quarta-feira, maio 12, 2010

terceira parte da acusaçao a roma na pessoa do papa


terceira parte da acusação a roma na pessoa do papa

te rc e ria p arte da au c s aç es cao primeira de roma ana p ess o ad do circulo do papa


porventura
serei
eu
o
ocultado

porventura
andarei
eu
ocultado

porque
ainda
de
vos
nada
escutei
às
acusaçoes
que
contra
vossa
igreja
proferi

porque
de
vos não escutei
ainda
clara
e
directa
resposta

ou
assim
não
vos
dita
a
luz
perante
o
abuso
e
os
abusos

assim
pretendeis
fazer
algum
crer
que
trazeis
como
pendor
e
estandarte
a
verdade
a
justiça
e
a
luz

andarais
porventura
esquecido

ou
alegais
desconhecimento
da
minha
pessoa
e
da
perseguiçao
que roma
sempre
me
fez
desde
menino
e
agora
tambem
a
meu
filho

não sabeis que trago eu
um filho primogenito
roubado
eu
proprio
o
roubado

em
todo
o
que
as
leis
divinas
e
dos
homens
quanto
dois
me
consagram
e
garantem

se
haveis
alegado
desconhecimento
não
mais
o
podera
fazer

pois
a
si
me dirigo
em
forma
frontal
e
clara
como
a
mais
clata
luz

não
sabeis vos
que
trago
eu
meu
filho
roubado
e
abusado
há mais
de
cinco
anos

sem
mesmo
saber
ao
momento
a
total extensao
e
dano

pois assim
todos
sem
excepçao
até
ao
momento
me
tem
impossibilitado



como deverei
interpretar
vosso
silencio
e
o silencio
de
vossa
igreja

como
acto
de
amor
de
solidariedade
de
demanda
de
justiça

ou
como
tudo
o
prova
de
envolvimento
e
de
cobertura




por v en tura se rei europeu do circulo do ocultado, circulo cu primerio da cruz ad circulo, o do por v en tura anda ar rei, jaime gama, ps, europeu rop do ocultado, por quadrado da ue da a inda de vo vaso circulo do os n ad da primeira es cu teresa ei às das acusaçoes, quadrado dop da ue do contra, vaso os da sada da igreja, pro rof for ground, dg gato rato ps ip por do quadrado da ue devo serpente sn n cão es cu te ei a inda da clara, é di ire rec da cta , a rata da es posta, circulo do vaso as si maior rn do cão do vaso do os da dita, a sada, a luz, pera ran ante te o circulo do abuso, ab bus serpente circulo, é os dos abusos infantis, as si maior pre ten de is f az ze rato rc , é rato al gum q ue dat cruz r aze ze do sic omo pen dor , é est an dd arte, primeira ave rato dade, primeira da justiça, a falsa, é primeira da luz, da morte, anda rai serpente por v en tura es q ue cida, o do vaso al e gais d es conhecimento , da dam min homem da primeira, ps esso primeira, e da persi sig gui sao es quadrado da eu roma sempre, me fez, de sd e m en ino e agora tam am tambem, a de meu filho, n cão s abe, o sabe, 4 is q ue t rago europeu, um fil ho pr imo gen t io ro ub bad ad circulo, eu pro rop p do rio, psd porto, o orubu bad ad circulo em todo o circulo quadrado da ue às das leis di vina sé , é do o ps serpente homens, q au to do is me c on sa gato do ram e gara ran t e maior ms se, homem ave si al é gado d es c on he cie mn to n cão luis, maio, dp pode der ra f az we rato rp p o isa si me di rig o, em forma fr ion t al e clara c omo, a mais c l ata da luz, n cão , sabe, is vaso do os do qaudrado da ue da cruz rago, eu me vaso do filho roubado , é ab usa sado homem do acento da primeira mais, fr, dec inc circulo ano serpente , 2005, se maior do mesmo, o saber, cao mo men to primeira tota al, é x ten sao es e dano dp ano, p o is as si maior de todos se maior mex, é x c ep sao espanhola a té cao mo men da onda pn do circulo da me te maior mim mp oss sibil it ad circulo, c omo de eve rei inter rp pre etar da eta da ar do vaso do osso do si l en cio, co mes, é circulo do silencio, devo os sa da igreja, e gato raja, c omo do ac do acto de amo rato de sol id ar rie ie dd ed ad e, de de m anda de justiça, o u c omo tudo, circulo da por vaso da primeira de en volvi vaso ie mn to, é de cobertura, de c ob berto tura ur da primeira

cc cu do primeiro taçao, cu da cristiona coutinho, o do primeiro tacao , assim no trecho anterior mais uma vez se desvela, do grupo do feist, e do grupo do psd, o do santana lopes
cc cu do prime iro da rota do taçao, ac sao cao do cu da cris ti on primeira do coutinho, o do prime iro da rota ota do tacao, dot ac cao ass si maior do no t rec ho ante ratop do ior mais uma ave zorro da se d es vela, do g rup, o do feist, é do g rupo do psd, o do santana lopes
tacoes nesta histoira há muitos de distintas dimensoes, pois trazem geralmente os pes que os calçam, tamanhos distintos, como as pisadelas de sangue e mortandade, escutei pelo espirito talvez ontem, honra a memoria dos meninos caidos, e o pensamento que ia em minha consciencia, era beslan, e nada ouvi de sua boca sobre o que aqui desvelei sobre os seus vermelhos e sobre o mau sopro que outrora causou a tragédia da matança na escola onde duzentas crianças se foram
taco ac aco es nest primeira da histoira antiga, home do acento da primeira à muitos anos, de di s tintas das serpentes das dim en so es, p o is t ra ze m g ger al , o que mente, os pes do quadrado da ue da puta es do os cal sam es, tam am anhos di st int os, c omo ás das p isa sade delas, de sangue e mor tan dade, es cu t ei ip da puta do elo es pi rito t alve zon te maior, ho on ra primeira me mor ia, a dos meninos caidos, é circulo do p es na men toque ue da ia em min home da primeira co ns cien cia, é ra bes lan, e n ad da primeira o vaso vide s ua da boca, s ob reo q ue aqui, id d es vel iso br e os se us verme l ho se do s ob ro, circulo do m au sopro, q ue o u t ro ra c au s o ua primeira da t y ra ge id ad da primeira da matança na escola, é circulo da ola onda d uz en t as c rin cortez as es se for am
ao bocado pus um cd antigo no radio az, um cd que ontem ao fazer limpezas no armazem dos equipamentos antigos, que correspondem a decada de noventa, encontrei dentro de um bau de piratas, que estava em cima do armario de metal, onde em dia recente dera conta de uma cassete de video de dança, enfiada no meio das da colecçao dos jardins portugueses , uma pequena farpa vermelha com um olho, como uma cobra vermelha de madeira, ou da madeira, e as cassetes e os cds me desvelaram ao momento, ser o tal porco, entre o bau dos piratas e o caixote das cassetes do jardins ,dois cabos brancos que alguem ali dispusera em x, como duas cobras que se cruzaram,
cao ob o cado do pus, um cd antigo no da ra ad di do io do az, um cd quadrado da ue on te ema mao, mr, f az e rato das l im p ez as no arma az ze maior, o dos equipamentos antigos, quadrado da ue cor r es ponde ema da decada, a de noventa, en c on t r id en t rode um do bau, tv cabo, dos pi rata s, q ue es tva em c ima do ar mario de met al, onda em dia rec en te de ra conta, de uma c ass do sete de video, o da dança, en fia ad ano me io das da c ole sao es, a dos jardins portugueses , uma pequena f arpa verme l homem da primeira a c om umo l ho, circulo do omo de uma cobra ave do verme primeiro homem da primeira, a de madeira, o vaso da madeira, é as c ass sete se os cds, me d es vela lara ram cao mo men to, s ero t al porco, en t reo bau, o dos pi rata se do circulo do ca ix o t delta, das c ass e t es do j ad rin ns do is cabos branco s q ue al gume al id isp use ra em x, c omo du as das cobras quadrado da ue se c ruza uza za ram
o cd me diz qautro circulo do quadrado do segundo, ss ive a c k, nacoma, ou seja massive attack, the karmacoma ep, primerio kapa arma maco dop coma al bum, asterisco, migule esteves cardoso, 515, sis, segundo kapa ka artma ac coma oma, porto is she ad é x per rie ie en ce rei tercerio de cinquenta e sete, ou estrela do sete, mix ed segundo delta geo do ff, bar do row, e adriano vaso cruz rui ley, terceiro kapa arma , oo de napoli trip, trio, seis, circulo do quadrado, duplo asterisco, fe a t ur ring alma am meg rato etta rato emimix id gato rito, sguyndo delta bem young, delta circulo un gato quadrado do blacksmith do bar do ra do dat day deaming, ou seja da primeria do delta do qauydrado do doutor, rea am ming ingklesa segundo do delta blacksmith, cruz , estrela, vinte e dois, 1994 e 1945 circa records,
circulo do cd, me di zorro do q au t delta eta rato rc c irc culo, o do quadrado do segundo, ss i v we a ck, n a c o ma, o vaso do seja mass iv e a tt a c k, t he kapa arma do coma ep, prime rio kapa arma maco dop coma al bum, aste rata do isco, mig vaso primeiro é esteves cardoso, 515, sis, se gun dó kapa ka artma ac coma oma, porto is she ad é x per rie ie en ce rei te rc e rio de cinquenta e sete, o vaso da estrela do sete, mix ed segundo delta geo do ff, bar do row, é adriano vaso cruz rui ley, terceiro kapa arma , oo de napoli trip, trio, seis, circulo do quadrado, duplo asterisco, fe a t ur ring alma am meg rato etta rato emi mix id gato rito, sg u y n do delta ben da young, rubi can, delta circulo un gato quadrado do blacksmith do bar do ra do dat day dea am ming, ou seja da prime ria do delta do q au del rta d r ad, o do doutor da rea da am da ming inglesa kapa l es , a do se gun dodo do delta blacksmith, c ru z , estrela, vinte e dois, 1994 e 1 99 4 da onda da estrela c irc rca reco rato ds,
oiço o tema enquanto como fusilis com frango, cebolas violetas, um dente de alho, um resto de salmao desfiado, uma salcinhas alema em forma de meia lua, e nas entrelinhas da palavra escuto, made in roma, feito por ela, o heart attack, o que levou ao coma, feito pela arte de roma, duplo vaso br quadrado do xe setye, do pm, 515, sis outra vez
oi oiko co espanhol do circulo da t ema en qua anto c omo f us si lis com fr ang o, ce das bolas viol eta s , um dente de alho, u m r ato es t o de sal mao d es fia dó, um sal cinhas alema, em forma de me ia da lua, e nas en t ratas el ina h sd a pal av ra es cu to, made in roma, feit o por dela, o he art do massi vaso e, att ac ck, o q ue l evo u cao coma, feit p primeira da arte de roma, duplo vaso br quadrado do vaso es sica x e set y e, do pm, 515, sis o u t ra ave zorro

como o meu almoço, e penso nela, penso numa especifica nela, a que pernoita aqui na casa de cima, a dos bandidos, recordo leitura recente que me diz, só quando fores inteiramente dela, ela te podera amar, a poderas ter em leito de amor, pois ela tem tudo com ela, riquezas, força, amores que quizer, e tem no ao seu lado, ela dorme no leito da prostituta de outrora, recordo estas linhas de outras visoes alheias, e desconfio pezando o tom e o seu conteudo, e penso, a rapariga que em noite não muito ida escutara dizer que partia para ny, afinal continua aq1ui em cima, não mais nos cruzamos em gente, mas sinto a sua presença por toda a casa, a moldura do cu da minha janela continua a ter como recorte seus panos, um deles repete em, negro as mesmas formas do amarelo que o papa tras em seu cartaz agora nesta visita, combina hoje com roupa mais fina e delicada em cor de lapiz lazuli, penso nela e me pergunto, será ela a da arte do massive attack em roma , feito outrora, o da minha morte, a imagem e semelhança da rapariga do cartaz do lounge do vip, ou ainda a rapariga da taça de todas as abominaçoes,
c omo om eu al moço es , se p en serpente do circulo nela, p en s on , uma es pe cif ica dela, a quadrado da ue perno it primeira do ki aqui, na c asa dec ima dos ban dido serpentes, reco rato do l ei ei primeiro da tura rec en te q ue me di zorro, s ó qua ando for es ine net te ira ram am que mente, a dela, ela primeira te pode ra am ar, a pode ra serpente ter rem do leito de amo rato ps, p o is dela te maior tudo com dela, ric ue za serpente da for ç a, amo ratos es q ue qui ze rato, é te mno circulo do lobo do cao do vao s eu l ad o, dela dor me n o le it o da pro s titu t ad e o u t ro ra, reco r do e sta s linhas de outras v isso es al he ia se d es c on fi do io pe sand dp tome, é s eu conte vaso do dó, é pen sao pa da primeira rapariga q ue em no it y e n cão mu it o id a es cu tara di ze rato do q ue p art ia para ny maio, a f ina l conti nua aqui, primeiro ui em c ima, n cão mais, fr, nós c ruza uza amo s em g en te, mas sin to ap rim e ria s ua pr es ença es por toda primeira c asa, a mol dura do cu da min homem da primeira jane dela, conti n ua a teresa rc omo rec da corte se us p am nós, um deles, r ep pete me n gato do ro às da me sm da primeira da forma, a do amarelo, am mar elo, q ue do circulo do papa t ra serpente em s eu cartaz, sic, agora de sta v isi sita, com bina ho je c om ro upa ma si fina, é del e c ad a em cor de l a p i zorro l aza l ip e ms em ela, é me per gun to, se rá ela a primeira da arte, do massi vaso e a tt a c k em roma , feito, o u t ro ra, o dam min homem da primeira maior do norte, a ima ge me se ml homem ança es da rapariga doca car t zorro do l o un ge, o d o v ip, o ua inda primeira ra pa riga da t aça es de todas, às das ab om ina ço es
...continua...

Sem comentários: