domingo, junho 27, 2004

Oh Senhora
Que Vos Vejo
Cansada

Muito
És
Desejada

Oh Senhora
Doce
Oh Doce
Senhora


Eu Te
Vejo
Crucificada
Por Aquilo
Que Tu
Não
És

Por Isso
Te Dou
Minha
Mão
Meu
Coração


Homens
Cegos
Ou
Corações
Enegrecidos
Que Confundem
A Mensagem
E Os Mensageiros

E Tu Senhora
Lá Vais
Em Teu Passo
Bem Indo


Na rua
Eu
Ouvi
Os
Irmãos
Em
Descontentamento
A Assobiar
A Gritar

Perdão
O Meu
Perdão
Em Nome
Alheio
E
Múltiplo
Meu

Senhora
Que
Não
Se
Trata
Assim
Uma
Mãe
Uma
Mulher
Um
Homem
Um
Cão

Os
Homens
Estão
Carentes
De Amor
De Pão
Mas
Eu
Sei
Que
Não
Foste
Tu
Que
Criaste
As
Regras



Oh Senhora
Aqui
Tens
A
Minha
Mão
Para
Melhorar
Todas
As Regras
Que
Urge
Melhorar


E
Lembrai-Vos
Senhoras
E
Senhores
Que
Este
Nosso
País
Premeia
A
Competência

Não Se Afasta
Quem Bem Faz
Premeia-Se
Sendo
O Prémio
Melhor
Servir


Que
O Passado
Que
Sempre
Foi
Volte
A
Ser

Pois
É
Da
Mãe
A
Chave
Da
Vida
Dávida
De
Vida

Alimento
Aumento

Que
As Vozes
Nos
Sonhos
E
No
Sonhar
Se
Acordem
Para
Tal
Acordar


Mãe
Amor
Mãe
Eterna
Amor
Compaixão
Eterno
Dar
Eterno
Servir
Vida
Viva
Viver


Pensa
Irmão
Fiel
Da
Lei
Dos
Homens


Se
Cortas
O Fio
Do Sentido
Ou
O Sentido
Do Fio

Melhor
Será
Então
Não
Cortar
Tesoura
Não
Ter


Muda
A Regra
Do
Sentido
Acorda
A Proporção
Dos
Homens
Em
Seu
Governo

Que Se
Apresentem
Os Homens
Se Pesem
Suas Qualidades
Em Função
Do Seu Fazer
Por
Isso
Sejam
Escolhidos
Famílias
Diferentes
Sentadas
Num
Mesmo
Bodo

Assim
Lado
A Lado
Na
Mesma
Mesa
Comendo
Se Deram
Conta
Que
Era
Afinal
Uma
Mesma
Comida
Todos
Passaram
A Cozinhar
Cada Qual
Como Melhor
Sabia
O
Refogado
A
Apurar


E
Depois
Quando
O Mesmo
Pão
Passa
Ao
Outro
Ao
Lado
De
Mão
Em
Mão

Dão-Se
As Mãos
Calam-Se
As Zangas
Estéreis
Que
Esterilizam

Já Não
Posso
Dizer
Não
Porque
Não
O
Posso
Fazer
Já Só
Resta
Então
O
Sim


Felizes
E
Contentes
Iam
As
Gentes
Desse
Uno
Reino