domingo, novembro 08, 2009

cheguei a casa e abri a televisao , que alguem deixara na sic e as rosas vermelhas ao instante floriram, e a vi bela menina de meu coracao, bela como sempre com seu olhar de gata, e depois uma outra gata ainda, que me fez como que alucinar, pois era sua cara chapada, belissima em seu sorriso e alegria, no espirito se repetia o cio do ultimo dia das sessoes, que era o ultimo dia em que ali estava às voltas daquele predio, e eu baralhado mais confuso fiquei, mas qual das rosas, se verdadeiro é o dizer sobre elas, ah Meu Deus, trás minha amada, ao perto pertinho de mim

ah são belas as rosas, bela amada como tu, que te mantens ao longe e distante

che gato eu ei primeira circulo asa e ab br ria ia priemria da televisao, q ue al g ue em de ix ar ana da sic e às das ro as das roas, verme mel homem às , priemira do circulo do ins t ante flor iram, é primeira avi vaso vi be la menina de me eu cora ac cao, be la com circulo se mp rec om s eu o priemri homem da ar, de gata, rapaz do av pt, e quadrado da ep o is de uma doc irc culo do vaso delta ra gata inda q ue me de fez com circulo q ue al lui cina ina ar, p o is e ra s ua cara cha ap da pada, belissima em s eu cayatte, e alle gato ria ia , no es i rio se rep pet ia circulo do cio do vasso ultimo, dia, das s ess o es, que ra circulo do vaso do primeiro da cruz imo dia em q ue ali estav, Às das voltas, da q ue pr e di o , e eu bara alhaad circulo ma si c on fuso fic q ue ei, mas q ual das roas, se eve verde dade eé circulo di ze rato s ob br eel as , priemria home me vaso de us, cruz ra seprente min homem da primeira amada, primeira circulo do per do to do oet tinho da mim. priemria do homem sa aio , a io, de belas, loures, as rias rosas be la lam am mad primeira com circulo da cruz vaso, q ue te man te en ns da priemira do circulo do longe, e di st ante


abrira eu finalmente uma outra prenda de uma outra rosa, que estava embrulhada à muitas muitas luas, pois é assim meio programa infantil e esperava eu no natal de dois mil e seis, o abrir com meu filho , que ja nao o passou comigo, pois entretanto foi roubado, assim ficara com celofane até antes de ontem, pois pelo espirito, escutara que o segredo estava na quinta, e assim a fui ver, meti o dvd no gato do quadrado da maça, mas aquilo nao funcionava, estava com uma estranha cola na bolacha que limpei com alcoll, e depois o consegui ver no dvd player, o outro, o magic s can

ab br ira eu fina al lem n te de uma outra, pr en dede , uma outra rosa,q ue e ts ava em b ru la hd circulo à mu it a sm vaso it as luas, p o is ise e ass si em me do io por gaar ram in fan til, e es pera ava europeia, em dois mile e seis, circulo ab br r rc om me vaso de meu fil ho, q ue j ana nai p ass circulo do vaso com mig ep o is eb cruz ratops eta ant circulo f dd do io ro ub ad circulo, ass si mf icar car com celo f ane a te an es de on te mp o isp p elo es pi rito, es cu tara, q eu do circulo do segredo, es tva, na quinta, e ass sima priemria do f dovaso do io ive rata, met io circulo do dvd no do gato do quadrado da maça, mas q u ilo, n caof un cio na acam estavcom uma e ts rata na home c ola na bola acha q ue li mp ei com al co do onze, e d ep o is circulo co ns se gui ver no dvd pl ayer, circulo duplo do ur do circulo do magic, serpente can, eua

antes procurara de novo as vhs com dança, e encontrara tres, a do concerto do jorge palma com seu gang, uma de programas e pub da latina europa e no quinto spot vi, depois de uma animacao do azeite galo, onde o galo levanta a cabeca como eles sempre fazem em suas crinas emplunadas, um da asa, um que lá chegou sem mesmo eu saber como, de uma publicacao nova de uma revista que creio que nem chegou a a sair, e nele leio

ant es pro roc cura ara ad en ovo, as vaso homem seprente, com dn da ana, e en c on cruz rato ara tres, ad circulodoc on se rr delat circulo do jorge com x om s ue gang, uma de por g ra sm e da pub da la t ina eu ur ropa, it, no quin to da spot e vaso id e p o is de uma da ani ima macao, do az e it e gal circulo, onda circulo deo do galo, le eva anta priemria ac cabe bessam com do circulo deles, se mp ref az me em ms us serpente cdas crinas em mp lina ad as, me ap pere rece eu de um da asa, um q ue la che gato circulo do vaso se m me sm o eu , o saber,com circulo de uma da pub ciaac cao da fac nova, de um revista q ue circulo reio do io q ue ne mc he gato circulo do vaso a asa air e en nek le , lei, circulo le do io


o rei sol a passear, meio bebedo, se cruza com uma libelinha e um maria frango depenada com duas garras como os frangos em geral, acabara de ver imagens de frangos depenados amando-se numa outra photo, estranhas fotos, a voz pergunta , o rei sol usava bronzeador, e lhe cai uma maça vermelha da arvore que lhe arranca a cabeca e o deixa estendido no chao, o pensador de rodin, num trono com asas e o gato preto, melies , a lua macho, olha do ceu, o conquistador espanhol de arcabuz dispara, a bala que lhe acerta no olho e um semi circulo de tres estrelas europeias ao instante se forma, primeiro angulo do doze forte lnf , malta cruzado, que leva com um cavalo de troia em cima, por ali se desvela um rapaz com mascara de diabo, certamente o que lhe preparaou a armadilha, o macaco, do circulo do macaco costa, ps, a mao de dali, la rousse, do joven primeiro e do jovem segundo, a criacao do universo, o big bang das etsrelas uma atmosfera fragil, rochas em fusao, ceu da boca, pal ato, en cico ped ia , la aro da rousse, jovem um mais do is, duas maoas ,da vontade, em que os fasciculos que se vem no pack shot, estao descentrados entre si, como o chao da serie anterior do prgrama da camara clara, rtp, canal dois, a puta

circulo do rei sol, ap ass sw se ra, emi circulo do bebedo, se circulo da sec da armadilha, circulo ru uza, com primerio lebe da linha e um da maria fra gato circulo quadrao ds ep pen ad da primeira, com do às das garras com circulo dos frangos, em ge r ra al, aca ab br ra ad eve rato ima ge en ns, de fr ang os d ep pen ad os an man do bar do ra da sé, nu i ma de outra da ph oto, e ts ra anhas f oto sa priemria da voz, per gun da cruz primeria, circulo do rei sol isa usa ava, bromze ad dor, el he ca e uma da maça verme mel homem da primeira, da arvore, q ue l he a rr rna aca priemria cabe eca, e circulo de ix da primeira est en dido ni circulo do cha circulo do pensador, de rodin, ro da din, nu primeiro cruz rom corculo com asas, é circulo do gato preto, loja,me das lies ie es, priemria al luamacho, circulo do primeiro homem ad circulo doc eu, circulo co conquisatdor, espanho, com q ue us sta ad dor, es pan hol, de arca ab buz, di spa ra, priemria de malta cruzado, q ue el eva com primerio cavalo c aca alo, em c ima, por ali ise sed es vela de um ra ap zorro com mascara de da ibo, ce rta tam am men cruz circulo q ue do que lhe preparou a armadilha, circulo do macaco doc irc do culo do macaco osta, ps, a mao de dali, dalio, la rousse, do j ove en pr ie mr io e do joven segundo, priemria ac ria ac cao do univer serpente do circulo, circulo do bigbang da e ts rato el as , um t am mos fera do fragil roc cha serpente fuso usa sao, c eu do boca, da besta, pal do ato en cic circulo ped iala aro da rousse, j ove mu priemrio mais, fr, do is, do às da mao, ad circulo da vonatde, em q ue os f ax sci cic culos q ue se eve mno p ac ck s hot, es tap quadradp es sc en t rato ps ad circulo en cruz re si com do duplo circulo do cga, circulo da se rie ie ante do ior, da camara clara, a puta

continua... mas nao hoje mais

carta a m k n homem da primeira, a mad a em tres belas, a ausencia ainda de sua face deitada comigo em nosso leito, bua!!!!!1111

ca rta a min h a amada enm tres bel
.
..
ah doce senhora
por aqui ao perto andais
nao dao meus olhos consigo
mais perto do que no longe
da fria caixinha
.
..
a p n m d
dmnpa
asoea
aeosa
primeira homem hd circulo da ce rn hora por a qui , primeia circulo do per to anda is n cao do dao me is circulo h os c on sig circulo mais, fr, per to do que no do longe, da fr ia da caixinha, da tv, ca ix in homem da primeira
.
..
sois bela
com
vossa
face
de
gata
gatinha
joven
eterna
com
ar
de
menina
menino
.
..
s c v f d g g j ec a d mm
d ac e j gg d f v c s
am a ee a an a m r e a o
o a e r mana a ee am a
serpente circulo is bela, com vaso os sa da face, de gg gata priemria tinha, ji iv do ove v en e te rna com ar de men ina e men ino
.
..
vos
vejo
a
representar
como
a
brincar
espero
eu
e
nao
espero
.
..

vv a r c a b e e en
ne ee ba c ra vv
s oaria ri u e o
oe u o ra o ra os
vaso os do vejo, br, priemria a rata ep pr es e en tar, com circulo da primeira br inca rato es p ero, e en nau es sp pero do ero
.
..
pois me lembro
de
vos
feita
maria
madalena
em
jerusalem
num
momento
da
vida
em
que
nas
vezes calha
o peso
de
todo
o destino
no coracao de cada um
dentro
do
uno
coracao
.
..
pm l do quadrado do vaso da fm me jn made ria do quadrado digit al dve e quadrado n vc vaso circulo , o da p dt dop do circulo do dn cd cu dd un

p o is me lem br o, de evo v os feita, f ei t primeira, maria mad al lena, em jer rusa usa salem,no primeio mo om men cruzx do circulo david, em q ue na s vaso e zorro espanhol circulo alha , circulo peso, de to do gato assanahdo, circulo d espanhold do tino, no cor rac coaad dec ad da aum, quadrado en crzu rod do circulo do onze do lop do un circulo co da racao
.
..
e
tudo
se
escuta
tudo
se
sabe
tudo
se
pesa
em
cada
um

e t s e t ss t sp e cu
u ce ps ts st ste
e oe cao ee o s am au

e cruz vaso do se es cu cruz primeira se sabe, s ane cruz tudo, se ps pesa, em c ad da a um
.
..
agora
vos
vejos
aos
pedacos
filamentos
subindo a escada
do metro
roçando
sua mao
trocando
a
dor
de
dentro
pela
dor
de
fora
com
a
hera
ao
fundo
.
..

a vv ap ps sa e quadrado do mr sm t ad dd dp dd fca homem antonio forte

agora vaso os do vejo br seprente, primeira os peda acos, fi da ile le lem ema manto serpernte, s ub indo primeira escada, do metro, roca ando s ua mao cruz roca can ando primeira dor, de d en cruz rop el a for da primeira com da primeira hera circulo do primeira do f un do

.
..
pelo
espirito
as
linhas
do
cio
me
dizem
pelas
x
horas
ali
ultima
sessao
de
fotografias
ao
lado
daquele
predio

pe al dc m dp z h au sd f al dp
p elo es pi rito as linhas do cio do io me di ze made ria p el as x hor as ali vaso priemira cruz ima s es sao de f oto tor tora gato raf fia as lado, da q ue le pr e didi do io
.
..
depois
me
falam
do
hotel
e
uma
hora
de
novo
desponta

d m f d homem eu hd dn quadrado
quadrado ep o is me f al lam am do homem ot al tel e uma hor priemira de en ovo quadrado es sp ponta
.
..

eu parado
fico
me
movendo
em
meu dentro
e
fora

ep fm me made ria f

eu paar ad circulo fi co me mo ov vaso en do em me vaso do quadrado em crzu ro e f ota for
primeira
.
..
num
contexto
mais
alargado
ou
mais
curto
quem
o
sabe
.
..
nc mao mc q os

no primeiro con teto e xo mais, fr, al arga gado circulo onze vaso maisdo curto, pedro, q ue emo circulo o sabe, s ab abe
.
..

na
vela
da
escrita
ouvi
.
..

n v deo
oe dv n
aa a ai
ia aa a
na vela vaso dela da es circulo da rita circulo uv vi
.
..

fui
eu
que
te matei
na latina
com
a
ajuda
da
arte
da
aguia
do
coa
.
..

f e q tmn l ca ad a dad dc
forte do vaso do io euroqpeu, quedrado europeu te mat ei na la t ina, com da primeira da a jud a , da arte rte, da aguia doc coa, tex
.
..
de
um
beijo
invertido
em
noventa e
um

d ub ie ene eru eu
de priemrio bei jo, b ei j do circulo do primeiro beijo invertido, em noventa e um
.
..
com
os
ovos
.
..

co o
oo c
ms s
s sm

com os dos ovos
.
..
ah
se
ao
menos
fosse
em
meus
labios
.
..

asa mf e ml
priemria homem se cao men en ni is fosse, em me us l ab bi io os
.
..
menina
doce
com
ar
sempre
espantado
.
..

m dc ase
me en mina dc cio cod dd dc e com da ar se maior c h ave etare es spa pan c r au ad circulo
.
..

e eu lhes ficassse
a ver as covinhas
de
seu sorriso em meus
olhos nascer
.
..

e el f cv a cds se non
e europeu priemiro ingles espanhol fi c ass se do casse, a ave ra serpenete sc ov vinhas seprente das ovinhas, de s eu sorriso, cayatte, em me us circulo do priemrio home os sol na sc se rato toi ps
.
..
se
o espanto
espantado
do
amor
crescesse
em seu peito
no meu
.
..

s oe d ac e s p n m
se circulo es pan t ad circulo do amo mor c rato es sc esse em s eu pei it circulo no me europeu vaso
.
..

me dizes dos olhos
onde
se vê a paixao
.
..

m dd o os v ap

me di ize es do sol visao priemrio do circulo j ho os onda s eve priemria paixao
.
..
sim
assim é
me
recordo de si
alongada
numa chaise
longa
vestida
de
negro
e
prata
no intenso
de
seus
olhos
e
olhar
.
..
sa é mr ds a anc l v dn ep ni d s oe o
se ass si maior é, me record circulo de si, al ing gada alan , al lan, l ong a vaso est id da priemira de ne gato ro e do prata no int en serpernet circulo de se us o l h os e circulo homem priemiro da
ar
.
..

mais intenso
ou
estupido
ou mesmo
vernaculo
uma outra voz
ou a mesma voz
me fala da boa cama
.
..

mi oe om v u ovo am v m f db c

mais, fr int en seprente circulo, circulo do vaso cio est vasopido, circulo dovaso me sm circulo ver ran culo de uma , outra da voz, me f ala da bia cama,
faco grrr por dentro

f gp d
f ac aco gato rato rena ascensa por den t ro
.
..

às vis misturas do que nunca se mistura
prefiro sorrir por dentro falando consigo
mesmo que a beijasse inteira em mil vezes
.
..

av m d q n s m ps p d f cm q ab ie m v
às serpenet das vis misturas, doque nu, unc priemria se da eni em ki is tura pr e f iro sor rato e rp por d en cruz ro f al lan ando co ns sig circulo me sm circulo q que da priemira do ab beja bei, j, asse inte te da ira em mi primeierio vaso e zorro espanhol
.
..

penso
coisa estranha, em mim
se calhar deveras desaconselhavel
melhor seria muito a beijar
sempre
.
..

pc e e ms cd dd ms sm ab s

pen s circulo co isa est ra anha em mim swe cala hoeme da ar de eve vera serpente de saco, ps, cultura, sel home ave el
.
..


rolo seu nome de gata em meus labios interiores
e me digo
deveria pegar numa foto sua e pintar-lhe assim umas barbas
e ver se mesmo assim em seus olhos moraria a doçura
e supresa minha, na cia caixinha, a menina desenha barbados
fala de paixao de realizadores com que trabalhou
e os olhos do rapaz num plano sem barbas, assim meio de angustia
como se implorando o ceu, certamente o ceu de seus olhos e de seus labios
me pergunto, e pergunto ao outro belo rapaz que por aqui anda consigo
se deverei deixar a porta aberta, e acordar assim como uma vez em espelho
o vivi
me transformo em borboleta e vou espreitar o story board
se agita em mim o outono a presenca no leito
antes no plano na sala das danças a bela para com a mao o rapaz fogoso que para si caminha apressado
e de repente dou comigo a pensar numa outra rapariga que consigo assim parece
como se me estivesse a contar uma historia antiga
quem sabe para melhor me situar
na realidade me situava bem em seus labios a escuta-la ao pé
e em outros lugares
a rapariga francesa falava regularmente o portuges com as arvores do fundo da avenida e um candieiro dobrado em cima do lado na tarde do cinema frances, pedia deculpa num erro gramatical, meus ouvidos se perguntavam, que gramtica outra ali estaria por detras, e me recordei ao instante de uma ida a esse cinema, numa outra ediçcao, minha amada, ou o cio como ela, me chamara, ali precisamente,
parecia um passaro, leve em sua forma de estar e de se mover, quando os papeis, nao lhe pesam os gestos em angustias que espero sempre encenadas, como em forma esquizofrenica, dentro o bastante para serem projectadas como reais na tela, mas sempre distintas, para nao germinarem dentro a serio, que é bela de mais para andar assim precupada,
depois, a menina em seu quarto, por detras algo parecido com os ovos, baloes brancos, a voar, e me lembro eu de brincar assim com um, e me pergunto, que é isto, que guiao real ou imaginario ou imaginario real, que espelho é este que a menina espelha, olho os baloizinhos, e me pergunto, falara ela dos ovinhos, ou de olhinhos, ou ainda, de voar, ou de festas, com baloes, lançados como pombas a vaor sobre as avenidas,
quereis tomar um cafe comigo
eu faco o cafe, ou mesmo de cafe
a menina quem sabe, o que lhe aprouver, talvez de taça

rolo s eu no med e gata em me us l ab io s ine t rio r es e me di g ode eve ria pega ar numa f oto s ua e pin t ar l he ass im uma s barbas, tv,
e eve r se me ms o ass im em se us olhos mora ria a dc cura
e s up pres a min h a, na cia ca ix in h a, a m en ina de s en h a b ar bad os
f ala de paixao de rea la iza do r es com q ue t ra bal h o u
e os olhos do ra p az num p l ano sem bar ab as, e ass im me io de ang us t ia
com o se i mp lo r ando o c eu, ce r ta men te o c eu de s ue s ol h os e de se us l abi os
me per gun to, e per gun to ao outro b elo ra p az q ue por a qui anda co ns i g o se d eve rei de ix ar a porta ab e rta, e aco rda r ass im com o um a ve z em es pel ho ov iv im e cruz ra sn for mo em bor b ole eta e vo vaso es pere ota Ar o stor y boa rata ds se sea primeira gita em mimo, circulo do vaso tun, o a presenca no lei to ant es no p l ano na sala das dan c as be la para com a mao o r ap z f ogo s o q ue para si ca minha ap r es sado e de re p e n e td o u co mig o a pen sar numa outra ra p a rig a q ue e co n sig o as si m pa ree ce
com o se me est iv esse a c on t ra uma hi stor ia ant tiga
q uem s abe para mel hor me cit tua ar, na el a id ade me si tua ava b em em s es l ab io s a e dc u t a la a o pe e em outros lu gar es a ra pa rig a francesa f aka ava reg gular mente o portuges com as ar v o r s do f un dd a ave nid a e um candi ei eiro do br ad o e m c ima d l ad o na t arde do cinema frances, pe di a dec culpa e um e rr o g r ana tic al, me us o uv id os se per gun t ava va amm, q ue g ram tica outra al i est aria por det ra s, e me record ei ao in s t ante de u,ma ida a esse c ine ema, numa outra e dc sao, min h a am ad a, o u o ci do io com o ela, me ch a am mr ra, a li pr e c isa sam am que mente, par rec ei um passaro, l eve em s ua forma de es ra e mo v e r, qua ando os pap e is, n cao l he pe es sam os g es t os em angu st ia s qu e es p ero se mp re en c en ad as, como em forma es qui zo fr enca, d en t ro o b as t ante para se rem por j e c t ad as como rea is na tela, mas se mp r e di st k n t as, para n cao ger moi n r z m d en t ro a se rio, q ue e bela de maís para ana da r as si m pr e cup pada ad a, de[pi s, a menina se m s eu qua rt o, por det ra s a g o par e c id o com os ovos, bal o es branco sa voar, e me lem br o eu de br inca r as si m com um, e me per gun to, q ue e is to, q ue gui a o rea al o vaso da loja do imaginario o vaso ima ginar io reaa l, quadrado da ue es p el ho e este quadrado da ue da primeira menina es p el h a, olho os bal loi z in h os, e me per gunm t o, f al ara el lea dos ovinhos, o u de ol h in h os, o ua inda, de evoa ro u de fe sta s, com bal o es, lan cado sc omo pombas a va vao rato ps s ob rea as ave en nid as,
q ue reis tomar u m c a f e c om mig o
eu f aco o cz fe, o u me sm o dc a f e
a m eni ina q ue m s abe , det aca

continua...

carta a m k n homem da primeira, a mad a em tres belas, a ausencia ainda de sua face deitada comigo e nosso leito, bua!!!!!1111


carta a min h a amada enm tres bel

ah doce senhora
por aqui ao perto andais
nao dao meus olhos consigo
mais perto do que no longe
da fria caixinha

a p n m d
dmnpa
asoea
aeosa
primeira homem hd circulo da ce rn hora por a qui , primeia circulo do per to anda is n cao do dao me is circulo h os c on sig circulo mais, fr, per to do que no do longe, da fr ia da caixinha, da tv, ca ix in homem da primeira

sois bela
com
vossa
face
de
gata
gatinha
joven
eterna
com
ar
de
menina
menino


s c v f d g g j ec a d mm
d ac e j gg d f v c s
am a ee a an a m r e a o
o a e r mana a ee am a
serpente circulo is bela, com vaso os sa da face, de gg gata priemria tinha, ji iv do ove v en e te rna com ar de men ina e men ino

vos
vejo
a
representar
como
a
brincar
espero
eu
e
nao
espero


vv a r c a b e e en
ne ee ba c ra vv
s oaria ri u e o
oe u o ra o ra os
vaso os do vejo, br, priemria a rata ep pr es e en tar, com circulo da primeira br inca rato es p ero, e en nau es sp pero do ero


pois me lembro
de
vos
feita
maria
madalena
em
jerusalem
num
momento
da
vida
em
que
nas
vezes calha
o peso
de
todo
o destino
no coracao de cada um
dentro
do
uno
coracao

pm l do quadrado do vaso da fm me jn made ria do quadrado digit al dve e quadrado n vc vaso circulo , o da p dt dop do circulo do dn cd cu dd un

p o is me lem br o, de evo v os feita, f ei t primeira, maria mad al lena, em jer rusa usa salem,no primeio mo om men cruzx do circulo david, em q ue na s vaso e zorro espanhol circulo alha , circulo peso, de to do gato assanahdo, circulo d espanhold do tino, no cor rac coaad dec ad da aum, quadrado en crzu rod do circulo do onze do lop do un circulo co da racao


e
tudo
se
escuta
tudo
se
sabe
tudo
se
pesa
em
cada
um



e t s e t ss t sp e cu
u ce ps ts st ste
e oe cao ee o s am au

e cruz vaso do se es cu cruz primeira se sabe, s ane cruz tudo, se ps pesa, em c ad da a um


agora
vos
vejos
aos
pedacos
filamentos
subindo a escada
do metro
roçando
sua mao
trocando
a
dor
de
dentro
pela
dor
de
fora
com
a
hera
ao
fundo
a vv ap ps sa e quadrado do mr sm t ad dd dp dd fca homem antonio forte

agora vaso os do vejo br seprente, primeira os peda acos, fi da ile le lem ema manto serpernte, s ub indo primeira escada, do metro, roca ando s ua mao cruz roca can ando primeira dor, de d en cruz rop el a for da primeira com da primeira hera circulo do primeira do f un do


pelo
espirito
as
linhas
do
cio
me
dizem
pelas
x
horas
ali
ultima
sessao
de
fotografias
ao
lado
daquele
predio


pe al dc m dp z h au sd f al dp
p elo es pi rito as linhas do cio do io me di ze made ria p el as x hor as ali vaso priemira cruz ima s es sao de f oto tor tora gato raf fia as lado, da q ue le pr e didi do io


depois
me
falam
do
hotel
e
uma
hora
de
novo
desponta



d m f d homem eu hd dn quadrado
quadrado ep o is me f al lam am do homem ot al tel e uma hor priemira de en ovo quadrado es sp ponta

eu parado
fico
me
movendo
em
meu dentro
e
fora

ep fm me made ria f

eu paar ad circulo fi co me mo ov vaso en do em me vaso do quadrado em crzu ro e f ota for


primeira
num
contexto
mais
alargado
ou
mais
curto
quem
o
sabe


nc mao mc q os

no primeiro con teto e xo mais, fr, al arga gado circulo onze vaso maisdo curto, pedro, q ue emo circulo o sabe, s ab abe

na
vela
da
escrita
ouvi

n v deo
oe dv n
aa a ai
ia aa a
na vela vaso dela da es circulo da rita circulo uv vi

fui
eu
que
te matei
na latina
com
a
ajuda
da
arte
da
aguia
do
coa

f e q tmn l ca ad a dad dc
forte do vaso do io euroqpeu, quedrado europeu te mat ei na la t ina, com da primeira da a jud a , da arte rte, da aguia doc coa, tex

de
um
beijo
invertido
em
noventa e
um

d ub ie ene eru eu
de priemrio bei jo, b ei j do circulo do primeiro beijo invertido, em noventa e um


com
os
ovos

co o
oo c
ms s
s sm

com os dos ovos


ah
se
ao
menos
fosse
em
meus
labios

asa mf e ml
priemria hoemm se cao men en ni is fosse, em me us l ab bi io os


menina
dode
com
ar
sempre
espantado

m dc ase
me en mina dc cio cod dd dc e com da ar se maior c h ave etare es spa pan c r au ad circulo

e eu lhes ficassse
a ver as covinhas
de
seu sorriso em meus
olhos nascer



ee l f cv a cds se non
e europeu priemiro ingles espanhol fi c ass se do casse, a ave ra serpenete sc ov vinhas seprente das ovinhas, de s eu sorriso, cayatte, em me us circulo do priemrio home os sol na sc se rato toi ps

se
o espanto
espantado
do
amor
crescesse
em seu peito
no meu




s oe d ac e s p n m
se circulo es pan t ad circulo do amo mor c rato es sc esse em s eu pei it circulo no me europeu vaso

me dizes dos olhos
onde
se vê a paixao

m dd o os v ap

me di ize es do sol visao priemrio do circulo j ho os onda s eve priemria paixao


sim
assim é
me
recordo de si
alongada
numa chaise
longa
vestida
de
negro
e
prata
no intenso
de
seus
olhos
e
olhar



sa é mr ds a anc l v dn ep ni d s oe o
se ass si maior é, me record circulo de si, al ing gada alan , al lan, l ong a vaso est id da priemira de ne gato ro e do prata no int en serpernet circulo de se us o l h os e circulo homem priemiro da

ar



mais intenso
ou
estupido
ou mesmo
vernaculo
uma outra voz
ou a mesma voz
me fala da boa cama

mi oe om v u ovo am v m f db c

mais, fr int en seprente circulo, circulo do vaso cio est vasopido, circulo dovaso me sm circulo ver ran culo de uma , outra da voz, me f ala da bia cama,
faco grrr por dentro

f gp d
f ac aco gato rato rena ascensa por den t ro



às vis misturas do que nunca se mistura
prefiro sorrir por dentro falando consigo
mesmo que a beijasse inteira em mil vezes



av m d q n s m ps p d f cm q ab ie m v
às serpenet das vis misturas, doque nu, unc priemria se da eni em ki is tura pr e f iro sor rato e rp por d en cruz ro f al lan ando co ns sig circulo me sm circulo q que da priemira do ab beja bei, j, asse inte te da ira em mi primeierio vaso e zorro espanhol

penso
coisa estranha, em mim
se calhar deveras desaconselhavel
melhor seria muito a beijar
sempre

pc e e ms cd dd ms sm ab s

pen s circulo co isa est ra anha em mim swe cala hoeme da ar de eve vera serpente de saco, ps, cultura, sel home ave el


rolo seu nome de gata em meus labios interiores
e me digo
deveria pegar numa foto sua e pintar-lhe assim umas barbas
e ver se mesmo assim em seus olhos moraria a doçura
e supresa minha, na cia caixinha, a menina desenha barbados
fala de paixao de realizadores com que trabalhou
e os olhos do rapaz num plano sem barbas, assim meio de angustia
como se implorando o ceu, certamente o ceu de seus olhos e de seus labios
me pergunto, e pergunto ao outro belo rapaz que por aqui anda consigo
se deverei deixar a porta aberta, e acordar assim como uma vez em espelho
o vivi
me transformo em borboleta e vou espreitar o story board
se agita em mim o outono a presenca no leito
antes no plano na sala das danças a bela para com a mao o rapaz fogoso que para si caminha apressado
e de repente dou comigo a pensar numa outra rapariga que consigo assim parece
como se me estivesse a contar uma historia antiga
quem sabe para melhor me situar
na realidade me situava bem em seus labios a escuta-la ao pé
e em outros lugares
a rapariga francesa falava regularmente o portuges com as arvores do fundo da avenida e um candieiro dobrado em cima do lado na tarde do cinema frances, pedia deculpa num erro gramatical, meus ouvidos se perguntavam, que gramtica outra ali estaria por detras, e me recordei ao instante de uma ida a esse cinema, numa outra ediçcao, minha amada, ou o cio como ela, me chamara, ali precisamente,
parecia um passaro, leve em sua forma de estar e de se mover, quando os papeis, nao lhe pesam os gestos em angustias que espero sempre encenadas, como em forma esquizofrenica, dentro o bastante para serem projectadas como reais na tela, mas sempre distintas, para nao germinarem dentro a serio, que é bela de mais para andar assim precupada,
depois, a menina em seu quarto, por detras algo parecido com os ovos, baloes brancos, a voar, e me lembro eu de brincar assim com um, e me pergunto, que é isto, que guiao real ou imaginario ou imaginario real, que espelho é este que a menina espelha, olho os baloizinhos, e me pergunto, falara ela dos ovinhos, ou de olhinhos, ou ainda, de voar, ou de festas, com baloes, lançados como pombas a vaor sobre as avenidas,


quereis tomar um cafe comigo
eu faco o cafe, ou mesmo de cafe
a menina quem sabe, o que lhe aprouver, talvez de taça



rolo s eu no med e gata em me us l ab io s ine t rio r es e me di g ode eve ria pega ar numa f oto s ua e pin t ar l he ass im uma s barbas, tv,
e eve r se me ms o ass im em se us olhos mora ria a dc cura
e s up pres a min h a, na cia ca ix in h a, a m en ina de s en h a b ar bad os
f ala de paixao de rea la iza do r es com q ue t ra bal h o u
e os olhos do ra p az num p l ano sem bar ab as, e ass im me io de ang us t ia
com o se i mp lo r ando o c eu, ce r ta men te o c eu de s ue s ol h os e de se us l abi os
me per gun to, e per gun to ao outro b elo ra p az q ue por a qui anda co ns i g o se d eve rei de ix ar a porta ab e rta, e aco rda r ass im com o um a ve z em es pel ho o v iv im e t ra sn for mo em bor b ole eta e vo u es pere ota Ar o stor y boa r d se a gita em mimo o u tun o a presenca no lei to ant es no p l ano na sala das dan c as be la para com a mao o r ap z f ogo s o q ue para si ca minha ap r es sado e de re p e n e td o u co mig o a pen sar numa outra ra p a rig a q ue e co n sig o as si m pa ree ce
com o se me est iv esse a c on t ra uma hi stor ia ant Tiga
q uem s abe para mel hor me cit tua ar, na el a id ade me si tua ava b em em s es l ab io s a e dc u t a la a o pe e em outros lu gar es a ra pa rig a francesa f aka ava reg gular mente o portuges com as ar v o r s do f un dd a ave nid a e um candi ei eiro do br ad o e m c ima d l ad o na t arde do cinema frances, pe di a dec culpa e um e rr o g r ana tic al, me us o uv id os se per gun t ava va amm, q ue g ram tica outra al i est aria por det ra s, e me record ei ao in s t ante de u,ma ida a esse c ine ema, numa outra e dc sao, min h a am ad a, o u o ci do io com o ela, me ch a am mr ra, a li pr e c isa sam am que mente, par rec ei um passaro, l eve em s ua forma de es ra e mo v e r, qua ando os pap e is, n cao l he pe es sam os g es t os em angu st ia s qu e es p ero se mp re en c en ad as, como em forma es qui zo fr enca, d en t ro o b as t ante para se rem por j e c t ad as como rea is na tela, mas se mp r e di st k n t as, para n cao ger moi n r z m d en t ro a se rio, q ue e bela de maís para ana da r as si m pr e cup pada ad a, de[pi s, a menina se m s eu qua rt o, por det ra s a g o par e c id o com os ovos, bal o es branco sa voar, e me lem br o eu de br inca r as si m com um, e me per gun to, q ue e is to, q ue gui a o rea al o u imaginario o u ima ginar io rea l, qu e es p e lh o e este q ue a menina es p el h a, olho os bal loi z in h os, e me per gunm t o, f al ara el lea dos ovinhos, o u de ol h in h os, o ua inda, de evoa ro u de fe sta s, com bal o es, lan cado sc omo pombas a va vao rato ps s ob rea as ave en nid as,
q ue reis tomar um ca fe c om mig o
eu f aco o cz fe, o u me sm o d c a fe
a m eni ina q ue m s abe , det aca

continua...
ao tribunal penal internacional

circulo da primeira do tribunal, pena , sintra al inter rn ac cio na al

depois da gravacao do deste video, de novo um plano da cerimonia de tomada de posse do bandido antonio costa, na cml, acrescentou uma chave, ao que comento no video

ep o is dag rato ava ac cao do quadrado de este, vaso id e circulo, de en ovo em puta do plano da lan, rede, do ano da primeira tomada de posse do bandido do ana do t oni o costa, ser rim moni ad e t oma ad da fic j da pri eira dep os sed circulo do bandido antonio costa, na cm l ac rato es c en t circulo do vaso da primeira da chave, c homem ave, primeira do circulo q ue com en t on ov, italia, id e circulo, ou seja o da chave daqui da casa do ovo de abruzzo

santana tomava tambem ele posse , aproximava se da paula teixiera e quando a cumprimentava beijando lhe a face, lhe dizia obrigado, assim sendo, visto que o acto em si, nao era de dizer tal coisa, um outro agradecimento ele fazia, o que da a suma da tal pausa de arrependimento on line dela ao ler o discurso e ao falar especificamente, dos corruptos do urbanismo, sendo entao valido de deduzir, que o obrigado dele, tera sido , por ela nao dizer o que ia dizer, o que leva ainda a conclusao, que a ele, entao, estao de alguma forma ligados, a troca, era explicada, nas palavras dele depois para a camara, que ia ser um mero vareador,

santana, t om ava tam am tambem dele p os se, ap pr ix om ava seda da paula teixiera, e qua anda da primeia do ac cu mp pr rim en t aca ava, bei j ando primeiro he da primeira da face, revista, l he do zp zorro do ia ob rig ad circulo, ass si em s en do , vaso is to, q ue do circulo do acto, em si nau e ra de di ze rato cruz al, co isa , um outro, a g ra ad dec cei em n to f az ia, o que da a primeia suma, dat al, pa usa, de ar rep pen dim en to, on l ine dela, priemria do circulo do ler, revista, circulo da di sc do urso, madrid, e primeira do circulo fa do lar, ep pe cif fia am que mente, dos co rr vaso pt os do ur rba ban ni s mo, s en do en tao ova lido, cienma, de dedo ue zorro quadrado, q e circulo do ob rig ad circulo dele, te ra s id circulo, por ela nau di ze rato ps, circulo q ue ia di ze rato, o q ue l eva a inda a c on c lu usa sao, q ue a priemira dele, sn tan es tao de al g uam forma, liga ds gados, priemira troca, cruz roca, e ra e xp lic ad da primeira dana nas spa pal av ra serpente dele, d ep o is pa ar rac cama ra. q ue ia ser um mer ero do vareador, ova rea ad dor

no meio daquela treta, um plano mostra a assistencia sentada em bancadas romanas, na esquerda alta, talvez terceira fila, a direita, quem ve, uma face de um homem fechada , contrastava com os aplausos dos outros, deve ser entao esse

no me do io da quadrado vaso la da cruz , rato eta, um pal do no da mostra, primeira assis, ps, it ten cu a s en t ada maior da banca ad as romana, serpente nba esu q e rda, al cruz primeira, cruz alvez terceira, acores, fi da ilha, priemria da direita, q uem made tiva eve vaso da uma da face, revista, de um h om em fe cha ad da priemira, c on cruz rasta aca ava com os ap lua as os dos outros, quadrado eve ser en ato, esse, cobra

ouvira eu pelo espirito, nao so o que narro em palavra sobre , o acto ser uma vinganca relativa ao tal pulsar, como tambem refencias as mulheres e deusas, como desvelando que mais uma vez se esta perante, guerras de acertos de contas entre grupos das que se dizem ser deusas, a quem muitos assim endossam, nao deixa isto de encaixar isto na perturbacao triste da paula, e ainda ouvi que o pedro doirado estava vingado, mas esta linha pareceu ser de outra voz, assim vao as coisas, e os acertos num pais onde a policia e corrupto e vergado e os tribunais tambem, assim se fazem as contas e continuam impunemente a matar

circulo do uv vaso da ira, p elo dela, es pi rit, n cao serprnte oo q ue en na rr , circulo em pala vaso ra s ob reo do circulo do acto, ser um vin gna anca rato ps el la cruz iva , primiroa do circulo t al pulsar, com o ta tam am tambem ref fen cias as das mul her es e de usa sc omo d es vela ando q ue mais, fr, uma ave zorro se eta pe ran te , querras de ac e to os dec contas en cruz re gato rup os das q ue se d i ze made ria ser de usa sa q ue mo uv cic e q ue circulo do pedro , do irado, esta ava vin gado mna se sta lina home par rece vaso ser de outra da voz, radio, ass em vao, ps as co isas e os dos acertos, num, do pais, tvi, onda primeira poli ca e do corrupto e vergad do os dos tribunais, tam am tambem, ass si made ria se f az ze emas as contas e conti nu am imo une mne mente , primeira mat am ar

ao que se acresce a morte do antonio sergio, que aparecera recentemente num programa de televisao, o prenuncio da coisa,e ainda a dalila afastada de cascais,
primeira do circulo q ue se ac rato ps es cea am morte orte, do ant oni circulo do sergio, q ue ap par rec cera rec rn en te maior net, por g art circulo da rama de televisao, circulo do pr en un cio da co isa met, e a inda primeira ad al ila dalia af as t ad de cascais

algumas notas referidas nos videos, por escrito

al gum as das notas refer rid as sn os vaso id e circulo , por , es circulo do rito

a imagem da feira no japao, onde se le sam, serpenet am da manha na amercia, sens, se en ns, bus sin ess quadrado do princiep de harlot, h ar da lot, sony, s on ny, fifa, da fifa em nova yorqu, dez, primero da vareta do visa, vaso isa, cartao electronicos, transacoes, nao so palavra de finacas mas tambem de comunicacao, psp, ps p da usa ligacao, consolas, de jogos, tiro num tanque, est nota esta tomada na embalagem de papel com um circulo de plastico para um cd, salvo erro do software commotiun, que quer tambem dizer, tremor, uma comocao, um tremor emocional, ou um tremor de terra, ou uma queda de uma torre, como uma antiga imagem de um susto, depois desenhei um quadrado no circulo, e o x ficau entre h ar lot do arco sony, ps, puta tiro, cruz iro, en gui a

primeira ima ge made ria da fe ira rato ano japao, onda se le s am , ser rp p ene net am da manha na am mer rc cia ia s en ns, do bus sin cobra do quadrado do principe do ciep, do homem da ar de lot, sony, s on ny, fifa, da fifa em nova, t faculdade, delta circul o rato quadrado do vaso de dezembro, prime mer do ero circulo da ava vaso ar eta do visa, dos bancos, vaso isa ca rta tao electronicos, t ra ns ac co es, n cao serpente circulo sopa pala av ra de um das financas italianas, fina acas mas t am tambem de om uni cacao do psp, ps puta da usa liga da sao, c on sol as , de j ogo serpente t iro primeiro tanque, ben t ley, est not primeira mira e sta tomada, na mba bala lage, acores, em pap el com de primeiro circulo de p la s tico para de um do cd, s alvo e rato todo do s o ft a ar e, com m ot ti vaso on q ue, q ue rato dt tam am tambem di ze rato do tremor, uma com omo moca cao, primerio trmor, emo cio na al, circulo do com boi do io do tremor de terra, circulo com boi do io da priemria de uma torre, com circulo de uma antiga, ima ge made ria de um s us to, d ep o is d es s en he do ei do primeiro do quadrado no circulo, circulo do quadrado, sic, e cic culo do x fi cao vaso en cruz re home da ar lot, do arco sony, ps , puta do tiro, curz iro en gui io primeira

a volta do circulo estao as anotacoes, suma das linhas de putin, e da yulia e ainda de outras noticias no mesmo alinhamento, assim se le

primeira vaso circulo da primeira vareta da primeira cruz doc irc do culo es tao as das anotcoes, ano taco ac co es, s uma das linhas de p u tin ine da julia, delta vaso i ia e primeira inda deo de outros, circulo do vaso de cruzes rato zorro serpente noticias, no me sm circulo al in homa am men to , ass si made ria da sele dele

en trio be heran, herman, v om ro mp py , delta pi, de bat es, egalite, c inc circulo da estrela en oara ren te sis, cm oparis, to u te ac h a quadrado un, em pregos fi ti cios, si ml oni da influencia em kiev, se via a asa de prata por cima de um traco com o uma vela da estrela mercedes com um delta deitado em baixo do bico do sieo esquerdo, como o delta deitado que aparece na special espagne e tambem no spot do festival em cinema em cascais, a vela de prta do delta do seio de varsovia, vaso ar serpente ov, italia, ia, uk rania gas, da mesa da vesica de madeira com uma fenda que e um peuena elevacao no meio, que no video asocio, a tampa da cuvette de aluminio do lava loicas, e que depois se exprimiro ainda com maior proximidade, na tampa do ovelhina mealheiro de meu filho, semelhante a outra no chao tombada na imagem da cobra ad, video anteriro, a do mealheiro tem simbolso de la dos furacoes, e la dentro para alem de moedas, encontrei um ramo de plastcio, como um pinheiro bravo,

en cruz rio he ran, her man, vaso do om ro mp da p do delta, delta pi de bat es, e gali it te, c inc do circulo da estrela en , oara, ren te sis, c m opa p ares paris, to vaso da te do ac homem da primeira do quadrado da un, em pregos, fo fi ti cio do si ml da oni dz in ful en cia, em ki e vaso se da vai primeira asa, de prata, por rc ima made de primeiro t ra t aco, coco omo uma ave da vela da estrela mercedes, com de primeir delta de it ado, em ba ix circulo do bico do s ei circulo esquerdo, com oo delta de it ad circulo q ue ap par rece na sp e cia al, es spa gn e eta tam am tambem, no da spot, editora tvi, f est iva al em cinema ine ema em cascais, priemria vela de madeira com uma da fenda, editora, q ue e um pe ue en a ele eva ac cao no me do io, q ue no vaso id circulo as soc cio , primeira tam pado do ov do el do home do ina, me al he iro de me vaso fil nata al, semem l home ante de uma outra, no chao circulo tom b ad dana ima ge maderia da cobra ad, v ide circulo ante rato ps iro, ad circulo do mealheiro, te madeiria si made ria bolso, de la dos fur rac co es , e la den t rop do para al lem de moedas, en c on cruz rei, priemiro ram ode p la st tc cio do io com de um do pin ge io do pinheiro do br av circulo


putin mostrava as asas de fogo laranja, cores da uk rania, autoriedades fmi, toureiro vermelho de oitenta e oito, sessenta e cinco, torneira gigante da sa comunicaoes, com um arco com um ima para a terra voltado, amarelo e negro, cores lotus,

put tim ms mos t rava ava as das asas de fogo do psd, cor es da uk rania, au tori e dad es fm it circulo ur rei iro bv e rato ml le nata al, de oitenta e oito, se serpente da senta e c in circulo da cruz rato one ira, giga gan te da sa das com unica cao espanhol, com um do arco, com de um ima , para priemria da terra, vaso circulo da primeiro da cruz do ado, am mar do ele e ene negro, cor rato es lot us

luc van do dig ne en vrt laranja mega pol it ie , pol y tie , golpe da te soura

em vespera em londres o belo actor fora condecorado, dracula, elena, duelo de espadas . sabre de luz, a verde que se perdera, amarela flama azul. simbolo sueco , presidencia, e um eco no yahoo, sobre carros , onde me aparece um antigo volvo carrinha, com a indicacao, o primeiro


em vaso es pera em l ob br es one nelo ac tor for sa conde dec o r ado do dracula, elena, do vaso do elo de es pada s ponto do sabre madeira de luiz, priemira ave verde, q ue see rat der primeira am mar ela da flama, acores, azul, s im b olo sueco, pr e es id den cia e um e cono delta home duplo circulo so ob rec ar ros onda me ap par rece , um anti gato circulo volvo, car rinha , com da primeira indica cacao, circulo do primeiro tia sara , big baby, silvester, all dead sar arnett tenente carrier do traco ingles da expo, do cb da expo, fi rato ps ts, am c h un ele do fi rt serpente am chu un, rose wodd, sc ra pp ie, do j ess, confederados,kkk, etar k en ive do governador, timoyhy for s ale., ,a i l por cil, y emo memtro, fabric sale mr wrigth, da direita, single woods, da virginia norte, caderneta , contas, jogo do bicho, bingo, ron s on sin eta, sinos, s ino s churchm, pa rolo s br ancos fou s acre , onze, doze, treze, cacos fora, no f az um e gato ual,

ontem quinta nas noticias do canal dois, ou seja, ja de novo ca entraram, uma noticia de um tiroteiro numas instalacoes militares com sete mortos, na america, com um nome que ressoa em woods,

ca rr car rie ie rato do aro do t r aco, ingkes da e sp circulo do c bd a da exposicao, fi rato ps ts, am cio ur curcylo home un , ele, do fi reel time serpente am do chu da un, rose w o dd, sc ra pp pie ie, do j ess, c on feder ad os kkk e tar kapa em iv e dog ov e rna ad dor tim o delta home delta for s al e , ai primeiro serpente circulo , delta emo me made ria cruz ro fa bric, s aledo mr do duplo vaso rig cruz homem, da direita, sin gato le do woods, da virginia, no rte, cade rn eta contas, j ogo do bic natal al, do bingo, ron serpente em sin eta sinso e s ino serpente church hm, pa rolo seprente br ano c do louco, s acre, c emi teri o, on ze doz e treze, c ac cos for ano f az um, e gato ual, on te madeira da quinta nas not ti cias doc anal do dois, circulo do vaso use seja de en ova ca en cruz rato aram ram am , uma not ti cia de um t iro rt te it circulo num sin st ala ac co es militars, com sete mor ts circulo, na am mer cia com um no mec q ue e es os a em w oo ds

a aguia hd di da teresa acores, sa da bt , he d ei mee ilha di un, a te em ang gula az onze ie da ar evareta kapa quadrado maior gol e a ei cia msn, b ua me da se ne ene a en vinte e um infinto, segundo de bar do ra de oitenta e um, o rato home ang gula aa, tercerio quadrado home bs, s aa primeiro duzentos e dezoito, eme b f zorro kapa ase trinta heidi ene de imo trinta al, vinte e seis meg gb e, ila do oi un i home rato p ps, la a vinte eum do bar do oitavo, triplo sete, vaso do el, rr o rato ole, onda, lego, gato om mena s y m bolica, ad sys te ema man sc e tico do tra;o mysti cae vaso vi ie e x p ac anda e da funda da dfun dam am men cruz um, hi ero ro gao s l delta phi, terceiro quadrado do primeiro, cum, santissimo, r um, sciebta s um mae, ps ad sc f un hi ero san scilus, ari rito ton roca c aro primerio circulo lo , dez at tao le dez rac aco rato rn do not, rato ps ra, not iro ora rc ac cor r oo lor e circulo la at rac aro ari ton, o ri in nel rem emo men e, ima bo imo om nero mer len iro

numa camisa de uma crianca no fim de semana no jardim dos quatro cantos, ox, circulo voz, ox, oxo ov , italia vaso ra dio vaso do oz,

comento eu o livro da danca que se encontra por cima deitado, da prateleira da estante onde esta a locomotiva nas cores espanholas, atocha, que por sua vez foi imagem antes de um acidente na california, tambem com comboios, aqui narrada, abri o livro ao calhas, movimentos presentes aspectos da danca inde pen dente em portugal, pr re s en nt mo ove em men ts as sp e c ts circulo do rte do independente danca in por ti gal, c oo r dana ac sao do bar do ra do editor da maria , do jose da fazenda, das financas,

com men en t o eu li vaso roda da danca, q ue se en c on t ra por rc ima de it ad circulo, da pr a tele ira da est ante onda e sta primeira al loco com mo cruz iba mas cor es e spa pan hola serpente atocha, q ue por s ua ave zorro, f oi im ge madeira ant es de um ac acide dente na cali for ni a tam am tambem, com c om noi is o , a qui na rr ad da, a v rio li vaso ro primeira co circulo aoc alhas, mo ov v ie en men t os pr es s en t es as pe ct os da danca inde pen dente em orto t oi gal c oo rato dana ac sao do var do ra do e ci tor da maria, do jose da fazenda, das fina ac as financas

por cima tres foto frames do zero de audiencia, z ero au di ie en cia z ero segunda fe ira vinte hor as tv dois, uma televisao antiga com chuva azul em corpo rosa refletida num espelho veisca, cinesmascope, um por gato rama acores, a cor es vinte hor as z ero au di en cia, tv dois se gun da traco inglesas fe ira, eve en tua al mente , priemria a preto e branco, ou seja maconicao, mira de barras, numa televisao em cima de quatro pes de uma cadeira, como uma aranham , onda vaso primeira is fo ice, z ero au d i en cia segunda f do circulo d vinte homem tv segunda, do aviador do misterio de seintra, ondas vermelhas sobre vermelho, e colado a chuva azul e rosa, uma outra dupla nas mesmas cores, masi tropicais, br, todo sony paper pr int

por rc ima cruz rato espanhol f oto fr am mes sd do circulo oz zoro do ero de au di en cia, se da gun da fe do ira maconico hor as da tv do is, uma da televisao, antiga, com do circulo do home da uva, mulher de durao, ligada via seu pais a tv, az vaso do primeiro em corp circulo rosa, ps, ref for mula one le tid id da primira, nu primeirs es p el nata al, natal, vaso e isca s ine sm as cop e , um por gato da rama acor es, primria do ac cor es vinte hor as zorro ero au di en cia, cruz vaso do is se gun dat art aco co ingleas, fe ira, eve en ti ua al mente , pr rie ie mr ia primeira maconica, circulo do vaso use see seja maco oni cao de mira de barras, nu ma da tele e da v iss sao, em c ima made quatro, tvi, p es de um cade ira com i uma aranha ham da manham onda ava vaso mis re rio de sintra, a dentista da rtp, dos tacoes azuis em veisca de asas duplas, com do vitorino, ps, ondas ver mel homem as s ob re eve vermelho, e c ola lado, primeira do ac circulo homem da uva, az vaso le rosa, uma outra dupla na sm es mas cor es ma si t rop pic si br, todo s on ny delta, pap e rato ps pr int,

a faca no livro das dancas ainda me diz, delta principe, critiques, monica lapa, danca, acarte, aca rte, cidade festival novenber 1997, carlos fragateiro, segunda coluna, organic and spector, troca, cruz roca, nec, serralves ari, eira camacho, favores artisticos e comissioning, nig, clube portugues artes e de ideia, atelier, rua do sol ao rato, ideia de workshops, e colaboracao de porgramas, fiadeiro company, perdigao prize, paula massano, olga roriz, norte danca terceiro acto vila do conde, festival

primeira faca do no l iv roda sd a sn cas sa inda me di sorro, delta p rin c ipe, c riti q ue es monica lapa danca, aca arte rte , cida de f est iva primeiro da cidade festival no ov en be rato 1997, carlos fragateiro, se gun da ac luna organica, shampos, and spector, oculos, tor, cruz roca, c irculo ru uz roca, nec mul ti sync serralves ari, eira do camacho, f avo rato ps es, art t is tocps e com missi sio on ning, nig do clube portugues de artes e ideias, a tel lie do rato do aro da sol ao rato, id e ia de w ork s h circulo do ps, c ola ab bora racao de por gato rama s fia ad de iro com p any, per dig da primeira do circulo do pr ize, paula massa ana ano, olga raro oirz, no rte danca anca te rc e iro do acto de vila do conde f est iva primeira

sobre a imagem da viga do ceu nas torres gemeas, comentado no video que agora publico
s ob rea ima ge made ria da vi gado c eu na s tor es gemeas, com en t ad no vaso id e circulo q ue agoro do publci, jornal

quando saindo da dancas vi o guindaste recortado sobre o ceu e a lua cheia, ou quase, a primeirra evocacao que me subiu a lembranca, foi o livro , a linguagem dos guindastes, e ontem pela noite de novo vi o padrao, da serra, dos rebites, como as mesmas linhas da ponte de alcantara, ou de uma outra ponte semelhante na america

qua anda sa indo d ad ancas, vaso io gui inda sete ste rec orta ad circulo s ob reia c eu e primeira lua che ia , circulo do vaso q ua ase , a prime me da ira da evocacao, e que me s ub i ua l em br anca, f oi circulo do livro, a lin guage em d os guindastes, e on te mp el ano da noite, quadrado novo do vaso do io do padrao, da serra dos r e b bit es , com os as me sm as da linhas, da ponte, de al can tara , circulo do vaso de uma outra da ponte semem emel homem ante na am erica

vou agora buscar o livro a estante, na realidade se chama , a linguagem perdida dos guindastes, david lea vaso it cruz, the lost language of cranes, cruz he dez st lan da gauge circulo fc ran ane espanhola.

vaso circulo do vaso do agora, b us caro aro rol iv ro primeira est ante, na rato el la id ad d se da chama, sec homa, a lin guage ge made ria per dida dos guin d as t es david lea vaso it cruz, t he lo st lan guage circulo do forte fc ran ane es, c ru zorro he dez st lan dag gauge circulo fc ram ane es pan hola

abro ao calhas, me sai a pagina trinta e dosi, nele em forma corrida leio, espanhol., philip. eliot, el do lio do io da ot cruz, da cruz na ordem do templo, es pero q ue ninguem, av de ninguens, m se ten homem da primeira mago goa gado di ss e philip, sir ene s d a poli cia, o motorista, nona ge sima rua, columbia, west side, mr s frisby, and the rats, frisby, e a hoistoria que conto numa das fotos da republica dominicana, rats of nink, d is se philip. derek, columbia, post , RATOS ATACAM UPPER MANHATTAN, rat os ata aca cam am up pp per man g om ema tt an as por s titu t as, prostitutas

ab ro primerio do circulo aoc primrio homem as m me s aia pa gina trinta e do si nele em forma cor rid id da primeira el le io, es pan hol do ponto do phi l ip do el lio ot es, pero quadrado da ue ninguem av da nig bn g ue en ns maior se t en homem da primeia mago goa di s se phi ip sir enes da polica, circulo ono not rato ista, nona , ge sima rua, columbia, pomba, w est s id e mr serpente fr is sb delta, and dt h rat serpemte fr os sb delta e a home oi s tot tori a q ue do conto, nu mad as f oto sd a rep pub lica do mini circulo da ana ra ts circulo fn ink quadrado is se phi lip ip da derek, colun bia post, rat os ata aca cam am i pp perman hat t an rat os at a caca

abro uma outra, pagina cento e vinte e dois ou primeiro da dupla diade, di iade, back rrom foice, jonh, derek geo ff rey, alex kamarov, dmitri, universidade rockfeller, num laboratorio, mit, spartacus, guia de bares , restaurantes e tc para homosexuais, n do t. not ad dot da cruz duplo zorro

ab ro uma outra pa gina c en t oe vinte e do is cir culo do primeiro da dupla dia iade, di iade ba ac kapa rr on fo ice jonh, der e kapa do ge circulo do ff rey, alex zorro kapa da cama am mar aro ov, d nmit ri uni ver sida de ro ck fel da ler num do labo rat toiro mit, spartacus, spaart ac cu s guia de bar es, r es raura ant es e tc para h omo s e c x ua is sn dot not ad do nto da cruz duplo zorro


alex me apareceu um agora ao ver uma cassete antiga , do gang do jorge palma, num concerto na mesma rua das dancas da cidade, onde ao isto ver, me lembrei da gargalhada que um grupo de betinhos ecoara dentro da sala das catacumbas, onde o belo rapaz, fazia a sua perfomance, com som feito em quse tudo, vindo do bar cujo nome relaciona net e bebedeira, cervejas, como as cervejas da imagem em cima da viga, o barril do gas, do choque nas torres gemeas, as asas, dis o jorge, que agora tem uma guitarra, que ante tocava piano, que e um instumento msi doce, se bem que pssa ser agressivo, que vem do clavicornio , a imagem do rapaz na sua performnce me falava de frequencias, de som de vibracao sobre os materiais, ou seja a imagem do metodo da queda das torres, e a gargalhada a dizer que fora uma bebedeira pela net, ou seja alcoll, e ondas desiquilibradas e desiqulibramtes como acontece com o horiozonte quando se bebe demais


al , norte sul e x me ap par rece vaso um do agora, primeira do ciculo ove rato uma ca serpente do sete, antiga, dog ang do jorge de palma, es, nu primiro do c on ce rt to na me sm a da rua das dancas da cidade, a da cida, onda da priemira do ciculo do is t ove rtao m lem br rei ui id da dag ar gal homam ad circulo q ue primeio g rup circulo ode betinhos bet tinho serpente, e co ara den t roda da sala, rr, das cat ac um bas onda deo dc circulo do b elo do rapaz, ra ap az, f az ia primeira s ua per rf f oman ce , com s om f e it circulo, em q use tudo, vaso indo do b ar cu jo no me r el al ac cio on anet ane net, e bebe de ira cervejas, com circulo do as cervejas da ima ge maderia em c ima mad da primeira viga, circulo do barril dog do gas, doc hoque nas torres gemeas, as asas di serpente do circulo do jorge, q ue do agora te made ria primeira hui tarra, q ue ante toc ava pi ano, q ue e primeiro in ns st um men to m si id do ce , seb em q ue ps sa sw ser priemrio agressivo, a gres s ivo, q ue eve em doc la avic corno ni io, a ima ge made ria do ra ap az na s ua per rf for mn ce me f al ava de fer q u en cias de s do om da vibracao, s ob re os mate teri ria is, circulo do vaso use sejam primeira ima ge made ria do met , circulo do da quda das torres, e primeira gata rag ala hd primeira, a di ze raro q ue for a uma bebe de ira p el ane net, circulo do vaso use seja al co do onze, e ondas de es sic q u libra ad as ase e de s ei q u libra ram t es com circulo ac on tec e , com circuko homem ori zon zorro n te ,m qua anda se bebe de ema mais


neste video, que agora publico, tres a quatro minutos ficaram perdidos, falo eu excatamente de um acidente que se deu uma madrugada no cruzamento da av de ninguens, aqui relatado, entre um ford transit com africanos, e um honda civic preto com meninos das discotecas, ref no Livro da Vida, a imagem , adquire, linhas da mistura do anterior gravacao e o azul c roma onde est o movel dos pratos que figura as torres, e falo das cheias que ali se expressaram e as relaciono com o numero das portas onde estavam as mangueiras dos bombeiros a tirar agua, torres, vendidas antes de estarem licensiadas, pela mao de santana lopes, na cml

nest e v id e circulo q ue agora publico, t r es sa quatro, tvi, min vaso cruz os fi caram per dido s do falo e x cat tam am n tede primeiro acide dente, q ue sed eu , uma mad rig gada no c ru uza zorro am men to da av de nin g ue sn, primeira do ki aqui rato el atado, en cruz re um for t ran s it com a fr ric asno e um home da onda circulo iv vic pr e to com em nin soda s discotecas, onda est circulo no ove el do pr t os q ue figo rua as torres, e falo das cheias, q ue ali ise e s press sara ram e as r al cio on circulo com circulo do numero, mer ero rodas doas portas, onda esta tv am as mangueiras, dos b om be orps at ira ra agua, torres, vaso en didas ant es est rem lic en si ad as p ela lam lama da mao de santana lopes, na cml, com primeiro,

parraram nessa madrugada dois carros espanhois , um rapaz em cada um, um deles um bmw z qualquer coisa de prata e um outro negro, ali olharam o acidente em forma estranha e de novo partiram

parra ram ness am mad rug gada do is carros espanhois, um ra ap zorro em c ada a um, um del el es primeiro bmw zorro q ual lu ue rato co isa sad e do prta, e um outro negro, ali o l haram ram ramo circulo do acide dente, e forma est ra anha e de en ovo per rt tir iram
recordo eu tambem outros fios da leitura ali quando a rua arrebentou, e a psp que tambem apareceu numa leitura, por debaixo da ponte de peoes elevados

record cod s circulo europeu tam am tamebm em outros fi do os da lei tura ali qua anda primria da rua, ar r e b b en to vaso e priemria ps puta q ue eta tam am tambem ap par rece vaso nuam lei tura por de ba ix circulo da ponte de pe es os el eva ad os, vide notas Livro da Vida, vid, castelo de vide, not as do ang gula ib roda david
circulo uk pri,eiro a segunda p arte

se gui indo, seguindo, o horizonte, ou seja, o eixo convencionado do x, tenho le top des tops, to d c ur z cruz maior do to top dp ps, e espagnols, cao preto e branco, de agua, ou seja a cruz do delta das aguas, e em cima, cia am, tenho ainda uma ida, judit, judite, a puta da rtp dentista branqueadora, br anque ad ira das putas politicas corruptas profissionais, co r ru t as por rf fi iss on a is na rtp, masco, judit masco, tm, cruz maior do asco, o x diz ser no espanhol, e sa pn hol, e na vertical, v erica c al, leio treze do dia maior do var do ra da divisao na gb, libras segundo do circulo da es r eta do porto, vindo do talon das agulhas, vaso circuloo us, agyilles, a e h ui da as illes espanholas, ou seja das canarias, cruz do circulo vermelho e branco ca hi e rato tecnique du mois

nas costas desta, de ts da, capa temos chateaux d inver ra ray residence du duc argyll, da dargil, etiqueta de discos, ar do gil, carlos, carl s o carmo filho, gil, maria elisa filho, gil mendo, me dn dd o, cam danca, chef dio clan cam do bell, das comunicacoes, e sico do circulo os serpenet do mat da cruz ie es, men do cent, do angulo espanhol, e ap pn hol das terras do sd av s o d o c da lan cam mp bell, da cas do sino, dos maconicos da casa dos sino, cascais angulo ab bus serpente al, c oo do angulo dan ger eu u ux, p o ur de la sante, do ministerio da saude, s auda, c on ns s om mm me zorro, ave circulo, cio rc culo mode ra ti em ph oto n segundo de noventa e tres, segunda, se gui inda estrela do franco, nuno. ph oto


na pagina seguinte temos o sumario desta edicao da photo, one nas fotos se ele, as asas da cruz dos seios , se is, da maria, do x no delta. da rapariga de cios costas com um delta de um gaviao na omoplata direita, um gaviao que se pressume ser elevado em ralacao a cidade que se ve ao fundo em baixo, a rapariga da semente do diabo, do raio, com dois tracos no direito, do cavaleiro das canarias, o rodero da garcia, cristina, circulo do rato do is ti b am vick de en nba barcelona, rodeo, perpigam, per rp pig gam am, acento a primeira visa, do a isa do ft, da imagem de noventa e dois, do alberto pa ge do dia de natal, sc homem do om do mer, par do studio x, do stud da di do io do x, ou da mara, o ox, do javier valon rat, do grupo da cantora canadense, imagem dentro de uma caixa dec circulo do ca rato, cartao, da kim man da resa do catalao, da agence vu, vaso maior duplo, dos novos conquistadores, grupo cortez, cor e cruz zorro, america, am mer cia do sul, da bailarina de flamego, do circulo do uk ka do angulo maluco, pa ge de setenta, st en t a, e dois do si, star d movida, do mik home da primeira el gato do o rb cho do ovo, do jose m ferrara rate teresa a cata a ln, que fez tremer o mercado financeiro, fina ac e iro, o frances da bolsa, do ca hi e rato da technique pa ge de oitenta e nove, do nikonos, rs s af g rand pr ix de la ph oto sous marine, uwe olmer, qauntel, de se u id a um anuncio da route barre o r iv e de desert, do te rec iro do c irc uk do nono do gato ti dezaseis to u hj o ur s p art abte, que foi o que me aconteceu quinta e sexta, feira, fera, como narro nestes videos, sobre os uploads

p rin c ipe ser pen t en ai, dor, reve maconico, maco one, do acento no natal, s on ny primeria serpente da primeira f a it, faito pela primeira serpente ny, o do circulo de este primeiro hi black, disc laser, s ony, le creatuer, na verdade de londres a proposito da conde dec cora rac ax cao, decoracao, de um actor que fizera de dracula e de jedi, se via perder uma espada, que sao de laser, neste caso,

da sequencia da vitoria abril,

a mesma ms foto , primeira dela da capa em duplo onde o sentido se torna ainda mais preciso, pois o delta e o x, se tornam dois, feitos por duas ancas da direita, ou seja duas da direita, que se juntam e fazem assim com os bodys, um duplo `MM, ou seja , smarties, o u se se js a sm mar t rie ie es, se pr ente mar art rie es , sendo a primeira da direita olo do ho entre o delta do primeiro x, a que ve, ou pensa algo ver, a do mamilo da cobra que sai dele, da d primeira da direita,

na foto que agora se desvelou ser a faca do delta vic tori primeira, do joe lho, do joe do angulo do natal, donde sai um bebe, pos tres tarcos nos pes, acompanha um fractura costurada na parede onde ela se encosta, saido da barriga da perna, uma cobra que faz um delta, sw seguida temos a macaquinha, pendurada na arvore, figurando o x nas penas e um delta de fogo com os bracos, br cc os, pele mac manchada como um animal e o que parece uma agulha espetada no cotovelo, onde se ve um estrela passaro, aviao, tipo fenix, ou seja uma seta que atingiu uma fenix, uni, do moinho, provavelemnte nederlans, do seio, entre flores, f olo r es, brancas que sugerem, s eu ge r em vagamente tulipas,

a do bico do gaviao, em local como um monte na cidade, que desenha um ali cate na na dega direita, da rapariga deitada numa piscina da hera,o gaviao, g ac cia o it, da corrida, das vertebras kundali, atravessadas por um pelicano, oi u seja a corrida do pelicano , que ficou no minimo paralizado, da cabeca de anemona, ou de medeia, ou o filho do actor frances, quando do seu acidente em que perdeu a perna,

depois temos alberto schommer, il est, le mai t re hi spa ani q ue, du port rai t sur rea al is te , dans le g en re delicat. deli cat, o do mne, du port rai t do alberto, ex ministro ps, sc homem do om do mer, ble dont il est, l serpente uni q ue geniteur, do cristian cau jolie, da angelina jolie, cairculo austriaco

todos os retratos tem o mesmo tema, com excepcao da ultima foto, que dá a explicacao do resultado da elevacao da cruz, e os seguintes, q ue f am a d e ministros de franco, fr um y tourreiro de primeiro nono do sesenta e nove, de cosi x em dias anjos de joan miro em setenta e tres, do eduardo da tar rag on em primeira das cortes ca catalunha em setenta e tres, da ratoeira das cortes espanolhas, das nuevas cortes da nova , da xruz na dosi dois pilares,pi ilha ares centaris das cortes, o rato de bigodes da ratoira do x, aa, da pi, ou onze, ou xa a ll, testa x a a antioga ordem, cruz suastica, em mil novecentos, italia, duplo deus, suastica aca cc azul nas escadas com tres barços partidos, do pablo serrano sculpteur de belas artes, que com uma pena acaricia as costas de um anjo que ilumina, com a palma da sua mao

estes sobre personagens espanhois, sao por assim escrever o reverso dos cinco padres da elevacao, oi elevado s pela cruz de cristo, dec rito, ou do templo, em oitenta e um, da se ire levi tat io n, monseigneur suq u ia cardinal de saint jacques de co mn poste telle em galice, o delta do cristo crucificado dos joelhos fl e ct id os s ob re almofada, leito, levi t ante, ou levi ta, o mose inge ur tara rac do con, tara do est u pido, do car dina al de madrid, da cadeira francesa vermelha, de cujo delta parece elevar e prender, pr e d en o cristo ao seu peito, o moseigneur delicado, porvavelemente relacionado com a joana delicada, assim carismada, do arce do bispo de v al ll ad o lid, sa escova de pelo negro , meg ro, sobre crina vermelha, verme mne ml, das raizes horizontais das quais nascem dois sem arocs por cima de um flor dentro de uma vesica, prosecco, descricao, da genefluxo, da confissao, de uma historia contada, cona td a num leito, do angulo de toledo, das espadas de toledo, do monseigneur marcelo, do gonzales, o prof por rf do gonzales do pse,

e depois uma foto inteira de andy warhol, feita em oitenta e tres , que e estranha e desveladora pelo seu simbolismo,kapa lis mo, pois esta ele embrulhado numa bandeira americana e pinta com uma trincha de cabo vermelho, dizendo o dedo do delta, do sangue na bandeira americana, ame mer rc ian, onde o mesmo delta tl se ve maracado, mar rac cd o, como se fosse uma impresssao digital

ao lado dos personagens acima descritos, das fotos mais pequenas, temos uma em grande do dali, que curiosamnete apanha parte, o manto, man ny o de leopardo que tras vestido, essa f oto tp,h a, fazendo como que uma onda, tendo por cima na parede nesse eixo uma estrela, ester la do mar, e seguindo, se gun id a linha, um concha, um rapariga espanhola das patas, pt as pt da, de aranha, e a testa do p ino not r, u, buzio com uma fenda vertical, e uma outra concha, e um reguardo no muro de licores ,sa, antigos, como numa casa de praia

dali com duas maos segura uma terceira de manequim, que desenha um delta de aguas em seu queixo, numa das maos tras um flor en etsrela spirigiro, e um dos ramos tambem em delta esta sobre a sua face ligando o caule aos bigodes como cornos de um toro, toi o rato psd, sementes leves, daqueles que voam no ceus, e nas primaveras, a o lado ainda um flor amarela, como um opiacio, o oo pico coa do delta entre o olho, do p ino not, da c on homem da ad a casa da primeira teia da aranaha, é o buzio, ou em buzios , praia no brasil, onde um portugues foi morto a tiro durante esta historia, numa cena de cama

depois uma reportagem da l espagne en fte, com um foto de duas paginas onde se ve um cavaleio com o cavalo empinado no meio da multidao que o parece celebrar, um cavaleiro nas cores reais espanholas, que de imediato me fez lembrar o das canarias, um aqui narrada, com a teresa, a puta mae de meu filho, chapeu de forro vermelho, e negro, . um ss sela vermelha vesica, como a do moseigneur tara do estupido de madris, e um pormenor, um significativo pormenor que faz a ligacao à infante santo, e à prisao do infante, simbolizada nos predios da praceta, e num outro conjunto de imagens aqui descritas no tempo de seu acontecer

um punhal, mas um particular punhal, uma adaga de lamina curva, c ur vam am, com as mesmas tres marcas, tres traços como aqueles que sao visiveis no pe da victoria abril, sobre uma flor amarela debruada que parece ser um girassol, ou seja tambem o link, link ka, da, à expo, a faca do delta invertido verde como uma espora no se mia arco da lua doirada, da aba do casaco, do sao joao cidadela, ou seja do porto, nas festas, etas s, sd do porto, ou com gente dai relacionada, fotos de cristina garcia rodero, ou seja o toureiro da merche, assim parece indicar, a lamina ao ve-la na foto me recordou de imediato, uma outra que se figurava no alcatrao na infante santo à saida do tunel,o que nao deixa de ser, uma imagem tambem relacionada com comboio e atocha, sevilha, semana , mna, santa, um da, é xx posi sic cao, exposicao do barroco, um homem de chapeu longo em bico negro como os do kkk, e à direita, o carnaval da zalduenda da porvincia bascas da alva, e ainda a procissao da rosa da le virgem, a huelva pela ocasiao das peregrinacoes, num homem vestido de sapapilheira como um espanta passaros, se ve ve na face tambem tapado, pado, , o primeiro do aperto do cabestrante do circulo do sessenta e seis da bb, da cana serpente azul, da menina de chapeu azul, negra e vermelha que acaricia a senhora velha , um boneco, um roberto que e transportado por uma outra mascara, por baixo as sevilhanas coloridas que fazem bicha a um telefone publico, pub ll cio, ou seja alguem, al gume, ligado às comunicacoes, tele urbano int rena tio n al, az uk e p rta, da sevilha e com das rendas brancas em vestido negro,

em zamora, em janeiro, romarias da idade media, um homem vestido de branco com um botao, bat tao, verme l jo. chapeu de cne com um t es r el a prateada sobre branco e vermelho ao lado de uam casa de xisto, puxa um homem vestido de sarapilheira com a imagem da virgem e do menino, a sua sombra lembra um ceifeiro, ou seja a sombra da morte da sacola de correios, na ,ss, semana santa na passion de cristo , e ainda uma foto na qual em video dectecto uma incongruencia, significante, o colacho, no castriloo de murcia, a porca de murcia, dos vinhos, um personagem demoniaco que salta por cima, cia am, de tres bebes que nasceram nessa ano, mas na foto se veem quatro, um menina com sangue, e um x e figurado, figiur ad o, numa personagem nas costas, em vermelho e negro, que observa, como na posicao de uma das fotos da victoria, ou seja a id complementar do tal gaviao, que tras cores vermelhas ,co, v es doc soc z s negras em laranja com florao vermelho, ou seja ainda parece apontar uma menina que tera sido morta em murcia,

na outra pagiba, pa g iam uma foto a bunal, le dernier mercredi de aout, alors que les cloches sonnent midi, une bataille singuliere, s i b g u l i e re, d es miliers de ca ge o ts de tomates, ble tt es s o n t d eve r s es par tout une peuple et t ra sn for m net les rues de la ville en un fl e uve eca la te, q ue par ce san g ue, um mar de sangue,

um touro morto no chao rodeado de meninos, um dos quais com um chapeu miliatar onde se le dupla chaveta do onze, circulo ft terceira serpente em saint jean de caceres, mesmo nome de um dos jornais do ps., province de estremadura, l animal se ra e gorge el les en fan ts vi en d ro nt le n a r g ue r une dernie re f o is, ,a fe ts a do car naval de fr on te ra na ilha de hi ero, ferro, ps, aiz canaries, um diabo as s us t a criancas, e a inda a virge do car mel, a f u en gi rola, pres de malaga, uma can cao de pat x ia andi d oni, ,

nas outras temos um toiro com os cornos a arder, como estas putas aqui tambem fizeram uma vez, e certamente assim estabeleceram por um qualqur ritual , uma ligacao, e provocaram um conjunto de desgracas, abordado no livro da vida, a medina celi, o celo d=a med ian, ou seja de fez, ca p t ur rede caballos nas festes de saint jean da diu id adela, a va lie r de de la vera, os penin it e net ts amarados a cruz se f z e m chico tea e rato, sado masoquistas, outra vez a festa da v ie rsto gem da rosas, um rapariga caida de um cavalo no deserto, porvavelmente uma das mortes no paris dakar, na rue de lanz um instumento que parece um treno, russia, hermitage expo, a denia em alicante, um toiro, toi ican tor, ot io, mergulha no molhe,. o carnaval de r ob le di illo ll o, o diabo dos sinos, un em br as em en t d anes en carton clo ture le fete en fam me es de las fallas, a valence, e uma mascarade en di ab ble dans la ville de arta, a ux baleares, dan s la ile de majo r q ue, os travestis bascos de gu ip uz coa, a rede da jiboia da tromba de elefante, ele fn a t azul e branco, em vinte e set de setembro vivas a grande place de valladolid, une ville en feu,

depois vem o trabalho, t ra ab l ho da ode, da eva do valhon do rat, o valon n do rato, ps, com formacao artistica na escola de beux arts, the pssessed space, est hante, par, l esprit fr ribra , el grgo, tiepolo, tie ie do pp polo., lp. , o quadrado de oitenta e setes, a lembra uma imagem tanto minha de um porgrama infantil, como do poema da minha aldeia, como joao grosso, e tambem um clip da tori amos onde as criancas sao os girassois, um mamilo erecto e grande de uma rapariga nua dentro do quadrado, do aret interieure em noventa e um, da cruz de oitenta e nove, do polttique de noitenta e nove, coins sn sectoin vert cica ale le em mil novecentos e noventa e um

le regard mystique et baroque d un artiste espagnol sur la lumiere et l espace, the possessed space, hexagini, cercle e trapeze, . zig zag trepeditacion, cube, sphere trapezie, suggere um mot evocateur, espace matematique, epsace universel, espace perspective le corps e la danse, les signes pura de la ratoinalizatoin matematique, diptyques et polityques, do valon rat, do manuel santos acento qaudrado da gina ke h a y off de munich, da distribution distique, stick, c ola, vinte e nove circulo forte, uma referenca num auto portrait a bacon,m em oitente e tres, e imagem da serie enimal egetal de oitnta e cinco, da caixa da pandora, ou a caixa da pandora, h om mag es, mistico e barroco, ba , bar do roque,

um outro valon do rato, está nesta revista, o valentin, ou seja o major, do alce, ou seja dos eventos relacionados com canada, toris amos, girassois, das avestruzes com cabeca fora do enquadramento,dam am, s o tigre que bebe agua, provavelmente em africa a atender ao perfil do personagem,

uma das fotos deste autor, e uma rapariga nua deitada em arco, invertido, como harlot, entre um lencol que esta.est ra, num sofa ou algo assim, e que simbolizam duas enormes ondas, em volta do seu corpo, como se morto estivesse, pois tras suas maos tambem cruzadas em concha invertida no chao, ao lado de um conjunto de ramos de flores, que remete para, oara, uma coreografia da olga roriz, onde uma rparaiga dança no meio de imensas flores assim em palco, que agora me lembrei, ao tomar conta do que a camara mostrou nos ultimos, imo ov, ms videos, quando passa pela locomotora nas cores espanholas e depois ao abrir o livro em cima, dei conta ao calhas quanto ele o é, precisamente, na olga rato deo da oriz, a imagem da foto, parece contar que uma rapriga tombada, criou como que duas ondas gigantes, gig gn at es, à sua olta, e de certa forma um perfume, se eleva tambem de sd semelhanca como uam outra foto recentemente abordada, do blog das mulheres e deusas, de uma mulher muito bela, que embora em posicao distinta, num leito, evoca me um mesmo perfume


ao lado do at al, do autor, do auto retrato, onde se ve o fotografo em pe em planos distintos, de um pequeno estrado, como a da imagem da tribuna da ar, e do circulo romano,ultimo video, com uma sombra liquida que faz lembrar vagamente o simbolo optimus, e as animacoes como, com o fuli, fluidos em ambiente, am bit en a t d e nao gravidade, como é sugerido nos spots, onde se ve tambem, um lampada com interuptor de corrente de tecto, dos antigos, e uma parte de uma muldura, de um quadro negro ou seja inverso, que cria um efeito de trompe de oeil, na medida em que o quadro pode ser o espelho onde se fotografa, ou, um quadro que esta em plano anterior a ele,

uma outra foto , uma estranha foto esta da serie dos animais vegetais, que nao deixa de remeter par um pintor, tot, , archimbold, e por extensao, para uma performance da pornex, zinco, aqui uma vez narrada, onde um corpo nu como sentando numa caixa de madeira revstida a pano, tras as maos em sua cabeca, e pelo arrasto do movimento, se obtem o estranho efe it o, efeito, pois parece uma cobra , figurada nas vertebras que cresceram e que sairam pela cabeca, dando a figura, figo figi ra, um ar meio de monstro, de uma mulher gato passaro com cabelos vegetais de casca comprida , assim parece contar à juncao com a outra foto,


de sg guida, seguida uma reportagem da kim maniresa, do man da ire da sa da kim, do la vanguardia, am oe ux, carta de toro tarot, du nl i r et blanc, maconico, e tambem um nome de um programa, dos anos oitenta de uma pordutora europeia,

barcelona, nocturne, bairro chino, olimpiadas, do bairro gotico iv vc x, do tiempo libre editions, assim se destaca semanticamnete do texto, a primeira foto, duas freiras numa masqcarade, dentro de metro de barcelona, cujo simbolo e um prisma deitado, o mesmo que agora emergira no acidente da camionete, este ultimo em pp portugal, com as relacoes ja deduzidas pela palavra e pela escrita recente

barca boixios nois , hooligans, les g ar rf f e u r s d e la valle hebran m umn en a uk t quatro em angulo com um fiat panda, como o q eu um dia, teve, o amaro da costa, e c que com a ines levaram uma pancada de uns betinhos que fizeram uma trangressao, na avenida da republica, rep pub ub l cia, e que calhou eu ter chegado logo de seguida e lhes dar um enorme raspanete, vindos todos, de uma qualqur festa , que creio ter sido a unica vez que entrei, nessa discoteca, a das duas flamas no terraço, av 24 de junho, juno, e ainda exibhition dans le bairro gothique, o quarteirao dos travestis, ao pe da universidade, cho per é peugeot, os outros carros visiveis nestas fotos,

el raval, das ramblas s o uv v en, J.O., coup de poing pour net to y er les ruelles di bairro chino, canas, cn as, no chao , como um delta, um policia com boina com quatro traços e dois, id ds, mar rac ac cd os, marcados na face, e na parede , uma marca como um enorme dedos, polegar
depois, temos os novos conquistadores ue remetem para cortez, e pra os territorios conquistados pelos espanhois durante a expansao, um conjunto de novos valores, um porte folio comum, onde se fala da la vanguardia, del pais, d el sol, , da marie claire, elle, man, e la luna, ou a lua dos magazins deste genero e dos periodistas acima mencionados, rivas, garcia alix, chamorro do bernad , do de andres arnal vallhonrat, pinedo guardians beltram rodrigues botella , l es sn no ov ve veaux e au ux x, c on q u itsa dor es, dos jovens fotograficos,

alberto garcia alix, oitenta e quatro, anne dans l a tente de mesm baisers, carolos de andres trinat e oito anos, el sol, as arcadas do equivalentes ao terreiro do paco, com um cartaz da filatelia no meio, como a historia da afinsa, e um em cadeira de rodas, um toureiro torie, que se veste os collantes num quarto, o telefone do toureiro espanhol do camane, do koldo cha moro, clement bernand de trinta anos, opend spa is em chicago, no campo um rapaz o ge de um t y o it o de um land rover, nacho pinedo, representado a paris, uma bailarina com collants equivalentes do do teo ire iro, e uma outra com as maos numa posicao de f al em ne g o. xavier guardans, je v e ux t r ava lile r de plus en plus no silence, ctalan, que es p lo ro u tokio, londres e paris com rep r ex en tacao tambem ne sd t a ultima ca pi y t al, uma outra rapariga em c ima de uma ra v o re de delta, uma outra sa indo do quadro de u mp on tor fla men g o, e um home de sapat ps cpm pola is na s meg ru l h ando num tam q ue de gol f in h os., o miguel arnasl pr emi o playboy, ph oto ero tiq ue, com a bel s s usa nba riba l t a, e o pepe bo l tella, botte da telle, de v al en cia, vogues , cosmopolitam, joyce espagnol. , en noir et branc, par ue dans man en septembre de noventa e um o iram o de javier, o valentin do vallonrat, os alces, as avestruzes e os javalis, e o trigre do lab , e o jose luis beltran, ou da beltrao. loja de equipamentos de foto diversos

uma belissima mulher, nua com face oculta, cabelos curtos, de botas de cano com atilhos, que sao como um serra, ou uma lamina de um peixe, de saltos agulha, nma minete anterior, tipo pala cio v irado a sepia, ao olhar estas belissimas fotos, o primeiro pormenor que me salta, sao as vidraças em vitrais, vita rai s, que me lembram no imediato aqui em correpondencia a esta cidade, os escritorios do guedes , ex cds no principe real, e hoje mesmo ao preprarar a coluna para fotografias, f oto raf ias, que trouxe dos o li cia is,dos olivais, made in poland pal lam quadrado, pz warsaca, ao arrumar os pap si, papeis, que estao em ma da mesa dos tres deltas de fogo, dei com o extracto bancario que encontrei uma noite ali no arco por debaixo desse palacio, um que acabara de referenrnciar de novo em palavra recente, e ainda os vitrais, pois nao existem muitos aqui, me remetem tambem para umas intalacoes bancarias ao lado da camara municipal de lisboa, ambos os predios tem a mesma traça, um mesmo perfume se evola, um perfume de orgias, assim me fala a foto, pela sugetao de fetiche que ela comporta,

x s e ve as costas da bela rapariga em, pe fer net, frente à janela, r efe l ct id as num espelho, com um sofa ao fundo, e uma mesa, onde uma cobra está no tampo desenhada, e um outro sofa de um lugar, baixo, que figura um homem, les deus images de cette double page, refelcetente l audace sophistiquee qui caracterise l ensemble de son ouvre, s o fp hi, sofia ph, acidez, sofia acidez, ac id dez, comporta, local, ca rac teresa ise, de l ensemble, do g rup, o do circulo, de s on oe uv re, double, como ela se pode ria rec lina ar na segunda foto, para uma double, em cima da mesa, meninas de colegios, juvenis, como as cuecas, que por ali estavam na rua nessa noite em que o vento me levou ao palacio, pal cio do guedes dex dez,

o juan t xu do rof fr rodrigues, o o joao da cruz do beijo invertido do rodriguez, realizador espanhol , el ro da banda de uma guitarra, como um machado, um baixo, ao lado dos deltas dos picos de bota de p rta ao lado da linhas de comboio, num festival, das botelas, um jovem ca al skin como se faz amor no chao, juan t ux, q u foi morto no panama em noventa pelo exercito americano,

humberto rivas, argentin de oi r g em, installe a barcelonam en mil novecentos e syenta e cinco, au i madga um nu sem artificios, pequenos cabelos descem sobre a orelha direita dela figurando um falo, , na outra uma joia em delta, um fundo de feltro negro onde se desenha o perfil de uma face, a cobra no ventre dela, assim uma marca na foto mo diz, des pochettes de disques, no texto na pagina seguinte da ouka lele, a madrid , elle, am mad rid madris da elle, da revista, uma manequim, assim parece entao somar,

uma outra foto de ouka lele, ainda nao comentada ,na mesma reprotagem,, a que aparece ao lado das já descritas, le mystere de la vie, em mil novencetos e noventa, une ouvre recente de barbara allende, qui signe ses etranges, e t ra ab bg es photographies du non moins etrange ps eu don ny me , ouka lele,

a pa g ian dobrada oculta e desvela a capa desta revista onde o texto adquire um outro significado, a vic tor do ia de abril, primeira star de ns agyuilles, com me is ne angulo serpente ave zorro mais, fr, vaso ue, cod di gata circulo de barras,

uma parede amarela com uma marca, e uma peça de madeira com motivos repetidos, como asas sobrepostas, com uma mancha equivalente, um pano se estende na parede em cor azul turquesa escuro, e um outro em verde mais claro no chao amachucado como ba imagem do auto por t rit harmoni e eu ux, um arvore, cobra com um cobra vera verdeira dd em tons lotus, negra e amarela, lotius bar, e um casal figo figi iur figurando adao e eva, ele, segurando um para sobre o seu sexo, ela, um ramimnho que quase parece agrioes, folhas, pedaços de madeira, o que parece ser um parafuso tipo a bicha de desentupir dos porcos, ao lado do pe esquerdo dela em pe, ou seja, a que parece eleva-la, o rapaz sempre me pareceu ser imagem refe efe e fel dol do priemiro xo, reflexo, do andre yustes, outro rapaz do tempo do projecto iberica, e a rapariga, parece uma actriz, que aparece a fazer um anuncio onde fala com alguem da radio, enquanto cozinha, com o pedro rolo duarte, assim me parece a voz desse spot, e ela vai traduzindo a sua propria linguagem na explicacao que lhe dá, os idolos de agora, foram substituidos os intel tel set ua is, os intelectuais, sao agora os jogadores de futebol,fute do bao, a l in gauge m, empobreceu, algo assim , a ideia, , a peça de madeira tem um perfil per di fil, , semelhante à marca da cobra descrita na pagina da foto da magda, ou seja, maga gada, da monica , assim parece indicar, esta foto, foro, tem datas entre dois anos, oitenta e nove e noventa , e ouka lele, pintado, declina em anzol, maria ka lele, princiepe , ele, o de n ov n t a, o p rin ciep do ciep,

relaçao com o furacao do seculo pela parecenca com o andre , na foto que simboliza o pecado original, e e pelos olhos colados nos olhos do gorbachov, tipo boneca, bob eca, que por sua vez estabelece a relacao com republica dominicana, as aguas onde se vem os olhos dos crocodilos, que por sua vez estao na fotos do everglades, miami, na photo que tras a reportagem do andrew, onde se ve a trajectoria dele, como a comentei, uma vez aqui, a estranheza do desvio em relacao a ilha, como se tivesse, bna as sc id o, nascido ali ao pé e sido acelarado lançado, el, can cd o com nt ra os eua,

depois vem o jose ferrater, farra do rate do ra da teresa, foto , tod, de um catalogo de moda de fatos, fat ts o, sd e av n anho, de banho, e, noventa e dois da gui l her mona baeza, guilhermina susi, uma escola de musica, aqui, e uma relacao com o primeiro modelo masculino que aparece, com os bigodes como dali em ponto mais pequeno, peludo a contrastar com a alvura da modelo, a petra, com a uma branco numa posicao equivalente a mao que dali segura com as suas, como dizendo que a petra, a roca, a rocha, vem da petra se e de idris da costa vaso da brava em noventa e um, se rie rea lise p o ur la cat al logue de mai lot s, de bain, s argento da guilhermina, da baeza, nome que me ressoa vagamente num modelo portu gi es, ou sea j a am mina do gui, l herme da baeza, em maio, un, createur de barcelona, en espagne, do manuel da farra do rate da teresa, la forte personalite de catalunha. car al unha, do meio da photo, pub e da moda, alfonso sostre, di rec te Rato do aro, do director criativo, doc ria t io do ovo, la gotha de la photo, da pilar fernandez, cuba s, stylisme, maria romeo, do alfa, o romeu, coiffure e maquilage do ge do joe guj, assis t ant ph oto de a l faca do berto dominguez, coordination stud di io, aljejandra rivera, e mon ts e m un ne, o delta dos se is o do fatos de banho, ba cho, da cama elastica, ou seja dos saltos, como os que apareciam recentemente dados pelos bailarinos do michael jackson, per da di, depois judit mosco, judite, dos taco s es azuis em frente à puta vitorino do ps, como ontem os vi, na tv, na asas das vesicas da mesa que se interpenetram, le plus g rand ds des top ps espagnol. Dn s les bras de john francis, fr rna n c is, prague, printemps, noventa, se ria real isse p o ur la cat al logue de la c olle c ti on s argento b y, bus i, um torrida cena da ema de amo mor, com uma roda de t rac tor ao fundo, segundo delta, ba si, nicky do bog bord, ph oto g raf fi ie, a barcelone em noventa e um, a rapariga com sobrancelhas de passaro de fogo, à groucho marx,

petra de novo a esquerda, avec idris photgrafies sur la costa brava, pour la illustration du ctalogue de noventa e odis, de guilermina dbaeza, ferrater est , le ph oto tog raf p he, f av ori, ec e tt e en t rep pr ise cat al lan, dec on q ue r e b, bi en tot, le marche inter na cio nba al, de la mode, ce cta al logue, est un, p ur pto pro du it hi ispa nic uem c rea te ur, actor, manne quyin s, ph oto g rap he, dos tylists,m coiffeurs, me me la fabrica , cat iio in, ph oto composition, photgravure, .. s ont espagnols,

na foto ao lado, o rapaz dos bigodes a dali, casao twedd, gravata furacao, de caminha ao lado de idris, sobre um passeio, onde se vem dois elementos que estabelecem licagoes, lic cacoes es, um pino contra o parqueamento em sec cao hexagonal, como o do quadro do sir ric h mond no leito, e ainda um outro que aparece na foto da rapariga atada dentro de uma banheira, e as pedras da calçada que trazem desenhos, de fur rc cao es, furacoes, q use, quase, como o simbolo das laminas celtas, ou do bhuda bar, uma mini saia as bolinhas que podem ser a imagem do padrao , do lenço do cavalo de pau empinado, a rapariga com sapatos de rede branca, com losangulos, lo san gol s, ou prismas, um al lam am la mina,uma lamina, e uma fivela de um cinto na imagem e um fotografo que olha a sua tele, desfocado ao fundo, veem como que zangados, o casal, como s os sapatos que formam as cores preto e branco, ao pisar fizessem os furacoes,

a resposta da zanga parece ser dada na s pagina seguinte numa sequncia, seq un cia, de quatro fotos, um movimento de profunda zanga personificado pela judit masco, no que parece ser um talier ou oficina , com uma peça na mao em forma ameaçadora, que parece ser,ms serpente eu, ser, garafa de ar comprimido para pneus, ou seja da relacao com o modelo da outra foto, fo do y t o, seus cabelos dez en h am mut ip faca p l os deltas em seu m o v ie mn to, e um pormenor estabelece a relacao com a queda das torres, atraves de uma fotografia, da photo que me apareceu ao analizar, ana,iza rata, esta, lees star de annie leibovitz, a faca p rta e prata per, nas areias do deserto, onde uma foto da à chave da queda, ao lado desta viga, aqui vertical, um garrafa de leite vazia, bo cinto dela, um pano de rede, e dois dentes de faca ao lado de um angulo de vigas, ou seja de pecas da estruturas do edificio,

s tat, ondas como uma coroa , como uma coroa dos pés daquele que salta sobre as criancas, e cujo imagem, gm, e a legenda não batem certo, pois parece ser uma impossibilidade, que uma crianca estivesse com sangue e ninguem por isso tivesse dado conta, e por outro lado, a legenda expressamente, o acentua, dizendo que se trata de saltar por cima de tres, quando a imagem, ml, mostra quatro, ou seja, sej ka, tambem improvavel, que os copy no minimo não ,ti ov, tivessem por isso dado conta, ou seja parece estarmos a falar de uma mensagem que foi assim construida para insinuar que um terá morto uma criança, no contexto que a todos já aqui pelo conteudo especifico das fotos abordei

e por fim, dim, na ane nest, nesta sequencia, o mesmo casal, a rapariga encostada a um balcao de cores, car es, vazia, com um cubo onde se figura, fu o g ur a ondas e a mesma coroa, e onde se le s tat , ou s ts da x ru z, do barco das ondas do mar, , segunda ka iba,
na pagina seguinte, nikonos, dois mil, nono circulo, o primeiro maestro do s mar tie es, , o quatro e i cinco, core ponde, corresponde, ao oitenta e oito, o ste, ao vinte um o nono, o raio vermelho, rato serpente do antonio forte, da inversao , iso , norma, no kin, ps circulo, cento e vinte azul laranja preto, o cinco e o sies, ou seja onze, o circulo vrmelho no circulo preto da vesica vermelham k es deux mole tt es de reg lage des v it ess es , a g u ce he t d e l o uve r ture, d a j us te ren posi ti io on manu

ram de metres, par ra pp orta, l autre en h eu t ad roi te le declencheur, le set le log emen t des accus, du flash, sb cent e qutro, peugeot, derriere la porte etanche, le calculateur, p o ur la reglage manuel l ou verte ur e, v ise ref l e x mise au , p o int auto e t le to vaso cruz primier zo om s o us do tra;o ingles marin, le ni kk circulo do rato, f do maestro, s mar ti es, si angle cinquenta e nove, oitavo grau, e qui valent a ce lui d un , ob ject itif, de trintaa e cicno mm a l air, bertran ph oto segundo novenat e um, do princieo do angulo do castelo, costa do castelo, r w fl le x, reflex, vinte qua y ro, vinte e quatro, cruz trinta e seis made ria un nod, por da shade de s es e en t a , n ove en g a , noventa e tres, gn ne men ts h ass sel blad suede, pg oto fla sh, scot ch rome, sessenta e quatro circulo t un sd t ene ai x 8 da panasonic, da tasse magique, s fr novecentos, no ove vaso en set os, it, sony, ni k on t w zo om cento e c inc o, p osso s o ft s id e r s, canon ion, rc dos seiscentos, se is c ene net os, e cinquenta pal, ou seiscentos e vinte e cinco, jose nuno martins,mar rin ns, ca non rp sete t r ina te um per met cd v id e circulo, v h s quadrado poker do sete made ria vinte e sete trinta , noventa e dois, laser point kider na ab bb m cine saint lazare, gare, depois temos o belo rapaz uwe ommwe et sa machine a fantasmes, passionne depouis toujours par la tecnique uwe ommer, porcede dorenavant pe per , par petites touches afin d enric chi r s es images, autor de la palete grafique studio labo da h inde den, s ont stoc k ees, centre de c al cu, sur le qua e na tel, a c home ave eta pe ine dez o i t e an ns, danna dawaon, carriere de danse, de teatre, radio e chansosn, romantic world, disque d or em 1991,paris new york and me, tell me bonita, moving on, c home ave eta p ur bte en ni rum effet de r el ie f, on a j o u te un masque de d es sn site,et on fait p ass e r lem ur sa t rav r es, um muro verme l h, onde ep la e x t ru sua sao, mo oi ix. as l ina h as for mam peças de puzzle , tons vermelhos ao lado de uma boca de inc cn e dio, cento e quarenta e si es, prime iro quadrado si es, me is ia, onze, o que nao e cinco en me nem seis, mas junto da onze, dupla unidade, uma mesma boca de incendio ao pe da igreja, onde no andar de cima das aguas furtadas do utlimo andar de ar frances, está hoje uma cadeira de barbeiro, como uma antiga, que tinha na altura da latina europa na diogo do couto, vinda de um barbeiro da rua, e uma outra ligacao, que os passos me deram depois de pelo espirito, es pi it rito, ter ouvido falar de um acerto de contas, por altura, da ultima camioneta que aqui tombou, pelo pulsar, e e eu me perguntando ,quem seria o tal pulsar, para alem de estrela, certamente, e de um tipo especifico, cc cif fi co, de estrela, ao caminhar ate ao pong, dei de rp pen en te, repente com uma loja fechada com o mesmo nome, ao lado de um barbeiro, bar ane iro, onde entrei, e vi as memas ant kapa gas verdes cade ira s, e do el he perguntei, de que era a loja, de moda, a mim me veio a consciencia , a ideia de loja de roupas em segunda mao, mas nao, asis, assim seria necessariamente, a este assunto voltarei, pois a linha é mais complexa, au i se ve na foto, um bancada em , sasa, asa, ss, no meio de um deserto, es e rt o, que estabelece a relacao, stab le ce da relaçao, com a capa da photo seguinte teles, les stars de annie leibovitz, com uma foto montagem onde uwe est aao lado dd e um personagem sintetico, sin tec t ivo t ip o tintin, numa quante sl com a imagem da danna, e outras raparigas em mini a turas como fadinhas a volta, e umas bobines de computador das daqueles tempos, te mp l, que parecem bnc, onde se senta uma az bela loira de casaco capa pr te a e mao vermelha no rebordo de uma delas, que parece reme del kapa e rato da cruz, remeter para, pata, primeria da imagem, a imagem dos fios das bob do bobi da ines, bobines dos programas tv ingleses, como o time code e alter imagem, e das chuvas e outros eventos que ocorreram nesse tempo na gra bretanha, aqui no livro narrados, cinco fadas, um de fato banho rosa numa palmeira, uma outra em cima do ombro dele, como anjos, a j os, elevados, ou que p que o elevam, uma outra em cima do monitor hd v s, s on ny, com um chapeu de coco, traços indicos, uma ela africana num o ur o, outro, moni it tor no es r teo com p asnos na cabeca, e uma outra que sai de uma paisagem de ceu de lua, em tres quartos, q ue rt os, crescente, helene la maitresse de la machine, pas de uwe ulmer, como o texto diz, e uma refencia para a photo 283, sc y l pt ur es photographiques, tudo isto me faz lembrar tambem os acidentes no deserto, e das mortes como a dodoc rr red circulo do ra tp, corredor frances, f ar n c es, e ainda ontem ouvi, pelo es pi ei it o, espirito, um pedido de morte, seria simbolica, espero, do corredor dos rallyes, acabara de ver um na tv, o portu gi es, o lamy, no espirito o dizer a ele associado, as o c i z dd o, era cmo se fosse a imagem do ditador, dd dita dor, na pagina seguinte um anuncio oe, plus g rand com infinito ur s ph veisca to, du monde, inde jornal, c este sida partie, kodack, k d ac ck e k t ac rome quatrocentos, qua t ric en ts co ups, e outros anuncios, reno oma e ff icient we ar la chemise indiana, le robe indiana, le blouson mu ti poches, le t roma ram fuji color, volvo, en gamme qua t ric en t os, dp e pour un bonne anne 1993, le pain de mie heudebert, r sylvie del ana ge da, a vinte e sete, e z p oa sic sion onze de avril a l ecole des beaux, be u ax arts tour coin inglesa , onde se ve um tubo que parece uma tromba de elefante, um tubo, ib o, ou uma manivela, motivo que aparece num outro anuncio no verso da contra capa, photofolie, um conjunto de jovens todos com narizes de palhaços, como uma campanha que por aqui em portugal na tv anda, onde o logo e um elefante, net, com um arco espermatozoide na sua boca, o que parece ser um roleiflex em cartao canelado, dao, uma micro camara, uma objectiva , um flash de tungestenio, e onde algumas faces parecem ter correspondencia, co rr e ps on dec ia com pero sn a ge en ns reais aqui, o parra q ue e tambem, o paulo fadista, e ainda outra s emel h ant es, mas men s on dele le io, ph oto li f phot cao e, photo four, api, mini st r e rio da cultura, centro nacional da fotografia, na contra capa, am rb mar l b o li gt hm do pm, vaso eri, circulo de la ass a ciga r e tt es, f um mer por ovo q ue dd es mala adi di es g rav es, cm uma, east, estranha sombra que pode ser da idade da revista em si mesma, mas que parece indicar linhas barometricas ao lado do cigarro de alguem, al gume, que assim as provocou