segunda-feira, abril 05, 2004

Doce doçura do meu coração
Doce, adoçado
Um dia Amado
Outro Desejado
Doce Azulado
Alva Lua
Redondo Som
Calado
Não Sou

Doce
Doce
Doçura
Do Meu
Coração

A Tua
Mão
Em
Mim

Salve
Minha Mãe
Salve
Meu Pai
Por Me
Darem a
Existência
Este Luar
Neste Lugar

Oh Dia de Sol
Quente
A Me Abraçar
Gato Enroscado
A Lambuzar
Satisfeito
O Bigode
Grande É O Bocejo
A Tudo Esticar
Sem Nunca Partir
Maior o Espaço
Deste Habitar
Eterna Preguiça
A Dar a Dar






Risca menino o céu, corre na areia e com o dedo, segue as nuvens como que a riscá-las, desenha os mais belos desenhos do teu doce imaginar, recorda-te do Azul das calmas memórias dos grandes verões, os rios de se banhar, as asas das borboletas brancas de encantar, o abanar das folhas verdes transparentes, que o sol recorta nos mais finos odores, inebriantes seres que transportava na minha mão dada com a tua em ternos passear.

Lembra menino longe, ao fundo pequenino, grande do tamanho de uma estrela, teu verdadeiro ser, ser de todas as coisas, participado por todas as coisas, num mesmo amor ser. Risca menino de outrora, agora, o arco-íris no céu, estende-te agora sem hora, nas quentes areias, que aquecem toda a tua pele, torna-te a mansidão de todo o calor, tu és o calor, o calor és tu, tão e tudo à flor da mesma única pele.

Agora sente, deita-te de olhos fechados e traça a perpendicular directa ao centro do teu coração, cada bombear, cada bater, único, um só instante, uma vida inteira, que um dia se tornará, aqui, silêncio.

Traça a curva ao teu olhar, vê o calor do Sol, vindo da areia a espelhar, espalhar-se, por todo o teu corpo, que se expande nesse sentir e de repente és estrela radiante, em cada bater de teu próprio coração, belas areias coloridas de todas as cores a tudo esclarecer.







Fractal Democrático


Naquele País
Distante
Todo Coberto
Pelo Mar
Era
A Pergunta
No Concurso
A TV


Quem no Livro
Mãe das Leis
O Poder
Nas Suas Mãos
Tem

O Presidente
O Primeiro-Ministro
O Povo

Sabia a Concorrente
A Diferença
Entre Legislar
E
Executar
Burra
Não era
Não

Veio Depois
De Muito Pensar
Da Concorrente
E Do Publico
Todo Inteiro

No Povo Não

Dizia o Apresentador
Doce Senhora
É nas suas Mãos
Que Ele Está
A Cara
Da Concorrente
Essa Abanava
Que Convencida
Não
Estava
Não




Oh, sereno coração do mundo, expande-te por toda a casa, um imenso infinito bocejo a tudo tranquilizar, sopra sopro de encantar, abre todas as janelas do belo de todos os jardins, de todas as flores, oh sereno coração do mundo imenso, recorda-te do teu aquietar, recorda-te que estás em cada flor, um mesmo diferente e contudo igual, aquieta teu bater, para que todas as coisas se tornem doces ser, lança o som da harmonia interna ao teu bombear, oh sereno coração do mundo, lembra-te do verdadeiro amor, aquele que derruba todos os muros no seu gentil ser, oh coração do mundo, lembra-te das nuvens, do sol dos risos, dos mares e das luas cheias em seu eterno entretecer, oh sereno coração do mundo, aquieta todos os que sofrem, dissolve todas as dores e terríveis vinganças, inspira nos corações a paz que gera a vida e a flor, oh coração, cor da mais bela acção, rosa, rosado, do ser