domingo, novembro 28, 2010

à sempre amada tori amos

sabe menina fez me rir e até chorar, foi bom sentir que ainda trago lágrimas nos olhos, pois há muito tempo que não as sentia em mim, é sinal que ainda não trago meu coraçao seco, foi curto o choro, mas deu para perceber isso,

s av be menina de fez rata da ire a té cho rato da ar, f oi b om s en tir q ue a inda t rago lágrimas, coimbra,  nós dos olhos, p o is  h á mu it o te mp o q ue n cao as  s en t ia em mim, é sin al q ue a inda n ao t rago me vasp cora raçao sec o, foi  judice, curto, pedro,  circulo do cho roma s d eu para per ce be rato iso,


ficara a pensar nesse seu desejo de se vir, dizendo ao rapaz que não precisava de ser Cristo para isso, e na verdade acabei eu de me vir,depois, senti um fio numa rosa que também escorrera, quem sabe se no castelo da imaginação, e de que rosa seria, se nao mesmo a Rosa


fic ara cara,  a  p en serpente da ar,  ness e s eu desejo de se vi rato ps, di zen do cao do rapaz q ue n cao pre cisa ava de ser cris to para iss o, e na verd ad e ca be ie vaso de me vir,de pp o is, s en ti um fi on uma rosa q ue tam am tambem es cor rato e rac, ac q ue maior,  sabe,  se no do castelo da ima gina ac sao es , é deque da rosa se da ria, se en cao do mesmo , a primeira rosa

fui olha-la de novo em seus vídeos , pois, no espírito se afigurava ve o winter que encontraras lá uma resposta, foi ai que as lágrimas correrem


fu io l h a traço ingles la  de n ovo em s ue es v id e os , p o is, no es pi do rito da se a figo ur ava vaso, é circulo da dp in teresa q ue en c on tara s l á um r es p os sta, fo do oi do ai q ue ás ds la g r ima s cor rato, é rem, psi

no you tube dei com uma estranha versão desse seu belo antigo video, pois era uma remontagem e se encontrava desincrono, olhava a menina em plano aproximada, a expressão em sua face, quando me diz , cego, abre os olhos, se bem que por outras palavras, o amor que em si expressava ao isto me dizer, me fez então soltar a lágrima

no t delta do circulo do vaso do you ,  tube dei com,  uma est rata anha ver sao de s se serpente  eu b elo antigo v id deo, p o is e ra uma remo da montagem , monta tage  ge me da se en c on t rata ava de sin c rato em circulo , o l homem  ava da primeria menina em p l da lan do primerio ano,  p aro roxi ima m ad a, a a , é x pre 3 s sao em s ua da face, qa un dó da me di zorro ,do circulo doc ego, ab reo serpente dos olhos, se be maior q ue por de outra pal av rato as, o am mr q ue em si,  é x press ava cao disto,  me di zorro do x é rato, me de fez en tao sol tar da tara da primeira  lagrima, la grim a, rim da primeira , coimbra, quintas da lagrimas, ines e pedro



estranha esta linha ultima consigo, visto que uma outra linha pela katie, ressoa estranhamente num cd que um certo rui da cp, me deu quase no inicio desta historia, em salvo erro dois mil e cinco, um rapaz que na altura me deixou um comentário no blog, e que um dia veio almoçar comigo ao ritalinos e me trouxe esse cd, onde a menina está cantando bela ao piano, e onde estão também outros clips dos death can dance, e um em particular que vinha relacionado , mencionado, em forma indirecta com as linhas da noticia da  katie , do anel e do casamento ,(casa do meno, filo men o) que fora vista a dançar na nova papua, guine,  imagens desse mesmo clip, que vinha junto com os seus


est rato da anha desta, a da linha u l t ima c on sig o, vito toque do quadrado de uma outra da linha p ela kat tie do ie, rato esso da primeira est ran ham am,  mente,  nu maior do cd q ue um ce rt circulo do rui da cp, me d eu q ua ase no in ni do cio do io desta histoira, é m s alvo e rr circulo em dois mil e cinco, um ra p az q ue na al tura da me dei xo do vaso de um com en tar io no do blog, eq ue um dia veio,  al mo corte da ar co mig circulo do cao rita lino, ps,  seme rt o ux é esse do cd, onda dea primeira menina,  e stá can t ando b dela cao do pi ano, tambem nova ze ln lan dia, é onda est cao tam am também de outros c l ip ps , o dos dea cruz home da can da dance, é um em p art tic cu vaso do primeiro da ar , gama ps, q ue da vinha rato dela, o do ac cio n ad o circulo om as das linhas da kat ie tie,  mencionado em forma indirecta com as linhas da noticia da  katie , do anel e do casameno que fora vista a dançar na nova papua, imagens desse mesmo clip, que vinha junto com os seus

sabe bela tori, escrevera um pequena frase comentando essa sua linha de outras das suas belas canções, e em meu espírito se figurou, deste-lhe a mesma resposta que há vinte anos atrás, eu estranho dentro de mim estranho sobressalto,  a esta consciência que em mim emergira, e que depois e desenvolveu como dizendo, mas acrescentas-te um pormenor que na altura ela não compreendeu, estranho senhora, este saber interno

sa be bek la da tori, es c reve psi da vera , um pec un a fr ase com en t ando,  essa s ua da linha deo de  outras da s s ua serpntes de belas, lugar, onde tambem o pedro lopes dos bandidos tras casa,  can ço es, é em me eu vas do es pi do rito da se figo ur o vaso, de este traço ingles l he da primeira da mesma , a rata da es posta quadrado da  ue do home do natal , é md circulo do acento da primeria à vinte anos atras, europeu es cruz rato do anho dentro de mim,  est rato do anho da primeira  desta , a da co ns cien cia q ue em mim e mer gato da ira, eq da ue depois, é de s en vol vaso do eu c omo di zen do, mas ac r es cent as traço inglesas te,  um por men o rato q ue na altura,  ela noa co mp rp pee en d eu, est rato anho da ds senhora de este,  saber, inter rn no

esta o dia a nascer, na janela um passarinho levantou voo, mesmo frente a meu olhar, e eu fofinha vou descansar um bocadinho agora, depois te concluo esta cartinha

este clip que me apareceu gora no you tube, sobre o seu tema ,winter, é estranho pois é como uma pré montagem, e o mais curioso é que procurei a versão original dele, e não a encontrei na net, como se então alguém quisesse que eu visse esta especificamente , cm, mane net, 

este, c l ip q ue da me ap receu do gora ano  do no y o vaso do tube, s ob reo s eu t ema ,dp inter, é ster rn ho p o is é c omo uma pré da montagem, may monta tage , é circulo do mais, fr,  cu rio osso , é q ue por cure ia da ave da vera o rig gn da al dele, é n cao da primeira en c on t rei em net,  c omo da se en tao al gume qui ise esse,  q u e europeu vaso is da se desta,  es pe cif fi cm ane nete , cm, mane net


declinando o titulo que aparece no video, leio ainda, o demo do inverno serpente da tori amos, he, rei do alemão, he ad do cento e dois, da do carro peugeot, alemao, me remete para o tal que anda de mercedes aqui diversa convocado

recordo de memoria estas imagens , um piano de cauda azul sobre fundo branco, ao fundo  que depois se transforma em branco com asa levantada, o plano da menina a girar com um conjunto de crianças girassois, como num jogo de crianças, onde a menina mais crescida roda num determinado sentido e as crianças como crianças que sao, a tentam imitar rodando em formas distintas como sempre elas fazem, uma delicia de plano, assim sempre a memoria afectiva dele me recorda

reco cor da ad da dp , circulo de me mor ia e sta das serpenets destas imagens , um do pi ian ano de c auda azul , s ob re fun do br anc o, cao fun doque depois da se trans foro rato  má em branco com da asa l eva van  t ad a do circulo da puta do prim eri o do lan do primeiro ano, 2003, ad a menina a gi rato da ar com de um  circulo  on jun to de c rc crianças g ira ss o is, c omo nu maior  jo gode de crianças, onda dea da primeira menina mais, fr,  c rato da es cida , roda nu maior det teresa mina do ad circulo do os ,  serpente da en cruz  id circulo, é as das crianças,  c omo c rato da ria do  ian das anças espanholas,  doque da sao espanhola, primeira  t en tam i mit ar roda do dn dando,  em formas di s tintas c omo sempre elas fazem, uma del i cia de p lan pri mr io do ano, as si maior, sempre a primeira  me mor ia a f ec t iva dele, leme me reco corda da rda

o mote das letras remete para natal, para neve, para as botas que calças do teu pai, e ainda para lewis carol, que a menina tambem aborda em outras imagens de uma mesma cançao de inverno, com a princesa do gelo,

omo ted as das letras reme te do para da ana do natal, para ane da neve, para às das botas do ob da ota serpente q ue c alças dot europeu pai, é primeira inda do para do lewis ca do rol, q ue da primeira  menina tam am tambem , ab ao bo do circulo da rda em outras ima mage en ns de uma mesma , a can sao espanhola de inverno, com ad da primeira da pric ne sado dog elo do gelo,

ou seja da matança em beslan, e das linhas ontem de novo comentadas a propósito do canada de onde pensei durante decadas a menina ser, e e da escorregadela de obma e da imagem de ban kin moon e de outros da onu na russia, abordadas em palavra orada ontem aqui publicada

ov vaso do seja jad, j ad da primeira , a da dama  da matança em beslan, é das linhas on te md en ovo com en t ad asa da primeira pro rop p os vaso do it do circulo  do canada,  de onda pen s ei dur na te dec ad asa da primeira  menina ser, e é a da es cor rega gade dela , de ob ma é da ima ge md, é ban, porto, o filho do major do boavista, a  kin da moon , primeiro da ua, é deo de outros da on vaso na russia, ab o rda dada serpente em pal av ra o rato da ad da primeira de ontem a qui aqui,  pub do primeiro,  ciada, si ad da primeira
 
ao ver esta imagem agora, para alem desta chave comulativa das cores e da posição da tampa dos pianos, ou da asa d pi do ano, ou seja do natal de dois mil e cinco, ou seja, a asa da quebra da família e do inicio do processo de roubo de meu filho, que remete para as cores da casa real em portugal, ou seja porto ti gal da norte sul, editora, tvi, emergiu em mim antigas imagens de infância, de fotos de uma peça de teatro no pestalozzi, como ontem de alguma forma se relacionara um outra imagem com esse tempo, o tal ra pido, e de uma marca do lápis dele, que deve ser um acto de vingança pela queda de salazar da cadeira, que simboliza o começo da queda do regime fascista em portugal

cao ove do rato desta, a da  imagem agora, para al lem de sta da chave,  co mula da cruz  iva das cor espanholas, é a da ap do circulo da isca do cao espanhol,  a da tam pad os pi ano serpente, o vaso da da asa dp do pi do ano, o vaso do seja do na da nata do natal, a da al,  dedo is, design, loja da quadrado , a av de ninguens, relacionada com o norte de portugal,   mi da ile kapa do ll, é circulo  inc circulo do vaso do seja da primeira da asa da quebra da família, vera saudade e silva, a puta mandante , man dante do soares,   é doi ni cio, o do por circulo do esso de roubo de meu filho, q ue reme da te para as das cor espanhola, maria sobral mendonça, dim ca da espanhola, a  da casa real em p orte ti gato da al, o vaso do seja porto ti gal da norte sul, ed it tora da tvi, e mer gi vaso  em mim anti ti do gas das sima , ima mage en da ns de in fan cia, de f oto sd , é uma da p eça es do cade do teatro no pest alo zorro do ze, circulo do omo ontem , de al gum da primeira da forma da se rato ,ps, ela , a do ac cio na ara de um , outra iam mge maior mc om ed dsse tempo, o tal ra pido, é de uma da marca do l ap is dele, q ue d eve,  ser um acto de vin g ança es p ela da queda de sala az zorro da ar da cade iraque , si mb o liza do circulo do co meça cao espanhol da queda do re gime f as circulo do ista em porto vaso  gato da ak do primeiro

a imagem que me vem a memoria de uma festa do pestalozzi, é aquela que creio aqui ter narrado, nos primórdios dos textos neste blog, ou talvez mesmo não, mas é uma historia que contei diversas vezes a diversos pelo seu valor pedagógico simbólico, o da integração de um menino que de acabara de chegar a escola nesse tempo, à turma que estava preparando uma peça de natal, e que corresponde a uma mudança simbólica de rei, com a mesma rainha

a ima mage maior,  q ue da me vaso da ema da primeira , a me mor do iade,  uma da festa do pest alo z ze, é aquela q ue circulo do irc uk lo, a do lodo do rei , circulo  aqui, da teresa na rr ad circulo doc irc uk lo , nós pri mor dio serpente dos textos nest eb lo gato, o vaso t alvez meso, canal de mu sic a,  n cao, má serpente é uma da hi s tori a quadrado da ue conte id di ver sas v e ze sa do diver serpente do os p do elo s eu da uva do valor, ft,  peda dag gog gi do  co si mb o lic o, circulo  da inte gata da raçao de um menino, mais uma morte de uma criança,  q ue de aca bar a de chega gara da escola nesse tempo, à da turma q ue est serpente vaso da primeira , pre par ando de uma da p eça cade dena da natal al dn do natal, eq da ue cor rato da es p on dea , uma mud dança es si mb o lic ad, é rei, com da primeira da mesma , a rainha, primeira rai em homem da primeira

nessa peça fazia eu de principe e a minha primeira amada de princesa, e quando chegou esse menino, que assim de memoria penso ser o miguel sa marques, o nereu, se bem mem lembro, decidiu que fosse ele a fazer de príncipe e eu passei a fazer de arvore, curioso, pois trago uma foto de eu feito arvore, no ginasio da escolinha pequena braços abertos como em cruz, omo apoiado na barra da danaça classica, pois me recordo como para alem e tudo fora cansativo manter os braços abertos naquela posiçao durante a peça toda, na verdade ao recordar isto agora, esta  imagem assume um valor simblico, o de uma cruxificaçao, como uma arvore, e uma barra de dança classica, ou seja , o valor simbolico me diz de uma crucificaçao feita por uma bailarina classica, ou de pontas, ou De cios,


ness pri emi mira primeira, a  ap da puta da eça f az ia europeu  de prin circulo do ipe , institutos estados, como o icep, e como agora se desvela mais uma vez a relaçao com a av de ninguens, é primeira min homem da primeira do onze da  am ad ade princesa, é quadrado da ua da anda doc  ch ego vaso desse menino, quadrado da ue as si mde me mor ia p en serpente circulo ,   serpente ero romi mig ue do primeiro da sa marques, one rato eu reu, se be maior  me ml lem br circulo, dec id dio do vaso doque da fosse dele, lea f az ze de pric n ipe , é europeu  p ass ei seia da primeira f az ze, é rato de arvore, c ur do iso, p o is t rago de uma foto de europeu,  feito,  ar vaso do circulo da rena do  gina serpente do cio do  io , a da es co da linha da pequena br aços aberto, teatro,  s c omo em circulo cruz ru zorro, omo ap cao iad dona da bar rata ad da primeira da dana aça da fac da classica,  circulo primeiro ass sica, p do circulo do is da me recordo,  circulo do omo para do elm , é tudo for primeira can sat ivo mantero, dança,  serpente br aços aberto s naquela posi sic sao es d ur na te da primeira da p eça toda, na verd ad deao cao recor da ar de isto do agora, primeira da image ass um ,  um valor simblico, o de uma cruxificaçao, como uma arvore, e uma barra de dança classica, é o vaso do seja , circulo do valor, ft,  si mb o lic circulo da me , di zorro  de uma c ru cif ica caçao,  feita, por uma ba ila rina c l ass ica , o vaso de pontas, o vaso  De cios,

curioso ter aparecido agora,  mantero, a vera mantero, que se encontra no ultimo post publicado na Casa de Deus relativo a uma sincronicidade com a queda de um tupulev no irao, com a Gulbenkian, porque os tais reflexos das velas triangulares do tal anel da princesa diana dado agora à kate pelo príncipe willians,  apareceu no prédio da irma aqui na rua, provavelmente espelhado no andar dela, curioso se pensarmos que katie, é parecido a kate, nome da mae da maddie

cu rio osso da teresa ap ar e c id o do agora rama da mantero, primeira ave da vera ram da mantero, q ue da se en c on t rato do ato ano ultimo,  post pub li cado na Ca sade De us rato ela , t ivo da a uma,  sin c roni cida dade com da primeira da queda de um da cruz do vaso da puta,  lol é vaso do no do irao, com da primeira da g u l ben ki iam am , por q ue os tais, br, ref for mula one le dos xos das velas, vaso primeiro  as t rian gular ares, o do t al anel da princesa diana,  dado do agora à kat, é p elo pr in c ipe do wi ll ian serpente da ms, maria sobral me don cça, a ap rato do ee vaso do no predio da irma aqui na rua, por v ave lem nt é es p el homem do ado no andar dela, cu rio ser rp pn te do circulo da se pen s ar mo serpente q ue kat tie ie, é par  e  c id o da primeira da kate, no meda da mae da ma ad dd di ie

essa imagem da peça da escolinha pequenina, é de alguma forma, a primeira que me remete para crianças, flores, flores girassois, ou as crianças que seguem como todos os seres  o sol, e a lua, na representação do pai e e da mãe, e eu feito árvore, nesse dia não beijei minha amada ani como era do guião em seu final, 

ess prima mai ima mage md a p eça da escolinha pequenina, é de al gum da primeira da forma, a primeira rac   q ue da me reme  te para das crianças, flor es, flo es gira ss o is, o vaso  às c r ian anças es pan g ola s, q ue se do gume c omo todos os , ser espanhol do circulo do sol, ilhas,  é primeira lua, na r ep pr es nn t w aç sao  espanhola do tacao do pai e, + é da am mee europeu,  feito,  ar vaso dop circulo  o re, ness e diana cao bei jei min home da primeira am ad da primeira da ani c omo e ra do gui cao em s eu fina al,

depois a menina atravessa uma parede , um rectângulo e suas cores mudam, para o branco, da neve e da morte, e se senta num piano vela branca, onde volta de alguma forma ao passado, mãos de menina sem ainda sem  anel, e em mim aflorou em tempo recente de novo um anel celta cujo símbolo é agora do pingo doce, as laminas celtas, o símbolo do bhuda bar, e de uma leitura aqui narrada através de uma carrinha transit azul que trazia o mesmo símbolo, na rua da casa da puta do presidente, e um buraco antigo em minha memoria, uma das tais, apagadas  
 
d ep o isa primeira  menina at raves es sa , uma da parede, lugar,  um rec tan da gula , é s u as cor es mu do dam da am, para do circulo do branco, paulo branco,  da ane da neve e damo da morte, é se s en t ano primeiro do  pi ano da vela br anca, onda devo  vol t ad dea al gum da primeira  forma do cao do passado, p ass sado , o louco,  mao serpente de menina se maior da primeria inda,  se do manel, eé em mim a flor o vaso em te mp o re en te de n ovo , vaso delta maior, ane primeiro do celta,  cu jo sib olo,  é agora do pingo doce, ás das laminas celtas, circulo do si mb olo, o do bhuda bar, é de uma lei it tura aqui,  na rr ad a ata rato ov es de uma car rina homem da  transit azul,  q ue t ra zorro do  ia do circulo do mesmo,  si mb olo, na rua da cas da puta do presidente, é um b ur aco antigo em min homem da primeira me mor do ia, uma das tais,br ap da pri maira gadas apagadas

me recordei deste anel que se encontrava na minha mesinha de secretaria de infância, ao lado da pomada do tigre vermelho, como a cor dos sapatos que trás, como a cor dos sapatos de quinhentos euros do escandaloso  papal, pomada que senti necessidade de comparar como aqui em dia recente narrei, o anel, esse creio estar perdido há muitas lua atrás, e o estranho nessa memoria ao de novo aflorar, foi eu ver-me a ve-lo enfiado no dedo, no final desta rua onde hoje moro, e dele me lembro que foi uma rapariga que mo deu, que o fez, uma anel rústico em suas formas, em cobre, que eu enfiei em meu dedo quando ela me ofereceu, o estranho é não ter nem a mínima ideia de quem mo deu, e mais estranho de repente essa memoria aqui neste lugar, onde como aqui disse uma vez, pelo espírito em anos recente, soube que a minha presença aqui, foi propositada, ou seja, alguém, ou alguns assim me induziram a escolher este sitio depois da saída da empresa da rua diogo de couto onde esteve sediada durante mais de uma década, esta mesma casa que depois reconheci, ter sido as instalações da novo design, que conheci pela puta da cristina coutinho, e do que já aqui comentei sobre ela, a empresa e a puta cristina coutinho, como se de repente esse anel me tivesse sido dado por alguém que aqui ao perto morasse, e eu depois ter decido a rua e me lembrar dele na esquina da igreja do triunfo e do bom sucesso, onde anos antes, aqui, tentaram a minha morte nesse dia, num passe com a igreja católica, que continua sem me responder aos diversos envolvimentos e também no envolvimento do roubo e tortura de meu filho, pois essa puta do dn, estava por detrás  da juíza no tribunal de menores de lisboa  


me recorde dei , de este anel,  q ue da se en c on t rata ava na min home da primeira me sin h ad e sec e rta ria de in fan cia, cao lado da p o mad a do t rib bg do gre verme vermelho, ml, c omo da primeira acor dos sa dos patos q ue t rato as, c omo da primeria acor dos sa patos dos quinhentos,  é ur do os do es can do alo osso  papal, p do circulo da mad da ad da prime ria aqui,   quadrado da ue serpente da en ti das necessidades, nec circulo esss sida dade,  dec om par da ar arc omo aqui,  em dia re da en ten primeira  rata rei, circulo do anel, esse circulo do rei do espanhol da espanhola star per dido,  homem  acent cao vaso it as prim ero da ua at rato ase do seo de est rato do anho nessa, primeira da meo ria,  cao de en ovo da primeira  flor da ar, fo do oi europeu , ver traço inglesa me da ave do velo traço inglês primeiro, o do circulo en da fia ad em circulo do dedo, no fina da al,  a do sta da rua da onda natal,  je do moro, é dele , me lem br circulo quadrado da ue fo do oi , de uma ra pa riga quadrado da ue da mode europeu, quadrado da ue do circulo de fez, uma anel  russia,  serpente tico em serpente da ua da serpente das formas, em cobre, rem,  quadrado da ue é vaso do  en fi, é rem da me eva do vaso do europeu do dedo,  qa un dó dela , meo fere eu, c omo da primeira  es tátu ad da primeira  diana, a da historia da revista lx, se maior do dedo, é a da ima mage maior re cente,  do arco dela na casa do joao rendeiro,  circulo de est rato do anho é n cao da teresa ne da ema do mado do  mini, a do prédio da esquina,  a má da ideia do deque maior do mo deu, é mais, fr,  est rato do fo do anho de r e pen te , essa dame mor do ia aqui nest , el lu gato da ar, onda circulo do omo aqui , id da di serpente da se,  uma vaso  é zp, ze pinheiro,  pr, puta do elo do espanhol do pei rito em ano serpente  re en te, serpente circulo do vaso da uva, mulher de durao, vaso do bec ue, primeira mina home hp da presença, editora,  aqui, fo do oi ip do pre do posi  it da cruz da ad cao da ova do vaso do seja, al gato da ue maior, circulo da ual , gun serpente ass si maior dame indo vaso zorro do iram , primeira espanhola, é colher de este,  siti circulo depois, fac, nova,  da serpente da ad da iad , prime ria em pr rea serpente  da rua do diogo , deco vaso do to da ondã espanhola da tve da se da di do iad , primeira do duran te mais, fr,  de uma da década, é sta da mesma cas quadrado da ue ed da ep o do circulo do is reo em he sida teresa,  serpente da id circulo do ás das instalações, o  da do ano do ovo do novo design, quadrado da ue circulo em  he , cip  ip da puta dela, a puta da crtistina coutinho, é doque da ja do acento da primeira aqui , com en tei serpente do ob re dela da onda de sm, prime ria da empresa, é primeira  puta da cristina co do tui n do home da primera, carro, circulo do omo moda da sede der,  é pen te do esse do anel cruz da me ti vaso do esse serpente  id,  o do dado , por al gato da ue maior do que aqui do po , per to mora asse, é europeu  do quadrado da ep do circulo do is da teresa dec id , circulo da primeira da rua , é me do lem do br da ar dele na esquina da igreja do triunfo, é circulo do segundo do om  do suc do esso, onda anos antes, aqui, ten cruz  aram da primeira  mina homem hm  morte nesse dia, nu maior do passe com da primeira da igreja católica,   ih , energia do invertido, re ja cat da fac católica , cao lic da primeira , q ue circulo em tin da ua da se maior da mer espanhola,  puta da one rea os de diversos,  dos do en vol vim en to ze tam eb maior do no en vol vim en, circulo do  to do roubo e tortura de meu filho, puta do circulo do is dessa puta do dn, est ava por det rato sd da primeira  juiza , ano no t rib vaso do anl , de men o ratos  es de lis boa

de facto essa puta do dn, o da faculdade católica trás hoje uma estranha lauda que com outras linhas como o filme do combate qualquer coisa, mais parece uma ameaça

de facto, essa puta do dn, o da faculdade catolica,  o x da cruz do rato do ás do home do oje,  uma é ts rata anha lauda quadrado da ue com de outras das linhas , circulo  omo modo do circulo do fil med , circulo do com bat quadrado da ual q ue rato rc da co isa, mais pa rece uma da am,  é aça espanhola

e agora bela amada tori amos, esse anel que trás e que depois na suas imagens passa a estar ausente  da menina pequenina vestida de branco que toca piano como si, que se calhar é sua imagem em pequena, mas numa inversão de tempo, como a passagem entre os dois espaços, de alguma forma sugere, das cores para o branco, 

é agora da bela am ad da primeira da tori amos, esse do anel q ue t rato as da ase sec q ue d ep o is na  s ua sima ge ns da passa, da pancada,  primeira  se rato da menina pe q un nina ina vaso est id a de branco coc q ue da toca da cap, a dp pi do ano circulo do omo sic ue da se cala homem rato, cruz é serpente da ua da imagem em pequena, ma serpente  snu,  ma in ver sao de t em poc omo da primeira p ass sage m en t re os do is es paços, de al gum da primeira forma s u gere, das cor es para do circulo do branco, 

me recordo do este seu video me ter chegado à mão na latina europa por volta do ano de noventa e dois, creio que foi a primeira vez que a vi e a escutei e a achei de uma rara beleza em seu todo e de o amor por si me ter nascido em meu peito, e de me ter espantado com as ressonâncias nas imagens, que eram semelhantes a umas que produzira mais ou mesmo nessa altura, os girassois, com imagens do ícaro, e as molduras doiradas vazias, como antes no tempo do lusitanea expresso, que por extensão me remete de nova a canada, e numa linha que aqui já apareceu também, a da dança, humam la la la, sex duo, pois como sabe, desde essa altura que a pensava canadense, e me pergunto se não terá sido o to forte, a me dar essa informação,   

me recordo circulo do dodo de este,  serpente do eu v id deo da me teresa  chega gado, à da mao na latina europa por volta do ano de noventa e dois, circulo do rei do c irc uk lo que fo ia da primeira v e zorro q ue da primeira  vaso do ie da es cu tei , é primeira ache ei ide , uma rata da ara do beleza,  em serpente eu todo, é de meter,  es pan t ad o com ás r esso nanci as na sima mage en ns, q ue e ram seme l h ant es a uma serpente q ue pro d uz ira mais, fr,  circulo do vaso do men serpente do cie rc culo  ness a al tura, os girassois, com ima mage ns do icaro, é as mol duras do irada serpente  vaso az ia sc do omo ant es no tempo do lusitanea expresso, q ue por extensao da me re mete de n ova da primeira do canada, é n uma da ad da linha q ue aqui,  já ap ar e eu tam eb, a da dança, homem um da am la, lala, a se do x do duo, p o is circulo  omo, sabe, de sd e ess a al tura q ue da primeira  p en serpente  ava canadense, é me pre gun to ze n cao teresa ra s id dp to fo rte, primera me da ar dessa  , ess da primeria in for maçao,

tem chovido amada, já nem sei se ontem pela noite ou mesmo antes quando começou senti dentro de mim, mais uma vez que o casamento se consumara, como assim nas vezes o céu da o sinal e a notícia, estranhos casamentos estes sempre em espírito com o teu corpo ausente de mim, de minhas mãos de meus lábios

ten chu v id o am ad a, já ne maior ms s ei da se on te mp dela lan ano da noite,  o vaso do mesmo ant do espanhol qua n dó co meço es vaso  s en ti d en t rode mim, mais, fr,  uma vez , q ue o ca sam en o se c on s u mara, c omo as si mna s v e z es circulo do c eu dao sina al, é primeira  not da cia, est rato dos anhos ca sam sn t os est es sempre em es pi rito com do circulo do t eu corp circulo au use s en te de mim, de min homem  as das maos de me us l abi os, libios, aqui acrescenta o corrector a declinar em lábios, que estranho

eu pensando que a menina era canadense da bela terra, que hoje pela tarde via reflectida nas folhas vermelhas outonais do meu antigo quarto dos olivais, depois de almoçar, fumando uma cigarrete, depois de ver a besta do anes que ontem convocara pela palavra com ar de santinho, a dizer coisas abismais, como a responder aos links fechados deste Livro da Vida, como justificando que se tratava de questões de segurança mundial, no mínimo estranho para um ex policia sabujo, que hoje me parecia uma anjinho, ou assim trazia meus olhos ao ver como este povo abusado, continua a ser em sua larga maioria um coraçao de oiro, pois se dava conta de uma serie de iniciativas contra a fome e a miséria, as gentes tomando nas mãos o problema, e exigindo o que se tem de exigir , nomeadamente o acabar da burocracia que parece até obstar a ajuda, incrível  

eu pen s ando que da primeria  menina,  e ra c ana den seda da bela terra,br,  q ue homem  oje p dela , t arde da via ref for mula one le ct id dana serpente das folhas,  verme l h as o u tuna is do me vaso do antigo qua rt,  o dos oliva is, d ep o is de al mo cortes ar, fu man do uma cigar rete, d ep o is de vera primeira besta do anes , q ue on te maior c on vo cara p dela , a da pal av ra c om da ar de san tinho, a di ze rc oi s as abi sm mais, fr, c omo da primeira r es ponder a os l i nk s fechados , de este L iv ro da V i d a, c omo just rt ti fi can doque da se t art rta ava de q u est es de segur ança espanhola do mundial, no do mini imo est rato anho do para,  um , é x pol i cia do sabujo, q ue homem  oje da me par,  é ceia uma anjinho, mais um menino morto, o u ass si maior t ra zorro do ia me us o kapa home do os cao ove rato rc omo de este p ovo ab usa sado, c on tin ua primeira ser em s ua l arga maio ria,  um cora raçao deo iro, p o is se d ava conta de uma se rie de inc 11 it iva serpente  contra da primeira  fo me,  é primeira da mise ria, as genets tom ando nas mao serpente circulo do por rb l ema, e é x i gin indo do circulo  q ue se te md,  é e x i gi rato , no me ad dam am , mente, circulo  aca bar da b ur roca rato da cia q ue pa rece a té ob star da primeira da ajuda, inc rato da ive primeiro
 
esse video que passei no lusitanea expresso, de novo em tempo não muito ido aqui foi alvo de comentário e também aqui publiquei um outro, também um dueto com uma belíssima musica que me remeteu para o alentejo, para o convento de s paulo, para um estranho passe que senti no começo da relaçao com a teresa, de espionagem, pois no final a queda do homem, no ciclorama fora o que eu senti,  para a companhia do rui horta, irmão do miguel que também apareceu nestas  linhas recentes, relacionada com a rua dessa puta falsa psi e do pedro doirado, que neste entretanto me parece na realidade ter sido o príncipe da peça do natal do pestalozzi, 

esse vaso id deo q ue p ass ei ino lu sita ane nea do expresso, jornal, de n ovo em te mp o n cao mu it o id do circulo  aqui , fo do  oi alvo de co men tar do io , é  e eta do tam am tambem aqui , pub lic u ei de um outro, tam am tambem , um dueto,  com uma bel iss sima mu sica q ue da me reme t eu para do circulo do alentejo, para o do circulo do convento,  de serpente do paulo, para um est rato anho do p ass sec q ue s en ti no co meço espanhol  da do tribunal da relaçao com da primeira da teresa, de es pi on a ge maior,  para da primeira da com p anhi ad circulo do rui horta, ira da mao do miguel,  q ue eta tam am tambem ap ar é europeu nest as da ne do sat das linhas re cent es, rato dela , a do ac cio na ad a c oma   p + rim eira da rua dessa puta f al sa do psi, é dó do pedro doirado, q vaso ne de este en t r eta nt o me pa rece na rea lida dede teresa s id dp  pri c n ipe da p eça dona da nata do natal,  do pest alo z ze,

curiosa linha que encaixa na imagem anterior da peça de natal, do simbolismo que agora leio de crucificaçao, feita por uma bailarina de pontas, ou seja provavelemnte alguem do grupo do rui horta, que traz sempre muitas gentes estrangeiras em sua companhia

cu rio sa da linha q ue enca caixa na ima mage m an teresa rato do ior, a da p eça cade nata al, do si mb o lis mo q ue do agora lei circulo ode dec c ru cif ica caçao, feita,  por uma ba ila rina de pontas, o vaso do seja pro ova ave lem nt e al g ue md o g rupo do rui horta, q ue t rato do az sempre,  mu it as genets est range das iras em serpente da ua da com p anhi ip da primeira

estranho amada tori, esta carta que vos escrevo, vai saindo aos borbotoes, um bocado a imagem do seu primeiro video aqui publicado, com falta de sincronismo, e escrevo um pedaço e paro ou me deito, por um pedacinho sem mesmo dormir, escuto no espírito, algum que comenta que estamos apaixonados , sem mesmo saber a quem se referem em particular, e que assim passamos os dias a beijar-nos, ah que bom, ah que mau ouvir a alguém assim dizer, como sendo algum que nos quer usar para  outros prepositos, para isso se roubam os filhos também, nesta treta imensa de falsos pretextos de luta contra o terrorismo por parte da autoridades que na verdade são quem os alimenta em continua ferida dos direitos dos cidadãos e das cartas da liberdades cívicas e humanas


est rato do ano amada tori, é sta da pub, carat , q ue vaso do os es c rato  evo, vaso do ai serpente da aida, can tora,  a os bo rb bor o es, um bo cado da primeira rai ima mage md  s eu pri , é mr io v id deo do qui pub l ciado, com f al t ad e sin c ron is moe es cervo,  um ped aço es,  é p do aro, anel,  o vaso da me dei to, por um ped ac cinho se maior do mesmo, o da dor mir, es cu ton em  es pei it o, al gume da ue co men t a que est amos ap a é xo n ad os , se maior do mesmo , saber,  a q ue maior da se refe rem em p art rt tic cu do primero da ar, gama,  eq ue as si maior p ass amos os dias, psd,  a bei j ar traço dos inglesa nós, primeira do homem  q ue b om, a hp pm mem  q ue emau , o vaso ov  vaso da ira al g ue massi maior di ze rc omo s en do al gume q ue nós q ue rato  usa rp do para de outros , pre posi t os, para iss serpente circulo da se ro ub bam am os filhos tam am tambem, nest da primeira da treta imensa , sade f al s os pre tex t os de l u t a contra do circulo do te rr ori sm o por p arte da au tori ed ad es q ue na verd ad,  é sao quem os alimenta,  em on tin ua da ferida , a dos direitos, fac,  dos cida dao sedas das cartas da liber dad es c iv i cas é homem um das anas
 
como se nao fosse sempre o amor a salvaçao do mundo, como se nao fosse o amor o unico verdadeiro e eficaz antidoto de todas as violencias de todos os terrores e de todos os horrores, sao vermes, senhora quem assim dos amantes e da luz dos amantes, pretende deles usa-los como isco sobre as trevas que criam, pela ausência do  amor em seus coraçoes, que estupidos sao, assim nao sendo , que pena nao vos trazer ao perto e meu abraço

c omo da se n cao da fosse se mp reo amo mor da primeira  serpente alva da sao espanhola do mundo, c omo se n ao da fosse do circulo 101 do amo moro circulo do uni co verd ad e iro, é e f cia zorro do anti d oto de todas as viol en cia sd, é todos os terrores, é de todos os hor r o r es, sao vermes,  s en hora q ue maior as si md os amantes, é a da luz , dos am ant es, pre t en de del es usa traço ingles primeiro do os circulo do omo do isco s ob re as das t r eva serpente q ue c ria am iam , p dela , asu en x cado  amo rem se us cora raçoes es , q ue est u pido ser o ente da sao, as si maior  n cao s en doque pema n cao vaso do os t ar ze rato ps do cao do per to, é me us abr aço

olhei-a de novo antes de me deitar, me ficou de novo a sua imagem final, onde fala de mind, que me ressoa , a , és meu, como eu te amo, e onde sua face como que estremece de emoção , e de tristeza que neste pequeno sonho acordado, me fez ainda sentir doença, ah senhora que me afligis, como  então os borbotoes, fossem como golfadas de sangue que vos pompeio ou pompeio no próprio coraçao do amor como cura 

ole hi id do circulo do traço ingles da primeira de n ov ant es de me dei it da ar, me fi co vaso de n ovo da primeira serpente da ua ima mage maior  fina al, onda de fala, es,  de min do quadrado , q ue da me r esso primeira , a , é ser pen en ny te  me vaso circulo omo europeu da  teresa,  amo, é onda serpente da ua da face circulo  omo q ue est re mece cede emo sao es , é de t rato ps site za q ue nest , é pequeno s on ho acor dado, me de fez primeira  inda s en tir do ença, a hp pm mem   s en hora quadrado da ue da me primeira for mula one  ligi is c omo se en ato os borbotoes, fosse maior mc omo gol fadas de san g ue q ue vaso do os de pompeio, o vaso de pompeia no pro rop rio cora raçao es do amo rc omo da ac circulo do ur primeira

estremecer e estremecimentos, como o nome de seu álbum, pequenos tremores de terra, como o corpo faz em sua onda de prazer, ou grandes tremores, de terra, daqueles mortais ,a menina dentro de um outro cubo, como um cubo do ícaro e depois de um poema do fernando pessoa, eu sou do tamanho do que vejo

est re mecer, é est reme cimentos, c omo do no med es eu ab l bum pequenos t remo mor rato es de terra, c omo do circulo do corp , circulo f az em s ua onda de pr az ero vaso do g rand es t remo mor dos t rem mr espanhol, o da dor es, de terra, daqueles mo rta tais, a me nina d en t rode de um outro roc, o do cubo, c omo um cubo bodo ica aro, é d ep o is de um poe mad circulo da casa  fernando pessoa, eu s o vaso dó tam anho doque da ve do  vejo, br

penso ainda girassois, e me recordo de um texto antigo neste livro da vida que deles fala, de um outro que ali esta na varanda da espanhola agora morando na casa ao lado, a mãe dos gémeos que olham cada um para seu lado, para o passado e para o futuro na antiga versão do mito, ou ainda a capacidade de olhar os contrários, de certa forma a imagem da sua canção, da repetição de mind, como uma dupla mind, capaz de abarcar os opostos e quem sabe sublima-los  

p es no a inda g ira ss o ise da me recordo circulo,  de um tex t o ant ti g circulo do antigo,  nest el iv roda david a q ue del es do fala, de um outro q ue al i e sta na varanda , nome tambem de outra bailarina, da es pan da hola do agora mora n dona da casa cao lado, primeira mae dos ge meo serpente  q ue o l ham am c ad da a um para s eu lado, para do circulo do passado, louco, p ass sado, é para do circulo do futuro na ant tiga ver sao do mito, o ua inda da primeria  capa da cida dede o l home da ar os conta rio serpente , sd é ce rta da  forma da primeira  ima mage md a s ua can sao es, da r e pet do tiçao da mind, psi,  c omo uma da dupla min dc ap az de ab barca rato  os o post os sec ue maior,  sabe,  s ub lima traço ingles primeiro os

penso ainda girassois, e me recordo de um senhor americano e de sua filha, relacionado com energias verdes, e de uma noite em que uma pagina com eles os dois aqui me apareceu ao navegar, welsh, um nome de terras próximas onde a menina agora mora, ou assim a imagino, dois sorriso luminosos que desde essa noite em mim ficaram a morar

p en serpente do circulo  a inda dag g ira ss o is, e da me recordo circulo,  de um sn hor am mer cia ano , é de s ua da filha, é rato la , ac cio n ado com ene r gi as verdes, é de uma do ano da noite em q ue de uma pa gina com deles,  os dois aqui da me ap a receu cao na ave da vega rato do welsh, um no mede das terras por x ima serpente da onda dea da primeira menina agora damo da  mora, o u a ss ima imagino, do is sorriso, cayatte,  lu , vaso do pri mr circulo, o do mino ossos quadrado da ue da sd ,é essa do ano da noite em mim do fi da caram primeira maior do circulo, o do ar

no leito neste breve descanso, me dou conta ainda que seu nome, é próximo de uma das formaçoes politicas na gra bretanha, e me salta a memoria um dos mais estranhos eventos e milagres nestes ano da grande confusao, um predio que caiu pela noite , com um homem salvo erro desse partido lá dentro a quem nada aconteceu

no do leito nest é br eve d es can serpente circulo da med, circulo do vaso da conta  da primeira inda q ue serpente do eu no me, é por x imo mode,  uma das for maçoes pol it ticas na gra bretanha, é me sal cruz  a a me mor ia de um dos mais , fr, est ratos dos anhos eve en to ze mila gres, policia,  nest es ano da g rande c on fusa usa sao, um pre di o q ue ca eu p ela lan ano da noite , com um do home serpente alvo, é rr circulo  desse p art id o l á den cruz  roda da primeira rac ac quadrado da ue en ad da primeira aco em teceu, 24 horas

depois se ve um braço de ferro entre duas crianças, provavelmente na idade  de quando menina toca piano ainda sem anel,  e uns braços que se elevam para o céu, que agora ao ve-los me recorda das imagens de minhas mãos em alguns trabalho de imagem distintos, um dos quais acompanhado ao vivo por músicos num sarau de poesia em lamego, aqui narrado, onde uma bela inglesa, que de alguma forma consigo é parecida, tocou xilofone, estamos no inverno e a menina desenha uma cobra ou um antigo bastão de druida, que me remete para o grupo do miguel torga e para coimbra e para o barbudo que se diz poeta, onde estranhas flores, competem pelo sol, ou ainda de lutas entre meninos ou meninas por sol e pela lua, quando te decides, quando me vais amar tanto omo eu te amo, e depois uma sequência de estranhas imagens como um pré montagem, uns cabelos solares que parecem ervas ao vento de uma fria praia pela noite de lua gelada, que depois se transformam em labaredas, e a menina aparece com suas belas orelhas feita elfa, e mais estranho ainda toda esta linha se torna, quando as suas mãos ou as mãos do elfo do bardo, das ilhas do merlin, do antonio, que prefigura, retira como que roubando uma estranha taça de prata que mais parece ser de uma copa de futebol, terei que me perguntar mas de que tipo de futebol, sendo que esta taça foi hoje reflectida pelos bandidos do dn, na coluna da contra capa, numa aparente noticia de um jovem corredor de automóveis português que falava de uma, tão grande que não sabia se a deixariam passar na alfandega, quem diria da ironia, 

d ep o is da se da eve um do br aço de ferro,  en t red u as crianças, por v ave lem, mente , na id ad e  de qua n dó da me nina da toca do pi do ano,  a inda se manel,  é un serpente  br aços es qe da ue da se eel vam para do circulo doc eu, q ue do agora cao v e traço ingles primerio do os me reco corda da rda da serpente das imagens de minhas maos,  em al gun serpente cruz  ra bal do alho , de ima ge maior di ser pen ny delta e, ye,  dos tintos, um dos quais, fr,  aco cop anha ad o aco cao do vivo, musica,  por mu sic os nu prim ero rop do  sara vaso de posi , é primeira em la mego, a qui na rr ad o, onda de uma bela inglesa, q ue de al gum da primeira forma c on sig o,  é ap re cida, toco vaso do xi lo fo one, est am as no in ver noe, é primeira menina de sena homem de uma cobra vaso do com boio  ant ti gato circulo do ba serpente do tao de d rui da, q ue da me reme te do para do circulo do g rupo do miguel tor gato da primeira, é para de coimbra, é para do circulo do barbudo q ue da se di zorro zp  poe eta, onda est rn homem  as flor serpente, ze is, co mp pete mp elo do sol, o vaso da ia ge md,  é lutas entre me nino s o u me ninas por do jornal sol, é p ela da lua, q un dó te dec id es, qua n dó da me vaso doais am mar da ar t ant circulo do omo europeu,  teresa amo, é d ep o is uma sec q uen cia de est ratas anhas iam mg en ns c omo um da pre monta da tage, un serpente  cab elos solar es q ue par,  e é maior mer  das ervas cao do ove do vento,  de uma fr ia pr aia p dela lan ano da noite,  de l ua gel lada, q ue d ep o is da se trans forma maior em la ba red as, é primeira menima da ap ar do ee , com s ua serpentes de belas do orelhas,  feita,  elfa, é ema  mais est rato do anho da primeira inda toda desta, a da linha se torn  primeira, qua n dó ás s ua serpente das maos,  o vaso do as das maos do elfo do bardo, das ilhas do merlin, do antonio, q ue pre figo ur primeira , rato eti ira ra c omo qaudrado da ue ro ub bando de uma est rata da anha da t aça cade do prata,  q ue ema mais par ee , ser de uma cop pade de futebol, teresa rei q ue me per gn da tar ar ma sd deque t ipo pode de fute bi ol, s en doque e sta da t aça , fo oi homem do oje ref for mula one le c t id a p elos dos bandidos do dn, naco luna da contra capa, nu ma ap ren te not ti cia de um j ove maior cor red dor de au tom ove is portu gues q ue fal lava ava de uma, t cao g rande q ue  n cao sa bia da sea da primeira dei,  xa ria am p ass ar na al fan dega, q ue maior da di ria da iron do ia,

faz me isto lembrar uma morte na formula dois salvo erro na gra bretanha, com um carro em minhas cores que levou com um pneu de outro e o condutor morreu, mas me lembra também de alguma forma muitas outras neste domínio, o collins, e até o ayrton de sena, pois todas estas foram comentadas aqui, no livro da vida, a do collins no tempo das grandes cheias na gra Bretanha, quando abri as bobines de polegada, dos programas de produtoras inglesas que trabalharam para o belo channel four

f az da me disto,  lem br da ar de uma da morte tena for mula do is s alvo erron primeira da g r ab bretanha, com de um carro em min home às cor espanholas q ue l evo vaso com de um pn do eu deo de outro, é circulo do condu do tor mor reu, ma serpente da me lem br rat do tam am tambem de al gum a da forma de muitas outras nest e do mini o, o circulo doc co li do lins, ivan kapa lins,  é a té do circulo do a y rt ton de sena, p o is todas estas , do foram , pt, com en td as aqui, no l iv roda david a, ad do ado circulo do  collins no te mp o podas g rand es das cheias na gra bretaha, qa un dó ab rato é as bob ine sd e p ole gada, dos por g rama sd e por du ot ratas as inglesas leas q ue t r aba bal l haram para do circulo do b elo do circulo do principe do channel four, channel, perfume, cc, do grupo four, outra da ab  banda por vaso da  guesa

curiosa esta imagem da menina, e da taça que parece indicar um roubo, um roubo de uma taça ou de um vaso da vida, ou um cálice sagrado, ou ainda sagrado, que remete para o blog rosa leonor, e a tal imagem do quadro deitada nua num leito, como depois de abusada e morte

c ur iso sa desta ima mage md da primeira menina, e da t aça q ue par ee indica  car , um do roubo, um ro ub bode,  uma t aça o vaso  de um da ova do vaso da vida, o vaso  primeiro cali ice sa g rato do ado, o vaso  da a inda sa g rato circulo do ado, q ue reme te para do circulo do b lo gto da rosa da leonor, é primeira dd da t al ima ge md circulo do quadro,  de it ad ano  nua nu maior ml ei it circulo , circulo omo d ep o is de ab s u ad primeira,   é morte

sabe bela tori, de quem me veio a memoria, ao ver a imagem de elfo agora, o rapaz da gra bretanha, musico e promotor de iniciativas de solidariedade no mundo, que há uns anos por aqui passou numa estranha linha aqui comentada, e antes um outro sentido sobre a taça roubada, se aflorou, uma velha linha aqui também contada no momento da percepção, o tal festival da canção europeia e de um clip que eu fizera na altura para a cantora que representou o país, e de um outro rapaz por detrás da canção inglesa ou irlandesa, não me recordo agora ao ero de memoria, que ganhou, o tal festival, e um perfume cumulativo, que me diz, estivemos então perante um passe de boicote técnico, como por exemplo dessincronizar uma canção no clip

sado do ab da bed da primeira da bela tori, deque maior da dame eve do veio, primeira da me moira, cao vera primeira rai  ima mage md é elfo a gp circulo dora, circulo do rapaz dag ra bert n home da primeira, mu sic oe,  é por da motor., discoteca,  de i nic cia t iva sd e sol id ari ed dade no do mundo q ue h á un s ano spor aqui,  p ass o vaso nu ma est rata da anha da  linha aqui com en t ad a, é ant es de um outro rose serpente en  t id o s ob rea da primeira  t aça roubada, se a flor o vaso, uma ave da velha da linha aqui tam am tambem,  conta ad primeira do ano mo men t o da per cep sao es , circulo do t al f est iva l da can sao euro o pe ia, é de um c primeiro ip q ue , é eva vaso fi ze rana al tura para da primeira  cat da tora quadrado do vaso  r e pr s en to vaso do circulo do país, tvi, é de um de outro ra p az por det  rato as da can sao es inglesa o vaso da irlandesa, n cao me record circulo lobo  do agora cao do ero rode me mor ia, q ue gan home do circulo do vaso, o tal do ano do festival, ot da al fo rte do espanhol hp do iva do primeiro, é um do grupo do perfume , cristina coutinho, co mula t ivo, quadrado da ue da me di zoor, est ive os en tao pera nt, é um do p ass e sede do boi circulo da ot, é tec nico, circulo do omo do pr , é x e mp pri mr io do circulo dez de ss onda inc rn niza, ps spa,  rato de uma can sao do noc do irc uk lodo do dodo do primero ip

são as seis da manha, acabei de abri  jornal dos bandidos on line, e dou de conta com uma outra bela ruivinha que também é parecida com a senhora, a teresa caeiro do cds que me remete por afinidade de sangue a cesariny e a outros palacios, elsinor  

sao às das seis da manha, é is , a da manha, aca bei de ab biri, biri, biri, vide referencia aqui poema antigo, pequenos tremores,   jo rn al dos bandidos do dn on line, é dó vaso dec conta com uma outra bela da rui, maria rui, assessora do socrates do tempo do liceu d dinis, aqui entrada também,  da vinha quadrado da ue tam am também , é par rec da cida com da primeira s en hora, primeira da teresa caeiro, a do cds que me rem é te por a fini dade de san g ue primeira do cesar rin in ny , é primeira de outros pala ac cios, else sin nor, norte

ah senhora como eu voo na voz dele com a musica do rodrigo leão ao cantar esse poema, se o soubésseis

a himem da  s en hora c omo eu vaso da dp na voz, vas oz, radio,  dele c oma  rime ria mu sic ad circulo lodo  rodrigo leao, cao can tar desse cobra do  poe ema, seo s o ube esse do is

amadinha, sao as seis da manha, quase sete, e nao estas tu aqui a meu lado, ou se calhar ainda dormindo como um anjo em  nosso leito, e eu me deleito a ver-te sonhar, e velo por ti em teus sonhos, quando chegas

primeria homem  am mad ad da primeira, sao às das seis da dama da dam am , a da manha, q ua ase do sete, e n  cao e sta serpente  cruz vaso aqui, primeria  me vaso   lado, o use calha ar a inda dor min doc omo,  um anjo em nk n osso do leito,  é europeu da me del dele , ei t o ave rato traço inglesa te s on homem da ar, é velo por da ti em te us sonhos, qa un do os das chegas dos gás

a manha se levanta chuvosa, oiço no espirito nestas ultimas linhas que algum esta no cubo, uma jovem, nasce em mim preocupaçao, o cubo por cima da escola de campo de ourique, o que se reflecte no tal projecto do arquitecto luso americano que o propôs para  o espaço de outrora das torres, me pergunto o que lhe farão, pela janela é visível duas luzes, e uma espada figurada na janela de baixo, em frente ainda no redondel, a casa que também costuma estar aberta pela noite, trás desde ontem um luz como uma lua cheia, o bandido mor cavaco silva, também aparece no jornal do dn, nesta madrugada de terça feira trinta de Novembro, e fala de situações que se podem tornar explosivas,quem diria esta puta terroristas pois  ontem calhou aqui ter falado das laminas celtas, na rua dele, e de uma das linhas que aqui corre mais ou menos subterrânea que se prende ainda com os buns em londres, na verdade , a puta sabe bem, que será apanhada, na imagem dele, leio ainda um perfume a expo noventa e oito

am da manha da se l eva anta da chu vaso circulo do sa, oiço, es,  no es pei rt o nest as u l t ima serpentes das linhas q ue al gum e sta no do cubo, uma j ove maior, na sc , e  é maior  mim pre o cup aç sao es, circulo do cubo por c ima da es c ola de cam pode o urique, o q ue se ref for mula one le c te no t al por ject,  o do arquitecto luso am mer erc ano, cano do erc,  quadrado da ue dd do circulo do por rp pos p cruz x ara  es paço doutora das torres, me per gun t dp q ue l he f arao, p ela jane la , cruz é vaso isi vaso el duas das l uze es, é uma es pada figo ur ad dana ana jane la de ba, é xo, em fr en te a inda ano red don del, a c as q ue tam am tambem cos t uma es star ab verta e rta cruz  rato as de sd e on te maior,  um da luz c omo uma da lua che do ia, circulo do bandido mor cavaco silva, tam am tambem ap ar ee no do jornal do ps, o do dn, nest da primeria  mad riga gada de te rca fe ira t rina td em novembro, é f al de s it tua ço do es q ue da se pode maior torn da ar , é x p lo s iva s, ue maior da di ira,  esta puta,  te rr o ritas e p ise ontem aqui , teresa f al lado, a das la lam am das minas celtas, na rua dele, é de uma das linhas, q ue aqui core massi sio do circulo clo  men serpente c irc uk lodo s ub bt terra ane nea q ue se pr en de a inda com os buns em londres, na verd ad e ,primeira  puta sabe bem, q ue se rá ap anha ad ana ima ge maior dele, lei cirulo da  a inda,  um da cc,.  perfume, primeira da expo,  a ep circulo do noe vaso na te do teo circulo do it,

vide ref aqui, ano do redondel, é a da moite da mil cobras no céu

vide, castelo , ref a qui aqui , no ano do red don del, é ap da primeira do damo da m o it e da noite,  a do dam do  el das cobras no c europeu

cavaco e o grupo dela,  apanhado!!!!


querida tori, vai longa esta carta, melhor fora beijar ao perto seus lábios, mas a levo agora ao sul deste país na mão de terroristas que o matam, pois como aqui também narrei, lá a menina me apareceu, a duvida que trago é se a carne era a sua,eu lhe explico, a levo a salema, que é praia continua à da luz, terras desse bandido mor do cavaco silva, e de uma declinação que aqui ocorreu nesta palavra, de katie em kate, ou seja a outro perfume de morte u de abusos ou de dois, da pequena maddie, como ve , trás essa puta cavaco silva, razoes verdadeiras para andar a dizer que a situação está explosiva e depois ainda lhe dá jeito em vésperas de eleições para pela enesima vez repetir o papel de salvador, salvador do inferno, seu cabrão pedófilo e ladrão de crianças bandido fora da lei!!!!

 q ue rid id da primeira tori, vaso do ai l on gata ong da primeira ed desta ca rta, mel hor for a bei j ar cao per to se u es l ab os, masa l evo do agora cao do sul de este ste do país, tvi,  na mao de te rr o rato ori ista serpente do que do circulo do mat tam da am, p o is c omo aqui t am tambem na rata rr rei, l á am eni nina da me ap a receu, primeira d uv id a q ue t rago,  é sea da primeira da carne,  e ra da primeira  serpente da ua, europeu  l he é x p lic o, primeira da al evo da primeria da sal ema, q ue é pr ia c on tin ua à da luz, terras de esse cobra do bandido mor do cavaco silva, é de uma e c lina sao es q ue a qui oco rr reu nest a pal av rato da prime ria de katie em kat e, o vaso do seja da primeira de outro rop da cc, do perfume , demo da morte vaso de ab bus  o serpente circulo dop vaso dedo dois,  design, da pequena maddie, c omo v e , t ratos as dessa puta do cavaco silva, r az o puta do  es verd ad e iras para anda ar da primeria di ze rato ps q ue da prime ria  serpente do it da ua sao, é stá da explosiva, é d ep circulo da is isa primeira  inda primero dele , do quadrado do acento da primeria ac cn to,  á je it circulo em vaso da espanholas peras de dele, no dia da chapelada das eleiçoes que o elegeu,  e co es para p dela , eni sm primeira ave zorro re pet tir o pape l de salvador, s al v ad dd dao dor do inferno, s eu do cabrao pedo do circulo da  filo, mc,  é o ladrao de criançase do bandido for ad da primeria da lei!!!!

e depois a levarei ainda aos buns de londres

e começo por retornar em breve a  londres , a viagem de noventa e dois com a cristina coutinho, no seguimento das ferias na republica dominicana

é co meço es por re torn da ar em br eve primeira de  londres , a via ge md de noventa e dois, com da primeira da c rato si tina da aco do tinho, a da cristina coutinjho, , no se gui me en nt circulo, o das ferias na r e pub l cia do mini cana, o da republica dominincana

pois ainda esta madrugada de dia um de dezembro, ao encodar um video no mac g do quadrado de ny, o free space , me diz , o onze na gb em 92, esse mesmo ano

p o is  a inda e sta da m ad ru gada de dia um de dez em br o, cao enco n da ar,  um v id deo no mac gato  do quadrado de ny, o fr é ee spa ce , me di zo do onze na gb em 92, esse, cobra cobre, rem, desse  mesmo ano dessa estada em londres, es sat td da primeira em londres

analisei aqui neste livro da vida, o que vi através das imagens fotográficas dessa viagem, e uma delas de alguma forma se encaixa ainda na imagem da taça que mais parece de corridas de automóvel, que vem nesse seu estranho clip acima incrustado

ana kapa lise ei aqui nest é liv roda david primeira, circulo  q ue do vi at r av es do às ima mage ns foto tog raf ica serpente dessa viagem, é uma delas,  de al gum da primeira forma s en da caixa,  a inda na ima mage  md da priemria taça , t aça, q ue mais, fr,  pa da rece de cor r id dd às do au tom ove l, q ue v em ness es eu est rato do anho circulo do primero ip ac ima inc ru sta ad dc circulo

e numas tiradas numa casa de jogos três D, a que a cristina me levou, ou seja, com preposito, experimentei a que na altura era os novos jogos tridimensionais, e um deles, o rato virtual capa do sete, grupo do por jornal, era exactamente um carro de corridas, o outro , era um dos primeiros capacetes com luvas de imersão tri dimensional, como agora mais uma vez abordo nos processos que hoje se usam para os ambientes virtuais, para viajar no espaço e para fazer à distancia, por indução, isto é, sem o conhecimento necessariamente de de quem os jogo, como de alguma forma explica o minority report, ou para colocar isto no plano que todos os pais conhecem, nos jogos de guerra que reproduzem o iraque onde as crianças em grupo, cada uma em sua consola, ou terminais, ou eléctrodo, jogam o mesmo jogo de guerra

e n uma serpente da  t ira , às numa casa de jogos tres d, primeira q ue da primeria  cristina me leo vaso, o vaso do seja, com pre ps oito, é x per ie maior nt teia da primeria, q ue na al tura e ra os n ovos jo gato homem do os dos tridimensionais, é um deles, circulo do rato virtual, o da  capa do sete, gato do rupo do por do jornal, e ra e xa cat a em nt e,  um car rode dc dec cor r id as, do circulo do outro , e ra um dos prime rio serpente  capa cete serpente com do primeiro da mulher de durao,  uva sd e iemenita, ie mr sao do tri dimensiono da al, ccop de ensino dos bandidos,  c omo agra mais, fr,  uam vaso é zorro ab o r do nós pro c ess serpente do os q ue ho e j da se usa sam am do para do os dos ambientes virtuais, para via j ar n es paço, é para f az e r à di s tan cia, por indu ç ºcao, is to é,  s emo do conhecimento,  c on he cie mair maior iro  nt o ne essa saria am, mente, dede deque maior do os do jogo, c omo mode al guam da forma , é x p lic cao da primeria do mino rit y do report, o vaso do para c olo cd da ar st on c irc uk do primeiro do circulo  do plano,  pal no q ue todos os pais, tvi,  conhecem, nós dos sj dos jogos de g eu rr rac a q ue re pro d uz emo circulo do iraque onda dea ás das crianças em gato do rupo, c ada uma em s ua  c on serpenet sola da ola, ou te rina iso vaso  dele,  t rodo, jo gamo do mesmo, o do jo gode dag da  guerra

mais uma vez se confirma o uso das crianças em forma inconsciente para matar, como agora mais uma vez aconteceu, o que é crime perante as leis de qualquer estado de direito, e encaixa e explica o dizer dessa besta do anes, ex polica judiciaria, aqui comentada em telejornal do canal um antes de ontem,
e esta gente tem que ser parada e acusada , como estou farto de a todos dizer

mais, fr, uma v e zorro da  se confirma , circulo do suao, o  das crianças em forma inc on s cie en te do para mat da ar, circulo do cio do omo do agora mais , uma v e zorro aco one net teceu, o q ue é c rime pera nt e ás das leis deque  ual , quadrado ue rato do estado,  es sat td o, o do circulo  da fac de direito, é en caixa, é e x p lic cao di zorro x e rede dessa bes sat  da besta do anes,  é x pol ica judi cia raia, a qui com en t ad a em tele jornal , o do c ana l um ant es de on teresa maior, e é sta da gente te maior q ue ser, ad do jardim da  parada, é ac usa sada , c omo est o u f art o dea primeria de todos di ze rato ps

e esta imagem encaixa por sua vez, numa consciência que se formou em meu espírito, na altura que precedi a analise dessa imagens dessa estada em londres, de que fora uma espécie de concurso blind, para eventual saberem das minhas capacidades de orientação espacial e controlo motor em ambientes virtuais, ou assim o pensava até hoje, pois independentemente de assim ter também podido ser em sua base, a verdade , pelo que acaba acima de se desvelar no corte das palavras, é que foi uma passe e um passe feito por um onze, isto é, uma equipe organizada que terá portanto acompanhado essa mesma viagem com esse objectivo, sendo que algumas da ids, o ps , do do grupo do sete e outros já acima se desvelaram

e é sta da ima ge maior do men da en caixa , banco, por s ua v e zorro , numa da co ns cien cia q ue da se for mo vaso  em me vaso do es pei do rito na altura , embaixador do ps, quadrado do vaso  pre ce dia primeria da analise,  a dessa ima ge ns de ss a es sat td da primeira em londres, deque for da a uma,  es pe cie de c on circulo do urso do blind, para even t au lem nt e saber, ema,  das min homem às capa cida dade es de o rie en taçao da espacial, editora,  é circulo em t rolo da motor, eidtora,  em am bien t es vi rt tui as, o u as simo pen serpente da ava a té home do oje, p o is independente, portas,  mente,  de as si maior da teresa tam am tambem pod dido ser em serpente da ua da base, a ver dade , p elo q ue aca ba ac ima de se d es vela rn co rte das pal av rato as, é q ue fo do  oi , uma do passe,  ps sa ee , um do passe,  feito,  por prim ero do onze, is to é, uma eq vaso do ipe o r g ani niza ad a q ue teresa ra porta nt circulo do co mp pn a hd dao cao,  essa mesma da viagem com dd do circulo do cobra  ob ject ivo, s en doque al gum as da ids, circulo do ps , o do do g rupo do sete,  e de outros sj ja ac en t o da primeira ac ima da se de es vela lara ram

nessa viagem estava também o jorge rodrigues da rtp, na altura da direcção do eduardo moniz, hoje da tvi, e sua esposa, a ana do carmo, e também o patrão da cristina coutinho com que jantamos da mc caan , agência de pub, que como sabemos estão profundamente envolvidos em diversos cios como provado à exaustão, e ainda nesse viagem conheci o tal produtor inglês, ali ao pé do tal jardim que em dia recente mencionei, que trabalhava em três D, e que depois me trouxe os pratos ingleses que eu compara na feira, quando veio logo de seguida a lisboa, esse rapaz trabalhava para os árabes, ou seja a relaçao com a morte de diana , certamente por ali passará 

ness primeria da via ge maior do est ava tam am tambem do circulo do jorge rodrtigues da rtp, na ak primeiro da tura da direçao do edu r ad circulo do moniz, hoje da tvi, é serpente da ua do  es pao da sa, da primeria da ana do carmo, e eta tam am tambem do circulo do patrao da cristina coutinho,  com q ue j anta amos da mc caan , a gen da cia de pub, q ue c omo sabe emo,  serpente  est cao pro funda dam am , mente,  en vol v id os em diver s os cios c omo por vaso dao ado da primeria ,  é xa us tao, é a inda ness e via ge mc one home do si do cio t al por du ot ingles, al i cao pedo do t al jardim, bcp,  q ue em dia re cente men cio nei, q ue t raba bal al alha ava em t ratos  es sd,  quadrado da sonia,  eq ue depois da me t ro ux e os pr atos ingleses,  q ue e vaso com do para na feira, qua n dó do veio lo gode da se guida da primeira de lis boa, ess e r ap az t ar rb bal homem  ava para os r abe es, o vaso do seja da ad ,  a primeira do tribunal da relaçao com da primeira dama da morte de diana , ce rta em nt e por ali p as sará ac en t o

e se desvelou também nesta parte do texto a relaçao entre dc e o tal que estava na republica dominicana, sendo que os últimos que aqui apareceram forma os tais comentados no video com obama, nas escadarias do capitólio, com bush a fazer a sombra da visão, ou nos olhos

e se d es velo lou tam am também nest primeira da ap puat da arte,  do tex t o da primeira do tribunal da  relaçao en t rede dc , é circulo do tal q ue est ava na re pub lic a do mini circulo da ana,  s en doque os dos ul t imo serpente  q ue aqui,  ap a rece ram da forma os tais, br,  com en t ad os no v id deo com deo de obama, nas esca da ria sd do circulo 101 c apit do circulo do onze do lio, com de bush, primeira f az ze,  é ra da s om br ad dd da primeria do grupo visao,  o vaso dos nós em meus  olhos

que vermes sois, !!!! sosi,grupo balsemao, bal se da ema dama da mao

a levo entao a um deste veroes em salema, como aqui na altura de seu acontecer o narrei, creio que já a maddie tinha desaparecido, pois me lembro de ler sinais sobre esse desaparecimento, nomeadamente, um enorme tubarao que se desenhou no ceu pelas bandas da praia onde ela aparentemente desapareceu, que abocanhava algo pequeno que sugeria a menina, e ainda de ter escutado pelo espírito coisas relativas a uma clinica salvo erro de lagos, e muitas outras imagens aqui detalhadas 

a l do evo en tao da a um de este ver rato circulo do espanhol em salema, c omo a qui na al tura de serpente dp do eu ac on tec ero na rata rr rei, circulo do rei doque já da primeria da maddie tinha,  de spa rec id o, p o is da me lem br o de da ler sin a do is s obr re , esse de sapa par rec ie maiot tn circulo, no me ad ae maior do nt e, um en o rato do me t vaso de barao, tambem local, proximo,  q ue da se d es en ho un nó c eu p delas b ada s da pr aia onda dela , ap a rene te maior nt e de sapa re eu, q ue ab o can h ava al g o pequeno q ue s u geri primeria   aa da menina, é a inda de teresa e cu t ad o p elo es pei rt io co isa rato dela t iva sa da primeira de uma da c lini ca,  s alvo e rr rode de lagos,  é mu it as ode utras iam mg ge ns aqui de eta ak la hd às

pois uma noite nesse verão a menina tori amos me apareceu no pc, ao navegar, fui parar a uma usa pagina ou parente sua pagina com um álbum onde a menina se divide e representa salvo erro cinco lados femininos de si mesma, e por ali me estive a entreter, e a aprender, pois como aqui contei, vela lá menina como o amor sempre é o motor do aprender, pois em uma das suas canções, dizia , i m a milf, e eu que já tinha encontrado por diversas vezes essa palavra por exemplo nos sítios das passarinhas, e dos passarinhos, não sabia o seu significado exacto e assim o fui ver, e aprender, e agora sei o que é uma milf, uma mulher que já é mãe, eu pensava que teria mais a ver com leitinhos, mas na verdade tantos as mães com as que ainda não o são, trazem sempre leitinhos embora em formas distintas ao longo dos dias, 

p do circulo deo is , uma do ano da noite, 2005,  ness eve da verao, primeira menina tori amos da me ap ar quadrado, é cu no do pc, cao navega rata, fu ip do par da ar da a uma da usa pa gina,  o vaso do parente, nbp, produtora,  serpente da ua da pa da gina com de um do al bum , onda dea da primeira menina da se di de vide, é r ep pr rese sena cruz serpente alvo e rr circulo dos c inc o lados fe meninos de si da dame da mesma, é por ali, super mer cado cao do caa, da me est ive da primeira en t rata da etar, é primeira ap ren der, p o is c omo aqui cone do circulo  one ei, da vela l á menina c omo do circulo do amo mor , sempre é circulo do domo tor , do a p ren der, p o is em uma das cu as das can ço es, di zorro do ia , ima mi l f, é europeu  q ue da já tinha , en c on t rato do ado por diver s as v e ze es , essa pal av ra por é x e mp lo nós si it os das p ass sarin rinhas, é dos p as sarin h os, n cao sa da bia do circulo do s eu si gn if , cc, ica do cado e xa circulo do ato , é as simo fu ive rato ps, e ap ren da der, é agora serpente do ei , circulo doque,  é uma mi primero do fo rte , uma mul her q ue já é ma e, eu p en s ava q ue teresa ria massi ave rc om lei tinhos, ma serpente  na verd ad e t ant os as maes,  com as q ue a inda n cao o dc cic culo da sao, t r az ze maior  sempre lei tin j do home do os em bora em forma sd di serpente das tintas cao l on god os do dias, psd

mais estranho a coisa se tornou pois em dia seguida no restaurante onde costumam almoçar meus pais, ali estava uma rapariga que mimava uma das suas personagens, aquela onde a menina aparece assim com uma cabeleira negra com franjinha cortada em forma horizontal, a rapariga se sentara numa mesa com um homem mais baixo de pança e trazia um bebe numa cadeirinha, eu os olhava e ia alucinando baixinho, mas é ela ou é uma sósia que aqui puseram, pois como nao a conheço ao vivo nem a sei distinguir pela sua altura, ou seja e em  suma, se nao era a menina que ali esteve , era certamente um passe, e tenho entao que concluir que também o aparecimento dessa pagina na minha navegaçao tera sido induzido de alguma forma

mais est rato do anho da primeira do aco co isa da se torno vaso da p circulo do is em dia se guida ano r es taura nt e da onda cos , t um am al mo cortez  ar me us do pais, tvi,  ali, super mer cado,  est av uma rapariga q ue mim ava de uma da serpentes ted  usa persona ge ns, aquela da onda dea da primeira menina ap pr da rece as si mc om uma cab dele, da  ira meg ra c om da franjinha cortada, provavelmente sinonimo de matada,  em forma homem  ori do zo pn da cruz da  al, primeira rapariga da se serpente da en tara nu m ad da primeira da mesa, madrid,  com um homem mais, fr,  ba e xo de pn aça e t ra zorro do ima,  um bebe numa cade iri rinha europeu do os circulo do primeiro homem do vaso da primeria do sol, é ia al luc ina n do ba ix in h o, ma sé dela,  o vaso,   é uma sósia,  q ue a qui p use ram, p o is c omo n cao da primeira c on he  co espanhol cao do canal, vivo , ne maior da serpente do ei di s tin gui rp puta dela,  serpente da ua da al tura, o vaso do seja , é serpente uma, se na cao e ra da primeira menina q ue ali , super mer cado do es da teve , e ra cera rate maior nt, é um do passe, é ten ho en tao q ue c on c lui rato q ue tam be circulo  cir ru vaso do pri mr io do circulo, o do par rec ie maior do nt circulo  dessa pa gina da ana da min do home da primeira da navegação,  a navega são espanho da al da teresa ra serpente  id circulo do  indo vaso  zorro,  id dea al do gato da ua da forma


na verdade tendo falado acima no video a propósito de sonias, me recorde de ter também lá passado em verão anterior salvo ero, um outra sonia, de cabelos negros, uma modelo creio que também relacionada com a tvi

ne do vasp rea ad e t en do f al lado ac ima no v id deo da primeira por rp ps ot io, circulo do portu ari , circulo  de portimao, o  do porto ilho, por do tin do home da hola, da  nide sonias, me record,  é de teresa l tam am também lá do p as sado louco,  em vera circulo do ante rato do iro serpente do alvo ero, um da outra sonia, de cab elo serpente dos  negros, uma mode elo quadrado circulo do rei do circulo  q ue é eta tam am também rato dela , a do ac cio n ad a com da primeira da tvi, manuela moda ova vaso do delta da ra da ad da dag da guedes, o do portimonense, provavelmente o da sessão fotográfica antiga no algarve, o norton de matos


me recordo ainda nesse verão como aqui narrei, de uma imagem que de novo apareceu, a dos derrames, pois nesse verão uma aparente maré cheia, me deu uma leitura com uma garrafa de coca cola e de outro elementos que aqui constam neste livro da vida, que depois em tempo recente deu o derrame na Califórnia, e que ainda agora de novo se manifestou em relaçao a bolada nos lábios de obama, ou seja desde a imagem da visita à china e da reacção química na cabeça dele, como a capa do dn, o do jornal do bandidos, mostrava em dia recente aqui comentada

me record circulo  da  inda ness eve do vera circulo,   c omo aqui na rata rr rei, de uma ima ge maior q ue de n ovo ap a receu, a dos der r am es, p o is ness eve do verao,  uma ap a rente da mare che ia, mede eu de uma lei it tura com uma garra f ad dc coca da ola, é de outro dele, lem nt ts do soc q ue aqui co ns do tam nest el i v ro da v i d a, q ue d ep o is em te mp o re en te de eu circulo do der ram en a cali for ni a, eq da ue a inda do agora de en ovo da se man if est vaso  em relaçao, primeira da bolada nos labios de obama, o vaso do seja de sd dea d primeira raim ima mage md a vaso do ista da primeira da china, é da rea ac sao es quim ica ana cab beça dele, c omo da primeira da ca pado do dn, circulo do sj on ar l do bandido, m ostrava em dia re en te aqui com en t ad a

isto para alem de outros mimos nesse verão, onde me provocara uma enorme dor de dentes, 

iso to para al lem md e outros do mimo, tmn,  serpente ness eve da vera c irc uk lo, onda da me por vaso do circulo da revista cara,  uma en o rato me da dor de dentes



 
continua...

Sem comentários: