quinta-feira, novembro 25, 2010

as policias portuguesas e mundiais, interpelaçao ao assasino do socrates por mais esta matança de foice larga

as das policias portuguesas, é mundiais, inter rp p dela , a do acs sao es c ao assa sino do socrates por mais e sta da matança de fo ice lara l arga
 25 11 10
2,40 MB (2.519.090 bytes)
vinte e quatro, sg segundo dop quadrado do circulo do mb, segundo de cinquenat e um primrio nono circulo da mordida em noventa, segundo delta cruz e s 

das outras ressonancias de diamante, e outros crimes,6

antes de continuar a desfiar este fio da meada, volto atrás para concluir o ponto da imagem do sonho onde aparece o paulo cardoso

ant es de c on tin ua ra defi , bn aca da ardi, dida dd da primeira da ar de este fio dam da meada, vol to at r as para c on cu l iro rop do ponto da ima ge md o s on ho onda ap a rece do circulo do paulo cardoso, o car do osso serpente circulo

quando a frase se definiu no sonho, as pílulas brasileiras , como se ele me estivesse a mostra-las sem mostrar, ou seja a cultar,pois a bagageira do tal falso porche, nao tinha nada que eu visse, me emergiu depois à consciencia, as linhas da herblife, pois a ultima vez que o encontrei fora nos olivais, aqui narrado, ele feito cyborgue com barata na orelha, a ressoar uma outra linha que viera da america e que fora espwelhada na capa de uma das revistas com a tal rapariga que comentara em breve, e que parece tanto a imagem dessa puta do cavaco, o tal poddle meio tosquiada, casaco de pelos vermelhos com que se apresenta, bem como um outro eco via yahoo, de que faltaria a alguém um certa baratinha, pois tras ela um brinco como uma, sendo que as ultimas aqui referenciadas foram as dos pcs e ainda um outro eco numa sub especie que aparecera como praga do egipto ao que parece, assim dizia uma noticia, na casa de madonna em londres, piolhos, vulgas lendeas, coisas que aparecem nos cabelos e pelos púbicos, a rapariga com o brinco de barata me parecera a daniela rouach

qua ando da primeira  fr ase da se de fi ni un circulo do sonho, as pi l cortez vaso das lulas brasileiras , c omo da se dele,  me est ive esse primeira m ostra traço ingles delas , se maior m ostra aro do vaso do seja da primeira cu l tar, p o isa baga gage geira do t ak do primeiro  f al s o do porche, n cao da tinha  n ad a q ue eu vi s se, da me  é mer gi vaso d ep o is à co nsc ien cia, as das linha sd a her rb l if e, p o isa u l cruz ima vaso é zorro quadrado ue do circulo  en circulo em cruz x rei for ano serpente  oliva isa, do  qui aqui,  na rr ad o, dele,  feito,  c delta  do borgue com do ba da rata ana do orelhas, ar ra rt o ps do esso da ar de uma outra da linha quadrado da ue do viera da am erica, é q ue for da primeira  espanhola,  p we l , prime rio well,   homem da ad da ana dana, a  da capa , pade de uma das revistas,  com a t al ra pa riga qui ie com en tara em br eve, eq ue pa rece t anto da primeira  ima ge maior dessa puta do cavaco, o t al pod dd dl le me io t o squi ad a, p elo ca saco do aco de p elos vermelhos , russia, com q ue da se ap rec cent a, be mc omo um outro e co da via y  a homem  da dp de que f al tar ia a al gume, um ce rta bar da tinha, p do circulo do is t rato as dela,  um br inc o circulo onze  omo uma,  serpente da en doque as sul primeira cruz  ima, sa quadrado do vaso ref fr en cia as do foram , pt, pp por , cds, as dos pc sea da primeira inda de um outro,  é co numa  serpente ub espanhola do pe cie quadrado eq  da ue da ap da ar ee rac ac omo de praga,  do oe do egipto, gi ip pt co do cao quadrado da ue da pa rece, ass si maior di zorro do ia,  uma not ti cia, na circulo ac as de mad donna em londres, pi olhos, vaso duplo do primeiro rol do gas da len dea serpente  co ia serpente quadrado da ue da primeira da ap do rece maior, o dos  nós dos cabelos,  é p ep dos elos  ub bicos, bic os a ra ap riga com do circulo do br inc code bar rata da me par ee ra a dan ile da rouach

me recordo de memoria sem ver os apontamentos publicados de nos termos encontrado no café que existe no centro comercial, que na altura estava por baixo  de uma pirâmide de vidros como a que recentemente se espelhara aqui num prédio da rua,  numa recente imagem ainda relativa a pedras preciosas, os reflexos dos triângulos das velas, primeiro no anel que fora da princesa diana, via imagem do yahoo,  e ainda os tornei a encontrar nesta ida as amoreiras

me reco rode me mor ia se maior ver os ap on tae maior nt os pub l ciados, os dos nós dos termos, estalos nos aquecedores,  en circulo em cruz rato da ad on circulo do cafe,  quadrado da ue é xis te do nodo doc do centro da comercial, radio,  qaudrado da ue na al tura est ava por eb aixo  de uma pira rami maior ide de v id rosco omo da primeira q ue re cente maior nt, é se es p el hara aqui nu maior primeiro do predio da rua,  nu ma re cente ima ge maior da ma inda rato dela , t iva da primeira das ped dr as pre cio sas, os ref fl é xo os dos t rina gulas das velas, prime rio no da ane do primeiro anel,  q ue for ad da primeira da princesa diana, via ima ge md o y da primeira do duplo do circulo . é a inda da primeira  torne ei do ia en contra nest da primeira  ida as am o rei das iras 

 me recordo de um estranho promenor, talvez operado pelo trasistor que trazia na orelha coo uma barata negra., pois cairam uns pingos de agua nesse momento que forma alvo de leitura correlacionada depois na escritas desse encontro, o paulo carodos, me dissera nesse moemnto que já nao trabalhava na pantalha, que estava na herblife, e que comprara ao que parece um apartamento no ultimo predio onde mora essa besta do ze nuno martins, um badameco, do grupo dos ladroes da spa e da rtp e da radio

 me record circulo de um est rato do anho pro rome en o ray t  o, t alvez o pera ad o p elo t ra sis tor do torque t ra zorro do ia na orelha,  circulo co  da dp,  uma ba rata ane negra., p o is c air ram am un s pin g os de agua,  ness e mo men toque da forma do alvo de lei tura cor rato ps  dela , ã do ac cio n ad a d ep o is na es c ritas,  desse encontro, circulo do paulo carodos, me di ss e ra ness emo em nt o q ue ja acento primeira  n cao t ra bal alha ava ana p anta alha, q ue est av na onda her b life, eq ue com prara cao q ue pa rece,  um ap art tamen to n o u l t imo pre di o onda demo da mora,  essa besta do ze nuno martins, um b ad dam do meco, dog rupo dos ladroes da spa e da rtp, é as da radio

herbalife, agora quando relacionei com a linha escutada no sonho, se me declinou tambem em um carocha, um carocha dos diabos, um filme antigo que salvo erro vi em adolescente no cinema da av de roma, ou seja com relaçao a av de roma, carocha, é termo brasileiro para os wolksvagem, que tambem eram lá fabricados, um carocha que trazia um numero pois se tratava de uma corrida, como a keira que vira a passar em campo de ourique agora no tal mercedes doirado com um numero que nao consegui ler, pois se ocultou entre os carros no proprio passar, mas que me pareceu ser cinquenta e tres

her rba da primeria da revista da life, agora qua n dó rato dela , do ac cio n ei com da primeira  da linha es cu  t ad ano do  sonho, seme dec lino vaso otam  tam am tambem em um caro da rocha, um caro cha dos diabos, um fil me ant ti gato circulo  q ue s alvo e rr circulo do vi em ad dol es cente no do cinema da av de roma, o vaso do seja com da relaçao, primeria da av de roma, ca do aro da rocha, é termo bras sile iro para os w o l kapa  s v agem, q ue eta tam am tambem , é ram l á fabrica cados, um ca da racha q ue t ra zorro do ia um nu mer ero p o is da se t rata ava de uma cor rid a, c omo moda, a primeira da keira quadrado da ue da eva do vaso da ira da primeria ,  p ass ar em cam pode deo circulo do urique , do agora no t al da merce cede serpente do irado com do primeiro , n primeiro do mer do ero quadrado da ue en cao co nse guida da ler, p do circulo do is sw,  é circulo do cu do primeiro,  toda ova do vaso en cruz re os carros no pro rop puta  do rio,   puta do ass da ar, masque da me da pa receu ser cin quadrado  vaso  en cruz, primeira é cruz dos  ratos  espanhóis

a segunda posição onde o carro no sonho aparecera, na av que desce para o rio, a mesma onde o relvas do psd teve o tal acidente com a lambreta em miúdo, mas bastante mais abaixo, me fez lembrar ao acordar ainda dois outros links desta imensa teia e historia

prim é ia da ase da segunda ps oiça cao es da onde deo do circulo do carro no do sonho, psi,  ap ar rec da cera, na av q ue de sc e para do circulo do rio, primeira da mesma da onda deo do circulo 101 do relvas do psd,  teve do circulo do t al ac in dete com da primeira  lam da berta emi vaso do dó, ma serpente  ba s t ante mais, fr,  aba do xo,da  me de fez lem bar cão acor da ar a inda de dois outros l in kapa serpente desta em en sa da teia, é h i stor do ia 

o primeiro foi o pião no tal carro dos mrpp a caminho de um encontro com o durao que acabou por não se dar nessa manha, que seria para os lados do braço de prata, e aqui  também como imagem de furacões, 

prime ria do primeiro,   prime rio do fo do iodo circulo do piao not cruz da al car rod os mr pp primeira do ca do minho,  de um en circulo em cruz ar rato sp do oz  do roco do omo do circulo do durao,  quadrado da ue aca bo p vaso  por rn do cao da seda da ar do ness da primeira dama da manha, quadrado da ue da se da ria para do os lados , do br aço es de prata, eq da ue aqui,  suri tam am também,  circulo  omo ima ge md é fur racoes co espanhóis

o segundo me emergiu na consciência ao perguntar.me, mas quem é o filho da puta cabrão assassino que anda a matar os avós nos olivais,

circulo do segundo da me mer gi vaso naco ns cien cia cao per gun tar da.me, masque mé circulo do filho da puta ca br cao do assasino q ue da anda a mat ar os av os nós do os serpente do oliva is

me caiu ao chao agora, pelas qautro e vinte e cinco, a cante uni ball vermelha, ou seja imagem de seringa e de sangue, ou seja da clinica, e o bico aqui apontou, o cabo do alimentador , o da lx, primerio a asa de ba do xo do g 4, maça, ou seja, o dog do quadrado da maça, que é tambem simbolo do pingo doce dos olivais, ou sjea o cao do pingo doce, ou seja as doenças sao pela comida, e os avos induzidos eppis de saberem os habitos alimentares deles

me caiu,  cao do cha do circulo do agora, p delas,  qa au t rato oe de vinte e cinco, a can te uni ba ll vermelha, o vaso do seja da ima ge mde se r ing primeira, é de sangue, o vaso do seja da clinica, é circulo do bico aqui,  ap on to vaso do circulo do cabo,  do al ie men t ad o roda do l x, prime rio da primeira da asa de ba do xo do g 4, maça, o vaso do seja, do circulo do dog do quadrado da dama da maça, q ue é eta tam am tambem si mb olo do p in god o ce dos oliva is, o u sj é primeira do circulo dao , o do cao do pingo doce, o vaso do seja as das doenças,  sao p ela com id a, é os avos indo uz id os e pp is de , saberem,  os h ab bit it os alimentares deles

fodam-se todos no inferno criminosos de merda !!!!!!!!

das outras ressonancias de diamante, e outros crimes,5

esse falo tivera ainda uma outra imagem que o espelha e que cumulativamente com o do senhor árabe e da casa ao lado da embaixada desenha um x, pois num dos últimos vídeos aqui publicados, calhou mostrar vos ao falar de porporçao e divina porporçao, uma antigo desenho do livro do mestre lima de freitas, do aberto durer, onde quando apontei o falo, a brincar com minha amada, lhe disse que o meu era maior e reia ate ali, desenhei com o dedo o sitio, mas depois me dei conta, da estranheza de ser para baixo o crescimento, o que não acontece geralmente, e portanto me disse, deve ser já a segunda truca truca, pois nessa geralmente e bem que se mantendo grande, já pode tomar essa posição o que permite a amada também um delicioso prazer, em certa posição certa

esse da se do falo alo ti vera inda ed de uma outra ima ge maior quadrado  ue do circulo  es p el homem , primeira é q ue cu mula t iva vam am men tg, montado,  e com do c irc culo do senhor ar abe, é da ca sao lada da embaixada,  de s en h a um x, p o is nu md os u l t imo s v ide os a qui pub li cados, c al g h o um ostra rato vaso do os aco cao f al rato de por porçao , é de v ina por porçao, uma antigo de s en h o do l iv ro do mestre lima de freitas, do aberto d ur e rato da onda qua n dó ap on tei do circulo do falo, a bric cna rc om min homem da primeira am md a, l he di s sec q ue o me vaso e ra maior e reia a te ali, de s en hei com do circulo 101 dedo o sit io, ma serpente  de pop is me dei conta, da est ran he za de ser para ba e xo do circulo do c r es cie maior nt dp q ue n cao acontece ge rato al rale lam n gte, é porta n t o me di s se, d eve ser já primeira da segunda turca, t ru ca t ruc prtimeira, coimbra,  p o is ness a da onda ge rale lem nt es se, é be maior q ue da se man t ed o g rande, já da pode de tomar ess a po is sao es o q u e per mite primeira amada t am tambem , um deli cio osso p r az e rem ce rta po siç sao es ce rta

a relação da palavra orada recente, onde emergiu a memoria do atentado de alvor, cumulativamente com as linhas que vem também de Inglaterra, sobre a morte da princesa diana, parece portanto indicar uma relação entre estes elementos nestas duas desgraças, e um certo conhecimento pelo menos do senhor árabe nesse dizer através dessa foto do vinte e quatro horas, ou seja, parece existir uma relação entre quem esta por detrás da matança de alvor estar também relacionado com a morte da diana

primeira do tribunal da relaçao, ad da primeira  pal av ra o rato ps ad a erc cente c en te, onda e mer gi ua me mor iad circulo do at en t ad o de alvor, cu mula t iva vam am , mente,  com ás das linhas q ue  vaso em tam am tambem de ing kapa la terra, br,  s ob rea primeira da morte da pric cn ce sa da diana, pa rece porta nt o indica rato,  uma da relaçao en t re destes elementos,  nest ad de duas d es sg r aças, é um ce rt o c on he ci maior nt top elo men os do senhor arabe,  ness e di ze r at r av es de s sa fo to do vinte e quatro horas, o vaso do seja, pa rece é xis tir,  uma do tribunal da relaçao,  en t rec q u e maior desta , por det rato ps ad da primeira dama da  matança de alvor,  ester tam am tambem rato dela , o do ac cio n ad o com do damo da  morte da diana

ou seja ainda, aflora de novo aqui uma antiga linha da minha analise nestes anos da confusão, da interligação entre todas estas desgraças, um bocado a mesma imagem que apareceu ao analisar a queda das torres em ny, como a resultante de uma linha antiga de guerras que por não terem sido resolvidas no seu local certo, ajustiça do homens, vai sempre aumentando e leva a consequências maiores quando se incendeia à seria, neste caso, uma relação que vem desde o atentado de alvor ate os metros de londres e também de novo madrid


 ov vaso do seja a inda, a fl rato circulo da primeira de n ov aqui,  uma antiga da linha, lina hd dam am  min homem da primeira ana lise nest es ano serpente da c on fusa usa sao, da int rato eli liga çoa es,  en t re de todas destas deg r aças, um bo cado da primeira da mesma , mai ima ge maior q ue ap a receu cao ana lisa sara da primeira queda das torres em ny, c omo a r es sul t ane net de uma linha na tiga de guerras q ue por n cao teresa rem s id o , rato da art o es sol v id as no s eu l ocal ce rt o, a jus tiça es do h ome ns, v a i se mp re au men t ando e l eva a co nse q uen cia s maio ratos es qa un dó da se inc en dia à se ria, neste de ws te deste caso, uam da relaçao q ue vaso em de sd deo do circulo do atentado de alvor,  a te os metros de londres e eta tam am tambem de n ov m ad ridrato id

esse livro de que antes falei que vi nessa manha na livraria do dn no rossio, trazia na capa uma imagem do filme, com a keira e scarlett, e uma outra linha anda dentro de mim relativa a um rei que nem sei se será o retratado nesse livro e posterior filem, henrique sétimo

esse l iv rode deque ant es f al lei ei q u  é vi ness primeira da am da manha na livraria do dn no rossio, t ar zorro do ia na capa,  uma mai  ima ge md o fil me, c om a k é ira e sc arlett, é uma outra da linha da anda d en t rode da mim rato dela t iva a um rei,  q ue ne maior s ei se se rá o r e t ratado ness e l iv ro e poste rio rato fil lem do  henrique, o set imo

esta memoria andava em mim, ao pensar na ausência de minha amada, a quem eu digo amiúde como gosto muito de passar a vida a dar-lhe beijinhos, e me lembrei desta historia, com alguma insistência, sem bem mesmo perceber porque , para além do simbolismo da tua ausência

é sta da me mor ia ana dv a em mim, cao p en ser + pn net da ar na au use s en cia de min homem da primeira amada, a q ue maior do europeu do dig c irc uk lo  ami u de c omo g os to m u it o de p ass ara primeira  v id a ,  ad da ar traço ingles primeiro he , bei jin h os, é me lem br ei de sta desta hi s tori a, com al gum a  in sis ten cia, se maior mb do be maior do mesmo , per eb be rato rp  por q ue , para al é md o si mb  o lis moda tua au use s en cia


pois o rapaz se casou com uma rapariga que nao gostava muito de truca truca,ou talvez tenha sido ele em parte incapaz de a despertar para os belos beijinhos, e a rapariga como é retratada nesse filme, padecia entao tipo de enxaquecas e talvez tivesse mesmo tido problemas com as gravidezes nas quais se refugiava dos ardentes desejos do rapaz, e então combinam as raparigas da rainha porem uma outra bela na cama do rei, escolhida por elas, de forma a poderem controlar os apetites do rapaz dentro do proprio circulo, com sempre a coisa dá para o torto porque ambos se gostam muito e gostam muito de truca trucar e a rainha acaba com ciumes e depois nem sei mesmo se lhe cortam ou nao a cabeça a outra, digamos que este é o valor simbolico desta historia tambem  de lençois e das guerras de sempre pelo poderes de nada ou quase, e de maus casamentos


p o iso circulo do ra p az da se c as o u com uma ra pa riga q ue n cao g ostava mu it o de t ruc a t ru cao do vaso t alvez ten hoem da primeira  s i d o dele, em p arte inca capa da paz dea primeira d es per rat tar art do para os vaso b elos bei jin ho se da primeria  rapariga c omo é re t rata tat td ane ness e fi l me, pade dec cia en tao t ipo pode en xa quecas e ta alvez ti teve vaso desse mesmo , t id o por rb l ema sc om as g r av id dez es na serpentes do quais, fr,  se ref fu gi ava dos ardente serpentes do desejo , serpente do rapaz, é anto combina am às das raparigas da rianhas po rem,  uma outra b ela lana ana cama mad ad do rei, es co l hi id a por delas, de forma da primeira  pode der rem c on t rolar os ape pet tit es do ra p az d en t ro do pro rop  p rio circulo, com se mp rea primeira da coisa,  d á  para do circulo do torto, to rt o,  por q ue de ambos da se g os tam mu i toe,  g os tam u it o de t ruc a t ru care , é a rainha aca aba com cio um es , é d ep o is ne maior se ei do mesmo , se l he co rta tam o un cao prime ik ra ca beça da primeira da outra, dig gamos q ue de este,  é circulo da ova do valor, financeiros,  si mb o lic o de sta desta , hi os tori a tam am tambem  de len ço ise sedas das sg guerras de sempre,  p elo pode der ratos  es de n ad dao cao vaso  q ua ase , é de maus ca sam en nt os

ou seja haverá certamente uma simetria deste sempre mesmo e cansativo plot, por isso sempre te digo, deves mesmo chegar e te deitar ali no leito, e eu te salto sempre em cima

o vaso  seja h ave vera ce rta em nt e , é uma si met ria de ste sempre do mesmo, é can sat ivo do plot por iss circulo do sempre te dig o, d eve es do mesmo chega rato re te de itar a l i no leito, e eu te s al to se mp re em c ima





 a gravura de alberto durur reproduzida no livro sobre almada e o numero, tendo ao lado no inicio do capitulo terceiro, uma citação de esquilo, prometeu, dei-lhes ( aos humanos) o belo achado do numero

primeira da dag da  gravura dea do alberto,  d ur ru rato,  r ep pro d uz id ano l iv roso br e almada, é circulo do nu mer ero, t en do cao lado no in cio,  o do c apit u lo te rec e iro, uam cit y a ç ao de esquilo, por mete eu, dei traço ingles l he es ( a os h u ano s) o b elo acha ad o do n um mer ero

curiosamente , uma primeira correspondência acaba aqui de se espelhar, pois esse tal anes ex pj, publica pela esquilo, e outras referencias existem aqui sobre esta editora também

cu ur r iso am mente , uma primeira cor r es pond dc cia aca aba aqui, id da se es p ela home rato rp  p o is desse cobra  t al anes é x pj, publica p dela , a da esquilo, é outra s ref fr e cn ia s e xis te maqui s obr e esta ed it o r a t am tambem

mas não se esgota aqui este espelho como explicarei de seguida, neste livro que cada vez mais me parece ser também com uma pista que lima de freitas me deixou para poder vos explicar isto tudo e alcançar a paz no mundo pela justiça

ma s n cao se es sg gato da ota aqui de este espelho,  c omo moe  é  x p lic ar rei ei de se guida, nest el iv roque c ad ave zorro do mai da me pa rece ser tam eb maior mc om,  uma pi sta q ue lima de freitas,  me d ei xo vaso do para pode der vaso do os,  é x p lic da ar disto tudo, é al can c ar es , a da paz nodo  mundo p ela , a da ad da justiça

continua...
 c on tui nua



quando a frase se