sexta-feira, junho 11, 2010

congratulations to my queen of the eternal roses of england and united kingdom

congratulations to my queen of the eternal roses of england and united kingdom

c on g rat u la t io ns tom y q ue en o ft, he eternal roses of england, deads, and uni ted kin gato do dom

rosas são sempre eternas no coração do amado, às rosas se lhes deve sempre dar aguas e leites vários de beber para que andem sempre belas, mesmo quando se mantém na aparência erectas no caule do amor ao sol e a lua que sempre as alumia, metade da prenda senhora, já a tinha eu a si dado sem a nomear, e estava pensando mesmo se não seria como lady clinton, a fazer conta nas noticias dos jornais, coisa que nunca se deve fazer, como tão bem sabe, que dizia em dia não muito ido, que lhe tinha dados os parabéns com alguma antecedência, talvez assim se equilibre o tempo, que é coisa que as rosas não tem nem conhecem, se bem que algumas com stress vários de avariados avariadas poluições parecem nas vezes andar apressadas sem bem saber onde se encontra o sol do coração , delas

rosas sao es, se mp re e te rn as no cora raçao do amado, mne, às das rosas se l h es d eve se mp red da ar das aguas e leites, v ar io sd e bebe raro rp do para q ue ande maior se mp re de belas, lugar, me sm o qua ando se man te mna ap rec ni a e rectas no caule do amor, cao sol é primeira lua q ue se mp re às al u mia, met ad e da pr renda s en hor a, j á primeira tinha europeia , primeira si d a d o se ema no me ar, e es tva pen sand o me sm o se n cão se ria c omo l ad y c l in ton, a f az e rc conta nas not ti ca s dos jornais, co isaque nu nc a se d eve f az e rc omo tao b e maior, sabe, q ue d iza em dia n cão mu it o id o, q ue l he , tinha dos dados, os pa r abe ns com al gum a ant tec e d en cia, t alvez as si maior da se e q ui l br e o te mp o, q ue é co isaque às rosas n cão te mne maior, o conhecem, se b em q ue al gum as com st ratos de esses varios, de eva raia s ava ria ad as pol lui ço es par recem ana s v e ze s and, a da ar, ap r ess sadas se maior , bem saber , onda da se en c on t ra o sol do c o raçao, delas

rosas trazem sempre agradáveis perfumes e são belas ao coração e reino unido, é um conceito muito interessante, pois deve o reino uno andar sempre unido, uma união que respeite a diversidade dos pares que sempre o constituem, o que nem sempre infelizmente acontece no mundo, como tao bem o sabemos, pois quando ouvimos falar de taxas e de pobre retorno aos povos, e uma aparente despreocupação sobre off shores com duas excepções, que parece desvelar a pouca compreensão da moeda, em mim sempre acorda aquela parte de robin dos bosques, wood, que como se recordara sempre foi fiel ao rei mesmo quando ausente e vice versa, e reino unido, bem tem sido historia complexa, que assenta sempre na mesma trave, a bruteza, coisa que as rosas não gostam salvo aquelas excepções agradáveis, que nem em propriedade se podem nunca chamar de brutas, provavelmente a peregrina ideia de retirar o dragão e sao jorge do estandarte e substitui.-lo por diversas cruzes, que se apensaram uma sobre as outras, e foi preciso o príncipe crescer e se tornar rei, para finalmente uma certa paz se poder viver, na verdade os abusos infantis, são sempre óptimas sementes de violência nos futuros adultos, e os brutos nunca devem ser promovidos a coronéis para não disparar balas ou flechas sobre o seu povo

rosas t r az ze maior se mp re a g r ad ave is pe fu mes e sao de belas, cao cor çao es é rei on o un id o, é um c on ce it o mu it o inter es ante, posi d eve o re ino un o anda ar se mp re uni do, uma un ia o q u r es p e it e a di ver sida dade dos par es q ue se mp reo co ns titu emo q u en ne maior sempre, in fe lis mente ac on tec en o mundo, c omo tao v b emo, o sabem, p o is qua ando o uv imo s f al ar de t axa sede pop pb br e r e torno a os p ovo se uma ap rec n te d es pre cup a º cao s ob re o ff s hor es com du as é x fep ço es, q ue pa rece d es vela lara ra p o u ca co mp ren sao da moedas, é maior mim da se do mp re acorda, a q ue dela, a da p arte d e ro b in dos bosques, wood, q ue c omo se rec o rda ra se m per fo i f i e l cao do rei mesmo, qua ando a use en te e v ice versa, é re ino uni do , b em te maior s id o da historia co mp lex a, q ue assenta se mp rena da mesma trave, a br u te za, c oio sa q ue às das rosas do no g os tam s alvo a q ue l as é x cep ço es a g ar d ave is, q ue ne maior em pro rop pr ie dade se p + ode maior nu n ca c ham mat da ar de brutas, pro ova ave lem n te a pere g rina id e ia de r e ti aro do circulo do dragao, é sao do jorge, do est and arte e s ub s titu i do ponto do traço ingles do circulo do primeiro de dezem~bro, por di ze ra s c ruses, q ue se ap en sara ram am, uma sobre as outras, e fo i p r e cio o p rin c ipe c r es ser, é se torn ar rei, para fina a l em n te, uma ce rta da paz se pod der do canal viver, na vera deo s abusos infantis, sao se mp re o pt ima s semen t es de viol en cia nos fu tir os ad u l to ze, os brutos, n un ca d eve maior ser pro romo mo ov io sa co roni es para n cão is par ar b ala s o u fl e chas s ob reo s eu p ovo


antes de ontem pela tarde estava comendo uma banana, e me lembrei da senhora, me lembrei de uma foto sua no tempo da segunda guerra mundial , levando duas bananas a uma senhora acamada que agora em tempo recente lhas retribuiu, as bananas que tinham acabado de entrar na chave do bum em londres e da sua relaçao com ny, as bananas que me tinham ainda desvelado, o plastico de um sufocamento, por asfixia, no seguimento da linha de um dos filmes de sabado passado, o dirty harris, e que me apontaram tambem, os tecidos do vidal, os mesmos que a rapariga aqui de cima trás, à imagem dos que a cristina coutinho comigo ali por sua mao os comprou em noventas e um, um outro laço aflorou, uma relaçao aqui desvelada, uma analise de umas fotos de um rapaz com os menbros enfiados em cones, e capacete integral, helmet, que na altura reconheci serem semelhantes aqueles da chaise longa negra e vermelha de uma só asa, e onde nessa seguencia, outras fotos, mostram corpos assim enrolados em plastico, linha que depois teve um eco com a morte de um esquiador russo de tobogam nos jogos do canada, tambem aqui comentada na altura de seu acontecer

ant es deo nt é maior p dela, t arde es tc cv a c o mendo uma ba nana, e me lem brei da s en hor a, me lem br ei de uma foto s ua no te mp o d sef gun da g ue rr a do mundial , ela ava van ando du as ba nanas da a uma s en hora aca mad a q ue agora em te mp o rec en te l h as r e t rib uiu, as b ana anas ananazez, bums, q ue tina hm a ca bdo de en t rana chave do bum em londres, é da s ua rata dela ac çao es com ny, as ban na s q ue me tina hm a inda d es vela lado, o p la s tico de um s u foca cam w en to, por as fi x ia, no se gui men to da linha de um dos fil mes de s a b a d o p ass sado, o di rt y harris, é q ue me a p onta ram t am tambem, os tec id os do vidal, os me sm o s q ue a ra pa riga a qui de c ima t ra sa ima ge maior do s q ue primeira da cristina coutinho, co mig o al i por s ua mao os co mp ro u em n ove en t as, é um outro l aço coa a flor o u, uma da relaçao, a qui d es vela lada, um a na l ise de uma s f oto s de um ra par zorro com os me br os en fia ad os em c one es, se capa do sete inte g ra l, hel met, q ue na al tura rec on he ci se rem semel h ant es aqueles da c h a ise l ong ane negra e eve vermelha de uma s o asa, e onda ness a seg u en cia, outras fotos, mos t ram corp os as si m en rola lados em p la st ciso, dente, lina h q ue dp o is da teve , um, é coco oma morte , de um s qui ad dor russo de tobo gam nós s j ogo s do c ana ad a, t am tambem a qui co men t ad dana al tura de s eu c on tec é rato, ps

antes a vira aparecer numa capa de uma revista social portuguesa , na pampulha, uma estranha foto onde se via a senhora, como que inclinada, a cair, com um belo vestidinho leve em cor lapis lazuli, cor turquesa axul da cor de seus olhos, e umas estranhas manchas na zona que correponderia ao figado, ou pelicano, que apareciam como duas ilhas, talvez a de man, a remeter para as cinzas recentes do vulcao, e mais estranho, pareciam as manchas terem sido pintadas por cima, assim logo me cheirou o passe a manha, a head line dava conta que a senhora teria assim se manchado numa festa e falava ainda de qualquer coisa com sua mala, mas o mais estranho era a sua posiçao em que aparecia, poder estar na iminencia de ter caido

ant es a v ira ap a recer nu ma da capa, de uma r e v isa sat, é soci al portu guesa , na pampulha, uma e ts r anha f oto onda se da via da primeira s en hor a, c omo q ue inc lina ad a, a c air, com um b elo v es ti dinho l eve em cor lapis lazuli, cor t ur q ue sa a x ul da acor de se us o l h os, se um as est r anhas mancha sn a zon, a q ue cor r ep pode ode n ria cao fi gado, o u p el ica ano, q ue ap rec iam com õ du as das ilhas, t alvez a de man, a reme teresa para ás das cinzas re en t es do ovo do vulcao, é mais est r anho, par e cia am ás mancha serpenet da teresa s id o pin t ad a por c ima, as si ml ogo me che io u o p as sea da primeira da manha, a he ad l ine d ava conta, q ue a s en hor a te ria as si maior da se man ch ado numa festa, e f al ava a inda de q ual q ue r c o isa com s ua m ala, mao mais es t r anho é ra a s ua p oi sç sao q ue ap rec ia p o ondader est ra na iminen cia de terresa ca id o

a posiçao do corpo, meio como em queda amaparada, me evocara ao ve-la, senhora, sinais que meus gestos tinham evocado em recentes conversas, que davam a ideia de tontura, ou falta e equilibrio, sintomas tambem aa associados a doenças nestes orgaos, e na verdade , depois de gravar a key torres, ouvi, que minha amada quereria saber de meu equilibrio, pois ali de certa forma lhe dera a resposta sem mesmo antes saber a pergunta, uma resposta simbolica que fala de outras pernas e tambem de movimentos graciosoos que com elas se fazem

a posi sic sao es, a do corp o, me io c omo em queda am a par ad a, me evo cara cao ove do traço ingles dela, s en hor a, sin a isque ue me us g es t os tinha ham am e vo cado em rec en t es c on ver sas, q ue d ava vam am , primeira da ideia de tontura, o u f al t a e e qui l ib rio, si mn tomas t am tambem ema, a as soci ad os a d one ç as es nest e orgaos, e na ave rda e , d ep o is de g r av ar a key torres, o uv i, q ue mina homem am ad a q ue rato ps e ria , saber, de me eu vasp , e qui li br io, posi al id e dec ce rta forma, l he der a ares posta se maior mesmo ant es, saber a per gun t a, uma r es p o sat si mb o lic a q ue do fala, de outras pernas e eta tam am tambem demo vim en t os g rac cio s oo , dp, s q ue com delas se f az se e ema maior

depois, ou melhor antes, o rei de espanha e a rainha sofia, a cornada e a rainha como que caindo mimetizando uma situaçao que aqui foi mostrada em dia seguida no telejornal do canal dois, a puta do ex ministro dos terroristas de estado, ss, antes da cultura, autor de ilustre declaraçao nesse tempo, de que, o que ele gostava mesmo, era de enfardar na direita, e agora certamente por esta razao promovido da ministro das armas, aparecia num parada em cima de uma em cunha vermelha, alvo de breve comentario orado, que na altura relacionei com outras cunhas das matanças, mas que não deixa de espelhar igualmente estas cornadas, por assim dizer, caso tambem tenha sido a sua, e na esperança que não, só mesmo visto, as palhaçadas destes terroristas, todos os santos dias nas tvs, mas a imagem da rainha sofia, remete tambem para grecia, ou para uma grega que a fazer fé na desmontagem dessa besta ss, teria entao sido colhida por ele, um terrorista ladrão, do tempo do ministério da cultura, como todos sem excepçao, diga-se em abono da verdade

d ep o is, o u mel hor ant es, circulo do rei de espanha e primeira da rainha sofia, primeira cornada é a rianha c omo q ue ca indo mime t iza x ando uma s i tua sao es q ue a qui fo i mo st r ada em dia se guida no telejornal, do can la do isa primeira puta do ex ministro dos terroristas de estado, ss, ant es da cu l tura, autor de io lustre dec lara raçao ness e te mp pode q ue do circulo do q ue dele g s ota vaso é ra de en f ar da r na direita, é agora ce rta em n te por e sta r aza circulo do pro romo m ov id, o da ministro das ramas, ap ar e cia nu maior da parada, campo de ourique, em c ima de uma em c unha , ave, vermelha,matança beslan, alvo de br eve com en tar io o rato adao da ad do dao, q ue na al tura rato dela ac cio oni ie com de outras c unha s das matanças, masque ue n cão de ix a de es p el homem da ar i gula lam am que mente, e sta s cor mna ad as, por ass si maior di ze rato do caso t am tambem ten h a s id o a s ua, e na es per na cortez, q ue n cão, s ó me sm o v is to, ás pala h al ç ad as de estes te rr rositas, todos os do santos , dias, psd, nas tv svaso da serpente, masa ima ge maior da rianha sofia, reme teresa t am tambem para gre cia, o u pa da ar de uma grega , q ue da primeira f az e rato da fé na desmo mna mona tg em de essa besta ss, teresa ria en tao s id o co l h id a por ele, um te rr ori rit s l ad rato cao, do t e mp o podo min site do rio da cultura, c omo td osso se mex c ep sao es, dig a do traço da inglesa se em ab bona nao da ave verde dade

antes de comer a banana, senhora, em vespera, ou vi pelo espeito minha amada, ou a voz de um espeirita disfraçado, que me dizia, estava a apetercer.me uma sopinha, e au que tinha acabado de faalr num alho frances, que salvo erro andara pelas bandas da africa do sul, o laurent, tambm relacionado na aaprecncia com a martinha dos leites, e a puta que me tras o filho roubado, me dera conta que um,daqueles verdes e brancos andava háj já muito tempo no frigorifico, e assim o coretei as riodelinhas para junatar as baats e legumes que me sobraram do atum da vespera

ant es de c om mer a b anana, s en hor a, em v es pera, o u vip ip do elo es p ei it o min h a am mad a, o ua da radio da voz , de um es pei rita di s fr aça e ws es ad o, q ue me di zorro do ia, est ava primeira ap pete teresa rc ser a me uma s o pinha, é au q ue da tinha aca b ad o de fa al ray rato rn um alho frances, q ue s alvo e rr o anda ra p el as das bandas da africa do sul, o l au rent, t a m mb maio mr rato dela , ac cio n ado dona a ap re c n cia com da primeira da martinha dos leites, é primeira puta que me tras o filho roubado, me der ac conta q ue um daqueles verdes e brancos, and aava h á j j á mu it o te mp on o fr i gori rif fi c oe as si imo core t ei * ass rio del das linhas, para juna t ar as ba at s e legumes, q ue me s ob ra ram do atu um da ave do vaso da espanhola pera

e quando lhe ponho a varinah krups,. Ou seja kapa do ups, o do ps, o ss, aquilo espira , e me slaa para cima da camisola, negra da zara que tanto gosto e ainda pata cima das calças da donna karen e ny, que no contexto onde a metalinguagem da desvelaçao, por asi~sm dizer, dos assuntos de matança de foice largam , me disse da gravidez da zara do espirro, do bum em ny, e uma relaçao com o porto por outras linha antigas , moda, e ainda outras recentes de um ultimo orocaulo

é qua ando l dele , lem he p on h o a va rina homem kapa do ru do ps,. O u seja kapa do ups, o do ps, o ss, a q u ilo es pira , e me s l aa para c ima da cam is ola, negra da zara q ue t anto g os t oe a inda pata c ima das c al ç as da don na karen e n y, q ue no c on tex to onda dea primeira da met al l in guage maior da d es vela açao sao es, por asi onda sm di ze rato ps, dos ass un t os de matança de fo ice l ar ga m , me di s seda da gravidez da zara, a do es pirro, do bum em ny, é uma da relaçao com do circulo do porto, por outras das linhas, anti ti gas dama da moda, e é a inda outras rec en t es de um u l t imo o roc au l o

na verdade minha rainha, na esperança, que tenha sido esta historia da foto com as tais manchas, mais um passe dos etapores, na verdade, quem ficou afectado como ss no figado mas não só fui eu outra vez, mais uma vez me envenenaram, provavelmente com uma tal bebdida energetica da coca cola, a do dragao, ou seja do fcp, sendo que a linah mais recente sobre este assunto , se refere a tal treceira estrela do fcp , a tal da passagem pela america, que um dia me chegara no ping pong da rua do poço dos negros, a tal que o livro do jim, acrescntava, a rianha da autoestrada

na ava e rato dade min h a rainha, na es pera ança es, q ue t en h a s id o e sta da historia da foto com às tais manchas,br, mais, fr, um p as se d os eta por es, na ave r dade, q ue maior fi co vaso a fe ct ad o c omo ss no fi gado ma s n cão s ó fu ie vaso de outra ave zorro do mais, uma ave zorro da me en v ene na ram, pro ova ave lem n te com uma tal be bd id a ene r gi tca, a da coca cola, ad do circulo do dragao, o vaso do seja do fcp, s en doque eu da primeira da lina , homem mais rec en te s ob re este assunto , se r efe rea primeira t al t rec e ira estrela do fcp , a t al da p ass sage m p dela am mer cv ia, q ue um dia me chega da gara no pp ing p ong da rua, o do poço dos negros, a t al q ue o lio ov rodo jim, ac r es cn t ava, a rianha da au toe es t rata ad dd da primeira

na esperanaça, que assim o presente lhe fique complet,e aguardando o formnalizaçao da acusaçao aos bandidos e terroristas, e o respeito pelas vitimas do atentados em londres,

na es pera ana aça es, q ue as si imo presente l he fic ue co mp lete , a g ua ard ando o for mna l izac sao espanhola, a da acusaçao, a do os bandidos e dos terroristas, é circulo do rato es peito p delas, vi tim as do ata ten ant ad os em londres,

long live the queen!

L ong l ive t, he q ue en ponto dea firma maçao

e acusação formal a santos silva

e ac cu usa ac cortez sao for mal , primeira de santos silva

Sem comentários: