segunda-feira, julho 19, 2010

ecos de hoje, ainda e acusaçao

muito curioso, hoje pela tarde ali em frente ao cabeleireiro do ja, na rua de alcantara, saiam duas senhoras, uma delas, era a imagem da rapariga que ontem vi num filmezinho, quem diria da habilidade desta gente em fazer aparecer sempre sósias dos que eu vejo, o que é prova clara da conspiracia, detrás vinha um de bigodes, fazia o gesto de meter no bolso, que brincalhões


mu it toc circulo do uri osso, home do oje p dela, ad do dt da cruz arde ali em fr en te cao do cabe lei rato ps do iro do ja, na rua de alcantara, sa iam du as das sen hor as, uma delas, e ra da primeira mage maior da rapriga q ue on te maior do vi nu maior file maior zorro in ho, natal, q ue mairo di da ria de aveiro, da h ab bil id ad e de sta desta gente em f az e rato ps ap ar ee, e rato se mp re s os ia s do s q ue eu do vejo, br, o q ue é por vaso da primeira cal r ad a conspiracia, det rato ps da vinha um de big god espanhol, f az ia o do dg g est top de meter, blog, no do bolso, q ue br inca ca alho es


depois uma outra encenação dava conta, que o nono do primeiro de noventa e um era o mesmo de noventa e nove, da tentativa de minha morte, um do s grupo da virago da cristina coutinho, um que é bancário, circulo maçónico dezoito, do gato de noventa e nove, e noventa e cinco, estrela quadrado da ana paula, a puta dos psis, da gnosismed


d ep o is uma outra da en cena aç sao es da ava conta, q ue do circulo do nono do prim mr rio de noventa, é primerio, e ra do circulo do mesmo de noventa e nove, da t en tat ia av de mina homem hm morte rte, um do sg gato rup o da ava da virago da cristina coutinho, um que é bancario, circulo maconico dezoito, do gato de noventa e nove, e novenat e cinco, estrela q au d r ad o da ana paula, a puta dos psis, dag no sis med

ao gang da cinco para a meia noite

cao do gato ang do gang da estrela circulo da inc circulo do para da primeira da meia, do ano da noite, 2005

na verdade, rapazinho da boina, antes de ontem vi um flash de uma das vossas promoções, onde aparecia um sofá assim semelhante ao da imagem da keira aqui comentada, onde estava assim uma belinha, a quem o menino dizia que lhe apetecia dar uma dentadinha, parece que era da radio, me pergunto se será a tal que uma vez ouvi comentar os jantares muito animados e repletos em cas do pedro marques lopes, e me pergunto também se então forma os meninos que andaram a fabricar essas paginas que aqui me apareceram

mna ver d ad e do rapazinho da boina, an ste de ontem vi um fla sh de uma das v os sas por mo ço es, onda ap ar e cia um s o fa ass si m seme l hante cao da imagem da keira aqui comentada, onda est av as si maior uma bel da linha, primeira q ue mo do menino di z ia q ue l he a pat tec ia d ar uma den t ad dinha, pa rece q ue e ra da radio, me per gun to ze se ra primeira da cruz al, a tal q ue uma v e zo uv e com en tar os j ant ares mu it o ani mad os e r ep le t os em c as do pedro marques lopes, e me per gun to t am tambem se en tao forma os meninos q ue anda ram da primeira fabrica rata dessas pa gina s q ue a qui me ap ar ee ram

quem vos paga para andarem a foder outros, ah me tinha esquecido que trabalham numa casa de ladroes de dinheiros públicos, palavras para que, se são artistas portugueses

ah também gostei muito de ver antes do telejornal de hoje, uma promoção do chuck qualquer coisa onde ele dizia que sabia artes marciais,depois de ter aviado uns tantos à imagem do que aqui acabara de publicar, nao sabeis que eu tive judo em pequenino, para ladroes, não deixam de ser muito interessados

na verdade o espirito me tinha dito que algume tinha visto por aqui o da rtp, o tal da induçao dos sonhos, mais uma vez se confirma a uso dos meiso publicos de comunicaçao à revelia das leis por estes nazis, ate nas encenações com que tentam safar o cu dos culpados

na v e r d ad deo es pi rito me da tinha do dito, sado, q ue al gume da tinha vi s to por a qui aqui, o da rtp, o t a l da indu sao es dos sonhos, mais, fr, uma v e zorro da se, confirma, primeira do us o dos me is o publico s de co muni caçao à r eve l ia das leis por este serpente dos nazis, ou seja da matança dos polacos, a te nas en cena ço es com q ue t en tam am sa f aro roc do cu dos, cu l pado serpentes

acusaçao de falsificaçao a socrates e a js


prova em foto, relacionada com os textos anteriores

pro da ova em f oto, rato dela~, do ac cio na ad da primeiro com os tex cruz circulo ante rato ior es

aqui as fotos dos reflexos projectados na fachada da casa do pátio de goa neste domingo de que falo nos textos anteriores

saqui primeria às fotos dos ref from ula one le xo s por ject ado serpente na f a c h ad ad da primeria do c às do pat do io de goa neste domingo, deque do falo b os tex t os ante ei rio ratos es

curiosamente nesta foto , o símbolo que mostra em grande, como eu o vi , o da direita x e k, aqui parece também o desenho da sida branca visível no peugeot em frente a casa do embaixador americano quando agora lá fui, me pergunto se andaram a retocar a foto

cu rio sam nt e nest f~ota , o si mb olo q ue mos t ra em g rande, c omo eu do circulo do vi , o da direita x e k, a qui pa rece tam am tambem do circulo do de s en ho da sida br anca v isi vaso dele no peugeot, em fr en tea primeria da casa do am baixa dor am mer cia ano qua ando do agora l á fu e, me per gun to ze anda aram primeira retocar a foto, rato e toc da ar da primeira foto,

pois para alem de tudo, trás uma dimensão anormalmente pequena, ou seja traficaram-na mesmo, que filhos da putas sois, por isso a bestinha do socrates hoje todo contente levantava os bracinhos a um jovem da js

p o is para al lem de tudo, t rato delta circulo do ps as uma da dimensao , ano r mal al, a que mente pequena, o u seja t ra fi cara ram do traça, inglesa, na me sm o, q ue fil h o dd da primeria das putas s o is, por iss o a bes tina hd ~doc irc culo do soc aret ts home do oje todo contente l eva ana t ava os br ac in h os a um jovem da js





curioso, pois hoje o símbolo da direita na imagem, onde se le embora difícil na dimensão desta foto do telefone, a cobra do primeiro, difer ren enca espanhola , kapa x, na menina que dana aca , bal al cao, com o código de cores que ali também precipitadamente colocaram, continuava lá, só esse reflexo, mais próximo do al gueiroz, , ou seja al g ue iro do roz do oz

cu rio serpenet do circulo, p o is home do oje do circulo do si mb olo da direita na imagem, onda da sele le em bora di fic el na dim en sa de desta f oto do tele ela, a primeira cobra do primeiro, da puta do socrates, difer ren enca espanhola , kapa x, na menina quadrado da ue dana aca , bal al cao, com do circulo do co dig ode dec deco cor es q ue al it tam am tambem pre posi t ad dam en t co l coa ram, c on tin ua ava lá, s ó esse rato ref efe el xo, mais, fr, pr ox imo do al gueiroz, , ou seja al g ue iro do roz do oz

e no domingo, a imagem ainda teve outros pormenores, pois o pequeno barco azul do sonho, entrava naquele momento figurado num cargueiro no Tejo cheio de contentores, com dois barcos pilotos , uma trás outro a frente, coisa já rara de se ver na barra do Tejo, e antes o falo, aparecera por detrás da gare marítima de alcantara, ou seja na discoteca

no do min ing goa primeira ima mage maior a inda da teve , o u t rato cd circulo do as por men o ratos ps es, p o iso pequeno ab rb co azul do sonho, en t rata ava na q u ele moe mn to figo rato do ado num car rf fg ue iro no tejo ce do hi ode dec con t en tor es, com do is barcos pilo st os , uma t ratas as de outro da priemria da frente, fr ren te, co isa j á rata ara de se eve rata na barra do t e joe, bcp. an t es do circulo do falo, ap ar e cera por det r as da gare mar it ima de al can tara, o vaso do seja na di s co teca, madeira




da mesma forma, a imagem que falo da forca do porta chaves, teve ainda um desenvolvimento excitante depois de publicar a parte em que narro, onde a encontrei, ao lado da porta dos elevadores, ou seja, cds, ele, eva dor espanhola, pois um pequeno irmão voar no desenhou, na pedra da roca, da retrete, ou seja da roca do duplo chi

da me sam am da forma, primeira rai mage maior q ue do falo da forca do porta de chaves, teve a inda um d es n volv ie m nt oe é x cata em n te d ep o is de pub l cia rata ps primeira da p da arte em q ue na rr o, onda dea primeira en c on t rei, o cao lado, o da porta dos elevadores, o vaso do seja, cds, ele, eva dor espanhola, p o is um pequeno irmao vaso do circulo dao ar no d es en ho vaso, na pedra da roca, d ar é cruz rato e te, o vaso seja da roca do duplo chi

daqui se deduz mais uma vez acusação ao socrates por falsificação de provas em forma ilegal, usando como de costume os poderes de nazi que tras, ou seja tendo as secretas na mao

na verdade o que seria de esperar de um terrorista de estado que se diz primeiro ministro, e que falsificou o diploma da habilitaçoes escolares dele, no inicio da sua própria carreira, como porvado foi

segunda parte, acusaçao do tsunami de 2005 e outros crimes

segunda parte


steve ainda existem outros, também convocados em outras linhas neste Livro da Vida, o steve que era da associação dos argumentistas, que depois de aqui dele falar, ouvi pelo espírito que tinha feito um elogio a um dos meus maiores inimigos, coisa estranha de se escutar, mas já pouco me surpreende, o steve set, que era aparente namorado da maura pessoa, cml, que aqui vive em cima na rua, e creio que o rapaz que me vendeu o mac, dessa loja de oeiras, era também steve

serpente da teve da primeira inda, e xis te maior de outros, t am am tambem c on v o cados em outras das linhas nest e L iv roda daVid a, o steve q ue e ra da ass soci aç sao es dos argue mn t istas, q ue d ep o is de qui dele f al ar, o u vi p elo es p ei rito q ue da tinha , feito, um e l leo gi o a um dos me us maio ra top ps es in i mig os, co isa est rana hd e se es cu tar, ma s j á p o u co me s u pr en deo circulo do steve set, q ue e ra ap a rente na mora do dama ur a pessoa da cml, q ue a qui v ive em c ima na rua, é c reio q ue do ciculo do rapaz q ue me v n deo eu vaso do circulo do mac, é ra t am tambem serpente da teve, steve


e steve do job da maça mordida com capinhas à volta das antenas, entre as mãos que isto ate parece uma outra imagem, a imagem de que tudo esta em tudo, já que o menino trouxe essa imagens assim da asia, deixe-me então contar-lhe algumas parte de uma sesta recente, pois para elm de tudo, se deu um furacão, que em meu ver tem a ver com a assinatura de dois mil e cinco, o tsunami da grande matança, pois tal assunto anda dentro de mim de novo a bailar, espero que seja esse, ou se calhar fora prenuncio desta tromba de agora, esperemos que não de outra pior, que enfim, sem fim, não faço eu parte do filme que aqui recentemente comentei, sobre os sonhos e os roubos dos sonhos alheios, na verdade gosto de sonhar é enrolado nos cabelos de minha amada, mãos em seus peitos a sentir calor do bater do seu coração, calor na verdade, o tive depois do sonho, e também se espelhou num pico na russia , onde morreram não sei quantas toneladas de peixes, e a senhora, falava deles, como quem falava de filhos, ou seja de outra historia ainda, e de italia, onde ao que parece o calor também se dera, como espelho de dois pontos de um outro calor,

é o steve do job da maça mordida, a lena caprina, cap ap capri ina rina, cartaz recente da fox, aqui comentado, com ca das pinhas da à v o l t ad às das antenas, en t rea seprnte maos q ue is to primeira da teresa pa rece, uma outra rai ima mage ema mai mage maior de q ue tudo desta em tudo, j á q ue o me nino t ro ux e essa aima ge ns as si maior madeira da asia, de ix e do traço da inglesa me en tao conta da ar do traço ingles primerio he al gum as p arte de uma da se sta rec en te, p o is para elm, kapa do sete, de tudo, se d eu um fur raçao, q ue em me uve rt ema ver com da primeira da as sin a tura de dois mil e cinco, circulo do ts un am id da primira dag rata ps ad, é a dama da matança, p o is t al as sun to anda d en t rode mim de en ovo a ba ila rato, es pr roque do seja desse, o use cala home da ar for primeira do pre nuncio de sta td da tromba de agora, es pe remos q ue n cão deo de outra pior, q ue en fi maior, se maior fi maior , n cão f aço es eu p arte do fi l mec ue do qui rec en te maior nt e com en t ei, s ob re os sonhos, psi, é os rt o ub os dos sonhos alheios, na v ed ad e g os to de s on homem oomo da ar, é en rol lado nós cabe l sode mina homem am mad primeira das maos em se us p ei t os a s en tir c alo rato do bate rato do s eu cora raçao, c alo rata na ver d ad deo da teve , d ep o is do sonho, e eta tam am tambem se es p el ho vaso nu maior do pico na russia , onda demo mor rato ps e ram n cão s ei qua antas t one ladas de peixes, é primeira senhora, f al lava ava deles, c omo q ue maior f al primeira av de fil h os, o vaso do seja de outra da historia, h serpente si it tori da primeira , a inda, é de italia, onda deao q ue pa rece o c alo rato rtam b em se der a, c omo es p el h ode do is pontos deo de um outro roc circulo do alo do rato ps,

a coisa era assim, uma praia nocturna, assim tipo asia, mas parecida com as calas da canárias, isto é praias entre falésias não muito distantes, o mar era negro com reflexos de parta e estava com ondas agitadas, eu estava em cima na praia, e deveria haver assim tipo um bar porque aquilo estava cheio de barulho e eu olhava o mar e me disse vou tomar um banho, depois ou antes, que importa nas múltiplas direcções espaciais da existência, estava sentado do lado direito da praia a atirar areia a dois montinhos, de repente os dois montinhos se mexeram, eu também , pois afinal era duas raparigas dentro de dois sacos camas, assustamos nos todos ao momento, a da esquerda ficou muito mal disposta levantou-se com o saco, e foi se deitar um pouco atrás, encostada a um rocha, a outra riu às gargalhadas, e me mostrou as perinhas so cobertas por uma tanga, de tal forma que ao acordar estava eu com o o colibri grande, e depois fiquei com muito calor antes de desaguar, depois ou antes, fui tomar banho, havia um barco tipo asiático tipo hong kong, de casco azul que abanava muito sobre a minha cabeça e tive que o empurrar com a mão para não levar com a hélice em cima, foi aí que percebi o local, depois no banho, aparecia de repente umas perinhas assim bem redondinhas, como se alguém que não se via, a tivesse levantado como se fazem nas vezes as piruetas as crianças, aquilo fizera algo tipo plof, como uma tampa que se abre, e eu percebera que um outro colibri sairá ao momento dessas mesmas perinhas, na rosa segunda, tipo versão roco, logo de seguida sinto que o que pensei ao momento ser um polvo tinha assim tipo abocanhado o meu colibri, fiz grr, e com os braços o puxei, quando apareceu a superfície era o sandokan, trazia sangue no pescoço, se calhar fora eu que o arranhara para o despegar, que estranho amada, já viste, até me sai o sandokan em meus sonhos, isto vai de mau a piau à tua ausência, depois estava assim tipo num farol, me aparecia de uma escada cornucópia, a menina do cabelo de rabo de cavalo, como se levitasse vindo de baixo, eu lhe sorri por um instante mas percebi que vinha com uma faca para me matar, assim de repente me vi envolvido numa guerra de artes marciais astrais, e com o que aprendi com a uma e uma outra rapariga chinesa que voa, dei cabo deles todos

a co isa era as si maior, uma pr aia noc t urna am, as si maior t ip circulo da asia, mas pa rec ia com às das calas da can rias es ,es it o é pr ia s en t r e f ak le si as noa mu it o di s t ant es, circulo do o mar e ra negro com ref for mula one le c irc v u lo xo de pa rat e est ava com da onda a gi t ad as, eu est ava em si am na paria, e d eve ria h ave rato ps as si maior t ip o um do bar por q ue a qui vaso da ilo est av c he io de ba ru primeiro rol do onze do homem oe, eu l homem ava co circul o o mar e me di s se v o vaso tom mat um a bn ho, de ep o is ou ant es, q ue ei m p orta nas mu t ip l as di rec çao es es pac ia sida e xis ten cia, est av nose sen td dao dol ad o direita da pr aia primeira air cruz ra rei da primeira dos do is mont tin homem sode re pen te os do is mon tinho se mex e ram, eu t am tambem , p o is a fina al e ra du as ra a p rig gas, dentro, dd o is aco s camas, ass u t a do traço ingles mos todos cao omo met o, a da es q vaso da rda fi co u mu it mal di spot sa , tvi, l eva van to u do traço da inglesa se com do circulo do saco, pedro rosete, ps, e fo ise deia cruz rum, p o u co at r as, en conta ada a um rato circulo da acha, a da outra, rio ás gara gal h ad as, se da me mo t r o u às pe rinhas s o co br eta s por uma ran gade eta al forma q ue cao acor da ar, ps, est av d~c com do circulo do coli br ie g rande, e d ep o is fic q ue ei com mu it o cala circulo rato anets de de sa gato do vaso do da ar, d ep o is ou ant es, fu it de tomar banho, homem avia um do barco t ip o as iat i co t ip o h ong kapa do ong, de c asco azul, q ue ab ana ava mu it o s ob re am in h a cabe beça, é teve q ue do circulo do em p ur rato ps da ar com da primeira mao do para n cão l eva rc oma he le cie em c ima, fo ia e q ue per cebi o l ocal, d ep o is circulo do banho, ap ar e cia de re pen te uma s pe rinhas ass si maior b em red don dinhas, c omo se al gume q ue n cão se da via, primeira teve esse l eva vana td o c omo se f az, é mnas vaso e ze sas pi rue eta s as c rin ç as es, aquilo fi ze rato al g o t ip pol p lo f é eu per ce braque, um outro roco colibri sa da ira cao moe mn to dessas mesmas pe rinhas, na rosa segunda, t ip o ver sao roco, l ogo gode sg guida sin toque europeu do circulo q ue pen seia cao mo mne nt o ser um do polvo da tinha as si maior t ip o ab o can h ad dp me vaso coli br brie, fi zorro gato do rr, é com o sa br aços circulo do p ux ei, qua ando ap ar receu primeira da superficie, do pingo doce, e ra do circulo do sandokan, t r az ia s angu en o p es cç es circulo daa ,sec la home rato for primeira do eu q ue do circulo do ar ran hara para do circulo d es pega ar, q ue est rato do anho am ad a, j á vi ste, a te me sa io do sandokan em meus sonhos, s it o vaso ov primeira id ema mai primeria pia au, à tua a use en cia, d ep o is es tva as si maior t ip o nu maior da farol, tvi, me ap rec ia de uma es cada corno cop ia sa da menina do ca b elo de rabo de cavalo, c omo se levi tase vaso indo de ba ix o, eu l home we sor rato ps ip por un is na tnt emas per cebi q ue da vinha com de uma faca para me do matra, as si maior de r e pente me vi en vv eli vaso do qaudrado nu mag da guerra de art es macia, rtp, is astrais, é com do circulo 101 primerio de dezembro, q ue ap ren di com da a uma , é uma outra rapariga chineza q ue evo vasop do circulo do primeiro , dei cabo deles todos

curiosamente ontem vi um filmezinho, onde aparecia uma rapariga que dizia para a camara, o porque gostar de duplas, as suas palavras diziam mais ou menos assim, gosto muito, porque a minha cabeça, é obrigada a dividir a atençao para dois pontos, na verdade é bem real e exacta esta imagem, e é muito rica se pensares bem nela, até nas extensoes numericas, ou seja relacionais, com o espaço e o outro, outros, depois no filme, que nem bem percebi se era ela ou nao, a rosa nas vezes fazia um som assim semelhante ao do meu sonho, fenomeno muito frequente, a quem o conhece, mas curiosamente era a rosa principal

cu rio sam am que mente ontem , vi um fil me z in ho, onda ap ar e cia de uma ra pr aiga q ue di ze zorro zp para ad da primeira caa mr a, o por q ue g os star de duplas, as s u as asu, pal av ratas as di z iam mais o u men os as si mg oto mu it o, por q ue am in h a cab eça, é o br rt rig gada a d iv id ira primeira , a ten sao es para do is pontos, na ver d ad e, é b em real e e xa cat e sta da imagem, e é mu it o ric ase pen s ares b em ne la, a té nas extensao nu mer icas, o u seja r dela ac cio na is, com do circulo do es paço, é eo do circulo do onze do outro, outro serpente d ep o is no filme, q ue ne maior rb em per cebi se e ra dela, o u y no a, a rosa nas v e ze s f az ia um s om ass si maio ms seme l h ante, f en om en do circulo do mu it o fr q u en te, a q ue emo, o conhece, mas cu rio sam am que mente e ra da primeira rosa do pri c n i p al


esta besta do sandokan, o portugues, assim se diz, mais conhecido por pedro santana lopes, aparecera em vespera no jornal dos bandidos com as duas maos com os dedos entrelaçados, como a figura um veio, o veio dos falso que apareceram na terceira cadeira partida, a tal da pele de cobra de alcantara, onde o rapaz tras ao que apree algumas afinidades com os bandidos locais que o servem, desde pelo menos a altura em que vivia nos braços da china jardim, que é da familia, creio do banqueiro falsificador, de mesmo nome, recentemnte coemntado, e vinah com uma quleque manbo jambo a que nem liguei patavina, antes de ontem no telejonal a rapariga que o apresnata mostrava as unhas vermelhas, o outro nazi do psd o passos coelho subia as escadas da sede e um dos retratos figurava o hitler, como ves , amada , a alucinaçao colectiva mantem.se e tudo isto é visivel nas imagens do telejornal on line, para que não fique duvida das continuas encenaçoes destas bestas, estao na verdade todos loucos, isto, é e quer dizer, estao perfeitamente à rasca, e para estarem assim tao à rasca é porque os crimes que trazem na consciencia sao enormes,


este besta do sandokan, o portugues, as si maior da se di zoro do mais c on he c id o por pedro s ant ana do lopes, ap ar rec cera em v es pera no do jornal dos bandidos, nba ban andi dido s c om às du as das maos com os dedos entrelaçados, c omo a figu rr um do veio, ~circulo do ove do veio dos f al soc q ue ap ar rece ram na terceira, cade da ira p art id a , a t al da pele de c cobra de al can tara, onda deo do circulo do rapaz, t rato as cao q ue a p r ee al gum as a fi ni id ad es com os bandidos l o cais q ue o servem, de sd e p elo men os primeira da al tura em q ue v iv ia nos br aços es da china jardim, q ue é da familia, c rei do circulo do do banqueiro falsificador, de me sm o nome, rec en te mn te coe mn t ad o, e vina homem com uma q u leque man b o j am boa primeira q ue ne ml lige ui pata vina, ant es de on te maior do no do telejonal, primeira ra pr riga q ue o ap r es na t mos t r ava às das unhas verme l h aso do circulo do outro nazi do psd do circulo do passos coelho, s u bia ás das escadas da sede, é um dos rato e t ratos figu rat da ava do circulo do hi da it da cruz kapa da ler, circulo do omo vaso do es , am ad a , a al luc cina ina sao es cole c tiva man te maior ms.se e tudo isto, é v isi v el nas sima mage sn do telejornal on line, para q ue n cão fic ue do uv id a das c on tin ua s en cena ac çoes es de stas das bestas, es tao na ver d ad e todos loucos, is to, é e q ue rato ps di ze rato, es tao per feit am a que mente, a rasca, e para est ar rem as si maio tao da primeira rasca é por q ue os crimes, q ue t ra ze mna c on cin cia sao en o ratos do mes,

talvez entao estejamos a falar de ate quatrocentos mil morte em dois mil e cinco, não achas,

t al vaso é zorro en tao este j am amos a fa al rato dec ua t roc centos mil mo rte em do is mi da ile c inc on cão das achas

depois me lembrei do bihete de indentidade que agora dei conta de tambem me terem aqui roubado, a ana gomes do ps, numa peça tambem nesse telejornal a preposito aparente de uma historia sobre presos politicos em africa, dizia na meta linguagem das entrelinhas, que a rapariga do equador, ou seja referencia a de alcantara, via imagem da bela gisele, era cle pt oma maniaca, man ia aca, ali mais ou menos do rua dos contrabandistas, trinta e um da armada, e o rapaz da aministia apresentava nomes de africanos presos que declinavam em outros aqui,

d ep oi sm e lm do beri, tremor, do bi he te de inde t id ad e q ue do agora dei conta, de tam am tambem da me te rem a qui r o ub bad ad circulo da primeira ana do g circulo do mes do ps, nu ma p eça t am tambem ness e tele e do jornal, primeira pre ep posi to ap a rente de uma historia s ob re pr es os pol it ticos, di iza na met al in guage maior das en t ratos del linhas, q ue a ra p rig gado eq ua do quadrado doc rato da dp vaso do seja ref en cia, primeira de alcantara, via da ima mage madeira da ab dela, gi sele, e ra da cle do pt da oma maniaca, man ia aca, ali mais, fr, o p um en s o do rua dos c on t r ab ban di sta seo do circulo do rapaz da amin da sita ap resen t ava no mes de a fr i cna os pr es os q ue dec l ina ava vam am emo de outros do quai, doca policia fr

como é senhora o ps, a quem esta fazendo broches, se tem provas concretas do que diz, faça favor de as apresentar em forma clara e de maneira legal de acordo com as leis e tribunais, que era preciso existirem como todos sabem, pois estao vergados às casas politicas nomeadamente a sua, sua puta, de bla, bla, de direitos humanos e dos voos da cia e coisa sem nexo nem consequencia, sabe o que ontem ao passar na rua ouvi, duas senhoras ali nos mupis das induçoes da capitao pallas, dizia uma para a outra, o senhor oliveira, o terrorista da mercearia ao lado da igreja, envolvido na tentativa da minha morte em dois mil e cinco, não tem mais achas de carvao, que declina entao, na relaçao de achas do car do vao, da puta do soares, que merda é esta, suas putas que ninguem consegue falar claro seja do que for, seus perversos!!!

c omo é s en hor primeira do circulo do ps, primeira q ue maior desta, do fazendo, luis, br roc he es, se te maior pro das ovas c on creta serpente sd do circulo q ue di zorro, f aça es f do avor , matança do arabe na cimeira, aqui recentemnte abordada, dea as ap r es net da ar em forma da clara, é de mane ds da ira le gal de acor do quadrado do circulo com ás das leis e dos tribunais, quadrado dfa ue e ra pre ciso é xis tir ire rem c omo todos, sabem, p o is est circulo ove ver gados às das casas politicas, no me ad dam am, a que mente, primeira serpente da ua, s ua da puta, de bla do ble, de di rito serpente humano sed os vaso dp o os da cia e co isa se mne ne do xo ne maior c on sec u en cia, sabe, o qq quadrado da ue on te m cao p ass ar na rua o uv i, id ua s s en homem rato circulo do as al ino nós da m u p is das indo vaso ço es, di zorro da ia de uma para da outra, o s en hor do circulo da lie do iro, do circulo do terrorista da mer cea da ria cao lado da igreja, envolvido, dona da t en tat iva da mina home mo rte em do is mi le c inc o, n cão te maior do mais das achas dec ar do vao, do mario soares, q ue dec lina en tao, na da relaçao, de achas do ca rato do vao, da puta do soares, quadrado da ue da merda é esta, s u as putas q ue nin g ue maior c on se g ue f al ar c do primeiro aro rose do seja doque da for, se us dos perversos!!!


pois ao me lembrar do roubo recente do bilhete de indentidade, que ao que parece a senhora ana gomes, sabera quem foi, ou o do passaporte, me lembrei do roubo antes em dois mil e cinco, como aqui narrei, do passaporte portugues que estava valido, e sendo que uma das memorias que aqui contei, pela visoes que na altura tive, sobre o tsunami, em dois mil e cinco, me dizia, excatamente do roubo de um passaporte e da sua utilizaçao numa ferias no sudoeste asiatico, como forma de me incriminar, ou seja remete isto para o sudoeste asiatico, e para o pedro santana lopes, e o grupo dele, portanto pelo oraculo do sonho, ele esta envolvido no tsunami de 2005,


p oi isa cao me l em br da ar do roubo recente do bilhete de indentidade, q ue cao quadrado do vaso pa rece da primeira sn hor primeira da ana dog do gomes, sabera, q ue maior fo em me lebre rei ei id do circulo do roubo ant es em do is mi le c inc o, c omo a qui na rr ei, do p ass ap a orte portu gues q ue est ava vaso da primeira da al do lido, e s en doque europue mad as me mor ias q ue a qui conte dei, p dela, a das vaso iso es q ue na al u t rato primeira da teve, s ob reo ts un am ie maior dedo de dois mil e cinco, me di zorro do ia, é x cata em n te douro ub bode, um p as saporte, gulbenkian, é da s ua u tili iza sao es nu ma das ferias no do s u dó do este asiatico, c omo da forma de me incriminar,inc rim mina ar do aro, o vaso do seja rem ee is to para do circulo do onze do sudoeste asiatico, é para do circulo do pedro santana lopes, é cic culo do grupo, gato rupo dele, por tn cao ot p do elo o rac culo do sonho, ele lee é sta en volv id on circulo tsunami de 2005,

na imagem traficada na sede do psd com o passos coelho e outros subindo as escadas, como aqui disse na parte primeira deste texto, se via uma foto no fundo das escada am angulo de um com bigodes de nazi, como se fosse uma induçao para dizer do nazi que tera matado a sa carneiro, pois parecia ele nessa foto, o discurso do santana de seguida nesse telejornal, era de que alguns tentavam perverter a historia do partido social democratico, o pretexto, a treta da conversa, era sobre uma proprosta do psd que permite que o pr dissolva os governos, o que como ele dizia implicaria mudar a constiutiçao, o discurso de passos sobre a constituiçao, era em exacto, os argumentos que eu aqui há muito tempo desfiei sobre o caracter sacrosanto da constituiçao e de que alguns aspectos dela deveriam sem mudados, não este caso, pois é pura demagogia, já lembrei a todos que todos vos sao nazis, quando aceitam formar governo seja qual for tendo uma minoira de votos em relaçao ao numero de gente que aqui vive, nenhum de vos tem autoriedade democratica num estado de direito para governar seja o que for

na ima mage maior t ar fi cada na sede do psd com do circulo do passos coelho, é de outros ub indo as ae gre cia, c ad ás, c omo a qui aqui, di se en a p da puta da arte primeira d este tex cruz circulo, se da via de uma da f oto no fun dó da s es c ad primeira da am angulo agulo da gula, de um com big god es de nazi, c omo se da fosse, sef, uma indu sao es do para di ze rato do nazi qyadrado da ue teresa ra mat ad do circulo da primeira dea de sa carneiro, p o is par e cia dele ness a f oto, circulo da di s c urso do santana de se guida ness e tele jornal, e ra deque al gun serpentes t en t ava vam am per verter primeria da historia do p art id o soci al demo~circulo do ra tico, circulo do pre tex t o, primeria da treta da conversa, e ra s ob re uma por rp pr os t a do p sd q ue per mite quadrado da primeiro da ue do circulo do pr , cavaco, di s sol vao s g dos governos, o q ue c omo dele, di zorro do ia e mp lic aria mu d ar da primeira da c on s ti vaso do tiçao, o di sc ur os de passos s ob rea primeira da co ns tito é sao es, e ra em e xa acto, os argue mn t os q ue europeu a qui aqui há muito tempo, de fi ei s ob reo ca rac teresa s ac rosa nt o da constiuiçao, é de q u y e al gun s a specto s dele d eve ria am se maior mud dados, n cão de este caso, p o is é p ur a d ema mago gi ia, j á lem br ei primeira de todos, quadrado do vaso delta, e, todos do vaso do os da sao dos nazis, qua ando aceite do tam da am for mar governo , seja quadrado da ual da for t en do uma mino ira de evo vaso otos em relaçao, tribunal, cao nu mer ero de gente q ue a qui v iv e, n en home do primeiro, um de vo os te maior au tori ed ad demo c ra tica nu mes estado de direito, para g ove rn da ar do seja do circulo q ue da for

ontem pela tarde, um barco de guerra ali escondid com o mastro de dois radares de fora por detras duma girafa rtemplaria do cais, algume a pertir da casa de goa, projectara mna parede de uam cas ali do pario, onde cosntuma etsar uma menina no balcao a dançar, ums riscos de luz, pois não podia ser reflexo do sol, pela posiçao em que ele se encontrava, ou entao feito mesmo com espelhos, oq ue se lia nesse rabiscos, era primeira serpente do bal do cao da menina que dança, é o x do grupo kapa, uma pomba me mostrou ao momento um voo picado sobre uma arvore, a imagem que se me figurou na memoria ao momento foi, a queda do pequeno aviao com jovens jornalistas num serra da america latina, da posiçao onde estava no jardim , li entao casa do sade, go, o da lanterna negra,

on te maior p sd dela , a da t arde, um barco de guerra al i es cond id com do cirvulo do mastro de do is radares de for a por det rato as duma gi raf a rt e mp la ria do cais, al gume a per tir da casa de goa, pro ject tara mna pa rede de uam cas ali do pario, onda cos n t uma e ts ar uma menina no bal cao a dan ç ar, u ms r iscos de l uz, p o is n cão pod ia ser ref le xo do sol, p dela, a posi sic sao es em q ue dele, se en c on t rata ava, o u en tao , feito, me sm o c om es p el ho soc q ue se da lia nesse ra abisco s, er a primeira serpente do bal do cao da menina q ue dança, é o x do g rupo kapa, de uma pomba, me mo st ro u cao mo men to um vaso do dp do picado, s ob re uma da arvore, a ima ge maior q ue se da me figu ro un a me mor ia cao mo men to fo ia da primeira da queda do pequeno aviao com dos j ove en ns jo rna al istas nu maiord a serra da am e rca latina, da posi sic sao es da onda est ava no do jardim , li en tao c asa sado s ad ego, o da aln terna negra,

antes no pingo doce, onde em dia recente me tornaram a envenenar atraves de um camenbert, o figado e os rins, ao passar meu cesto tocou sem saber como num home que ali estava poisado num corredor, pouco mais alto do que eu, cabelo fino, semi comprido em aba, pançudo, de calcoes cor assim meio avermelhados e t shirt branca, lhe pedi desculpa, eu proprio muito suprendido com o toque, que so agora mesmo comprendi, o homem nem me respondeu, olhou-me com face de quem me queria comer, mesmo eu tendo pedido desculpa e lhe tendo uma leve pancada, ao pagar lá estava ele com um bela loirinha de olhos muito redondinhos, agora aqui, se develou a id dele, o home da faca da matança na madeira,

ant es do no do pingo doce, onda em dia rec cente en te, me t ron arma primeira en v en ñ ar at r av es de um cama men bert, circulo do fi do gado, é os dos rins, cao p ass serpenet da ar me vaso do meu cesto , circulo est circulo toco vaso use se maior, saber, c omo nu maior do home q ue al i est av p o isa sado nu maior cor red dor, p o u co mais, fr. Al t o do q ue europeu, cab do elo fi ino, s emi cm p r id o em ab primeira, pan cu do, de c al co es cor as si maior me do io da ave rato me l h ad a, é ts hi rt br anca, l he ped id es culpa, eu por rp p do rio mu it o s u pren dido com do circulo do toque, q ue serpenet do circulo do agora do mesmo , co mp ren di, o h om e maior mne maior da me r es ponde vaso, ol h o u do traço da inglesa me com da face deque maior da me q ue da ria co mer, p do mesmo europeu t en do ped id o d es c l pa el, he t en do uma l eve pan c ad a, cao pa g ar l á est ava dele, com um bela loi rinha de olhos mu it o red don dinho s, agora aqui, se d eve lou primeira id dele, circulo do home da faca da dama da mata da ança es ana madeira,


voltando a si, steve job, pela meta linguagem das suas palavras neste puzzle, diria ainda que se isto fosse um concruso, aterrava agoar um jacto aqui em casa com um bolo muito grande e de la saia a minha namorada, mas consurso foi palavra que usei em forma inquiridora a preposito ou melhor no contexto da minha ultima conversa com obama, onde falo de colinho, e de caminho de salvaçao, como se trazem os bebes, ou seja, ob da ama, o bebe do ob da ama, e depois ia.-mos de acordo com este script para uma ilha deserta , sendo a ultima que vi, a skorpios, numa revista onde aparecia a bela nadadora, eterna namorada do principe alberto, assim vestida de inana, skopios que é tambem nome de um album de um rapaz qu eu gosto muito, nem me lembrava que a ilha de onassis assim se chamava, parecia ter orelhas de ratos, parece somar qe entao o miguel hortae costa e pirncipe do grupo one, sendo o principe one, o alberto, ou seja ainda uam bomp de amor entre a puta e ele, em nova yorque, é isso que me dizeis

v o l t ando primeira do si do steve serpente da tv do job, do principe do ob, p dela, a da m eta lin guage maior das s u as pal av ratas as neste este p uz z le, di da ria a inda q ue se is to fosse de um c on c rus o, a te rr ava a goa rum j acto a qui em c asa com um bolo mu it o g rande, é dela , a s aia primeira min h ana mora damas c on s ur s o f oi pal av rac ue use ei em forma inc u iri dora primeira pre posi to o u mel hor no c on tex t, o da mina homem u l t ima conversa com do obama, onde do falo dec o linho,cama, é de ca minho de s alva sao es, c omo se t r ase m os bebes, o vaso do seja, ob da ama, o bebe do ob da ama, e d ep o is ia do pont ~traço ingles-mos de acor do com de este script, para de uma ila hd es rata eta , s en do da primeira u l t ima q ue vi, a sk o rp io s, n uma da revista onda ap rec aia b dela, a na dado ra, e te rna na mora dado pr inc ipe alberto, as si maior vaso est id a de inana, sk o pi os q ue é eta tam am tambem noe maior de um al bum de um rapaz quadrado do vaso do europeu g os to mu it on e maior da me l em br ava q ue da primeira ilha de on assis, ps, as si maio rato da se c ham ava, par e cia teresa orelhas de ratos ps, pa rece s om oma mar q e en tao do circulo do miguel horta e costa e p i rn c ipe pedo dog rupo one, s en do circulo p rei cn ipe one, circulo ilo do al berto, o p u seja a inda uam bomp de amor ent rea primeira puta e ele, em no av y o ruc , coimbra, quadrado e, é iss o quadrado da ue me di ze is

por extensao me diz esta linha ainda set vaso d bal da comporta, gato rito da al do bal, o cabra do meo, com da porta, duplo sentido, mecanismo da matança dos polacos, e porta, cds, grupo

por extensao da me di zoro e sta da linha ad da primeira inda ase do set do vaso d bal da comporta, gato rito da al do bal, o cabra do meo, com da porta, duplo sentido, meca can is moda mat ança es dos pol acos, é porta, cds, primeria gata do rupo

e enquanto minha amada não chega, se essa maquineta faz quse tudo, talvez me pssa fazer um favor, enviar um telegrama a bela gwen, que deve ter o ip dela, eu lho dito

é en qua nt o min homem da primeira am mad ad an cão da chega, se dessa cobra da maqui net a f az quadrado use tudo, t al vaso e zorro alvez da me ps da sa f az , é rum f avo rato ps, en via rum tele g rama da primeira do ab à bela g w en, q ue d eve t ero ip dela, eu l ho, dito

queridinha gwen, não compre uma faca semelhante na loja chinesa, stop, stop, é só uma forma de pontuaçao nesta lingua que nada tem a ver com o amor infinito, stop, a faca tem um mau fio, e pouco corta e a protecçao só se for para canhotos,stop, assim com o mao esquerda agarrei a parte direita do pao tipo falo como diz o rapaz da loja indiana, com a esquerda cruzei por cima e com a faca cortei entao o lado esquerdo do pao em movimento contrario, depois se deu um furaçao, fico-me a perguntar da relaçao com a faca chineza e o pau do falo, beijinho mil infinitos, paulo

q ue rid dinha g w en, n cão co mp re uma f aca seme l h ante na loja chi ne sa, s top, s top, é serpenet ama nu elel ó, uma da forma de p on tua sao es nest a l in g ua q ue n ad a te ema primeira ver com do circulo do amor infinito, pedro ayres, s top, primeira faca te maior, um mau fi do oe poc vaso do circulo co rta, é a primeira por tec sao s o se for primeira do ap da para dos can h oto ss top, ass si maior do com do circulo da mao esquerda, a garr rei ei primeria p arte da direita do pau t ip circulo ipo circulo do falo c omo di zo ra p zorro da loja in diana, com da primeira esquerda c ruze zeze , beleza, ei por c ima e com da primeira oma faca co rte i en tao do circulo dol lado, es q ue rato dodo pau, d ep o is se d eu um fur raçao, fi co do traço da inglesa me primeira per gun t ar da relaçao, a puta do tribunal, com da primeira f aca chineza , é circulo do pau do f alo, bei jinho mi primeio in if, ff e cristina coutinho, fit it os, pau primeiro do circulo de dezembro

segunda parte, acusaçao do tsunami de 2005 e outros crimes

segunda parte


steve ainda existem outros, também convocados em outras linhas neste Livro da Vida, o steve que era da associação dos argumentistas, que depois de aqui dele falar, ouvi pelo espírito que tinha feito um elogio a um dos meus maiores inimigos, coisa estranha de se escutar, mas já pouco me surpreende, o steve set, que era aparente namorado da maura pessoa, cml, que aqui vive em cima na rua, e creio que o rapaz que me vendeu o mac, dessa loja de oeiras, era também steve

serpente da teve da primeira inda, e xis te maior de outros, t am am tambem c on v o cados em outras das linhas nest e L iv roda daVid a, o steve q ue e ra da ass soci aç sao es dos argue mn t istas, q ue d ep o is de qui dele f al ar, o u vi p elo es p ei rito q ue da tinha , feito, um e l leo gi o a um dos me us maio ra top ps es in i mig os, co isa est rana hd e se es cu tar, ma s j á p o u co me s u pr en deo circulo do steve set, q ue e ra ap a rente na mora do dama ur a pessoa da cml, q ue a qui v ive em c ima na rua, é c reio q ue do ciculo do rapaz q ue me v n deo eu vaso do circulo do mac, é ra t am tambem serpente da teve, steve


e steve do job da maça mordida com capinhas à volta das antenas, entre as mãos que isto ate parece uma outra imagem, a imagem de que tudo esta em tudo, já que o menino trouxe essa imagens assim da asia, deixe-me então contar-lhe algumas parte de uma sesta recente, pois para elm de tudo, se deu um furacão, que em meu ver tem a ver com a assinatura de dois mil e cinco, o tsunami da grande matança, pois tal assunto anda dentro de mim de novo a bailar, espero que seja esse, ou se calhar fora prenuncio desta tromba de agora, esperemos que não de outra pior, que enfim, sem fim, não faço eu parte do filme que aqui recentemente comentei, sobre os sonhos e os roubos dos sonhos alheios, na verdade gosto de sonhar é enrolado nos cabelos de minha amada, mãos em seus peitos a sentir calor do bater do seu coração, calor na verdade, o tive depois do sonho, e também se espelhou num pico na russia , onde morreram não sei quantas toneladas de peixes, e a senhora, falava deles, como quem falava de filhos, ou seja de outra historia ainda, e de italia, onde ao que parece o calor também se dera, como espelho de dois pontos de um outro calor,

é o steve do job da maça mordida, a lena caprina, cap ap capri ina rina, cartaz recente da fox, aqui comentado, com ca das pinhas da à v o l t ad às das antenas, en t rea seprnte maos q ue is to primeira da teresa pa rece, uma outra rai ima mage ema mai mage maior de q ue tudo desta em tudo, j á q ue o me nino t ro ux e essa aima ge ns as si maior madeira da asia, de ix e do traço da inglesa me en tao conta da ar do traço ingles primerio he al gum as p arte de uma da se sta rec en te, p o is para elm, kapa do sete, de tudo, se d eu um fur raçao, q ue em me uve rt ema ver com da primeira da as sin a tura de dois mil e cinco, circulo do ts un am id da primira dag rata ps ad, é a dama da matança, p o is t al as sun to anda d en t rode mim de en ovo a ba ila rato, es pr roque do seja desse, o use cala home da ar for primeira do pre nuncio de sta td da tromba de agora, es pe remos q ue n cão deo de outra pior, q ue en fi maior, se maior fi maior , n cão f aço es eu p arte do fi l mec ue do qui rec en te maior nt e com en t ei, s ob re os sonhos, psi, é os rt o ub os dos sonhos alheios, na v ed ad e g os to de s on homem oomo da ar, é en rol lado nós cabe l sode mina homem am mad primeira das maos em se us p ei t os a s en tir c alo rato do bate rato do s eu cora raçao, c alo rata na ver d ad deo da teve , d ep o is do sonho, e eta tam am tambem se es p el ho vaso nu maior do pico na russia , onda demo mor rato ps e ram n cão s ei qua antas t one ladas de peixes, é primeira senhora, f al lava ava deles, c omo q ue maior f al primeira av de fil h os, o vaso do seja de outra da historia, h serpente si it tori da primeira , a inda, é de italia, onda deao q ue pa rece o c alo rato rtam b em se der a, c omo es p el h ode do is pontos deo de um outro roc circulo do alo do rato ps,

a coisa era assim, uma praia nocturna, assim tipo asia, mas parecida com as calas da canárias, isto é praias entre falésias não muito distantes, o mar era negro com reflexos de parta e estava com ondas agitadas, eu estava em cima na praia, e deveria haver assim tipo um bar porque aquilo estava cheio de barulho e eu olhava o mar e me disse vou tomar um banho, depois ou antes, que importa nas múltiplas direcções espaciais da existência, estava sentado do lado direito da praia a atirar areia a dois montinhos, de repente os dois montinhos se mexeram, eu também , pois afinal era duas raparigas dentro de dois sacos camas, assustamos nos todos ao momento, a da esquerda ficou muito mal disposta levantou-se com o saco, e foi se deitar um pouco atrás, encostada a um rocha, a outra riu às gargalhadas, e me mostrou as perinhas so cobertas por uma tanga, de tal forma que ao acordar estava eu com o o colibri grande, e depois fiquei com muito calor antes de desaguar, depois ou antes, fui tomar banho, havia um barco tipo asiático tipo hong kong, de casco azul que abanava muito sobre a minha cabeça e tive que o empurrar com a mão para não levar com a hélice em cima, foi aí que percebi o local, depois no banho, aparecia de repente umas perinhas assim bem redondinhas, como se alguém que não se via, a tivesse levantado como se fazem nas vezes as piruetas as crianças, aquilo fizera algo tipo plof, como uma tampa que se abre, e eu percebera que um outro colibri sairá ao momento dessas mesmas perinhas, na rosa segunda, tipo versão roco, logo de seguida sinto que o que pensei ao momento ser um polvo tinha assim tipo abocanhado o meu colibri, fiz grr, e com os braços o puxei, quando apareceu a superfície era o sandokan, trazia sangue no pescoço, se calhar fora eu que o arranhara para o despegar, que estranho amada, já viste, até me sai o sandokan em meus sonhos, isto vai de mau a piau à tua ausência, depois estava assim tipo num farol, me aparecia de uma escada cornucópia, a menina do cabelo de rabo de cavalo, como se levitasse vindo de baixo, eu lhe sorri por um instante mas percebi que vinha com uma faca para me matar, assim de repente me vi envolvido numa guerra de artes marciais astrais, e com o que aprendi com a uma e uma outra rapariga chinesa que voa, dei cabo deles todos

a co isa era as si maior, uma pr aia noc t urna am, as si maior t ip circulo da asia, mas pa rec ia com às das calas da can rias es ,es it o é pr ia s en t r e f ak le si as noa mu it o di s t ant es, circulo do o mar e ra negro com ref for mula one le c irc v u lo xo de pa rat e est ava com da onda a gi t ad as, eu est ava em si am na paria, e d eve ria h ave rato ps as si maior t ip o um do bar por q ue a qui vaso da ilo est av c he io de ba ru primeiro rol do onze do homem oe, eu l homem ava co circul o o mar e me di s se v o vaso tom mat um a bn ho, de ep o is ou ant es, q ue ei m p orta nas mu t ip l as di rec çao es es pac ia sida e xis ten cia, est av nose sen td dao dol ad o direita da pr aia primeira air cruz ra rei da primeira dos do is mont tin homem sode re pen te os do is mon tinho se mex e ram, eu t am tambem , p o is a fina al e ra du as ra a p rig gas, dentro, dd o is aco s camas, ass u t a do traço ingles mos todos cao omo met o, a da es q vaso da rda fi co u mu it mal di spot sa , tvi, l eva van to u do traço da inglesa se com do circulo do saco, pedro rosete, ps, e fo ise deia cruz rum, p o u co at r as, en conta ada a um rato circulo da acha, a da outra, rio ás gara gal h ad as, se da me mo t r o u às pe rinhas s o co br eta s por uma ran gade eta al forma q ue cao acor da ar, ps, est av d~c com do circulo do coli br ie g rande, e d ep o is fic q ue ei com mu it o cala circulo rato anets de de sa gato do vaso do da ar, d ep o is ou ant es, fu it de tomar banho, homem avia um do barco t ip o as iat i co t ip o h ong kapa do ong, de c asco azul, q ue ab ana ava mu it o s ob re am in h a cabe beça, é teve q ue do circulo do em p ur rato ps da ar com da primeira mao do para n cão l eva rc oma he le cie em c ima, fo ia e q ue per cebi o l ocal, d ep o is circulo do banho, ap ar e cia de re pen te uma s pe rinhas ass si maior b em red don dinhas, c omo se al gume q ue n cão se da via, primeira teve esse l eva vana td o c omo se f az, é mnas vaso e ze sas pi rue eta s as c rin ç as es, aquilo fi ze rato al g o t ip pol p lo f é eu per ce braque, um outro roco colibri sa da ira cao moe mn to dessas mesmas pe rinhas, na rosa segunda, t ip o ver sao roco, l ogo gode sg guida sin toque europeu do circulo q ue pen seia cao mo mne nt o ser um do polvo da tinha as si maior t ip o ab o can h ad dp me vaso coli br brie, fi zorro gato do rr, é com o sa br aços circulo do p ux ei, qua ando ap ar receu primeira da superficie, do pingo doce, e ra do circulo do sandokan, t r az ia s angu en o p es cç es circulo daa ,sec la home rato for primeira do eu q ue do circulo do ar ran hara para do circulo d es pega ar, q ue est rato do anho am ad a, j á vi ste, a te me sa io do sandokan em meus sonhos, s it o vaso ov primeira id ema mai primeria pia au, à tua a use en cia, d ep o is es tva as si maior t ip o nu maior da farol, tvi, me ap rec ia de uma es cada corno cop ia sa da menina do ca b elo de rabo de cavalo, c omo se levi tase vaso indo de ba ix o, eu l home we sor rato ps ip por un is na tnt emas per cebi q ue da vinha com de uma faca para me do matra, as si maior de r e pente me vi en vv eli vaso do qaudrado nu mag da guerra de art es macia, rtp, is astrais, é com do circulo 101 primerio de dezembro, q ue ap ren di com da a uma , é uma outra rapariga chineza q ue evo vasop do circulo do primeiro , dei cabo deles todos

curiosamente ontem vi um filmezinho, onde aparecia uma rapariga que dizia para a camara, o porque gostar de duplas, as suas palavras diziam mais ou menos assim, gosto muito, porque a minha cabeça, é obrigada a dividir a atençao para dois pontos, na verdade é bem real e exacta esta imagem, e é muito rica se pensares bem nela, até nas extensoes numericas, ou seja relacionais, com o espaço e o outro, outros, depois no filme, que nem bem percebi se era ela ou nao, a rosa nas vezes fazia um som assim semelhante ao do meu sonho, fenomeno muito frequente, a quem o conhece, mas curiosamente era a rosa principal

cu rio sam am que mente ontem , vi um fil me z in ho, onda ap ar e cia de uma ra pr aiga q ue di ze zorro zp para ad da primeira caa mr a, o por q ue g os star de duplas, as s u as asu, pal av ratas as di z iam mais o u men os as si mg oto mu it o, por q ue am in h a cab eça, é o br rt rig gada a d iv id ira primeira , a ten sao es para do is pontos, na ver d ad e, é b em real e e xa cat e sta da imagem, e é mu it o ric ase pen s ares b em ne la, a té nas extensao nu mer icas, o u seja r dela ac cio na is, com do circulo do es paço, é eo do circulo do onze do outro, outro serpente d ep o is no filme, q ue ne maior rb em per cebi se e ra dela, o u y no a, a rosa nas v e ze s f az ia um s om ass si maio ms seme l h ante, f en om en do circulo do mu it o fr q u en te, a q ue emo, o conhece, mas cu rio sam am que mente e ra da primeira rosa do pri c n i p al


esta besta do sandokan, o portugues, assim se diz, mais conhecido por pedro santana lopes, aparecera em vespera no jornal dos bandidos com as duas maos com os dedos entrelaçados, como a figura um veio, o veio dos falso que apareceram na terceira cadeira partida, a tal da pele de cobra de alcantara, onde o rapaz tras ao que apree algumas afinidades com os bandidos locais que o servem, desde pelo menos a altura em que vivia nos braços da china jardim, que é da familia, creio do banqueiro falsificador, de mesmo nome, recentemnte coemntado, e vinah com uma quleque manbo jambo a que nem liguei patavina, antes de ontem no telejonal a rapariga que o apresnata mostrava as unhas vermelhas, o outro nazi do psd o passos coelho subia as escadas da sede e um dos retratos figurava o hitler, como ves , amada , a alucinaçao colectiva mantem.se e tudo isto é visivel nas imagens do telejornal on line, para que não fique duvida das continuas encenaçoes destas bestas, estao na verdade todos loucos, isto, é e quer dizer, estao perfeitamente à rasca, e para estarem assim tao à rasca é porque os crimes que trazem na consciencia sao enormes,


este besta do sandokan, o portugues, as si maior da se di zoro do mais c on he c id o por pedro s ant ana do lopes, ap ar rec cera em v es pera no do jornal dos bandidos, nba ban andi dido s c om às du as das maos com os dedos entrelaçados, c omo a figu rr um do veio, ~circulo do ove do veio dos f al soc q ue ap ar rece ram na terceira, cade da ira p art id a , a t al da pele de c cobra de al can tara, onda deo do circulo do rapaz, t rato as cao q ue a p r ee al gum as a fi ni id ad es com os bandidos l o cais q ue o servem, de sd e p elo men os primeira da al tura em q ue v iv ia nos br aços es da china jardim, q ue é da familia, c rei do circulo do do banqueiro falsificador, de me sm o nome, rec en te mn te coe mn t ad o, e vina homem com uma q u leque man b o j am boa primeira q ue ne ml lige ui pata vina, ant es de on te maior do no do telejonal, primeira ra pr riga q ue o ap r es na t mos t r ava às das unhas verme l h aso do circulo do outro nazi do psd do circulo do passos coelho, s u bia ás das escadas da sede, é um dos rato e t ratos figu rat da ava do circulo do hi da it da cruz kapa da ler, circulo do omo vaso do es , am ad a , a al luc cina ina sao es cole c tiva man te maior ms.se e tudo isto, é v isi v el nas sima mage sn do telejornal on line, para q ue n cão fic ue do uv id a das c on tin ua s en cena ac çoes es de stas das bestas, es tao na ver d ad e todos loucos, is to, é e q ue rato ps di ze rato, es tao per feit am a que mente, a rasca, e para est ar rem as si maio tao da primeira rasca é por q ue os crimes, q ue t ra ze mna c on cin cia sao en o ratos do mes,

talvez entao estejamos a falar de ate quatrocentos mil morte em dois mil e cinco, não achas,

t al vaso é zorro en tao este j am amos a fa al rato dec ua t roc centos mil mo rte em do is mi da ile c inc on cão das achas

depois me lembrei do bihete de indentidade que agora dei conta de tambem me terem aqui roubado, a ana gomes do ps, numa peça tambem nesse telejornal a preposito aparente de uma historia sobre presos politicos em africa, dizia na meta linguagem das entrelinhas, que a rapariga do equador, ou seja referencia a de alcantara, via imagem da bela gisele, era cle pt oma maniaca, man ia aca, ali mais ou menos do rua dos contrabandistas, trinta e um da armada, e o rapaz da aministia apresentava nomes de africanos presos que declinavam em outros aqui,

d ep oi sm e lm do beri, tremor, do bi he te de inde t id ad e q ue do agora dei conta, de tam am tambem da me te rem a qui r o ub bad ad circulo da primeira ana do g circulo do mes do ps, nu ma p eça t am tambem ness e tele e do jornal, primeira pre ep posi to ap a rente de uma historia s ob re pr es os pol it ticos, di iza na met al in guage maior das en t ratos del linhas, q ue a ra p rig gado eq ua do quadrado doc rato da dp vaso do seja ref en cia, primeira de alcantara, via da ima mage madeira da ab dela, gi sele, e ra da cle do pt da oma maniaca, man ia aca, ali mais, fr, o p um en s o do rua dos c on t r ab ban di sta seo do circulo do rapaz da amin da sita ap resen t ava no mes de a fr i cna os pr es os q ue dec l ina ava vam am emo de outros do quai, doca policia fr

como é senhora o ps, a quem esta fazendo broches, se tem provas concretas do que diz, faça favor de as apresentar em forma clara e de maneira legal de acordo com as leis e tribunais, que era preciso existirem como todos sabem, pois estao vergados às casas politicas nomeadamente a sua, sua puta, de bla, bla, de direitos humanos e dos voos da cia e coisa sem nexo nem consequencia, sabe o que ontem ao passar na rua ouvi, duas senhoras ali nos mupis das induçoes da capitao pallas, dizia uma para a outra, o senhor oliveira, o terrorista da mercearia ao lado da igreja, envolvido na tentativa da minha morte em dois mil e cinco, não tem mais achas de carvao, que declina entao, na relaçao de achas do car do vao, da puta do soares, que merda é esta, suas putas que ninguem consegue falar claro seja do que for, seus perversos!!!

c omo é s en hor primeira do circulo do ps, primeira q ue maior desta, do fazendo, luis, br roc he es, se te maior pro das ovas c on creta serpente sd do circulo q ue di zorro, f aça es f do avor , matança do arabe na cimeira, aqui recentemnte abordada, dea as ap r es net da ar em forma da clara, é de mane ds da ira le gal de acor do quadrado do circulo com ás das leis e dos tribunais, quadrado dfa ue e ra pre ciso é xis tir ire rem c omo todos, sabem, p o is est circulo ove ver gados às das casas politicas, no me ad dam am, a que mente, primeira serpente da ua, s ua da puta, de bla do ble, de di rito serpente humano sed os vaso dp o os da cia e co isa se mne ne do xo ne maior c on sec u en cia, sabe, o qq quadrado da ue on te m cao p ass ar na rua o uv i, id ua s s en homem rato circulo do as al ino nós da m u p is das indo vaso ço es, di zorro da ia de uma para da outra, o s en hor do circulo da lie do iro, do circulo do terrorista da mer cea da ria cao lado da igreja, envolvido, dona da t en tat iva da mina home mo rte em do is mi le c inc o, n cão te maior do mais das achas dec ar do vao, do mario soares, q ue dec lina en tao, na da relaçao, de achas do ca rato do vao, da puta do soares, quadrado da ue da merda é esta, s u as putas q ue nin g ue maior c on se g ue f al ar c do primeiro aro rose do seja doque da for, se us dos perversos!!!


pois ao me lembrar do roubo recente do bilhete de indentidade, que ao que parece a senhora ana gomes, sabera quem foi, ou o do passaporte, me lembrei do roubo antes em dois mil e cinco, como aqui narrei, do passaporte portugues que estava valido, e sendo que uma das memorias que aqui contei, pela visoes que na altura tive, sobre o tsunami, em dois mil e cinco, me dizia, excatamente do roubo de um passaporte e da sua utilizaçao numa ferias no sudoeste asiatico, como forma de me incriminar, ou seja remete isto para o sudoeste asiatico, e para o pedro santana lopes, e o grupo dele, portanto pelo oraculo do sonho, ele esta envolvido no tsunami de 2005,


p oi isa cao me l em br da ar do roubo recente do bilhete de indentidade, q ue cao quadrado do vaso pa rece da primeira sn hor primeira da ana dog do gomes, sabera, q ue maior fo em me lebre rei ei id do circulo do roubo ant es em do is mi le c inc o, c omo a qui na rr ei, do p ass ap a orte portu gues q ue est ava vaso da primeira da al do lido, e s en doque europue mad as me mor ias q ue a qui conte dei, p dela, a das vaso iso es q ue na al u t rato primeira da teve, s ob reo ts un am ie maior dedo de dois mil e cinco, me di zorro do ia, é x cata em n te douro ub bode, um p as saporte, gulbenkian, é da s ua u tili iza sao es nu ma das ferias no do s u dó do este asiatico, c omo da forma de me incriminar,inc rim mina ar do aro, o vaso do seja rem ee is to para do circulo do onze do sudoeste asiatico, é para do circulo do pedro santana lopes, é cic culo do grupo, gato rupo dele, por tn cao ot p do elo o rac culo do sonho, ele lee é sta en volv id on circulo tsunami de 2005,

na imagem traficada na sede do psd com o passos coelho e outros subindo as escadas, como aqui disse na parte primeira deste texto, se via uma foto no fundo das escada am angulo de um com bigodes de nazi, como se fosse uma induçao para dizer do nazi que tera matado a sa carneiro, pois parecia ele nessa foto, o discurso do santana de seguida nesse telejornal, era de que alguns tentavam perverter a historia do partido social democratico, o pretexto, a treta da conversa, era sobre uma proprosta do psd que permite que o pr dissolva os governos, o que como ele dizia implicaria mudar a constiutiçao, o discurso de passos sobre a constituiçao, era em exacto, os argumentos que eu aqui há muito tempo desfiei sobre o caracter sacrosanto da constituiçao e de que alguns aspectos dela deveriam sem mudados, não este caso, pois é pura demagogia, já lembrei a todos que todos vos sao nazis, quando aceitam formar governo seja qual for tendo uma minoira de votos em relaçao ao numero de gente que aqui vive, nenhum de vos tem autoriedade democratica num estado de direito para governar seja o que for

na ima mage maior t ar fi cada na sede do psd com do circulo do passos coelho, é de outros ub indo as ae gre cia, c ad ás, c omo a qui aqui, di se en a p da puta da arte primeira d este tex cruz circulo, se da via de uma da f oto no fun dó da s es c ad primeira da am angulo agulo da gula, de um com big god es de nazi, c omo se da fosse, sef, uma indu sao es do para di ze rato do nazi qyadrado da ue teresa ra mat ad do circulo da primeira dea de sa carneiro, p o is par e cia dele ness a f oto, circulo da di s c urso do santana de se guida ness e tele jornal, e ra deque al gun serpentes t en t ava vam am per verter primeria da historia do p art id o soci al demo~circulo do ra tico, circulo do pre tex t o, primeria da treta da conversa, e ra s ob re uma por rp pr os t a do p sd q ue per mite quadrado da primeiro da ue do circulo do pr , cavaco, di s sol vao s g dos governos, o q ue c omo dele, di zorro do ia e mp lic aria mu d ar da primeira da c on s ti vaso do tiçao, o di sc ur os de passos s ob rea primeira da co ns tito é sao es, e ra em e xa acto, os argue mn t os q ue europeu a qui aqui há muito tempo, de fi ei s ob reo ca rac teresa s ac rosa nt o da constiuiçao, é de q u y e al gun s a specto s dele d eve ria am se maior mud dados, n cão de este caso, p o is é p ur a d ema mago gi ia, j á lem br ei primeira de todos, quadrado do vaso delta, e, todos do vaso do os da sao dos nazis, qua ando aceite do tam da am for mar governo , seja quadrado da ual da for t en do uma mino ira de evo vaso otos em relaçao, tribunal, cao nu mer ero de gente q ue a qui v iv e, n en home do primeiro, um de vo os te maior au tori ed ad demo c ra tica nu mes estado de direito, para g ove rn da ar do seja do circulo q ue da for

ontem pela tarde, um barco de guerra ali escondid com o mastro de dois radares de fora por detras duma girafa rtemplaria do cais, algume a pertir da casa de goa, projectara mna parede de uam cas ali do pario, onde cosntuma etsar uma menina no balcao a dançar, ums riscos de luz, pois não podia ser reflexo do sol, pela posiçao em que ele se encontrava, ou entao feito mesmo com espelhos, oq ue se lia nesse rabiscos, era primeira serpente do bal do cao da menina que dança, é o x do grupo kapa, uma pomba me mostrou ao momento um voo picado sobre uma arvore, a imagem que se me figurou na memoria ao momento foi, a queda do pequeno aviao com jovens jornalistas num serra da america latina, da posiçao onde estava no jardim , li entao casa do sade, go, o da lanterna negra,

on te maior p sd dela , a da t arde, um barco de guerra al i es cond id com do cirvulo do mastro de do is radares de for a por det rato as duma gi raf a rt e mp la ria do cais, al gume a per tir da casa de goa, pro ject tara mna pa rede de uam cas ali do pario, onda cos n t uma e ts ar uma menina no bal cao a dan ç ar, u ms r iscos de l uz, p o is n cão pod ia ser ref le xo do sol, p dela, a posi sic sao es em q ue dele, se en c on t rata ava, o u en tao , feito, me sm o c om es p el ho soc q ue se da lia nesse ra abisco s, er a primeira serpente do bal do cao da menina q ue dança, é o x do g rupo kapa, de uma pomba, me mo st ro u cao mo men to um vaso do dp do picado, s ob re uma da arvore, a ima ge maior q ue se da me figu ro un a me mor ia cao mo men to fo ia da primeira da queda do pequeno aviao com dos j ove en ns jo rna al istas nu maiord a serra da am e rca latina, da posi sic sao es da onda est ava no do jardim , li en tao c asa sado s ad ego, o da aln terna negra,

antes no pingo doce, onde em dia recente me tornaram a envenenar atraves de um camenbert, o figado e os rins, ao passar meu cesto tocou sem saber como num home que ali estava poisado num corredor, pouco mais alto do que eu, cabelo fino, semi comprido em aba, pançudo, de calcoes cor assim meio avermelhados e t shirt branca, lhe pedi desculpa, eu proprio muito suprendido com o toque, que so agora mesmo comprendi, o homem nem me respondeu, olhou-me com face de quem me queria comer, mesmo eu tendo pedido desculpa e lhe tendo uma leve pancada, ao pagar lá estava ele com um bela loirinha de olhos muito redondinhos, agora aqui, se develou a id dele, o home da faca da matança na madeira,

ant es do no do pingo doce, onda em dia rec cente en te, me t ron arma primeira en v en ñ ar at r av es de um cama men bert, circulo do fi do gado, é os dos rins, cao p ass serpenet da ar me vaso do meu cesto , circulo est circulo toco vaso use se maior, saber, c omo nu maior do home q ue al i est av p o isa sado nu maior cor red dor, p o u co mais, fr. Al t o do q ue europeu, cab do elo fi ino, s emi cm p r id o em ab primeira, pan cu do, de c al co es cor as si maior me do io da ave rato me l h ad a, é ts hi rt br anca, l he ped id es culpa, eu por rp p do rio mu it o s u pren dido com do circulo do toque, q ue serpenet do circulo do agora do mesmo , co mp ren di, o h om e maior mne maior da me r es ponde vaso, ol h o u do traço da inglesa me com da face deque maior da me q ue da ria co mer, p do mesmo europeu t en do ped id o d es c l pa el, he t en do uma l eve pan c ad a, cao pa g ar l á est ava dele, com um bela loi rinha de olhos mu it o red don dinho s, agora aqui, se d eve lou primeira id dele, circulo do home da faca da dama da mata da ança es ana madeira,


voltando a si, steve job, pela meta linguagem das suas palavras neste puzzle, diria ainda que se isto fosse um concruso, aterrava agoar um jacto aqui em casa com um bolo muito grande e de la saia a minha namorada, mas consurso foi palavra que usei em forma inquiridora a preposito ou melhor no contexto da minha ultima conversa com obama, onde falo de colinho, e de caminho de salvaçao, como se trazem os bebes, ou seja, ob da ama, o bebe do ob da ama, e depois ia.-mos de acordo com este script para uma ilha deserta , sendo a ultima que vi, a skorpios, numa revista onde aparecia a bela nadadora, eterna namorada do principe alberto, assim vestida de inana, skopios que é tambem nome de um album de um rapaz qu eu gosto muito, nem me lembrava que a ilha de onassis assim se chamava, parecia ter orelhas de ratos, parece somar qe entao o miguel hortae costa e pirncipe do grupo one, sendo o principe one, o alberto, ou seja ainda uam bomp de amor entre a puta e ele, em nova yorque, é isso que me dizeis

v o l t ando primeira do si do steve serpente da tv do job, do principe do ob, p dela, a da m eta lin guage maior das s u as pal av ratas as neste este p uz z le, di da ria a inda q ue se is to fosse de um c on c rus o, a te rr ava a goa rum j acto a qui em c asa com um bolo mu it o g rande, é dela , a s aia primeira min h ana mora damas c on s ur s o f oi pal av rac ue use ei em forma inc u iri dora primeira pre posi to o u mel hor no c on tex t, o da mina homem u l t ima conversa com do obama, onde do falo dec o linho,cama, é de ca minho de s alva sao es, c omo se t r ase m os bebes, o vaso do seja, ob da ama, o bebe do ob da ama, e d ep o is ia do pont ~traço ingles-mos de acor do com de este script, para de uma ila hd es rata eta , s en do da primeira u l t ima q ue vi, a sk o rp io s, n uma da revista onda ap rec aia b dela, a na dado ra, e te rna na mora dado pr inc ipe alberto, as si maior vaso est id a de inana, sk o pi os q ue é eta tam am tambem noe maior de um al bum de um rapaz quadrado do vaso do europeu g os to mu it on e maior da me l em br ava q ue da primeira ilha de on assis, ps, as si maio rato da se c ham ava, par e cia teresa orelhas de ratos ps, pa rece s om oma mar q e en tao do circulo do miguel horta e costa e p i rn c ipe pedo dog rupo one, s en do circulo p rei cn ipe one, circulo ilo do al berto, o p u seja a inda uam bomp de amor ent rea primeira puta e ele, em no av y o ruc , coimbra, quadrado e, é iss o quadrado da ue me di ze is

por extensao me diz esta linha ainda set vaso d bal da comporta, gato rito da al do bal, o cabra do meo, com da porta, duplo sentido, mecanismo da matança dos polacos, e porta, cds, grupo

por extensao da me di zoro e sta da linha ad da primeira inda ase do set do vaso d bal da comporta, gato rito da al do bal, o cabra do meo, com da porta, duplo sentido, meca can is moda mat ança es dos pol acos, é porta, cds, primeria gata do rupo

e enquanto minha amada não chega, se essa maquineta faz quse tudo, talvez me pssa fazer um favor, enviar um telegrama a bela gwen, que deve ter o ip dela, eu lho dito

é en qua nt o min homem da primeira am mad ad an cão da chega, se dessa cobra da maqui net a f az quadrado use tudo, t al vaso e zorro alvez da me ps da sa f az , é rum f avo rato ps, en via rum tele g rama da primeira do ab à bela g w en, q ue d eve t ero ip dela, eu l ho, dito

queridinha gwen, não compre uma faca semelhante na loja chinesa, stop, stop, é só uma forma de pontuaçao nesta lingua que nada tem a ver com o amor infinito, stop, a faca tem um mau fio, e pouco corta e a protecçao só se for para canhotos,stop, assim com o mao esquerda agarrei a parte direita do pao tipo falo como diz o rapaz da loja indiana, com a esquerda cruzei por cima e com a faca cortei entao o lado esquerdo do pao em movimento contrario, depois se deu um furaçao, fico-me a perguntar da relaçao com a faca chineza e o pau do falo, beijinho mil infinitos, paulo

q ue rid dinha g w en, n cão co mp re uma f aca seme l h ante na loja chi ne sa, s top, s top, é serpenet ama nu elel ó, uma da forma de p on tua sao es nest a l in g ua q ue n ad a te ema primeira ver com do circulo do amor infinito, pedro ayres, s top, primeira faca te maior, um mau fi do oe poc vaso do circulo co rta, é a primeira por tec sao s o se for primeira do ap da para dos can h oto ss top, ass si maior do com do circulo da mao esquerda, a garr rei ei primeria p arte da direita do pau t ip circulo ipo circulo do falo c omo di zo ra p zorro da loja in diana, com da primeira esquerda c ruze zeze , beleza, ei por c ima e com da primeira oma faca co rte i en tao do circulo dol lado, es q ue rato dodo pau, d ep o is se d eu um fur raçao, fi co do traço da inglesa me primeira per gun t ar da relaçao, a puta do tribunal, com da primeira f aca chineza , é circulo do pau do f alo, bei jinho mi primeio in if, ff e cristina coutinho, fit it os, pau primeiro do circulo de dezembro

acusaçoes muito graves, parte primeira

Falei-vos de métodos de induçao e de hipnose, nas vertentes do dia a dia, e ainda em dia recente esta a passar na televisão um spot na aparência de prevenção de afogamento de crianças nas piscinas e a voz que o comenta, é exactamente uma voz desta natureza, ou seja que usa as características de controlo na voz, que fazem parte destas técnicas, me pergunto, como depois o irão inverter, e quantos meninos irão este verão morrer afogados em piscinas

F al ei do traço ingles, vaso do os de met o ds de indo sao, é de hi ip pn nose, nas verte en t es do dia a dia, é a inda em dia rec en te desta, primeira p ass ar na televisao, um da spot, tvi, na ap ar rec cna id e pre ce v n sao es de a fog gam en to de c ria anças es nas piscinas, é a primeria da voz q ue co circulo co men t a, é exa cata em nt, é uma da voz de sta ana natureza, o vaso do seja q ue da usa que as usa, ás das características, dec on t rolo na voz, quadrado do vaso f az ze é maior da p da arte de stas técnicas, me per gun toc omo d ep o is circulo do irao in verter, é qua nt os meninos irao este vera circulo mor rato , e r a fo dos gados em psi sic cina serpentes, na verdade apareceu aqui no pátio do bairro operario, ab br ll ro o per rio, uma g rande piscina, me pergunto mais uma vez de onde veio do circulo do dinheiro, pois é ob via da primeira do tribunal da relaçao, com do circulo de controlo e induçao dos sonhos

ou seja se prova a relaçao entre os do tribunais e os dos controlos e induçao de sonhos, morrei seus cabroes!!!!

...

Oh steve job, que declina aqui em o steve do job, que também declina em o steve do príncipe do ob, tam pau da manha, você rapaz me aparece aqui na tv com umas linhas de um puzzles muito curiosos, primeiro a html cinco, da aplicaçao roubada do e- cultura, como chave, que eu por espírito e não só lhe agradeço, hoje , ou melhor ontem , no telejornal, era assim

O homem serpente da teve do job, q ue dec li mna qui em o serpente do set da teve do jo b, q ue e eta tam am tambem dec li na o s tve do pr rin c ipe pedo ob do tam pau da manha, v o ce ra p az me ap rece a qui na tv com umas das linhas, de um, p uz z l es mu it o cu rio s os, prim mr rio primeira h da cruz ml c inc coda ap l cia sao ro ub bad ad a do, é cu l tura, c omo da chave, q ue europeu por es p ei rt o e n cão s o l he a g r ad deço br es, h oje , ou mel ho r on te mer da primeira ass si maior


jobs há muitos certamente, e um deles aqui, se prende com os passes feito no meu g4 e ainda nos próprios software e documentação técnica nos próprios cd de instalações, alguns deles certamente traficados com esse fim ,e não esquecendo da parte do espelho sobre o assunto da queda das torres, que aqui com todos tenho vindo a partilhar, sendo a ultima pista sobre estas traficâncias, apontar um pequena aparente empresa de vão de escada na rua da pampulha

job h á mu it os ser onda tae mn te, é um deles qa vaso da se pr en de c om os p ass es , feito, no me vaso dog do qudrado , é a inda nós pro rop piros so ft w ares se doc ue mn taçao tecnica, nós pro rop pura do rio, autarca do porto corrupto, serpenet dos cd das instalaçoes, al gun serpente deles, cera rate teresa mn te t ra fi cado, br s com esse fi me sn cao es q ue c en do d p arte do espelho, s ob reo circulo do ass un to da queda das torres, q ue a qui com todos t en ho vaso indo primeira p art til homem da ar, s en do da primeira u l t ima pi sta s ob re e sta serpentes das traficancias, ap on tar um pe qe u na ap ar rec centeen t e , em presa de eva do vao, do cabro do terrorista e pedofilo mor , soares, de es c ad ana da rua da pampulha

isto são crimes diversos, puníveis pela leis para as quais continuo a aguardar resposta das autoridades corruptas o que prova também o envolvimento destas na cobertura destas manhas e portanto sobre elas se deduz desde já crime de cumplicidade com actos criminosos e crime de conspiracia, contra um pai e um filho e consequentemente participação em actos de pedofilia de nazis, com tortura sobre uma criança e um adulto


is tosao c rim crimes es di ver s os, p uni v ei s p dela, a da leis para as qui as c on tin ua a a g ur ad rato, o rato da es posta das au ot tir ted red dd es c rr u pt o ás do circulo q ue por rb vaso da primeira do vat t am tambem fo do circulo do en volvi men to d estas na co be rt ur de sta das manhas e porta nt, cds, o s ob re delas, sede 3 do quadrado do zorro do vaso, de sd e j á c rim crime de c u mp li cidade com actos c rimi ino ossos, é crime de c on sp ira da cia, contra primeiro pai e um fil h oe co nse q ue en te mne net p art ti cip cruz aç sao es em actos de pedofilia, de nazis, com tor ruta s ob re c ria ança da puta espanhola


nós a maça, ou nós da primeira maça, não somos perfeitos, e os telele tambem nao, pois ao que parece as brilhantes mentes esqueceram.se da interferencia eletromangnetica das antenas com as maos , ou uma certa mao num determinado pegar do iphone quadrado, ou seja ip home one, quadrado



nós da primeira dama da maça, o vaso dos nós da primeira maça, n cão s omo s per rf ei t os, é os telele t am am tambem noa, p o is cao q ue ap rece os br ila h net ts mente, serpente es q ue ce ram.seda inter feren cia ,ele, t roman gn e i c a d as antenas com ás maos , o vaso de uma ce rta da mao nu maior det e rato mino da pega da rata da ar do ip home one do quadrado, o vaso do seja ip home one, quadrado

na verdade perfeiçao, só a minha amada e o amor em que a trago, emboras as veze me pergunte se elea não estara com um problema nas antenas, ou mesmo se calhar mais grave no processador, visto, que ainda hoje pela tarde dela ouvi, que eu agora me virava para raparigas mais novas, eu lhe fiz grrr, mas como não sei o ip dela, nem bem sei ainda o resultado da dentadinha, amorosa, acrecente-se para que não fique duvida,

n ave rda de p e r f ei sao es, s o a m in h am ad a é circulo do amo rem q ue a t rago, em bora s as v e ze me pre gun te se dele lea n cão é ts sara com um pro b l ema nas ant en as, o um es mose c la h da ar mais g r ave no pro roc ess sado rato ps, vi s to, que a inda h oje p dela, t arde dela o uv vic ue eu do agora da me vaso ira ava para ra ap rig gas mais n ova s, eu l he fi zorro g rr ratyo mas c omo n cão s ei o ip dela, ne mb é m se onze a inda do circulo do r es u l t ad, o da dentadinha, amo rosa roda, ac rec cente do traço da inglesa se para q ue n cão fic q ue d uv id a,

depois aparecia um desenho animado tipo japones, com umas vozinhas tipo computador muito birrentas, oonde, um dialogo se travava, com um que só mesmo queria o iphone, quatro, assim tipo fixaçao amorosa que eu trago com minha amada, pela ausencia do seu sinal, e que seria ainda maior baloiçando numa bela rede tropical, que ate parece o folhetim dos veus sem ventre da tele fon nica e da pt e da vivo e mais nem bem sei o que, que se fibra optica trazem, e gostam muito de a enfiar pelos undergrounds, esquecem se, de que com ela se fazem rentaveis paineis solares que alimentam as centrais e os telele inclusive

d ep o is a ap r e cia um de s nho ani mad o t ip o j ap one s, com umas v oz in h as t ip o com puta ad da dor mu it o bir ren t as, dp onda um dia l ogo gose t ra ava ava, com um q ue s o me sm o q ue ria o ip cruz h one, q u t ro, as si maior t ip o fi xa sao es amo rosa q ue eu t rago com min h a am ad a, p dela, s au en cia do s eu sin al, é q ue se ria a inda maio r ba al loi can do nu ma b ela da rede t rop pica al, q ue a te pa rece do circulo do fo l he tim dos v e us se maior v en t red a tele fon nica e da pt e da vivo e ema mais ne mb e maior ms ei o q ue, q ue s e fi br a o pico t r az e me g os tam mu it ode dea primeira en fia r p elos undergrounds, es q ue cem sede deque eu com ed dela , da se f az x em rena tve is pa is ne s sola ares q ue a lie mn t am ás centrais e os tele le inc l us ive

nisto aparecia o senhor em cima de um palco, projectando essas duas frases em sincronismo com a sua fala, e dizia que ia dar uma capinha a cada um dos utilizadores, a mim parece me sempre bem corrigir aquilo que sabemos que esta mal, e é assim que se fazem bons negocios se manter e florescer, menos bebezinhos,

nato ap ar rte rec ca io s en hor em c ima de um pal co, pro ject ando ess as du as fr ases em sin c ron is mo c om a s ua fala, e d iza q ue do ia da ar, uma ca da pinha a cd da a um, dos u tili za odres es, primeira mim pa rece me se mp r e b em cor rig gi rato qui illo q ue s abe emo s q ue e sta do mal al, , e é ass si maior q ue se f a em bon s n ego cio s se mantere flor es ser,

capinha em ingles me soava a bomp, que para mim corresponde mais a bomps de amor, ou seja aos belos seios e a saltos no amor, por confusoes geralmente criadas por bestas disfarçadas de passaros e passarinha, mostrava um pequeno e outro grande , ou seja uma historia de pai e filho e sendo os cantos do dito cujo assim aredondados, eu olhei ali a minha mala de pc portatil, que tambem o é, está no aquario, na regi tecnica, ao lado de uma outra mala, de documentos, daquelas tipo escolinha que eu antes usava e sempre dao muito jeito para levar papeis para as reunioes, no tempo em que era assim, e que comprei ali pelas bandas da rua dos doiradores, se não me falha a memoria há muitas lua atras, ou seja rossio, centro da cidade, capinha e borrachinas, e sonia em vez de sony, ou seja o falo da antena em nova yorque das bomps de amor, que se forem grandes fazem nas vezes cair ate torres e tudo, curiosa linha, aqui a aflorar neste seu puzzle,

circulo ca da primeira da ap da pinha em ing kapa es da me s o ava primeira do ab bo mp, q ue para da mim co rr es ponde maia primeira bo maior ps de amo rato ps, o vaso do sj , primeira a os b elos s ei s os sea primeira dos saltos no am o rato, por c on fuso es ge rale lem nt e criadas do pro das bestas di s fr aça ad as de p ass aros rose p ass sarin h ase mo s t rato av , um pequeno e outro g rande , o vaso do seja de uma hi sor ia de pai e fil h oe, s en do os can t os do dito, cu jo as si maior red o dn dados, eu o l he ei al ia min h a m ala de pc porta til,cds, q ue eta tam am tambem eb mo é, e sta no do aquario, na regi, é tc nica, ao l ad o de uma outra rama da ala, de doc u m en t os, da q ue delas, t ip o es co da linha q ue europeu ant es usa ava e se mp red dao mu it o j e i t o para el vaso do bar pap ei s, para ás reu bn io p es, no te mp o em q ue e ra as si me q ue co mp rei al ip p delas das bandas, da rua dos doi ratos dor es, se n cão me f alha am emo ria h á mu it as lua at r as, o u seja do ros sio~do c en t roda cida ad e, ca pina he bor ric n h ina se sonia em v e zorro de sony, o u seja do circulo do falo da ant en a em no av y p y q ue das b o m ps de ema mao rato, q eu se for maior g rand es f az e mnas v e ze c air a te tor r e ws e tudo, cui roso da linha, a qui a a flor da ar nest es eu p uz zorro le,

as restantes coisas, que ali estao, ainda me disse

circulo do rato edp , r dp est o das o cia s a li me di a inda,

e fui ver o que estava lá dentro, da mala com os cantos em orrachina como as duas capinhas anti distorçao magnetica, ou seja a mao do magnetismo, assim o pretende steve dizer sem o dizer, ou da hipnose colectiva que ali se deu, nesse dias , meto a mao, e encontro somente, um quadradinho vermelho de mortalhas, que me diz logo ao vee.lo, um rasgao feito pelo miguel delta do costa, que se figurou na minha consciencia com o miguel horta e costa, o mais novo, e depois do rasgao, ft do miguel da as, ad e in sapin, spain, e uma motalha assim dobrada quase como um origami que marca o sm o king, j al circulo ap par rta ado de sesenta e dosi, segundo sete do onze do traço ingles do novencento e um, noventa , primeiro , o de sintra, coma natural do rice paper, do aviao da rice, de de dezoito grau maconico, setenta nove, setembro, ste, o sete de setembro, assim parece declinar,

é fu ive vaso ero q ue est ava l á d en t roda dama da mala, a vizinha, com os can t os em o rr ac china c omo ás du as c a pinhas anti di s torçao mag net etic a, o u seja primeira mao do magnetismo, as simo pre ten de steve di ze rato s emo di ze ero do vaso da hi ip pn io se c ole c tiva q ue al ise sede vasp ness e dias psd, met circulo da primeira mao, é en c on t roso que mente, um qua ad ra ad di dn ho verm ml le ho demo da morta , rta, l home da primeira sm, q ue me di zorro l ogo cao v ee do pont dez, primeiro do circulo, um r as sg cao, feito, p elo do miguel delta do costa, q ue se fi fut r o un a min h a co nsc ien cia com do circulo do miguel horta e costa, oma sin ovo, é d ep o is do r a sg cao do ft do mic u el da as da ad e in sapin, spain, é uma m ota alha as si maior da dobrada , q ua ase c omo um o rig am i q ue ma rca o sm circulo do k ing, j al circulo ap par rta ado de se da senta é dó si do segundo sete do onze do t rato do aço es ingles do n ov en cento e um, 101 no v en ta , primeiro , o de sintra, c oma nat ural do rato ice rice paper, do avia , circulo da rice, de sd e dez o it o g ar ~rim maconico, sete en a te n ove, st em bro, ste, o sete de setembro, as si maior pa rece dec l ina ar art rato ps

ao lado das malas, está um cadeira da rede fechada com um dat e uma tv sony em cima, e por cima um cabo verde ponta bnc de prata, enrolado, e do outro lado em agulo disposta uma das cadeiras de aluminio, tambem da matriz maior, que recentemente aqui entrou na key da torres, encostada a ela esta a tampa do ar condicionado ou seja as recentes linhas sobre as traficancias na placa que os terroristas que aqui entram usaram inclusivamente na ara e na tv, como aqui fiz porva, ou seja dos espioes, pela imagem da puta do psd, ex mrpp, pacheco pereira

ao l ad o das ma s l as, e sta um cade ira da rede f eca hd ac om um dat e uma da tv sony em cima, ep por c ima, um cabo verde da ponta bn circulo lode prata, en rol lado, é do outro rol lado em a gula dez, di sp o tsa, uma das cade rias de a lu mini o, t am tambem da ma t rato e zorro maior, q ue rec en te mne net aqui entrou, na kapa , e delta da torres, enco sn t ad a , primeira dela, é sta da primeira tam pado do ar condi cio na ado o u seja ás das rec en t es linhas s ob re as t ra fi cancia, dn,. Serpente na pala, av , laca q ue os dos terroristas q ue aqui en t ram, usa dsr sara ram inc l us iva ivam am ,a que mente na a ra e na tv, c omo a qui fi zorro zp , ze pinheiro, por vaso da primeira, o u seja dos es pi oe es p dela , ima mage maior da puta do psd, é x do mr do pp, pacheco pereira

e sendo que esta imagem como aqui dei conta pela analise do seu simbolismo, remetia para a dentadura , sendo dentadura como vos recordais, imagem que comecou a circular na cimeira da onu antes de cophenagen, e tambem recentemente a ver com os passes que me fizeram em meus dentes desde pelo menos noventa e oito, cca, começando pelos dentista da puta que me tras o filho roubado, no estoril, que agora de novo entrou num sincronismo desvelado pela justaposiçao das imagens anteriores numa gravaçao recente, que aponta, delfins, do casino do estoril, ou seja grupo amorim,

é s en doque e sta da imagem c omo aqui dei conta, p dela, a da analise, anal ise sed o s eu si mb o lis mo, reme da tia do para da primeira da ad da dentadura , s en do d en t ad ur a c omo vaso do os reco rda is, i ma ge maior q ue co meco ua c irc cu l ar na cime ira da onu, ant es de cop h en a g en, e eta tam am tambem rec en te mne net , primeria ave rc om os passes que me fizeram em meus dentes, de sd e p elo men os n ov en a te o it circulo do cca, co meça es bn do p elos dentista da puta q ue me t rato ps as do circulo do fil h o orubu bad a ad do circulo do no do ca sino do estoril, maconicos da cas do sino, o de est oi, rato primeiro rol, qui e agora de n ov en t rato o un um sic n r o ni s mo d es vela lado p dela, a just ap posi sic sao es das ima mage en s ante rato iro serpente delat e, nu ma g r ava sao es recente,q ue da ap da ponta do ca sino, o do estoril, o vaso do seja gato do rupo do amorim,.

Delfin , é tambem nome de um pedofilo da fac ligado as bestas dos partidos de tempo antigo,


http://sports.yahoo.com/golf/blog/devil_ball_golf/post/Tiger-Woods


e se juntou ainda um outro sincronismo sobre dentes, pois primerio aflorara nas linhas da investigaçao em torno da noticia do jornal dos bandidos, o dn, sobre a bela menina francis, um escutado, a mistress do tiger woods, dificil de entender , pois tras muitas o rapaz pelo que vi numa pagina, e para ser franco não fixei nem nenhuma e depois ou ao mesmo tempo dei com uma noticia de um comentador despertivo, que creio uma vez aqui ter abordado, pois tras um curioso nome, the devil ball, onde se ve o tiger num torneiro em inglatrra a beijar uma ponte antiga desse mesmo court, que simboliza exactamente duas fiadas de denets, e sendo que os elementos em fundo, umas colunas iluminadas de amarelo, e o que parece uma bancada elevada azul, me remeteram de imediato para a imagem recente no espetaculo no chiado, no dia do futebol com o brasil

e se jun t o ua da primeira inda de um outro sin c r nim maio os s ob re dentes, p o is prime rio a flor ara nas linhas da in v es tiga sao es em torno, o do ano not tui da cia, o do jornal dos bandidos, circulo do dn, s ob rea primeria bela me nina fr anc is, um es cu t ad o, a miss t rata do ess do tiger woods, provavelemnte entao do acindente dele, di fic el de en ten der , p o is t rato as de muitas do circulo do rapaz, p elo q ue vi nu ma pa gina, é para, ser do franco, n cão fi ze ei ne m ne en h uma e d ep o iso u cao do mesmo tempo, dei, com uma ni tica de um com en t ad dor d es peo ti vv circulo, q ue c reio uma ava vaso e zorro za a qui aqui, teresa ab o rato ps do dado, p o is t r as um cu rio osso no me, t he de vil bal da all, onda da se ve circulo do tiger nu maior torn ie o rem ing la t rr a ab bei ei j da ar, uma da ponte, ant ti gade desse cobra me sm o co ur t, ou kurt, q ue si mb o l kapa iza es cata em n te du as fia ad as de d en nets, e s en do q ue os ele mn t os em fun do, uma s co lunas i lu minadas de am mar rato do elo, é circulo q ue p ar ee uma da bancada dele , eva ad primeria azul, cds, me reme te ram de imediato para da primeira ima mage maior mr rec en te no es peta culo do no do chiado, no do dia do futebol com do circulo do brasil

se é peta deste cabrao, que morra, que estou farto de aturar mentirosos!!!!!!!!!

se é e pta d este cabro primeria, q ue mor ra, q ue est o u f art o de a tura r men tir rosos!!!!!!!!!

continua...
oh emmy rossum, tem um clip muito bonito e canta muito bem e é muito belinha