quarta-feira, maio 19, 2010

sabe bela eguazinha, geralmente não há duas sem tres, nas vezes mais, o melhor mesmo é sempre estar assim no doce truca truca com nossa amada, isto para lhe dizer, que depois da segunda escrita, saí para rua até ao jardim, belo o final do dia quente como verao, ontem tinha posto elis regina a tocar por un instante e hoje dei que o rapaz barbudo, que anda por cá, deveriam estar ali, todos a jantar pois a fila dos carros antigos, visivelmente sem nenhum genero de manutençao, pela crise, pois a crise, eram mais dos que as maes, curioso, é o rapaz não deixar de ter razao no que diz, mas palavras e palavras sao muito belas, especialmente de sussura-las molhadas junto ao ouvido de nossa amada, assim com doces trinquinhas de permeio, e oh e ahs, muitos, e sabe quando ali ia a passou pro mim um carrinho tipo cm um leao prata e negro, belas cores, sem duvida, que me disse que o da marca que me fizeram em noventa enove, é o segundo sete, acabara de o ver numa foto do jornal dos bandidos com um enquadramento onde a maquina mostrava o ponto vermelho, ao enquadrar uma das bestinhas da pt, assim lhe agradeço o amor, se é amor, pois maquinam, me apareceu agora aqui, e de facto trazem os ingredientes um certo e visivel grau de preparaçao, que isso mesmo desvela, ah lula, se tivesse bracinhos assim com a bela gisele, e olhos e tudo o resto, até lhe daria beijinhos, mas me diga, sabera o operario em construçao que se da com bandidos pedofilos de aqui que roubam filhos, como é o meu cso e do meu filho, como faze-lo, se souber me diga e diga a todos, pois uma das partes do problema e que os politicos já demostraram que nem o sabem, se quiser tomar um café ca em casa, eu lhe explico e bela eguazinha, ouvi tambem eu ontem fere, me dizia, fed, fed desde os pes a cabeça com uma semente anarca, bela e compreensivel e agradavel mistura, sem duvida, relinchos mil


s ab e bela e g u a z in h a, ge r al , o que mente, n cão h á du as se maior das tres, nas v e ze es mais, o mel hor me sm o é se mp re es t ra as si m no doc e truca t ru ca co m ni os sa am ad dam am, is to para l he di ze rato ps onda q ue d ep o is da se gun da es c rita, as íp ara rua a té cao jardim, b elo o fina l do dia quente como verao, on te m in h a ps oto el is da regina a toc ar por un u is n t ante e h oje d ei q ue o br ab ur do anda por cá, d eve ria am est ra a l i, todos a j antar p o isa f ila dos carros antigos, v isi v dele lem n te se maior mne n en h um g ene ero de manu ten sao es, p dela, a da crise, p o isa primeira c rise, e ram mais do s q ue às maes es, c ur iso, é o ra p az n cão de ix ar de teresa r aza on o q ue di zorro, mas pala ra se p al av ra s sao mu it o belas, es pe c ila lam am que mente, de s us s ra do traço ingles l as mol h ad as j h un to cao o uv id de no s sa am ad a, as si mc om doc es t rin q un unhas de per mei oe o he a h s, mut io s,e sb ba e qua ando ali ia da primeira p ass o u pro mim, um car rinho t ipoc o p u com um leao p art rta e n e g ro, belas cor es, se maior d uv id a, q ue me di ss e q ue o da m a rca q ue me fi z xe ram em noventa e en ove, é o segundo sete, aca bar ade deo ove rn uma f oto do jornal dos bandidos com um en au q d ra sn teo onda dea primeira ma q uina am mos t r ava o ponto ove vermelho, ao en au q d rato da ar de uma das bestinhas da pt, as si ml he a g r ad deço es o am o rato, se é am o r, p o is maqui ina am, me ap ar e c eu agora a qui, é de f acto t ra s o s in g red ien t es , um g r au de pre epa para da raçao, q ue iss do mesmo, d es vela, a h l u la, se t iv esse br ac cin h os as si mc om a bela gisele, é olhos e tudo o resto, a té l he da ria bei jinhos, ma s me dig a, sabera, o opera rio em co sn t ru sao es q ue da se da com dos bandidos pedofilos de aqui, os que ro ub am fil ho s, c omo é o me u c s oe do me u fil ho, c omo f az ze do traço ingels lo, se s o uber me dig a e dig a a todos, p o is uma das p art es do pro b l ema é q ue os pol it ticos j á demo s t r ato a rm q ue ne emo, sabem, se q u iser ser tomar, um ca fé ca em cas, eu l he, é x p lic ico e b dela, da eguazinha, o uv i t am tambem europpeu on te maior f ee reme di z ia, fed, fed de sd e os p es a cab beça, port y o, com uma se mente ana rca, b dela e co mp re en s iv el e a g r ad av el mi s tura, se maior d uv id a,

a prova


Sabe rapaz que trata dos cavalos e das eguas, e bela eguinha, depois de lhe relinchar ontem de amor, a porva se fez, em suma com um verso dos ontem publicados, que tem a ver com um mentira, e um crescente, um crescente deitado, pois a posiçao em que vejo é contraria, como um esgar,


S ab e ra p az q ue t rata dos c ava o lop do ps e sedas das eguas, eb da bela e gui n home da primeira, d ep o is del primerio he, r e lin h car on te madeira de am mor, ap por v ase de fez, em s uma com um, vaso é rato serpente circulo dos ontem publicados, q ue t ema ave rc om um da mentira, é um crescente, um crescente d ei t ado, p o isa posi sic sao espanhola, em q ue eve do vejo, br, é c on t ria, c omo um es sg gato da ar,

e
que
será
cego
à
miseria
crescente
dn
mundo

ou seja, ainda dn, é dó do mundo, espanha


é q ue se rá c ego, psi, à mise ria crescente , a do dn mundo
es gato da ar, é quadrado dop c ego, psi acento da primeira mise rui primeira da onda do crescento, o invertido, da sec sao do dn mundo


pois aqui estva sentado olhei, meu peito, talvez porque como masi uma vez me envenenaram, me doi o estomago, e de repente vi, um circulo vermelho no meio do zip parta do meu polluver negro, eu serpente bar do ra segundo do mex, trinta e sies, que tanto ano, só passado um instante realziei entao, que era um pedaço de tomate, que tinha comido ao jantar, e que estava muitos maus, como hoje de novo estavam na mesma no pingo doce, esta merda de coisas que hoje permitimos comer, e com as quais nos enevenenamos e envenenamos nossos filhos,

tomates, ressoa ainda no escutado pela rapariga de cima, oh my god, perante o que pressupos ser uma pila de elefante que alguem lhe mostrava ou que com ela assim encenavam, ontem ainda ao final da tarde, tres puberes saiam da porta lateral da escolinha do povo pequenino ao lado da igreja e da gnr, onde em noite recente, saiam os tais dois com gargalhadas guturais de quem tina papado meninas, hoje ouvi pelo espiito a confirmaçao ,com mais um no santuario

p o is a qui es tva s en t ado ol h ei, me u p ei t o, t alvez por q ue c omo massi uma ave zorro da me envenenaram, me d oi o est om mago, e de r ep en te vi, um c irc culo verme l ho no me io do z ip p art rta do m eu pol k l uve rato negro, euroupeu serpente bar do ra segundo do mex, trinta e sies, q ue t anto ano, s ó p ass sado um in s t ante rea l zi ei en tao, q ue e ra um ped dc sao de tom mate, q ue rato da t ina home comido, cao j antar, é q ue est o a m u it os ma us, c omo h oje de n ov est av mna da mesma do no pingo doce, é sta da merda de c oi sas q ue h oje per mit imo s co mer, é com as q ua id no ene eve en e n am mose en v ene nn amo s n ossos filhos, tom at es, r esso a a inda no es cu it ad o p dela, a rapariga de cima, o h m y g o d p pera ran teo q ue pre ess up os ser uma p ila de elefante, q ue al g ue ml he mos t rata ava vao, o u q ue com ela ss si m en c en ava vam am, on te ma inda ao fina al da t arde em tres p uber es sa iam da porta, cds, la te ra l da es co linha do p ovo pe q ue nino cao l ad o da igreja e da gnr, onda em no it e rec en te maior, sa imo s tais, br, do is com g ar gal h ad as guta ria, gut, falo, cruz urais, s de q ue m tina hp ap pado ad meninas, h oje o u v i p elo, es p ei t o a on co fm maçao ,com mais, fr, um no s an tua rio

depois bela eguazinha fui à casa de banho lavar o pull over, e quando olhei ao espelho, uma nova supressa, certamente de seu amor, por de baixo de meu olho direito, onde trago eu cinco estrelas, salvo erro, assim de memoria lhe dizendo, estava uma macha negra, um bocadinho maior de a que sua ua pedrinha negra, que como sabe, tambem trago eu algums que gosto de apanhar da rua

d ep o is da bela eguazinha, fu iá c ass asa de ban ho l ava aro p u ll ove rato ps, é qua ando ol h ei cao es pe kapa l ho, uma da nova s u press a, cera ray e mnet de s eu am mor, por de ba ix o de me eu olho direito, onda t rago europeu c inc o est rato delas, s alvo é rr o, a sw si maderia de me mor ia l he di z indo, est ava uma mna acha ne gata ra, um bo c ad u in ho maio rato de que ue serpente da ua da ped rinha negra, q ue c omo, sabe, t am tambem t rago europeu al gu ms q ue g os to de ap anha ar da rua

sabe o que me veio de imediato à consciencia, ao ver a mancha de tomate, a imagem desse zip aberto, numa foto aqui publicada , da sequencia de londres, a que chamei algo como o raio, ou seja o zorro do ip do raio de londres, ou seja das bombas,

sabe oq ue mai me veio à co ns cien cia, cao ove vera primeira man cha de tom ate, a ima ge maior desse zorro ip do aberto, nu ma f oto a qui pub lic ad a , da seq ue n cia de l on d r es, a q ue c ham ei al go c omo do circulo do rai, dp vaso do seja do circulo do zorro do ip do raio de londres, o do vaso do seja das bombas


e hoje dei com uma noticia que remete para as canarias, e que ontem pela noite escutei, como alguem que dizia dessa intençao que ao que parece se concretizou hoje, uma mae que matara seus dois filhos em lorret do mar, um dos locais onde passamos ferias ainda com o meu filho francisco, quando lhe provocaram uma queda,


é home oje d ei com uma ni tica q ue reme teresa para às c ana ria sec q ue on te m p dela lam ano da noite, 2005, es cu t ei, c omo al g ue maior q ue di z ia de essa , cobra, int en sao, a espanhola, q ue cao qui ie par ee se c on c r eti zo vaso h oje, uma mao q ue mat ar a se us do is fu oi l h s o em lo rr e td o mar, um dos lo cia s onda p ass sam am mos fer ia sa inda com om eu fi l ho f ar rn c isco, qua ando l he pro ovo caram , uma da queda,

acusaçao a roma, na pessoa do papa, setima parte

Acusaçao à igreja de roma, na pessoa do papa, setima parte


Ac cu dop delta usa sao espanhola, acento top daigreja de roma, na p esso ad doc irc culo do papa, set ima p arte


ferrero rocher, a imagem dos bombons, que os padres abusadores dao aos meninos para os seduzirem e para deles abusarem, me diz ainda outra coisa, pois me recorda, um anuncio da pt, dos quatrocentos, ou seja,grecia, de novo, quatrocentos mega, ou do mega ferreira, o bandido mor do local onde o senhor se sentou a pactuar com a nata dos bandidos que se dizem da cultura, o do ccb

ferro ps ero roc her, a ima mage maior madeira, dos bo mb o ns, q ue os padres abusadores, o do dao, a os meninos para os sed uz ire me para deles ab usa rem, me di za inda outra co isa, p o is me record a, um anu un cio da pt, dos qua t roc centos ingleses cruz os, , o u sj é primeira dag rec ia, de n ovo dos qua t roc en t os mega, o vaso do mega ferreira, o bandido mor do l ocal onda deo s en hor se s en t o ua p ac tua rc om da primeira nata dos bandidos q ue se di ze madeira da cu lu t a, o do cc segundo, da cris coutinho, co vaso p do tinho,

o sapo, que conduz um rolls a acelerar com uma senhora de chapéu vestida de verde, que no final da corrida, muito parece que se divertiu numa qualquer aceleraçoes que se pressupõem ser outra, assim induzem os filhos da puta as pérfidas insinuações, que levam muitos às piras, o cabo da tyv,

circulo lobo, o do sapo, q ue condo uz um ro ll sa ac e ler da ar com uma s en hora de c h ape eu v est id a d eve verde, q ue no fina al da cor r id a, mu it o pa rece q ue se di ver ti u nu mau primeiro vaso quadrado da e rato da ac e le raçao, q ue se pr ess u poe maior ser de outra, ass si m in d uz ze mos filhos da puta, às per fid as in sin ua ço es, q ue l eva vam am mu it os às pira s, o cabo da t delta vaso,.tv

da parte sexta desta acusaçao, se estrai tambem acusaçao contra a candida da sic, mentora dos espioes aqui em casa, pelo que o espirito acabou nesse pedaço de escrita de me desvelar


d a p arte sex t ad desta, a da acusaçao, se est rai t am tambem , ac usa çao es contra primeira da candida da sic, men tora dos es pi o es a qui em c asa, p elo q ue o es pi rito aca bo u ness e peda aço es de es circulo da rita de me d es vaso dele, o da ar, o da puta da ad



seriam hoje pelo meio dia e tal, cheguei à padaria, comprei o que raramente compro, meio pao de forma, ou seja kapa, meia da forma dp pao, na televisao interna e de segurança, estava a dar o papa em directo do porto, comentado pela puta da rtp dos futebois, ali vai o papamovel, pap, antonio pedro vasconcelos, am amo ov el, na cintura interna do porto, ou seja dos pregos nos rins, feitos outrora pelos do porto, porto, noventa e cinco, assim custa, e me diz o preço da meia de forma, e um moeda de cinco centimos nova, es pada porto guesa, ao instante, not roc cao cha o, caiu


se ria am ho je p elo me io dia e eta al,che g ue i à pada da ria aveiro, co mp rei , o q ue ra ram am que mente, co mp pro, me io do pau de forma, o vaso do use seja kapa da meia da forma dp pao, na televisao, ine rn a ed sg ur ança es, est ava ad ar do aro do papa em di recto , o do porto, com en t ad o p ela da puta da rtp dos futebois, bi o si, al iva io pap am ov el, pap, anton, bate ria vaso do io pedro vasconcelos, am amo ov el, na cintura inter n ad o porto, o u sj é primeira dos p regos nos rins, feitos, o u t ro ra p elos do p oto, porto, noventa e cinco, cio n co, as si mc us t a, é me di zo pr e çoda es meia de forma, é um moe dade c inc o c en t imo serpente da nova, es pada porto guesa, ao ins t ante do not da roc, cao cha o, caiu

na

banca

dos

jornais

ali

estava

o

senhor

muito

sorrindo

de

perfil

olhando

o

terrrorista

pedofilo

e

ladrao

mor

do estado

portugues

cavaco

silva


na bam mc a, a dos jornai, al i e s tva do circulo do s en hor mu it o sor rato indo de

per rf fil, o l h ando do circulo do te rr ro rato ps ista ped circulo da filo, é o ladrao

mor, o do estado, portu g ue es do cavaco silva



a

fazer

mais

uma

vez

prova

de

vosso

concluio

com

os

abusadores

e

os

pedofilos

e

os

ladroes


a f az ze rato ps mais, uma do vaso e zorro da pro da ova de, vaso do osso do

c on c lui circulo do com do os a b u s a d o r es, é os pedófilos e e os l a d r o espanhol




vos

recordo

hipocrita

de uma senhora e de seu filho

que

um

dia

aqui

outrora

no

dia

em

que

se

diz

O

Cristo

ter

outrora

nascido

a

todos

mostrei



vaso do os record, jornal circulo, o hipo circulo da rita de ema uma da s en hora, é de s eu

fil ho , q ue um do dia , primeira do ki aqui outrora, no do dia em q ue se da di zo circulo rato ps is to, teresa nac id , circulo da primeira de todos mo st rei



recordando

a

todos

que

a

criança

em

seu

colo

é

meu

filho

tambem



record ad da primeira do dn, a do quadrado do circulo, primeira dea dt de todos, os do quadrado da ue da primeira do circulo rina aça espanhola, em s eu delta ac circulo lobo, o do olo, é me eva dp vaso da fil nata do natal ai, tam am tambem



pois

sao

todos

dos

pais

e

das

maes


os

filhos

sempre



p o is da sao es, a do pais, tvi, e das maes, os fil homem do os, sempre




alguem

porventura

viu

uma

foto

do

senhor

sorrindo

a

esta

mae

e

este

filho


ak al g ue mp por v en tura vi u uma f ot do s en hor sor r indo a

é sta mae e este filho


ceratamente

que

seus

sapatos

vermelhos

não

sao

compativeis

com

esses

lugares

da

pobreza

do

mundo


cera do rata am que mente, quadrado da ue se us sa patos vermelhos, n cão da sao es

co mp a t iv ei s com desses cobras espanholas, lu g ares da p ob reza dó mundo


que

sao

imagem

real

de

mais

de

metade

das

gentes

que

neste

mundo

habitam


q ue da sao ima mage m r eal da al, de mais, de met ad e ,da s genet s q ue

nest e mundo h ab bit it da am


assim

escrevia

nesse

dia



http://ourosobreazul.blogspot.com/2006/12/os-sacos-vazios-das-prendas-amontoam-se.html



Os Sacos Vazios das Prendas Amontoam-se nas ruas que os caixotes estão cheios e mais não levam, as casas confortáveis, quentes e iluminadas, as rabanadas e os sonhos fazem as delicias das crianças e dos adultos.



Os sacos, pedro roseta, V az io s d as P ren d a s Am on to am do traço da inglesa sena s ruas q ue os ca ix ot es es tão che io se mais n cão l eva vam am, as c asa s c on for t áv e is, q u en te es se iluminadas, as r ab ana ad as é os s on ho s f az ema s del i cia sd às crianças e dos adultos.



No Fim de mais um ano que passa, cerca de onze milhões de crianças morreram porque nós as deixamos morrer, sem nenhuma razão para assim ser. Morreram tambem as Mães e os Pais.

No Fi maior de mais, fr, um ano q ue p ass a, ce rca deo dos onze dos milhões de crianças, mor rato e ram por q ue dos nós ás de ix am os mor rato, é rato, se m ne en h uma r az cão para ass si maior ser. Mor r e ram t am tambem ás mães e os pais



É Meu Filho

É a Maria am da ova do dp vaso do meu Filho



Uma dúzia de homens mais ricos do planeta podia de uma vez acabar com a miséria e ficariam eles mais ricos do coração e não ficariam pobres e escanzelados, mas não se pode obrigar ninguém a dar o que é seu, a propriedade existe e é respeitada, A Mãe e O Pai e O Filho e o Espirito Santo Tambem e todos Bem de Saude e Felizes Como Se Pode Ver.



Uma d úz ia de h om en s mais, fr, ricos do p lan ane eta pod ia de uma ave za aca bar com da primeira misé ria e fi caria am deles, mais ricos doc cora ração e n cão fi caria am p ob rese es can ze lados, ma serpente n cão da se pod e ob riga r nin g u éma d aro q ue é s eu, a pro rop pr ie dade e xis te e é rata es p ei t ad a, AM ã e e O Pai e O Fil ho , é circulo do lio, o do Espirito Santo, banco T am tambem e todos B em de Saude, vera, e Fel ize es C omo Se da Pode eVe rato.

O Fundo do Fim de Todas as Misérias não foi ainda criado e os homens se entretem em conflitos e guerras, alguns dirão que nãoexiste dinheiro disponivel, mas para armamento sim.



O F un dó do Fi maior de Todas, às Misé rias n cão fo ia inda c rato iad oe os h om en s se en t rato e te maior em c on fl it os to ze das guerras, al gun s d irão q ue n cão é xis te din he iro di sp oni v el, mas para arma men to si maior



E

cerca

de

vinte e sete milhoes de crianças

mais se foram neste entretanto

até ao dia de hoje


E ce rca de vinte, é sete dos milhoes de c ria anças es, mais se da forma foram nest e en t rato eta anto

a té cao dia de homem do oje


quase

duas

vezes

as

gentes

todas

deste

país


q ua ase duas do às vaso , é ze do zorro espanhol, as g en t es todas de este país, tvi


desparecidas

em

dois

anos

e

meio


d es spa rec cidas em do is ano serpente se me do io


e

o

senhor

cheio

de

falsos

oiros

como

cangas

em

seu

proprio

ser


é os en hor che io de f al s os o iro s c omo can gas em s eu pro rop p rio ser


e

o

senhor

em

fatima

num

santuario

que

se

não

me

flaha

a

memoria

rende

setenta milhoes

por ano


é o sen hor em fatima, no primerio do santuario, san tua rio, q ue da s e n cão da me

fla home da primeira, primeira am me mor ia ren de set en t am dos milho es por ano


para

onde

vao

para

onde

e

em

que

forma

o

vaticano

aplica

o

seu

imenso

dinheiro

e

riquezas


para da onda do vao, mario soares, para da onda, é, em q ue da forma do circulol da ova do

vaticano ap lic cao s eu em en s o dine homem do rio, é rique za s


de

que

froma

partilha

o

que

compra

o

pao


deque eu fr roma p art til ilha, o q ue co mp ra do pau


cre

porventura

que

O

Cristo

mais

feliz

fica

quando

o

dinheiro

grande

se

associa

a

comunhao


c rato é por v en tura q ue O C rato is to mais, fel liz f ica qua ando o din e home rio a ps oto lo serpente grande da se as soci primeria aco m un h º cao


ou

que

acreditara

que

dele

fazem

o

bom

e

proprio

uso

o vaso q ue ac red di tar a q ue dele, f az ze emo b o m e pro rop p rio us o


cre

que

o

crsito

não

sabe

contas

nem

contar


circulo rec q ue o c rato ps s it on cão , sabe, c on t as ne mc on tar


e

que

será

cego

à

miseria

crescente

dn

mundo


é q ue se rá c ego, psi, à mise ria crescente , a do dn mundo