sábado, setembro 18, 2004

Entre o bordão do norte de meu país e a corte ao sul.

Contou-me meu pai de se recordar de ver homens a resolver seus assuntos à paulada, desvantajosa forma, que menos resolve, mais quebra, mas que permitia o conhecimento directo pelo nome e pelos olhos entre os contendores.

Já na corte, fruto da sofisticação que se desenvolvera, para evitar as situações acima descritas, às vezes as coisas eram ditas tão indirectamente, mesmo quando cheias de gentis floreados, em sobrescritos sem Nome no endereço, que a sensação era por vezes de confusão, ficava-se na dúvida a quem estava a ser dito. Era pena, ou talvez não, mas sempre é melhor que bordoada.

A terceira possibilidade deste conto, era que o destinatário, não lera correctamente o endereço, a sério, que sim, mas só passível de ser sustentado em privado, fora da corte e do bordão, sentados no chão ou numa cadeira de verão, em enleios íntimos dos seres.

O quarto fim, seria a hipótese que os carteiros não tivessem selos, ou não conhecessem morada mais precisa.


Assim na sua consciência, aquela que habita no coração, porque ele na sua eventual presunção que decidiu tomar, ao achar que tais palavras eram para ele ou também para ele, ficou e fica contente, e quando assim está, nasce-lhe a retribuição, fica em ânsia de retribuição pois os actos de Amor com Amor se dão, se nascem, se fundam e se oferecem no Amor e pelo Amor.

E depois não serão as palavras, depois de palavras feitas, sempre para todos.

Duas possibilidades de acção se colocam, finge ele que não as sentiu em seu coração, coisa impossível de ser feita, pois o coração é sempre maior, e a segunda, como nosso povo diz, agua benta e presunção cada um toma a que quer e então aqui por exemplo, visto não vos ter ainda por corpo encontrado, Vos agradeço, mesmo arriscando que este meu agradecer público, não vou aprouve, e por esta razão, o faço através da Iniciais de Vossos Nomes, pois afinal não podiam ser dois, os agires, pois agir é só um, feito por cada um, podem oscilar, mas é só um a cada vez.

A, JLP, MST, PC, PJF, EL, JPP, MV, ZMB, Um Grande Príncipe, e Grandes Reis e Rainhas a minha reverência por Tudo aquilo, que como Homens Sois, Pelos Vossos Grandes e Certeiros Corações, pelos Vossos Pensamentos e Escrita, cuja coincidência e Rostos me foram particularmente significativos nestes últimos tempos, Eu Vos Trago em Meu Coração e Pensar. E na esperança de vos poder abraçar e um dia conversar, deixo Minha Porta Aberta, para Vós.

Mas Estais Certos, se Em Meus Passos Vos Cruzar e Vos Reconhecer, Pois às vezes eles vão muito entretidos com outras coisas, um cumprimento Vos Vou Dar.
Eu padeço do sintoma daqueles que são considerados distraídos e que por vezes é entendida essa distracção como rudeza ou mesmo nas vezes, má educação.

Aqui faço um Agradecimento à RTP e a Todos Os Com Que durante estes anos trabalhei e que me deram a oportunidade de criar o que criei, de aprender o que também sei, Trago-vos em Meu Coração e Pensar e Minha Porta está sempre Aberta.

A Todos Estes e a Todos os Outros, o meu Agradecer e o Meu Amor.

Ah
Que
Bom
Ser
Barco
Ao
Lado
De
Outros
Barcos
Navegar

Com
Outros
Barcos
Navegar

Se
Bem
Que
O
Mastro
De
Cada
Um
É
O
Seu

E
Se
É
Bom
Saber
Da
Fala
Dos
Ventos
Alheios
Quando
Doces
Ou
Não
Se
Sopram

Meu
Mastro
Não
Deixa
De
Ser

O
Meu

Num
Mesmo
Barco
Num
Mesmo
Mar
Num
Mesmo
Vento
A
Navegar
Acompanhado
Alegre
Meu
Mastro
Pela
Amante
Boa
Valente
Companhia
Na
Navegação


Sarava
Bem
Hajam

Oh, Príncipe, porque tu és Príncipe, filho de Um Rei, eu recordo Teu Pai, bom Homem, bom, coração, Amável e Amante como se via em sua maneira terna e gentil de ser, olho vivo, brilhante como é prazer ser, e tão rápido e brilhante pensar, são estas as imagens que dele trago em mim e Tu sais Dele, diferente e no entanto tão parecido. Gosto de Teu Jeito de Ser, gosto da mesma ternura e delicadeza, Hás-de Crescer Forte e Afável. Trago-te Eu, também em Meu Coração do Bem Cuidar.


Oh Amada comigo deitada no leito dos suaves leites das núpcias, beijo-te do dedo mindinho de teu pé até à ponta mais afastada de teu cabelo, por teu todo corpo, receptáculo da tua Alma e da Alma do Mundo, deposito meus beijos, à tua pele, frémita, de doces arrepios de prazer, infinito, sem fim, eterna brincadeira e brincar com que te enlaço e agradeço tua existência.

Oh Amada comigo deitada no leite do leito das núpcias, meus lábios tocam-te todo o teu corpo, teu espírito e tua alma, em lento vaguear, vagueio no Amor, e tua pele se eriça ao seu, meu, tocar.

Oh Amada comigo deitada, núpcias concretizadas, leito, leite, bebo o Amor, porque o Amor tu me dás, eu te dou, nós o somos.

Oh Minha Amada Amada.


Gato preto doce felino, como são os gatos e tudo que a vida cria. Boas ideias me deixaram teus comentários. A que mais me baila é a imagem do Parto.

Imensa Alegria, Imenso Desejo, Imensa Vontade, Imensa Força, Imensa Dor no Acto do Fazer Nascer, Do Interno Fazer de novo o Externo, De Dentro para Fora de Fora para Dentro, como a Vida o É.

Tudo se encontra presente em Tal Sagrado Momento, Todo o Ser.


Tudo o Que a Vida Cria Participa na Alma do Mundo, Faz parte da Alma do Mundo.


E cada cabeça tem seu chapéu


Oh belos dias de verão, Setembro Muito Amado, Que bela Luz, Que Temperatura Amena em Nossos Corações.


Boas noticias do reino


Sarava Senhor, candidato que afirmou sem papas nas línguas, que seu projecto era claro e nítido, que a Hipocrisia não vingará em seu Andar. Bem Hajas, aqui Te deixo um abraço do Meu Coração em Coração.
Que ganhe o que for melhor para Todos e Tudo.



Think
Local
As
Global
As
Life
It
Self
Think
Local
As
Global
Think
Global
As
Local
Think
Globe

Home
Sweet
Home


As crianças chilreiam contentes lá fora nos pátios


Sobre o encontro dos chefes religiosos

Aplaudo a iniciativa do MNE

Aqui deixo algumas ideias

Que em cada local onde as Igrejas estejam presentes se façam em local Aberto e ao Ar Livre, Homilias conjuntas e Abertas, poderiam as primeiras realizarem-se ainda em Setembro.

Eu como Homem, Gostaria de Conhecer Um Pequeno Texto Onde Cada Um, Apresentasse de forma clara e concisa, os seus pontos de vista sobre a Vida. Mais Completo Seria o Livro, Se respeitando todas as diferenças, se acordasse de forma clara e concisa uma acção conjunta pelo Amor, Pela Paz, Pelo Ser, Pelo Respeito ao Ser.

Eu como Homem em Corpo, gostaria de Comungar numa Homilia em que cada Líder Religioso Orasse à sua Vez, com todos ao que pertencem a todas as Igrejas e também com todos aqueles que nelas não se incluem, pois o Amor, A Luz, A Vida, estão em todas as Igrejas, pois Igreja é Casa de Deus e nela Cabem Todas as Igrejas, de Todos os Tamanhos e em Todas as Formas de O ver.

A Casa É Una e Múltipla e todas as coisas são feitas à sua imagem e semelhança.

Uma Flor, um Homem, uma Pomba, São Também Casas Habitadas, Tamanho Mínimo e Tamanho Máximo de Cada Igreja, em Igrejas Diferentes mas Iguais, Numa Igreja Una Como o Uni Verso Também o É.




Tiago no Midrash, referencia e enviará a quem lho pedir, um texto completo da emancipação laical, cuja introdução me pareceu deveras interessante. Eu por mim vou pedi-lo.


Coisas menos bonitas do reino


O conteúdo das pichagens feitas no Largo do Caldas, tom extremista, que ninguém quer, pois os extremismos costumam fazer partir o fio que a todos nos liga e Une, corroem a segurança e a liberdade individual e chamam à acção, a acção das tiranias.


Demagogia é uma forma subtil de hipocrisia, uma máscara que baila no rosto, na fala, nas palavras ditas, à volta da natureza da coisa, que quase que a desvelam, mas não, pois sua intenção é mais seu contrário, rodopiando, criam a ilusão que encanta, que nos faz como que sonâmbulos, meio a dormir, meio acordado e por tal, mais difícil se torna o nosso ver.

Demagogia é muitas coisas, como todas as coisas o são, demagogia vem às vezes nas vestes do que não é frontalmente dito, mas mais como que sugerido, uma sugestão que de preferência deve lá estar sem estar, foi o que em sentir ao ouvir chamar de salazarista à imagem das Finanças como Casa. Eu por mim Faz-me sentido a Imagem e se Foi Salazar que primeiro a Usou, Dizendo-a, coisa que me parece Improvável pela sua Universalidade e Intemporalidade, Só poderia aplaudir este seu gesto, sem deixar de achar outros menos bons.

Ao fundo, alguém se levanta na sala e chama-me fascista, será?
Também outrora me chamaram de social fascista


Será que tem vergonha de me falar de viva voz, corpo e afectos, pela maneira como eu escrevo?

Oh belo dia de Verão em Setembro

As crianças pararam suas brincadeiras e foram comer