quarta-feira, novembro 03, 2010

vrum vrum, é mesmo coisa que já não se pode fazer nesta cidade sobretudo aos dias de semana e nos finais da tarde ou princípios da manha, é por isso que gosto de raparigas que andam de smart, é um acto inteligente e são também ovinhos muito belos e femininos, se bem que a angela markel ainda não tenha dito à daimler para os por a funcionar por energia solar, se calhar por isso recebeu umas estranhas rosas

no outro dia, quando meu pai me emprestara o carro da minha mãe, fui levar o pc a arranjar, e apanhei o final da tarde tendo ido a três centros comerciais onde não entrava a mil anos, eu me dizia , mas o que estou eu a fazer de carro, neste para arranca no meio de estes loucos todos, nesta loucura total, isto não tem jeito nenhum, andava à procura de uma placa fire wire, que é um protocolo muito rápido, também chamado de mil novecentos e noventa e quatro ou por aí, que se usa para o video, e nos três que entrei não tinham uma plaquinha destas, estas a ver amada, este país não existe mesmo, naquele da serra circular, qualquer coisa media, me diziam os anúncios, sente o design, eu a alucinar, mas como se pode sentir o design de alguma coisa que seja, se cada uma das mil pecinhas que aqui esta é design, estão loucos, os rapazes,  

depois fui ao colombo, incrível sensação, aquilo tem uma rua principal,  pric n ip al,  que parece mesmo uma rua coberta, e te digo que parecia que as gentes tinham lá ido como para passear numa rua , eu alucinava em dobro e me dizia que coisa estranha, que doença é esta onde  as gentes vão para um cc como se estivessem a passear pela cidade, fire wire, também não vi,  vi uma rapariga a sair do café onde costumava tomar café, como se tivesse fire nas perinhas que me pareceu muito bela, e um globo gigante que rodava sobre uma fonte de agua

como vês o melhor vrum vrum agora e sempre, é assim os dois no leito, eu meto a manete e depois voamos pelo nosso espaço sideral infinito, sem stress nenhum, bem pelo contrario, como agora em meio, assim me deitei um bocadinho contigo, pois estava cansado e  cheio de ponta

um bom dia para andar de carro na cidade, é segunda feira depois do jantar, pois os vrum vrum aceleraram pelo fim de semana, trazem só motores cansados e começam a semana,  se mna , de trabalho, t r ab la ho,  nessas belíssimas condições, e então, en ato, aproveitei,  a por v e it ei, jantei cedo e como tenho aqui o carro, me disse vou tomar um café assim por aí

com o pé muito leve no acelerador, aproveitando todas as descidas em neutro, assim fui deslizando pela cidade mais ou menos deserta pois para alem de tudo o grosso das gentes estava a jantar telenovelas jornalísticas, parei no mna, para ver o tal novo avançado que vira do cais,  com o filete de neon, que se chama gato e trás um desenhado em preto, como a marca dos tais canelados de mesa que outrora vieram da loja que junta os dos dois nomes num só, gato preto, mas aquilo estava fechado e quando dei por mim, já ia na ribeira das naus ao pé da casa dos bicos, onde inverti e acabei por parar no solar do cadete, que aqui é também nome de jogador de futebol

Sem comentários: