quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Boa Noite Amadas Bestas, Que Vós Nem Mesmo Existeis, pois eu trago Coração para sentir e perceber, lábios para beijar a Minha Amada, Cabeça para Vos Lançar Palavras Ardentes que Fazem Arder a Maldade, dedos que servem para Acariciar Minha Amada e Assim Deveriam Estar a Fazâ-lo e Aqui Se Entretem por Obrigação a digitar, e de Vós Reina O Silêncio de Morte da Morte em Morte, e Assim Concluio Que São Mortos Vivos ou Vivos Mortos, Que Na Aparência Aqui Existeis, Mas Estão Numa Qualquer Outra Dimensão Paralela.

Aproxima-se o momento de fechar a acusação que trago à cidade contra Vós no tocante ao mal que tem feito e deixado fazer a meu filho e à minha pessoa para depois fechar outros assuntos e fechar este Livro da Vida, Quanto um Livro da Vida alguma vez se Fecha, pois É Ele Sempre o Mesmo Eterno nas suas Variantes.

O vento me fala de o que vos digo ser populista e o tom que lhe vem associado parece ser, o de minorar a palavra por razão desse mesmo populismo, mas não deverão ser as ideias sobre o governo da cidade, populares? Ao sê-lo, não será indicar de que vão de acordo ao coração dos cidadões e a Realidade Real?

E eu que leio nas entrelinhas do vento e de seu dizer, parece-me que o que vocês querem dizer é toda uma outra coisa no vosso propositado primarismo com que pretende confundir os que voces consideram como não capazes de pensar por si mesmo e assim os menosprezam, pois grita a entrelinha, que o que vocês querem realmente dizer e não dizem, é uma acusação de serem demagógicas, que por o ser são populistas, agradam a muitos, mas não são viaveis ou outra coisa qualquer, e se assim o pensam pelo menos tenham a frontalidade de fazer a demonstração, de explicar porque são demagógicas ou não se adequam ao diagnóstico e não são sérias ou viáveis como melhor caminho e vos digo a Todos o que sempre vos disse, não me arrogo o direito de ter as melhores ideias, pois nem minhas nem de ninguém as ideias são, e se são más, que as deitem fora e arranjem melhores, mas sobretudo concretizem soluções, oh filhos de uma grande babilónia, que o que vós assim desveleis, é vosso perfido fazer, onde nem meios homens são, pois quando algum vem pedir responsabilidades, vós logo fugis nos vossos arabescos, isso sim, das vossas inverdades, das vossas vil manipulações de todas as podridões do vosso podre sistema politico em que levais e trazeis os assuntos da cidade desde que me conheço e o vosso tempo, e vosso negro fazer, não existe mais, não tem o mundo nem tempo nem condições para que assim se navegue.

Pois se É Clara a Lei do Amor e dos Pais e dos Filhos e de como se devem regular seus eventuais conflitos, quando é necessário dar a mão e se a pode dar, se a deve dar, e se dá, porquê as leis e as práticas não deverão reflecti-la por quem preparado para a função, para o lidar com familias, com crianças e com pais.

E que não se esqueça a cidade de manter sempre abertos, canais abertos , convidativos, reais, no sentido de se adequarem à realidade do povo pequenino, para que eles sempre possam exprimir suas luminosas vozes, expor as suas necessidades e ensinando-lhes seus direitos, o direito de pedir ajuda fora da familia quando a familia abusa deles ou lhes cria , o que entenderão por problemas, tal qual um adulto faz, com a mesma facilidade e funcionalidade, quando vai reclamar uma garantia sobre um electrodoméstico que não funciona bem ou que deixou de funcionar.

E em caso de já separadas e dos conflitos aí nascerem, pelas diversas razões que a eles podem levar, serão em vez de um, precisos dois médicos, um em cada lado da familia durante o tempo que se necessita para fazer uma correcta avaliação, implementar o que houver implementar e acompanhar o seu cumprimento, da mesma forma que se verifica se uma obra bem se desenrola até seu fim.

Retirando as questões de familia dos tribunais, será conveniente começar por fazer uma avaliação fina e detalhada das necessidades actuais e previsionais a médio prazo, que é o tempo minimo que demora a formar médicos de familia, que o são sem o ser, se levante os distintos meios que existem e que se estabeleça um plano que os articule, integre e se definam com rigor as sasu competencias, suas atribuições, suas responsabilidades e que se crie um sistema de avaliação e acompanhamento do processo para todo o sempre. De conveniência a presença dos orgãos policiais com elementos de ligação a este processo, das àreas de prevenção de raptos e desaparecimento de crianças e menores.

E se os médicos que são sem especificamente ou necessáriamente o serem, irão quando necessário viver por o tempo necessário nas casas das familias, lá dentro com cada um, que já agora como hospede culto e sabedor, posso deixar sua boa lembrança no que de mal se deparar, e dou como exemplo, ensinar se necessário uma familia a bem comer, ou a organizar o seu orçamento, ou o que for ou se apresente.

A Talhe e foice da democracia representativa e directa, que uma não obsta à outra e quando mais directos todos participarem, melhor funcionam as coisas dos dias, de notar que uma vez, o parlamento, lá fez umas sessões com meninos, recordo mesmo de três ideias que de lá sairam e que eram boas, de aproveito e de utilizar, não sei se os pais esqueceram ou as fizeram, e recordo tambem de não mais ver sessões com meninos, tipo anúncio, vide como somos bons e luminosos, como hoje acordamos inteligentes e movidos pelo bem fazer e depois veio a noite e esquecemo-nos de nós outra vez, não soubemos mais quem somos no novo acordar.

Se bem percebi, em outra camara, mais pequenina em sua insigne importância, continuam, vi as costas de uma Bela Senhora Amada, com um friso à frente de crianças, não à muito tempo atrás, parece que existem uns em que o estatuto lhes sobe menos à cabeça que a outros e que os primeiros melhor fazem e que deviam os que representam, serem mais como os primeiros, seguir o exemplo da Senhora.

O Quinto Império coloca e trás em seu centro de organização, do coração da flor que abre, o menino, a eterna criança, aquela que pode ser pequena ou grande, descuidais que ele existe sempre em vós, em vosso peito, nas mais das vezes zangada, a bater com suas pequenas mãos dentro de vossos peitos, a gritar, como quem diz, estou aqui, sou eu, tu, deixa de ser tu, besta adulto que adulto cinza te tornaste.

Sem comentários: