terça-feira, setembro 16, 2003

É hora de Despertar
Do Amigo Encontrar
Identificar os Laços
Laçar
Entrelaçar
Fiar
Nesta Rede
Tão Real
Como o meu Próprio
Existir
A Reconhecer Parentes
Que é como quem diz
Toca a Reunir, A Fadar
A Aunar.

Enterrar as Lanças antigas
Pesadas lanças
Que nos pesam o Andar
Até que Os últimos Dois Guerreiros
Cansados da última Batalha
Não mais tenham
Vontade de Lutar
E venha a Paz
Para Todo
O Sempre

Porque o Sangue é todo o Mesmo
É Meu Também.
As emoções são como energias fluidas, cujas formas se alteram em cada instante de um mesmo respirar. Alteram-se os Campos nas Permutas, como uma folha que acompanha o movimento do vento ou o Eterno mexer do Mar, como num Baile energético.

Entro no café, a imagem aparece como um Todo. Ela é sempre inteira, nunca chega aos pedacinhos, não está fragmentada, Todos os seres são nesse momento, antes mesmo, de lhes ler as formas dos corpos únicos, fluxos de energia emocionais, ou melhor dizendo centros que irradiam energia.

Na sala o Conjunto é como um Todo, uma configuração emocional dominante. É como sentir as cores e os gradientes que a compõem. Quando a Paleta é grande demais, quando as energias são de sinal negativo, ou se encontram descontroladas, que é uma forma de dizer, dissociadas da vontade de cada um, é como receber uma descarga eléctrica na Alma. O sistema sensorial sensitivo pode entrar rapidamente em sobrecarga. Incapaz de inteligir e absorver ou rebater, pode mesmo pifar o sistema operativo.

As energias emocionais, têm tom, têm cor, transportam um valor para quem as recebe. São absorvidas, também elas, ao nível emocional, por simpatia.

Emoções são vibrações e fenómenos de ressonância, se vem tristeza é essa a frequência emocional que em nós É activada. Podemos sempre contrapor energias emocionais, contrárias ou distintas, mas que sempre reverba, parece-me que sim.

Quantos de nós por ai a sentir igual, a ter que recolher para dentro das conchas na presença da sobrecarga.