quinta-feira, maio 13, 2010

acusaçao à igreja de roma na pessoa do papa, quarta parte

doce senhora do meu coração, assim estava o jardim no final do dia de ontem










a cobra por cima da basílica da estrela



acusaçao à igreja de roma na pessoa do papa, quarta parte




curioso aparente lapso ou algum espertinho que assim alterou entrando no meu pc, a frase do ultimo paragrafo do texto anterior, .. a moldura de cima da minha janela continua a ter como recorte seus panos,... para, … a moldura do cu da minha janela continua a ter como re co rte, a rte tec circulo do omo , co rte se us p ano serpente


c ur io sa ap ar ren en te l p asus o ual gum es per tinho, q ue as si m al te ero vaso en t rato ando no me vaso do pc, a fr ase do u l t imo pa rag ra f io do tex to ante rato do ior, .. a m o l dura de cima da min homem da primeira jane, a dela, c on tin ua primeira teresa c omo rec o rte se us p ano s,... a mol dura do cu da min h a j ane la c on tin ua a teresa c omo rec o rte, a rte tec circulo do omo , co rte se us p ano serpente


assim se explica o mau ero, que assim fizeram nesse paragrafo, agora numa leitura rápida detectado, isto é sem excluir outros,como no passado recente mencionei, de outras alterações, e sendo mais uma ve prova de que as autoridades cobrem estes terroristas


ass si maior da se, é x p l ica do circulo do mau ero, quadrado da ue as si maior fi ze ram ness e pa rag rafo , agora numa lei tuy ra, a ra pida de t e c t ad circulo, is to é se m ex c lui iro de outros,omo no p as sado rec en te men cio ne ie s en do mais, fr, uma vaso e pro ova de que eu ás au tori ed ad es cobre rem este serpente dos terroristas


o espírito não deixa de repisar a mesma linha, que ela é a mascara da tal da estrela, onde ontem depois de publicar a ultima parte desta acusação a roma na pessoa do papa, um cobra de boca aberta, como aquela que encontrei no bau dos piratas dos discos antigos, do tempo do pop off, em versão vermelha, ali estava saindo da basílica da estrela


o es p ei t on cão de ix ad e r ep isa sara da mesma linha, primeiro vesica ina homem, mm, , q ue dela, é a mascara da t al da estrela, onda deo de on te maior madeira, d ep o is de pub lic ara u~ l t ima p arte de sta da acusaçao, ac usa ºcao primeira de roma na p esso , primeira do papa, um cobra de boca ab e rta, c omo daquela, q ue en c on t rei no bau, tv cabo, dos pi rata s dos di s cos ant ti g os, do t e mp o do popo do ff, em ver sao verme primeiro do home da primeira, al lie ei do sta da ava da sa indo da ba si lic, prime ria da estrela


vos

vi

hoje de novo

no

telejornal


v os do vi ho je d e n ovo no do telejornal


rodeado

de

diversas

personalidades

da

chamada

cultura

e

depois

em

fatima

orando

a

nossa

senhora



rodea dea ad o de di ver sas persona l id ad es da c ham mad ad primeira da

cu l tura, canotilho, seráfica, sentada em pose que parecia num qualquer êxtase que místico não seria, perante a parda iminência, ou branca, se preferir, pois branco é cor alva, da pureza, coisa incompatível com abuso de crianças


c ano not til ho, ser a f ica, s en t ada em pose sec quadrado da ue par e cia nu m qq al q ue r ex t ase q ue mi s tico n cão se da ria, pe ran te a parda emi ine en cia, o u br anca, s pr efe rato ire w es, p o is br anco é cor alva, da p ur e za, co isa inc om pat iv e kapa primerio do com do abuso de crianças


espantavam-se meus olhos perante a encenação, como num filme, como manuel oliveira, ele próprio dizia, da relação de sempre entre os filmes e o acto religioso, e na verdade assim o é,, pois uma historia contada é sempre um modo de avivar a religaçao, e as imagens como a bela musica do kiss and other movements ontem me lembrava , aparecem para lembrar os homens, pois do som e do ouvido, muito se esquecem, nas vezes, e as imagens fazem-lhes as pontes com a memoria, o papa igualmente entre um misto de cansaço atento, sentado numa cadeira de oiro de grande espaldar, o escutava, carvalho, apelava a participação cívica dos cristãos, e a besta do pacheco pereira, dizia das inegáveis marcas da cultura crista na cultura de portugal, o parlamento em espanha, todo muito mansinho, parece me que tenho de agradecer a alguém lá ao longe perto, de novo na imagem aquela mulher, loira com um ar durissimo, e zapatero, falando de cortes de cinco por cento em alguns salários dos gestores e dos abusos na função publica, cinco por cento, curioso numero, a relembrar, o amado libanês, guklbenkian, ou seja a traduzir o reconhecimento do envolvimento na ultima guerra entre Israel e Líbano, numa bolsa europeia, um senhor parecia telefonar em vão, de repente pensei que poderia ser para mim, visto a vontade de atender telefonemas é nenhuma, neste tempo, nos ecrãs se via, o to do xx, o to de avalade, século, vinte e um, laranjinhas,


es panta av ava vam da amdo traço da se da ise inglesa me us olhos pe ran te a en c e n a ac sao es, c omo nu maior fil me, c omo do manuel olive ira, ele por rp rio, psd, di zorro do ia, a da relaçao, do, falso,fla s o , o do tribunal, de se mp re en t re os fil mes, é o acto r del e gi osso, é na verd ad e as si imo mo é,, p o is uma da historia contada, é se mp re um mod o de av iva vara do ra da r deli g aç cao sao es, é as sima mag en s c omo da pr ie emi mm mira b ed l a mu sic, a do kapa do iss and ot her mo v en ts on te maior, me ml em br ava , ap ar recem para lem br ar os h om en s, p o is do s om e do o uv id o, mu it o ze es q u cem, nas v e z es, e as do sima das ima g en s f a z en do traço ingles l he s as das pontes com da primeira me mor ia, circulo do papa e g ual le lem n te en t re u im mi st o de c ans saço es a t en to, s en tao nu ma cade ira de oiro de g rande es pal da ar do aro es cu t ava do car v alho, ape primerio da lava da ava, a p art tic p aç sao es civic , o dos cristaos, é primeira best ad o pacheco pere da ira, di zorro do ia das ine g ave is das marcas da c uk ltura crista, na cu l tura de portu gal, o p ar lam en to em espanha, todo mu it o man sin ho, pa rece mec mc ue ten ho de a g r ad dec ar a al g ue ml á aol onge per to, de n ovo na ima ge m a q ue dela, a mul her, loi ira com um ar dur iss imo, é za pat ero, f al ando de cortes, rte , de c inc o por c en to em al gun s sala , rr, rios dos g est to r es e dos ab us o ana fun sao es pub l cia, c inc o por c en to, cu rio osso nu mer ero, a r dele lem br ar, circulo do amado, l iba ne z, g uk l bem ki an, o u seja a t r ad uz iro rec on he cimento, do en volv im en to na u l t ima guerra en t re is ra dele, é o l i b a n o p, nu ma da bolsa eu rop e ia, um sen hor par e cia tele fon ar em vao, mario soares, de re pen te p en sei q ue pode ria ser para da mim, vi st a o vo von a td e de a t en der tele fon ema s é nen h uma, nest e te mp pop, nós dos ecras da se da via, o to do xx, o to de al ava lade, se culo do vinte e um , lara n jinh às


na verdade duas eram as senhoras loiras no parlamento espanhol, a primeria de ar durissimo, como imagem da tal puta que me tras o filho roubado, e a segunda depois ao lado do zapatero , já sentado na bancada, com a outra ao lado, que levava a mao ao pescoço, como dizendo colar, nec, o colar de roma, o anel de roma, e de seguida ra joy, dizendo de zapatero que todos lhe reconheciam a incompetencia, de londres vinha uma peça de teatro representada muito mal pelos dois que agora decidem governar conjuntamente, cameron, numa frase remetia para uma outra frase de j f kennedy, não perguntes o que o país pode fazer por ti, mas o que tu podes e deves por ele fazer, o liberal, acrescentava, para uma plateia de jornalistas, que antes eram rivais e agora amigos, uma outra linha falava do juiz garçon, outra vez a mesma treta, de uma qualquer acusaçao contra ele por crimes que ainda não prescreveram, pois a todos já expliquei a moral da correcta lei, e se as bestas que se dizem homens as trazem tortas que as endireitem, contudo, o pormenor, era que o juiz mesmo acusado teria tirado umas ferias sabaticas para ir para o tribunal de haia, ou algo assim, sem bater a bota com a perdigota, como de costume, a ecoar, em mim , em meus arrumos, e talvez acrescentando que a rapariga loira aqui, é holandezz, tirar ferias sabaticas, ou sabath, filhos da puta vao se foder!!!


na ave rda dade du as e ram ás das s en hor as loi das iras do no parlamento espanhol, a prime ria de ar d ur iss imo, c omo ima mage maior da t al puta quadrado da ue me t ra s o fil ho r o u b ad o, é a segunda, d ep o is aol ado do za pat ero , j á s en t ad dona da bancada, com da primeira da outra, cao l ad circulo, cv irc culo, q ue l eva ava pr ie mr ia mao cao p es coço es, c omo di zen do c ola ar do nec, o co l ar de roma, o anel de roma, e de se guida do ra joy, di zen do de za pat ero q ue todos l he rec on he cia ma inc om pet en cia, de l on dr es vinha de uma pe aç es de t e a t ro r ep rese sena td primeira mu it o ma l p e lo serpente dos dois, quadrado da ue do agora dec id em g ove rn ar c on un tamen am mente , cam eron, numa fr ase reme t ia para uma outra fr ase de j f k en ned y, n cão per gun t es o q ue do circulo do pais, tvi, pode f az e r por ti, maso q ue cruz do vaso pod es por dele, f az ero do circulo do li be r al, ac r es c w e n t ava, para uma p la teia de jornalistas, q ue ant es e ram rato quadrado iva ise se do agora, a mig os, russia matança , uma outra da lina homem f ala ava do ju e zorro do garcon, outra vez a mesma da treta, de uma q ual q ue rata da acusaçao contra ele, por c rim es q ue a inda n cão pr es c reve ram, p o isa prime rio de todos, j á e x p lic ue ia mor al da cor re cta l ei, e se às das bestas q ue se di ze maior h om en s as t ra ze maior das tortas, dp, q ue as en di rei te maior, c on tudo, o por men o rato, e ra c 1 u do circulo do juiz, me sm o ac usa sado teresa ria tir ad o umas ferias sabaticas, pa ar iro onda do para do circulo do tribunal, t y rib una l de h aia, o ual goa ss em se maior bat e ra da bota com da primeira per dig ota, c omo mode cos t um é primeria e co da ar, em mim e maior me us ar ru ms oe t alvez ac rec w en t ando q ue dd da primeria ra pa riga loi ra a qui, é h ola lan d az e, t ira r fer ia s s aba ticas, o u s ab bt a homem fi k l h os da puta ava s o se fo der!!!


assim se desenrolava o contexto vindo de diversas naçoes, e a minha paciencia para andar a descodificar estas encenaçoes, é nenhuma, vao se todos foder, seus pedofilos e abusadores de crianças e terroristas de estado!!!


ass si maior da se d es en rol ava o c on tex to vaso indo de di ver sas naço es, é primeira mina homem p ac ien cia para anda ra d es codi fi car este s en cena ç o es, é n en h uma, vao, mario soares, se todos fo der, se us pedofilos e ab usa dor es de c rian ç as e te rr o rato ps ista serpente de estado!!!


depois de comentar trichet de novo ele apareeu, dizia na peça do telejornal que, fora abrupto e severo, ou seja abrupto, pacheco pereira, e serpente do maso, eve ero, do ero do natal, feito na praia das maças ou por aí, duplo sentido, tambem apple, tambem as manhas no meu g4, com o envolvimento de uma qualquer empresa de vao de escada ali na pampulha, assim me desvelou o espirito há umas luas atras, o tal da manha do corte nos cabos e das tarficancias no computador e do softwares, morram todos, !!!!


d ep o is de coe mn tar t ric he td e en ovo dele, ap ar e eu, di z ia ana da p eça do tele e do jornal, q ue e ra do abrupto e s eve ero, o u seja ab br rup pt circulo do pacheco pereira, é serpente do maso, eve ero, do ero do natal, f ei it on a pr aia das maças, o u por rai aí, duplo s en t id o, t am tambem a pp le, t am tambem ás das manhas no me vaso do g4, com do circulo do en volvi men to de uma q au q le ur em presa de eva vao,ps mario soares, de es c ad a ali na p am pulha, as si maior da me d es velo lou do circulo do es pi rito h á umas l ua s at ra s o t al da manha, do c o rte nós dos cabos e das tar rf fi can cia serpente no co mp puta ad da dor, é do s o ft w ares, mor ram todos, !!!!


cheio de oiro

vinha

como

trazendo

um

cordeiro

em

simbolo

posto

em

forma

inclinada


as

mesmas

cores

que

a

rapariga

de

cima

um

dia

ao

entrar

trazia


branco

seu

vestido alvo

doirada

mala

grande

assim

a

tiracolo

igualmente

inclinada


complementava

um

outro

seu

dizer


que

a

rosa

de

oiro

que

trouxera

de

roma

se

podia

apagar


assim

se

fazia

a

linha

de

uma

certa

preocupaçao


ou

induçao

de

procupaçao


na

verdade

entrelinhas do ir

e do voltar


pela noite

uma

vela

branca

que

ardia

num

parapeito

se

apagara

ao

voltar


a

casa

fechada

como

quem

partia


um

jogo

de

luzes

em

outras


preparado

como

sempre

pelas

putas dos cios


já começara em vespera no jornal da noite , que depois de muitas vezes aqui ter denunciado das constantes manhas, o retiraram dos arquivos da pagina da rtp, pois não dá muito jeito aos bandidos das constantes manhas e passes, trazer assim as provas tao aos olhos de todos, lá iremos,


che io de o iro da vinha c omo t r a z en dó um cor de iro em si mb olo post o , em forma inc l in ad a , às das mesmas, cor es q ue da primeria r ap a riga de c ima, um dia cao en t rato ps ar t ra z ia do branco, s eu v est id o alvo do irada ma la g rande, as si ma t ira c olo i g ua lem nt e inc l in ad a co mp lem n t ava um de outro, s eu di ze rato, q ue a rosa de o iro q ue t ro ux e ra de roma da se pod ia ap a g ar as s i maior da se f az ia a lina h d e uma ce rta pre o cup açao o vaso indu çao es de pro roc up açao na ver dade en t r e linha s o i re o vo l t ar p el a n o i t e, uma vela br anca q ue ar dia nu m p a r ap e i t o , se a pa gara cao v o l t ar, a csa fe ch ad a c omo q ue mp art ia, um j ogo de l u z es, em outras, pre epa r ad o c omo se mp r ep delas, das putas dos cios,

j á co meça ra em v es pera no do jornal da noite , q ue d ep o is de mu it as v e z es a qui teresa d en un ci ad, o das co ns t ant es manhas, o r e tir aram dos arquivos da pa gina d r tp, p o is n cão d á mu it o je do rito a os ban dido s das constantes manhas e p ass es, t ar ze r as si m as pro ovas tao a os olhos de todos, l á ire remos,


continua...

Sem comentários: