sábado, fevereiro 03, 2007

Ah amado senhor presidente do banco europeu, ah amado senhor presidente da reserva federal, ah amados senhores presidentes de todos os bancos, ah amados senhores de todo o mundo que lá poêm o vosso dinheiro, quando vos sobra algum.

Era a imagem a imagem do mundo naquilo que não é mais aceitavel, o dedinho grosso do pé saia de fora da meia e do sapato, ou seja, tirou-se o sapato, que é aquilo que calça o homem e o permite bem caminhar, pois assim ele o inventou para seu maior conforto e protecção e lá estava o dedinho à mostra a mostrar como a meia e o sapato não cobrem o que não se pode mais cobrir.

E sendo o dinheiro, aqueles papelinhos verdes ou de outras cores de certa forma uma meia e um sapato e que quase todos no mundo, com a pequena exepção de novecentos milhões, assim com eles andam calçados, um sistema duplo de representação que representa a substância, neste caso o pé, sendo a meia o que cobre e o sapato o que está à vista, será sempre de conveniência que se aproximem os três entre si, da mesma forma que uma meia rota deixa passar o fio, um pé descalço se magoa, e um sapato apertado faz o pé doer, e sofrem os homens sózinhos e nem sempre sabem ou tem tempo para remendar, pois andam muito ocupados a contar os papelinhos, tanto que às vezes fazem buracos redondos no chão de seus gabinetes.

Ia eu a caminho de jerusalem à procura de minha amada, montado num burro no meio do deserto e entretinha-me a remendar as minhas vestes quando me deu o sono e adormeci e veio um pássaro que em sonho acordado me perguntou, como era mesmo aquela tua ideia de deurante uma semana, se baixar os preços das coisas de forma a que a meia não estivesse mais rota e todos pudessem ter os sapatos do tamanho que necessitam?

Achas mesmo que se durante uma semana, as pessoas pagassem uma fracção do valor acordado, sobre os produtos, entregariam o remanescente dinheiro ao fundo do fim de toda a miséria?

bela pergunta, irmão pássaro, é uma pergunta que terás de fazer a cada coração e não deixaria de ser um bom teste ao coração dos seres, aquele que cada um trás mesmo pedaço em si, e tu acreditas nos homens?

respondeu ele, que em parte sim, outra não.

E eu lhe disse então, tambem me passou semelhante dúvida ao pensar, talvez fosse melhor fazer na segunda semana que fosse preciso, talvez melhor seja na primeira vez que assim se fizer,os produtos continuarem a ser vendidos e comprados aos preços correntes e sendo os distribuidores, como o acordo dos fabricantes e de quem os fabrica, quando os três não são um, o que como sabes varia muito de lugar para lugar, reter e retirar então do valor colhido, o restante do euro unico, ou do dolar unico, ou do dinar unico, ou o que seja e se apresente e pô-lo então no fundo e depois na segunda vez, caso se necessite de fazer uma segunda vez, se ponha o preço a um euro durante uma semana, ou durante o tempo que for necessário e cada um que compra ao comprar, porá a diferença de seu próprio bolso, quanto o bolso de todos não é um, no fundo, assim se testará a compaixão que vai dentro de cada um.


és capaz de ter razão, olha lá, disse-me o pássaro irmão, então, mas ainda não existe formado o fundo do fim de toda a miséria? quem o administraria?

Quem para isso se sentir com vocação e que tenha a necessária preparação, por exemplo, aquele belo Amado Senhor de Alma Doce que criou o banco do micro crédito e porque não a mão da ajuda de kofi Anam , que não sei o que agora andará a fazer e se calhar tem tempo e vontade de o fazer, ou outros , que o queiram, que queiram remendar de vez o que não pode continuar a manter-se roto, pois não há sapato que resista a este nosso caminhar na forma como caminhamos.

o ouro , o verdadeiro ouro é o pé, pois pés são comuns e irmanam todos os homens, salvo aqueles que os perdem nas guerras e das crianças que sem eles ficam pelas minas e a meia é uma invenção dos homens pois todos inventam e são inventores, é o primeiro revestimento do ouro mas não é o ouro, como os sapatos, que se melhor lhe permitem viver, tambem não o são, pois durante muitos milhares de anos andaram os homens descalços e não deixaram de ser irmãos por isso, nessa sua nudez.

sabes amada, no caminho pelo deserto ao caminhar, tinha encontrado um papel cheio de belas faces que perguntavam em nome da UNICEF, o que se poderia fazer para melhorar a vida das crianças e se os homens por vezes tendem a complicar desnecessáriamente sua vida e seu viver, a resposta é sempre simples, amá-los, amá-los mais e melhor, como então uns papelinhos poderiam ser entraves à ajuda e ao ajudar, só mesmo se não tivessem mais coração nem cabeça para pensar, o que certamente não é o caso, por outro lado se as guerras acabassem, o dinheiro que nelas se gasta dava provavelmente para tudo compor, mas parece que se esquecem de fazer bem as contas, eu e tu, somos dois que dá sempre Um que Somos Todos.

Olha aqui no meu país, onde anda a morrer gente por demorar seis a sete horas para chegarem a um hospital, querem acabar com uma serie de urgências, se calhar para aumentar o tempo e na tv, se bem me lembro ontem, dois rodapes juntos davam quase a solução inteira, pois a verba da divida do custo total do serviço de saude é igual ao que se deita fora por se venderem os comprimidos genéricos em caixas e não em forma avulsa e bem sei que existem outros, que não o são, mas se se vendessem à medida, à unidade necessária, logo ai se ficava com muito dinheiro para que as urgências não tivessem que fechar por falta de verba.

E sabes amada, como os homens andam aqui cegos e deixaram pela cegueira de ser criativos, o que apetece mesmo é chamar a policia e os tribunais, pois é de caso de vida e de futuras mortes que aqui falamos e que acontecerão pela natureza das medidas mal medidas de quem leva o governo e o governar, e as leis isto não devem permitir, nem os governos devem assim desgovernar
Ah bela Menina Senhora, vi-vos, creio eu, que meus olhos da face já não são o que eram, melhor mesmo o do coração que habita por cima deles, o único que acerta o ver no visto, vrumm, vrumm era branco como a neve e grande, comprido e chamava-se lisboa, e quando passei nos vidro fumados me apareceu uma bela face de gato sorrindo olhando o rio, o mar e o céu e eu fiquei ali parado em meu coração andante a passar sem passar, a lembrar-me de si, e a me dizer, é ela sim senhor e tudo depois ontem e hoje mo confirma em meu andar, e me falam de mudanças e de patins em linha e belas hamburgueses, salsa e coisas afins e cento e quarenta e nove na avenida de valbom, e depois ouço na noite, tu ainda não a esqueceste, e depois de hoje de manhã que um Amor Verdadeiro, nada o deita abaixo, e me marca meu xilofone as horas daqui a um pedaçinho ao pé de uma estrela e de uma torre e da assembleia da republica e eu, que por natureza sou distraido e assim Deus me leva ocupado em coisas que por vezes não parecem fazer muito sentido a quem não priva comigo ao alcançe de um beijo e de uma festa, só em dia recente me dei conta de quem era filha, e uma Cítara que desde pequenino muito Amo, para mim no intante tangeu, olhava eu seus belos olhos de gato a sorrir Toda Amor e em Imenso Amor Lhe sorri, e eu devo ser o mais cego dos homens, a seu lado uma outra bela senhora a quem eu muito amo, e cujos olhos são gotas de mel, me dizia que tinha nascido no lugar dos belos gatos, que é donde a Menina tambem é, pois somos todos como eles a namorar a lua, que estava redonda e cheia na noite o céu, o duplo halo do Amor redondo e sua Face era como Ela, redonda Toda Feita Amor Redondo no Redondo Amor e depois busquei-a sem buscar e vi três encontros e em todos os caminhos me perdi e me encontrei, como quando nos fechamos sem fechar dentro de nossos quartos a olhar e depois de novo saimos para a rua a namorar,

que a cidade vos trate bem em amor redondo como sois, quem sabe se perguntando às pombas da amavel deusa caçadora, elas me levem até si e fiquemos os dois a conversar pelo infinito e depois na noite profunda ouvi, do amor até a eternidade, que é eterna e assim o sendo Ele É Sempre Eterno, mesmo na aparente distância ou na minha cegueira dos olhos, pois o Halo é concha aberta e aconchegante de meu amor a Si, sua voz doce e felina como Rumi.

bem sei, deveria eu deixar minha alma tornar-se vazia, mas ainda está Ela Cheia e Redonda Como no Céu, é um vazio cheio, um cheio vazio onde sempre tudo cabe e há dias em que estamos mais ou menos inquietos, depende das estrelas, da posição em que estamos com todas no meio do céu e quem o conhece, assim sabe que é e deixa-se esperar sem esperar que seu baile de novo as faça mover.

Vós sois senhora, uma estrela, uma grande estrela no firmamento do amor e as estrelas andam juntas naquilo que chamamos constelações e vão e vem pelo Infinito Firmamento e Assim São Livres e Belas e Belas porque são livres e eu sou feliz porque muitas me vem sempre visitar, só tenho frio mesmo , às vezes em meu coração, porque minha amada ainda não me abraçou, mas mesmo com frio a Beleza é Eternamente Bela.