sexta-feira, junho 29, 2007

Ah Amada, que belo dia de sol, e eu ainda não me deitei e estou a ficar com sono, queres vir comigo dormir uma sestinha?

correcto o discurso do primeiro ministro, foi-me dado o privilégio...

espantam-se meus olhos e meus ouvidos, acabei de receber uma carta do diap dizendo assim, na parte de cima tem uma cruzinha que assinala o conteudo, se é declarante, ou queixoso, etc, relativamente ao que está assinalado, que não está, esqueceram-se, mas que eu em meu douto doutoramento intuitivo em energia quantica do amor, deduzo ser, relativo às queixas que apresentei, diz então que foi o processo arquivado por ordem do juiz que o terá analisado, sem mesmo dar uma razão que sustente a decisão!

continuam a desentranhar-me aos pedaços em todo o lado e mesmo uma queixa apresentada à policia neste país não o é, não tem seguimento, nem em relação com ofensas corporais ao próprio, quer isto dizer, que se alguem te bater, é provavel que nem o venham a investigar e a pergunta decorrente, será, e se for ao contrário, também?

sobre os outros crimes, bem sei que a policia não quer neles pegar oficalmente, já o sabia eu e todos desde há muito tempo, são tratadops de outra forma em outro nivel, tal como a comunicação publica e mediática tudo mascara e tenta confundir e vejo muito em pleno toureiro, mas se eu ando com seu simbolo, não sou eu um, só para te beijar sou com ele fogoso

os setes magnificos, muito sorriem hoje no jornal a falar de justiça, fico por ver-lhes os sorrisos, pois não tenho mais paciência para ler sobre hipocrisias, não desditando a douta inteligência de cada um deles, à luz do que comigo e meu filho se passa.

estou a ver que tenho de resolver isto de outro modo, talvez mesmo deixando de me preocupar seja com o que for de comum, as bombas que arrebentem, que venha o abismo, como eu não existo, como não me respeitam nem os direitos nem as leis, acho que me vou mesmo calar, acham, digam lá de vossa justiça e interesse.

Do outro lado do mar, falava-se de acomodações de leitos, eu para mim, que seja grande e dê para mim e para Ti, amada minha e ainda não lhe disse mas seu neto é muito bonito e os vi como avós babados a sorrir do coração e contente ficou o meu, pareceu-me pela touca, bethelem e senti partogenese, não sei a que nivel dos dois, mas em verdade meu coração a sentiu


Ah Amada dizem as Estrelas e as Quadraturas do Céu, que Amanhã quando a Lua For Cheio se Ouvirá um Grande Bang

e o espirito do amor neste momento acrescentou, icc, principe y serpente do homem z, e y ze kapa serpente so rato da vareta que jorra ponto, o i , o c que abocanha a maraia e a inverte, do vaso da serpente do vaso z, vareta B da kapa b, o gato l, furacão axa do xa da dupla dor do vaso, e, do principe
O ponto de pegasus, a pérola no desenho da cartografia do ponto onde a acção das duas mãos se cruzaram no mundo, com relação ao texto anterior sobre o último desenho

E dentro do circulo do lado direito dos óculos, o u seja à esquerda no espectro político, estão dois nomes escritos por suas iniciais.

Na mão mais à direita, a que agarra o falo cobra, à sua esquerda está escrito M.O, e disse a criança, que era Mário.

Na mão mais à esquerda, e mais abaixo de M.O está escrito F.O. e disse a criança se tratar de Francisco, a linha eu une os dois nomes estabelece uma cruz inclinada com o eixo do terceiro dedo da mão, o que está espetado e que é a cobra mais fina e que aponta ao ponto do pegasus no globo, o que já foi descrito geograficamente.

Parece ser um nome conjugado, um Mário Francisco, pertença de alguém da Escola do colégio Moderno, do circulo da Maria do circulo do Rá, ou ainda o MO do Mário, o Soares, sendo o tal de Francisco o terceiro MO do Mário Soares, assim me disse o som, de ser o terceiro.

Chaque exploit a couronne, bem vindo ao minuto, era o dizer a este momento da escrita na televisão, rolex, je vous remercie.





A espinha cujo eco se encravou no coração da Marta


No dia 25 de maio recebi um papel assinado por um homem que deve ser peixe pois sua assinatura e como a espinha de um peixe

Diz a sua letra manuscrita que declara que ficou depositada no cofre da S. RA uma cassete beta cam digital co da cobra da obra do autor paulo, forte, o que dividiu meu nome, pois nomes seguidos não se põem separados por virgulas

Lx + 25 de Maio de 2007

Assinatura da espinha que decomposta me diz, um M com um semi circulo como lua deitada para cima, que em que os pontos superiores da letra, o primeiro de cima que geralmente é o segundo na forma de escrever, e que assim sendo, corresponde ao segundo, é desenhado com um laço, um e, como também o ponto quarto da letra que nesta mão é o terceiro pois o vale é ele mesmo desenhado em forma curva sendo que laço da perna da esquerda da letra é consideravelmente maior ao da perna direita.

Atravessa o vale do M de Maria uma outra letra que nasce de cima em altura equivalente aos mais altos pontos do M, (y d) que faz um P com uma outra superfície a seu lado esquerdo( a e ) quase inteiramente fechada, porque a tinta falhou num breve instante do desenho, e que conjuntamente com o laço daa direita de cima do M faz com os três elementos, uma espécie de grosso falo.

Me sobe de imediato a semelhança a carta de navegação de meu filho, pois os laços superior nas letras de M me remetem de imediato para o símbolo em seu desenho da cabeça de Maria ao lado direito superior da cruz na cama que tem os minaretes elevados, que são com cruzes Anka e semelhantes à forma da grafia deste M, da mesma forma que a segunda letra que atravessa o M de Maria na cama a é em certa forma, semelhante.

Minaretes, dois que apareciam hoje na televisão num edifico nas cheias do Paquistão.

Depois o nome tem sete L, desenhados sem ângulos, e um ultimo que fecha quando curva de baixo para cima desenhando um B

Todo o nome é atravessado por uma linha horizontal, como a medula da espinha do peixe, ou seja um horizonte a meio, entre a terra e o céu.

Entrou a assinatura por cima do carimbo, sendo que o quinto L, separa e desvela um S, que pelo l é fechado à sua direita fazendo assim um 8 e apanhado ainda em seu desenho abaixo do traço que desenha o horizonte do meio o a e o espaço entre ele, o A e o V que se lhe segue, de abreviatura de Avenida, ou seja o A transforma-se em seta que aponta à serpente que pela letra se fez infinito.

Os dois primeiro LL também falharam sua tinta e tornam-se assim dois CC, os quatro seguintes estão fechados.

Entre o quinto e sexto L , fica isolado o O e o I, e o E foi fechado pela linha ao descer fazendo assim dois quadrados montados um sobre o outro, de forma semelhante ao que aconteceu ao S que se transformou em 8, pela escrita.

Entre o sétimo e o oitavo que é, e se torna um b, fica isolado na palavra sociedade, o DA

E o ponto que fecha o ultimo L e o transforma em b, na sua parte superior une o D ao E que se lhe segue, o onze, o homem onze, assim agora o espirito me desvelou.

Ou seja temos as seguintes letras,

8, O, C I, quadrado, quadrado montados um no outro, DA DE

ou

S, O, CIE, DA, DE

Junto ao inicio a Serpente

A serpente oitava circulo C da coluna dos dois quadros associados, do Dia do A, DE.

Da soci da Dinamarca, de uma sociedade de comunicação da Dinamarca.

Seguindo a espinha horizontal do horizonte, isola seu desenho no carimbo o seguinte parcelar dizer, sociedade por, no céu e na terra Av. duque de Lou

O que parece acrescentar o seguinte sentido ao anterior

No porto, da terra do Duque de Lu, um ritual nórdico, na cama com a Maria, montado com sete bs, ou seja sete de apoio, ou com o homem que é o b, o que não afirma que tenham todos lá estado no mesmo cama mas sim num mesmo colchão.

O homem poderá ser então o beta do cam, do centro de arte moderna, ou das artes modernas, como por exemplo a Internet, beta pode declinar em B E T A, o segundo que faz os furacões, o segundo acto de terror ao norte, norte de onde estou eu e tu que me lês.


Recebi eu este papelinho que me foi manuscrito debaixo de um u de vidro invertido à frente do balcão da tesouraria onde no cofre foi guardada uma cassete digital de caixa azul, que tem em sua lombada um rectângulo vermelho com a palavra Master escrito a branco e uma etiqueta master broad cast di gi t a l, vi deo ca ss et e
Maldição Maior Estrangeira da Divisão da gata primeira dos tornados, do vaso da vareta do circulo de Deus, serpente dupla et, ou dos tornados de Espanha, qua n te g y

00.00.0 C espelhado na vertical,.00 00.01. do terceiro do circulo duplo ou do infinito deitado.00, ou seja mais dois círculos- a serpente que atravessa o vaso do carneiro b , ba rr as.
00.01.0 00.01.30.00 00.01.50.00 do vaso U de Y OS
00.01.50.00 00.01.57.00 claquete, C L da foice que penetra a maria e lhe espeta um prego na asa direita
00.01.5+.00 0U.02.00.00 serpente que morde o Y e faz dele sair uma asa anzol
00.0Z.00.00 00.56.33.60, p w Y serpente
54´33” – du r ra cão, 4/3 le TT e r da serpente da vareta b do ox, pal, pa z, stereo, st e rei, ou re do circulo, dol b y, ou do lib Y, dos três pontos do vaso negro.

DBC-D64LA, 525/60 625/50 , PCM quadrado um a quatro, dois monos e dois stereo, ou seja seis, metal tape 2-493-203-21F

Na lombada ainda para alem de master, xutos e pontapés, c / u y de onde saí a serpente anzol do ourobos da asa invertida ,6 , dois laços no vaso que lança a serpente com duas facas que são como anzóis ao C, serpente que faz ponto marca no C da vara em obliqua \, e penetra o L e inverte o sexto, serpente set 2002, 64 m, no interior da caixa a cassete e uma etiqueta com a direcção da quantegg inc , 2230 mar v y n par k way peli ka ala bam a 36804 U.S.A

A formiga cá da té, gato da dupla escrita do Y, segundo da segundo quadrado do terceiro, mar, vaso Y n vezes, do parque da Kapa e pele da ala do Ká do primeiro e maior estouro, o da escola russa, da tríade sexta do duplo quadrado do circulo quarto da terceira U S A, da terceira serpente do vaso A, do metro de Londres.

Depois sai para a rua, O master ficará no cofre antigo, pusera-lhe o senhor da contabilidade uma fita de tesa film transparente a volta à laia de selo, que não o era, e como não tinha papel comigo, escrevi no verso do recibo as seguintes notas que o espirito me desvelou

Do pi, da divisão da iza hurt, da dor da isa do angulo do vaso, ka, MJ, zagalo maior do X em 75, PN Q 6 do vaso do príncipe da serpente homem do ourobos, cão do D, cantor, das telheiras, 92, tipo príncipe loira da tofa, 7 BD, X S, RE zagalo do sistema de informações do vaso C To É Z PP, HS, 2 gato, vermelho e preto chapéu AA, 281-263, fatal, zh, zt, beef, az, 74,93, ni 4x4 turbo, primeiro do nono, Lisboa policlínica do rato, b h9, SÉ, 5 SN, auto latina, w2, serpente, AJ RE, Vaso do Dia Z da DI, Mo do duplo xx, beijo de 99, grande rato inglês, do colégio inglês, HM, v ó, ap, db 65, dv, supermercados corte inglês, bn 71,78, ui, serpente do vaso 51, sagres, carneiro grande cuja boca mordeu o entre pernas ch 91, vl, cozinheiro do grito, Ce iu gx vf bb pb nl, ai, praça comércio, lu, xh, bc, pi es e, dx, dm qj ao ac 62 zf ax kc, unhada em frança três pt trush, dg f 77, vp sn. Pó xg dh xx ep di avião ze, jibóia of subway, x6, 11 de 97, musica criança a tocar, ou 9 + o car, festa, cd 01, cz, xz, ee,nz,66mi,xa, bc 40 anka seis invertido, ch 91, he, g serpente tubarão dos quadrados, europeu, jumbo on line silva, lp, grande centro, br, cozinheiro, 91, 75, i l dos dois anéis, xs vital, w serpente que laça o L, tal, co 4 jo, zagalo li ss, fc das línguas de fogo vermelhas, transmidas, k, gasolina, da can presse, do vo, ka ss sutra xl, aj aa ce 97, la,jb,pz,96,gr aq 13, sport,zm,vm,hl,bs,kc,ax,ka,10-13,vv,jx siemens, bb 6/12 alain manouque escocês
Azul vermelho de capa vermelha, 88 se, cão que fareja, negro coleira prata, gat mota azul e dioro rh,gx, dr bt 931 c 672 4x4 vc 84, vx 3 ouro azul, xc, 91,92,7 ao 9 az, kc ca, zh td sf ub 61,do pequeno jacto, que caiu nas pedras, nd, 01,92,sj,99 ah,11 st,90 sz su tb fd xl 75 aa bul 93 pulse di, xz, unha vermelha no porto, etnic driver xm 90, 21 sexto caracol 77 la, o furo, na rapariga de cor , xa ld up ve typer zenão, lm 55, oj, eu 74/88 ac o mz serpente lin de dm 68, x9 m9 zr me, 84 aq, 8cg 72, vs jt, me, 4x4, já ce vaso maior dos tm js br me co 96 ao c. Santos 87 di, la nu, od, circulo d au 10, que 79,sc tmn76 81 zi, o sexto príncipe da dor da maria vareta primeira cod treino encartada, que foi co aqui em 84, ka 75 jx sr be 0 69 cá dd jx. Dh vl m9 swing dei, estalo invertido vesica fr extreme bic da luz e o lf xu ce el cx ol rb bt uv ba iva gr as 89 ad 86 9,5,6 pt bc smart b9 fi bp ca 77 da seta da vaso deitado a vesica da estrela elegante, dia homem rato ao vaso us, Bo homem q, bombeiros 11 zt fj 79 92, ka r2 pn 92 II live srauss te cj que bate na alavanca das mudanças cj 69 sn ba as 75/79 cachimbo tmn av 96, mf 6 x, fr 5s,az,sf,bb 2,6, o furo, vv zr 71 re aj tr ce 5,6,3 xn açores, vestal amarela ch i o az, cx op a h 44 cc 39 prata, bo preto, ix, 51 pn bandeiras das cx santos, zg 74, vs, dp, pg 85, 97 sd, 11 fm av 6133, rf, tg, jz, p7 ad, xn, tq hnn, r silva road, mf, s11, lx, he. Js, s opel, pó, jt cister bus pn, vr x3 en xv oe ao 77 ce, bs lx, sáurio da loja do mega 74/78 ao na, 96 ac zi, jr pb, sc,hx 57 cv 2 bu cb 2h, vv, x n 59, vu 0659x sxr,xu,te fr,25,to,df,editorial estampa tó ec, octavia, ed vr fm bombeiro, 6 m al un vp dj, 98 aqui , zm, oj 93.

E eram estas as notas na parte de trás do recibo, o seu anverso.

Telefonaram-me da spa, no principio desta semana, para marcar uma reunião que se deu ontem, para nem me souberam ao certo dizer, qual o assunto, com o serra e o ceitil, e perguntei à senhora, mas é por causa da reclamação, que deveria ser e assim sem mesmo me ter deitado, ontem para lá parti, já estava em a pensar para meus botões mais uns que não respondem, nem desenvolvimento estão a dar aos assuntos, e o ceitil, há tantas mas tantas luas que não o vejo, por que razão lá estará ele, na reunião?

Estava um bela manhã como a de hoje, luminosa de azul claro e me sentei na entrada do metro antes de descer a fumar um cigarro e meu olhar pousou numa menina que na outra entrada estava, vestida de azul, parada na mesma posição atenta que eu, depois ela partiu quando seu autocarro chegou, eu acabei meu cigarro, e desci e no metro entrei.

E no espirito durante a vigem até chegar à sociedade, o seguinte entendi

Ph na bertrand?! No metro, porquê?

Metálico dos estúdios morangos, três círculos na vertical, sendo o do meio maior, culto, estou mais sereno mas não menos perigoso, rex o na que nunca falha, os músculos do corpo descarnado como nunca viu, Filipe lá féria, a maria b do brasil, com calças pretas, a Fernanda carioca, que bela quando sorri, que tema estava eu a ouvir no espirito, um triste dizer de amor, talvez no inverno e depois vos ouvi a desejar aqui viver e meu coração ao instante se sobressaltou, sereis vós senhora que me trazeis em vosso peito com 40 graus à sombra dos avós português que a tratava carinhosamente por fernadinha e o dizeis bem a portuguesa, assim vos ouvi, Ah que bela memória em seu peito

New af fork, prove grátis, alvalade espelhado em seu inverso entre o vidro da carruagem e a parede redonda do túnel, dia nacional da fruta, dois fios pretos da bolsa preta e azul e buraco do telefone que desliza na east pack rave, a chave comprida cromo city de mala preta e cinza com asa transparente, um homem de muletas sem perna esquerda, new york strand st Ra n d, 18 miles, cinza branco na manga, troco preto no permeio, very W.

Outro rapaz, de canadianas, triângulo preto de fogo sobre oiro em azul, aponta o dedo uma cunha elevada de granito rosa e negro, ka já m 518, celta, east pack II, sweet luz andorinha, fashion 25 do cavalinho deco, da língua azul do x na vesica da língua da serpente do seis deitado do carneiro nono, do circulo azul da música soft do ro do clip ao , dos leões verdes e brancos da Cid universitária edições quase do dia do vaso do vinho á menina bebé, laranja e azul e côr de rosa, da roda da estrela com ponto vermelho no eixo, da estrela africana, do xilofone e das pedrinhas negras no pulso que fazem espirros e tossir a bebé gueno, quénia, o ladrão de sombras, a italiana, com dor na cabeça com anel de búzios, p e b , saia às riscas, amarelo na camisa e nas sandálias, ness, jambo, saldanha, sentido rato berska no outono do comboio com muito barulho, debaixo da terra, vibrações, martelo pneumático, 69 eléctrico on versage, Londres, o jogo dvd eléctrico.

Liga dv vale no dia X, z no vaso, tnt, do crocodilo sexto vodafone Grécia, europeu máximo zé, no dia d, dois traços no dia d.

Vaso segundo tu, monumental, lc e vita, sé super bock do dia maior 73, punto El X, já, Ur sp 67, zagalo homem de setenta e nove, master chef dia homem segundo em Lisboa, pcp-pev, primavera e verão residence, La e dor do crocodilo versage do cavalinho roberto, liberti, gi, pe, rf, uma b serpente invertida ca chá rato do angulo, homem cachanel, faria do barreiro, Aquiles salvador, 83 di, vo It, bf mp 66 Ab mf telheiras pe, do dia maior do rino de mafra.

Quatro degraus do Si para ph KS FM full, do si o c do dia z, corrier ford partner, horto e frutas e talho, u d do Rá da serpente décima, segundo do oitavo, 79 ch, do raio maior 88, 5 do 62 Co, estrela HM polo em 93, seis sete da serpente ram e b da hi ace to w ne r 15, jcp, não há guerra, sd 18,moto escape alberto, z no vaso do carriço, zz tj 60 eu 77, vital 72 zt, hospitex, homem serpente da divisão da te x, do gato do vaso aqui da rave, columbia, Ab 83, carro da tri car Mendonça.

Az = Mendonça. Daz, taz e cruz R + az – Henrique Lopes star

O restaurante chinês da loulé, estava com a porta estilhaçada a meu passar, e senti uma estranheza a entranhar-se dentro de mim, era visível por detrás da porta, um carrinho de lixo verde com rodas pretas e me subiu no instante à memória que fora naquele restaurante que vira pela única vez três homens da mesma família juntos a almoçar, o paulo, o nuno e o pai, os portas.

Tinha passado pelo coreto em frente ao Camões, e reparara que ele é o coreto da lira, esse é o seu motivo, uma cruz desenhada com as letras em seus quadrantes assim a rezar, T M e embaixo M S, outras y si- cdp, vaso invertido az = Ilen to ka PS ibc, uma pedra sobre duas luvas amarelas nos três degraus da escada em forma de lira que entra no interior do coreto, outlaw for life, amo-te Neuza, gato EU + ho, amo-te, rr is outlaw for life, pr is love s ti do vaso do triângulo sexto francês az va kst.

E com isto tudo cheguei atrasado à reunião, acabara eu de perguntar por eles e quando me virei estavam eles a chegar, dei um abraço forte ao ceitil que já não via e entramos, eu, ele, o serra e o madureira.

Perguntei eu a madureira se tinha existido algum contacto com a Marta sobre este assunto antes de ela falecer ou com o escritório, disse-me que não, mas no final da reunião ao cumprimentá-lo suas mãos estavam suadas, estranhei, mas pode ser só uma tensão geral que eu lhe trago, pela forma com que lhe ladrei pela sua falta de competência.

Disse-me o ceitil, que era director suplente e que como meu amigo tinha acedido ao pedido do serra para proceder à peritagem e que me garantia que tendo visto o dvd e meu trabalho, que estava muito bem feito, não tinha encontrado nenhum fotograma meu no dvd e que tinha feito tudo aquilo graciosamente, que era meu amigo e que aliás tinha uma vez me defendido num processo da tap que eu nem me lembrava mais.

Mais uma pedra, fora o ícaro ou o lentes de contacto filmar num simulador de bordo, para um segmento em que se explicava as profissões, como de costume pedimos autorizações por escrito que obtivemos da parte da tap sem qualquer pedido que fosse de pagamento ou contrapartida, passado uns meses recebemos uma carta da tap, a dizer que lhe devíamos uma quantia choruda, pela utilização do simulador e lá fomos para tribunal, ganhamos porque era por demais escandaloso o pedido da tap, terá sido mesmo uma instrução à posterior de algum administrador, que terá dito a alguém do departamento jurídico, vamos lá chateá-los, curiosamente um dia anos mais tarde, alguém que viajava num avião da tap disse ter visto um clip ou dois feito pela latina, mas nunca nada nos disseram nem nunca nada nos pagaram por essa utilização.

Mais um caso de policia e de tribunais, se ainda os houvesse em Portugal, que já não existe mais.

Achei estranho o que o ceitil me disse, pois foi a própria Marta que me disse que tinham decidido usar parte das filmagens do vídeo que a latina produzira, e lhes disse mais uma vez isso, que assim a Marta me tinha comunicada, nunca comunicou, foi que pedaços, que músicas e o tempo que iriam usar.

Confirmou-me o madureira que o dvd tinha sido fornecido pela universal, visto na aparência já não existirem nas lojas, esgotada segundo me disse, é uma edição de 2005, olhei na reunião a capa e me pareceu a do dvd anterior que ela me oferecera em mão, quando lá foi buscar meu master, garantiram-me que era a ultima, ainda não pude verificar nem os conteúdos nem apanhei ainda o dvd que ela me deu, para ver se é o mesmo, já em casa olhei a ficha técnica, e meu olhos se espantaram, o realizador é o Manuel amaro da costa, que se lançou na latina Europa e da família do Adelino amaro da costa, que ia com Sá carneiro quando o avião foi deitado abaixo e todos os que lá iam morreram

Aproveitei ainda a conversa com o ceitil para lhe dizer e explicar quais eram os problemas relacionados com os direitos, seu controlo e sua distribuição, pediu-me dois anos e eu lhe disse é melhor que nada prometas, para daqui a dois anos não ficar a amizade em causa por uma promessa incumprida e lhe dei à lai de exemplo, o que se tinha passado mais esta semana na câmara, uma nova, senhora, a promessa pessoal com sua própria palavra empenhada, de que me chegaria até a esta terça feira que já passou uma resposta por oficio, já vamos em sexta, aquilo que eu lhe dissera quando ela me garantiu que assim acontecia, não está a senhora a ganhar mais uma semana, para me empataram, que não, país de brincar, ainda hoje sexta e lhe deixei recado pedindo retorno e mais uma vez nada

Saí da spa, e li no metro ao voltar, da vesica preta dos rectângulos rosa das sandálias dos cordões doirados com dois negros X nas asas indianas dos sapatos das rosas negras do Japão das caveiras metálicas, cavalinho é o Co invertido, estava cheio de sono, as pálpebras fechavam-se já e o olhos já pouco viam.

Se em realidade não usaram partes, o que me parece improvável, visto ela me ter dito que sim, o que andaram a fazer com o master durante tanto tempo, talvez dois anos que lá ficou?

Hoje de madrugada na sic, uma reportagem sobre pirataria informática em hong kong, terá alguém feito uma outra edição a partir do master da empresa, foi a possibilidade que ficou a ressoar em mim?

Perguntei-lhes e sobre o processo à direcção geral das actividade e registo e não sei quê mais nem menos, a sociedade avança ou não? Entraram todos em derrapagem, sem chegar a um sim nem não nem nim, disse-me um, sabe lá por baixo, existe mesmo um templo maçónico, que meus olhos já o viram, e eu próprio tenho uma vaga memória de alguém há muitas lua me ter contado um mesmo.

Depois ainda não pude verificar ao certo, mas quase de certeza que é exactamente esta obra que foi registada e aceite pela DG como registada e que passado para aí um ano recebeu a empresa um oficio a dizer que ela não estava registada.

Fora um registo múltiplo, ou seja, mais de que uma obra num mesmo papel e como todos sabem, para registar uma obra é necessário entregar todas as autorizações e declarações de todas as autorias, e quando eles aceitam o registo, coisa que fizeram relativo a todas as obras que foram nessa leva registada, é porque está lá tudo o que é necessário.

Recebeu muito mais tarde depois do primeiro registo, a latina um ofício dizendo que a obra não estava registada, só aquela no meio das outras, porque faltavam autorizações, o que era impossível.

Será que tudo isto foi assim preparado, alguém retirou declarações, depois escreveram um ofício a dizer que a obra não estava registada para depois puderem fazer uma edição pirata?

Recordei-me da anabela Afonso, que passou uma vez pela latina em seu principio e desde aí ou mesmo antes me ganhou uma aversão se bem que nunca a tenha percebido, era uma rapariga que fora do cineclube de faro, com quem eu nunca tive contactos directos, se bem me recordo foi esse o motivo pelo qual ela aparecera na latina europa, para falar de uma eventual apoio ao participação da latina, uma rapariga que passou pelo palácio foz, e pelo ministério da cultura, sempre a subir pela sua carreia acima ou abaixo e a minha intuição sempre a me dizer, que é ela uma das que regularmente me combatem e me perseguem em nome não sei de quê nem de quem, tipo correia de transmissão, bem como com o serra nos recordamos da outra senhora com quem a plataforma se cruzara, numa reunião, na residência do primeiro ministro, onde numa reunião, um normal dizer do josé carlos oliveira, lhe fez saltar o animus, e que era ou será ainda directora do ics, que depois comecei a encontrar no pão da açúcar de Av.. de Berna quando a família lá morava e que fazia de conta que não me conhecia, senhora de fazer grandes inimizades, naquela altura o que despoletou, foi a nossa afirmação sustentada que o ics não cumpria a lei na fiscalização das obrigações das televisões, relativas à produção audiovisual nacional, e a senhora irritada, cada vez mais se irritava, refugiando-se numa resposta de quem se considerava ofendida por tal nosso dizer e assim incapaz mesmo de compreender o que lhe dizíamos, ou talvez assim fazendo para não perder a face ao secretário de estado que a tutelava e aos diversos ministros que tiveram o assunto em mão, no tempo do governo guterres, e agora me aparece uma relação, da sua ligação com o tal rato grande de prata, que poderá ser o arons, ou da anabela com o tal que habita na sé, o homem da Sé é ex tim toro, me dizia o espirito a vir para aqui, o que daria lógica de sustentação à hipótese que agora deduzi, do que poderá ter estado por detrás de parte deste enigma relativo aos xutos e pontapés, e sem que tal contradita ou desdita as outras , vertentes nomeadamente a que aponta para impactos no Japão, vinha ouvindo a ideia de dessincronizarão do som com a orquestra, mas nem sei ao que em particular se refere, embora tal fenómeno seja conhecido na transmissão área entre as imagens e o som e portanto poderá ser utilizado em termos de operações de frequências à distância.


O pan sonico do cab dv do ss da egac, interruptor que liga o sexto furador, credial da maria do sistema de informaçãos, o dr ts de esquerda da captura das danças de bra homem maria serpente, ou maria sobral, truly digital, da ex cel do jogos de cartas, ac do CGD das cinco lâminas gi ll e et, asa do montepio da inversão do vaso do A, continente, a gasolina do spell nuclear, a chave escondida do rato do jaguar, o paulo portas, da vareta di serpente c primeiro do sexto, do rato do dia do vaso do dia d, dvd-r, do circulo do Y A alemão da inversão

Serpente tic do triângulo de fogo do primeiro, do segundo e do sétimo, da ficção científica do ordeal, o pneu michelin 66 do cabo vermelho da condução do D primeiro do dual band tmn, sete mn, primeira foice violeta cabo vermelho, o rato dos sapatos alto da rapariga patrícia, dos blody mary s, o laço cobra preto do transformador do meus textos PC, o da loja de informática ao lado dos bilhares e jogos de carambola na expo e no metro da cinco de Outubro, o da sapo adsl, o fora do sync, o sistema que permite o polo digital


O primeiro do beijo em 95
O c vermelho é o dos xx, o fantasma da opera, o do circulo do br do triângulo da W, o leão da mo lly, dos dois ângulos ao Y, do ba, rato, bareta, et da serra, da vareta da dor dupla do palácio da eira da bela e do monstro, BB, da inversão do M, metro city, Mc Donalds mais homem irmão sexto c , o francês dela da seta vermelha na 6ª feira, Ra sexto, taxi da teresa do fórum economico, o toiro louco, o do cam, pila do pi za do psi, o gato do lo, a serpente do rio do caldas, o os car do lobo de ur ac um za minha, bico e rico issimo, o um under P, under score pe rato ge gringo, do frio monte, o homem ró da cia


TV

Dos quadrados azuis e brancos de LA de Lisboa ali para os lados de S. Pedro de Alcântara

Angola, província do norte, caiu avião no, nesta altura elo menos seis mortos.
B an za do Congo, antílope, oeiras do peso do musica A.D. de oeiras e jae padre italiano e um administrador de uma empresa publica

O tó pia, a lingueta cunha na porta foi para dentro, do sexto, dos quinze quadrado dos vidros biselados a contar de baixo

Londres o quadro em losango com o triângulo deitado, azul, ao lado do u invertido. Quatro pontos de pressão, da terra do teatro

Grécia a arder, tenho andado na cabeça, que quando aqui dei conta da morte do papa deveria ter dado também conta da morte do chefe da igreja ortodoxa grega, no heli, no dia em que as igrejas se iam reunir pela primeira vez durante a guerra, que depois ecoou em mais de que uma queda em sequência de aviões da hélio




a dupla dor do dia do jo , que ve gato homem x, ou nono vaso é gato homem x , maria londres dia do homem, pr maria ftp, finaceira do triunfo do porcos em londres, ou dos furacões a teresa p , y rato homem radio controlo da di

quarta-feira, junho 27, 2007

uauotcdu

o vaso da au, o do circulo do tribunal constitucional do dia do vaso, pressuponho que seja o do estúpido recadinho, sendo estúpido aqui aplicado a perfidez, que sem sustentação nemlogica de argumentos nem coração, sempre a desvela nas palavras perfidas e trocadas, que se troque o senhor, pim pam pum!

Ah Amada que isto está belo, mesmo belo, agora aqui cheguei, e relia o texto, estava mesmo no ponto, da caixa da pandora e pum outra vez, mais dois carros, acabaram no preciso momento de chocar, no meu ecra, o enquadramento exacto do texto que estava a reler começava

Caixa de Pandora, abriram alguns com a complacência de muitos e muitos são os cegos e a única boa noticia é que a luz sempre vai crescendo e se expande

e acabava em,

Quantos filhos são trazidos roubados a seu pais neste país que hoje aqui fecha e é pela Palavra Fechado e Selado?

e saio a rua a ver o que se passou, felizmente ninguém se maguou.

à porta estão três motas estacionadas em paralelo, fazendo uma fiada de cores preto vermelho prteo e me dizem assim,ou três ondas

o rato negro do cb, o terceiro do segundo do primeiro, da onda mil

o rato vermelho da serpente nona do rá, do angulo ao circulo 34 frança

o Ka do duplo vaso da dupla dor das SA do Ki do ZZ do Ar, 28 do dia oo, do raio maior, nono do segundo em janeiro de 2004, pelas sete horas e dez minutos

caixa de pandora CIR

os carros que chocaram na cruz, foi o polo negro 86 50 da Fé , RTM que vinha da av do mediterraneo, contra fiat branco 18 71 PV em junho de 2002 que vinha pela av do infante



Ah Amada, voltaram ontem outra vez o bando das andorinhas a voar pertinho de mim, que eu fico preocupado quando é primavera e não as vejo, pois sei que voas nelas e hoje acordei com o dia a nascer, não tinha dormida na noite anterior à anterior e depois de subir do rio deitei-me na cama e adormeci de luz acesa e me recordo de pela madrugada acordar com frio, de o ter sentido infiltrar a té me fazer acordar, abri a bela colcha branca da cama e me tapei, seriam sete quando acordei

Hoje voaram bem pertinho de minha varanda e uma mesma amais atrevida como tu, passava mesmo rasante e lhe vi em seu dorso um reflexo de um azul muito bonito, um azul denso de mar e tu andorinha me rasas, disse-me agora o espirito que eu te rasei e logo me perguntei, onde?, mas não consigo nem pousar a teu lado nem tu ao meu, que estranho e raro e precioso voo, este.

E me disse o espirito, neste momento já irá a caminho do canada

Ah Amada gosto eu de dormir com as persianas levantadas e mesmo com luz quando tenho sono durmo, e quando estou muito cansado, lá as baixo um bocadinho, para dar mais recolhimento ao espirito e a alma e ao corpo, mas sempre com um bocadinho de luz

E já reparei Amada, que os Amados e Amadas variam em sua formas de dormir e espero Amada que também gostes de dormir com alguma luz, é muito bom acordar com a primeira luz mesmo que depois se feche os olhos um bocadinho mais, se leva assim para o novo sonho a forma do novo dia, mas se quiseres dormir na escuridão do breu, também não há problema pois és minha luz

Ah Senhora Amada, me cantam as trovas do vento de um reino distante muito distante e de uma rainha e do gentil ogre que vai à procura de um rei e me fica o coração a perguntar sua direcção.

E sabes amada, ogre agora ao instante me apareceu gore, será o amado gore, que fez muito bem seu trabalho de casa e deixou cá um documento muito completo e sincrético com muitas se não todas, as áreas necessárias de intervenção para cuida do nosso corpo grande e deveriam todos olhar para a lista, pois ela é imensa e dá bem a ideia do muito que há a fazer. Se o gore for o ogre será gentilmente como amado sreck e como ele já tem sua Fiona, só me falta eu ter a minha que é minha sem o ser, e que és tu.

Ah que vi um bela rainha e em seu cabelo trazia uma cornucópia daquelas em que se escuta o mar, agora mesmo, que bela era, vinha numa barca ao som das cantatas de Bach, numa mistura de imagens muito modernas no meio da selva e também extracto de um filme que me pareceu muito belo sobre pastores, onde no meio de um campo doirado de trigo, surgiam de repente de entre as espigas, um casal de crianças a sorrir.

Ah Amada que pingo e pingo amor e vou pingando para o mar, pois não te vejo na praia ao aportar, Ah Amada, chegar ao leito e ver quem se ama a dormir e a sonhar, e de mansinho sorrateiro como uma quente e leve brisa em seu lado encaixar, Ah delicia das delicias e então quando o espirito o reconhece mesmo a dormir e o corpo o expressa, com um sorriso a ajeitar, nasce no instante o mel e tudo escorre doces nas paredes do nosso quarto sem elas, não sei por que te digo isto, a não ser por Amor, mas o Amor é assim, põem-nos desejos e lembranças de futuros no peito e eu amada desejo-te no Eterno de todos os dias

Ah amada fui agora tomar um café, encontrei uma bola de hexágonos vermelhos rasgados, um pau da fiesta, do primeiro quadrado de duas fiadas verticais, ouvi agora um enorme estrondo como uma explosão, um sistema de ventilação a ronronar com aquele irritante barulho que muitos ainda fazem, ao lado dele as luvas de cirurgião, transparentes, o papel de limpeza das luvas transparentes do cirurgião ao lado de um parqueamento para deficientes, de uma pedra que deita abaixo um avião em Luanda, da energia do Tomás, dos ovos de Tomás ao Fonseca, e o vento se agitou ao momento nas copas das arvores, será então ele um deles, o segundo da divisão da estrela, divisão da estrela do infinito europeia do vaso da isa electrica, a serpente Kapa do tic, da pá do Rá ca da fé, me diz a leitura de papeis a caminho do cemitério das olivais e me aparece um associação nas memórias recentemente evocadas, dentro dos olivais entre o miúdo morto no poço do esqueleto do prédio onde hoje é a cuf, da fundação cardeal cerejeira, do tempo da ditadura e o Miguel por associação com o Fonseca

Um callipo, um cone ca de duplo angulo hipo do br , de um ovo antigo, feito ali ao pé da nora.

Uma rodela de plástico como um preservativo ou um anel ao lado do lugar para deficientes ao lado do ventilar, o que terá sido então uma das assinaturas do furacão, o que provavelmente, levou alguém a uma cadeira de rodas com pagamento da queda de um avião.

Um outro papel ao lado rasgado com a bandeira nacional, onde leio de Portugal, e serpente do auto das más de Portugal, autónomas de Portugal, do gato kapa do gal, o rasgo da folha faz um L que toca os distritos de Coimbra e Viana do castelo e corra a madeira em diagonal, da eira, da maria do vaso da eira.

Uns tapetes de carro pretos e vermelhos dentro do cilindro do lixo ao pé do aparelho do ar e da agua, será então do carro, ao lado um ursinho com um fio e um arame gancho que o prende pela cabeça..

De madrugada saíra para a rua e espirito me mostrou o seguinte dizer,

Do XI gang, o I rope, beijo do gang onze da fé do zorro inglês que empurrou o Daniel da um ao contrário do chou da china da unu, do vaso da ideia da medeia mo do um mental da bio lógica das runas americanas do castelo do Lopes do rio sul, a serpente homem ping que pingava pim no luso mundo alma da foró um do espanhol mil e mil e um da alva galáxia.

A serpente do kA da ré de capa verde, feio e com mau hálito casou com a fi ona e o rei harold fazia, k Ra, k Ra

O rec mais o burro e gato das botas very very far away andaram a buscar o pretendente , a kA da mia alma da dança da má do cine do porto mão e passaram por atlântida do castello do Lopes do shopping do allgrave da conta corrente do jumbo do kas Tello

Da conta corrente do modelo, do mo de lo, da serpente LA, vo cais , o villa, a serpente do vaso da feira de Londres, das compras em Londres, do rio sul das torres.

Id ari es sp, da maçaneta de doze pétalas de oiro, cl, o angulo c, paredes oiro, amarelo, verde e azul arco íris do rectângulo comprido que rasga a moldura beije , charlestown, a mesma cor do friso 01 da imagem do fogo na TV dos dominós do cio us, da inversão dos pratos da balança da justiça cega da dupla serpente verde da serpente vermelha do mar sobre branco, do iogurte da inversão do vaso da moss do vaso sexto, tropical 74 da tarifa de bordo do terreiro, do toiro azul e vermelho da manga gelada, do z ap do furacão dos três cruzes da maria do Y tropical , tu es avec l´epé, tu estás com a espada, cantava o senhor das pinturas a pintar, serpente da fi do salão erótico de Lisboa, do conde do sport MC, do hexágono das formiguinhas da maria invertida, do aprender compensa, a LE, Ro, Ne que tapou pequenas folhas verdes em lençol branco de cetim, do quadrado do metro da escolha natural sol La driblo do traço negro no rectângulo branco do metro da vareta dobrada vermelha e branca, do escadote português de três degraus e altar do português da moeda amarela da águia do fio do P invertido, pal mal da chama violeta da dupla maria, das necessidades?, colher azul da vesica rosa que quebra os tijolos em múltiplos cacos e põem uma pena negra na grade metálica do rectângulo, canto esquerdo de baixo, castanha sobre eles, da irma que espeta a haste no olho esquerdo do inglês e do espanhol, terceiro, do quinto ró preto e rosa do beijo invertido da bt d 93, formiguinhas a passar, I q S, serpente da vareta da humanidade da universidade do vaso português para as compras em Espanha das produções fictícias dos piratas da net do filme do michel mo ré mais morangos, lei La cão de Imo ginger, singer, dos quadros azuis e brancos dos peixes bambo do erro mo e flor, relações publicas do kapo do europeu, e vó da vareta vertical da vaso da serpente da maria, pa do Rá , as noites de Lisboa, ernani?, da tavola da arvore mágica das formigas, d gancho da pena negra, cão a ladrar, luz da serpente ivo, pv C da blue re syn the ti nona serpente que entra na vesica da etic da má do tic A, 9 vó, serpente invertida branca e verde da formiga do cordão dos dois laços corrediços dos cigarros finos de filtro branco da espiga d´oiro do L Dl da mola dos soldadores ingleses, da folha dobrada das finanças chio da dobra da vareta de luz da grade portuguesa hot pizza Al da escova e do copo que é deitado ao lixo da maionese dos cogumelos má s. Roque do pingo doce dos cones 50 50 20 i Ce t e a, 60 euros, do fio da chaveta da cunha na madeira do vaso invertido do P ou do P inclinado à vareta vertical kapa, do bico da inversão do Y, quatro riscos da ginástica de argolas do laço b ao infinito do c da pauta de música ou musical, da vareta branca rachada do L do Bu que ri que envolve o circulo branco do mar L B oro dp , no dia X na fiada dos rectângulos verticais que sustentam as grades de prisão, da pedra da baleia da cunha, da chaveta que pisou uma flor lá dentro, uma asa de pomba do pássaro amarela da mimosa de chocolate do dia X , zona de CS do auto das hot pizzas, foice do bico Z do anjol do furacão primeiro na lua deitada para cima do rato que entra no P, como símbolo de Portucale, ouvi avião a jacto ao fundo, três ondas cinzentas em muitas mais que vejo depois, na pega vermelha do príncipe da dura celle dez euros do parque dos baloiços infantis protector, corpos danone, líquidos e pêssego e banana com colar no tubo do pássaro violeta e prata, 3 M, do segundo hexágono CML sopraram fortes as folhas, s t aaples co py, dos quadrados de dois vasos, um sobre o outro com leão azul invertido, rimas várias no Y, três folhas ao lado, uma por baixo das espinhas do bacalhau com luz dupla arredondada, or es ca e lhores, lloret, e cos pá a e com pó na primeira da porta dos tornados da serpente ua, serpente do infinito deitado, maria que atravessa o infinito deitado.

I homem primeiro da hora sete, dois pontos em baixo como quase exclamação dupla, vareta homem primeiro homem anzol do ponto da oitava vertical das sombras das grades no prego na laje, da chaveta do prego que suporta as minhas grades, da minha prisão, a espinha do fino e alto bico da onda entre duas verticais dos riscos sinuosos da serpente furacão da lâmpada de aladino de muitas pontinhas vermelhas, o mrpp , o ruam furacão do vento forte que chia r faz as coisas abanar, das caixas pretas da mina do sul da mãe que leva a menina pela mão, mdk, faby, Ra Tm fuck the cops.

id ari, a le x an d e r fe r nan des, portu gato sis K, sven sk, setima serpente do caso inglês, o ra do do K , serpente verão das crinaças e jo v en s, ex anes cam bridge, o surfista prateado, UN L , eco no mia e g e s t ão, gato electrico da serpente do cão dos furacões, de empresas, do pr das serpentes SA, z ip secu riti sYs T em out, 25100 euros e novembro 25100 euros, g ab ine te e s tudos, ban co e em pr e sa s fina nc eiras e s e g u ra doras, con se lh eiro s u ni ve r si tá rio s do in s ti tuto poli té c nico in t e r na cio nal ,li c bi e ta pica, ge s tão ur ban is tic a e hot e lei ra do guia Vi do s anto d as al turas, hoss ana, p´rá có no ovo homem e serpente finaceira ami goa serpente cem, o do fado de lisboa e coimbra do bairro alto e de alfama, o boss , bo ss, do guia de lisboa em 2003 do serpente homem do ping pong do shoping dos ol v ais. o be r trand da din t er mal, 4,84 euro do escudo de oro almada, terreiro do paço, be~lem , sintra e sé



E depois quando entrei no elevador, seu chão estava parado um pouco abaixo do que é seu costume, e achei que me indicava a cave e assim a ela desci e no caixote dos papeis estavam diversos jornais e revistas, oiro para os olhos cheio de amor para quem não anda abonado e lá dentro vi uma imagem que era semelhante a da chaveta onde depois uma folha aterrara mostrando-me a acção, a chaveta é um dos suportes da grade que está por cima dos dois hexágonos cinza da cml e a sombra que projectava nas lajes dos ondas de cinza era dupla, feita pela chaveta e pelo ferro vertical que estava à sua frente, fazendo um desenho de duas linhas que afunilam, partindo de uma posição próxima e num artigo que falava sobre a arte de fritar, como forma de capturar a alma das aves, que neste caso eram as melhores que vasco graça moura alguma vez tinha comido em citação francesa em casa de alguém, que expressamente dizia não querer desvelar, ficou assim a reverbar a semelhança em mim entre as duas imagens na sequência quase imediata que se apresentou ao olhar.

Agora ao escrever ouvi uma referencia ao ralis, e se bem me lembro um dos que foram do d dinis , os primeiros a lá chegar era o ruam do mrpp, quando do ataque dos aviões no onze de março.

E continuando as notas em sequência, a seguir a cops, e te r, uma mala verde, partida no furacão, o 8 do b de 92, 13, 13, 13, to Po t k ini Bo do carneiro invertido 6 a y s, gay´s serpente gay, les b vaso invertido c as, que se pode ler como lésbicas, ou serpente latina do vaso b invertido do às do C, wella, da dupla w do ella, El, La.

Hoje de manhã na TV uma antiga imagem, de blair e swazneger e a porta por detrás que se abre uma frincha que deixa desvelar um outro homem que não aparece o suficiente para se reconhecer, como a dizer, os dois pelo pensar, abriram a frincha da porta e depois o GB, gordon brown, for england em cima de um palanque, primeiro tropeça ao subir para ele, depois um enquadramento da multidão do congresso, onde as pessoas eram silhuetas, enquadrava um desvelado pormenor no palanque , que assim dizia, n w, n W, muitas dor de duplos vasos.

Porta A b 5 Fábio, do semi circulo azul, Raul 100% friends do vaso do prédio da nora, do lisbonenses, do belenenses do restelo, de dois traços negros que escorrem no rectângulo como o de charlestown, na baliza, ouvi pancada ao momento, o primeiro leão negro da CM em 99, dos quatro pontos vermelhos e dois amarelos a piscar, 54, co de 91 do xá Pt, do onze da Di A mat i cd de Espanha e Inglaterra, 62, 52, 6 G dos losangos D.B. 11 , 3, do 5 ró house maid vip , dos beijos invertidos , colher azul invertida do Zacarias, ela vai morrer, levar um tiro na cabeça na ilha dos amores, a outra já descobriu também, ...aquela hora, era o trailer na TV ao momento de passar estas notas, n traços 79-96 OL, n gatos todos OP do meu circulo , 93 OE, 9 ...,... do vó, 5o do circulo da estrela, primeira da tv.

Agora mesmo, a noticia, uma mulher no porto foi baleada numa perseguição

Na torre do fundo aqui aos olivais, onde estava o reflexo do bacalhau , hoje está um bico de três fiadas de casas, seis na base, triângulo 11 11 1, a invertido, S 11, bico ao 9º, e traços como marcas que abrem do topo direito para a esquerda baixa , da asa do vó dos doze duplos da jante de pneu da lança , ouço pancadas fortes, daquelas que abanam a terra e agua e uma explosão, passa senhora com um cão perdigueiro millenium preso na mala preta, na cave, mar cover do borja, da Diogo couto SA, do gps de sábado, 17 anos depois, a primeira pedra do rio, ex TT Rá, n TS.

O gajo assina tudo, diz o arguido no portucale, referindo-se a telmo correia, que inverteu o verdadeiro sherec , o jo C do mel da musica da gulbenkian, do trio da gulbenkian, Pt, o cristiano Ronaldo de milhões de porto santo, Miguel Santos vencedor do mba, primus inter pares, 99 serpente, microsft, o seu potencial , a nossa paixão, a amada de fogo do blizt, o sexto serpente que sai do vaso, a serpente do infinito que pica a foice da morte, no dia da um, a era, da madeira
perdizes divinais frites pour surpreende l´ ame das alemãs, vaso da ua, das folhas b 6 do transito de 98, 9´, os passarinhos que apanham as migalhas e as levam a arvore mãe, o primeiro da bomba da bd de 78, aki aos olivais zagalo maior de 72 das quatro anéis de prata na grelha, dos sapatos em bico da senhora de branco com mala da mesma cor e azul e rosa de mala preta e branca, serpente rato de 90 , sombra de duas pombas, das vivendas de trás de angola e da luz, do lourinho careca actor da luz, das três andorinhas , Bi de 98, bombas, A.V. 82 do beijo invertido, o xo, de 91 de prata francesa da loja do chinês lx de sapatos vermelhos vesica da fiat amarela , escorpião do comboio amarelo, do hexágono cml ou do rio do peito a escorrer, escorpião negro da Teresa vermelha e azul, alto e loiro tb cinza da vesica do comboio do jardim do Ra Di Al de Zurique.

No supermercado quatro garrafas de litro de coca cola tombam no tapete da caixa em seu andar e caíram em diagonal sobre pacotes de leite matinal, foi visível ao olhar o número dois, e a primeira imagem que me acorreu, foi a das duas torres gémeas, eram quatro as garrafas como se bem me lembro foram quatro os edifícios que nesse dia sinistro em nova Yorque desabaram, bateu as duas horas ao momento da escrita, o número da divisão e li depois ainda no centro, da estaca espetada mesmo na crista da onda ao amanhecer, serpente da estava, que cravou a estaca no meio da asa, o ambiente era África, a loja, a da salsa, zoom nikon af t 18 55 11 M 1.3.5.5.6, o patim da criança 64, na televisão da loja do cantor, a imagem era do novo encontro no médio oriente, o da UN, o Co da UN e me leão, a imagem da memória no instante, o Mello do Brasil

A menina loira, bela e pequenina andava à roda de sua avó, com passos próprios como um ritual, com passos de ritual, depois encostou-se em posição de touro inclinado ao cilindro largo e maior do que ela de alumínio com o circulo dividido em três aberturas em seu topo, onde está o orgânico e a avó lhe disse então cuidado e depois se foram a sua vida.

Pusera a menina em seu ritual brincar e desvelar a meu olhos e olhar depois de voltear em torno do alumínio antes de o tentar empurrar, seus pés poisados num dos traços da rosa do cento em circulo

E meu filho, cartógrafo real do real me ofereceu um desenho, diz o seu titulo, é o segundo invertido de este, do Rá e laço da dupla dor do duplo vaso da pá do lo e reza o desenho em seus elementos o seguinte,

Em seu centro uma vesica tripla, ou seja três vesicas que se repetem umas dentro de outros como as bonecas russas.

Na maior está uma face de mulher no corpo que é como uma como uma cruz . a sua face está no quadrante superior direito da cruz. O desenho estende os braços da crua, desenha mais duas verticais e uma horizontal na base e forma assim um rectângulo onde está um I que corresponde a trave vertical da cruz, disse-me ele que a menina está na cama, e então será a menina que foi crucificada na cama. A cama tem pés de dossel, que sobem acima do nível de seu estrado.

Diz-me a menina do leito, a primeira da humanidade deitada, da segunda onda.

Na segunda vesica, que está no interior da primeira, uma vesica com quatro traçinhos e uma cobra lá dentro que faz saltar o sapo que está à sua frente e que parece um cão, será então um cão do sapo.

Olha o cão do sapo, a terceira vesica onde está desenhado um quadrado

Há uma face no desenho, tem nariz de pinóquio e dois corninhos em sua testa, um diabo que mente, e se está num quadro, devera ser quadro importante da administração da Pt, me veio agora a imagem do conde do titulo comprado

Tem algumas administrações quadros dos seu dirigentes nas paredes das salas luxuosas das suas administrações com contadores da india do século quinze e tapetes únicos feitos a mão que custam fortunas.

As linhas do desenho do interior do rectângulo que é o quadro, são semelhantes a umas outras que apareceram hoje no jornal e sua imagem me subiu ao momento à visão. Acrescenta uma cor de fundo, o verde, a relva, o golf, e é de uma perseguição na América, de um carro da policia a outro que entrou por um campo verde.

Por cima das vesica à direita, está o sol à direita, e ele mesmo é vesica e me remete para um que eu tinha desenhado no dia anterior em meu caderno circulando os nomes dos portugueses que me tinham aparecido na sic noticias ao ralenti, um grupo salvo erro de onze, mas que não fixei todos pois as expressões de cada um em ralenti eram um livro grosso de muitas páginas sobre a alma de cada.

Tem 15 raios que parecem uma penugem e vertem por um funil para o circulo do homem da maria da esquerda, do circulo da visão ligado ao circulo da visão da direita por um ponte em circulo e que fazem seu desenho, uns óculos, sendo os círculos, as lentes.

Os lentes, os dois círculos de lentes de Portugal que se juntam em semi arco e uniram neste projecto todo, ou assim o tentam fazer tanto a direita como a esquerda, será portanto numa visão maniquaista à medida do maniquaismo de quem assim se vê na vida ou na ideologia ou no quer que seja, ou um circulo de magos brancos ou de negros, ou uma terceira via de um negro e outro branco.

Na lente da direita, à esquerda no desenho, debaixo do semi circulo de cima, duas mãos que são muitos mais do que duas simples mãos.

A que está mais a direita, parece ser duas mãos que agarram lateralmente um falo, como se lhe fizessem festas de vai e vem, tem o falo forma de bico e faca com um olho e de sua ponta saem quatro traçinhos que descem no olho para sul e para mais ou menos seu centro, já iremos à localização mais precisa do local do crime

A que está mais à esquerda, mas que continua na lente da direita, ou seja será de centro direita, tem como todas as mãos cinco dedos, sendo que o terceiro está espetado, tem forma e olho de cobra e de sua ponta descem também cinco traçinhos que descem para sul, se cruzam com os outros desenhando uma cruz, um ponto central nela na lente que em seu todo representa o mundo, é como um mapa do tesouro dos piratas.

Na lente da direita no desenho, do olho esquerdo real temos um M no que seria uma espécie de protector lateral daqueles que os alpinistas usam ou mais antigo, usavam os soldados que andavam de motas no deserto ou no combate de aviões, antes de se fazerem viseiras integrais.

No circulo, um traço que faz um Y deitado, uma serpente em z e um outro y deitado em posição simétrica que aponta como uma seta para uma outra pequena figura ao lado direito do circulo do lente esquerda, que é definida por um aro do circulo e um outro a seu lado mais irregular, que faz uma espécie de serrilha que remete por semelhança, pela sua irregularidade para a vesica que está dentro das três encaixada uma nas outras de onde saí sapo cão, ou seja o homem cão do sapo estará no circulo da esquerda e faz uma espécie de ondas a partir do circulo mais perfeito em seu interior, em direcção onde está um menino desenhado.

O braço direito do menino tem por cima da mão um circulo que é como uma seixo do mar, com perna que faz um nove invertido, a humanidade invertida, e lá dentro diz a primeira serpente, a que faz a onda no circulo, que dele parte, do circulo dos lentes da esquerda, seu outro braço, o esquerdo tem a seu lado no sitio da sua mão, figurando a mão, uma vesica com um anzol lá dentro no sentido de Neptuno, e um nove mais pequeno também invertido, portanto o homem que leva o filho, que o tira dos braços de seu pai, os pés da criança no desenho indicam o C 6.

Os braços do menino quando se juntam, desenham um y invertido em seu peito, que confirma o sentido da leitura acima, ou seja inverte Deus no coração da criança ao afastá-lo de seu Pai. Tem o Y invertido a sua perna partida, e existe um filho da babilónia que de facto mais ou menos nesse tempo do acontecer, quando a família foi quebrada, apareceu de muletas, é o me aparecera em espirito como sendo a lâmina máxima aqui em Portugal, seu nome josé socrates.

Na cabeça da criança, é visível o vaso que verte nel e faz o X no carneiro pai e o crucifica
Debaixo deste elementos temos assente num horizonte que é desenhado e figura a onda gigante com quatro pontos, à direita do desenho uma montanha que desenha um w do vaso e uma cabeça de tubarão da qual sai na zona de seu olho um outro balão vesica com um circulo, um bico com um angulo e uma indicação de tempo que também está em outro lado , da lua em posição deitada virada para o zénite.

Cinco dedos tem a montanha, montanha de cinco picos, cinco dedos tem a mão, cinco é o nume da estrela, um W e um tubarão a seu lado, na vida à esquerda do W, só tem um olho, donde é o pirata

Ao lado direito da montanha uma barca com uma grande pénis erecto de onde si uma espermatozoide serpente ao centro do barco que é misto pássaro e faca.

Ao lado esquerdo do pénis imenso, uma outra figura humana, o primeiro invertido no olho do furacão que sai do U da cabeça, que jorra da cabeça, pensado.

Diz a montanha que tem a face que olha o barco lamina e pássaro do pénis grande, Ah, Ah, nuca me vais vencer, responde o que vai no barco, isso é o que vamos ver e nesta frase com está grafada, um outro sentido complementar ao desafio e bravata do homem do vaso da dupla dor que também grafa M N V ou MNI, do vaso do Mini, na zona do pescoço, deve ter sido o local onde a lamina cortou.

E ainda , homem AA, no kA do ME do sis, serpente ao circulo é o que do circulo lançou o pau à cabeça da humanidade, da eu, o vaso que entrou na vesica e que dela fez sair uma serpente como um anzol casado com um bordão, um anzol do mo que laça o traço de cima esquerda do Y, um pássaro da M do rato das finanças.

Abro o atlas do nosso tempo à procura do ponto onde as rotas que saem das mãos do circulo da direita se cruzam que será o local, da deita e o processo da elaboração da faca.

O ponto da boca que faz girar a lamina circular que penetra o tambor e corta um dos cornos do pénis gigante

O ponto do pegasus, o cavalo do céu com asas onde dentro do céu está o circulo do mundo, Lisboa, Rio, Londres e New Yorque

O ponto se cruza no mar vermelho, onde o reflexo e assinatura se deu no navio se afundou e morreram muitas centenas, num ponto entre Nilo e Eufrates e a península arábica, o laço da corrente negra gerado pelo transformador do vaso de agua vermelho debruado a negro com cruz branca em seu interior, que está por debaixo, ou atrás das três vesicas que se encaixam com matrioskas e tem no zénite do laço a vesica grande do sol com 15 raios, quinze seres

Quem de direito, de preferencia a policia se ainda existir a funcionar autonomamente dos perversos que a comandam na inacção com que pretendem cobrir o que chamariam de crime perfeito contra a humanidade que proceda à verificação das viagens a estes locais, que deverá ter-se realizado em lua decrescente em vésperas da primeira das quatro grandes ondas, sendo a primeira, a primeira que afectou o sudoeste asiático em dezembro, na qual deverão ter tido encontro na região do local.

Poderão ter lá estado o circulo inteiro dos quinze mais a maria, ou só maria e o homem do sis do mne, cujas prováveis iniciais serão M N V ou MNI ou mesmo o socrates cuja perna partida poderá ser só sinal de eco e assinatura da proximidade e ligação com a maria, provavelmente a que vem a ser referida nestes últimos textos.

O avó lavou a roupa, a roupa é toda da Rita
O rato roeu o ramo

6 cam, serpente de LA, ve Ari, maria, for ma ss, a Gâmbia do Zaire da sola do Qatar e da Tailândia dizia-me o painel da bela cisne portuguesa e Goa, que é muito jolie, a espectadora acrescentou, bali ou mali, a ana do gato do bau

Anita s e lap da tia à eta na Gâmbia, serpente do angulo matinal, a me do Ra b serpente do circulo do Zaire, bau serpente DN do atlas mali ana gata Qatar e Tailândia, do aterrar dos aviões, vi agora um com um pedra em Luanda

a in asa z na tm T gato na da ana e ia italiana serpente do homem ba e AA 9 dos ais da vareta man El1, às do ba tman do dia alta s o Al ais pala, pá de LA do ui do Ra


e para hoje em beleza terminar, aqui louvo,


Xavier moro, capitão da minha alma, a de Marta, que bela paixão indiana, fadas e traição, acrescenta a barbara, Ah moura, a ana, que belas és a cantar!, elefante em loja de porcelana, Anita delgado

...
vaso do dia K homem ie f
continua...

segunda-feira, junho 25, 2007

dizes tu amada ana que está tudo dito em palavras e repetes o que de vez enquanto te ouço escrever e acrescentas que elas não mudam o mundo e vem outro amado à tempos e me diz para eu rezar em meu secreto e eu pergunto na Luz à Luz se o recanto tem recanto e porta fechada, ou se o inteiro mundo é ou não Uno Lugar,

ousa e cala é parte de antigo e venerável mote, mas todo o som está sempre acompanhado de um silêncio que o acompanha, e quem sou eu para por fronteira onde ela não há, e depois dizes ainda ana, que as palavras não mudam o mundo e eu te vejo a oscilar entre o desejo que se deseja e que parece não consumado, e te trás na aparência infeliz, e me penso em certa forma e medida eu, e depois vejo a violência do mundo pela fresta de quem concebe os muros, as portas e as janelas, não se chama aqui a todas elas, de janelas, a infiltrar e depois leio a rosa rosinha em flor que diz estar cansada da triade em que escreve e meu dou conta pela primeria vez que assim seus textos e suas palavras podem ser interpetradas, persecutor, vitima e salvador e se ensombrece por um instante meu coração, porque a beleza e o belo de vossas letras e de tantas outras estão numa salvação que é salva e salva e nas triades faltam pelo menos mais um número e todos os outros mais, que sempre cá estão, e a escrita é acto do belo e da beleza e A deve tambem evidenciar pois tudo é luz e espirito e matéria, e tudo muda o mundo, muito mais do que nos pode parecer, porque estais mal habituados a pensar que assim, é e ainda ontem ou antes de ontem um anonimo que se dizia ser meu antigo leitor deixava infeliz espelho da sua infelicidade presecutória, dizendo qualquer coisa como, quem viu os teus ecritos e quem os vê agora, como quem insinua sem nada demostrar, um ponto de vista que assim, nem o chega a ser, nem interessa que seja, porque se interessasse teria escrito de outra forma e de anonimos e de mascaras estou eu farto fartinho e sem paciência para aturar, e me lembro então das palavras da ana, que concluia hoje nas suas que podia estar tudo dito, mas que a escrita é um fogo que consume e só refresca depois de escritas e vou buscar à rosa rosinha em flor uma citação, que se hoje tivesse acordado para o cinico ou amargo sem acucar ou chantily, diria, que não se devem dar porcas a pérolas, mas os porcos, leem de outra maneira e portanto não se pode em justeza assim o dito aplicar

janelas, portas e frestas e uma imagem do que dizem ser o interprete de um drama de sobredatação de dotes e dons e coisa e afins dava sua mão ao governador ex exterminador do outro lado do atlantico e uma porta se abria de relnce , súbita frincha de um outro homem que parecia por um instante sem aparecer e a tornava rapidamente a fechar, como quem dizia oppps, que na porta me enganei e depois o goldem brow se dirigia a um pulpito e quase tropeçava no caminho e depois o enquadramento do publico que era silhueta a e homens anonimos e contornos de pretas sombras tinha por sua natureza intrinsica reenquadrado o palco a leitura da redundância do gb for gb, passara a n W, multiplas dores multiplas da compressão de três vasos, um macho entre duas fêmeas

Que andais a fazer não fazendo? dizia um recente relatório que daqui a poucos anos trinta e cinco da população mundial viveria em caixinhas amontoadas em mega concentrações chamadas cidades e que passado mais poucos anos, medidos em décadas, seria então metade da população, ou mais de metade mesmo que viveria nelas e andais todo assim cegos a preparar vosso próprios funerais, fazendo mais uma vez prova cabal e frontal e torta que nem de vosso filhos sabeis cuidar.

ontem ao ler, me rolaram as páginas para escritos anteriores, e foi de novo parar, va-se lá saber como sempre é o Fio da Luz à Profecia, vão relê-la, comparem-na com vossos passos e vejam para onde caminheis!

Abismo, Abismo, Abismo.

cambada de néscios a discutir e ocupar o tempo desde eu sei lá, serão vinte, serão trinta anos, sobre um novo aeroporto e nem aprenderam ainda nem a discutir, nem a a governar, nem a falar , nem a nada!

exercicio de todas as vazias retóricas, parece mesmo uma especie de prova de aferição continua da estupidez ao longo das gerações

ai, ai, ai, Deus me Acude, mem mesmo mais gritam, só se vê nas rugas e nas tensas expressões que geram tensões a que depois o invisivel fosforo, num apice, lança o fogo a toda a pradaria, no peito, no centro do peito dos hexagonos a agua cai em abundância, abundância da especie negra dos actos, uma negra abundância

só circo e pão, do seco mutio seco que tudo seca, vão beijar vossas amantes

bestas ignaras ignorantes que conduzem assim os homens ao mais negros abismos, onde está uma ideia de território e de habitação, onde está a reflexão do povoamento e de omo terá ele de ser feito, onde está a mais elementar compreensão, que o dinhiro é curto, por mal gastado, mal adminsitrado, mas recolhido e que os homens não andam só de avião?

bestas ignaras e ignorantes, das competências nulas de todos os canudos tortos que nem mais se levantam e levantem, da cegueira das arrogâncias, das falta de todos os respeitos, de todos as negritudes e depois e depois veem tremendo tremente faalr da Caixa de Pandora, vó que a fazeis, que sois ela que tendes a vossa própria mão na sua e vossa tampa tremenda tentação de a espreitar e abrir.

onde pensam que ela existe se não em vós e no uno corpo e uno lugar que tudo é?

vão bradar ao céu e ao inferno, depois, se ainda tiverem brado, ou braços, ou mão ou coração que vos bata ainda em vosso peito

Quereis que o Pai de vós cuide, oh, filhos rebeldes e medricas com a agravante de nem terem mais lingua humana, só bifida das vepirinas cobras em que vos tornastes, e que os neurónios se porventura alguma vez moraram em vossas caixas craneas, certamente partiram à muito tempo atrás, só oiço de vós mudos silvos, nenhuma palavra de amor, nenhum pedido de perdão, só a insistência na rota que conduz ao abismo?

isso, isso, concentrem-se muitos em montinhos pertinhos as camadinhas como folhado pronto a entrar no forno do inferno das vossas mãos de cozinheiros estupidos e cegos e altamente perigosos, que são bandidos.



na rosa da rosinha ainda,


Meu amor, como sofro a volúpia da terra, atravessada pelas raízes!...(...)Ninguém compreenderá a delícia secretas nossas núpcias profundas.

GILKA MACHADO

e como estou a dialogar, outras lhe vou ainda buscar e depois abro o fogo para tudo queimar

Não existe uma definição para uma mulher, uma mulher é uma experiência, uma energia feminina que tece, que é tecida, que é desfeita e se movimenta.

in A Tecelã

e acrescento que o mesmo se passa com o homem quanto os dois não são um em dois

e a clarisse em sua tecitura, a tecer então diz

Quero escrever o borrão vermelho de sangue
com as gotas e coágulos pingando
de dentro para dentro.
Quero escrever amarelo-ouro
com raios de translucidez.
Que não me entendam
pouco-se-me-dá.
Nada tenho a perder.
Jogo tudo na violência
que sempre me povoou,
o grito áspero e agudo e prolongado,
o grito que eu,
por falso respeito humano,
não dei.
Mas aqui vai o meu berro
me rasgando as profundas entranhas
de onde brota o estertor ambicionado.
Quero abarcar o mundo
com o terremoto causado pelo grito.
O clímax de minha vida será a morte.
Quero escrever noções
sem o uso abusivo da palavra.
Só me resta ficar nua:
nada tenho mais a perder.


Clarice Lispector


Que Bom Estar Nu, Se Vem e Vai Nu ao Mundo Nu e Nele Nu No Mundo Se Está e quando não à nada a perder, então há tudo a ganhar e a raiz do ser e da força, se pode ser a violência, melhor que não o seja ou fora, e agora sou eu que vou ser violento como um rio que corre, ou as margens que o comporta, ou o vento que agita as aguas ou a luz do luar que o ilumina e depois se isto continua assim, a toda a humanidade dou um ultimato, quebro eu mais um selo no mundo e vos pergunto a todos se o deverei fazer, se a ausência de todas as respostas, se a a vossa muda afirmação de todas as vossas secretas cobardias, se a vossa violência muda, sendo vós que assim andais e fazeis, poucos muito poucos, me permitirá por direito e dever e solução, quebrar um selo tão grande e poderoso e me apetecesse chamar-vos todos os nomes feios que conheço e mais alguns que todas as palavras são filhas de Deus.

e veem agora de palavras embragadas em suas próprias linguas, em acto posterior de contrição ao já mal feito e ai, ia, ai que Deus me acuda e falam mesmo do que não sabem, da caixa de Pandora, que dizem existir por debaixo da verdade, os néscios são néscios!!!

Caixa de Pandora, abriram alguns com a complacência de muitos e muitos são os cegos e a única boa noticia é que a luz sempre vai crescendo e se expande

Ah Amada que me tentam os parasitas, as formigas que nem mesmo o são, os tremendos cobardes de todos os silêncios, de todo os iniquios e de todas as iniquidades, dos falsos, dos traiçoeiros, dos mentirosos, dos ratos e das cobras e das paramécias e aqui por Arte no Intresticio da Palavra, lhe faço que tudo isto e muito mais nasça dentro de seus peitos, que as as veias lhe expludam por dentro, quando os telefones tocarem, que os avcs sejam massivos, que os corações deixem no momento de bombear, que as pernas todas lhes falhem, que se engasguem todos com seus nacos de carne em sangue das rodelinhas de rodizio, ai malhaão malhão, votem em mim, que sou génio da retórica, e dos peixes e das massas e dos vegetais e que os pássaros os persigam, que todos os cães lhe ladrem e lhes mordam todas as canelas, e os façam a todos tropeçar, que os pais percam seus filhos dentro dos ventres, que todas as epedemias lhes nasçam em seus ventres, que o ar de seus lares todo se envene, que todos os virus e filhos dos virus que hão de vir lhes rasgem as entranhas e exponham ao ar e a podridão todas as entranhas, que sobre eles caia a mais negra das pestes, que todos os punhais a eles se dirigam e se cravem fundo em suas putridas carnes, que os olhos lhe saltam das orbitas, que a surdez total invada todo os seus ouvidos, que fiquem todos paraliticos e definitivos gagás, que as pedras voem e os atinjam, que sejam por elas todos lapidados, que todos seus orgãos aprodeçam e caiam no chão e se enterrem fundo na mais funda terra, que nada deles sobre a terra e a memória mais reste por toda a eternidade, que todo seus ramos sejam cortados e que nenhuma flor mais nasça em seus podres e perversos jardins, que cada vez que se beijaram com o corpo adoeçam e se vão para o inferno fora daqui, que todo o fogo arda em seus corpos e seus lugares

Qual governo e quais governantes neste país que aqui se declara fechado para vocês
e por consequência para todos que deixamos assim as coisas não irem ?!

Só há daqui em diante o Governo da Luz do Amor e do Coração Acertado e Portugal Muda Nome para o Nome que Sempre Foi, Portus do Graal onde é O Coração o Governo e o Governar!!!

Se nada funciona não vale a pena continuar na ilusão, para quê perpetuar as ilusões

Quantos filhos são trazidos roubados a seu pais neste país que hoje aqui fecha e é pela Palavra Fechado e Selado?

Quantos Pais, se algum, vivem sem viver com seus filhos raptados com o conluio desta justiça interpretada por meia dúzia de cobardes, de mudos sem lingua que nem resposta dão e na maior negritude operam, pois nem os filhos protegem e deixam-nos roubar, a nossos filhos, e piores, que os ladrões que os roubam se tornam, pois poem a vossa assinatura na certidão do roubo!

Não pegueis em mais nenhuma caneta ou bico ou mesmo aparo, nem traçeis mais vosso nome, que se o fizerdes, cavais ao instante vossa sepultura ao nomear-vos, que todos os bicos vos infectarão com todas as doenças invisiveis e nascerão em vós os cancros e as mais piores doenças!!!!

Não dormais mais, filhos da grandesissima bailónia, nem hoje nem amanhã nem depois, pois sentireis uma faca que se espetará em vossa colunas descendo o rasgão, abrindo a carne e deixando o vosso sangue putrefacto escorrer e manchar vosso lençóis

Não dormais hoje nem amanhã nem depois, que durante vossos sonhos, os fantasmas de todos os que foram violentados por vós, subirão nas vossas almofadas e conduzirão vossos filhos às maiores desgraças, a todas as doenças mortais, aos suicidios, a todas as violências como vitimas e carrascos e sobre eles caira a grande lâmina do pendulo e as cobras subirão em vossos leitos e ficarão todos petrificados de medos fundos e súbitos, e quando o sol se levantar e a mais leve brisa soprar, como sal se desfazerão

Não dormais mais nem hoje nem amanhã que todos os punhais vos rondarão, que tudo o que pode cair de cima vos cairá em cima, que todos os buracos vos tragarão, que não existe mais regime, nem direito nem torto, nem democracia, nem nenhum outro nome, nem nenhuma especie de contrato social ou obrigaçao ou dever, quando os filho são roubados em nome da justiça e dos tribunais e dos regimes sejam quais forem ou como se apresentem.

Não dormais mais nem hoje nem amanhã nem depois que virão pela calada e vos roubarão os primogénitos e os vereis esventrados com as entranhas de fora e as moscas a volta do festim da carne de vossos ventres e será tão intenso o cheiro, que ao momento com ele morrereis e um súbito imenso vómito montará em vosos sonhos a sonhar e morrereis nele, que o fazeis, por vossa própria boca muda e coração já morto e vos faltará o ar para respirar e todos vós vos finais.

Vossa sentença foi proferida em forma publica, disse a Senhora que desde sempre e em seu inicio a familia medeia, que os juizes tem por hábito dar caução as mais leves insinuações de abuso sexual por parte de um dos progenitores e o usam como argumento nas suas sentenças sem mesmo fazer da insinuação, a prova


foi gentil com vós a senhora que provavelmente não trás nenhum filho assim desta forma perversa e negra de si afastada, eu não e eu não estou nada gentil, só mesmo o Amor A Todos os Seres me impediu até ao momento de quebrar um selo que me apareceu em meu passos e que comigo está e estou muito seriamente a ponderar fazê-lo, e como não pode o Amor fazer pagar o justo pelo pecador, caso não haja resposta desta ultima vez que me dirigo a todos sobre este assunto, só me resta levar-vos para o inferno em todos os jeitos e feitios e tentar que mais ninguém vá para além dos poucos que trazem culpas neste negro cartório que como já expliquei em extensáo por muitos se estende, quero com isto dizer de forma clara que se são poucos, mesmo assim são muitos, mas a paciência se esgotou.

eu que não estou neste momento nada gentil com este assunto que se arrasta quase há dois anos e onde nehum dos interpelados me respondeu seja de que forma for e nem um pio ouvi, não posso chamar a isto hábito, pois isto não é um hábito, é a cobertura para roubar filhos e capa falsa de falso argumento, para a iniquidade variada que se esconde neste fazer e depois, para além de ser inaceitavel uma justiça que se baseia na insinuação.

vos não sois justos em coisa nenhuma nem em nada e para além de despotas, são corruptos e cobardes em vosso silêncio e já vos expliquei pela enésima vez que um pai não abandona o seu filho nem deixa que o roubem, e dizia a senhora com muita razão, que quando assim as coisas evoluem sem evoluir, a famila deixa de existir, porque se quebram os laços familiares e que o que há a fazer é tentar a via da conciliação e tudo isto é correcto de forma genérica mas não se aplica a este caso pelos contornos grossos da alta corrpução que envolveu com protecção de altos dignatarios de funções nas areas politcas e publicas e portanto para se falar em conciliação, neste caso especifico e senod que na justiça todos o são, terão que esclarecer em pormenor o que já vos perguntei e tirem o cavalinho da chuva se pensam que eu passo em branco o vosso branquemento, que não sou pasta de dentes nem estou a falar de sanitários, filhos da grandessisima babilónia, ouvi bem ou morrei, quero saber quem o fez e como fez e o preencher das restantes condições e quero um pedido de desculpas formal do estado português a meu filho e a mim e uma indeminização e tirem tambem o cavalhinho da chuva, que bem ouvi o senhor vir dizer na praça publica o recadinho, estupido como sempre, pois desconhece os mecanismos que regulam as indeminizações, seus propositos e natureza e consequencia, ou talvez mais correcto dizer por mais aproximado à verdade, o pretende fazer de conta não os conhecer sendo por consequência de lhe pôr uma primeira questão, veio assim dizer por encomenda de quem? Que argumento é esse que uma criança por a ser, não tem direito a uma indeminização, por acaso a criança é distinta de um adulto, no perceber e entender do que são mecanismos de compensação, por parte dos adultos que estabeleceram a sua compreensão? ou por ser pequeno e menos se poder defender, então toca lá de a roubar mais facilmente, primeiro rouba-se o pai e já agora rouba-se ou seus direitos consagrados na lei, e a indeminização e o reconhecimento e cabal e formal explicação por quem de direito do torto que fez e porque o fez e a mando de quem o fez, ou pensarão que os juizes corruptos são para continuar a exercer, e os psi sem ética nem moral, para continurem a exercer?

E como já aqui inquiri o presidente da republica, o presidente do supremo tribunal, a assembleia da republica que até ao momento nem se dignou responder ao pedido de audiência, o governo na pessoa do primeiro ministro, a ordem dos advogados em seu director ou o que for, e a policia onde foi apresentada queixa, sobre a qual até ao momento não tive nenhum desenvolvimento, portanto em suma todos ficaram calados a assobiar para o lado.

Em dia recente escrevera eu no texto ultimo que aqui me desapareceu alguns comentários que vou de novo escrever

perguntava o espirito torto e pequenino de algum génio da publicidade se eu queria ser o rei dos animais ou pertencer ao clube dos às.

vamos lá entendermo-nos, pois somos todos antes de mais animais, iguais e distintos de todos os nossos irmãos a que voces, os burros, chamam de animais, por outras palavras não existe nenhum às que não seja antes de mais, animal e assim sendo era melhor começarem por aprender a fazer correctamente perguntas, depois o meu valor conhece-o eu e julgu-o eu antes de de qualquer outro e não sou eu uma carta de baralho, Sou Um Ser, se fizesse cartas de baralhos era a muitos de vós que lá vos tinha de pôr por razão de animalidade mais que justificada.

que poia de país é este e que filhos da babilónia são estes, dizia a douta sehora juiza cega e corrupta que ainda ao que parece exerce, a meu pai, que foi a audiência no final da audiência, utilizando-o como mensageiro que se eu quisesse me poderia dirigira oa tribunal e que poderia obter metade do tempo com meu filho, depois de passar sentença que diz que só posso estar no sábado com ele e acampanha por terceiros.

e disse a meu pai que assim mo relatou, que tinha ficado com a ideia que eu estava perturbado, da vez que comigo tinha falado, em meia hora, onde nem falou, impôs a rota previamente combinada e dissso dei eu aqui conta em pormenar, como quem se tenta desta justificar, justificar a asneira com argumentos e argumenação pobre e invalida, e ninguém me respondeu porque razão o principio constitucionalmente previsto e grantido de cada um se poder defender, não me foi garantido e mais grave niinguem , nem nenhuma acção ocorreu para apurar as responsabilidades e consequências deste vil acto à revelia da leia e dos direitos e do direito e agora provalvelmente já estão todos em férias, os tribunais se calhar já encerraram, o parlamento deve estra quase, o governo, já tem as férias preparadas, assim dãoa os jornais cor de rosa da conta dos destinos de férias, a policia, se bem que aberta, tambem não avança para inquerito, pois então, que todos os iniquios ao irem para férias, que seus filhos se afogem no mar, e que se for preciso venha uma onda grande cheia de fome que vos coma a todos

filhos da babilónia, começaram as férias grandes de de meu filho, e penam voces que irá acontecr o mesmo que no ano passado sem consequências, em que nem um dia pude estar com ele, e como posso, se vos nem me deixam aqui nesta terra do inferno, que sois trabalhar!




Portanto senhor socrates, pegue lá em seu telefone e marque o seguinte número, 96 280 77 46 e depois de me dizer bom dia, diga assim mais ou menos a seu jeito, como primeiro ministro de portugal, venho convidá-lo a comigo falar, onde lhe vou dar garantias de que vai ter o que pretende, pois a razão o assiste.

telefone, vai ver que nada lhe vai doer.




dj ben teresa e y e nono gi da K, ca x ix homem vaso , s w f bg ba j
espantoso, amada, espantariam-se meus olhos se ainda se pudessem espantar e não os trouxesse o Amor, à Luz Imensa e Eterna, habituados, pois vinha agora mesmo a descer para o rio e mais um acidente se dera no mesmo local onde vira os que aqui relatei, na av do infante em frente à estação do metro, do condominio da bela rapariga à janela, das leituras entre as lâminas, da akademia e da epal.

vinha do oriente um ford fiesta branco da Direcção Geral do segundo do quadrado do primeiro, e chocou contra ele um audi negro carrinha do quarto do primeiro de 59 do vaso da vareta, da cerca de cascais e me recordei do concerto da menina brasileira no forte de cascais e de tantas histórias que sempre lá se passaram, mas o concerto fora salvo erro última vez que lá estive, nesse dia, até a energia, veio abaixo às páginas tantas, ou melhor às músicas tantas e deram os rapazes do palco ao desmontar cabo de um candelabro que ela consigo trazia.

depois li à volta de mais este acidente que completa a cruz no local, o dezasete de 87 da UA, o 24 daqui,, o sexto dos furações de 95 no vaso da T, o décimo da CE, o de 97, o nono do circulo do principe da rosa, 85 PB de 81/79 do sexto do primeiro do AC ao décimo, do sexto do treciero do segundo circulo AC, do VV do triade do sexto entre 71/91 JF, JAP, 56 26 KA, o de 74 B Y de 80, &# background do sete, SN do zagalo de 77, em 8/89 do Vaso da Vingança e passa ão momento na ponte onde estou a chegar um comboio vermelho e prata, o BM de 83 do OE, gato ao vaso sexto CP Zagalo do U do dia de dezembro C, AC 57, do DL, ao VF , o primeiro dl de 99, do beijo invertido do restelo em 71 do zenão Us, 3331, o primerio da tripla triade, AC 88 ao 65 Zagalo Maior X W de 90 HD.

Q FX QEF , os dois angulos que comprimem o centro e fazem o T do rato G, maria Rata dos Ns, sistema de infomação, nona serpente BA ao Forte
na quinta do parque ou no parque da quinta estava uma serpente azul com cabeça de meio quadrado

amarela no meio do M do vale de maria, embora a maria fosse mais um carneiro em suas linhas, é também um três de terceiro ou uma forqueta comprida de braseiro

depois o quadrado deitado no chão em losango apontava a toca do coelho da alice no país das maravilhas ou algo assim no género do país, do da alice ou mesmo do coelho, que tudo se move, rápido nas vezes

era tudo uma questão de geografias, dizia o trovador da pedra do castro, sarava trovador

pedras hoje há muito boas aqui a rolar, não em garrafa nem com gargalo, só rock a rolar

i c´ant get satisfation because i d´ont have, cento e cinquenta pétalas de rosas para minha amada


houve contudo um na quinta do parque que se finou por uma pedra demasiado pesada

o mo ss da dorothy foi filmado pela namorada com uma escrava de prata sobre azul com traço vermelho em lata redonda deitada

o satanico majestie´s request, psico quê?

que nas vezes aqui vem descansar e andar à pancada, dizem as más linguas, certamente

A BB, ou Ab ao Burro

o disco da teka pegou fogo na serpente da ana

aqui também em outro dia com um big bang em silêncio

o quadro electrico provavelemnte seria electrico

oh , no , not you again

carnide tt, caparica, o punaise vermelho da grelha do rectangulo verde ded alvalade, o terceiro dente do treceito traço na inversão do segundo na ponte de alcantara da lusa

a bela da rá

miss you


Anúncio

charmoso rapaz delicado gentil e fogoso, gato doce e gota, serei o seu momento esperado

contacto
a humanidade, deita-se nas vezes, quando bem acompanhada a dois, e desenham infinitos, tudo fica então redondo, e Deus se escreve duas vezes, na medida dos cantos do leito, e de novo se deita em leito.

miss you

que as pedras rolem perfeitas e o estrondo se faça ouvir

o vaso de Deus da maria da serpente kapa da humanidade do homem, ba it p, o toto da espada b da fé, rato do vaso da serpente do ro K, do dia K ao nono do Y x no Forte


py cc x da humanidade, serpente nacional, ou sul norte
vareta do angulo a dupla dor da maria forte, serpente homem do principe da rosa C , pj , K do xá dos furacões do dia da dupla dor

No jardim da estrela, quatro galinhas com quatro ovos num quadrado feitos por tabuinhas, como se tratasse de telhas, mas de madeira feitas e portas de carros em cavaletes, rosas com aberturas como se amolgadas estivessem a preto debruadas, mas nada do metal ou pseudo metal, cortava ou cortaria, assim ao rápido e ao longe me pareceu, que não pus lá meu dedo. No chão um tangram gigante com gente em cima preparava uma qualquer função e do puzzle das peças saia um rectângulo amarelo que acabava numa grade cor de rosa, como a dizer que o caminho do sol estava pela grade cor de rosa parado e com fim, por uma grade da policia cor de rosa das quatro galinhas dos quatro ovos da estrela

e uma biblioteca pequenina lá está e as gentes se sentam em mesas a ler debaixo do pequeno coreto, que ela é como um antigo quiosque de jornais, que deverá ser então as letras e pertença das galinhas que assim inspiradas puseram os quatro ovos, quatro ovos antigos de quatro galinhas de uma mesma criação, quatro galinhas irmãs, de letras antigas.

E me recordei já hoje, quatro irmãs da lapa, uma delas, que voltara de Londres, fugindo a um qualquer problema com a policia, assim algum me contou mais tarde e que apareceu a dançar no Jamaica e que diferente ela era e bela em meu olhar e me apaixonei, e me recordo de ir à noite a casa de seu pai, vezes sem fim, um homem da publicidade, que eu já conhecia da noite, nem sei mesmo se do tempo do bolero, ou da trindade ou de qualquer outro lado do bairro alto, bela a casa, atravessava-se uma porta da fachada normal da rua, se dava com um jardim e depois recuada a casa com muita madeira como um chalé e eu, a Sofia lá ia pela noite e pendurava poemas para ela na porta, na esperança que ela quando voltasse desse com eles, mas a Sofia, era naquele tampo muito acelerada e tinha muitas paixões e amores e chegara a Lisboa e era um grande sucesso entre os rapazes.

Curioso de repente lembro-me que uma das suas irmãs foi também namorada do nuno, que comigo foi preso, bastantes anos mais tarde e hoje de noite ao descer à bomba dos olivais, o cheiro do caril indiano que anda presente naqueles lado, como que descera, estava quase no eixo perpendicular à bomba, e vou pensando nas recentes imagens naqueles locais, da emel, da viseira, do Miguel Fonseca, do outro rapaz do prédio da nora e leio, o das olaias é o primeiro dos jogos de dança de contraponto em Sintra e vejo o cartaz que me dá conta do centro da olga cadaval, onde em dia recente dei aqui conta de ter visto belas imagens de uma peça de dança, baseada numa das mais antigas tradições, os portões do céu, as nuvens que são espelhos do céu , e acrescentou o espírito sobre o de olaias, o kapa do crazy horse do BA, jogos de soduku do Lux, cabide das serpentes dos jogos de soduku do luz, do gás d/4, ro centro, re 4.

São afuniladas as chaminés e tem três anéis em sua parte superior, anéis que existem outro que se podem usar em outro ripo de chaminés não tão afuniladas mas que afunilam e juntam a química intima dos amantes que nascem primeiro em seu espirito e se espalha depois como onda do mar em seu corpo, a um terceiro elemento, e suas propriedades, quaisquer que sejam, e que depois se podem levar para outros lados e outros afazeres, e podem eles ser postos e usados tanto pelo feminino como pelo masculino, com ou sem conhecimento do outro, pois tudo é passível de disfarce enquanto o disfarce dura e a luz ainda não se fez.

Meu Deus, terão sido mesmo seis milhões e tão poucos ainda dessa negra contagem trazem dela consciência, de que contagem falamos em que período de tempo, se o tempo é uma ilusão, um anel junto a outros anéis das trevas, uma anel junto com outros para todos dominar e a mortandade das torres negras a contar as almas como um compasso desenha circulo que pode ser uma prisão.



O primeiro do sétimo de 71, columbia, a serpente do homem de ibiza, ME 85 e me emergiu da memória a barbara, da tom da norma, como se ela de alguma forma estivesse ligada as quatro irmãs, pois tinha ela uma ligação com um homem de ibiza, a teve durante muitos anos, assim me contou em Lisboa.

Seriam estas quatro irmãs, as figuradas nas quatro galinhas empalhadas que estavam no jardim da estrela, com os quatro ovos que seriam antigos do tempo dos quiosques coretos, a antiguidade, faz parecer que sim

Um senhor africano, pobre, que comia, dava de comer a um belo pavão ao lado da porta que dá para a estátua da rotunda da terra das outras terras, frondosa para quem lá arribar.

Na igreja do rato, santíssimo era o dizer, quem o seria para além do Cristo e de Deus, era a pergunta que ficara em meu coração ao passar.

Será que falavam de Socrates, ou do António costa ou mesmo do Gama descobridor, da rapariga do PS, que falavam as letras recentes e que hoje me apare cia na TV dando papeis a socrates num meio de um corredor no meio de uma reunião, no meio de um qualquer quadrado de um qualquer compasso?

Foram mesmo seis, os milhões de almas que desta vez partiram, assim tão grande o número, tão pequena a consciência dele e já hoje de madrugada no mesmo pequeno ecrã, a informação de que pelo menos vinte dos voos secretos, não se sabiam deles e um antigo director de serviços secretos que a nada respondia com nenhuma luz, e duas contestações, que os governos europeus, mais de vinte, não o admitiam, e um senhor que fora director das operações secretas na inteira Europa, e que nenhuma resposta dava a nenhuma pergunta, só hesitações de nada, quase nada, sem nada dizer, dizendo no fim que daqui as uns anos já não o veriam certamente como parecendo um gangster, curioso dizer de quem está do lado da lei, da lei escura, acrescente-se em abono da verdade, pois dava conta a investigação que de vinte continua-se sem nada saber e que um inocente, por não lhe restituírem a dignidade ofendida, pegara fogo a um centro comercial e acabara com uma depressão num hospital psiquiátrico, e hoje mais uma vez a pergunta e guantanamo, fecha-se ou não?

Que sim na forma já dita e explicada e corrigindo o que se fez de mal, pois não se devem perpetuar as injustiças, mesmo quando elas se deram em tempo mais propícios ao engano de alguns e que sempre se aprenda com o erro de forma a tentar mais não o fazer.

Uma promessa virtuosa ficara, das organizações que defendem os direitos humanos, a continuação dos processos aos estados, mesmo que o assunto transitasse para a próxima geração, e na esperança que assim não seja necessário, tal acontecer.

No rato uma ambulância estava parada no exacto local da passagem de peões, as gentes eram obrigadas a passar pela nesga entre ela e os corrimões. Dois polícias de braços cruzados parados olhavam ao perto sem nada mexer, depois lá arrancou a ambulância.

Hoje de madrugada, reparei ao vir da bomba pelo angulo em que o via, o totem do metro, reparei que ele mesmo é um triângulo cuja ponta superior é vermelha em suas três faces e que o M do metro, está pelo seu grafismo cortado na ultima perna da direita, o que torna a letra impossível, em seu equilíbrio, arrepiei-me em pensamento ao percebê-lo, ela é cheia a branco em seu interior, vaso na superfície quadrada vermelho sangue que por sua vez vaza no éter, e apareceu-me agora mais um nome de uma mulher do meu passado, a Ester, de éter a Ester será, Meu Deus mais um ovo?

M é letra de Maria, Nome da Senhora, da Mãe de Deus, da Irmã, Esposa e Filha de Deus, Maria É Nome de Deus, e a representação simbólica do metro é da Senhora em permanente desequilibro, em Si Mesma, equilibrada pelo principio dos vasos comunicantes na Alma do Mundo ou no inconsciente colectivo, tanto no sentido do que vasa, que é sempre também seu inverso, o vaso, que recebe, não me parece uma boa ideia, uma relação em que uma parte por amputação está ela própria em desequilíbrio e simbolicamente passa diariamente pelas mãos de milhões impressa nos bilhetes.
Uma leitura simbólica que emerge é o constante vazamento de quatro pontos em cinco e em seis e sendo que cada número, é sempre numero infinito

Está quebrado o princípio trinário, dois só vasos sendo que tem a agravante de desequilíbrio da falta de proporção entre os dois.

No poste onde está o diagrama da rede, um número de telefone de alguém em aparente ânsia de chupar expressa por um ponto de exclamação para o céu virado e três para a terra, os números são grafados como no grafismo digital, ou seja, não tem curvas e são feitos por ângulos rectos à excepto do segundo que é um 1, um arpão.

O primeiro algarismo é um quadrado apoiado num traço vertical a direita, e tendo todos os traços, massa, caíra sobre o horizonte fazendo-se um seis deitado que é atravessado pelo arpão do número que se lhe segue. Depois um 2 que é como uma serpente invertida.

De seguida temos três quadrados, ou doze elementos, depois um outro quadrado ao meio dividido, mais oito ponto de tamanho, área menor, um outro nove, a que acontecerá um mesmo, um quatro que é um vaso sem curvas sobre um só pé e que tombara o seu conteúdo e um cinco, uma serpente direita.

Era segundo lá dizia, o telefone do Débora MS.

Um outro papel com exercícios de geometria corrigidos, alguns certos, outros não e faltando na aparência a resposta 10, 11, 12.

Olivais no amanhecer de quinta-feira, me chamas-Te feita cantar dos pássaros irmãos e lá foi ver o céu amanhecer e a oriente um vaso estava deitado de norte para sul, primeiro cor de cinza, depois avermelhou.

O primeiro da divisão 20 do chapéu maçom dentro do triângulo de fogo, da pedra de fogo do golf de 96, serpente da menage 13/12 de 72.

Da padaria do brioche, da cave do brioche garcez, João Carlos, pequenos, cocó vegetal, um bongo da prieto, Edgar do 17 B, o cão da serpente bífida do compasso da raiz quadrada, L, invertido horizontalmente, AZ do triângulo de fogo do rio , cc tá nó serpente, zagalo dos restauradores, da AC do vaso UC do Ra nu L sidul do pó de 70, edf joca prior velho, morte da Di, do cabo de ligação electrica da massa, inês ama Carlos, sinal de transito com x vermelho sobre azul, o circulo, seis furos nas duas colunas do templo da luz do chão, sete marcas de garra na direita, dupla curva apertada a descer para garagem, direito ao lancil vermelho e foi aqui que vi o vaso deitado no céu, vaso à claque citroem.

Nas marcas da estrada do lancil, li, vaso do carneiro, caroço a seu lado, traço diagonal, divisão, percentagem, uma gaivota a voara para a direita, por baixo do cálice, um Y , cujo braço superior esquerdo se separa, e inverte umas asas com ligação à terra, dois traços verticais paralelos, um U, uma pequena serpente e outra ao lado um pouco maior, um vaso, uma serpente vertical, uma apostrofe, um vaso invertido, um triângulo de agua no céu e uma serpente de baixo a ele apontado, uma serpente de ligação, outro vaso invertido e uma pedra do lancil rachada horizontal em sua vertical, que parece uma boca.

Um fecho de balão de borracha, ou seja, um anel de borracha ou não, num balão rebentado, preservativo azul no vermelho no peito da coroa, chester field, tabaco de oiro, heroina, vaso da vingança Edgar prieto, da pauta da música, numa ferida com injecção, uma prata, uma pena branca, uma mortalha, 5190, mobilize RB and friends, dois traços no cimento da grelha, serpentes que descem sobre os caixotes grandes de lixo, vareta cinza em coluna branca e amarela, escrita criativa, vareta da pauta de música do semi circulo, preto e amarelo, JC 83, na agua, ir a casa T3 60513322, árabe, chio, ouvi, chocolate, cobra da malha techno colt mitusbishi CL 59, som e pal do SI, do man da Sardenha, circulo eléctrico do cimento da Diana, mostrou-me um pequeno ser alado.

Da vara da mina da laje JC 6.00, penetração no vaso invertido com anel, marca azul no anel, com pedrinhas à volta das tampas, um meio rectângulo invertido, traço horizontal, 4, traço horizontal 21848108, vesica musa win x club, 218483010631538, oz é, faz falta, dave Co IA de S. Jo ais é ró 999, Cp mais Av. republica.

S iwo 74 . Oto
Cu 6 y
Vy tao vyg li 94 im, reza de oli, da vela de avião, o ró da CP mais Av. republica, da TF vermelha, Itália, Sardenha, cavalo de pau, troco entre duas pedras.


Estrela morente do oriente, porque o vermelho paixão já era, pinguim lima e menta, a ponte, schok na loja de cascais ao tó pereira, no amarelo.

Em tarde anterior ao chegar na torre de trás, à esquerda do portão de entrada da centro, um grande reflexo de luz se projectava no lado direito dessa torre, era o bacalhau, tinha eu escrito sobre o bacalhau estar de molho e agora vi-a a sua luz projectada na fachada, como uma sombra de luz, uma sombra luminosa, está ela com o rabo para cima em v por debaixo de um quadrado na fachada mais ou menos na altura do 13º andar, e a parte de baixo, onde seria a cabeça, por altura de outro quadrado na fachada, uns andares mais abaixo e me apareceu em espirito a ligação com a relação 5/ 7,5, o compositor digital

Na tarde da véspera ao vir da biblioteca dei com estranha instalação se calhar feira pelos santos e dos bailaricos santos.

Fortaleza da epal, z na serpente ss de Lisboa oriente, a serpente dos três traços horizontais amarelos sobre o azul da direcção oriente, depois rodou o texto até aparecer, António, o veloso, lanço do primo do SJ, comboio 107 , orçamento de estado 78/87, o de background 92 do Ki A pi canto, ex. 64, 15xz, da maça K, n zs em 98, o sétimo do sétimo, vareta do furacão 71 IZ, 98, aqui, gato do angulo prata alemão, duas cascas de banana no chão, 73, 46, XX, DC I, do trevo de oito folhas recortado do livro de ferro aberto em vaso de fogo, unha vertical na quinta das mimosas, três pombas pousadas no lado direito visto de frente ao trevo com o livro por detrás, uma branca e duas cinzentas.

O trevo tem cinco semi círculos em cruz, donde dez na soma da cruz e tem o desenho de um pente brocha que faz a perna esquerda do vaso mais pequena a chegar à sua junção, barulho da rada matriz do 08 de prata das pizzas do cabo eléctrico do auto sapo, o terceiro do segundo de 64, 10 Raquel Duarte, escrito na caixa de onde sai o cabo que da segunda caixa que alimenta a primeira, o cabo preto é da Raquel, vai pela relva e é nela cravado com quatro garras metálicas na junção da extensão e que liga depois cinco arvores e passa pelo livro em ferro do trevo nele recortado, a caixa grande diz re sul hi mel, a caixa Raquel fun tea on ted e o cabo faz um laço que laça um W.

Uma colher ao lado, a vida não é uma droga, mas a colher lembra preparação de heroina, ou a Raquel será a dita ou a ela terá sido dada. A caixa rectângulo da Raquel em sua traseira faz quatro U com asas abertas com um rectângulo em seu centro, uma fita preta entre o debaixo e do lado direito, electricidade, 03 0886629, um selo azul quebrado na relva, outro 0886627, pedaços de neve, o local, e papel rasgado, duas pedras de calçada da caixa maior, fx do no de 78, beijo 74, homem furacão da povoa 64, 98 PC, dois peões chumbados, himel, homem da vareta da emel, bg xt, AA 91, x no quadrado da torre do bacalhau, 44, 10 ox quando pensava no António, o primeiro de 2000, o auto do chico de cascais do Cl 83 rt da inversão da exclamação, no segundo circulo vermelho dos furos mota malboro do triângulo de fogo vermelho, jack da ligação em Espanha que tomba o A, ouço agora avião, antes tinha ouvido moto, em ferro mimosa chocolate, epal charlestown, dois círculos vermelhos com dois pontos em seu centros, sobre rectângulo de ferro com cores de Espanha, um mais pequeno com o número 2 e o outro maior com o numero 2 com dois círculos concêntricos, vareta azul e branca dobrada, guarda nacional 75 do 24, de 60, 68, 46, JS que manda o homem bom 53-61, 75 ax 75, ford prata da cobra do cascalho com tampa e laço de sete 42 19 SC 97/2, 88 on 28 TT 02/07 do 1101 FM ao 29 armador, bolama? Dos patos zangados.

Bp 95 isqueiro, Luís esparteiro ou o Joaquim Almeida.

...

é o homem da brigada de trânsito de 89, do x em 98 , n x no orçamento de estado em 92 ao homem forte.

...

Serpente do kA de GB. O sinal de trânsito sobre o qual tinha escrito, que pelo vento se tinha dobrado com um L de pernas para o ar, é o sinal de crianças a atravessar, em vaso de fogo vermelho, da cruz que vem do lado direito do cimo do Y quando o X vira À direita e faz cruz e aparece o infinito deitado da casa que faz a cruz, da cunha, nas aguas, imagem da epal. 150 m, cento e cinquenta crianças!

Ontem telefonou-me a coelhinha a dizer-me que a me convidava para a sua exposição fotográfica na galeria 3+1 e assim fui. Raros são os convites nestes tempos e senti que me faria bem lá ir, apetecia-me viajar e é sempre bom ver arte, enriquece a única coisa que há a enriquecer, o espirito e o coração e assim foi.

No metro dos olivais ao chegar à escada, a da direita, que é a que geralmente uso a subir, fazia mais barulho do que a habitual e o barulho, que me fizera lembrar sirenes me levou a descer por ela e ao descer tive uma imagem a que chamei a alavanca, veio-me à memória a de arquimedes, não sei por que exacta razão.

Na parte superior da galeria acompanho o plano descendente, um friso de alumínio com quadrados de luz, é esse friso quebrado em seu meio onde está um quadrado de luz e cada extremidade tem mais dois em suas pontas.

O que me chamou à atenção foi que na perspectiva em que ia descendo o primeiro quadrado de luz que me apareceu, era em parte ocultado pelo friso de alumínio e assim parecia um L, ou seja comecei por ver dois ângulos na luz, o que é coisa estranha em si mesma.

E assim em minhas notas o escrevi, um quadrado em angulo em L em baixo de um rectângulo de prata com ligações aos dois quadrados do primeiro oriente num quadrado central.

Um quadrado em angulo em L em cima de um rectângulo de prata com ligações aos dois quadrados à direita do central do quarto da alameda,

Um quadrado em angulo L mais elevado à direita do bico da serpente A dos furacões, azul e branca da alameda quatro, m546 do homem A da faculdade de ciências, Chelas, da serpente che de LA, 1º e 2º dedo da mão que deitou o infinito doirado com tachas sobre o negro, da rodela da arvores cortada ao pescoço, da rodela do livro da arvore, referente à arvore cortada na rua do borja que já aqui contei, 5556 das pérolas rosas e violetas da linha do rectângulo das horas, rosa claro e prata do entrançado do brasil da irmã que veste stefanel do cinto das flores sobre túnica branca e calças azuis de prata, do cinto negro de anel de prata, nas flores negras sobre branco, loira do gino eco, das adidas mau mau da divulgação do caminho de sua majestade, inca brasileiro, do joelho ao passe de agua nas festas populares, arrest, rero olés , etiqueta laranja sobre vermelho do vai vem dos jogos de cama do edredon do solteiro, do andebol sete f 76, arroios, da fabrica dos pink floyd de oeiras, do rip curl, dos sapatos vermelhos das duas marcas no pé direito, preto, branco e vermelho dos anjos alemães, ori flame, da chama doirada, da linha negra do camelo que o meteu no bolso, o bilhete do metro, da caravela do sopro do intendente, serpente décima , do british tabaco dos snifs do rossio do chá vermelho no tabaco de enrolar do inglês da escola russa de esquerda, do pé do popo gio junior, do board do papagaio da guarda nacional do rectângulo de prata de tijolos dos pássaros raltres allez, scarborough fair be, na metro TV explosivos aprendidos em Espanha, dos ouvidos da estrela vermelha kali indiana, do rato do met, an6 p2, z3, duas aspas, o sétimo e o oitavo do olho direito da bailarina das meias russas da capa dos desenhos grandes, da visão dos três traços vermelhos, FC, da cruz nos homens pássaro da utopia, de 22 algazarra dos burros do SKA, do 11 de Sintra, vespa vermelha de Hermes dos dois anéis preto e branco sobre carris amarelos do A ral de tomar, é B da imagem, sx 8.80, pissara e filhos, onda de cor do santo galo de boliqueime, a onda do Algarve, polo go, Manuel seguro 15 ca 16, polo n homem, 3 mais 1, S. Luiz, a vespa negra ninja TT, RF 80 80 de n sustos a mim em 90/94, raio Z , gás 66 de 95.

E assim cheguei à exposição de fotografia e entre muitos, vi um homem que deve ter a minha idade mais ou menos e barba rala que me olhou com ar de me conhecer desde muito, mas que não se apresentou e tinha um olhar estranho nesse olhar e quando eu ia ao perto dele a passar, ia tropeçando em seu pé, e me pareceu então que ele me fizera outrora tropeçar, visto que desta vez não cai e encontrei a psi Manuela, que da ultima vez que a tinha encontrado foi numa das tais consultas com a Ana Paula valente, sendo que ela também lá trabalha, lhe perguntei isso mesmo e lhe perguntei neste perguntar de forma a que ela me perguntou porque, e eu lhe disse que não tinha gostado nada da Ana Paula, que estava convencida que fazia favores a terceiros, que o que lhe valia é que não tinha ordem, mas mesmo assim tinha apresentado queixa, e ainda estava a espera de desenvolvimento e que achara aquilo tudo muito estranho, sobretudo chamar-se o grupo de gnose, que não achei lá nenhuma, mas que enfim todos temos idiossincrasias e me disse ela que agora encontrava sobretudo os amigos em cemitérios, e eu lhe disse, que sim que era milagre, acordarmos todos os dias, e por isso devíamos sempre louvar, e mais não disse embora me apetecesse dizer e passou ainda outro rapaz por mim, mais novo e bem composto que esteve assim uns largos segundos a meu lado pertinho e não me olhava também e isto foi mais ou menos a suma dos estranhos, de resto foi muito interessante e estava gente muito bonita, assim a meu coração pareceu, sendo que a Manuela também não é feia.


A saída em frente ao são Luiz, nas pedras da calçada vi mais um circulo vermelho com um ponto em seu centro como um alvo e tinha a seu lado um F e um H e um risco sobre as duas letras, um vinco fundo na pedra na estrela, o TT, no centro negro de quatro losangos ou seis se contar com os que tinham os pilares em cima e que faziam por assim dizer de moldura à cena do vestígio do crime e olhei para o cartaz que está na fachada do teatro e me apareceu nesse numero o nome de Bernardo Sassetti, com dois Ts.

De volta no metro, vigília total, esquece o bronze, as cores de, seis SA JO do vaso do rock em rio, vó, stradivarius da visão do sol, as cores de verão , branco verde e vermelho, serpente minha em 98, rui, rato 5 da vesicas do oriente no pacote da páscoa e encontrei no banco que me sentei um cartão da major league de baseball, que comigo trouxe e tem os clubes todos que lá jogam, congratulations e desenhava eu um X num quadrado, tentando lembrar-me desse desporto que não bem conheço, se as trajectórias do movimento faziam um x ou não, e moedas de alguém que ia mais à frente rolaram pela carruagem fora na direcção do movimento do comboio, as gentes se levantaram para as apanhar e devolver, e ouvi ainda o homem que chia o auto tem argola desenhada na orelha , rato da maria 55, lo 552. Também ouvi na viagem que o grupo é o grupo dos cincos perversos, mas a palavra era mais forte e clara em seu dizer, quando pensava no Luís e no António e que o Sassetti seria ainda pequeno aprendiz, se é que é do mesmo grupo.

Hoje na tabacaria uma moeda me rolou no chão, em cima dos quadrados brancos que se disponham em losango face à posição onde eu estava e que parou sem seu rolar ao lado de um dos ângulos, o que estava mais a baixo, olhava eu um bico de uma produtora, a do José nuno Martins e depois desci para o rio e li, o gasoleo da cruz no centro das palavras cruzadas em 99, da inversão do vaso de pan, n gritos silva, IT da Baviera, vaso preto e branco, a 6, raio x ao vaso da serpente e homem CE 12 dos computadores gráficos, ou dos gráficos computadorizados

Três traços do vaso de 2000 na GB, pomada Lun, rádio em Espanha do gt pi, rato sete, do os 96, ao 41 do dia maior, competição PP, preto e branco ca ao 18 do sete construevel, da construção do evil, vil, ao 34 b homem, o sexto inglês do quinto, ou em 05, 99, duplo humano, do vaso z da BA, HD, alta definição do good rich, luz do angulo, Om francês, ro da vareta serpente quarta, zagalo dia do currículo 24 em 95 jj do 52 32 do vizir 91 a x, 12 A.V. 88, hd good rich, diário da Sofia, chá do susto da serpente LC da maça invertida, tem mais em 95 a mim, 82 Bo, pi 21-17, bpmbeiro voluntário 63 x j, vaso L de 87-90, ao leão 42 34-zz , casa a mexer com, zi, zagalo maior, oitavo do terceiro da CE do 99 ou 69 da vareta na maçã invertida do circulo das crianças, Bo primeiro do anel em segundo plano em 78 aqui, da chaveta sexta de boliqueime, 83 é zagalo em 78 A homem vinte e dois, homem x zagalo zenão da caixa do c dos xis, vaso 8 de 89, internacional cronopost, SS aceleração do p x, oi, Pu 82 do 23, 74, 26 jj, bx 73, 11 de 91 daqui do pó, 65, 82, id, Ra do w auto rac, xf, grande prémio, touro ux da tampa superior do x az, fnai 87, zagalo dia do noventa quadriplo do vaso J 18 em 7, 95 ao 71 anacom, fn jh 09 xd, 20 D.B. 05, chia o PE, silvo, DC, DC 38, junior, ed., quevedo 74 lx, PC 38, 99, 61 Pm castelhana, vaso j oo 79, serpente da asa do telefone cronopost dci100, o 1 de 80 do IS do vaso que deitou o cimento, che 52 turbo diesel, no jumper de caixa aberta na piscina do parque infantil, restelo, 3, ET, q pal dos ladrigessos da escova verde, 36 DD de 56, de prata e negro do recife metal , desmantelamento, do bp de 81, 63,33 o gato stracker, 35, 93 pj, 37 zagalo da serpente, olivier e benji a caminho da glória, o barão zagalo serpente da global car do Ricardo II. Do smiling do vaso euro sul, boilebong de 78 , vaso sete corsa serpente do bastão 59, 84, L T da serpente che ob, serpente de todas com ponto, águia, serpente zagalo, comboio verde rápido, que foi cadelinha em 94/98 BE, único 19 daqui, 68, js, xb, 8 48 rn 6 n, 57 00 60 01 lb, vj quarto, 12 de 82 também, 54 de 77 vaso C l3 ax vaso sete, neo farmácia chip sete, j. Pinheiro Rá, raio maior serpente homem sete, XX swing aids branco, id do raio de 87, amarelo e preto Zacarias 74, 37, homem ri do os 98 xl, xi, si, emnl, br 77, 76 Pb vz 87, 81 do primeiro do quatro VE, doze do BR 99, OB, ro 92, RT.

C hi o , o homem AA EN, o cavalinho, par da titi on, from carneiro serpente foice bordão villa love, do ninho das vespas, que é rato LE do W I de Espanha, da org. do general e do angulo w cy, D re do y homem , da crista da maria, serpente holandesa da india

Olho de Osiris a chorar, é angulo da serpente do Y e seis, dois pontos do vaso serpente terceira que liga a chaveta da vesica transalpina BG 66 do vaso A, o 2 C H, que fez tilt.
Ficino, pacioli,

Com sol o men tum


O segundo C do U, do lado esquerdo inferior.

Ur gato do circulo; o JJ AD OB JS3 ao angulo na B3 S AP BD S N9 VI 3 AA DU IA do acento acima da vertical, traço vertical sobre lua crescente, no vaso invertido, ou semi arco s ap nj ÍÍ f 187 e j bc9e ´studap sauí cia cru dp do dinheiro inglês.

Quadrado cml s lat b125 esgoto np 124, gato maior morto cinzento no chão da rua no ponto próximo onde em dia anterior estava um preto, che edi fer 74/82 px- T ur sc db 75, do golfinhos gratinados

Paulo portas, Mário soares, belmiro Azevedo, Paulo Teixeira pinto, cristiano Ronaldo, António guterres, seis dos onze do circulo da senhora macbeth Íris.

Os outros para já, me escaparam no ralenti, esgoto a correr, ouve-se agora, e lembrai-vos todos, o Perfeito e o Perfeito São Um e não onze, mais não terei de dizer!


BF serpente de Dezembro, beijo serpente à maria, LC PA R 9, angulo de contacto da Pa do ar ou da ar à humanidade, JF ISA B el poncho, kapa, da Tina de LA, pá euro felix, cia, oto carros sistemas de informações, da maria A.V, maria Elisa, de serpente n cão, do BA, TE, A OT A , CO Maior AP e rato DI, 60 + A do bico Ne, MM, ais, UMA, NO, TAPA Rá A OTA nono EU, RE, serpente A OTA, UA, IAO, TO TTA, 20 pal BR às, CC Castro CA, Rá, jó, Co ME, Re, mo serpente 9/11, ca rato Ne, estúpido, C e rato Co man mandante c as T rato ro, a Co do mo c da ua da ar ac do ar, jó, c vaso za coronha Co mo do man c L os ca br, one serpente com milones a el Co mi té cent ral, com uni s ta Cu Ban O ca br ron

A serpente dupla AA das linhas do vaso do quadrado da maria AA cão, da SA terceira, a co do mo, vaso A do tilt das linhas da cobra 1, 50 do tilt pequeno do angulo deitado do 300 escudos portugueses, macaco da serpente ar das serpentes Lu, lu c, serpente ro da se o rata b dos tios da eu, c on ti, nua m, a te rato, serpente do terceiro tilt no aro da passa do vaso c T da divisão 40, te mo serpente do vaso ar us che da serpente europeia, os Ban, co serpente c on t ra ta re mm ais, pe, dupla serpente, todo pá, Ra, os ba lc ã Y es, en, t, r, gear, dos ossos c art ã vaso Espanha, a dos mil tilt da serpente homem a, tilt do bit, to, dan, do T, es, vaso c a tilt das libras, o que ouvia e vaso ida, da fun, do cio, da nove ma na maria es má, n triângulos tilt das libras e rato ra, homem, je, no dia d, e xis tem pays shop s em to, dia AA, a rte, pa ra as dos di T as de serpente pe sas, eu, dos ais da Ag dos avos de p, At ra, vaso tilt a co py right serpente vaso ar, serpente de um l ti ban co que eu m, ise rato le t ra serpente be m 60 r d as e re inca meu he, pa ra , raio maior, n a tilt, primeiro, meu ro do pe ss o as, às sin a microsoft, negro ecrã, que arranca a pet, caíram ao momento11 beatas em cinzas no chão, à dupla serpente dos livros do pequeno com t ra, rumi axa serpente da um do meu banco e pa ss a a in for má ss à zo lo, pa ra os meus contactos, da pet ti on on line banca tms e xe rato ce , o meu di re ito ã in di 6 n ãá, dupla cruz, ã, o ã do percentil uma ss un to nove eu in Teresa, a asa to dos n a tilt da terceira serpente, a ss ina tam ã co py right serpente! Sakira google da ar a turca, o 2´1/ do sé-o, pereira faísca, eco Humberto persona

Caiu granizo grande, o mostrava o ciclista em suas mãos
Solistício de verão 22 junho

Ao que parece não eram bem vampiros mas se calhar vendo bem são, da telelele cinco, a bela actriz má má, então, que dizem a minha amada com ela ser parecida, e mais um verde verdete senador, entre outros, quase que me dá ganas de ir apertar uma cobra que eu cá sei, por isso aconselho que tomem medidas para essa gente parar.

Ah Amada ciccolina, que ouvi eu em espirito que gostava de dançar, nada contra, sempre a achei muito bela, tem uns belos olhos cor do doce mar, e em amor a trago e razão tem em dizer que os Seios são sempre leite de Paz, assim sempre deverão ser, que todos os seres deles se alimentam e deles vem.


Ah amada, relia o texto da menina do olho azul e chegara a sua quarta página, o sal da ua, segundo agora o espirito me disse, que começa a falar de dois encontros com a menina de vermelho no jardim da estrela, o caso portucale, a pegada que o espirito hoje me dizia de seguir e eu lhe perguntava, mas seguir o quê, a quem que eu não sou de seguir e nem mais cão tenho como meu amigo e os dias vão sem ele passando e eu sinto em momentos a sua falta, como se cá estivesse em corpo, ainda, depois lembro-me que já partiu.

A menina, a senhora de cabelos grisalhos que estará em sua retaguarda, o senhor ex. ou actual secretário da agricultura da rua ao pé do ouro, as arvores de cortiça abatidas, que servem para fazer rolhas e rolhar, os três ex ministros do anterior governo, os jogos de verão em cama de casal espanhol, eventualmente as vagas de grande calor que afectaram a Europa, onde muitos em número anormal se foram, se bem me lembro especialmente em frança, ou do imenso frio na Alemanha onde se viu comboios militares a funcionar para o apoio às vitimas das chuvas, a carga de atocha e a desgraça, o sósia de tom waits, os dois veteranos americanos, D Pedro quinto, que é mais ou menos onde a menina de vermelho mora ou morava, uma batalha, oto, us, Londres, camelos, José Manuel seguro, Rogério da ordem dos advogados, lisbon festival e América latina, quase o mundo inteiro está nesta página ligado.

E contudo já há mais de uma lua, durante a noite, ao passar o comboio de mercadorias em Alcântara me dera conta que o assunto maerk, relacionado com a América Latina, estava resolvido e vejo neste momento da escrita o presidente evo na tv, numa conversa sobre terrorismo, pois seu nome estivera numa lista e se calhar ainda está como potencial desviador de aviões, uma história sem pés nem cabeça, como pergunta o jornalista à senhora com quem fala encarregue dos assuntos de segurança das listas dos passageiros de aviões, onde já estavam os nomes de muitos, quase todos que apareceram, depois em sua aparência envolvidos nos choques contra as torres.

Curiosamente o seu construtor não foi capaz de provar em tribunal que elas tinham caído devido a um ataque terrorista e, mas lhe foi feita promessa para nova construção.

Os dois círculos do infinito se interpenetram desenhando uma vesica em seu encontro, cada um dos círculos é suportado por seis arcos dispostos em duas fiadas verticais e por debaixo deles estão dois círculos, esta é a estrutura central contida num vaso celestial do ciclo lunar, figurado com três fazes decrescentes, um pleno, dois crescentes simetricamente oponentes, e no outro lado do vaso as mesmas três fazes decrescentes

Esta estrutura que se organiza a partir do centro de cada círculo maior que se interpenetram, e repetida numa outra fiada exterior à primeira onde as figuras possuem todas maior tamanho.

E ao recapitular os eventos acima descritos, cheirou-me a queimado, um cheiro queimado estranho que não identifiquei.

Um buraco foi feito na lua decrescente quando está em metade da cheia, e o fogo fez um buraco no centro da cruz no terceiro vertical e terceiro horizontal em direcção aproximada, a sul, do laço como anzol que do Y liga e laça o H, dos círculos de prata que pelo éter, dão a volta ao mundo, ligando-o. Não pagamos perdidos e achados, dia a luz que se transforma em carro, do espaço da visão do glutão da publicidade que come em todos os clubes, TV da vesica francesa, chiou carro lá fora, ao momento, 63, 65 mais ou menos das vendas tv, do rumi do vértice superior do vaso da maria do carneiro do apostrofe da serpente ourobos amarela de ibiza, laço que parte do lado direito vertical do H, curva no canto inferior direito do T e passa ao lado de G, cuja ponta fica entre os dois quadros, o g e o h , sendo que este laço é púbico e serpente do W de E, o que queimou o euro, ex It da vela do rectângulo vermelho da pá da massa do chuto ss da terra de nome parecido lá do longe.

A ver vamos, se não pagam se tiverem dívida à Vida!!!!


Recordei hoje por associação com noticias a ida para Moçambique e uma passagem fizemos antes pelo alfeite onde filmámos e almoçamos na messe dos oficiais, muito bem recebidos, era a memória que trazia em mim, agora surgiu-me ao isto começar a escrever, PP, mais uma intervenção do Paulo portas, ao que parece, e portanto de uma relação que se estabelece via sara Miranda, filha do Miranda do PS, que foi administrador da R.T.P., mais uma vez a santa nada santa aliança transversal do que me vinham até a bem pouco tempo a crucificar nesta terra de Deus

E uma outra data me apareceu associada ao alfeite, a da ida das meninas da clara e minha em cabo verde e a morte de duas crianças no antigo asilo que serviu de casa a gentes pobres durante tempo de mais, tempo demais porque um dia , já guterres lá tinha passado em campanha antes de ser primeiro ministro a prometer alojamento e no entretanto um telhado cedera e duas crianças cabo-verdianas perderam a vida. Era um antigo salvo erro sanatório que era pertença da misericórdia, provavelmente na alçada da maria José nogueira pinto.

Para além das meninas fora também o felix, que hoje me aparecera numa leitura em espirito, relacionada com as grandes desgraças em Espanha, que se bem me lembro já aqui dele dei neste Livro conta, e me recordo de uma das ultimas vezes que o vi, no s. Luís no dia da dança, quando de se abandonou a homenagem em nome da Mónica e se substitui por Alcântara grafado com K, alkantara e me parece à luz de tudo isto que a queda do telhado e da morte de duas crianças terá sido o eco da assinatura da maldade que terão feito à Mónica e se calhar a mim também nessa altura lá, com uma história que aqui narrei e que agora me parece também ter sido um atentado montado, pois a mim me recordo por consciência activa de o terem tentado em duas vezes anteriores que lá estive, uma no mar, outra com um doença que me levou à cama, coisa muito rara de me acontecer e onde depois no tratamento dela conheci por intermédio do vicente borges de Sousa, o humberto da clinica persona.

O angulo do alfeite, olho antiga gravura francesa pintada do alfeite com vista sobre o Tejo e Lisboa e reparo em duas paredes erguidas no vale, fazem um L com quatro arcos numa dela e mais duas na outra. Um angulo de seis, um L feito por seis semi arcos.

A tropa, a SA má, e me recordo do jantar com os comandantes, do quente da questão pois o documentário iria abordar questões susceptíveis e eles mostraram interesse no almoço em dar uma ideia de gente limpa. Tratava-se das chamadas mascotes, de meninos que eram apanhados nas incursões da guerra, e se tornarem mascotes dos regimentos, e não foi caso único, o que tratamos, muitos mais me chegaram aos ouvidos, lá, como de costume, mais um assunto quente tinha vindo parar em minhas mãos, parece o tal hábito das irmãs que o tinham do pai de enviar o gato para o meio da porcaria para a agitar para além de gostarem de assar carne em lume brando e demorado

Ostra, jantar de ostras, ba batalha, nelinho, menino nelinho, uma famosa caricatura do hermam josé inspirada ou remetendo para o que depois fora primeiro-ministro, o guterres

Na madrugada, a bela actriz lucy li visita o Congo onde a guerra faz dois milhões de mortos, maior parte deste número, são crianças, Meu Deus.

E me apercebo que um pico com cabeça verde está na vesica apontado a um pássaro da família dos colibris do Japão, e me começa a subir uma irritação, pois não gosto de ver nenhum pico apontado a nenhum pássaro.

O pico apontado ao pássaro do Japão do circulo de prata do canto direito de baixo do rectângulo da cor das claras azeitonas, por debaixo da farmácia dos alquimistas da menina que beija a testa do menino com cão e barrete, do circulo do veleiro, o rp da coronha da espingarda de repetição do homem serpente do P, A.V, dos presentes e da caldeirada, sendo que diversos são os tipos diferentes que elas costumam levar.

Desenhou-se um estranho reflexo de luz na parede como um sete espelhado em seu eixo vertical, lá dentro a silhueta do que poderiam ser dois seres lado a lado com seus ombros encostados, por baixo dele, que será donde vem aquela imagem de luz, um vaso branco alquimico com a arvore da vida, um caule ascendente com um folhas em cima, mais quatro para cada lado e nove flores frutos distintos no permeio delas, nove pétalas e nove frutos, por baixo do vaso que é como abajur, um outro vaso de prata, com o ovo azul em seu centro rodeado de cinco rosas brancas abertas em flor.

E mais abaixo ainda dos avós sufi do machiu pichu, doa avós das cinco luzes

Do quadrado do espião que veio do frio, por quem os sinos soaram, o cão dos bas K e r villes de pan, da esfinge da primeira guerra mundial, do vampiro M jones olin, dueto de feliz acaso do efeito do defeito, o homem do sino disfarçado na casa de malta, ovo do mau passante do jogo da morte 60, do vaso de cobre dos leões do vaso alquimico de nikos , liberdade ou morte, que vem da história de bertrand russ elm pequeno, o laurent me vem À memória, da enciclopédia legal , o fio preto que sai do amarelo, o marcador, do, este livro que vos deixo do hexagrama do cão e do pássaro, carlos selvagem hipo, do Portugal militar, da vida privada do império romano, do serviço holandês, olho o serviço de chã e no bule vejo ao momento o meu reflexo a escrever estas notas, do oitavo ao decimo segundo vaso castanho , amarelo e azul, do vaso de vidro de doze bicos como picos, do chá dos ramos do angulo 15/ dto entre a quarta e a quinta tabuinha do quadrado entre agra Be e o triângulo do vaso da rosa grega de prata da roda da vida e dos dois labirintos em quadrado da fotobiografia de Fernando pessoa da imprensa nacional, casa da moeda, de sete a onze e de 11 a 20, das obras completas do lar da águia dos melhores contos portugueses do vaso do sufi.

São três os sufis a dançar e fazem entre si um triângulo na posição de fogo e estão um pouco à esquerda da arvore da vida, à sua direita, dois vasos de vidro com quatro pontos, um azul, outro transparente, visto de cima parecem botões, desenham em seu todo os elementos num só plano um L, espelhado em sua vertical, com o circulo sufi com um acento

Franceses do alfeite, um prego no friso da almofada da porta do lado da chaveta do forro sobre o circulo na madeira por de cima do altar dos riscos azuis e brancos do fcp do avião da casa de porta de bambu, do joma que pisa o pé propositadamente e cuja equipe ganha a taça, do azul do mar da ...vermelho sobre azul, 161, vermelho e verde das docas de san t os, verdes e azuis de dois moinhos de grãos da gravides do angulo dos dois traços vermelhos na gaivota do homem serpente josé na ribeira da glória, nova nec , na limpeza do pescoço, e do choro do olho de osiris, das cadeiras de rodas que se cruzam como os sapatos nos mosaicos de telheiras, da sístole e diástole azul, 4,10 no rectângulo do infinito deitado , ou seja na pressão dos dois círculos, dos triângulos do olho do pavão, a cicatriz na testa , no centro a vesica que abre para os dois círculos, com seis semi arcos, três a três lado a lado e depois em baixo de cada circulo, dois anéis

Homem do hospital de santa maria, agora me lembrei, o que me atendeu, um que era psi, e que achava que eu estava louco, disse-lhe que não, que me tinham tentado enfiar a carapuça e o rotulo e assim foi, dei-lhe inclusive o nome de quem o fizera


De manhã um grupo de mulheres nas Filipinas se tornou cooperantes e fazem malas a partir de antigos jornais, que lindas são, custam um dólar e meio, as louvo nesta bela manhã.

Meus Amados Astronautas, que belos vos vi hoje em foto, cada vez que voais em voo com vocês e hoje assim vi em particular pormenor de relação e muito alegre e contente fiquei, espero que a vossa volta se dê sem problemas de maior, é meu voto a todos vós.
Às vezes fico a olhar o céu a ver se vos vejo.

Ontem de noite a caminho do rio, uma grande estrela vi no céu, brilhante do tamanho de meu dedo, direcção norte, nordeste.

Minha Amada, Amada Minha, que as Andorinhas Tinham Partido Há Já Dias Quando o Vento Forte Se Levantou e Ontem de Novo Voltaram e Meu Coração de Novo Se Acalentou.

Os Pardais, esses sempre me fazem companhia e me mostram coisas, que Belo É Nosso Amor, Que Belo É O Amor, Que Bela É a Língua e Linguagem Una do Amor, da Luz do Amor Amante.

Ah Amada Minha, Minha Amada Mais Amada, digo eu de mim ser burro e cego nas vezes, e assim nas vezes me convenço de o ser, pois não ainda te encontrei e ontem liguei a televisão e vi um documentário sobre o novo srek e lá vi a bela Cameron, que está loira outra vez e faz de Rainha Fiona, e depois vi aquela bela equipe e sua bela forma de trabalhar, muito gostei e muito os louvo e viva sempre o Shrek e seus amigos e Sua Bela Amada, Serás Tu?

Marilia gabriela em Lisboa, a fazer de lady macbeth, que bela senhora com face de fauno e voz quente, profunda e doce, ontem philips glass, compositor e músico muito amado desde longa data, morente também, e os bilhetes se vendem e não tenho eu moedinha para os comprar nem convites recebo, que movida esta cidade na chegada do verão, saudações do Solistício, Minha Amada, Amada Minha

Que bela cantora cabo-verdiana com voz de mel e belos e bons músicos com ela, cantavam e tocavam Lua, sua graça Myara Andrade

Sá agora percebi para que dois lados me diziam de olhar, vou ver se olho amanhã para eles.

E agora me apercebi que as Pedras Rolantes estão cá em Lisboa, Bravo!!!!!