terça-feira, junho 27, 2017

Dos métodos criminosos e Nazis do estado português com que justificam a destruição do cérebro de uma vítima eleita com vista à proteção dos interesses criminosos nomeadamente de assassinos


Num dos vídeos publicados no ultimo sábado neste blogue, como visível, a câmara está apoiada em cima do computador e não lhe mexo eu, pois são visíveis as minhas duas mãos durante os dois primeiros takes dessa conversa.

Também como visível na imagem a câmara, isto é a objectiva se mexe durante essa gravação, através do sistema a que chamam de “ following the face” isto é, um sistema que automaticamente faz a câmara acompanhar os movimentos da face por exemplo como é este o caso, da face de quem está na imagem.

Como entendível pelo que resulta dos movimentos derivados desta tecnologia, pois não são fluentes, muitas das vezes mais parece que a câmara, isto é a imagem, treme e como sabeis se a câmara estiver por exemplo na mão de uma pessoa, é fácil então fazer crer a terceiros que quem a segura na mão, está tremendo.

Uma das outras tecnologias que permite aos Nazis criar a noção perante terceiros que quem fez determinadas imagens por exemplo, se encontra nervoso ou mesmo alterado psicologicamente, o que pode servir para justificar por exemplo, crimes com dopagem para roubar informação privilegiada ou adulterar o que lhes for necessário à proteção dos interesses criminosos que servem, é o que se designa em inglês por steady shot ou steady câmara, um software que muitas destas câmaras tem, que corrige digitalmente o tremer de uma filmagem.

Estes criminosos Nazis conjugam estas duas possibilidades técnicas ao contrario, por programação para que o resultado das imagens seja tremido propositadamente com fim nomeadamente ao acima descrito.

Mostrei-vos há largos anos, durante uma rodagem no jardim da Estrela a câmara a mover-se por si mesma, isto é por remoto e acesso ilegal e programação, como se estivesse por si mesma a fazer panorâmicas verticais suaves

Sem comentários: