sexta-feira, abril 14, 2017

sobre o culpado criminoso silencio dos constantes crimes informaticos e de comunicação na rede

À canalha terrorista e a quem a protege! (sobre o documento com o titulo Setembro

Este extrato dactilografado do meu documento manuscrito com data de termino da escrita de 19 de Outubro de 2016, é aqui de novo apresentado no seguimento da mais uma queixa crime contra a Google a Vodafone e terceiros desconhecidos publicado no post anterior e serve como meio de prova da constante cobertura por partes de todas estas empresas e entidades do estado com funções de fiscalização e regulação destas matérias da comunicação publica no espaço da Internet, e por extensão da cobertura e participação em atos de terrorismo internacional.

Como sabeis este documento é um de três documentos que são capitais para a compreensão dos assuntos dos tsunamis, das torres e de uma recente encenação que teve como consequência a queda e mais uma avião no Brasil, o de Chape, passando como é usual e caraterístico dos processos criminosos por encenações com atores da política internacional , como Guterres/ ONU.  

A ausência sistemática de toda e qualquer resposta ao longo de mais uma década para alem os constantes crimes, prova a criminosa impunidade que reina e que todos deixam reinar no domínios das tecnologias e conteúdos de comunicação.

De seguida extrato das primeiras paginas deste referido documento.
....


Exijo a imediata intervenção da justiça seja a que nível for, se alguma ainda existir no plano nacional, europeu ou mundial.

1. neste ataque cerrado que dura há mais de um mês e meio, refiro-me aos contínuos ataques informáticos, que são sempre ou quase sempre simétricos com tragédias e com a cobertura delas, referi eu, como entendível nas minhas publicações online no meu blogue principal, ourosobreazul.blogspot.pt, os seguintes factos acompanhados dos respetivos documentos de suporte que considero como provas.

1.A  Do que provo nas minhas publicações dia 01 10 2016 , domingo.

Publiquei quatro fotogramas gravados da minha pagina do blogue referentes a uma nova variante dos crimes de impedimento, ou que assim se poderia pensar à primeira vista, aplicados aos meus vídeos publicados no referido acima blogue, neste caso correlativo a 4 deles, com as seguintes referencias dos meus vídeos carregados no youtube: “1124 M 03 09 2016, another perfect day in paradise”; 1130 M 09 09 2016, account on informatic shopping day at Media Markt and Worten” ; “1132 M 30 09 2016” e “Vogue, versão completa”

1.B  Da inovação criminosa da e através da mensagem do modo restrito.

este aparente novo crime de impedimento faz aparecer no player embebido nas paginas depois de o clicar em vez do expectável vídeos, uma mensagem escrita em inglês que diz “ este vídeo não está disponível em modo restritivo e que para o ver é necessário retirar o modo restritivo”. os quatro fotogramas publicados correspondem cada um a um dos vídeos mencionados na alínea anterior, que eram os que eu detetei se encontrarem impedidos de visionar, o que quer dizer que provavelmente tal mecanismo poderá ter sido aplicado a outros.

1.C Da queixa enviada ao Google através da aplicação no Blogger.


Como verificável no dia . 03 10, 2016, tornei a enviar pelo chamada “ feedback” na própria aplicação do Blogger, uma queixa sobre este crime referido e descrito na alínea anterior, bem como relativo a um outro, igualmente detetado ao tempo, recente, que foi desaparecerem todos os links relativos aos meus blogues filhos como lhes chamo,, que consta da minha pagina principal do meu blogue ourosobreazul.blogspot.pt. Ou seja e pelo menos, dois crime de impedimento que pelo padrão provado, quando assim acontece, visa igualmente outro tipo de crimes e mascaras deles, especificamente, roubos e adulterações cirúrgicos de determinados conteúdos publicados nos diversos blogues que podem fazer perigar os interesses criminosos e os interesses de quem os protege.

1.C.1. A prova do envio desta recorrente queixa ao Google


Está publicado no meu blogue ourosobreazul.blogspot.pt, num post do dia 03 10 2016, e tem como titulo “ the crime of imepachmen still go on” , que reproduz o texto enviado através do “ feedback” da aplicação como queixa.

1.D. Dos recorrentes crimes de adulteração, texto com o titulo “ crimes online”


Também publicado no ourosobreazul, dia 03 10 2016, e tendo o texto a data de 02 10 2016. Neste pequeno texto de novo dou conta das subtis adulterações detetadas em textos recentes previamente detetados em textos recentemente publicados e neste caso especifico sobre Durão Barroso e a RTP, sendo estes crimes, alterações na escrita de especificas palavras que tornam nas vezes as frases ou períodos mais difíceis de se entenderem, que como padrão provado, visam igualmente o descrédito das minhas acusações, e geralmente, também corresponde ao padrão criminoso, são feitos retroativamente, por vezes com grande espaçamento temporal, por quem tem acesso ilegal aos meus blogues, ou seja, às minhas contas no Blogger e no Google e provavelmente a outras.

1.D.1. Do que ainda provam estas adulterações e crimes.







Sem comentários: