sábado, junho 12, 2010

A Nelson mandela, segunda parte

A Nelson mandela, segunda parte


pois como aqui narrei, depois de ter feito aparecido a imagem onde eu durmo na casa actor joao da rosa com a gatinha preto e branco, no video a que chamei key da torres, e que se desvelou ser tambem key de londres, em noite seguida uma gata começou aqui no patio de tras a miar, em forma bastante angustiada, e logo nesse primeria noite, eu me meti tambem de gatos na bancada em frente ao cavalo com as rodas como a roda da vida indiana, que foi o elemento que primeiro ontem vi, na peça do telejornal, onde uma senhora falava para acamara e trazi uma igual pendurada ao pescoço com a da puta elza paes, com a chave de cores, verde, amarelo, em cabelo loiro, e um rapaz ao lado mostrava uma chave de porcas, como um delta ao pescoço, ou seja sufocamento, das porcas 13 43 por leitura cumultiva com o tempo expresso nesse momento da peça, da tele do jornal, do grupo pro jornal,

p o is c omo a qui na rata ps do rei, d ep o is de teresa, feito, ap ar e c id o primeira ima ge maior da onde europeu d ur mona da c asa ac tor joao da rosa com ad da primeria da gatinha preto e branco, no v id deo da primeira q ue c ham ei k e delta da torres, é q ue se d es velo lou ser t am tambem k e y de l on d r es, em no it e se guida, uma gat co meço es o ua qui ino do no do patio de tras a m ia ar, em forma bas t ante ang gus ti ad a, e l ogo ness e prime ria ano da noite, europeu da me met i t am tambem de gatos na ban c ad a em fr en teao do cavalo com às das rodas , c omo da primeira da roda da vida in diana, q ue fo io lee mn to q ue eu do primeiro que on te maior do vi,na p eça es do tele e do jornal, onda de uma s en hor a f ala ava para aca mar a e t r az ze, uma mai gato da ual pen d ur ad a cao p es coço, com da primeira da puta elza paes, com da primeira c h ave de c o rato es, verde, am ar elo, em cab elo do loiro, e um ra ap zorro cao lado mos t rata ava, uma c h ave de porcas, c omo um delta ao p es cç , cc es, dp vaso do seja do sufocamento, das poc as 13 43 por lei tura cu mul t iva com oe mp o expresso jornal, ness e mo men to da ape p da eça, da tele do jornal, do g rupo pro do jornal,

ouvira a senhora a dizer, que fora uma pena nelson mandela não poder ter assistido ao jogo de abertura, acrescentava, uma macula sobre ele, eu achei ao momento estranhissima a formulaçao e me disse, já aconteceu uma desgraça, pensei que a ele proprio, e depois pela noite fui ver a peça em sua inteireza

o u v ira a s en hor a ad ize, q ue for a uma, da pena do nelson, o editor, man dela, n cão pode rato teresa assis , ps, t id o cao do jo gode da abertura, ab abe rato da tura, ac r es c en t ava, uma m ac u la sobre ele, eu ac h ei cao mo men to est r an hi s sima primeira for mula aç sao es , é me di s se, j á ac on tec eu uma d es g rata aça es, pen s ei q eu ~primeira dele proprio, é d ep o is p dela , lan ano da noite, fu e vera p eça em s ua inte ire da za

como narrara, olhara nessa noite, a primeira em que a gata apareera a miar e não a vira, e depois em noites seguidas de novo ela apareceu a miar, e talvez antes de ontem, era já dia, tentava eu dormir, com as dores deste ultimo passe de envenamento, quando os da tal casa das traseiras, como fazem nas vezes, inclusive pelas noites, largaram os tres caes que se puseram a ladrar a gata num tremendo alvoraço, tao grande, que as paginas tantas assomei a janela, e lancei um grande berro a dizer ao senhro apar os recolher e os caes la se foram e vi pela primeria vez a gata, nesse patio que me parece desabitado, e reparei entao, que tinham escolhido uma igual a da minha foto

c omo na rr ara, o l hara ness primeira ano da noite, a primeira em q ue da primeira gata, ap ar ee ra am ia re n cão a v ira, é d ep o is em no it es se guidas d e n ovo dela, ap ar e c eu am ia re t alvez ant es de on te maior, e ra j á dia, t en t ava eu dor mir, com as das dor es d este u l t imo p ass sede do envenamento, qua ando os da tal casa das traseiras, c omo f az e mna serpentes v e ze serpente, inc l us ive p el as no it es, l arga gara ram os tres caes, q ue se p use ram a l ad rata da ar, primeira gata nu maior t rem mendo alvor aço, tao g rande, q ue às pa ginas da t antas ass ome ia da janela, é lance ei um g rande be rr o a d i ze rato ps cao s en ho pm me do ero ap da ar os rec co l her, é os caes l a se do foram pt, é vip dela prime ria v e za gata, ness e pat io q ue me pa rece de s ab bit ad o, e r epa rei en tao, q ue tinha do ham da manha, es co l h id o uma i g ual, primeira dam em hoem da primeira da foto

o pao de mafra que aqui mostro, é atmbem peça deste passe, em forma indirecta visto eu o ter comprado ao final da tare, e portanto o acidente já se dera, e foi estranho, pois quando lá chegeui , sendo a primeria vez depois de ter aqui descrito um passe com fatiaodos, com manchas, e a senhora que geralemnte é muito simpatica, estava diferente, lhe apontei, a montra do pao em forma generica, e ela propria me disse, quer aquele, o de mafra, na verdade era o unic que la estava e como verao, nunca tal vi , um cruz como um costuira com tanta expressao na base do pao, comprei igualemnte um queijo fresco, e um amaça vermelha depois de ter trocado uma outra que estava tocada, um yogurte de fibras e duas peras, um raapz la estva com uma estranha camisola com um dizer em ingles, que achei estranho, quaklquer coisa como take the other lane, this one is closed, achei estranho quando na dança dos corpos do moviemnto no pequeno espaço ele ma deu assim a ler, agora ao isto escrevr me pergunto se não sera isto um eco do tal pretenso acidente, da morte de madiba

circulo do pau de mafra, fraque q ue a qui mo st ro, é atm b em p eça d este p ass e, em forma indi recta vi sto europeu dd circulo teresa co m prado ao fina al da ta r e, e porta anto do circulo do acidente, j á se der a, e fo i est r anho, p o is qua ando l á c he ge ue , s en do da dp, v e zorro d ep o is de teresa a qui d es c rito, um passe com fati cao d os, com da dama das manchas, é primeira sen hora q ue ge rale lem n teresa, é mu it o si mp a tica, est ava difer rente, l he ap on t ei, a m on t r ad o pau em forma g ene rica, é ela pr o p ria da me di ss e, q ue ra daquele, o de mafra, na ver dade e ra o unic q ue l a est ava, é c omo vera circulo, n un ca t al vi , um c ru zorro c omo um cos tui ira do ra c om t anta, express sao na b ase sed o pau, co mp rei i g ual lem n te um q ue ei jo fr es co, e um am maça verme l h a d ep o is de teresa reas t roc cado ad circulo de uma outra, q ue est ava toca ad a, um yo g ur rte de f ib r as e du *as das peras, um ra ap zorro l a es tva com uma est rata anha cam is sola com um di ze rem ingles, q ue ac he ei est r anho, q u ak l q ue rc o isa c omo t ak e t he ot her l ane, t hi s one is c lo sed, ac h ei est r anho qua ando na dan ç a es , dos corp os do mo vie mn to no pequeno es paço es, dele ema má de eu as sima al da ler, agora cao is to es c r e v rato ps da me per gun to ze , n cão se ra i s t o um e cod , o t al pre t en s o acide dente, da dama do dam da morte de ema ad da iba, a do cartaz, da pub

daqui se extrai desde já acusaçao contra o filho da puta do antonio costa, jose socrates, e pinto da costa, fcp, o nelson da editora, dani, e a puta filha do ferro rodrigues, como explicarei depois

continua...

Sem comentários: