terça-feira, agosto 11, 2015

À messieur Hollande de la france à la absence de ma amoureuse

À messieur le president de france, Hollande

Como estive beijando belas raparigas francesas , me dirigo a si senhor presidente, não para vos dizer que não partirei à guerra, mas para vos perguntar se devemos estar no mesmo leito com companhias de seguros ou de saude ou do for, onde crimes assim se passam e que confiança os cidadãos europeus podem ter nelas, ou em contratos, ou em mediadores, ou em cartões eletronicos onde não se pode ler com os olhos o que podem esconder sobre as faixas e linhas magneticas, ou ainda sobre a ausencia regular no leito do amor dos direitos dos cidadãos das republicas e dos estados direitos e a continua sistematica negação de todos os direitos humanos, na verdade, nem sei porque me dirigo a si, visto o sistema da lei comum e consequentemente de todos os mecanismos de representação e delegação se encontram pervertidos em toda a europa e arredores, e como calculará, será sempre melhor beijar os lábios a minha amada, mesmo que alguns talvez a tenham tornado fantasma

Lisboa, agosto de 2015


paulo forte



este cartão é relativo às matérias abordadas no video com a hiperligação abaixo, ous erá mais, hiper, ligação?


outros documentos relativos a mais este crime e passe ou seja o que for desta ilusão labirinto, que no fundo é estratégia criminosa na manutenção do roubo de meu filho, publicados 

http://113cc.blogspot.pt/2015/08/documentos-relativos-ao-crime-axa-medis.html

existe nas fotocopias que meu pai me deu, não sei se já alterado, como é sistematicamente o crime, um traço vertical como uma cobra verde do lado direito de uma das folhas do contracto da axa, que me parece muito estranho no contexto da queda do helicoptero russo

sobre o cheque de meu pai que me deixou com parte do dinheiro para eu poder me alimentar durante estas férias, como se pode entender é de obrigatorio deposito e não trago eu como sabeis nenhuma conta em nenhum banco. certamente será um lapso, ou então uma forma de garantir, os criminosos que o tem na mão, que eu me mantenha neste país e sujeito a escravatura. talvez abra uma conta no banco chines aqui ao lado, pois tem um belo desenho de interiores e um guerreiro antigo no logo com arco e flecha, contudo senhor presidente ou senhora amada ausente, como pode um cidadão confiar em bancos quando o que se passa são administradores e contabilistas que aparecem nas noticias a dizer que reconhecem ter falsificado a contabilidade e não existe nenhuma prisão, garantia de correção e ressarcimento?

Sem comentários: