sexta-feira, maio 14, 2010

acusaçao à igreja de roma, na pessoa do papa, sexta parte


sexta parte


calhara

encontrar

a

rapariga

no

jardim

e

comigo

a

igreja

caminhara

na minha demanda

de

informaçoes

que

me

permitissem

saber

os

noms

das

estutuas

na

fachada

da

igreja

de

paula


pois

no

palacio

tinham

sido

omissos

à

pergunta


no seguimento do que uma visao

me

desvelara

sobre

a

assinatura

ali

das

bombas

na

argelia

na

un

e

num

autocarro




estranha

mos

ao

chegar

na

sala

onde

nos

recebera


com

um

outro

senhor

e

um

banco

de

madeira

pequeno

coberto

por um

pano vermelho

como

se

uma

mesa

fosse


com

tres

ou quatro

bombons

finos

tipo

ferrrero

rocher


assim

estavam

naquela

cena

ao

nosso

chegar


e

tudo

isto

aqui

no

Livro

da

Vida

foi

narrado

no

promenor

de

seu

acontecer


o

padre

a

imagem

do

mais

jovem

por

detras

do

papa

no

avaio

de

agora


o que nesse tempo

passou

a

oficiar

na

igreja

de

paula



onde

no portico

um

estranho

e

tenebroso

e

clara

assinaturta

está


um medalhao

em

alto

relevo

aparente

gesso

onde

uma

senhora

eleva

um

menino

decapitado


a

quem

cortaram

a

cabeça


mais

clara

assinatura

nao

poderia

ser


seja

qual

o plano

que

se

entenda


ate

o

de

outros

actos

de

igual

tortura

de

abusos

de

natureza

do

absuso

dito

psicologico


como

quando

se

rouba

um

filho

a

um

api

e

ss

garante

a

transferencia

em

relaçao

a

mae


e

assim

se

opera

contra transferencia

relativo

ao

pai


filhos

da

puta

torturadoes

de

crianças

nas

vestes

de

medicos

morrei

!!!


ainda

ontem

depois

de

publicar

o

espirito me desvelou de novo a ana paula dos psi da gonsismed




o

cio

de

agora

começara

em

vespera

no

telejornal

da

casa

dos

bandidos

que

roubam

o

alheio

e

o

comum


aparecera

um

aparente

padre

fazendo

lhe

laudas

que

era

amado

pelos

intelectuais

e

coisa

menos

tal

pois

intelecto

todos

os

seres

tem


ate

uma

pedra

pois

Nele

sempre

tudo

e

todos

participam



a

conversa

era

estranha


desenrolava

o

senhor

que meus olhos

pela

primeira

vez

viam

uma estranha

conversa

em

seus

subtendidos


que

ia

desvelar

nomes

que

se

encontrava

protegido

pelos

colegas

de

profissao

os

jornalistas

pressupoem-se

e

de

repente

esta

meta

linguagem

como

que

se

dissolvera

na

restante

conversa

da

lauda

que

lhe

fez



dos

subtendidos

o

que

se

me

aflorou

à

consciencia

fora

a

semelhança

do

nome

que

adquiria

ou

sugeria

no

contexto

a

seguinte leitura


o papa, o pai do manuel vilas boas, do pecaod no seiso da igreja, de nossa senhora de O, ou seja do grupo da ema nu da elle, manuel vilas boas, o inimigo, a ressoar em publico, e ainda o inimigo das camaras indiscretas, camara candida, essa puta da sic, sendo que camaras de espeionagem muitas se desvelam , algumas aqui relacionados com actos de espionagem feitos em casa, onde em recente se manifetsram diverso sicnronicidadesa, que serao deltalhadas mais tarde,


mais

vale

honrar

a

memoria

das

crianças

assim

mais

ou menos

dizia

a ressoar

em

mim

em beslan

no

pendulo

de

beslan


quando

o

passe

se

deu


posi

em

plano

de conjunto

fizeram

por

um breve instante

passar

algo

que

sugeriu

esse

mesmo

pendulo

e

movimento

pendular


a relaçao que se afigurou com o pendulo fora a da matança em beslan, e ainda um outro sentido em correlaçao por semelhanca com uma imagem de um video que recentemente publiquei no canal zero de audiencia, um poema de vinicius, onde a maria joao baginho, que ontem me fizeram cruzar aqui no trinta e um da armada, passa com uma mala em frente ao quadro da flaming june, ou seja tentam remeter assim tambem para a matança de madrid, visto o quadro estar em ponce, no museu


no

subtendido

das

palavras

desse

aparente

padre

ficou

em

mim

ainda

a

ressoar

carlos

do

azevedo

pai

da

puta que me tras o filho roubado



aqui

ao

momento

o

pendulo

ainda

me

disse


tambem

ser

o

da

morte

o

do

dinheiro

da

morte

da

monica

lapa




do sete serpente do forte, o da tsf, eu sei lá, expressao quenao inocnetmente usou, pois remete para margarida rebelo pinto, e ainda eduardo lourenço, ou seja insinuando que o pendulo tyeria tambem a ver com a morte de eduard lourenço, e ou ainda, a da teresa lourenço, a dt da terresa , do lourenço, pai da criança da margarida rebelo pinto, ainda nesse telejornal, uma outra linha se desvelava no seguimento do tal casamento de sadicos e de masoquistas, prefiguirado pela cena aqui comentada, pela terrorista mor socrates e pelo terrorista mor passos coelho, a morte de montalvao machado, da anta da ana serpente do porto, o do mont do alvao, o do machado, fundaor do psd com sa

carneiro

r

r




se zorro da pt, primeira da p arte cala , canarias, queda do meu filho, a do homem ra

en c on t rato ps da ar da primeria ra pa riga no do jardim, que ontem, didi, di z iam as putas no telejornal te r s id o conde n ad o p elo ban co de portugal, b em c omo outros ad min s it a r d o r es do b cp, e conde n ad o a a inde mini z ar, ap r e sw en t ando d e posi un s graficos, onde se via o quadrado das chamines, q ue a qui te m ap ar ref c id o, e do din he io r o p o r det r as , os circulos do euro, é co mig circulo da primeira da igreja, ca m in h a ra, na min home da primeira de man dade in for maçoes es q ue me per mi t iss se maior, o saber, os nom ss e rp en te, d as es atu tua s na faca hd da primeria da igreja de paula, p o is do no do palacio, pa al cio tinha ham am mm, s id o om miss os à per gun t ano se gui men to do q ue uma da visao me d es vela lara, russia, s ob rea primeira da as sin a tura ali, ad as das bombas na argelia, na o un ue e num autocarro

est r anha mos sao che g da ar na sala,rr, onda nós rec e br e ra co mp lm en t ava a um de um outro s en hor, é um do banco, de madeira pe q u ~ en circulo do coberto, por um p ano ove verme l ho c omo da se de uma da mesa , madrid, foss e, com t r es o u quatro, b o m b n s fi nos t ip o ferre r ero roc her ass si maio est ava vam am na q ua ala cena, cao no osso che g ar e tudo s it o aqui, no L iv roda V b i d a do fo do io na rr ad io no pro rome en o rato ps de s eu ac on tec rato ero do circulo do padre, primeira imagem, a do masi jovem, fr, por det ra serpente do papa , o avaio de agora, o q ue nesse tempo p ass o ua o fi cia rn da primeira da igreja

de paula, onda no pro tico , um est r anho, é t ene br osso os , é clara ass ina t u r t a, e stá um meda ala homem c cv v bn v bb v bao, em al t o r ed l evo ap ar ren te g ess o onda de uma ss en hora dele eva um menino dec apit ad o, a q ue maior mc co rta ram a cab beça es, mais clara, fr, ass sin a tura nao pode der r ia ser ,seja, mc, q ual o do circulo do plano, puta lan primerio ano,q ue da se en t en d a, a teo de outros actos, de i g ual tor tura de a b us os, de na t ur e z a d o ab s us o dito , psi sico da logica, c omo qua ando da se ro ub a um filho, a um a p i e ss gara ante a t ra ns feren cia em tribunal da relaçao, primeira mae, é ass si maior se o pera do contra t ra ns feren cia, rato dela t ivo cao pai fil h os da puta tor tura do es de c ria anças es na s v este sd é medicos mor rei

!!!

