segunda-feira, janeiro 19, 2004

E depois e depois, aquela dimensão Sagrada do Amor que se Abre, Se Revela na brincadeira dos corpos, quando eu e tu já não somos mais eu e tu e contudo o continuamos a ser, quando o olhar se torna límpido e os sons cristalinos, quando a dimensão do espaço já não é mais dimensão, mas janela do infinito e tudo se Expande como um grande Espanto a Espantar o Mundo Inteiro.

Um outro lugar que reside neste, há um só querer um imenso e forte querer que o Faz Aparecer, o Torna Real, uma coisa vivida que se vive. Sensação energética, bola- casulo- de- luz, ondas concêntricas que se alargam, um lugar do Corpo, dos Corpos, da Emoção, só dela, o resto todo apagado, Só o Imenso desejo, a Infinita Vontade, e os Corpos puros sem qualquer encenação a Falarem.

Almas que quando se encontram no baile dos Corpos participam dessa forma na Alma do Mundo.

Oh doce encantar, Quente Bafo que Tudo Derrete e Tudo Transforma na Amorosa Tremente Atenção do Ser