domingo, novembro 30, 2003

Tudo tem seu nome, tudo fala o seu dizer. Chegas-te dizendo, eu sou o melhor, sou muito bom, já toquei para dois Coliseus cheios e o meu pensar a acrescentar, de quê, de cristãos prontos a morrer na boca do Leão? Não, respondias-me a Mim-Mesmo, ou melhor eras só o meu pensamento falado, confrontando-me com uma já conhecida máscara de mim. Foste ou És, eis a minha questão, da qual tu como interprete me encenas.

Sem comentários: