quarta-feira, novembro 24, 2010

sobre mais esta matança de trezentos jovens e das outras ressonancias de diamante, e outros crimes

como haveis reparado no corte da palavras do post anterior, de novo aparece otam, que vem desde longa data, desde as imagens do meco, de santana do martelo de Sesimbra, até as mais recentes,ou seja, parece começar a se entender o que se passou em verdade na cimeira de lisboa, ou nas camas de alguns nesses dias


c omo homem ave do is rato ps epa par ad on circulo do corte, co rte, da pal av rato ps as do post, jo rn al, ante rato iro, de n ov, italia, ap a rece otam, q ue vaso é maior de sd e l on gt gata dd da data,empresa, de sd e às ima ge ns do meco, de santana, lopes, do mar é cruz dez, de se s ei mb ra, a té às mais re cent es,o u seja, pa rece com, é ar primeira da ase da se ene ten der ero q ue se passou, em verd ad ed dn a cime da ira de lis boa, o un às das camas de al gun s ness es do dias, psd

a primeira ressonância e portanto na aparência ou propositadamente pelos bandidos do dn, com diamante estava na pagina anterior da noticia relativa a esta matança, da edição do jornal de ontem, no que parece também ser uma cobertura, uma semelhante a outras recentes também na america latina, mais um conjunto de mineiros, underground, presos dentro de uma mina desta vez na nova Zelândia, o texto dizia às paginas tantas que tinha posto um diamante numa broca de forma a tentarem abrir um buraco, mas diamantes são costumeiros na brocas de perfuração como todos sabem, bem como em colares de belas e anéis diversos e ainda nas historias de dentistas e de dentadura das bestas, assunto sobre o qual tenho estado de novo a escrever

a prime ira rato ps esso anc ia, é porta nt circulo na ap re cn ia o vaso pre posi t ad dame am que mente p elos dos bandidos do dn, com di ama nt e est ava na pa gina ante rato do ior, o do ano not ti da cia rato dela , t iva primeira desta matança, a da ed di sao do jornal de ontem, no q ue pa rece tam am tambem ser uma co be rato rt da tura, uma seme l homem ante da primeira de outras re en t es tam be mna am erica la t ina, massi um c on jun to de mine iro serpentes un der g ru on quadrado da dp, presos d en t rode de uma da mina de sta ave zorro na nova, fac, ze lan do dia, o tex t o di zorro do ia às pa ginas cruz das antas q ue da tinha post o um di ame ,mente, nu ma br roca de forma, a ten t rato ps ar rem ab r e rato um b ur aco, ma serpente di ama nt es da sao do cos, t um me das iras na br rocas de per rf fur da raçao c omo todos, sabem, be mc omo em colares, sintra, de belas, lugar, é ane do acento do is do diver serpente do circulo da se a inda na serpente das hi s tori as de dentistas, é de den t ad ur as das bestas, as s un to s ob reo quadrado da ual en homem do circulo do estado , de n ovo da primeira es circulo do reve rato ps

os últimos apontamentos escritos à data sobre esta matéria, dizem em suma três coisas, que os dentistas são processo de morte e de doença, como o caso descrito na clínica da rua cidade de bolama, onde fui arranjar os dentes e os aparelhos tinham sangue, ou seja, provavelmente alguém do tempo do liceu e das contas desse tempo, pois não sei de quem é essa clínica

o s ul t imo s ap on a te m aior nt top ps à dat s ob re e sta mate ria, di ze maior em s uma t ratas es co isa serpentes , q ue os den t ista s sao por c esso de morte rte, é de do ença, c omo do circulo do caso d es c rito na c lini c ad da primeira da rua cida ed de bo l ma, onda fu oi vaso ar ran j ar os dentes, é os aparelhos tinha ham am sangue, o vaso do seja, por v ave lem nt e al g ue md o te m pod o liceu, é das contas desse tempo, p o is n cao se is de que mé dessa clínica

me recordo da marilia pimentel também ter ficado magoada num braço ao fazer uma analise de sangue lá, me lembro disto, pois pelo menos entendi ser uma acto de bruteza, mas parece que mais se desvela, como os aparelhos dos dentes, também, como se desvelou no passado


me record circulo dama do mar eli a do pi men tel t am também teresa rf fi cado mago ad a nu maior br aço cao f az e ratyo de uma ana lise de sangue l á, me lem br o di st o, p o is p elo men os en t en di ser uma ct o de br ue t za, ma serpente pa rece q ue ema mais.fr, se d es vaso dela, c omo os ap ar el h os dos d en t es, tam am tambem, cp pm circulo da se d es velou no p ass sado, o louco

e o seu marido, a antonio pimentel que de repente teve uma doença de pulmões, como agora me aconteceu a mim, ou seja prova isto estar-mos na presença de um mesmo método de provocar essa doença e provavelmente na presença então do mesmo grupo

é circulo da puta, s eu mar id o, a o anton io do pimentel q ue de r ep en te da teve, uma do ença de pul moe es, c omo da agora da me ac on tec eu primeira mim, ova vaso do seja pro da ova disto, es star traço inglesa lea mo serpente na pre s ença, de um mesmo, o do metodo de por vaso circulo do car dessa doença, é por v ave lem nt e n a pr es ença en tao do me sm o gato rupo


o segundo é a cila mulher do pedro do imo que escreve no jornal dos bandidos, irmão da joana de quem aqui narrei em tempo não muito ido um encontro no chiado no dia do jogo do futebol do Brasil e de um espectáculo de dança moçambicana

circulo do segundo, é primeira da cila , circulo da ilha, mule her do pedro do imo q ue es c reve no do jornal dos bandidos, ira mao da joana deque maqui na rata ar rei em te mp on cao mu it o id o, um en c on t ro no do chiado no dia do jo godo futebol do bar sile de um es pec rta culo de dn aça mo cam bic ana

e a terceira e o tal passe também narrado do aparelhos da teresa nos dentistas de cascais no sitio onde esta pela arquitectura definida, uma dentadura

é a terceira, é circulo do tal p as s e t a m eb em na rr ad o do ap ar el h os da teresa nós dentistas de cascais, no siti circulo da onda desta, p ela da arquitectura, d efe nid id da primeira, uma den t ad ur a

antes de chegar a casa de meus pais e ver esse mesmo jornal, tinha acabado de ver eu uma broca, ou melhor um conjunto de outras brocas numa miríade de outras coisas, enquanto me entrelinha a passar o que não existe, sobretudo quando tu ainda não chegaste

ant es de chega da ar , primeira aca serpente de me us pais, tvi, eve rata desse mesmo do jornal, tinha aca bad ad circulo de eve reu eu, uma br roca, o p vaso do ml é hor primeiro c on jn to de outras br rocas nu ma miri iade deo de outras co isa serpentes, en qua ua nt o me en t rt tinha primeira p ass da ar aro q ue en cao é xis te sobretudo, qua n do t vaso ua da primeira inda n cao chega gás ste

meus pais tinham ido a um velório de mais uma vizinha da rua que morrera, hoje a meditar em teus beijos, me dizia está aqui um padrão, pois são duas mortes na mesma fiada dos prédios, e uma serie de gente crescida com problemas de saúde, alguns deles aconteceram de repente, ou seja, na minha consciência, se figurou que por ali existe um assassino que anda a os matar

mes vaso api serpente tinha do ham da am , mm, id circulo da primeira da a um, velo da ria de ema mais, uma vi z in h ad da primeira da rua q ue mor re ra, ho je a med it ar em te us bei j os, me di zorro do ia é stá aqui um do padrao, p o is sao du as de duas mortes , na me sm a fia ad dado s pre dido se, uma se ie de g en te c rata es cida com pro ob l ema serpente de saude, vera, ps, al gun serpente del es ac on tec e ram de r e pen teo vaso do seja, na min home da primeira co nsc ien cia, se figo ur o vaso q ue por ali, e x onda do site, um assassino que anda da primeira os mat da ar

as brocas as vira ao entrar na loja onde em meus tempo de púbere havia um supermercado de onde eu um dia vinha quando me deram com a tal seta no meio da cabeça e que desde há longo tempo é uma loja chinesa, ali atrás fora, ontem, para ver o que o espírito me dizia relativo a escola em relação à imagem de beslan, pois o assunto anda ainda a bailar me minha cabeça, e foi nessa escola que umas noites como aqui narrei, vira imagens relacionadas com essa matança

as das br rocas , as vaso da ira cao en t rato da ar na loja onda em me us te mp pode p uber e homem avia de um do super mer cado de onda eu, um dia vinha qa un dó me der am com da primeira da t al s eta no me io da ca beça, é eq ue de sd e home á l on go te mp o, é uma da loja chi neza, ali at rato as for a, on te maior, para vaso do ero q ue o es pi rit md~da me di zorro do ia rato dela , t ivo primeira da escola em relaçao, à ima ge mde bes lan, p o iso as sun to anda a inda a ba ila ar me mina home ca beça, é fo i ne nessa es c ola q ue uma serpente noite e ws c omo aqui na rata ar rei, vaso da ira rai ima ge ns rato dela , do ac cio n ada s com dessa da matança

continua...

Sem comentários: