domingo, maio 12, 2019

DOS FRIOS NAZIS E DOS CRIMES DE DESTRUIÇÃO NESTA REPUBLICA NA MÃO DOS NAZIS



Sobre os contínuos crimes de destruição de propriedade e de roubo e de mascaras de roubos e de outros crimes cá em casa ao longo de doze anos que dura este crime!

Meus pais passaram por cá neste sábado que passou como de costume, cabisbaixos, como se algo lhe pesasse no corações ou na consciência, ou fazendo psicodrama por encomenda dos bandidos que os trazem sujeitos, e me disse meu pai, que o novo frigorifico que terá encomendado na Radio Popular, virá no próximo sábado de manha, dia 18, que teria que estar de manhã em casa pois não lhe informaram a hora em que o entregariam, e que relativamente ao fogão, o Krea, que como estava na garantia, que o levavam e traziam um novo também,  no próximo sábado, presumo que o terão comprado também lá.

Sobre o que eu de novo lhe disse por escrito e aqui publicado, sobre as entradas ilegais e constantes cá em casa, como o tornei público, nada me disse como de costume, e tal só me reforça a percepção ao longo dos anos que os filhos da puta que estão por detrás do roubo de meu filho, da minha  escravatura e de restantes crimes, os trazem vergados

Merda de filhos da puta destes terroristas cobertos se não mesmo do estado português

Nazis, filhos da puta e ladroes de crianças e assassinos como agora de novo o demonstrei, logo vieram apagar online, por acesso ilegal a que ninguém responde, o post sobre a morte dessa jovem portuguesa na Hungria!

Desde manhã que tento por o microfone do kubo de novo a funcionar sem sucesso até agora, já 15 H 47 de sabado, como sempre a escravatura e crimes para mascararem crimes e de novo sempre esta insistente id que aqui aflora, o caralho do CM

12 05 2019
Paulo forte

dois antigos capítulos destas sagas criminosas com que enredam um homem sem lhe responderem sobre a situação de um filho, 



A SAGA DOS FRIGORICOS DA INIQUIDADE, PARTE SEGUNDA
http://tothefrenchbelovedone.blogspot.com/2018/05/145-saga-dos-frigoricos-da-iniquidade.html

Continuação de um texto anterior publicado no ouro sobre azul.



Da segunda vez, a enunciação dos meus pais se deles, era, que afinal o novo antigo frigorifico não vinha, e na verdade como escrevera, não me apareceu nenhum pendurado no tecto ou entre as pernas ou onde fosse depois da primeira investida, de onde queria que o pusesse, se em cima da mesa, porque segundo disseram com ar de aflição nestes psicodramas montados ou encomendados, estava cheio de ferrugem em baixo, ou seja no que se pode depreender de pernas, ou de juntas, a atender que quando o corretor deste word traficado pelos bandidos aponta, primeiro, erro, na palavra frigorifico, a sugestão de correcção que apresenta é uma impossibilidade, frigorifica, ou seja, deverá ser mais uma peça de uma planificada construção a que obrigaram meus pais, ou seja uma rapariga que teria uma ferrugem qualquer provavelmente não nos pés a atender o contexto mundial do chichi e quejandos como amplamente abordado e comentado em vídeos recentes, essencialmente através de input de noticias, se notícias americanas como explicado em detalhe e ainda, com uma novo display que será comentado no próximo vídeo a publicar se paciência houver, que relaciona pelo que se pode deduzir, frio e frios e de neves, questões relativas ao Canada e imediatamente antes a doenças sexuais e venéreas como explicado em comentos recentes.

e um extracto da primeira  parte

http://tothefrenchbelovedone.blogspot.com/2018/05/145-saga-dos-frigoricos-da-iniquidade.html


...só tenho duas casas, o que deve ser uma mentira ou uma indirecta para me dizer que terá sido no entretanto roubado pelos filhos da puta, que tinham um frigorífico antigo e que precisa de o por na casa dele onde vivo, que como eu provavelmente não estaria em casa onde queria que ele o deixa-se, e eu , onde quiser, meu pai, se o for , esta ultima singela frase, a penso para mim cada vez mais ao fim de mais de dez anos de escravatura, e ele, queres que o deixe me cima da mesa?, que não, lhe respondi eu , certamente que terá o bom senso de o por em outro lugar, ou será uma mensagem cifrada,  quiçá da ONU, me falando de corpos mortos em cima de mesas de morgues? talvez ali ao fundo do corredor... assim ficou o minimalista dialogo, pois desde há muitas luas que assim é, e obviamente como ele o sabe, um grrr interior, que raio de pai é este, entra aqui como um boi e com esta conversa ….

.