sábado, janeiro 29, 2011

prova aos vermes

pr, ova dos vermes

ontem pelo final da tarde , sete seriam, subi a rua do possolo para ir ao pingo doce, levava uma certa curiosidade depois do que aqui vos contei, sobre os envenenamentos

on te mp elo fina al, a da  dat da cruz arde , sete,  se ria am, s ub ia rua do p as solo para irao cao pin g o doc e, l eva ava uma da ce rta c uri rio sida dade d es posi doque aqui v os cont ei, s ob re os en v en anam en t os

uma chuva se abriu do ceu, e ali fiquei parado na tabacaria onde comprara os cigarros, um rapaz que ali se pos ao lado logo deu um sinal pelo telefone a alguem ou alguns


umc homem da uva se abr eu do c eu, é ali,  fic q u ei par ado dona da tabacaria, t aba baca ria,  onda com por ara os cigar r os, um ra ap z q ue do ali se pop ps cao lado l ogo d eu um sin al p elo tele fon é primeira da al g ue maior o ual gun ns serpente
 
entrei no supermercado e logo senti, o cheiro a manha montada, a primeira coisa que reparei foi a prateleira dos leites toda muito organizada, como nao é habito naquela hora, um de lá,  estava mesmo dando os ultimos retoques, pois isto era o contrario do que tinha dito em palavra orada, sobre os tais pates na charcutaria
 
en t rei no super mer cado é l ogo s en ti, o c he iro da primeira manha montada, a prime ira co isa que r epa rei fo ia pr rta ele ira dos leites, todo mu it o organ ani iza niza, ps, ad a, c omo n cao é h a bit o naquela hor a da um de l á es tva, do mesmo dando os u l t imo s r e toque es, p o is is to e ra o c on t ra do rio, psd,  do que tina homem do dito em pala v ra o r ad a, s ob re os tais pat es na c h ar cu t aria


vindo do pao, na exacta contraria prateleira , contignua à charcutaria ao passar, um bolicao cai, virei-me para tras, duas senhoras, vinham a passar o agararam do chao e o puseram na prateleira que estava expressamente desorganizada, isto é, em desiquilibrio precario prepositado


vaso indo do pao, na e x circulo do cat do ato c on t ra da ira pr a tele ira , conti nu gn ua à c h arc u t aria cao p ass da ar, um b o lic cao cai, v ire rei ei traço ingleesa me para t r as, duas s en horas, vinha do ham am  p ass ar do aro ar raga ram do cha oe, é c irc uk lio  p use ram ness primeira par tele ira que es tva é x pres as,  mente,  de sor g ani niza z ada, is to é, em de siq u ili br io pre cardo  io pre posi it ado


em meu espirito, o sentido se afigurou ao momento, o cao do grupo de boliqueime, o cao da puta do cavaco silva

é maior  me europeu da espanhol do pei da it circulo da dp,  serpente da en cruz id circulo  se a do figo,  ur circulo do vaso do cao do mo maior nt circulo, o cao do dog rupo de boliqueime, o do circulo do cao da puta do cavaco silva