do a c auda de um co doc om met da primeira

Alone, graficamente, diz pela analise de suas letras, o seguinte, o A, é como um bico aberto de fogo, onde a perna esquerda no real, desenha em sua base uma seta que aponta o chao, e que une a letra seguinte , o L, ou seja al, vesica do circulo, na proporção equivalente, ao que aparecia, na bandeira no arranjo floral feito por detrás do ss, santos silva, sendo então que etas tres letras se ligam entre si, ou seja alo, do programa da bbc, a, ne, so si de n circulo, nc, do delta e rato reel time ti circulo al, da vi da gula do cabo dos torres, do acento no topo do primeiro triângulo de fogo desequilibrado , visto que tem a perna direita masi comprida, ou seja ,m o da faceta esquerda terá sido amputado de alguma forma, da cruz one do traço ingles

Al one, g raf fi icam cam am que mente, di zorro ze pin hi ero p el a ana lise de s u as das letras, o se h u inte, o A, é com o um bic o ab e r to de fogo, onda primeira pe rna esquerda no rea l, d es en h a em s ua base, he roi ina, uma s eta q ue ap ponta do circulo dc do chao, e q ue une a l e t ra se gui unte , o L, o use seja al, v e sica do circulo, na por pro sao e qui v al en te, ao q ue ap ar e cia, na bandeira no ar a rn j o flor al fe it o por det ra sd do circulo do ss, san do ts silva, s en do en tao q ue eta serpentes das t r es letras se liga gam en t re si, o use seja alo, do por g rama da bbc, primeira da ane, s os id en circulo, nc, do delta e rato r eel l time ti circulo al, da vi da gula do cabo dos torres, do ac en to no top, o do primeiro t rina gula dez de fog de sic u i li d ra ad o , vaso da serpente it do circulo do q ue t ema per mna direita ma sic om p rid a, o use seja ,moda f ac eta esquerda te rá s id o a m p u a td ode al gum a forma, da c ru zorro one do t rac si espanho ingles

Depois falava obama ainda de resposta global, ou global response, se via um contra campo da primeira fila da assembleia, onde me pareceu ver alguns rapazes chineses, um deles com maos como se estivesse em prece, e depois do discurso, obama descei do palanque e o sentaram numa cadeira branca de grande espaldar, que de repente parecia simbolizar a cadeira do papa, que masi uma vez aparecera na Palavra do ultimo vídeo

D ep o is fala ava ob ama a inda de r es posta da global, o u g loba bal al r es ponse, se da via um do contra campo, da prime ira fi da ila da ass em b lei a, onda me pa rec eu v e r a l gum ms ra p az es c h ine z es, um del es com mao s com o se est iv esse em pr e ce, e d ep o is do di s c urso, ob ama de sc e id o pa l an q ue e o s en tar am nu ma cade ira bar anca de g rande es pala ad ar, q ue de r ep en te par rec ia s im b o l iza zara cade ira do papa, q ue ma si uma ave zorro ap ar e cera na Pal av ra do u l t imo vaso id é circulo

Por agora fico por aqui, sendo que ao que parece a américa não apresentou ainda nenhuma quantificação de metas, ao contrario do que a china já fez

Por do agora fi co por a qui, s en do que a o q ue pa rece a am erica n cão a pr es en toi, can tor, cruz vaso, vaso a inda n en h uma qua ant ti fic sao de met as, sao c on t ra rio do q ue ac home ina j á de fez
Analise sumariada do ultimo vídeo publicado com relações decorrentes e outros pormenores e correcções sobre alguns aspectos do seus conteúdo


Ana lise s um ari iza ad ado u l t imo v id é o pub li cado com das relações deco rr en t es e o u t rr os por men o r es e co rr e ç o es s ob re al gun s as pe ct os do se us conte vaso do dó

O primeiro aspecto que realço neste texto em forma complementar , ao descrito no vídeo é sobre o a imagem que os dedos desvelaram, quando explico a verdade que se manifestou no telemóvel, e, sincronismo com a abertura do noticiário onde se dava conta da historia do tal assessor do cavaco e da tal historia das escutas

O prime iro as pe c to q ue rea al ç o nest e te x to em forma co mp lem n tar , a o d es c rito no v id é, o é s ob reo a ima ma ge made ria q ue os dedos d es vela aram, qua u ando e x p lico ave r dade q ue se am n fi ste u stu do no do tele omo da ove do el, e, sin c ron is mo c om a ab e r tura do not ti cia rio onda sed ava conta da hi s tori ado t al ac esso rato do cavaco e da t al hi s tori ad ás das escutas, es cu t às

Pois tirando a tampa da cobertura do dito, se vem duas luzes circulares com dois olhos muito brilhantes, que ao vê-las me remeteu para a linha da republica dominicana, e da relaçao com miami, e ainda para um pormenor que me aparecera em véspera, do balcão das necessidades, ao olhar o rio do outro lado, masi ou menos no eixo da faculdade, eram visíveis duas luzes muito brilhantes na mesma proporção

P o is ti r ando , primeira tampa da co be r tura do dito, s eve mda du as das luzes c irc cu l ares com do is olhos mui to br ilha sn t es, q ue a ove do traço ingles de la s me reme te u para primeira da linha da republica dominicana, e da relaçao com mi a mi, e a inda para um por men o r q ue me ap a rec e ra em v es pera, do bal cao da s ne c es sida d ad es, a oo l h ar o rio do o u t rol lado, ma si o um en o sn o e ix o da f ac u l dade, e ram v isi v e is du as das luzes mui to br ilha sn te s na me sm a pro p roc cortez cao

E um outro fio que as relacionava com uma outra simetria que vira nas fotos da ouka lele, sobre uma fotografia do rosto do senhor da mancha na testa, como a lembrar um continente

E um outro fi o q ue as r el a c i o n ava com uma outra si met ria q ue vaso da ira na s fotos dao bva vaso ka lele, s ob re uma f oto g raf fia ia doro st o do s en hor da mancha na testa, com o a l em br ar do primeiro do continente

Continente, que tambem aparecera lido na imagem de uma peça sobre belmiro, que nas entrelinhas remetia, pela sua construção, para o tal tir do tal continente, do grupo de serralves, e das raparigas que queriam beijinhos, a ecoar numas palavras recentes de paula rego sobre os quadros quando da abertura do museu em cascais

Conti ine n en te, q ue eta tam am tambem, ap ar e cera do lido, dona da imagem de uma p eça s ob re r e b do bel miro, q ue en as en t r el das linhas reme t ia, p el a s ua co ns t ru sao, para o t al tir do t al continente, dog rup o de serralves, e das ra pa riga gás ss q ue q eu ria am bei jin h os, a e coa ar nu ma s pala av ra s rec en t es de p au la rego s ob reo s dos quadros qua ando da ab e r tura do m use, vaso em cascais

A linha do jumbo, ao ver agora o vídeo, me relembrou tambem, ou melhor não me deixou de ecoar, tambem na amaragem no rio hudson, jumbo que tambem declina não so em elefante, como tambem em cadeia de supermercados, e sendo que chamei indevidamente jumbo ao avio da negra brincadeira no algarve, pois não fora um sete quatro sete, vulgo jumbo, mas sim um setecentos e vinte e sete ou similar, nem sei mesmo se nessa altura já a boieng os tinha fabricado

Primeira da linha do jumbo, a ove rato do agora do circulo do ov do vaso id deo é circulo , me r el lem br o u t am tambem, o u mel hor n cão me de ix o u de e coa ar, t am tambem na mara ge made ria do no rio h u ds sin em jumbo, q eu eta tam am tambem dec l ina n cão s o em ele fan te, com o t am tambem em cadeia, de super mer cado se, s en doque c ham e i in de vi dam am que mente ao jumbo, elefante, a o avio da ane negra da br inca de ira do ano do algarve, p o is n cão for a um sete qa u t ro sete, v uk l g o j um b oma s si made ria um setecentos e vinte e sete o u s emi l ar, ne made ria se i me sm o se ness a al tura j á a boi eng os da tinha fabrica cado, italo brasileiro

Ou seja se desvelou agora na faca, que existe um grupo especialista nas quedas deste tipo de aviao, o que aponta pessoas que de alguma forma o conhecem sobre o ponto de vista técnico e dos pontos onde é são mais frágeis, ou passíveis de serem mais afectados

O use w seja se d es velo lou agora na f aca, q ue e xis te um g rup o es pe cia l ista nas q eu da s d este t ip pode de avia o, o q ue ap pao n ta p esso as q ue de al gum a forma o c on he cem s o b reo ponto de v ista tec nico e dos pontos onda é são maís fr a ge is, o u p ass iv e is de se rem maís a f e cta d os

Na palavra é evocado outra vez o atentado a sá carneiro, e seus acompanhantes, e dei por mim a pensar na semelhança do movimento descrito sobre esta negra historia do aviao no algarve, que é semelhante com a trajectória de descolagem que o cesna levava e tambem na semelhança de ter rasado as falésias, e o outro se ter estampado contra os baixo prédios de camarate, como uma parede, como uma rocha, como uma falésia

Na ap da pal av ra é evo cado outra vez, zorro do circulo do atentado a sá care emi miro, e se us ac om pan h ant es, e de ip por da mim primeira pen sar na se ml h ança do mo ov ie mn to d es c it o s ob re e sta negra hi s tori ado havai , do circulo do no do algarve, q ue é se ml h ante com a t ra jet tor ia de d es c ola lage ge made ria q ue o c es na lela ava vaso da primeira e eta tam am tambem na semem l h ança de un teresa ra sado às das f al le si as, e o outro sete r est m ap do pado, doc dc on t ra os ba ix o pr e di os de cama ra teresa, com o uma pa rede, com o uma roc h ac omo uma f al le s ia

E tambem pela linha dos eventos recentes, nomeadamente da imagem na box das amoreiras, uma relaçao com as torres, ou seja parece tudo isto apontar um fio condutor sobre estes assuntos, que a todos os atravessa

E eta tam am tambem p el a linha dos eve en t os rec en te s n no mea da e m net da ima mage mna b ox das am a o rei das iras, uma r el aça com às das torres, o use seja pa rece tu do is to ap pao n tar um fi do io condo do tor s ob re est es as sun t os, q ue a todos os at ravessa

Pelo som ao escutar parece indicar um numero relativo ao aviao, cem, ou um com cem pessoas ou valor aproximado

P elo s om ao e cu tar pa rece indica car um nu mer ero r el a t ivo ao avio a, cem, o u um com cem pe ss o as o vaso do valor, br, ap pro x ima mad o

Relembra a Palavra que os últimos que tinham por ela sido mencionados, ou relembrados, foram os da companhia grega da hélio, e remete essas quedas para imagens que aqui descrevi na altura do seu acontecer na infante santo, e sendo tambem que grecia, remete ainda para uma bela rapariga de sardas que acabara de referenciar numa imagem recente de st maria de belen, que me parecera a mesma de uma outra mais antiga linha no cabo espichel e de o que me pareceu ser na altura uma mentira quando ela me disse ser ger gra

R el em br a a P al av ra q ue o s ul t imo s q ue tinha ham da manha, por ela s id o men cio na ad os, o u r emo riza do s, do foram, pt, os da co mp anhi a grega d a hé lio, e reme te es sas quedas para ima mage ns q ue a qui id es c r e vi na al ur ad o s eu acontece r na infante santo, e s en do t am tambem q ue grecia, reme te a inda para uma de belas, ra pa riga de s ard as q ue aca bar a de ref fr e r en cia ar nu mai ima ge made ria rec en te de st maria de b e l en, helen, q ue me pa rec e ra a m es made ad de uma outra mais antiga da linha do no do cabo espichel e de o q ue me par e c eu ser na al tura uma em n t ira qua ando e l a me di ss e ser ger gata ra

Lembrando-me deste fio da imagem na infante santo, o que recordo, foi uma visão que alguém ali tinha deixado preparada para o meu olhar, numa das portarias dos prédios idênticos, salvo erro por altura do quarenta , onde se encontravam ao lado dos elevadores, uma serie de vespas e lambretas que me sugeriam cabila, e brasil, e na secretaria da portaria deixada com luz, un poster de aviões, salvo erro uma calendário, ou algo assim, que me remetera para os da hélio, os que caíram

Lem brando do traço da inglesa me d este fio da ima mage mna infante santo, o q ue record o, f oi uma vi isa sao q ue al gume al it tinha de ix ad o pr e para ad a para o m e u ol h ar, numa das porta ria s dos pr e di os id en tico s, s al vaso do ero por al tura do qua da renta , onda se en c on t rav am ao l ado dn os elevadores, uma se rie de v es spa s e lam br eta s q ue me s u ge r iam ca b ila, e br as ile en a secreta ria, a da porta ria de ix ad a c om luz, un poste r de av o es q ue me reme te ra para os da hé do lio, os q ue c air am

Aviao que caíra em inglaterra, mencionado, na Palavra, remete admastor, caso treze, richard, portas de vidro trabalhadas com jacto de areia que ele me fez salvo erro numa fabrica ali para os lados da marinha grande,
Ava io q ue ca ira em inglaterra, men sico n ad dona Pala av ra, reme te do ad mas tor, do caso treze, ric h ard, porta sd e vidro t ra bala hd as com jacto de ar reia ia q ue ele me de fez , s al v o e rr o numa da fabrica, italia, al ip para os lados da ma rinha g rande,

Arrivistas, janelas para a lapa, satélite segundo da sic, pressuponho então que estaremos a falar do tal rapaz da cas de esquina contignua as ditas janelas, que menciono tambem no vídeo, e que relembro estar relacionado com a tal manha feita à volta da queda ou pseudo queda do satélite que trazia as poeiras das estrelas, e sobre a qual detectei muito depois incongruências, o que a ser verdade, confirma, não so o envolvimento da sic nessa manha, como então tambem na melhor das possibilidades, a substancia da mesma acusação feita a rtp no próprio vídeo

Arri v istas, jane la s para da primeira lapa, da monica, sate lite se gun d, o da sic, pr ess u pp on h o en t ac ue est ar emo sa f ala r do t al ra p z da cas de es q u ina conti gn ua as das ditas jane la s, q ue men cio no t am tambem no v id e o, e q ue r el em b r o est ra r e l ac cio io n ado com a t al manha, feita, à v o l t ad a queda ou ps eu da queda do sate lite q ue t ra z ia as poe ira s das est r el as, e s ob rea q u l dec tete i mui to de p o is inc on g re u en cia s, o q ue a ser ver dade, c on f ima, n cão s o o en v o l vi men to da sic ness a mana h a, com o en tao t am tambem na mel hor das p os sibil bil id ad es, a s ub sta n cia da em sam ac usa sao feita, primeira rata do tp no pro pe iro v id é circulo

E ainda a possibilidade, como se parece confirmar, na faca do parágrafo anterior, com o envolvimento de gente da américa ligada a própria sic, aparecendo la, agora, me recordei que a ultimas intervenções de lá, foram sobre a morte de michel jackson, e de um estranho lapsus que aqui dei conta de uma repórter portuguesa,

E a inda a p os sibil bil iade, com o se pa ar do rec confirmar, na f aca do para g ro ante ior, com o en v o l vi men to de gente da am erica liga da gada a por rp ria sic, ap ar e c en do ola, agora, me recorde i q ue au lit ma z s in inter v en ç o es de lá, foram, pt, s ob re primeira da am mo rte de michel jackson, e de um est ra anho la ps us q ue a qui de i conta de uma r ep orte r portu guesa,

Bagageira que eu confunde com o capot, ou seja capo da cruz da bagageira, ou da baga dd o ba gás je de ira, ou da ira do jed, o filho que morrera, e que tornara a aparecer em texto muito recente quando cortava as palavras, sendo que as ultimas imagens das bicicletas, de alguma forma remetem para isso mesmo, como aqui dei conta por fios anteriores desta mesma linha

Baga je ira q ue eu c o n fun do c om o capo t , o use seja capo da cruz da baga je ira, o u da baga dd do circulo do ba gás je d e ira, ou da ira do jed, o fil h o q ue mor r e ra, e q ue tor na ra a ap ar recer em te x to mui to rec en te qua ando co rta ava as pala av ra ss en do q ue a s ul t ima s ima ge ns das bic x cic l te as, de al g uam forma reme te m para iss o me sm o, com o a qui dec si conta por fios ante rio r es sw de sta me sm da primeira da linha

Uma outra que me tornou a aparecer a andar, no dia do passe da rapariga vestido de branco com a bicicleta, com um pequeno motor, que vira antes na casa da sorte em alcantara, e antes numa carrinha ups,
Uma outra q ue me torno ua ap ar ser a anda ar rato ps, no dia do p asse da ra pa riga v est id ode do branco com a bic cic l eta, com um pe q eu no mo tor, q ue vaso ira ant es na c asa da s orte em al can tara, e ant es nu ma car rinha u ps

Nas minhas notas de seguida a bagajeira, ritinha, da trindade do iss, assim li numa outra imagem do telejornal da mesma casa no canal um, como a dizer que os passes da ritinha são então encomendados pela trindade do iss, que sendo trindade, declina em pai ,filho e espirito santo, ou seja bes, grupo, dos restauradores, pela proximidade dao local do palácio foz

Nas min h as das notas, de se guida a baga je da ira da ritinha, da t rin dade do iss, as si m l i nu ma o u t ra ima mage made ria do telejornal, da me sm a c asa no c ana l um, com o a di ze r q ue os p ass es da rit tinha são en tao en comenda dado s p ela t rie en dade do iss, q ue s en do t rin dade, dec l ina em pai ,fil h oe es pei it do circulo do santo, do outro orelhas, o use seja b es, g rup o, dos r es taura dor es, p el a pro x i mi dade dao l ocal do pala do cio do f do oz

Cá estamos de novo no link entre o iss e a própria rtp, sendo que o iss sempre esteve na mao dos bandidos do ps, ou seja um link de vinganças e restrições que assim operaram desde longa data sobre a minha pessoa, como eu explicava em palavra mais uma vez, uma forma de controle por parte daqueles que tambem sempre me vampirizaram, porque me conhece desde menino, como o caso da puta que acompanhava o socrates hoje num qualquer comício da tretas de costume, a edite estrela, desde o tempo do d. Dinis, ou seja para quem não sabe, desde os tempos do liceu, onde as batalhas com a js eram já constantes, tambem

C á est amo sd e en ovo no li nk en t reo iss e a pro pr ia rata do tp, s en doque do circulo do iss sempre, es t e v na mao dos bandidos do ps, o use seja um li maior kapa de vin gan ancas cortez e rato es t rr i ç o es q ue as si m opera ram de s d e l ong a data s ob rea min h da primeira da pessoa, com o eu e xp li c ava em pal av ra maís uma vez, uma forma de c on t rat ole por p arte da q u el es q ue eta tam am tambem se mp r e me vam n pi rat iza aram, por q ue me c on h cem de sd e me nino, com oo do caso da puta que ac on pan h ava o socrates h oje nu m q ual q eu r com i cio da t r eta zorro de cos t um e, a edite estrela, de sd e o te mp o do d. Dinis, o use seja para q u em n cão sabe, de sd e os te mp os do lic eu, onda às bata alha ser pen net s com da primeira js e ram j á co ns t ant es, t am tambem

Ontem, no telejornal, pelo psd, assim se insinuava na leitura, diversos elementos que apontavam o santos silva que acabara de interpelar pela palavra, dizendo que a sua perseguição vinha já desde os tempos da apit, onde eu gastei, seis anos da minha vida a tentar explicar às distintas bestas do ps, como poderia ser uma política e um projecto de desenvolvimento do sector audiovisual em portugal, que o tornasse tambem um sector capaz de desenvolvimento de receitas e contribuitivo para a riqueza do pais,

On te maior do, no do tele e do jornal, ps, p elo ps d, as si m se in sin u ava na lei tura, di versos el em en t os q ue ap on t ava vam am do circulo do santos silva, q ue aca ba r a de inter rp el ar p el a pal av ra, di z en doque a s ua persi gui sao vinha j á d es de os te mp os da a pit, onda eu gás te ise is ano s da min h a v id a a t en tar e xp li car às di s tintas das bestas do ps, com o pode ria ser uma poli tica e um por ject ode dd es en v o l vi men to do sec tor au di ov is ual em portu gal, q ue o tor n ass set am tam am tambem, um sec tor c ap az de d es en v o l vi men to de rec e it as e c on t rib u it ivo para a ric eu z a d do circulo do pais, tvi

O senhor é um bandido e trará certamente conhecimento de muitos paus que sempre o ps me pôs na carreira profissional e nestes últimos actos dos últimos anos de puro roubo, ladrão de ideias e responsável em sua certa parte pelas edições piratas , inclusive da universal, onde à volta deste caso, uma morte se bem se recordam, se deu, ou seja assuntos demasiado sérios para o senhor não se ir sentar num tribunal criminal europeu, já que para alem de besta e prepotente e arrogante de merda é um cobarde que nem capaz é de assumir as suas próprias responsabilidades

O s en hor é um ban dido e t r ar á ce rta em n tec on he cimento de mui t os pa us q ue se mp reo do ps me da p do os na car rei da ira por rf fi s sio n al e nest es sul t imo, s ac t os do sul t imo s ano sd e p ur o ro ub o, la d ra ode das id e ia se r es pons ave l em s ua ce rta p arte p el as e di ç o es pi rta sin c l us ive da universal, onda à v o l t ad do, este caso, uma morte se b em se record dam am, se d eu, o use seja as sun t os de ema si ad o se rio s para o s en hor n cão se ir s en tar num t rib un al e ur rio p eu, j á q ue para al lem de besta e pr e tp o t en te e arri gan te da merda , é um co bar arde q ue ne m ca p az é de as s um mir as s u as por rp ia s r es ponsa bil id ad es

Como é sua besta assassino, silencio de novo, a fazer prova ainda mais clara do seu envolvimento nestas matérias, ou irá responder!!!!


Com o é s ua besta as sas sino, do silencio., fr, de n ovo, a f az e rat do rp da pro ova ava, a inda maís da clara do s eu en v o l vi men to nest as ma té ria s, o u irá r es ponde der!!!!

Dava-se antes de ontem , tambem pelos conteúdos dos telejornais, ainda um outro desenvolvimento, que apontava outras aspectos correlativos a estes crimes e os alargando em larga escala,

D ava do y traço da inglesa se ant es de on te m , t am tambem p elo s conte ú dó sd os telejornais, a inda um outro do desenvolvimento, q ue ap on t ava outras as pe ct os co rr e la t iv os a est es crimes e os al arga gan do l arga da es cala, canárias


O tolo e besta do ps, que masi uma vez propõem masi metros e túneis, a fazer bem prova do como para alem de tudo nem inteligência tem para governar nada, o antonio costa, reeditava uma antiga metáfora criativa sobre os transportes urbanos, desta vez acrescentara-lhe um terceiro elemento, da primeira fora um burro e um ferrari, ainda na palavra falara de novo em burros, desta vez, metro, bicicleta, que chegara em primeiro lugar e um porche, conduzido por um piloto profissional, ou um cego, seria o mesmo, nas bichas

O t ol oe besta do ps, q ue ema si uma vez por rp poe em ma si metros e túneis, a f az e rato r e b em p r p vaso da primeira do prava, pr do iva da pro da ova, do c omo para al lem de tudo nem intel lige en cia te made ria do para g ove rna ar n ad a, do circulo do antonio costa, re e dita ava uma antiga met a for a c ria t iva s ob reo s t r a sn port es ur ban sode sta ave z ac r es c en tara do traço ingles do l he de um terceiro elemento, da prime ira for a um burro e do primeiro ferrari, a inda na pal av ra f ala ra de n ovo em b ur ro sd e sta ave z, metro, bic cic sic l eta, q ue che gara em prime iro lu g ar e um por che, cin du ciso por um pi do loto pr e o fi s sio n al, o u um c ego, se ria o mesmo, mnas bic home do às


No outro lado da cidade, santana e um bela rapariga, sempre o rapaz as escolhes belas, que ao que parece se candidata para o pelouro dos transportes por parte do psd, masi o manuel falcão, andando de bicicleta, falavam do outro ser masoquista, a ressoar em diagonal palavras recentes onde lhes chamava a todos o mesmo acrescentando sádicos


No o ur rt o lado da cida de, santa ana e um da bela rapariga, se mp reo r ap az as es c ol he serpente de belas, q ue a o q ue par rc ce se c andi da data para do circulo do p elo ur o dos t ra sn port es por pr rate do ppd, ma si o manu e fal cao, anda dando de bic sic l eta, fala ava vam am do outro, ser masoquista, a r ess o ar em di a g on al pal av ra s rec en t es onda l he s ca h am ava a todos o me sm o ac r es c en t a dn do sádicos serpentes


Ontem ainda masi uma formaçao concorrente, acrescentava ainda uma linha, talvez num pre acordo de favor em troca de benesses depois das eleições, ali na zona ribeirinha ao lado d rio com a ponte por detrás ,a ecoar antigas linhas de uma visão da cml, de uma carta caída no chao, na altura em que um ponte caíra na américa, decidiram os rapazes fazer uma corrida de marcha atrás, quem diria, um numero era visível num deles, o terceiro, ou tres que andaram de marcha atras, assim poderiam ser os sentido cumulativos


On te ema inda ma si uma for maçao c on co rr en te, ac r es c en t ava a inda uma da linha, t alvez nu m pre ac o r do de f avo rem t roca de b ene esses d ep o is das el ei ç o es, al ina zon da primeira da ribeirinha ao l ado d rio com a primeira da ponte por det ra sa e coa ar antigas das linhas, de uma v isa sao da cm l, de uma ca rta c aida no cha o, na al tura em q ue um ponte ca ira na am ae rc ia, dec id iram os ra p az es f az e rum a co r rid ad e marcha atrás, q eu m di ria, um nu mer ero e era v isi vaso do el nu made ria del es, o te rec iro, o u t re s q ue ana d ra rm de marcha atras, as si m pode r iam s ero os s en t id o cu mul t a ivo serpente

Emanuel, o tal passe da ritinha e dos ordenante, que estão por detrás dela, trás um sentido preciso, filho de Deus, como se insinuando então que o filho de Deus teria morto uma mulher que amava e a ficara a contemplar, depois no dn, um vídeo dos bandidos tentava pintar melhor a informação, aparecia o produtor que falava da peça, que só se via algumas imagens todas elas sem som próprio, portanto a tentativa do dizer estava no back ground da parede onde o senhor falava e onde se lia, em manuel nunes, ou da nunes, paula, cml, la douce, arte primeiro da ad do ado vaso da ce d os toi e b vi sky, das valsas da anda das danças, por debaixo trago eu em meu caderno a anotação de antonio preto, mais um bandido do psd, ao que parece, pelo miolo das noticias, das compras dos votos

Ema ano nu el da emmanuelle, imagem da k r us ten, kristen, circulo do t al passe da ritinha e dos o r dena antes, q ue es tao por det ra s dela, t ra s um s en t id o p r e c is o, fil h ode De us, com o se in sin ua ando en tao q ue o fil h ode De us te ria morto uma mul her q ue am ava e a fi cara a co m te mp l ar, d ep o is no dn, um v id e o dos ban dido s t en t ava pin tar mel hor a in for maçao, ap a r e cia o pro du tor q ue f ala ava da p eça, q ue s ó se via al gum as ima ge ns todas elas, s em s om pro p rio, porta anto a t em tat iva do di ze rat est ava no b ac ck kapa do g ro un d da parede, onda do circulo do s en hor fala ava e onda se l ia, em manuel nunes, o u da n un es, pa ila, ca am ml, la douce, arte prime iro da ad do ado vaso da ce d os toi e b vi sky, das v as l sas da anda das danças, por de b aico t rago eu em meu cade r no a ano taçao de antonio preto, maís um ban dido do ps dao q ue pa rece, p elo mi olo das not ti cia sd as co mp ra sd os vaso oto serpente


Ressoa isto tambem numa foto e numa linha aqui publicada com uma revista posta aqui ao pe de casa, e uma outra , ou melhor duas, fotos de passes de dois adolescentes, e de uma escola de formação profissional ali ao pé do antigo cinema ardido


R esso a is tota am b em nu ma f oto e numa da linha a qui pub lic ad ac om um r e v ista post a a qui a o pede c asa, e uma outra , ou mel h ro du as, f oto sd e p ass es de do is ad o l es c en t es, e de uma es c ola de fr oma maçao por rf fi s sio n al a lia, o p é do ant i g o cin ema ard dido, id do circulo

Este passe da puta rita, trouxe-me a mim dois perfumes, um em função do tal home aqui da rua com o bater da porta do bagajeira, uma antiga imagem que qui trago que copie da internet , americana, assim parece pela matricula, que os filhos da puta todos espiões que me espiam o saberão, e que achei muito estranha na altura em que a vi, pois parecendo ser um filme, não me deixou de suar a real, onde se ve uma jovem fechar uma bagageira de um carro com outra rapariga atada , e mais uma vez um perfume de violações e coisas assim se insinuava por distintas maneiras, ontem, no jardim deixaram um saco ikea, com uma bata, pensos, um papel de multa de carro, um curriculum, de uma jovem rapariga da amadora ou por aí, e hoje ao pagar no supermercado, uma capa de um revista onde li ,fui violada, me pareceu ao momento em que a li, real, como se uma outra voz real, ali de repente se tivesse espelhado, provavelmente um qualquer mentalista que por ali estava, e pela noite no noticiário, então, apareciam com o terceira parte deste fio,

Este passe da puta rita, este de este, t r ox e do traço da inglesa me primeira mim do is dos perfumes, um em fun sao dodo t al home a qui da rua com o bate rat da porta, do baga je ira, uma ant tiga ima mage made ria q ue qui t rago q ue cop pie da ie da internet , am e rc ian ana, as si m par 3 e ce p el a mat ricula, q ue os fil h os da puta todos es pei o r es q ue me es pe iam, o saberá, o, e q ue ac he i mui t o est ra anha na al tura em q ue a vip o is par e 4 c en do ser um fil me, n cão me de ix o u de s u ar a rea l, onda se eve uma j ove m fe ca h ar uma baga ge ira de um carro com de outra rapariga atada , e ema maís uma ave z de um do perfume, da s us da kin, de vi ola aç o es e co isa s as si made ria da se in sin u ava por di s tintas mane iras, on te mno do cabrão do jardim, de ix xara aram um s ac o i k e a, com uma bata, p en s os, um pap el demo l t ad dec carro, um cu r ric u l um, de uma j ove m ra pa riga da am ad ora o u po raí, e h oje ao pa g ar no super mer cado, uma da capa de um da revista onda li ,f ui vi o lada, me pa rec eu a o meo mn to em q ue a li, rea l, com o se uma o u t ra da voz rea al, al id e r e p en te se t iv esse es ep la h ad o, pro ova ave l que mente, um q u q l q u er men t al ista q ue por al i est ava, e p el ano lan da no it e no not ti cia rio, en tao, ap ar e c iam com o t rec e ira p arte d este fi do io do circulo,

O outro perfume vem de uma foto que copiei do blog da rosa leonor, onde se ve um belo corpo de mulher deitado de costas, no leito com os pés no chao e face tapada por um véu como de isis, e que de repente se encaixa pelo espirito na primeira imagem do emanuel, a que comentei para denunciar e a todos explicar a manha da rtp, nesse noticiário de segunda feira

O outro da kim , pe rf ff um eve made ria de uma f ot que cop pie eu do b lo g da rosa leonor, onda se eve um b elo corp o de mul her de it ado de c o at as, no do leito com os p es no cha e oe da face da , tapada, por um vaso do eu com ode iss sis, e q ue de r ep en te se enca iva p elo es pei to na prime ira rai ima mage made ria do e manuel, a q ue co men te ip do para den u cia ar e a todos e xp lia ar primeira da manha da rtp, ness e not ti cia rio de se gun da f e ira


Ali estava ontem uma menina toda pespineta a contar uma historia de uma enfermeira do hospital amadora sintra que fora ao que aprece violada ao sair dele, e se via por detrás dela, na portaria sentado uma figura ao fundo, de bata com calças abertas sentado no passeio em estranha posição, com um carro de prata parado que sugeria como que tivesse sido por ele atropelada


Ali est ava on te made ria uma menina toda p es pe inte , p rie mr ia do contra primeiro da historia, de uma en fer me ria do h s o pita l amadora sin t rac ue for aa o q ue ap rece v io lada ao s air dele, e se via por det ra s dela, na porta ria s en t ad o uma figu ra a o fundo, de bata com c al ç as ab e rta s s en t ad on o p ass sei io em est ra anha ps o i sao, com de um carro de p rata para do q ue s u ger ia com o q ue t iv esse s id o por el e at rop lea ad da primeira


Cadavar ambulante , chamo eu no vídeo a face da ritinha, que ao ver declinou por associação em cadáver exquise, grupo artístico


Ca d ava ar am bul k ante , c ham o eu no v id é o da primeira da face da ritinha, q ue a o ver dec lino u por as s os ia sao em c ad ave r e x q u ise, g rup o art is tico


Ouvira eu pelo espirito que alguém me teria acusado de violar alguém, coisa que nunca fiz, e ao pensar no que assim masi uma vez sopravam em termos de acusação em forma cobarde, e anónima, que tal se poderia relacionar com o estranho perfume das palavras da paula rego à volta do tal quadro, e de um bebe morto, de que ela não falara precisamente, mas que eu assim senti, e que se encaixava numa outra imagem abordada no vídeo, sobre a gisele, pois o sentido daquela imagem é esse tambem


O uv da ira eu p elo es pie it o q ue al gume me te ria ac usa sd sado dado de v io l ar al g eu made ria co isaque, isque iraque, n unc a fi ze ao pesa n r no q ue as si made ria ma si uma ave z s opra vam em te rm os de ac usa sao em forma co bar arde, e ani io nima, q ue eta al se pode ria r el a cio n ar com o est ra anho per rf um me s kin, cristina coutinho, da s pal av ra sd a p au la do rego à v o l t ad o t al quadro, e de um bebe mor to, de q ue el lan do cão fala ra pr e cisa sam am que mente, masque do eu as si made ria s en ti, e q ue se enca ix ava numa outra rai mage made ria ab o r dada no v id é o, s ob rea gisele, p o is o s en t id o da q u el a ima mage mé do esse tam am tambem


Um raio de sol que não chega ao mar, com um mulher que sofre em posição fetal, quer tambem dizer claramente que , um filho do sol, não chegou a terra, e pela mulher outro sentido preciso se clarifica, um bebe, ou seja , uma aborto, e que desse bebe, morto, alguns fizeram por ritual uma lamina que corta o mar, ou assim aponta, ou seja reforça a ideia que explicava , por intuição em parte, ainda, sobre o que nessa imagem da gisele me perturbara

Ness sa mage

Um raio sic são do sol, is sn dao ponta inda, ou na india, bao, tv cabo, g rupo da pt

Um rai, o d es sol, q ue n cão da chega dao mar, com um mul her q ue s o fr e em p os siç sao f eta al, q eu r ta m tambem di ze r clara tam am que mente, q ue , um fil h o do sol, n cão che g o ua da primeira da terra, br, e p el a mul her de outro s en t id o pr e c is o se c la rif fi ca, um bebe, o use seja , uma bao rt o, e q ue d esse bebe, mor to, al gus sn fi ze ram por rit ual uma la am mina q ue co rta circulo omar do mar, o ua ss em ap dao da ponta, o use seja ref orça a id e ia q ue e xp li c ava , por int tui sao em p arte, a inda, s ob reo q ue ness a ima ge made ria da g i se le me per t ub ara


Como o homem da esquina que parece ser então o satélite da sic, fizera o passe com a bagajeira sincronizado com a saída da patrícia, quando ela estava em frente a fachada da murpiri, parece então insinuar que talvez para alem da tal acusação da violação , ou do que for que as bestas inventaram, provavelmente para me tramar no passado, tambem se insinuava um rapto e por estar a rapariga ali, pode então ser que tenha sido ela a fazer a acusação ou sustentá-la o que liga obviamente a acusação tambem ao cavaco silva


Com o o h ome made ria da es suína vaso ina , q ue pa rece ser en tao o sate lite da sic, fi ze ra o p asse com a baga je ira sin c ron niza do c om a s aida da pat ric a, qua ando el a es tva em fr en te a f ac h ad a da m ur rp do piri, pa rece en tao in sin u ar q ue t alvez para al lem da t al ac usa sao da vi do io da ola, onda , cao , o u do que for q ue ás das best az sin v en t aram, por v ave lem n te para me t ram ar no do passado, t am tambem se in sio na ava um ra pt o e por es star a ra pa riga al ip do pode en tao ser q ue t en h a s id o el aa f az e ra cu sa ac da sao o u s us t en t á do traço ingles de la, o q ue da liga ob via am que mente, a q c usa sao tam am tambem prime ria do circulo do cavaco silva, ava cod do circulo do silva

Mirpur ao ver o vídeo e recordando os aviões me lembrei tambem do tal da mirpur que fora apanhado com coca na américa latina, e das ligações que se desvelaram a linha de cascais e ao alentejo, aqui na altura referenciadas, ou seja, provavelmente um acto feito com drogas, ripnol, as drogas das violações que apagam a memória, como hoje ecoava numa linha do dexter onde uma puta tenta assim incriminar um policia com o nome de anjo

Mir rp da puta do ur a ove ero v id é o e rec o r da dn do os aviões, me lem br rei do ei tam am tambem, do t al da mir p ur q ue for a ap ana hd o com coca na am erica la t ina, e da s liga ç o es q ue se d es vela aram primeira da linha de cascais e a do circulo do alentejo, al en tejo, a qui ina al t ur refer en cia ad as o use seja, pro ova ave le m n te um acto fe it o com d ro gás, rip pn no l, às das drogas das vi ola ç o es q ue a pa g am a me mor ia, com o h oje e coa ava numa da linha do dez x t ero inde, uma puta t en ta as si m in c rimi na ar um policia com o no me d e do anjo

Kanguru do belmiro, transcrito em minhas notas como kanguru, do bdo eiro, agencia de pub, bel, sin os do miro, do pintor espanhol, ou das tintas espanholas, corte do kanguru, corte, de corte do rei e corte de cortar, e depois ontem uma noticia na austrália de que sidney tinha ficado cheia de pó vermelho e que inclusive os aviões não descolaram, me lembrei da bela nicole e da bela personagem com o nome de sidney e do tal estampido do filme , que remete para o sitio onde, os candidatos mostravam a maratona , atenas, a andar para trás

Kapa dp ang do uguru, do bel miro, t ra sn c rito em min h as not as com o kanguru, do bdo eiro, a gen cia de pub, bel do miro, do pin tor es pan hol, o u d as t int as es pan hola s, co rte do kan guru, co rte, dec orte do rei e co rte de co rta r, e d ep o is on te m uma not ti cia na au s t ra l ia de q ue di fn e y tinha fi cado che ia de p ó vermelho e q ue inc lu s ive os avio es, n cão d es c ola aram, me lem br ei da b el ani c ole e da b el a perso ina ge m c om o no mede s id dn e y e do t al est a mp pido do filme , q ue reme te para o si tio onda, os cândida atos mos t rav am a mar t on a , at en as, a anda rp para rat, ps ra serpente

Curiosamente sobre a linha do eco no real do convite da mc can erickson, ao personagem que dá o nome a serie, mad man, eu troco o nome por mad max, ou seja um outro filme, apocalíptico, mel e tina turner, motas, e combates

C ur is o am nete sp s ob rea primeira da linha do e co nor el a do c on vi y te da mc can eri kapa do cao sep ren te on, a o persona ge made ria q ue d á o noe ema se rie, mad man, eu t roco o no me por m ad m ax, o use seja um outro fil me, ap o cali pit tico, mel e t ina t ur ne r, motas, e com bat es

Sendo que mad max, max, ressoa tambem no padre abusador de crianças na madeira, e declina ainda em ma do ax , ou seja do c it ro en, alguém da madeira, provavelmente da família da rapariga inglesa que aparecera na tv em dia não muito ido, numa reportagem e que eu pelo seu conteúdo , acabei de aqui comentar

S en doque made ria do ad max, max, r esso a t am tambem no do padre ab usa dor de c rian av ancas cortez na made ira, e dec l ina a inda em mad do ax , o use seja do c it ro en, al g u é made ria da madeira, pro ova ave lem n te da f am i l ia da ra pa riga inglesa q ue ap ar e cera na tv em dia n cão mui t o id o, nu ma r e porta tage ge mec ue ei u p elo conte u dó , aca ab ei de a qui com en tar

Fringe, queda das torres e ping pongue, ou seja tambem, uma antiga imagem de um jogo de pin pong do presidente chines com um menino, que aqui abordei e que depois trás um desenvolvimento agora via estas ultimas imagens da onu

Fr rin ingles do ge, ou doge, ou seja it al ia, p ong p on g ue, o use seja t am tambem uma ant tiga ima mage made ria de um j ogo de pin p ong do pr e s id dente en te ch ines com um me ino, q ue a qui ab o r de ie q ue d ep o is t ra s um d es en v o l v ie mn to agora via est as sul t ima s ima mage ns dao on vaso

Vírus matrix azul, letras brancas , e o pc craschou ao ver este ponto do vídeo e me apareceu a seguinte mensagem

Vi ru s m at r ix az u l, letras br ancas , e o pc c ra sc h o ua ove r este ponto do v id é co rc u lo do oe me ap ar 3 e c eu a se gui inte men sage maior

Dc, segundo da cc, code dez mi primeiro ds , dc bcp p oo, f a vinte e oito circulo sexto da mola do eixo do motor, bcp segundo carneiro da cobra que entrou na ave sica, da bo rb o l eta de it ad ado duplo circulo de se see en tao u se i c en t o se do is, da gai v ota ou do bat man do segundo, bc terceiro do t rat alo ingles do circulo, e b cp do pont do quarto do ser pen t f orte pr i me rio b de ce in q u en ta e se us se gun do da ad, f ur racao da serpente ver estrela do traço do onze do duzentos e sessenta do traço ingles sp terceiro, por du ct da mandala do principe do anzol, do onze do quim ze de noventa e t ra sd o t ra aço do mp en g ine d ll, do onze dos estrela do circulo do f ur ac são raçao, da gt av id es da estrela do ponto do falo do circulo do vaso do id da prime ria do d u zen to se dez ase is circulo do ff, dn set.,

Cheiro do bebe, marc ac home ave, o corpo mimo vaso, um sentir semelhante ao braço dormente quando nossa amada dorme em cima dele, por isso te digo que precisamos de um colchão de penas, cruz ni circulo rio , cruz da ele eva do vaso da são, laminas celtas, casinos celtas, girândola de agua, tsunami, oriente, vaso , giroscopio, cabeças, mais uma ideia que me roubaram, e que declina tambem em helis, e queda deles, sismógrafo fino, tremor de terra, preto, me apareceu um deputado do psd com o mesmo nome, que poderá ser ou não ser da família da preto, ou lá como é que ela se chama, rapazinho dos futebois do norte, e dos circulo lube, dois mil e onze, traço ingles da cruz invertida n ceu, assim desenha a mao, do bottle do neck, ou seja tambem do apertão, do tal estrangulamento, e da tal asfixia, demo c rat tico, do no da claque do no espaço, es paço , vam am , piros vam am, da cruz deitada em forma de percentil do bar do ra do tua, acores, do bar do rqa da ilha, correio carneiro, transfer prosegur traço ingles horus, que serve os partidos, ruivas, distribui à esquerda e a direita, as cartas, e as informações do que eu faço, e por onde ando, gabinete do primeiro ministro , o assessor que não me respondeu, sida don ns serpente, a serpente da sida do don da norte sul, gabi nte do socrates, hernani, ruas cios, vermelho, alcorao, a vaca e capo dez, ou seja a vaca de jonas, o titulo de um outro filme francês, jonas, que aurat je ne me souviens pas combien d´annes em deux mille, poney remete para a morte do papa, templo do templo, do bar do ra do te mp circulo, a faca da madeira, ilha, que se desvela por detrás do ab que partiu o vidro ingles com a marca do templo, ou do templário, com ligação eventual ou nao as pirâmides, ou seja ritos, ou egípcio ou maia

C he iro do bebe, mar c ac h om me ave, o corp o mimo da ova do vaso, um s en tir semem l h ante ao br aço dor mente qua ando no ss a am ad a dor me em c ima de le, por iss o te di g o c ue pr e c isa dsa sam am mos de um co l chá o de p en as, c ru x zorro do ni circulo rio , c ru zorro da el e eva do vaso da são, la am minas celtas, ca sino s celtas, g ira n d ola de agua, ts un ami, o rei i nte, vaso , g iro s cop io, cab eça s, maís uma id e i q ue me ro ub aram, e q ue dec lina tam am tambem em h elis, e queda del es, sis mo g raf o f ino, t rem emo mor de terra, preto, me ap ar e c eu um dep u t ad o do ps dc om o me sm o nome, q ue pode rá s ero un cão, ser da f am i lia da pr e it o, o u l á com o é q ue el a se c ham a, ra p az in h s o do s fute bois do n orte, e do s c ir c ulo lube, do is mi da ile e on ze, t ra aço ingles da c ru zorro in v e tid an c eu, as si m d es en h a am a o, do b ot t le do one ne ck, do colar, p es coco doc ola rato ps, o use seja t am tambem do ap e rta tao, do t al est rang gula lam am men to, e da t al ax fx ia, demo c rat tico, do no da claque do no es p sao, es paço , vam am , piros vam am, da cruz de u t ad a em forma de pr e c en til do bar do ra do tua, aco ire es, do bar dor da pata da ilha, co r rei io do carneiro, t rna s fer por segur t r aço ingles hi ru s, q u y e serve os p art id os, rui iva s, di s t ru bu ia esquerda e a direita, as ca rta s , gabi net do prime iro min si y t ro , o asse ss e o rato q ue n cão me r es ponde eu, sida don ns serpente, a serpente da sida do don da norte sul, gabi nte do soc rat es, her da nani, ru as cios, vermelho, al cora o, a ava vaca e capo dez, o use seja a vaca de jonas, o ti u t u lo de um outro filme fr anc es, jonas, q ue au rat je ne me s o uv ie ns pas com b ie en d´annes em de ux mi ll e, p one y reme te para a mo rte do pap a, te mp lo dote mp lo, do bar do ra do te mp circulo, a f aca da madeira, ilha, que se d eve la por det ra sd o ab q ue p art ti ur o v id ro ingles com da primeira am marca do templo, o u do te mp la rio, com liga sao eve en t us sal o un cao as pira mide es, o use sed seja rito serpente, o caralho do ps do processo da casa pia, , o u e gip ip cio circulo do vaso da maia

Falei eu no vídeo especificamente nos nomes dos mortos em cm camarate, quando falo de novo com a bestinha marcelo rebelo de sousa, e ao ouvir e ver o vídeo, sinto quase naquela forma que usei, referenciando os nomes , assim como uma acusação, e me pergunto, então quem

F al ei eu no v id é c ric culo es pe cif icam am que mente, nós mo men ns do s m orto serpente em cm da cama do rate, qua anda do falo de en vaso do circulo doc, com da primeira da bes tinha do marcelo rebelo de sousa, e a oo u v ire vaso do ero v id é circulo, sin to qua ase na q u el a forma q ue use ei, ref fr en cia ando os no mes , as si mc omo uma ac usa co cortez, e me per gun to, en tao q ue e maior

Diz tambem a palavra que a historia das tais pretensas escutas é uma tetra e explica porque assim é até esse momento, e que pelas palavras do jornalista do tal cio no canal dois, a linha do anel, em vez do dedo e da mao, a mao da vontade, do will, do chicote, do punhal e da caneta, parece então ser, um bode expiatório que cavaco sacrifica para esconder e proteger outrem, assim ficara o caso

Di zorro t am tambem primeira da ap pal av ra da rac , seio serpente do q ue da primeira historia, hi s tori , primeira das tais, br, pr e t en sas es cu t as é uma te rta e e xp lica por q ue ass si mé primeira da té, ess emo mo do men to, e q ue p el as pal av ra sd do circulo do jornalista do t al cio no c ana l do is, primeira da linha do anel, em vaso e zorro do de d oe da mao, a mao da vontade, do wi do ll, energia, do cho cite, do p un home da al e da c ane eta, pa rece en tao ser, um do bode e xp iat o rio q ue cavaco s ac rif fca para es conde der e pro te g ero u t rem, as si made ria fi o cara do circulo do caso, do louco

De seguida , a morte de um ex ministro de cavaco de que nem me lembro, mas cujo nome logo me chamou a atenção, bem como imagens antigas dos dois no que me pareceu ser a figueira da foz, no tal congresso onde a besta se tornou presidente do psd, dizendo que só lá fora mudar o óleo ao carro,

De se guida , a m orte de um e x ministro de cavaco, deque ne made ria da me lem br o, mas cu j on om me lo gato do io me c ham o ua a t en sao, b em com o ima mage en ns anti ti gás do sd oi s n o q ue me par e c eu ser a figueira da f oz, no t al congresso onda da primeira besta se torno vaso do pr e sin det do psd, di z en do que s ó l á f o rta mud aro do circulo do leo da primeira do circulo do carro,

Me recordo do que aqui contei neste Livro da Vida, da coincidência que a margarida rebelo pinto provocou ao sugerir que fossemos esse fim de semana, com o luis botequilha que a acompanhava e a minha namorada cristina pinto ao hotel da termas, e de termos andado nesse fim de semana na figueira da foz onde numa livraria comprei os livros da colecção livros do brasil., que agora mesmo tinha de novo abordado, com os belíssimos autores como john steinbeck que literalmente devorei da primeira a ultima pagina, uma colecção antiga que ali encontrara numa antiga livraria

Me do mer do record, circulo do que da primeira do qui aqui, conte ei nest e L iv roda V id a, david, da coin c id en cia q ue a margarida rebelo pinto p o tv o co ua o s u ger i rat q ue f os s emo s esse fi made ria de se mana, com do circulo do luis bote da qui da ilha, q ue a ac cm o pan anha ava e a min h ana mora da c r si u t i na pinto, ado do circulo do hotel da termas, e de te rm os anda dado ness e fi made ria de se m an na fu g eu ira da f oz, onda numa livraria, co mp rei os livor, pelicano, s da c ole sao l iv ros do br as i l., q ue agora me sm do circulo da tinha , de en ovo ab o r dado, com os be iss imo s au o r es com o jo n home do piano, pi do ano, stein do be ck q ue lite ra lente do evo rei da prime ira a u l t ima pa gina, uma cole sao anti tiga, q ue al i en c on tara numa ant g al gal iv ra ria

E dos imagens recentes de estranhos perfumes ali naquela região , na zona dos leitões assados, que numa viagem recente com meus pais ao norte, relatei

E d o s ima ge ns rec en t es de est ra anhos per rf um es serpente da kin, al ina q u el a reg ia o , na zon ad os lei to es as sado serpentes , quadrado da ue numa via ge made rira mr rec en tec om me us pa isa on orte, r el a t ei

Jantáramos aqui em alcantara na tasca do senhor joao, andava eu com a cristina quase no começo, a margarida tinha mais um namoro breve , assim parecia, e decidimos arrancar depois desse jantar e chegamos ao hotel , onde me recordo, haver um festa no salão , com um baile, pois deveria ser ou carnaval, ou algo assim, e que fizera nessa noite amor com a cristina, a quem a margarida, começara de alguma forma a emprenhar, com a paixão que sempre lhe tive, e a senti estranhamente distante, como se algo se tivesse passado, que não percebi o que fora

Jan te tara sm o a aqui em al can tara na t as c ado do s en hor joao, anda ava eu com a c r is t ina q u ase no com e coa cortez da primeira da margarida, tinha maís um na moro br eve , as si made ria pa rec ia, e dec id imo s ar ran car d ep o is d esse j antar e c h ega gamos a o home do circulo da tel , onda me record circulo, h ave rum da festa no sala circulo, ra di do io da rena sn c ença, com do primeiro ba ile, p o is d eve ria s ero vaso car da naval, o u al goa ss si me c ue fi ze ra ness primeira ano da no it e amor com da primeira da cristina, a q u ema margarida, com eça ra cara espanhola, de al gum a forma a e mp ren h ar, com da primeira da paixão, teresa paixão, q ue se mp re l he t ive, e a s en ti est ra anha ham am que mente di st ante, com o seal al gose, t
iv esse p ass sado ad circulo, q ue n cão per rc cebi do circulo do q ue for ra da primeira

Margarida que aparecera agora de nov na tv, a comentara numa promoção uma passagem de alguém, onde pelo seu conteúdo dizia ela , ser o retracto dos homens que acham que o lugar das mulheres é em casa, exactamente depois de eu escrever aqui a bela escritora levy, e margarida, do tal grupo que esteve por detrás do lançamento do santana, conjuntamente com o pedro lopes, e outros bandidos, bem provavelmente a tal que distribui à esquerda e à direita, os meus escritos, as minhas historias, e organiza assim a continua vampiragem

Margarida q ue ap ar e cera agora de no vaso na tv, a com en t ra numa pro mo são, uma pa ss a ge made ria de al g ue em, onda p elo s eu conte do vaso dó, di z ia el a , s ero r e cruz do rato dos h o m en ns q ue ac ham am , q ue o lu g ar das mul her es é em c asa, e x aca tamen te, d ep o is de eu es c r eve ra da primeira do qui, á bela es c riti ra da levy, e margarida, do t al g rup o q ue es tve por det ra serpente do l anc ç a em n to do santana, c on j un tamen te que mente com o p d ero do lopes, e outros ban dido sb em pro ova ave lem net a t al q ue di s t rib u i à esquerda e à direita, os me us es c rito sas min home do às das historias, e o r gan do niza, as sima conti n ua vam pira da rage ge maior

A puta que usou num dos seus livros o titulo de um conceito que eu um dia lhe expliquei em pormenor, não há coincidências

A puta q ue us o un um dos se us l iv ros o titu lo de um c on ce ei vaso to que eu um dia l he e xp l q eu ei em por men o rato , n cão homem á coin c id en cia serpentes

Quando dei pela noticia, o nome logo se tornou explicito, falcão cunha, ou seja a cunha do falcão, do americano, a cunha que serve para abrir objectos diversos, tambem cofres com segredos, e que aparecera de nov numa imagem recente no algarve, de alguma relacionada tambem com a morte de ted kennedy, um outro falcão, o manuel , acabara tambem de aparecer na tv, um que fora da apit tambem, a falar em tipo duelo com os do ps em masoquismo , como aqui neste texto acima narrado

Qua ando de ip el lan do ano do not tic cia ia, o no me l ogo se torno vaso eu xp li c it o, do falcão cunha, f al cao do cunha, c un unha, o use seja prime ria do ac cc da unha do falcão, do am erica ano no da primeira cunha, q ue serve para ab r i r ob ject os di versos, t am tambem co fr es com do segredo sec q ue ap ar e cera de en ov nu ma ima mage made ria rec en te do en no do algarve, de al gum a r el a cio n ad a t am tambem com da primeira mo rte de ted k en ne d delta ,um outro do falcão, o man buel , aca br a t am tambem de ap ar rece rna tv, um q ue for ad primeira ap it t am tambem, a f al ar em t ip o du leo do elo do com do os do ps em maso q u is mos , c omo da primeira do ki aqui, nest e te x to ac ima na radio renascença, da ad, circulo

Cunha no algarve relacionado com janelas de laminas em vidro sobre o mar, do delta das flores amarelas que ressoara nas que se viam dentro da janela de ted em, camelo t, a queda das falésias, que se dera antes, a cunha do mar, ou seja a cunha do tsunami, falcão, que muito aparecia em diversos e múltiplas linhas deste texto


C unha da cuna, da un primeira do home do no al rave r el ac cio in na ad do circulo com jane la s de la am minas em v id ro s ob reo do circulo do oma mar do delta das flor, fr mulas one do es am mar el as q ue rato do esso oara na serpente do quadrado da ue se vi am do quadrado en da cruz roda da j en la de ted em lam am z ero te, cam e lot, a europeia dada s f al es ia s, q ue se der a ant es, a c unha do mar, o use seja a c unha do ts un ami do falcão, q ue mu it o ap ar e cia em di versos e mul t ip la s linhas d este te x to

Cunha, da família da teresa cunha, do livro do poeta fernado pessoa aqui abordado, e do filho maluco rodrigo cunha e de todas as linhas que à volta deste nomes se estruturam

Cunha, da f ami lia da teresa, cunha, do l iv roda do poeta fernado p esso da primeira do qui aqui, ab bora do circulo do rato do ad o, e do foret do vaso primeiro home do circulo malu co rodrigo cunha e de todas às das linhas, q ue à v o l t ad este no mes se est ru ruta tam am

Falo eu no vídeo que antecede esta morte, em queda de diversos aviões para alem do que ia sá carneiro e seus acompanhantes, , em roubo de filhos e actos de tortura, de juizes corruptos despromovidos para proteger as acusações ao mario soares, patrono das putas do ps, e tambem envolvido no roubo de meu filho

Falo europeu un no v id é circulo do q ue ante cede e sta mo rte, em queda de di vaso do ero serpente da terceira, acores, serpente do avio es para al lem do q ue ia sá can rne iro e se us ac om mp anha ant es, , em ro ub o de fil h os se ds dos actos de tor ru t r a, de juizes corruptos, ju ise es co rr up pt os, d es por m ov id os para pr tie ger as ac usa ç o es a o mario soares, patrono da serpentes das putas do ps, e eta tam am tambem, en vaso do circulo do primeiro do vaso, id do circulo do mandante do roubo de meu filho

Exijo a vossa confissão, a começar pelo que se diz levar as vestes de presidente, e que se comporta como um bandido fora da lei, e dos outros todos aqui convocados igualmente!!!!

E x i jo av os sa c on f iss o a, a c o me ç ar p elo q ue se di zorro l eva ra serpente do vaso estes de pr e sin det e, e q ue se da comporta, set ub bal al, com o um bandido for a da lei, e dos outros todos a qui c on vaso do circulo dos cados, sig ual le lem n te!!!!

Ou leveis tambem a começar por si senhor cavaco silva, a acusação da morte de sá carneiro !!!!

O vaso l eve is t am tambem ema com eça ar por si s en hor do cavaco silva, a ac usa são da acusação da morte de sá ca ra ane iro !!!!

Que filho da puta sois, ainda me tentaram acusar de mais esta morte, morrei, quentinhos no inferno, com a conta do tsunami entre outras !!!!!

abro agora pelas quase sete horas desta manha um dos livros que peguei na estante, para confimar, saiu-me o milagre de san francisco, do john steinbeck, abro ao calhas, qaunto o calhas é calhas, e me sai, xl, como nas mais adversas circunstancias , o amor sugiu em big joe portagee, em monte do rey, ou seja em espanha, os paisanos da tortilla, fla t , a primeira da casa da tia ignacia

ab ro do agora p el as q ua ase set td da hor as de sta desta manha, um dos l iv rosque pe q ue eu ina na est ante, para c on fi imar mar, sa e vaso do traço da inglesa me o mila gre de san francisco, de jo hoem n do p vaso do ano stein beck, ab ro primeira do circulo ca das alhas, é c alas seme sa i xl , com on as ma is ad dv veras cir cu sn tan cias , o am mor serpenet do vaso gi , vaso em big , joe da porta m gee, em monte de r eu do rey, circulo do vaso use do seja es pan anha, os pa sis noa ad da primeira da tortilhas, tor da ti da ilha, da onda italiana, fla,a cores, ap primeri ira da ac asa da casa dat ia da e gn, a ac cia