quarta-feira, junho 16, 2010

acusaçao ao cabro do governo hoje na bancada, visivel nas noticias canal dois

que merda é esta desta palhaçada da ar, agra mesmo no noticiario do canal dois, uma besta qualquer o governo a falar de medicos e receitas sem nexo ainda por cima na metafora, pois um medico honesto, sempre diria caso pusesse a hipotese no diagnostico de que uma dose de medicamentos, nao seria suficiente


q ue da dama dp do dam da merda é e sta do spa al h ç ad a ar, agra, leite, do me sm on circuloo not ti cia rio do c ana l do is, uma besta q ual q u w ero circulo do governo, primeira fa al rato ps de medicos, é rec e it as se maior mne ne do xo a inda por c ima na met a for ap o is um medico h one s to, se mp re di ria do caso p unha a hipo te seno dia gnos sy i co de q ue eu, uma dose de medicamentos, n cao se ria sufe cie en te


vinha eu pensando quem é esse cabrão do ps , o tal medico do colégio moderno, quando vejo isto no canal dois,

vinha europeu do p en sand o q ue me desse cabrao do ps , o t al do medico, o do colégio moderno, qa un dó ove do vejo, br, is to n o c ana l do is,

depois aparece um tipo de imagem em flash, com ondas tipo gráfico de epicentro de tremor de terra ou ondas a atender fla, azores, ou madeira, vagas, serpente homem, e depois a puta continua a falar, de repente nervosismo, não se sabe com que , pois não mostraram, e os óculos lhe caem diversas vezes, pede desculpa, e um outro de uma outra bancada fala de solidariedade com os fortes e o contraio aos pobres, ou algo assim, que me pareceu mais ser o contrario, que merda é esta, é este cabrão, o da matança na madeira, só, ou também o abusador medico


d ep o is ap ar rece, um t i po de ima ge maior e m fla sh, com das ondas t ip o grafico code e pi c en t rode tremor de terra, o u ondas primeira a tender da fla, azo rato ps es, o vaso de uma da madeira, vaso da primeira gas, ser pente h om me, e d ep o is primeira puta c on tin ua a f al ar, de r e pente mne rato v o sis imo, n cao se, sabe, com q ue p ois n cao mo s t r aram, é os co u l os l he , ca em di vera s v e z es, pede d es culpa, é um outro de uma outra bancada, f al de soc kapa l id ar rie dade com os f orte seo c on t rai c irc uk io a os p ob r es, o ual go a ss ie em, q ue me pa receu mais s ero circulo c on t rato ps ar io, q ue merda é e sta, é, este, c abrao, o da matança na m ad e ira, s ó, ou t am am tambem do circulo do ab usa sado da dor do medico

também nesta tarde no jardim, me vinha à consciência estranhas relações, entre imagens do amado, e uma mentira a do artic, que de alguma forma me pareciam associadas as imagens tipo raio x do barco turco quando os israelitas neles desembarcam, e sendo que as pás do heli vistas de cima, não deixam de ressoar também num dos elementos da nina simone, do sinnerman, que acabara de mencionar , a amarela, por detrás do sofá tipo piano, pi ano, pianista

tam am tambem ñ e sta t arde do no jardim, me da vinha à co ns cien cia est rn h as das relaçoes, en t re i mage ns do amado, é uma da mentira, a do artic, q ue de al gum a forma me par e ceia am as soci ad as às das ima ge en ns t ip o rai o x do barco turco, qa un dó os is ra elit às ne l es de se mb arca cam am , é s en do q ue às das pás do hel iv ista s d e c ima, n vcao de ix am de r ess o ar t am tambem, nu maior dos dele , lem nt os dn nina da simone, can tora, do sin ne rato ps man, q ue aca bar ad, é men cio n ar , a am ar dela, pure, t ratos as do s o f a t ip o piano, pi ano, pi ani sta

Sem comentários: