domingo, outubro 24, 2010

ah amadinha, depois quando voltei , ali no mesmo sitio, olhei de novo a lua já mais alta e branca  no céu, e por debaixo dela um traço horizontal bem definido e enquanto ali poisei outras formas nas nuvens se condensaram e parecia a imagem que te mostrei do sol a se por em dia recente, como uma mão, que fosse uma cobra que aboquinhasse a lua cheia, vinda da esquerda no céu e de alguma forma a velasse

a h am ad dina hd ep o is qua n dó ovo vol , china, te ei , ali ino do mesmo siti dp l he ide en ovo da primeira lua,  já mais alta,  é br anca  no c eu, e por de ba do xo dela,  um t r aço es h ori zon t al be maior  d efe nid oe en a q un tó ali p oi ise se ei de outras formas nas nuvens,  se conde en sara ram e par ce cia a ima ge maior q ue da te mo s t rei do sol,  a se por em dia rec cente, c omo uma mao, q ue da fosse de uma cobra braque vaso bac ab boq quin h ass é a lua cheia, vasp inda da esquerda no  c eu e de al gum a forma a ve dela l ass e

olho a factura das compras, se is do per cen til pao de mi serpente da tura, 100 gato circulo 54, estrela quadrado, se is per c e n t i l , quadrado príncipe do cama bert segundo de setenta e nove, ou sete nono, 13 do percentil. vaso douro est da tt terceira de setenta e cinco, primeiro de 99, que me remeta ainda pata o francês, primeira chave nos textos de hoje, vinte um , laranjinhas, dos sacos de plásticos, ou seja rose eta das gauges, dp do segundo, tot da al estrela e trinta e quatro, ou seja fr, vol un mes quadrado dez euro cruz roco quadrado do grupo 66, ivo rua

olho da primeria  fat ur da tura primeira das co mp ratop ps as, se is do per cen til pao de mi serpente da t ur a, 100 gato circulo 54, estrela quadrado, se is per c e n t i l , quadrado p rin do ciep do cama da bert segundo de sete na te en ove, ou sete nono, 13 do per cen til. vaso douro est da tt terceira de setenta e cinco, , primeiro de 99, que me remeta inda pata do circulo do frances, prime ria c home  av onda e nós tex t os de h oje, vinte um , lara rn jin h as, dos sacos de p l as ticos, o us e ja rose eta da s g au g es, gaules,  dp do segundo, tot da al estrela e t rina te da quatro, o vaso do seja fr, vol un mes qa u dr ad do ado em dez euro cruz roco qa u dr ad o do g rupo 66, do ivo rua

ainda estava a papelaria aberta, ali ao lado, perguntei de uma caneta uni ball, mas so tinham do circulo do sete, e eu queria do circulo nove, ou seja mm, sm art tie es, parecem seringas de alguma forma essas canetas que uso na cor Dele

a inda eta ava a pa ep la ria ab e rta, ali cao lado, per gun t eide uma can tea uni ball, ma ss o tinha ham am mdo c irc culo do sete, é eu q ue ria do c irc culo n ove, o vaso do seja mm, sm art tie es, pa recem ser ingles gas de al gum a forma es sas cc can  ane eta s q ue us on acor de del le
vês amada como não tem muita piada sair a rua, com todas estas encenações, se fosse de mão dada contigo, seria como aquele menino na mão de sua mãe, ia contigo conversando e brincando, de tintas de línguas molhadas em véspera que entre nós nunca o é nem nunca será, nem reflectem outras coisas que fazem nas vezes os narizes escorrer, e que são nas vezes usadas para fazer mal a terceiros

vaso es am mad ad a c aco omo n cao te maior mu it a p aida s air da primeira da rua, com de todas estas encenaçoes, se da fosse de mao da dada c on ti g o, se ria  c omo daquele men ino na mao de s ua mae, ia c on ti g o convers ando e br inca  can do cado, de t int as de l in g ua s mol h ada s em v es pera q ue en t re nós nu n cao é ne maior n un ca se rá, ne maior mr r e fl e ct em outras co ia s q ue f az e mnas v e z es os narizes es cor r e rec q ue sao nas v e z es usa sadas para f az e rato do mal al,  a te rc e iro serpente

Sem comentários: