sexta-feira, novembro 05, 2010

sobre elfos, creio que era madrugada, o dia a nascer talvez no fim de semana passado, tinha chovido, estava no jardim dos quatro cantos do mundo, chegava um barquinho daqueles pequeninos, com centro comercial certamente baixo, e anti aéreas na chaminé da ré, assim em preto e branco com sol e raios a volta, ali estava a ve-lo atracar, coisa boa de se fazer em todas as aguas, depois fui comprar cigarretes, na calçada do livramento, o mercedes prata carrinha estava de novo com a janela do condutor aberta, e na ilharga forrada a pele, uma folha de elfo ali poisara, ou alguém ali a pusera

depois quando peguei o carro da minha mãe, o fiat do verde ovo, nos olivais, uma outra folha de elfo ali estava na porta exterior, essa certamente colocada pois ali onde estava não existem árvores, ou então um vento com muita pontaria a teria soprado, hehehe, no dia seguinte olhei o carro, e vi que tinha um risco na porta novo, telefonei a meu pai, a lhe dizer do facto, ele me disse que já sabia , que o carro está muito velhinho, na verdade as molas chiam muito, mas como sabemos os buracos nestas estradas são muitos também

me fiquei a lembrar das belas elfas, que com uma senhora comigo se cruzaram em dia recente ali ao pé do guedes como te  contei, uma delas trazia um bela sorriso, a outra tipo fauno parecera me depois como filha de pianista

Sem comentários: