segunda-feira, julho 08, 2013

hoje entreguei um pedido de assistencia na Curia



hoje dia 08 07 2013, pela primeira hora, entreguei um pedido de apoio judiciário na Curia, tribunal criminal europeu onde inclui como anexos duas cartas. Estive nos serviços que contactei em 2011 por fax e telefone, e fui atendido por uma das senhoras portuguesa, Miriam Mateus, com que inclusive falei ao telefone em 2011 como publicado em video no meu livro da vida, nessa altura.

lembrava-se a senhora Miriam Mateus, deste caso, como o pude confirmar quando lhe falei do desaparecimento no tribunal da minha primeira carta enviada por fax dos CTT dos restauradores em Lisboa a 8 de julho de 2011, pois de novo me apresentou o mesmo argumento que outros na altura evocaram nas conversas telefonicas, de que o numero de endereço era distinto do deles, ao que eu respondi da mesma maneira, que o tinha obtido na página da internet do site do tribunal como sendo o do tribunal, ou seja, se verdadeiro, a primeira carta poderá ter sido desviada no atendimento que corresponde ao numéro do tribunal para o qual foi endereçada, pois como na altura confirmei o numero para o qual enviei é na realidade um numero do tribunal.

anexei ao formulario do pedido de apoio que hoje me recepcionaram, fotocopias de duas das tres cartas que na altura enviei ao tribunal, a acima referenciada e a de 18 de julho endereçada à senhora, onde entre outros dou conta ao tribunal do desvio da primeira carta. todos estes documentos foram publicados no meus blogues na altura em que se passaram.

Só tenho condições para poder esperar uma resposta, se a houver, nos próximos dias, depois o dinheiro se acabará  e terei que voltar a Portugal, como digo na carta que lá deixei endereçada ao secretario geral do tribunal Mr E Coulon, explicou-me a senhora que este tipo de pedidos passam primeiro por um senhor e depois são analisados pelo juiz presidente do tribunal, de nome Mr Jaeger,  segundo me indicou.

Se não obtiver apoio desta instituição, creio que em Portugal me tentarão internar de novo num hospital psiquiatrico ou pior. Um dos papeis que trouxe do hospital menciona um exame à cabeça que não me recordo de ter feito, isto é, se o foi terá sido feito quando me encontrava sedado ou mesmo a dormir. 

Poderá ter sido uma tac, mas não vem mencionado, o que reforça a leitura de uma omissão prepositada.

Atendendo às tonturas nas mudanças de posição do corpo ou mesmo da cabeça, às pontadas de dor que de vez em quando tenho na cabeça especialmente no hemisfério esquerdo, e alguns outros sintomas como sentir uma pressão de dentro do crâneo, como se a cabeça estivesse a crescer, bem como outros tipos de dificuldades, falta de controlo motora fino, dificuldades de fala e visão, memória e capacidade de concentração, e falta de libido me pergunto se não me terão feito tambem sem meu conhecimento ou anuência, uma operação laser, pelo nariz, ou seja, uma especie de lobotomia como hoje se fazem, um  laser que corta alguns dos feixos nervosos de ligação entre os dois lobulos. 

Nada destes sintomas tinha eu antes do internamento, mas podem ser efeitos dos muitos quimicos que  lá me deram e da dosagem elevada do que me continuaram a dar depois da saida do hospital. tão elevada é a dose que  na terceira farmacia onde entrei para o comprar, tiverma que o encomendar, todas elas, tinham o comprimido em doses menores, ou seja, tendo sido este acto um crime como o seu processo por si mesmo demostra, a manutenção de uma dose elevada, desvela a intenção da manutenção dos danos, e eventualmente de os agravar.

E como sabeis, o meu internamento, foi um crime em si mesmo. uma fotocopia quase ilegivel que me foi dada a ler pelo chefe dos policias que com meu pai foram a minha casa buscar-me, assinada aparentemente por um delegado de saude ou equivalente em fevereiro deste ano, quando o internamento compulsivo foi feito em 16 de maio, um carta aparentemente do psiquiatra cabral fernandes, de janeiro, que segundo me disseram, dizia que eu poderia estar a desenvolver um episodio psicotico, e segundo o outro psiquiatra do hospital, uma autorização do tribunal para o internamento com data do dia a seguir ao meu internamento, e como sempre ao longo de todo este crime, nem cópias de nenhum destes documentos me deram, ou seja, abrem sempre a possibilidade de posteriormente se lhes for necessario alterarem os dados, ou mesmo as datas, para esconder o crime, com ainda a vantagem de poderem usar este argumento como prova da minha insanidade mental. 

( nota, as datas mencionadas no paragrafo acima sobre os documentos, as tenho de memoria, a sua confirmacao estä no documento original publicado sobre o internamento que se constituiu queixa crime)

como alguns se recordarão e poderão verificar, de seguida à minha saída do hospital, apareceram em capas de jornais portugueses neste constante mecanismo de espelhos, uma foto da racha entre os polos da terra e outra sobre o mapeamento do cerebro, com um estranho titulo, qualquer coisa no genero, finalmento o cerebro mapeado, o que como sabeis não é verdadeiro pois já existem muitas fotos do genero desde há muitos anos, ou seja pareceu-me por estas noticias que poderiam estar a falar metaforicamente do que se tinha passado no internamento, ou serem as useiras induçoes que constantemente fazem ao longo de todos estes anos atraves de uma acção concertada em todos os medias, como provado ad infinitum.

contudo como relembro em declaração video recente, a linha das lobotomias, está no meu livro da vida desde há muitos anos referida, se bem me lembro de memoria, atraves de um primeiro documentário do livro do Damásio, do caso clinico do philias fogg, o que outrora levou com uma barra de ferro na cabeça e depois foi usado como cobaia insclusive para fundamentar teorias psiquiatricas relativas ao conhecimento do cerebro e das areas e da correspondencia com as funções cognitivas, e ainda outras linhas posteriores.

todos estes processos persecutorios são conhecidos, o de apagar uma voz que protesta em justiça, que luta pelos seus direitos e pela defesa do seu filho, pois já foram feitos antes a outros, nomeadamente, reduzi-los a  vegetais.

neste ponto onde me encontro, cada vez mais claro se afigura uma das intenções nucleares e desde sempre presente neste crime, o de me matarem para depois matarem o meu filho, ou dele fazerem escravo como me tem feito a mim, isto se o Francisco for na realidade meu filho de sangue, pois como sabeis, nem isto pelas condiçoes deste crime o posso saber, e pode isto ainda esconder uma outra realidade mais perversa como o detetctei em analise publicada no meu blogue sea matters, a possibilidade de o filho ter sido trocado à nascença e ter sido inclusive morto, sendo então este crime orientado desde sempre por quem o perpetua para esconder este outro crime e as razões e motivos que por detras dele estão, se esta hipotese corresponder ao que na verdade se passou.
paulo forte
08 07 2013

532 M sur une marcation de une consultation de psiquiatrie









 

dans cette vidéo maintenant publique, le 532 M 02 07 2013, je dit dans le récit, a 2´25´´, que dans la primiere conversation téléphonique avec Madame Ermelinda le jour 14 de juin de 2013, que elle m´a dit que le médecin seulement était de nouveau a l´hôpital le vendredi prochaine, et je me suis dans cette détail trompe, ce que elle m´a dit ce jour dans cette conversation, c´était que le médecin était de nouveau dans le lundi prochaine à la date de la conversation téléphonique, donc je fais cette correction par écrit, pour que il ne reste de confusions.