a inda on te madeira ep o is de pub lic da ar do circulo do es pi rito me d es velo lou d e n ovo primeira da ana paula, a dos psi sida g on sis med, o cio de agora, com eça es ara, em v es pera do no do tel e do jornal, a da c asa dos ban dido s q ue ro ub bam am o al he io , é o com um, ap ar e cera um ap ar en te padre do fazendo, luis, l he l au d as q ue é ra a am madeira do p elos int tel e c tua is e co isa men os t al p o is inte tele dele, c to todos os se rte s te mat, é uma da pedra p o is ne le sempre tudo e todos, p art tic p am , a c on v e rato as, é ra est r anha d es en rol ava do circulo do s en hor, que me us olhos p fel dela, a primeira ave, é zorro vi am uma e ts rata anha c on v e rata sa em se us s u bt en dido s q ue do ia d es v dela , a da ar, no mes q ue da se en c on t r ava por te g id o, p elos c ole gas de pro fi iss s sao os jornalistas, pr e ss u poe em traço da inglesa se , é de r ep en te e sta met a lin guage mc omo q ue se di s sol da vera, ps, na r es t ante cm n v e rato da sada l au da q ue l he de fez, dos s ub t en dido ss en t id os, o q ue da se da me a flor o vaso à co ns cien cia for a ase seme l h ança es dó, no no me q ue ad qui iria o u s u ger ia no c on tex to, a se gui nt e lei tura

o papa, o pa id o manuel vil às das boas, do pe cao dn o se iso da igreja, de no s sa s en hora deo, o u seja, do g rupo da ema nu da elle do manuel das vi l as boas, circulo do inimigo, a r esso ar em publico, é a inda do circulo do inimigo, o das camaras indiscretas, cam ara candida, essa puta da sic, s en doque ue das cam ara serpentes de es pei on a ge maio mu it as se d es vela lam , al gum as aqui, ratos dela , do ac cio n ad os com dos actos de es pi on a ge maior feit os em c asa, onda em rec en te se m ani ani if e ts ram di v e rato so sic n ron i cida de saq ue se ra o del t alha ad as mais t arde, mais v al e h on rato ps da ar, a me mor ia , a das crianças, as si maior mais, ou men os

di z ia , a r esso da ar em mim, em beslan, no do pendulo de bes a l n, qua ando do circulo do passe da se d eu posi, em p lan ano primeiro, de c on j un to fi zorro xe ram por, um br eve isn t ante p ass da ar al g o q ue o sugeriu, esse mesmo pendulo, é mo v ie mn to do pen d u l ar do alfa

da primeira do tribunal da relaçao, q ue da se a figo o ruc om do circulo do pendulo, fora a primeira da matança em beslan, é a inda um outro, rose s en t id o em cor da relaçao por seme l h anca com uma mai mage maior, de um v id é circulo, o q ue re en te mne net, pub lic qui no c anal z ero de au di en cia, um p do circulo da ema de vin i cios us, onda dea da primeira maria joao, primeira ba gin ho, q ue on te maior da me fi ze ram c ru zorro da ar aqui do no trinta e um , o da armada, p ass ac om uma m ala em fr en te ao qa u d roda da fla lam am me ing june, o vaso do seja ten tam e r mete ra ass si maior t am tambem , do para da primeira da matança de madrid, vi serpente to do circulo do qaudro es star em ponce, no mu s ue

no do s ub bt en dido, o das pal av ra serpente desse, ap ar en te padre, fi co vaso em eu mim, a inda, ar esso da ar do carlos, o do azevedo, pa id a puta q ue me t ra s o fil ho ro ub bad ad circulo, o do sete serpente do fo rte, o da tsf, eu sei lá, e x pres ssao q ue en cao ino c net que mente, o usou, p o is reme te para margarida rebelo pinto, é a inda eduardo lourenço, o vaso do seja in sin ua ando q ue do circulo do pendulo lot cruz delta eri a t am b ema ave rc om a morte de eduard do lourenço, é o vaso ua a inda, a da teresa do lourenço, a dt da te rr es a , do lourenço, pai da criança da margarida rebelo pinto, a inda ness e tele jornal, uma outra da lina homem da se d es vela lava ava ano do no se guy em en to do t al casamento de sadicos e de masoquistas, pre figu irado p el ac en a aqui com en t ad ap dela, a terrorista mor do socrates, é p elo terrorista mor p ass os coelho, primeira da am morte de mont alvao, o machado, da anta da ana serpente do porto, o do mont do alvao, o do machado, fun dao rato do psd com da sa caren iro rr, renascença


a qui cao mo me bn delta to, o p p we bn dulo, maso, a inda me di s se t am tabem ser, serpente ero da mao da moret da rte, o do din e hi do iro, o dam orte, o da mo nica da lapa

Sem comentários: