quarta-feira, outubro 27, 2010

nest e v id deo aba do xo d est aco a se guin te kapa uz

a lua já sem um pedaço laranja
mais ou menos em frente às torres do oriente, ou a lua comida por um a quem lhe deu o amok em sensibilidades estratosfericas, 

senhora teresa, suave de corpo elegante como figur de ki klim do mne de outrora, mas a palavra não diz klim mas sim clinton, cuja face se definiu por dentro de meus olhos fechados no fim da conversa, bill clinton, ou bi do onze do clinton, 

mne , uma noite aqui narrada, eu de carro a passar, a que me pareceu a margarida de jason como irritada esperando na rua que desce do palácio, antes a vira uma única vez, ao passar à porta do garagem, como uma margarida nos cabelos, se destacou ao momento pela beleza no meio de um grupo de raparigas
passado algum tempo, de o ter aqui comentado,  deixaram no final da rua aqui a barrinha , o velo de janson com um flor margarida ao lado

clinton, klim, america, outrora aqui folheada, uma outra mulher se espelhou em duas mostradas, a amy, cabelos negros curtos vestindo de branco como uma vestal, ny, a rapariga do grupo dos pirros e do laurent na noite da minha morte em noventa e nove

depois sonhei, e era como se o fosse a amy filha do reid, como se alguém me contasse que ela tinha morrido no dia da queda das torres, que ele , a figura no sonho do pais, pois nem sei se esta parentalidade é real, ainda a tinha tentado avisar pelo telefone, mas que não fora a tempo, tem este sonho o valor simbólico que tem,. pois não sei da verdade real, isto e de corresponderia com ela ou outra que se terá ido nas torres, me recordo do dizer do mega ferreira uma vez na televisão, que uma amy, que nem sei se é esta , com quem tem ele um pequeno livro de fotos belas dessa mulher, lhe teria confidenciado que ela lhe teria dito que deixara o coraçao em portugal, me recordo de reid no congresso a falar de ressucitaçoes, como a avaliar do passo

hoje fui ao ccb, ver o tal quadro que ontem aqui publiquei, entre outros elementos uma laranja, cortada ao meio

se chama o quadro , la guerre de jouets



a l lua da ua ja acento primeira se maior de um ped aço do laranja, psd

mais o um nós em fr en te às tor r es do oriente, o ua da lua comida,  por um , primeira q ue m l he de u o amo rato kapa,  em s en sibil bil id ad es es rta t os fer icas, 

s en hora teresa caravalho rea, s ua ave de corp , o elegante,  c omo fi g ur de ki kapa li mdo mne de outrora, masa p al av ra n cao di zorro k li maior ma serpente  si m c l in ton, cu a j face da se d efe cn eu por dentro de me us olhos fec h ad os no fi mda c oner sa, bi ll  c l int o, o u bi do onze do clinton,  do
mne , uma do ano da noite a qui na rr ad a, eu de cc aro a ap ass ar, a q ue da me ap receu primeira da margarida de ja son c omo é rato  rita da es par ando na rua q ue de sc e do pala cio al g u en
ant es a v ira uma da unica , v aso e za cao p ass da ar à da porta, o  dog da rage maior,  c omo uma margarida nós cab elos da se d est aco u  cao omo en to p ela beleza ano me io de um g rupo de raparigas
p ass do  sado al hoem um te mp, dei xx ram no fina l da rua a qui a bar rinha , ove elo de ja ns on com um da flor margarida aol lado ado

clinton, k l em, america, o u y r ara aqui fo l he ad a, uma de outra mulher se es p el h o u em duas mo st r ad as, a amy, cab elos negros c ur t os v es t indo de branco com o p uma v est al, m y, a ra ap riga do g rupo dos pi r rose do laurent na ano da noite , a da min h a morte em ove en t , a , en ove

d ep o is s on hei, e e ra c omo seo da fosse da primeira amy filha do reid, e al gume da me c on tasse q ue dela tina homem  mor r id on o dia da queda das torres, q ue dele , a figo ur ano sonho do pais, p o is ne maior se i se desta , par en tali id dade é rea l, a inda a tina h t en t ad o av isa rp elo tele fon one, masque n cao fr  for a  a te mp o, te maior de este sonho circulo da ova do valor,  si mb o lic coc qu e te maior,. p o is n cao se id a verd ad e rea l, is t e de cor r e ponde dec cia com dela , o vaso da outra q ue da se teresa ra id on as tor r es, me record o , o do di ze rato do circulo do mega ferreira uam v e z na televisao, qu e uma amy, q ue ne maior se ise é esta , com q ue maior te maior dele , o um pec uno  li vaso ob bda vaso rato circulo  de fotos belas dessa mul her, l he teresa ria c on fiden cia doque dela l he teresa ria do dito,  q ue dei xara o cara raçao em portugal, me record o de re i d n o c on gress o a f al ar de r ess u cita taçoes, c omo a a av lia ar rata  do passo

h oje fu ia cao do ccb, v ero do tal quadro de ontem , a qui pub lic u ei, entre outros elementos,  uma laranja, psd,  co rta ad a cao me do io

esta figura do klin, ressoa ainda na silvia de serralves e do abilio e das historias da pt


o segundo aspecto que ressalto desta conversa, é um sinal que a mão expressa, a chave de fendas das frequências, ou dos sinais de comunicações, roda, nos dois sentidos, quando falo do valor actual do you tube como parte do grupo google, 2, 3 , ou 3, 2 milhões, portanto a reforçar a linha da relação deste passe com os google

o se do sg segundo as pec toque r ess al to de sta da convers a, é um sin al q ue primeira mao do express a, ac home ave de fendas,  das fr eq uen cia s, o u  dos cina sida co muni caçao, roda, nos do is s en t id os, qa un dó falo do valor, ac tua l do y o u t ub bec c  mo p do aret dog rupo do google, 2, 3 , ou 3, 2 mi l ho es, po rat tnt o a ref força ra lina hd da primeria do tribunal ak l da relaçao d este passe com o s gdp gato primerio  dele

e um pequeno zoom a cena contada no cais a ver o veleiro abaixo, ao lado do príncipe perfeito, o barco na margem onde estava por sua vez ao lado do paquito com ara cada vez mais decadente como se abandonado, dois carris também, como na imagem do quadro do ccb na conferencia do bandido cavaco, ou seja o bad ad dido do cavaco, ou seja,  a prova da relação do crime, o adido

é um pequeno zo om primeira da cena conta da ad do ano do cais, primeira ave vaso ero do veleiro aba do xo, cao aldo do principe perfeito, circulo do barco na mar ge onda e ws t ava por s ua v e z cao lado do paquito com da ara c ad a ve z mais dec ad dente c omo se a ban dona ad o, do is carris tam am tambem, c omo na ima ge mdo quadro do cc bna c on feren cia do b ad id o cavaco, ou seja o bad ad dido do cavaco, o use ja priemri por v ad a da relaçao, ad  do crime, 



pela tarde fora o céu plumbeo à tua ausência
chumbo carregado de suave envolvencia
como um certo peso existencial 
que nos dá corpo

p ela trade for cao c eu p lu be o à tua a usen cia c h um bo car re gado c on tudo de s u ave en vol ven cia c omo um ce rr top es oe é xis ten cia l q ue nós d á corp o





ah senhora amada, porque tardas em poisar em meu coraçao


deixa me contar como te sonhei no jardim
face semi ocultada de quem escuta
cabelos com raminhos de árvore
que requerem a atenção dos pássaros
suaves sulcos contrastados
prenuncio de doce encaixe
vos amei ao instante



a h s en hora am ad a, por q ue t ard as em p oisa rem me u cora raçao de ix a me cona tar c omo te s on h ei no jardim, face s emi o u c l t ad a deque es cu t a ca bel os com ra minho s de ar v o req ue d es via m a at en ç º ao dos p ass aro s s u ave es ws sul cos c on t r as t ad os pr en un cio de do ce en ca ix e
v os am ei cao is nt ante




pela noite no leito
senti te a chegar e
o desejo floresceu

beijei-te a rosa e os frondosos seios
e quando nos fundimos
e nos olhamos no olhar da alma
aquele tremor do amor
cresceu e se expandiu no corpo

curto o beijo contudo amada
pois era como um só sonho a sonhar-se mesmo ali estando, eu e tu

cu rt dp bei jo c on tudo am ad ap o is e ra c omo um s ó s on h o a s on h ar-traço inglesa se mesmo ali est ando, e ue cruz vaso no cop circulo

a noite no cais  estava suave

c omo te c on t e i, no do cais, primeira ano da  noite est ava s u ave











volta depressa chega  faz ninho todo o sempre


26 10 10c
40,0 MB (41.961.464 bytes)

frames do noticiário da rtp de ontem

fr a m e s do not ica rio da r tp de on te maior


este foi um dos tais onde o video aqui on line entupiu, mas não é este o tal digital, que pergunto se será uma espécie de cyborgue, este o de noventa e quatro, 

este foi um, dos tais,  onda deo v id deo aqui on l ine en tupiu, ma s n cao é este do circulo do t al di gita al, q ue per gun to ze se rá uma es pe cie de c y bor g ue



o espelho da cobra vermelha que ontem disse representar o cavaco silva, com um pauzinho de incenso espetado e um clip  fazer de antena ao lado de uma bateria virada para o cartão de metro viva, ou vaso iva, via, nome também  de peça da clara andermatt , que nao o sendo associo a cabo verde, ou africa em termos genéricos


o e  p s l h o d c o br primeira ave  vermelha qe on te maior di s se r ep pr es en tar aro cavaco silva, com um ap uz in ho de inc e ms o es peta do, e,  um c l ip a  f az e rato de antena aol ado de uma bate da ria vaso da irada para do circulo do cara rato do ato de metro vaso iva, o uva vaso iva, via, no me t am também  de p eça da c lara e der ma tt , pele,  q ue n cao circulo do s en dó ass soc cio do io da primeira  cabo verde, ou  africa em t remo emos s g ene rico s

rectângulo branco sobre ardósia com dois traços negros paralelos, como carris, um outro de ardósia, giz, um pássaro aviao em cima e um tesoura ou falo de uma menina que figura um cobra leopardo e ainda, este padrao que me faz lembar um outro que nao consigo assim do pe para a mão identifcar, talvez de uma das fotos publicada no blog, aqui em casa

rec tan gulo br anc o s ob r e ard o sis com do is t r aço es s negros para lelo s, c omo car irs, um outro de ard o is do giz, um p ass aro aviao em c ima, é um te soura o vaso do falo de uma menina q ue figi ur a um cobra leo pr ard oe a inda, de este padrao, nome tambem e figura de espada, es pada,  q ue da me f az lem bar de umo put ro que n cao co ns sig o as si md o pe para am mao id en tif car, t alvez de uma das fo t os pub lic ada ano blog, 2003 , aqui em casa


                                                 
                                                  glicinia quartim, ou gato do aro li cina da qua do sin

outras palavras e linhas chaves de mais esta encenação,

o u t as pal av r as e linhas c h ave es de mais e sta da en cena ac sao es,  

jerónimo de sousa logo na abertura a dizer, que se queixava das conversas de alcova, da porta, que foram inventadas pelo grupo do cavaco silva, assim li, depois ccb, a ver-se com os arcos a reflectir também nas imagens do lima de freitas, há cinco anos, sete , vito da isa do damasio, dama sio, do io, do barrote ou da barrinha do cio, logitech, do philipe do fogg, inglatera,o lusi da palha da silva da escadas, a reflectir a aimagem do desnweho de ontem, padrao leopardo, figueira traineira afundada, noo, s bento, dos filmes de s bento,

j ero nimo de s o uza logo na ab e r tura a di zorro do ze rato do didier, ac r es centa cor rec tor, do torque,  q ue da se q ue ix ava das conver ás de alcova, da porta, q ue da forma in v en t ad as p elo g rupo do cavaco silva, as si maior do li, d ep o is cc cb segundo,  a ve rato traço inglesa se com os arcos, design,  a refe fel c tir tam eb maior mna s iam mg en s dó lima de fr ei t as, h á c inc o ano serpente  sete do vito da isa do damasio, dama sio, do io, do bar rato ot rte teo vaso da ab rinha do cio, c ab rin hd a s om br in h a, ab rin h al da ago da rinha da beirinha, as si maior md dec lina do  circulo docorrector, t ipo poe ss ia c on c reta, a cabrinha da s om br in h a, um br ella, media, do ab br rin home da al, ab rui n h os a, can tor pop, o u bono,  do phi l ipe pedo do fo do gg da inglatera,o lu sida p alha da silva da es c ada s, a r ef form ula one le c t ira aima ge md o de sn we ho de on te maior do padrao, o leo p ard dop figueira tar ine ira a fun dada, no os sb bento, dos filmes de s ben ti, 

instituição militar, palavra de cavaco, da vila praia de ancora, pr aia da anc cora, tom bel sop sode do passos do coelho, lixa, machadinha, da luisa ramos, carlos pinto brasa, joao lobo antunes, percentil da joana amaral dias, ou seja do afonso, luis palha da do maestro, joana do coreio do diogo de vasconcelos digital, tarikaziz, vaticano, s ad dan, chavez, owen de illinois, a elle do lino ino is, expropriação, é x por ri pr ria ac sao espanhola, polvo do paul, e bpn, camara de sintra luis duque

in s tit ui sao do militar, pal av rato ad e c ava co, da da vila pr aia de anco r a, pr aia da anc cora, tom bel sop sode do passos do coelho, li xa machadinha, da luisa ramos, carlos pinto brasa, joao lobo antunes, per cen til da joana amaral dias, o vaso do seja do afonso, rei, luis p alha da d o m a e t r o, joana do co rei o do di o gode do vasconcelos digital, t ari k az i zorro, v at ti c ano, s ad dan, c h ave zo we rn de illinois, e lee lino ino is, e x por pr ia sao, é x por ri pr ria ac sao esapnhola, polvo do paul, e bpn, cama da ar de sintra luis do duque