sábado, novembro 06, 2010

minha amada ontem pela vela, estranhas linhas como sempre ecoam os meus beijos a ti, as paginas tantas de um historia maior que depois te contarei, um pop up de uma aparente passarinha dizia que queria sexo e vinho, eu me sorri, swe não conhecesse estes malandros

estou a lavar um pouco a casa, depois irei fazer o jantar para o qual te convido, massa, e salmão, temperado com limão, e outros ingredientes, se quiseres o prazer será todo meu e teu, vinho não tenho, mas se o quiseres trazer será benvindo, embora prefira grosso modo o tinto, um branco certamente irá melhor

eu estou assim com um tipo de febre de ti e só adormeci pela manha alta, os gentis vizinhos muito me chamavam, como diversos modos suaves, como marteladas em chapas metálicas, martelos em casa, e um voz de criança que chamava pelo pai com alguma insistência, se não fosse o tom, até teria ficado como pai preocupado , como vês a vida sempre doce

Sem comentários: