terça-feira, março 07, 2006

À
Mãe
Pai
Filho
Espírito


Ao
Universo
Ao
Cosmo
À
Lua
Ao
Sol

À
Terra
Ao
Ar
À
Agua
À
Planta
Ao
Fruto
À
Flor

Ao
Ar
Ao
Vento
Às
Montanhas
E
Ao
Mar

Aos
Meninos
Aos
Pais
E
Ao
Filho

Ao
Pássaro
Em
Seu
Belo
Voar

Ao
Majestoso
Leão

Aos
Peixes
Prata
E
Mar

Ao
Andar
Correr
Ao
Saltar
Mergulhar
Ao
Voar

A
Todos
Os
Seres
Do
Mesmo
Verso

A
Todos
Os
Seres
Do
Mundo

Uni
Verso


Insiste o Homem, em esquecer-se que é agua, terra e ar e espírito para ver e pensar o que faz antes de fazer.

Insiste o Homem em impor sem consultar suas vontades sobre todos os outros seres que por com ele viverem, são deles irmãos.

Insiste o Homem em se pôr maior que do que é, cego às proporções da Vida e das Suas Múltiplas Partes e Expressões.

Caminho perigoso e mau.


Qualquer técnica ou tecnologia que origine qualquer tipo de resíduos que não sejam passíveis de integral reciclagem, origina problemas em Seu Corpo Total e esta via tem sempre uma estrada única que leva por simples acumulo e estrago a destruir os equilíbrios onde assentam os sistemas da vida e do viver dos homens, em certos patamares, à morte do próprio homem ou de outros seres sua parte e irmãos.

Me recordo da estupefacção numa conversa que tive com meu pai há muitos muitos anos atrás.

Como é que se produz energia de uma forma em que restem resíduos perigosos que o homem ainda não sabe anular?

Se resultam resíduos e esses resíduos são perigosos porque continuam com radioactividades elevadas nocivas ao homem e a casa onde vive durante largos períodos de tempo, que fazem a eles?

E meu pai me contou dos caixões de cimento armado que os homens faziam, onde se colocava os resíduos e depois se deitava no fundo do mar, assim foi pelo menos nesse tempo.

E se um corpo e as tábuas que o envolvem nas vezes em que é esse o destino do corpo, se dissolve e se mistura de novo com os elementos em poucos anos, um caixão de betão armado que foi calculado para durar mil anos quando os fizer se até lá chegar hermético se misturará com o fundo do mar, e com algumas das espécies que habitam as negras e fundas profundezas, onde a luz não chega.

Mais tarde ou mais cedo será inevitável que o tentamos varrer para debaixo da mesa, escamotear para um escuro ao longe distante do olhar do coração que bate nos homens todos que assim fazem a ele poderá retornar, se no entretanto não descobrirmos forma de reverter seus perniciosos efeitos e de os recuperar e lá os formos recuperar.

Não se escamoteia nada do que se faz na vida, pois o que fazemos tem sempre consequências que se estendem nos lugares tempos onde habitamos nem o Mundo tem um caixote de lixo a ele acoplado onde possamos vazar o mal feito, nem iremos enviá-lo para o meio das estrelas.

Não tem o homem outras formas de produzir energia? Tem, e ouve-se dizer que são caras pois seu desenvolvimento e implementação é ainda muito baixo e por essas razões pouco contributivo para as nossas necessidades de consumo.

E da mesma forma o petróleo e o gás para além de finitos, e contributivos nas vezes para as guerras e poluidores em diferentes escalas e efeitos, terão que ser mais tarde ou mais cedo abandonados como fontes energéticas.

Chupar parte do nosso corpo sempre o torna mais frágil e as mudanças nos equilíbrios das pressões internas é assim alterado e depois espantam-se alguns quando ocorrem grandes tremores do corpo nas suas superfícies, aquáticas e terrestre.

A energia nuclear trás muitos assustados e com razões sérias para isso, pois para além do seu uso com o fim de produzir electricidade, tem sido utilizada com consequências terríveis como armamento e em guerras.

No mundo existem os que tem armas nucleares e as que não as tem, sendo que os que as tem se encontram nestes domínios mais avançados tecnologicamente e ao nível dos conhecimentos que os que não as tem e geralmente os primeiros são considerados mais poderosos e é verdade que no desencontro das Gentes, quando disso se trata, é uma carta forte como ameaça.

Já aqui escrevi sobre o caminho. O único caminho é o desarmamento de todas as partes e não o seu contrário, um mais ou maior armar.

Pelos acordos entre os homens todos os países tem o direito a fazer o que entendem no domínio da sua exploração chamada para fins de produção energética, e não há nenhum critério que possa sustentar o contrário e todos os países deverão ter os mesmos direitos e obrigações e não há por principio países mais perigosos uns de que outros ou sobre os quais mais se deve desconfiar de segundas intenções, pois isto é ainda o pão corrente no governo diário de muitos, não atendendo a fronteiras e diferenças de regime ou visões do Divino. Ou haverá ainda alguns que se arvorarão perante outros alguma espécie de superioridade moral ou comportamental? Que quem assim anda, pense seriamente e avalie em justeza e de olhos abertos o que anda a fazer, o que cada país faz.

Pelos acordos e parece genericamente bem sem analisar o detalhe dos mesmos, que face ao medo que determinados usos desta energia possa ter, que existam e funcionem as portas e janelas abertas a quem a comunidade mundial endossar a tarefa de velar para que tal não aconteça.

Para olear com o óleo da Vida e do Amor os necessários acordos será conveniente que aqueles que tem armamento nuclear anunciassem e pusessem em prática passos e medidas no sentido de terminar este tipo de armamento bem como os de outra natureza em acordo entre todos.

Para olear a Vida a pensar Nela e no Nosso Corpo Terra Mãe, para viabilizar a Vida e os Filhos da Vida, será conveniente que todos acordem e efectivem um plano alternativo de mudança dos axiomas e métodos de produção energética e que todos os que hoje produzem desta forma e dele tiram rendimento sejam envolvidos de forma a não se vir a criar mais desigualdades para além das que já existem. Esta será formula inteligente, outras com outros pressupostos conduzirão o homem pela sua própria mão ao estreitar da ponte onde caminha a vida, entre o viver e a direcção para o nada.

A mudança do axioma é simples, que o homem não se magoe a si próprio, não crie a si mesmo doenças com estas dependências, que não avance por caminhos cujo perigo já se conhece, pondo a solução deles para um amanhã, mesmo que distante, pois tudo o que não é resolvido tem como tendência ao se perpetuar a aumentar, neste caso suas consequências.

A outra mudança é na percepção e comportamentos de que gerir estas questões ou outras no domínio do humano pela via da arrogância baseado em qualquer justificação de maior poderio, ou força ou outro qualquer argumento, trás geralmente mais problema que solução.

Deixai-vos pois desses terríveis sonhos de controlo, arrogâncias várias e ameaças, pois assim o sangue que é sempre um mesmo inevitavelmente se irá alastrar. E da mesma forma que o sangue é um mesmo, também na sua essência o são todos os homens e todos são livres e irmãos.

Não haverá outras possibilidade, esta já acabou, e que o homem não seja cego e tolo para o experimentar para o descobrir o resultado, pois se assim fizer não haverá mesmo resultado futuro pois nem homem mais haverá.

Agora a troika europeia e a América pressionam o Irão.
Depois aprovarão sanções
Depois o Irão reduzirá o fornecimento do petróleo
E o mundo todo terá uma crise pela frente e muitos irão sofrer, em todos os países, se a situação se agravar e mais uma guerra poderá por esta razão despoletar.

Enquanto os homens se enredam em assuntos desta natureza, já se foram em corpo até o dia de hoje, no princípio do terceiro mês do ano na contagem do tempo humano.

1.798. 076

Um milhão e setecentos e noventa e oito mil e setenta e seis meninos pela fome e misérias várias. Foi como se uma cidade inteira do tamanho de Lisboa tivesse desaparecido e quase ninguém vivesse mais.

Até Quando Senhores?
Quanto Tempo Pensais que Assim se poderá manter o Rumo do Mundo e dos Homens?
Que Fazeis?
Qual Pensais ser o custo deste rumo, creis que o podemos suportar?

Exorto-Vos à Paz, ao Entendimento e a Inteligência do Coração. Digo-Vos mais uma vez que É a Única Via Possível.
Exorto-Vos a Cuidar do Que em Verdade Necessita Ser Cuidado


Vos digo pelo que mostrado me foi e vi e pelas contas feitas entre certo tempo e sua correlação com o tempo dos homens marcados em dias, que terá o homem cerca de nove anos para resolver decididamente os problemas energéticos e arrepiar o caminho em que vimos e ter já um outro alternativo onde devidamente andaremos, um em que não façamos mal a nós mesmo nem ao Grande Corpo que Somos Por Nele Participarmos.

E não sejais ingénuos ao dizer como velhos adultos, que esta é a visão inocente de uma criança radical e cega no seu ver, quando lhes dizem nas vezes que é impossível não haver resíduos, que sempre o homem os fará e que será impossível viver de outra maneira, que os adultos não abdicarão dos seus confortos e por ai fora.

Lhes dirá a criança que se calhar nesta via, não haverá um dia mais meninos nem adultos nem vida e já que dizeis tanto os amar, que façam contas ao que se pode mudar e mudem-no e sejam criativos, pois tudo se poderá sempre inventar.

…..

Contente fiquei com o que hoje ouvi nestas matérias. Bem Hajam e Não arrepiem caminho e comprometam-se e resolvam o que é mesmo de resolver!

Aqui estou para ajudar, basta pedir claramente e sem rodriguinhos.