domingo, outubro 24, 2010

entrei, no supermercado, no pingo doce depois de ver que quase nenhum pão havia no mini preço, ali estava na bicha, quando alguém encostara um carrinho de compras a meu lado, e de repente a linha do menino se complementava, pois assim li, primeiro, uma preocupação, o cientista por um dia, como se algo de mal estivesse para acontecer a algum cientista, o que nunca é coisa boa, depois percebi o resto, cientista por um dia, algo relacionado com programas de ocupação de crianças, pois ao lado moravam escovas de dente de crianças que me remeteram para o meu filho francisco, e ainda um gel qualquer como nome de serpente kim, como a dizer em suma que uma serpente da kim ligado a esse programa, fora então o tal da erotização como ontem escrevera, ou seja da indução dos passes magnéticos

en t rei, no do super mer cado, no do pingo doce, puta bel miro,  d ep o is d e ve rato q ue qa use n en h um pau h avi ano mini por e ço, ali est av na bic h a, qua n dó al gume e mc costa rata ara , um car do rinho de com pr asa me vaso do lado, e de r ep en te a lina hd o menino se c om p lem en t ava, p o is as si m l i, prime iro, uma pre o cup pa ac sao, circulo do o cientista por ru vaso  dia, cm se al gode da ema do mal da al, est iv esse pa ara c on tecer a al gum ci en t ista, o q ue n unc a é co isa da boa, d ep o is peer cebi o rato de est o, cientista por um dia, al g o rato dela ,o da ac cio n ado com por g ramas de o cup sao es de c rina aças, p o is aol ad o mora vam esc p v as de dente das crianças,  q ue me reme te ram pa da aro meu filho,  fr anc s cio, é a inda um do gel q ual q ue rc omo no mede da serpente kim, c omo da primeira di ze rem s uma q ue é uma ser pe ene net da kim liga do gado da primeria  desse cobra desse por g rama, for a en tao o ta l da ero t iza za sao es c omo on te m es c reve vera, o vaso do seja da indu ç ºcao dos p ass es mag gn net icos

lá estamos na parte negra desta historia, ou numa delas, pois ainda ontem, vira tambem num video a imagem do grupo de bush, ele de pé em posiçao como sugerindo comboi, mostrando o cinto, com uma gravta vermelha rodeado da rice, do dick chenney , o colin powels e outros, eu quando vi a foto , e quando vi o chenney, reparei que ele tinha os dedos da mao como eu os trazia naquele moemnto, e eme subiu logo, subito, a imagem, dele outrora com o neto da tal filha que ao que aprece nao truca truca com rapazes, acabado de nascer com ele ao colo dele, com um roupa branco com um fita azul no capuz, e do que sentira nessa foto, somando ao que sei sobre roubos de filhos meus, e do que cada vez mais se afirma como hipotese principal, de o terem feito , a partir de celulas,

l á est amo s na p arte negra de sta desta hi s tori a, o un de uma delas, p o is a inda on te maior vaso da ira tam am tambem nu maior v id deo da primeira ima ge md o g rupo de bush, e lede pé em posi sic sao es c omo s u ger indo com boi, mos t rato ando do circulo do cinto, bel,  com uma g r av t a ave vermelha rode dea ad o da rice, do di ck c h en ne y , o do c o l in pow else de outros, eu qua n dó via f oto ,  eq ua n dó vi o chenney, r epa rei q ue dele tinha os dedos dama da mao c omo eu os t ra z ia naquele moe maior nt oe e me s u bi u l ogo, s u bit o, a ima ge maior dele outrora com do circulo do neto, psd,  da t al fil h a q ue cao q ue a pr rece n cao do t ruca da truca com dos r ap az es, aca bdo de na s ser com dele, cao c olo dele, com um ro up a br anc o com um fit a az u l no ca p uz, é doque s en tir ira ness a f oto, s oma ando cao q ue s ei s ob r ero ub os de fi l h s om eu sed doc  q ue c ad a ve z mais se a firma c omo hipo te se prin cip al, deo te rem , feito , a ap art tir de c e lulas,


ouvi no espírito ao momento debaixo do bel, e fui ver o bel aqui em casa, a garra do bel, para ser mais preciso, e i por debaixo dele, os quinhentos gatos da bota negra italiana, das massas, e ainda abri o armario do meu avo do espelho ingles e vi, os dois cintos , o do falo do el dorado, e um outro tipo ferradura, por cima de umas jeans, e por debaixo ainda outras mas em branco, em posiçao contraria entre elas, e um pequena farpa das setas, ou não,  em cima de outras negras que podem simbolizar as da donna karem em ny,


ovo vaso ino es pei rita cao mone neto de ba, é xo do bel, e fi vaso  uve ero do bel aqui em casa, primeira garra do bel, para ser mais, fr,  pre do ciso, ei ip do por de ba e xo dele, os quin he en nt os gatos da bota negra italiana, das massas, é a inda ab rio ar mario do me vaso uva do  vao, sp,  do es pel h o ing l es e vi, os dois cintos , o do falo do el dor ad o, é um outro t ipo da ferradura, por c ima de uma s j e an s, e por de ba e xo a inda deo de outras ma serpente  em br anco, em posi sic sao es conta ria entre elas, é um pec un a fr a pada s s eta s em ci am de outras negras q ue pode maior si mb o l i zar as da donna ka rem em ny

bel mais kim, remete ainda para as recentes linhas da belkin e de que me parece uma experiência, como aquela que recentemente descrevi na Casa de Deus, com o vtr, e a corrente continua num sistema de alterna,  pois quando gravava o vídeo onde converso com o bono, se ouve um pipi, e depois como tendo assim uma espécie de delay, o vídeo perde o sincronismo vertical , ou seja imagem das turras e de torras feitas por processo de indução provavelmente usando os ferros que suportam os tectos falsos, onde detectei em tempos estranhos buracos, mas não deixa isto também de se espelhar de alguma forma na linha ultima do heli sobre as torres, pois aquela antena é muito estranha, cada vez que para ela olho,vejo uma culatra que é também uma bala

bel massi si da kim, rem ee t a inda para sa re en t es linhas da belkin , belinda do belarmino, de belize do belmiro, assim diz o corrector, ou seja, a bel linda do pug gi primrio do ista do bel da ise do belmiro, ou seja do pin g o d o c e do espanhol,   é deque me ap rece uma e x per ien cia, c omo daquela,  q ue rec en te, mente,  d es c r e vina Ca sade De us, p o is qua n dó dog g r ava da dupla do circulo ov id deo onda convers o com do circulo do bono, se o uve um pipi, é d ep o is c omo ten do as si maior de uma es pe cie de del a y, o vi od e per deo sin cor ni sm ove rt ical , o u sj e ima ge md as t ur rato as, ase, é de tor r as feitas por pro roc esso de 3 indu sao es pro ova ave lem nete usa sand o os ferros q ue s u porta maior do os tectos falsos, onda dec te t ei em tempos est r anhos b ur acos, ma s n cao de ix a is to tam am tambem de se es pe dela h rato de laguma forma na lina homem  u l ti am do hel is ob re as das tor r es, p o is ad daquela ant en a é mu it o est r anha, circulo da ad v e zorro quadrado da ue do para dela,  olho ove do vejo,  uma do cu de la t rac ac  qaudrado da ue é eta tam am tambem,  uma bala , bal a, b al do primeiro

pois isto de fazer filhos através de células alheias, é um pouco como a imagem do ferro nas torres, pois não se leva num bolso nem se faz numa cozinha normal, ou seja , para este trafico ter acontecido, muitas gente tem que o saber e o cobrir, nomeadamente a ordem dos médicos aqui

p o isis to de f~az e r fi l h os at r ave es de ce lulas, é um po u cc omo primeira ima ge md o ferro nas torres, p o is n cao se l eva nu maior mb  bo l s o ne maior  sef az nu ma c oz in h ano norma  l, o u  seja , pa ar de este trafico teresa aco nt tee tecido, mu it as g en te te maior doque , o saber,  e o cobrir, no me ad dam am, a que mente, primeira da ordem dos medicos aqui, a primeira do ki aqui 

Sem comentários: